Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

MOON & BLISS” do artista premiado João Noutel - inaugura a 24 de Outubro na Galeria Art Lounge

3.jpg

 

Porquê apresentar uma listagem de motivos de reflexão sobre o que podem ser expressões para fundir os dois conceitos, por exemplo numa Felicidade Lunar? Porquê a procura infinita e utópica das suas possibilidades versus impossibilidades? A LUA é único satélite natural da Terra e quinto maior do Sistema Solar. Mas também simboliza o tempo que passa, o controle do tempo. Felicidade é o Estado durável de plenitude e satisfação. Mas é difícil de definir rigorosamente.

João Noutel inaugura exposição “Moon &Bliss” no dia 24 de Outubro, pelas 18 horas, na Galeria Art Lounge, em lisboa, onde apresentará a experiência visual de cada obra, seja em porcelana, em tecido, em tapete, em azulejo, em MDF, em fibra de vidro, em acrílico dibond - acontece para os sentidos não ignorarem pistas ou até impulsos contraditórios sobre a dificuldade da perfeição, assumindo elas próprias uma função de vigia de situações de beleza ou fealdade, de vulnerabilidade ou vitalidade, harmonia ou turbulência, de razão e imaginação, de austeridade e luxo.

A complexidade e força de cada material, da respetiva linguagem plástica própria e por isso única, são pelos limites do desenho, instrumentos de aferição de um certo denominador comum aqui exploradas como que de um testemunho documental imagético se tratasse em que duas figuras centrais, uma feminina e outra masculina preservam um espaço lunar enquanto refúgio das suas rotinas, do seu quotidiano.

João Noutel é licenciado em direito pela Universidade Lusíada e pós-graduado em Desenho e Técnicas de Impressão, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Autor e responsável criativo por diversas publicações integra a lista de artistas do projeto ANANESE, uma plataforma digital internacional de arte contemporânea portuguesa. O artista obteve recentemente destaque em diversas publicações como Visão, ArtReview (UK), Attitude, Time Out Lisboa e recebeu inclusive, o prémio de pintura Abel Manta.

A exposição vai ser inaugurada no dia 24 de outubro, pelas 18 horas, na Galeria Art Lounge em Lisboa (R. António Enes 9C, 1050-023 Lisboa).

Exposição colectiva associada às comemorações do centenário de Sophia de Mello Breyner Andresen

THJANE_maisDEMOSmenosKRATOSii.jpg

 

Teresa e Helena Jané apresentam

+DEMOS-KRATOS, Set 2019
(colecção "Ora et labora", Set 2015)
pintura e escultura Teresa Jané
cerâmica e madeira de piracanto

Obra desenvolvida a partir do poema de Sophia de Mello Breyner Andresen, "Com Fúria e Raiva", 1974, Junho (in "O Nome das Coisas").

https://www.instagram.com/thjaneceramics/  

________________________
"Um olhar artístico sobre o Universo de Sophia"
01 Outubro a 10 Novembro 2019
Exposição colectiva associada às comemorações do centenário de Sophia de Mello Breyner Andresen

n' A Arte da Terra
Rua Augusto Rosa nº 40, Lisboa, Portugal
todos os dias, entre as 11h00 e as 20h00

Mais detalhes sobre o evento em

Orquestra Filarmónica da China pela 1ª vez em Portugal para concerto único e gratuito | dia 20 de outubro | domingo | 17:00 | Aula Magna (Lisboa)

China Philharmonic Orchestra BR.jpg

 

A Orquestra Filarmónica da China faz a sua estreia em Portugal no próximo dia 20 de outubro, domingo, às 17:00, na Aula Magna, em Lisboa, com um concerto único e gratuito dirigido pelo reputado maestro Huang Yi, no âmbito das comemorações do 40º aniversário do Estabelecimento das Relações Diplomáticas entre Portugal e a República Popular da China.

 

O icónico concerto contará com a participação do pianista Tony Siqi Yun, um talento emergente distinguido pela Pianist Magazine como “um verdadeiro poeta”. Nascido no Canadá em 2011, Tony já conquistou prémios importantes como a medalha de ouro da China International Music Competition. Tony tem acompanhado Orquestras famosas como a Philadelphia Orchestra e a Cleveland Orchestra. A solo, apresentou-se na famosa Salle Cortot, em Paris, e no Steinway Hall, em Nova Iorque. Atualmente, estuda composição e direção de Orquestra na Julliard School.

 

Huang Yi é um dos mais icónicos Maestros Chineses. Lidera a Orquestra Sinfónica da Companhia Nacional de Bailado da China e a Orquestra Sinfónica Kunming Nie’er. Nascido em 1986, Huang Yi estudou no Conservatório Central de Pequim com os Professores Yang Li e Yu Feng. Em 2011, rumou à Alemanha para estudar no Musik "Hanns Eisler" Berlin com os Professores Christian Ehwald e Hans-Dieter Baum.

 

Huang Yi já dirigiu prestigiadas Orquestras, como por exemplo: Konzerthausorchester Berlin, Frankfurt Symphony Orchestra, Brandenburg Symphony Orchestra, Seiji Ozawa Ongaku-Juku Symphony Orchestra, Hong Kong Philharmonic Orchestra, Shanghai Symphony Orchestra e Guangzhou Symphony Orchestra.

 

Fundada em Pequim em 2000, a Orquestra Filarmónica da China é uma das mais aclamadas orquestras asiáticas e a mais reconhecida embaixadora da música chinesa no contexto global. A Orquestra é liderada pelo famoso Maestro Long Yu, que já dirigiu a Orquestra Sinfónica de Chicago, Orquestra de Filadélfia, Orquestra Rundfunk-Sinfonieorchester Berlin, entre outras.

 

Apontada como uma das orquestras sinfónicas mais jovens e dinâmicas da China, criou o seu próprio estilo através de amplo envolvimento artístico. A Orquestra conquistou nos últimos catorze anos a atenção da China, mas também além fronteiras. É apontada como um exemplo do potencial de renovação cultural e do boom económico chinês.

 

O concerto em Portugal insere-se numa tour Mediterrânica que a Orquestra Filarmónica da China está a fazer e que passará por cidades como Atenas e Madrid.

 

OUTUBRO na Galeria Monumental

39561de8-4afc-4c23-8e38-b17a109b7303.jpg

 

Em Outubro fazemos-lhe um convite duplo, para duas inaugurações quase em simultâneo e que se complementam de forma perfeita: a participação Monumental na segunda edição de uma feira internacional de Desenho em Lisboa, na Sociedade Nacional de Belas-Artes, e duas grandes exposições de Desenho, aqui na Galeria: 

(clique nas fotos para mais detalhes)

De 10 a 13 de Outubro, entre as 14h e as 21h,  poderá visitar-nos na segunda edição da  Drawing Room Lisboa, que decorrerá na SNBA.  
 

Estaremos no stand nº 14,  com obras de


Bárbara Assis Pacheco | Joanna Latka | João Távora | Sebastião Castelo Lopes


 Dia 10, quinta-feira, pelas 18h00, inauguram, na Galeria Monumental:
 

Instante Crepuscular 
desenho e pintura de Filipe Romão

Planetas portáteis e outras ruínas
 desenho e pintura de Manuel San-Payo 


 Até 9 de Novembro. de terça a sábado. 15h - 19h30

De Lisboa projetamos o futuro do consumidor | Visões do Futuro DECO PROTESTE

image001.jpg

 

Evento dedicado aos temas mobilidade, sustentabilidade e vida saudável decorre nos dias 18 e 19 de outubro, no Pavilhão Carlos Lopes

 

Serão os veículos elétricos a ditar o fim dos combustíveis fósseis? Iremos conseguir erradicar o plástico das nossas vidas? Afinal de contas, que mundo vamos deixar para as gerações futuras?

 

Este é o mote lançado para o evento Visões do Futuro, da DECO PROTESTE, que, nos dias 18 e 19 de outubro, irá debater os temas da mobilidade, da sustentabilidade e da vida saudável com um importante elenco de oradores. O evento decorre no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, e vai contar com um ciclo de conferências, exposições, atividades ao ar livre, debates, workshops e ativações dedicadas aos temas.

O evento divide-se em dois momentos. No dia 18 de outubro decorre um ciclo de oito conferências dedicadas aos temas. A sessão de abertura aborda as questões ‘Que mundo temos? Que mundo vamos deixar?’. Seguem-se os debates ‘É mesmo o fim dos combustíveis fósseis?’ e ‘Transportes (para que) públicos?’ (ambos na área da mobilidade); ‘E agora, o que fazemos aos continentes de plástico?’ e ‘Conseguimos sentar mais mil milhões à mesa?’ (no tema da sustentabilidade); e, finalmente, ‘Os vícios são a nossa última virtude?’ e ‘Estilos de vida e a qualidade devida’ (questões ligadas à vida saudável). A encerrar o ciclo, teremos a conferência ‘Visões do Futuro’, de projeção global sobre o mundo em que vamos viver.

O Visões do Futuro vai também acolher no Pavilhão Carlos Lopes, a fechar o primeiro dia, a transmissão do programa ‘Governo Sombra’, com os “ministros” Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares, com moderação de Carlos Vaz Marques.

No dia 19 de outubro, um dos pontos altos será o debate sobre o ‘Turismo como factor de sustentabilidade’, que junta os municípios de Arouca, Braga e Castelo Branco. A parte da manhã será dedicada a atividades ao ar livre, como aulas e demonstrações de Karaté, Pa-Kua, Systema, Ioga ou Tai-Chi. E, durante todo o dia, irá decorrer o Torneio de Padel ‘Visões do Futuro’, com a presença dos campeões nacionais Miguel Oliveira e Vasco Pascoal, bem como uma clínica de golfe para miúdos e graúdos.

Este será também um dia dedicado aos temas em questão em formato debates e workshops, onde se destacam “Humor à camisola”, com António Ribeiro Cristóvão, Daúto Faquirá, Duarte Gomes e Jorge Andrade, e “Prevenir é connosco”, levado a cabo pela associação Evita – cancro hereditário. O evento conta ainda com workshops sobre chocolate, mitos alimentares, alergénicos cosméticos e fake news em saúde, veículos elétricos, boas práticas de utilização de trotinetes elétricas, carregadores elétricos, economia circular, famílias em busca da eficiência perdida, desmistificação dos painéis fotovoltaicos, entre outros.

Havendo ainda espaço para visitar o Mercado no Bairro, com produtos regionais e biológicos, bem como artesanato, num total de mais de 20 expositores, ficar a conhecer o projeto Repair Café ou deixar os mais pequenos numa sessão ‘brinconauta’ com o projeto 1,2,3 Macaquinho do Xinês.

Além de outras atividades, workshops e exposições que irão decorrer durante os dois dias. Para recuperar forças, os participantes do Visões do Futuro terão ao dispor a oferta gastronómica, também criada de propósito para o evento, da Associação Street Food Portugal.

A entrada no Visões do Futuro é livre, sendo necessária a inscrição para assistir às conferências e ao Governo Sombra, em www.visoesdofuturo.pt, onde pode também encontrar toda a informação detalhada sobre o evento.

 

www.visoesdofuturo.pt

Agenda cultural Roca Lisboa Gallery outubro 2019

 

//PRÉMIO VALMOR E MUNICIPAL DE ARQUITETURA – ARQUITETO LUÍS CRISTINO DA SILVA

10/10 | 18h30

Moderador: Pedro Novo, arquiteto

Organização: Pedro Novo Arquitectos

Colaboração: Roca e Roca Lisboa Gallery

O Prémio Valmor e Municipal de Arquitetura destaca as edificações consideradas um exemplo da arquitetura de excelência na cidade

de Lisboa e distingue de igual forma o arquiteto do edifício. Trata-se de uma abordagem conceptual a um dos mais prestigiados

prémios portugueses da arquitetura. Com a moderação do arquiteto Pedro Novo, esta sessão é dedicada à vida e obra do arquiteto

Luís Cristino da Silva. Diplomado pela Escola de Belas Artes de Lisboa em 1919, estudou em Paris entre 1920 e 1925. Fixou-se depois

em Lisboa, onde projetou alguns dos edifícios mais marcantes das décadas seguintes (entre eles, encontramos o Cineteatro Capitólio,

a entrada do Parque Mayer, o Liceu Nacional de Diogo de Gouveia, entre outros).

//Participação gratuita. Inscrições em breve.

 

//TRABALHO COLABORATIVO E INTERDISCIPLINAR EM BIM

17/10 | 18h00

Organização: Infor

Colaboração: Roca e Roca Lisboa Gallery

O BIM - Building Information Modeling - refere-se a um software de modelação 3D para arquitetura. Para além disso, é também uma

metodologia de projeto construtivo, que visa a criação de edifícios virtuais, com informação associada aos seus elementos constituintes.

//Participação gratuita. Inscrições em breve.

 

//WORKSHOP INTRODUÇÃO À HIDROPONIA

19/10 | 10h00 – 16h30

Formador: Estevão Anacleto, engenheiro ambiental, Presidente da Associação Portuguesa de Hidroponia, CEO e fundador da empresa

“GroHo Hidroponia” e da  “Campónio – Real Farm Experience”

Organização: GroHo

Colaboração: Roca e Roca Lisboa Gallery

Aprenda os conceitos básicos da Hidroponia, uma técnica de cultivar plantas sem solo, onde os elementos minerais essenciais para o

crescimento e o desenvolvimento das plantas são fornecidos através de uma solução nutritiva que fornece, na medida exata e de forma

constante, todos os nutrientes que os vegetais necessitam. Conhecer as diferentes técnicas de hidroponia; Como cultivar através das

principais técnicas; Conhecer as culturas, pragas e doenças; Como elaborar a solução nutritiva e controlar, são alguns dos tópicos

que irão ser abordados neste workshop.

//Participação gratuita. Inscrição obrigatória AQUI.

 

//DEBATE: A QUALIDADE DOS SERVIÇOS E AS ESPECIALIDADES DE ARQUITETURA

22/10 | 17h30

Programa:

* Abertura com José Manuel Pedreirinho, Presidente da Ordem dos Arquitectos e Maria João Graça, diretora do Instituto Português da

Qualidade;

* Apresentação da Norma, com Filipe Borges de Macedo, arquiteto;

* Debate moderado por Rui Florentino, arquiteto, que contará com o seguinte painel de oradores:

- José Castro Silva, Colégio de Gestão, Direção e Fiscalização de Obra;

- Diana Roth, Colégio do Património Arquitectónico;

José Veludo, Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas.

* Sessão de perguntas.

 

Organização: Ordem dos Arquitectos

Colaboração: Roca e Roca Lisboa Gallery

Pelo carácter generalista da sua profissão, os arquitetos exercem funções e atividades relevantes para o desenvolvimento económico

e social. Os serviços de arquitetura cobrem diferentes áreas, que interessa conhecer e divulgar publicamente. A Ordem dos Arquitectos

atualizou a norma dos serviços dos arquitetos e arquitetos paisagistas no âmbito da construção, em colaboração com a Associação

Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas e outras instituições, no quadro do protocolo com o Instituto Português da Qualidade. Nesta

sessãoserá apresentado o trabalho realizado, abrindo a todos os interessados um debate alargado sobre as diferentes atividades e

especialidades do arquiteto.

//Participação gratuita. Inscrições em breve.

 

//CONFERÊNCIA “MUSEUMS. OR HOW TO EXPLORE YOUR CITY (LIKE A PRO)”

23/10 | 18h00

Moderador: Simon Scharf, empreendedor, profissional de Marketing e Comunicação

Oradores: Eden Flaherty, escritor para o website Atlas Lisboa e Pedro Matias, colaborador do serviço educativo do Museu da Presidência

Organização: LXMuseumQuest

Colaboração: Roca e Roca Lisboa Gallery

Descubra Lisboa através do mundo dos museus e das histórias escondidas nos objetos, sítios e pessoas.

Simon Scharf, já visitou mais museus em Lisboa do que qualquer outra pessoa e irá partilhar os seus conhecimentos e a sua visão

sobre esta forma de explorar uma cidade.

A sessão será moderada em inglês

//Participação gratuita. Inscrições em breve.

 

//AS NOVAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA ARQUITETURA E URBANISMO

24/10 | 18h30

Oradores: Helen Morais, arquiteta, mestre em arquitetura, estudante do 3.º ano do Doutoramento em Arquitetura na Universidade de

Lisboa e autora; Eduardo Morelli, mestre em Bancos de Dados, Chief Data Officer na Zoox Smart Data, autor de 4 livros

e 5 cursos online; Rodolfo J. Guilherme, arquiteto, consultor sénior para a América Latina na Bentley Systems e especialista em

soluções BIM.

Organização: Universidade de Lisboa, Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa; e CIAUD.

Colaboração: Roca e Roca Lisboa Gallery

Esta conferência tem como objetivo principal a disseminação do conhecimento científico de modo a promover o intercâmbio entre a

Universidade de Lisboa e as empresas privadas.Os temas que serão apresentados dizem respeito ao uso das novas e sofisticadas

ferramentas digitais em arquitetura e urbanismo, incluindo o projeto e a fabricação digital, a partir da visão multidisciplinar de três

profissionais experientes.

//Participação gratuita. Inscrições em breve.

image001.jpg

 

//MUNDO 4.0: CIDADES INTELIGENTES E SUSTENTÁVEIS – MOBILIDADE ELÉTRICA

30/10 | 18h00

Organização: KNX e Roca

Colaboração: Roca e Roca Lisboa Gallery

Conferência que abordará a temática da mobilidade elétrica, pensando no futuro sustentável das cidades.

//Participação gratuita. Inscrições em breve.

 

Galeria Beltrão Coelho recebe última mostra da Bienal Art’Oeste Internacional

81dY26ABF0281.jpg

 

 
Circuito percorreu quatro municípios com obras de 30 artistas de todo o mundo


A Galeria Beltrão Coelho recebe, a partir de 5 de setembro, a última exposição do circuito da 3.ª Bienal Art’Oeste Internacional.

A Bienal Art’Oeste Internacional consiste na realização de um circuito itinerante de exposições de artes plásticas, cujo objetivo é divulgar as obras, os artistas que nela participam, os locais que a acolhem e os municípios onde decorrem.

Durante cinco meses, o circuito em 2019 já percorreu quatro municípios, com 31 obras de 30 artistas plásticos de todo o mundo. O evento iniciou-se nas Caldas da Rainha, no Museu Barata Feyo, passando depois para o Museu João Mário, em Alenquer, o Palácio Baldaya, em Lisboa, e o Museu Municipal do Bombarral, culminando agora na última mostra na Galeria Beltrão Coelho em Lisboa.

Entre os artistas estão Alcina Morais, Ana Camilo, Ana Malta, Aparício Farinho, Aucta Duarte, Cláudia Ferro, Conceição Oliveira, Dália Cordeiro, Gaby Reynam, Gia Gaião, Herberto Gomes, Isabel Alfarrobinha, Jorge Rebelo, Lena Poinha, Liliana Resende, Lita Duarte, Maria Amélia Ramos (MAR), Maria José Couto, Maria Teresa, Nuno Confraria, José Silveira, Vítor Fernandes (‘Vifer’), Zita Dantas, Lohanga Konga (Centro de Pesquisa Arte Kimbagu, e Hugo Graça.

A 3.ª Bienal Art’Oeste Internacional 2019 é organizada em parceria pela Cultartis – Associação para a Cultura das Artes e a Costa Verde e Prata/Silver and Green Coast – Património Cultural do Oeste.

A exposição é de entrada gratuita e pode ser visitada até 18 de outubro, de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 17h30.

A Galeria Beltrão Coelho foi criada em 2015 com o propósito de promover e auxiliar o progresso da arte em todas as suas manifestações, defender os interesses dos artistas e permitir aos seus visitantes um momento de viagem para outras realidades, transportando-os para um mundo de novas emoções.
 

Exposição: “3.ª Bienal Art’Oeste Internacional”
Data: 5 de setembro a 18 de outubro
Horário: de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 17h30
Local: Galeria Beltrão Coelho – Rua Sarmento Beires, 3A 1900-410 Lisboa

Espetáculo de Natal no Gelo regressa ao Alegro Alfragide com "O Feiticeiro de OZ"

De 22 de novembro a 12 de janeiro

 

O MÁGICO ESPETÁCULO DE NATAL REGRESSA AO ALEGRO ALFRAGIDE COM “O FEITICEIRO DE OZ NO GELO”

 

Cartaz_O Feiticeiro de OZ no Gelo.jpg

 

 

O Espetáculo de Natal no Gelo no Alegro Alfragide é já uma tradição desta quadra natalícia para muitas famílias. Este ano o Alegro Alfragide e AM LIVE apresentam a divertida história de “O Feiticeiro de Oz”, com Marta Andrino e Isaac Alfaiate no elenco principal.

 

Se a chegada do Natal é uma das épocas mais aguardadas do ano, o mesmo se pode dizer do Espetáculo no Gelo no Alegro Alfragide. Inspirado no mágico e mundialmente conhecido filme “O Feiticeiro de Oz” com a mítica Judy Garland, chega este Natal ao Alegro Alfragide uma reinvenção absolutamente surpreendente e divertida desta história de L. Franck Baum, que marcou gerações e que celebra este ano a efeméride dos 80 anos do mítico filme.

Este é mais um deslumbrante musical sobre o gelo no Alegro Alfragide, que desta vez conta a história de uma jovem rapariga que aterra em Oz de uma forma muito pouco convencional e embarca numa aventura emocionante e cheia de surpresas para conseguir chegar à presença do poderoso Feiticeiro de Oz! No palco não faltará um espantalho espalhafatoso, um leão com medo da própria voz, um homem de lata extremamente romântico e duas bruxas que apesar de uma ser boa e outra má, têm mais em comum do que à partida se possa imaginar.

 

Esta epopeia hilariante sobre amizade, que nos mostra que há muito mais em cada um de nós do que imaginamos, tem como principais protagonistas Marta Andrino e Isaac Alfaiate**.

 

“O Feiticeiro de Oz no Gelo” vai estar em exibição no Alegro Alfragide, de 22 de novembro a 12 de janeiro, com sessões às 11h00, 15h00 e 18h00.

 


Este é um espetáculo para toda a família**, que vai encher este Natal de magia, sonhos e música contagiante.

 

 

*O elenco não é fixo em todas as sessões.

**Espetáculo para maiores de 3 anos.

 

 

Mais informações em: https://www.ofeiticeirodeoznogelo.com/planeie_a_sua_visita.html#calendario

 

MAAT com duas novas exposições: a coletiva PLAYMODE e uma individual do artista egípcio BASIM MAGDY

 

 

Playmode propõe uma reflexão sobre as possíveis relações entre arte e os jogos de vídeo e sobre a utilização de estratégias lúdicas e multissensoriais no campo de produção artística contemporânea. Em M.A.G.N.E.T, Basim Magdy apresenta um filme sobre um cenário hipotético sobre a gravidade da terra, uma encomenda do MAAT ao artista.

 

 

Com a participação de mais de trinta artistas nacionais e internacionais, a exposição coletiva Playmode propõe uma reflexão sobre o poder da transformação do jogo, integrando-o nas suas obras com propósitos distintos: evasão à realidade, construção e transformação social, subversão ou crítica dos próprios mecanismos de brincadeira e jogo. Uma exposição que explora novos modos de ver, de participar e de transformar o mundo, ao usar o jogo de forma crítica.

 

 

Com curadoria de Filipe Pais e Patrícia Gouveia, Playmode inclui trabalhos de artistas como Brad Downey, Gabriel Orozco e Ana Vieira, que adotam o tema e propõem uma reflexão sobre o período de ludificação que as sociedades contemporâneas atravessam, dividindo o espaço expositivo em três áreas temáticas: «modo de desconstruir, de modificar e de especular», «modo de transformar, de sonhar e de trabalhar» e «modo de participar e de mudar». Na primeira secção, o conjunto de obras presentes explora os modos de jogar, de desconstruir, de modificar e de especular sobre o jogo, e os artistas têm liberdade para transformar as regras e os jogos que conhecemos em novas interpretações capazes de exprimir e sugerir outras visões sobre o mundo em que vivemos. Em «transformar, sonhar e trabalhar», os curadores exploram o paradoxo dos conceitos de brincadeira e jogo e do seu poder de transformação das estruturas cognitivas, físicas e sociais. Por último, a secção «modo de participar e de mudar» evoca o poder do jogo nos chamar à atenção, da sua capacidade de nos fazer participar em algo, convocando a nossa atenção mais profunda. Os sete jogos digitais presentes nesta área, propõe-nos diferentes modos de mudar de perspética e de consciência sobre certas condições sociais e culturais.

 

 

Artistas participantes:

The Pixel Hunt, Pippin Barr, Aram Bartholl, /////////fur//// art entertainment interface, Gabriel Orozco, Priscila Fernandes, !Mediengruppe Bitnik, Mary Flanagan, Harun Farocki, Molleindustria, Bill Viola and USC Game Innovation Lab, Samuel Bianchini, Eva and Franco Mattes, Lucas Pope, Joseph DeLappe, Brent Watanabe, Filipe Vilas-Boas, Shimabuku, Auriea Harvey & Michaël Samyn, Tale of Tales, David Shrigley, André Gonçalves, Isamu Noguchi, Ana Vieira, Miltos Manetas, David OReilly, Brad Downey, Dunne & Raby with Michael Anastassiades, Os Espacialistas, CADA.

 

 

 

M . A . G . N . E . T é o título do mais recente filme de Basim Magdy, uma encomenda para o Video Room do MAAT. Magdy trabalha no limiar de narrativas ficcionais e historiográficas. O artista equaciona questões sociais e políticas de forma crítica e quimérica, com lugar a interpretações diversas, um tanto psicadélicas, do passado, do presente e do futuro. Esta exposição é a primeira mostra individual de Basim Magdy em Portugal.

 

Com curadoria de Inês Grosso e de Irene Campolmi, o artista egípcio apresenta um novo filme, comissariado pelo MAAT, onde sugere um cenário hipotético de factos inegáveis ocultados, durante séculos, por teorias da conspiração e por uma possível interpretação errada da história. Relata, através do cruzamento de narrativas poéticas e eventos inesperados, a forma como comunidades por todo o mundo recebem a notícia de que a gravidade terrestre está a aumentar gradualmente. O filme foi gravado durante um período de quase dois anos em diferentes locais da Europa, incluindo a cratera vulcânica na ilha de Nisyros, Grécia, os petróglifos de Foz Côa e o Cromeleque dos Almendres, em Portugal, e um laboratório de robótica em Manchester, no Reino Unido.

 

É comum no trabalho de Magdy a utilização de algumas técnicas muito particulares nos seus vídeos, como por exemplo, a aplicação de filtros de cor. Inês Grosso, curadora do MAAT, refere os «os efeitos e recursos cinematográficos utilizados pelo artista que «nos transportam para uma série de lugares inóspitos e aparentemente abandonados, proporcionando uma experiência sensorial imersiva e inquietante.»

 

Testando os limites da realidade e da ficção, o artista convida-nos a refletir sobre o impacto das alterações climáticas, do aquecimento global do mundo e nas potenciais consequências catastróficas destes fenómenos, que podem tornar a Terra um lugar inabitável para o ser humano. 

 

Inês Grosso reforça ainda a importância desta exposição no contexto da programação do MAAT: “A exposição do Basim Magdy revela ainda a importância que museu tem dado à inclusão de artistas provenientes de diferentes geografias e contextos na sua programação e ainda de proporcionar a produção de obras fílmicas de complexa produção e realização e inquestionável valor social, politico e artístico."

 

 

Biografia do artista

Basim Magdy (1977) é um artista multidisciplinar com uma ampla e consagrada produção no campo da imagem em movimento. Reside entre Basel, Suiça, e Cairo, Egipto. As suas mais recentes exposições incluem Surround Audience: 2015 New Museum Triennial, New Museum, Nova Iorque; Lest the Two Seas Meet, Museum of Modern Art Warsaw; The Heart is Deceitful Above All Things, HOME Manchester, Reino Unido e Lismore Castle Arts, Irlanda; La Biennale de Montreal, Canada; MUMA – Monash University Museum of Art, Melbourne e Art in General, Nova Iorque. O seu trabalho tem sido integrado em várias exposições individuais e coletivas, tais como na SeMA Biennial MediaCity, Seoul, Coreia, 2014; 13th Istanbul Biennial, Turquia, 2013; Biennale Jogja XII, Indonésia, 2013; Sharjah Biennial 11, UAE, 2013; La Triennale, Palais de Tokyo, Paris, 2012 e Transmediale, Haus der Kulturen der Welt, Berlim, 2012. Foi um dos selecionados para a shortlist da segunda edição do Future Generation Art Prize, Pinchuk Art Centre em 2012, e ganhou os prémios Abraaj Art Prize, Dubai e New:Vision Award, CPH:DOX Film Festival, Copenhaga em 2014. Magdy recebeu em 2016 o prémio anual Deutsche Bank Artist of the Year.