Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Sons no Património: 17 concertos gratuitos em 17 lugares patrimoniais de 17 concelhos | entre 27 e 30 de setembro na Área Metropolitana do Porto

bankapmnmeedhhbb.png

 

 

Espetáculos  gratuitos em 17 espaços patrimoniais emblemáticos

 

“SONS NO PATRIMÓNIO DA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO”

 COM 17 CONCERTOS EM 17 MUNICIPIOS

 

Sons no Património da Área Metropolitana do Porto é um evento em rede promovido pela Área Metropolitana do Porto que, entre os dias 27 e 30 de setembro, propõe 17 concertos, de entrada livre, em museus e lugares patrimoniais dos 17 municípios que integram a Área Metropolitana do Porto. António Chainho, Elisa Rodrigues, Señoritas, Onda Amarela com António Serginho e Sara Yasmine, LINCE, Mur Mur, Lisboa String Trio, Uxía, Ricardo Ribeiro, João Couto, Marta Ren & the Groovelvets, O Gajo e Pedro Caldeira Cabral compõem o cartaz de uma programação artística e eclética que, ao longo de quatro dias, animará museus, praças, igrejas, mercados e outros espaços simbólicos, propondo novas leituras e experiências do território.  O evento tem como intuito celebrar e valorizar o património à escala metropolitana através da música, em sintonia com a comemoração do Dia Mundial do Turismo e das Jornadas Europeias do Património.

 

Dia 27: Lisboa String Trio e Onda Amarela, na Póvoa de Varzim e Arouca

O primeiro concerto gratuito do programa "Sons no Património" arranca no dia 27, às 21h30, na Igreja Românica de S. Pedro de Rates, na Póvoa de Varzim, com a atuação dos Lisboa String Trio, uma das melhores formações de jazz do Portugal contemporâneo. O monumento, construído no século X, será o cenário de um espetáculo de jazz, protagonizado por José Peixoto, Bernardo Couto e Carlos Barreto, três premiados e aclamados músicos, que prometem um espetáculo virtuoso e cativante. No mesmo dia, às 22h30, a Praça Brandão de Vasconcelos, bem no centro da vila de Arouca, em frente ao milenar Mosteiro de Arouca, recebe o grupo Onda Amarela com António Serginho e Sara Yasmine, cujo espetáculo, concebido por esses dois artistas em colaboração com diversas comunidades do concelho, terá por base a polifonia local da região, refletindo, assim, a herança cultural própria do território.

Dia 28: São cinco os municípios com concertos gratuitos

No dia 28, os “Sons no Património” ecoam nos municípios do Porto, Vila do Conde, Vale de Cambra, Trofa e Santa Maria da Feira. A partir das 18 horas, a Casa Museu Marta Ortigão Sampaio, no Porto, recebe Elisa Rodrigues, que revelará as razões pelas quais é apontada como um dos novos talentos da música portuguesa.  Às 21h30, em Vila do Conde, o guitarrista Pedro Caldeira Cabral sobe ao palco do Mosteiro de Santa Clara, para dar a ouvir, nesse Monumento Nacional, o estilo próprio que o compositor e multi-instrumentista apurou ao longo dos seus 50 anos de carreira internacional

Em Vale de Cambra, a partir das 22 horas, Marta Ren & the Groovelvets leva ao conhecido Cruzeiro de Rôge a sonoridade soul e funk que a vem celebrizando, enquanto João Couto apresenta à mesma hora, no Souto da Lagoa, na Trofa, temas como “Canção Só” e “Carta Aberta”, entre tantas outras melodias e letras que lhe garantiram já o reconhecimento no panorama artístico nacional.

Em Santa Maria da Feira, também às 22 horas, o Mercado Municipal, concebido pelo arquiteto Fernando Távora, recebe a única presença internacional do cartaz Sons no Património, a cantora Uxia, por muitos aclamada como “a joia galega” pela renovação que imprimiu à música tradicional dessa região espanhola. Alalás, mornas e fados vão refletir sonoridades da Galiza, de Cabo Verde e de Portugal, num concerto gratuito que evocará ainda a proximidade dessas três culturas aos ritmos próprios do Brasil.

Dia 29: sete concertos de entrada livre a não perder

No sábado, a programação do Sons no Património propõe uma miscelânea de estilos musicais,  que não deixará ninguém indiferente. Às 15 horas, o Museu da Chapelaria em São João da Madeira recebe “fado”, na voz inconfundível de Ricardo Ribeiro,  um reconhecido e consolidado embaixador da música portuguesa no mundo. Às 17h30, Elisa Rodrigues volta a subir ao palco, desta vez, no Museu Municipal, em Espinho, onde apresentará “As Blue As Red”, o álbum mais recente da cantora que conta com a produção de Luísa Sobral. À mesma hora, Oliveira de Azeméis acolhe, no Pelourinho de Pinheiro da Bemposta, Lince, o projeto a solo de Sofia Ribeiro, a teclista dos WE TRUST e dos There Must Be A Place.

A guitarra de José Peixoto, o contrabaixo de Carlos Barreto e a guitarra portuguesa de Bernardo Couto voltam a reunir-se, no sábado, por terras de Santo Tirso, mais concretamente na Casa de Chá, no Parque Dona Maria II. A partir das 17h30, é possível deleitar-se com os Lisboa String Trio, que prometem um concerto onde pontuarão novas formas de expressão para sentimentos intemporais.

Às 21h30, o município da Maia é o anfitrião de um dos mais notáveis embaixadores da guitarra portuguesa. António Chainho Trio tem encontro marcado na Quinta dos Cónegos, um local idílico projetado por outro grande mestre, Nicolau Nasoni.

A Igreja de São Cristóvão de Louredo, em Paredes, recebe às 21h30, MurMur, banda que reúne a atriz e cantora Sandra Celas, Alexandre Cortez e Filipe Valentim (Rádio Macau) e o guitarrista Tiago Inuit (Rota do Sul, Fausto) para mostrar um trabalho que privilegia a língua portuguesa e se inspira predominantemente no universo pop-rock.

No município vizinho, o Museu da Lousa  abre as portas, às 21h30, a O GAJO, cujas composições podem soar a fado, não sendo fado, podem soar a música tradicional, ainda que não sejam música tradicional. Um espetáculo híbrido e surpreendente é o que se pode esperar deste artista que leva até Valongo sons e acordes dedilhados na icónica Viola Campaniça.

Domingo: Señorita, Elisa Rodrigues e Lisboa String Trio encerram Sons do Património

Os três últimos concertos do Sons do Património realizam-se em Gondomar, Matosinhos e Vila Nova de Gaia. O duo Señorita atua às 18 horas, na Casa Branca de Gramido, em Gondomar, propondo um espetáculo marcado por uma atmosfera densa, feminina, urbana e bem portuguesa, numa proposta singular que animará as imediações de uma Casa umbilicalmente associada ao liberalismo português e erguida há séculos na margem direita do Douro.

Às 21h30, o Museu Quinta de Santiago, em Matosinhos, recebe a voz prodigiosa de Elisa Rodrigues, que brinda o público uma derradeira vez num edifício projetado pelo italiano Nicola Bigaglia e restaurado sob a direção do arquiteto Fernando Távora.

À mesma hora, a Casa Museu Teixeira Lopes , em Vila Nova de Gaia, recebe o concerto jazz português dos Lisboa String Trio, que assim se juntam aos vultos e lendas das artes e da cultura do século XX que frequentaram aquele emblemático espaço.

Recorde-se que o evento “Sons no Património” é o culminar de um projeto mais amplo de valorização do património cultural da Área Metropolitana do Porto, do qual resultou  a Plataforma PIN (pin.amp.pt), que mapeia e agrega o conjunto de museus e monumentos classificados dos dezassete municípios, e, mais recentemente, os Roteiros do Património Cultural da Área Metropolitana do Porto, que propõem quatro possibilidades de visita temática, em formato de roadtrip, à inesgotável herança patrimonial da região.