Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Baixa da Banheira | Leituras às Quintas: “Mulheres da Clandestinidade” e “Memórias de uma Falsificadora”

mulheres da clandestinidade.jpg

 

A próxima iniciativa “Leituras às Quintas” terá como temas “Mulheres da Clandestinidade” e “Memórias de uma Falsificadora”e realiza-se no dia 11 de abril, pelas 21:30h, na Biblioteca Municipal da Baixa da Banheira, contando com a presença das autoras do livro, Vanessa de Almeida e Margarida Tengarrinha, e de mulheres resistentes antifascistas. Haverá também um apontamento musical por Helena Pratas (voz) e Helena Mendes (acordéon).

Ao longo de todo o período do Estado Novo, a oposição a Salazar e a Marcelo Caetano foi também feita por mulheres que, com enorme sacrifício pessoal, abandonaram as suas casas, a sua família, as suas terras, até o seu nome, para mergulhar na clandestinidade e combater o regime.

 

De 11 abril a 4 de maio, a Galeria de Exposições do Fórum Cultural José Manuel Figueiredo recebe a exposição “Dia Internacional da Mulher: Um século de luzes e sombras”, cedida pelo MDM – Movimento Democrático de Mulheres

Esta mostra aborda as conquistas das mulheres, em geral, e do MDM, em particular, ao longo dos últimos 100 anos.

 

“Leituras às Quintas” sobre António Aleixo na Biblioteca da Baixa da Banheira

Leituras às quintas capa.jpg

 

“António Aleixo: o Poeta do Povo” é o tema da próxima iniciativa “Leituras às Quintas”, no dia 31 de janeiro, pelas 21:00h, na Biblioteca Municipal da Baixa da Banheira.

Poeta simples, humilde e semianalfabeto, os seus versos transmitem a ironia e a crítica social. António de Sousa Duarte, que irá participar na iniciativa, dedicou-se ao estudo da sua vida e obra no livro biográfico: “António Aleixo: O poeta do Povo”, editado por ocasião do centenário do nascimento do poeta.

“Leituras às Quintas”, dirigida ao público em geral e com entrada gratuita, conta também, no dia 31 de janeiro, com a participação de Francisco Fanhais que musicou quadras de António Aleixo. Podem ainda ser apreciadas as obras em madeira de Mário Albano.

“Palavras na Nossa Terra” - Tertúlia elege poesia de Almeida Garrett para janeiro

“Palavras na Nossa Terra”

Tertúlia elege poesia de Almeida Garrett para janeiro

 

Palavras na Nossa Terra.jpg

 

No próximo dia 25 de janeiro, às 21h00, a poesia de Almeida Garrett está em destaque na Biblioteca Municipal do Pinhal Novo com “Palavras na Nossa Terra”, uma tertúlia de poesia que se traduz (sempre) num bom serão.

Pormenores da sua vida e do contexto social que influenciou fortemente o seu percurso literário, a sua obra e poemas serão evocados nesta iniciativa que regressa, na última sexta-feira de cada mês, à biblioteca municipal do Pinhal Novo com personalidades da grande poesia portuguesa.

Em janeiro, os poemas de Almeida Garrett (1799-1854), uma das maiores figuras do romantismo português, serão assim o pretexto para uma noite de poesia portuguesa em que o convívio terá também presença garantida.

Leitura às Quintas: Apresentação do Livro “Eça de Queiroz segundo Fradique Mendes”

SONIA LOURO.jpg

 

No âmbito da iniciativa Leitura às Quintas, a Biblioteca Municipal Bento de Jesus Caraça, na Moita, recebe, hoje, 6 de dezembro, pelas 21:00h, a apresentação do livro “Eça de Queiroz segundo Fradique Mendes”, de Sónia Louro.

 

“Eu não tenho história, sou como a República do vale de Andorra”, disse, certo dia, Eça de Queiroz. Mas nada poderia ser mais falso. Eça é uma das figuras mais fascinantes das letras portuguesas. Os seus pais ainda não haviam casado quando, em 1845, nasce na Póvoa do Varzim. Essa indiscrição levou a que tenha sido criado longe dos progenitores, abrindo-lhe um vazio no coração que o acompanhou toda a vida. Em Coimbra, faz os estudos e, em Lisboa, inicia-se numa vida boémia, cruzando-se com figuras incontornáveis do seu tempo como Antero de Quental, Ramalho Ortigão ou Guerra Junqueiro. Descontente com o Direito, faz uma longa e fascinante viagem pelo Oriente, e, quando regressa, decide enveredar pela carreira consular. Tendo sido cônsul em Havana, Inglaterra e Paris, foi acumulando dívidas embaraçosas, amigos fiéis, inimigos implacáveis e obras-primas que revolucionaram as letras portuguesas.

É esse Eça de Queiroz, homem de contrastes, mistérios e talento único, que Sónia Louro descobre e nos revela neste romance fascinante e rigoroso.

Sónia Louro, residente no concelho da Moita, nasceu em 1976, em França. Desde cedo apaixonada pelas Ciências e pela Literatura, acabou por optar academicamente pela primeira, mas nunca abandonou a sua outra paixão. Licenciou‑se em Biologia Marinha, mas não perdeu de vista a Literatura, à qual veio depois aliar um outro interesse: a História. Fruto desse casamento, já publicou “A Vida Secreta de Dom Sebastião”, “O Cônsul Desobediente”, “A Verdadeira Peregrinação”, “Amália – O Romance da Sua Vida”, “Fernando Pessoa – O Romance”, e “Eusébio” e participou ainda em Pulp Fiction Portuguesa, com outros autores.

 

 

“O Mundo Secreto da Arrábida” inspira Programa de Animação Infantil do livro e da leitura

  Rede Municipal de Bibliotecas

“O Mundo Secreto da Arrábida” inspira Programa de Animação Infantil

do livro e da leitura

9638.jpg

 

O Programa de Animação Infantil do livro e da leitura para o ano letivo 2018/2019, dinamizado pela Rede Municipal de Bibliotecas do concelho de Palmela, tem como tema “O Mundo Secreto da Arrábida”.

 

Fomentar comportamentos de preservação e respeito pelo ambiente; dar a conhecer, de uma forma lúdica, algumas das características da Serra da Arrábida; incentivar o contacto entre a Biblioteca Municipal e a Comunidade Escolar do Ensino Pré-Escolar e 1.º Ciclo; criar e fortalecer hábitos de leitura, desde a primeira infância e estimular a imaginação e a criatividade desde tenra idade, a partir da literatura fantástica, são os objetivos do programa para este ano letivo.

 

O programa assenta, fundamentalmente, na Hora do Conto que, através da literatura clássica e original, pretende proporcionar momentos mágicos, lúdicos e de aprendizagem em torno dos livros e da temática da sustentabilidade, ao público infantil. 

 

Este ano, assinalam-se as seguintes datas: Natal, com a peça original “O Natal das três Fadas”, apresentada na primeira quinzena de dezembro; o Carnaval, a 2 de março, com “Carnaval a Dançar”; as comemorações do Dia Internacional do Livro Infantil, no dia 2 de abril, com um encontro com um autor e ilustrador, no “Mãos que fazem Livros” e as comemorações do Dia Mundial da Criança, a 3 de junho, com a iniciativa “Crescer Saudável e com Direitos”, de dinâmicas lúdicas em torno dos Direitos da Criança.

 

Mais informações e inscrições através do telf. 212 336 638 ou do e-mail bibliotecas@cm-palmela.pt.

SANTA CASA APRESENTA POLO CULTURAL DE SÃO ROQUE COM ATIVIDADES GRATUITAS DURANTE TODO O DIA

 
 
Sob o tema da Hospitalidade, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa organiza um vasto programa com exposições, peças de teatro, workshops, colóquios, leituras, performances, concertos e DJ sets, dia 13 de outubro, entre as 9h30 e a meia-noite, na apresentação do Polo Cultural de São Roque.
 
HOSPITALIDADE / HOSPITALITY
Sábado, 13 de outubro, 9h30-00h00
Entrada Livre
POLO CULTURAL DE SÃO ROQUE
Largo Trindade Coelho - Lisboa

No ano em que celebra 520 anos, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) programa um dia de atividades artísticas centrado na Hospitalidade para apresentar o Polo Cultural de São Roque, que será constituído pelo Arquivo e Biblioteca da Santa Casa, o Museu de São Roque, a Igreja de São Roque, a galeria de exposições temporárias e, para breve, o Museu Casa Ásia – Coleção Francisco Capelo –, assim como a implementação da Brotéria, com a sua biblioteca.
O programa Hospitalidade decorre ao longo do dia 13 de outubro, entre as 9:30 da manhã e a meia-noite, com um vasto conjunto de atividades de entrada livre.

Exposições, concertos, performances, instalações e atividades de educação artística intercultural realizar-se-ão em diferentes equipamentos da Santa Casa, da Brotéria e no Largo Trindade Coelho, numa antevisão das valências do Polo Cultural de São Roque.
Enquadrado no Ano Europeu do Património Cultural, este dia dedicado à Hospitalidade conta com uma programação eclética que, entre as múltiplas atividades, integra a exposição guarda com obras da artista Armanda Duarte, no Museu de São Roque; um concerto da Orquestra de Câmara de Lisboa, sob a direção de Pedro Carneiro, com um repertório que combina peças de percussão ocidental e oriental, na Igreja de São Roque; uma intervenção do artista Rodrigo Oliveira na fachada do edifício da Brotéria; e na Casa Ásia (ainda em obras e com inauguração prevista para 2019) acolhe-se o artista Pedro Valdez Cardoso, que transforma o espaço numa cenografia como preâmbulo à Coleção Francisco Capelo que a virá a ocupar, uma projeção de um diaporama com fotografias de obras da coleção e outras atividades de natureza intercultural.
 
O Largo Trindade Coelho, espaço de cruzamento entre os diferentes edifícios do Polo Cultural, será também um território de convívio para todos os que habitam a cidade de Lisboa, com atividades lúdicas e iguarias. Jogos de rua, contos tradicionais, workshops e outras atividades de caráter familiar vão animar o largo, onde vai ser também possível degustar comida oriental. Ao final do dia, a animação continua com sets dos DJ’s Rui Teixeira e Vítor Belanciano.
 
 
HOSPITALIDADE
A história da SCML é marcada pela hospitalidade exercida em várias dimensões e para diversos destinatários e beneficiários. O tema é, contudo, aquele que nos tempos atuais melhor pode definir a missão de uma organização marcada pelo ‘cuidar do outro’, sendo que ‘cuidar’ tanto se pode traduzir no âmbito da saúde como da educação, do património ou ainda de ‘abrigo’, no sentido mais nobre do termo.
 
O conceito ‘hospitalidade’ vai completamente ao encontro das perspetivas mais contemporâneas - tratadas em termos de sociologia, história e artes – para definir a forma mais elevada e mais humanista de intervir na realidade. Este modo de intervir junto dos desprotegidos socialmente, dos refugiados e dos exilados justifica a sua evocação.

Programa em http://www.scml.pt/pt-PT/areas/cultura/hospitalidade/