Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Leituras no Mosteiro exploram textos dramáticos contemporâneos

Arranque agendado para amanhã, terça-feira

TNSJ_Leituras no Mosteiro ©Susana Neves.jpg.png

 

De entrada gratuita, as sessões do próximo semestre vão integrar textos de uma vasta seleção promovida pelo Comité Português da EURODRAM

 

O trabalho desenvolvido pela EURODRAM – uma rede informal que promove a tradução, circulação e divulgação de textos dramáticos contemporâneos – vai estar em destaque nas sessões das Leituras no Mosteiro dos próximos seis meses. Agendadas para todas as terceiras terças-feiras do mês, e com entrada gratuita, as sessões da nova temporada vão integrar textos de uma seleção mais vasta da rede, promovida pelo Comité Português da EURODRAM. Com coordenação de Nuno M Cardoso e Paula Braga, as Leituras no Mosteiro decorrem às 21h00, no Centro de Documentação do Teatro Nacional São João (TNSJ), localizado no Mosteiro de São Bento da Vitória.

 

Agendada já para amanhã, dia 17 de setembro, a primeira sessão da temporada vai focar-se nos textos Objetivamente, Um Diálogo Monológico ou Um Monólogo Dialógico, do grego Dimítris Dimitriádis, e Quero Um País, da autoria de Andreas Flourakis. Para acompanhar as leituras destes dois textos dramáticos, são convidados Maria João Vicente, da EURODRAM, e José António Costa Ideias, professor universitário, doutorado em Estudos Portugueses/Estudos Comparatistas, pela Universidade Nova de Lisboa.

 

O Centro de Documentação do TNSJ foi fundado no ano 2000. O espaço integra um Arquivo, um núcleo essencial para os investigadores dos campos cénicos e para a preservação de documentos como registos vídeos de espetáculos, textos de teatro, dossiês fotográficos ou materiais promocionais das peças do TNSJ. Localizado no Mosteiro de São Bento da Vitória, contempla ainda uma Biblioteca considerada a melhor em Portugal no que toca às artes performativas. Disponibiliza gratuitamente a consulta de cinco mil livros, além de compilar vídeos, filmes e documentários sobre teatro e dança, óperas dirigidas por encenadores relevante, e ficheiros de teatro radiofónico. O Centro de Documentação está aberto ao público de segunda a sexta-feira, entre as 14h30 e as 18h00.

A Casa Fernando Pessoa traz à cidade a poesia que hoje se faz

 

 

Fora de casa, a Casa Fernando Pessoa realiza a segunda edição do encontro internacional de poesia nos dias 27, 28 e 29 de Junho. 
 
Ana Paula Tavares (angolana), Billy Collins (norte-americano), Mónica de la Torre (mexicana), Nathalie Handal (franco-americana), Tomica Bajsić (croata), e os portugueses Daniel Jonas, Nuno Júdice e Rosa Oliveira são os poetas convidados para a segunda edição de Lisbon Revisited – Dias de Poesia. Durante três dias o público pode assistir a entrevistas ao vivo, conversas entre os poetas e leitura de poemas nas línguas em que foram escritos: português, inglês, castelhano, croata.
 
Mesmo de portas fechadas, a Casa Fernando Pessoa traz à cidade a poesia que hoje se faz. O número 16 da rua Coelho da Rocha, onde viveu o escritor Fernando Pessoa, encontra-se encerrado para obras de remodelação, mas a programação da Casa mantém-se, ocupando outros espaços da cidade. O Teatro Maria Matos, recentemente requalificado, é o lugar para este encontro entre poetas e leitores de poesia, um programa anual lançado em 2018.  

Juntam-se aqui poetas muito conhecidos do público português leitor de poesia, como é o caso de Billy Collins; poetas em tradução com livros no prelo e poetas ainda inéditos no nosso país. Nesta segunda edição de Lisbon Revisited – Dias de Poesia o programa alarga-se em mais um dia, dando mais tempo à voz de cada poeta, aos seus poemas e ao que pode dizer da sua poesia. No ano passado reunimos sete poetas, Adam Zagajewski (polaco), Amalia Bautista (espanhola), Harryette Mullen (norte-americana) e os portugueses Ana Luísa Amaral, Jorge Sousa Braga, Luís Quintais e Margarida Vale de Gato, em mesas-redondas e leituras. 

As sessões estão agendadas para as 18h30 de quinta-feira, 27 de Junho (abertura) e para as tardes, fins de tarde e noites de sexta, 28 de Junho e sábado, 29.
As conversas e entrevistas serão em português e inglês (com tradução simultânea) e as leituras nas línguas originais dos poemas (com acesso às traduções para português). Haverá vendas de livros de poesia dos autores e a entrada nas sessões é livre e sujeita à lotação da sala.  

Programa integrado nas Festas de Lisboa. 

Plano Municipal de Leitura - Matosinhos

Álvaro Laborinho Lúcio é o próximo escritor na cidade

Amanhã, 27 de junho // 21h30 // Biblioteca Municipal Florbela Espanca

Depois de uma vida consagrada à Justiça e à causa pública – foi ministro da Justiça, ministro da República para a Região Autónoma dos Açores e juiz conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça –, Álvaro Laborinho Lúcio tem dedicado os últimos anos à escrita literária, tendo publicado os romances “O Chamador” e “O Homem Que Escrevia Azulejos”. Esta conversão à ficção pode bem ser um dos temas de conversa da próxima sessão do ciclo “Encontros com autores na cidade”, que terá lugar amanhã, 27 de junho, pelas 21h30, na Biblioteca Municipal Florbela Espanca.

 

Integrados no Plano Municipal de Leitura de Matosinhos, os “Encontros com autores na cidade” têm uma periodicidade mensal e trarão ainda à biblioteca escritores como Daniel Jonas (25 de julho), João Tordo (26 de setembro), Fernando Pinto do Amaral (31 de outubro) e José Luís Peixoto (28 de novembro). A participação nas sessões é gratuita e carece apenas de inscrição através do link https://forms.gle/LkpszBvHSBEUAHBn7.

 

Também integrada no Plano Municipal de Leitura, decorrerá no próximo sábado, 29 de junho, mais uma sessão do ciclo Poesia Maldita. Os diseurs residentes (João Rios, Isaque Ferreira e Rui Spranger) levarão desta vez a contundente leveza das palavras a apanhar a nortada da marginal de Matosinhos – para que cheguem ainda mais longe. A sessão está marcada para as 10 horas e contará com a participação dos formandos do Laboratório Poético de Matosinhos.

 

Criado em 2015, o Plano Municipal de Leitura de Matosinhos foi concebido para promover e disseminar os hábitos de leitura entre os matosinhenses de todas as faixas etárias e extratos sociais, constituindo uma estratégia integrada de promoção do livro e da leitura. O PML inclui um vasto conjunto de iniciativas, como encontros com autores e workshops de leitura e escrita criativa nas escolas e instituições do concelho, sessões inesperadas de poesia em espaços públicos, tertúlias poéticas e lançamentos de livros.

Baixa da Banheira | Leituras às Quintas: “Mulheres da Clandestinidade” e “Memórias de uma Falsificadora”

mulheres da clandestinidade.jpg

 

A próxima iniciativa “Leituras às Quintas” terá como temas “Mulheres da Clandestinidade” e “Memórias de uma Falsificadora”e realiza-se no dia 11 de abril, pelas 21:30h, na Biblioteca Municipal da Baixa da Banheira, contando com a presença das autoras do livro, Vanessa de Almeida e Margarida Tengarrinha, e de mulheres resistentes antifascistas. Haverá também um apontamento musical por Helena Pratas (voz) e Helena Mendes (acordéon).

Ao longo de todo o período do Estado Novo, a oposição a Salazar e a Marcelo Caetano foi também feita por mulheres que, com enorme sacrifício pessoal, abandonaram as suas casas, a sua família, as suas terras, até o seu nome, para mergulhar na clandestinidade e combater o regime.

 

De 11 abril a 4 de maio, a Galeria de Exposições do Fórum Cultural José Manuel Figueiredo recebe a exposição “Dia Internacional da Mulher: Um século de luzes e sombras”, cedida pelo MDM – Movimento Democrático de Mulheres

Esta mostra aborda as conquistas das mulheres, em geral, e do MDM, em particular, ao longo dos últimos 100 anos.

 

“Leituras às Quintas” sobre António Aleixo na Biblioteca da Baixa da Banheira

Leituras às quintas capa.jpg

 

“António Aleixo: o Poeta do Povo” é o tema da próxima iniciativa “Leituras às Quintas”, no dia 31 de janeiro, pelas 21:00h, na Biblioteca Municipal da Baixa da Banheira.

Poeta simples, humilde e semianalfabeto, os seus versos transmitem a ironia e a crítica social. António de Sousa Duarte, que irá participar na iniciativa, dedicou-se ao estudo da sua vida e obra no livro biográfico: “António Aleixo: O poeta do Povo”, editado por ocasião do centenário do nascimento do poeta.

“Leituras às Quintas”, dirigida ao público em geral e com entrada gratuita, conta também, no dia 31 de janeiro, com a participação de Francisco Fanhais que musicou quadras de António Aleixo. Podem ainda ser apreciadas as obras em madeira de Mário Albano.

“Palavras na Nossa Terra” - Tertúlia elege poesia de Almeida Garrett para janeiro

“Palavras na Nossa Terra”

Tertúlia elege poesia de Almeida Garrett para janeiro

 

Palavras na Nossa Terra.jpg

 

No próximo dia 25 de janeiro, às 21h00, a poesia de Almeida Garrett está em destaque na Biblioteca Municipal do Pinhal Novo com “Palavras na Nossa Terra”, uma tertúlia de poesia que se traduz (sempre) num bom serão.

Pormenores da sua vida e do contexto social que influenciou fortemente o seu percurso literário, a sua obra e poemas serão evocados nesta iniciativa que regressa, na última sexta-feira de cada mês, à biblioteca municipal do Pinhal Novo com personalidades da grande poesia portuguesa.

Em janeiro, os poemas de Almeida Garrett (1799-1854), uma das maiores figuras do romantismo português, serão assim o pretexto para uma noite de poesia portuguesa em que o convívio terá também presença garantida.