Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Museu de Lamego | Exposição | Casa da Corredoura. Coleção de fotografia família Perfeito Magalhães e Menezes

2022-12-01 EXP. CasaDaCorredoura_Cartaz.jpg

A exposição Casa da Corredoura. Coleção de fotografia família Perfeito Magalhães e Menezes, inserida no calendário de atividades evocativas dos 20 Anos do Douro Património Mundial, vai ser inaugurada na próxima quinta-feira, 1 de dezembro, no Museu de Lamego.

Partindo de um álbum fotográfico da família Perfeito Magalhães e Menezes, que compreende cerca de uma centena de positivos fotográficos, a exposição remete para a vida na Casa da Corredoura, centro de um vasto território senhorial, situado na freguesia de Cambres, Lamego, entre o final do século XIX e os primeiros anos do seguinte.

A exposição, que é inaugurada no dia 1 de dezembro, pelas 15h00, no Museu de Lamego, divide-se por cinco núcleos temáticos, que nos conduzem por um discurso de intimidade e familiaridade, a partir de uma das casas mais abastadas do Douro, de onde se vê o rio, a terra e o universo humano ao seu redor.

O primeiro núcleo da exposição - A Casa – apresenta as grandes mudanças que ocorreram na transição entre o século XIX e o XX no tecido familiar e na economia da Casa da Corredoura.

 O segundo núcleo – O Mundo Visto da Casa – mostra-nos o mundo rural, que se via em torno da velha casa senhorial.

O terceiro momento da exposição, com o título - Visões Românticas –, espelha a educação romântica, que os senhores da Corredoura cultivavam, baseada na leitura e na ilustração através de livros, jornais e revistas.

A exposição prossegue por um quatro núcleo – Retratos – que é talvez um dos mais importantes deste acervo fotográfico. Retratos naturalistas que focam não apenas os senhores da casa, mas todos os que com ela se relacionavam e a integravam.

O quinto e último núcleo – A Fotografia em Lamego – contextualiza a coleção da Casa da Corredoura no panorama da história da fotografia em Lamego, desde as suas origens, na primeira metade do século XIX, até à atualidade.

A exposição é complementada pelo projeto fotográfico de Luís Mascarenhas Gaivão, num registo da Casa da Corredoura 100 anos depois.

Com a curadoria de Nuno Resende, a exposição ficará patente no Museu de Lamego, até 8 de abril de 2023.

"Sangue Novo Veias Antigas" e "OIKOS - A Casa Comum" nos Monumentos do Vale do Varosa a 26 de novembro

2022-11-26 OIKOS_ComoEBonitaACasa_CSAF_Cartaz.jpg

No próximo sábado, dia 26 de novembro, terá lugar na capela de São Pedro de Balsemão o último espetáculo da temporada Sangue Novo Veias Antigas. Ano II, pelas 11h00, com a participação da Academia de Música de Lamego e Academia de Música Municipal de Tarouca. 

 

No mesmo dia, pelas 15h00 acontece no convento de Santo António de Ferreirim o terceiro fórum OIKOS – A Casa Comum. É convidado desta sessão o fotógrafo e realizador Paulo Ferreira, para nos apresentar as curtas-metragens This is our Time e A Terra dos Homens, e O Silêncio dos Moinhos (média metragem), a que se seguirá uma conversa com o realizador, moderada por João Pereira e pelo biólogo Nuno Santos, sobre o trabalho que tem feito pelo mundo à procura dos recantos da casa.

 

Entrada gratuita, sujeita à capacidade dos espaços.

Museu de Lamego | "Em Construção. Projeto fotográfico de Paula Pinto" e "Intimidade" de Alexandre Sampaio no Museu de Lamego

12 de novembro no Museu de Lamego |

Finissage EM CONSTRUÇÃO. Projeto fotográfico de Paula Pinto

Lançamento INTIMIDADE, de Alexandre Sampaio

 

2022-11-12 EmContrucao_FinissageExposicao_Imagem.j

Finissage EM CONSTRUÇÃO. Projeto fotográfico de Paula Pinto

No próximo dia 12 de novembro, pelas 15h00, vai ter lugar o encerramento da exposição – Em Construção. Projeto fotográfico de Paula Pinto - destinada a assinalar a conclusão da primeira fase das obras de reabilitação do edifício, ao abrigo da operação Norte2020, Museu de Lamego, Museu para Todos. Presidirá ao encerramento da exposição a Diretora Regional de Cultura do Norte, Laura Castro.

Constituída por c. 20 fotografias recolhidas no contexto das obras de reabilitação, que compreenderam a impermeabilização do edifício, através da recuperação integral de coberturas e caixilharias, e a instalação de um elevador, Em Construção remete para o propósito comunicacional de um museu em diálogo com a comunidade, num registo documental e, sobretudo, sentimental de autoria de Paula Pinto, técnica do Museu de Lamego, responsável pela gestão de coleções e conceção de conteúdos gráficos de comunicação e divulgação.

Recorde-se que a inauguração da exposição ocorreu no passado dia 6 de outubro, coincidindo com a reabertura da sala de exposições temporárias do Museu de Lamego, após um período de encerramento, por motivo das obras em curso. Tendo acolhido diversas iniciativas desde a sua reabertura, como sejam a exibição do filme A Corte do Norte, de João Botelho, em sessão especial do 7º Ciclo de Cinema do Museu de Lamego, e Textemunhos – Festival Literário, a sala de exposições manter-se-á de portas abertas ao público, até à reabertura integral do museu, com uma programação regular de exposições e outros eventos de natureza diversa.

 

Lançamento INTIMIDADE, de Alexandre Sampaio

A sessão de encerramento será seguida da apresentação do livro INTIMIDADE, de Alexandre Sampaio, marcada para as 16h00.

O livro evoca a performance de Alexandre Sampaio, com o mesmo nome, que teve estreia no Museu de Lamego, no Dia Internacional do Museus de 2012, sob o mote Museu num Mundo em Mudanças. Novos Desafios, Novas Inspirações.  Entendida como uma performance de intervenção comunitária em espaços museológicos, que desafia a relação entre iconografia e polissemia, desagregando momentaneamente as narrativas pictóricas e escultóricas de forma a reposicioná-las, e anos mesmos, em contextos de pertença, tanto individual como coletiva (Alexandre Sampaio, Intimidade), Intimidade teve edições posteriores no Museu Nacional Grão Vasco (2015), no Navio-Museu Santo André do Museu Marítimo de Ílhavo (2017), no Solar do Queijo e no Museu do Agricultor e do Queijo de Celorico da Beira (2020). Intimidade, o livro, revisita as várias edições da performance, naquilo que tiveram de envolvimento e partilha com a comunidade. 

Com apresentação do autor, Alexandre Sampaio, e da diretora do Museu de Lamego, Alexandra Falcão, a sessão conta com a presença de Cristina Teixeira e Maria Eugénia Pereira Coutinho, participantes da edição de Lamego, para a leitura de alguns excertos.

 

Entrada gratuita, sujeita à capacidade da sala.

Mais informação: www.museudelamego.gov.pt

Museu de Lamego | OIKOS - A CASA COMUM | A ALEGRIA DA CASA no Convento de Santo António de Ferreirim

OIKOS – A CASA COMUM | 2 - A ALEGRIA DA CASA

Convento de Santo António de Ferreirim, 29 de outubro, pelas 15h00

 

2022-10-29 OIKOS_AlegriaCasa_CSAF_Cartaz.jpg

Após a apresentação do projeto OIKOS – A CASA COMUM, em sessão realizada no passado dia 25 de setembro, no âmbito das Jornadas Europeias do Património, o segundo encontro está marcado para este sábado, dia 29 de outubro, pelas 15h00, no Convento de Santo António de Ferreirim.

A ALEGRIA DA CASA é o tema para o segundo fórum de discussão sobre Ambiente e Sustentabilidade, que irá reunir alunos do Agrupamento de Escolas de Latino Coelho – Lamego, numa conversa moderada por João Pereira e a professora desse Agrupamento, Lídia Valadares.

A anteceder a conversa, e promovendo uma articulação com as artes cénicas, terá lugar a leitura encenada do texto de Jean Giono, O homem que plantava árvores, numa interpretação de João Pereira (Teatro Solo).

Sediado no Convento de Santo António de Ferreirim, OIKOS – A CASA COMUM compreende encontros regulares dedicados ao Ambiente e Sustentabilidade, que aposta na transversalidade de disciplinas e formas de expressão artística, ligadas pela causa comum do presente e o futuro do Planeta, a CASA COMUM.

Organizado pelo Museu de Lamego, Monumentos do Vale do Varosa e Teatro Solo, com a parceria do Município de Lamego, OIKOS – A CASA COMUM é um lugar de diálogo com a sociedade, sobre cultura ambiental, a partir do extinto Convento de Santo António de Ferreirim, de obediência à Ordem fundada por São Francisco de Assis, justamente, uma das primeiras figuras da cultura ocidental a pensar a natureza com espaço de comunhão fraterna.

PROGRAMA | 29 de outubro

Convento de Santo António de Ferreirim

15h00 | Leitura encenada: O HOMEM QUE PLANTAVA ÁRVORES, de Jean Giono

Por João Pereira (Teatro Solo)

16h00 | Mesa redonda: A ALEGRIA DA CASA moderada por João Pereira e Lídia Valadares, com a participação de alunos do Agrupamento de Escolas de Latino Coelho, Lamego.

Museu de Lamego | JOÃO BOTELHO e A CORTE DO NORTE na pré-abertura de Textemunhos - Festival Literário

JOÃO BOTELHO e A CORTE DO NORTE na pré-abertura de Textemunhos – Festival Literário

4 de outubro – 21h30

Museu de Lamego [sala de exposições temporárias]

 

MuseuLamego_CicloCinema_ACorteNorte_JoaoBotelho.jp

A marcar o arranque do Festival Literário Textemunhos, que terá lugar entre 5 e 8 de outubro em Lamego, o 7.º Ciclo de Cinema ao Ar Livre fecha a edição deste ano, no Museu de Lamego, a 4 de outubro, com uma sessão especial dedicada a João Botelho. Após o ciclo organizado o mês passado pela Cinemateca Portuguesa, que incluiu a apresentação quase integral da sua obra, João Botelho regressa a Lamego para uma sessão comentada do filme A Corte do Norte, de 2008, a partir do romance epónimo de Agustina Bessa-Luís, cujo centenário de nascimento se celebra este ano.

Numa parceria com o Município de Lamego e o apoio da Cinemateca Portuguesa, a exibição comentada do filme será o evento inaugural de reabertura da sala de exposições temporárias do Museu de Lamego, após um ano de encerramento ao público por motivo das obras de reabilitação em curso.

A entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço.

Museu de Lamego | Jornadas Europeias do Património Fora de Portas | OIKOS - A CASA COMUM | 25 de setembro

2022-09-25 JEP_Oikos_ACasaComum_Cartaz (1).jpg

Nas Jornadas Europeias do Património, este ano dedicadas ao tema Património e Sustentabilidade, o Museu de Lamego e a Rede de Monumentos do Vale do Varosa, em parceria com o Município de Lamego, Junta de Freguesia de Ferreirim e Paróquia de Ferreirim, apresentam OIKOS – A CASA COMUM, numa iniciativa de João Pereira (Teatro Solo), no próximo dia 25 de setembro, na Cisterna de Lamego (16h00) e no Convento de Santo António de Ferreirim (a partir das 18h30).

 

Monumentos do Vale do Varosa | Sangue Novo Veias Antigas apresenta Concerto de Cravo no Convento de Santo António de Ferreirim | 6 agosto

2022-08-06 SNVA_CSAF_ConcertoCravo.jpg

O Convento de Santo António de Ferreirim é o próximo monumento do Vale do Varosa a receber o quinto espetáculo do projeto Sangue Novo Veias Antigas, no dia 6 de agosto, pelas 18h00, com a participação da ESART - do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

 

Com o intuito de promover a criação artística e dar visibilidade a projetos emergentes ligados à dança, música e artes performativas, Sangue Novo Veias Antigas parte do reconhecimento do enorme potencial dos monumentos que integram a rede do Vale do Varosa, como plataforma privilegiada do diálogo entre o passado, presente e futuro, através de práticas artísticas contemporâneas num território de baixa densidade populacional.

 

A entrada é gratuita.

Museu de Lamego | Museu Fora de Portas | 7º Ciclo de Cinema ao Ar Livre regressa em agosto a Lamego

2022-08 MuseuLamego_7.CicloCinema_Cartaz.jpg

Organizadas pelo Museu de Lamego e Município de Lamego, as sessões de cinema ao ar livre regressam a Lamego, este ano, inseridas na programação de Textemunhos – Festival Literário.

 

Numa seleção de filmes da responsabilidade de João Sousa Dias, ensaísta e filósofo, programador da 6ª edição do ciclo de cinema, e João Morales, jornalista e programador de Textemunhos, vão ser exibidos os filmes O Clube dos Poetas Mortos (1989), de Peter Weir, O Leitor (2008), de Stephen Daldry e A Rapariga que Roubava Livros (2014), de Brian Percival, numa oportunidade de ver ou rever alguns já clássicos do cinema internacional. Baseado na obra homónima de Agustina Bessa-Luís, cujo centenário de nascimento se celebra este ano, vai ser também exibido o filme A Corte do Norte (2009) do cineasta, natural de Lamego, João Botelho, convocando dois nomes maiores da cultura portuguesa.

 

Todas as sextas-feiras de agosto, pelas 22h00, com entrada gratuita.

Monumentos do Vale do Varosa | Sangue Novo Veias Antigas traz música e dança à Ponte Fortificada de Ucanha | 09 de julho

2022-07-09 SNVA_TorrePonteUcanha_Cartaz.jpg

No próximo dia 9 de julho, pelas 18h00, a Ponte Fortificada de Ucanha é o próximo Monumento do Vale do Varosa a receber um espetáculo de música e dança do projeto Sangue Novo Veias Antigas. Ano II, conduzido pela escola Balleteatro.

Com o intuito de promover a criação artística e dar visibilidade a projetos emergentes ligados à dança, música e artes performativas, Sangue Novo Veias Antigas parte do reconhecimento do enorme potencial dos monumentos que integram a rede do Vale do Varosa, como plataforma privilegiada do diálogo entre o passado, presente e futuro, através de práticas artísticas contemporâneas num território de baixa densidade populacional.

Sangue Novo Veias Antigas é uma iniciativa promovida pelo Museu de Lamego | Monumentos do Vale do Varosa e Teatro Solo, em parceria com os municípios de Tarouca e de Lamego e com o apoio da Antena 2.

A entrada é gratuita.

 

Monumentos do Vale do Varosa | Sangue Novo Veias Antigas. Ano II. Espetáculo no Mosteiro de São João de Tarouca | 04 de junho

2022-06-04 SNVA_MJSTarouca_Cartaz.jpg

O projeto Sangue Novo Veias Antigas. Ano II regressa aos Monumentos do Vale do Varosa para mais um espetáculo de música, conduzido pela EPABI – Escola Profissional de Artes da Covilhã e pela Academia de Música do Município de Tarouca. Dia 4 de junho, pelas 16h30, no Mosteiro de São João de Tarouca, com entrada gratuita.

Com o intuito de promover a criação artística e dar visibilidade a projetos emergentes ligados à dança, música e artes performativas, Sangue Novo Veias Antigas parte do reconhecimento do enorme potencial dos monumentos que integram a rede do Vale do Varosa, como plataforma privilegiada do diálogo entre o passado, presente e futuro, através de práticas artísticas contemporâneas num território de baixa densidade populacional.

Sangue Novo Veias Antigas é uma iniciativa promovida pelo Museu de Lamego | Monumentos do Vale do Varosa e Teatro Solo, em parceria com os municípios de Tarouca e de Lamego e com o apoio da Antena 2.