Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

"Fazer de casa labirinto" para discutir e discernir a pandemia | 25.07.2020 | Balcony

Exposição Fazer de casa labirinto para discutir e discernir a pandemia

 

Sara Mealha_E Agora_2020_002.jpg

 

Carla Cabanas

Fernão Cruz

Gisela Casimiro

Henrique Pavão

Horácio Frutuoso

Mané Pacheco

Nuno Nunes-Ferreira

Sara Mealha

Susana Mendes Silva

 

Inauguração: 25 de julho, sábado, 14h – 19h30

Patente até dia 16 de setembro

 

balcony.pt 

 

 

A galeria Balcony inaugura no dia 25 de julho, entre as 14h e as 19h30, a exposição coletiva Fazer de casa labirinto, que reflete sobre a experiência da pandemia Covid-19 e os seus impactos nas relações e na vivência do espaço, do psicológico ao urbano.

 

Fazer de casa labirinto é um projeto transdisciplinar com curadoria de Ana Cristina Cachola e Sérgio Fazenda Rodrigues, envolve nove artistas e 13 agentes culturais e, além da exposição, concretiza-se na publicação de um livro que será lançado em setembro. O projeto é promovido pela galeria Balcony e conta com o financiamento do Fundo de Emergência Social (FES) da Câmara Municipal de Lisboa.

 

Partindo da criação de objetos artísticos, textos e ilustrações autorais, o projeto analisa o modo como se pode contribuir para a produção de sentido cultural de pertença, problematizando a relação entre espaços público e privado na complexidade do urbano, procurando, paralelamente, auxiliar a subsistência e a visibilidade de artistas e agentes culturais envolvidos.

 

A exposição apresenta trabalhos inéditos, na sua maioria novas produções, desenvolvidas por artistas com diferentes percursos, formas de expressão e faixas etárias, em torno da visualidade e da experiência da pandemia Covid-19. Como enquadrado pela equipa de curadoria, a exposição “articula o modo como a arte contemporânea aborda um conjunto de modificações, pensando o espaço, do psicológico ao urbano, em tempos de pandemia e (des)confinamento, para refletir sobre a alteração de padrões de relacionamento, como o distanciamento social, as restrições de mobilidade, e as experiências individuais e coletivas”.

 

Trabalhos de pintura, fotografia, instalação e performance vão ocupar e expandir a exposição além do espaço da galeria, traçando um “labirinto” que sobrepõe experiências e abordagens sobre o corpo, a proximidade, as relações e questões associadas à memória e às esferas doméstica e laboral.

 

O livro homónimo vai documentar os processos de criação artística e curatorial, o projeto expositivo, editar reflexões sobre o impacto da pandemia no imaginário presente e na experiência da cidade, da autoria dos curadores do projeto e dos investigadores Eliana Sousa Santos e Rodrigo Ribeiro Saturnino, e ilustrações originais de Carolina Elis.

 

A exposição Fazer de casa labirinto poderá ser visitada até 16 de setembro, de terça-feira a sábado, entre as 14h e as 19h30. O programa contempla visitas guiadas pela equipa de curadoria nos dias 29 de julho, 22 e 29 de agosto, 5 e 12 de setembro, sempre com início às 15h e admissão livre, mediante marcação prévia através do e-mail: info@balcony.pt. Para visitar a galeria Balcony é obrigatório o uso de máscara e a ocupação do espaço encontra-se limitada a 10 pessoas.  

 

BALCONY CONTEMPORARY ART GALLERY

Rua Coronel Bento Roma 12A, Alvalade - Lisboa

Terça a sábado 14h – 19h30

www.balcony.pt

CASAL DA TRETA regressa ao Teatro Villaret a 25 de Setembro

6f307def-5188-47b7-934c-a338697b4db6.jpg

 

Ana Bola e José pedro Gomes regressam ao palco do Teatro Villaret, em Lisboa,  para mais uma temporada de Casal da Treta. E estamos todos muito curiosos para saber o que Zezé e Detinha têm a dizer sobre o que se tem passado no mundo, desde que saíram de cena, em Fevereiro deste ano. Porque uma coisa é certa: se muita coisa mudou de repente, estes dois terão, seguramente, uma esclarecedora opinião - algures entre o insólito e o confuso – sobre o assunto, a juntar ao rol de assuntos que os atormenta.

SINOPSE
A igualdade de género é uma treta, mas isso vai mudar! Ou será que não? Se até agora isto era um “clube de cavalheiros” bem-falantes, CASAL DA TRETA marca a estreia de Détinha (Ana Bola), a mítica mulher de Zezé (José Pedro Gomes). Décadas de vida em comum recordadas na medida do possível: os estafermos dos filhos, o bairro onde sempre despejaram o lixo, o casamento que só quem foi lá é que o esqueceu. Do poliamor ao fitness, da "prótese" da próstata ao “forno” uterino, este casal não tem tabus. Mas Zezé e Détinha têm alguns segredos um do outro... Lamentavelmente (ou lamentavelmentemestes, diria Zezé), os portugueses vão ter de os saber. Que treta.

Em cena a partir de 25 de Setembro
Sexta e Sábado 21h30
Domingo 17h00

Saúde pré-colombiana em visita temática no Museu da Farmácia

 

No próximo dia 10 de Agosto, pelas 17h, terá lugar no Museu da Farmácia, a visita temática “Dos Pré-colombianos aos Índios Norte-americanos”.

 

O principal objectivo é desafiar o participante a conhecer a história da saúde e da farmácia em civilizações como os Maias, os Incas e os Astecas, mas também nas diferentes tribos indígenas oriundas da América do Norte. A era pré-colombiana incorpora todas as épocas da pré-história e história das Américas, antes do aparecimento dos europeus no continente americano.

 

Esta visita temática insere-se no propósito do Museu da Farmácia de revelar a história da saúde e da farmácia ao longo dos tempos, relacionando, no contexto da sua colecção, as distintas culturas e civilizações que integram a sua exposição permanente.

 

Data:  10 de Agosto, 17h00 (Duração: 60 minutos).

Entrada: 6€ | Estudantes e Seniores: 4€.

Actividade limitada a 10 participantes.

Para inscrições e informações: museudafarmacia@anf.pt.

 

Nota: o valor de inscrição inclui o acesso à exposição temporária "Um Mundo de Máscaras".

 

EM AGOSTO

85a4817b-4920-49d5-8975-d18c50f7244c.jpg

 

UMA COISA LONGÍNQUA

de Teatro de Ferro
Espetáculo integrado na programação do Festival Descon'FIMFA Lx20
[ ESTREIA ABSOLUTA ]
 

28 A 30 AGO
sex a sáb 21h30 // dom 16h30
Teatro Taborda
[TEATRO]

Uma Coisa Longínqua nasce de um sonho, em que algumas esculturas/monumentos decidiram abandonar as plazas entre os grandes edifícios das metrópoles do planeta. Após a fuga as obras de arte reúnem-se no deserto em busca de outras possibilidades para a sua existência no mundo das coisas. O Teatro de Ferro apresenta a primeira fase da sua nova criação, que tem a colaboração do compositor Carlos Guedes, num filme-performance que procura perceber os estranhos acontecimentos protagonizados por um grupo de objetos emancipados.

Maria Anadon propõe Jazz Standards e Bossa Nova no Casino Lisboa

Maria Anadon e Michele Ribeiro 2.jpg

 

Com um percurso musical consolidado, Maria Anadon, apresenta-se, na próxima, quinta e sexta-feira, dias 30 e 31 de Julho, às 18 horas, no Arena Lounge do Casino Lisboa. Acompanhada por Michele Ribeiro, ao piano, Maria Anadon recupera ao vivo os melhores registos de Jazz Standards e Bossa Nova. A entrada é livre.

 

Aplaudida em diversas ocasiões pelos visitantes do Casino Lisboa, Maria Anadon regressa ao palco central do Arena Lounge para protagonizar dois espectáculos que conciliam, de forma original, os Jazz Standards e a Bossa Nova com elegância e sofisticação numa abordagem clássica.

 

Após um bem-sucedido ciclo de actuações protagonizado, na semana passada, por Nicole Eitner, a música ao vivo continua, assim, em destaque na programação artística e cultural do Arena Lounge do Casino Lisboa.

 

 

Maria Anadon actua, nos dias 30 e 31 de Julho, a partir das 18 horas, no palco central do Arena Lounge do Casino Lisboa. A entrada é livre.

 

É de registar que o Casino Lisboa foi distinguido com o certificado “Clean & Safe” do Turismo de Portugal e aderiu ao serviço COVID OUT, Selo de Confiança, Clean Surfaces Safe Places, emitido pelo ISQ.

 

O acesso aos espaços do Casino Lisboa é livre, exceptuando as áreas de Jogo que são reservadas, por imperativo legal, para maiores de 18 anos.

Estreia A Ratoeira- Teatro Armando Cortez

image002.jpg

 

Sendo a primeira Produtora, de Teatro,  em Portugal a reabrir as portas aos seus espectadores, após a pandemia, a Yellow Star Company tem o prazer de anunciar finalmente a Estreia da peça A Ratoeira, no próximo dia 10 de Setembro. 

 

Com uma primeira data de estreia marcada para o dia em que foi declarado o estado de emergência em Portugal, a produtora viu adiado o sonho de fazer a estreia desta peça, detentora do recorde do Guiness Book, como a peça há mais anos em cena, precisamente há 67! Carla Matadinho e Paulo Sousa Costa demonstram mais uma vez, a força que uma empresa privada e sem apoios estatais pode ter, quando acredita no publico e na qualidade dos seus projetos ao estrear uma nova peça, com todas as contingências atuais, e com um elenco de luxo. 

 

Ruy de Carvalho, Ângelo Rodrigues, Beatriz Barosa, Elsa Galvão, Filipe Crawford, Henrique de Carvalho, Luis Pacheco e Sofia Sá da Bandeira vão pisar o palco do Teatro Armando Cortez, numa encenação de Paulo Sousa Costa, já a partir do próximo dia 6 a 9 de Setembro às 21h30 com sessões de preview, e a partir de 10 de Setembro com sessões de Quinta a Sábado às 21h30 e Domingo às 18h30. 

 

Sinopse: 

Um jovem casal converteu uma casa de campo num pequeno hotel, iniciando um negócio no ramo da hotelaria, mas que vive com dificuldades financeiras. Certa noite, devido a uma forte tempestade de neve, todos, incluindo os quatro hóspedes que lá se encontram, vêem-se isolados, ficando impedidos de saírem do hotel. Até que chega o detective Trotter, que conseguiu ultrapassar as dificuldades da tempestade, caminhando até ao hotel com os seus esquis. Tortter vem avisar que um assassino está à solta e a dirigir-se para lá, depois de ter cometido um homicídio em Londres.

Mas, nessa mesma noite, quando uma das hóspedes aparece morta no hotel, fica evidente que o assassino já está entre eles. A suspeita cai de imediato sobre Christopher Wren, um jovem que tem uma aparência semelhante à descrição do criminoso, feita pelo detetive.

Após um minucioso questionário levado a cabo pelo detetive, fica evidente que o assassino pode ser qualquer um deles, inclusive os donos dos hotel.

A revelação sobre que é o criminoso será chocante, até porque TODOS eram suspeitos…!

A RATOEIRA é mais uma das incríveis histórias do fenómeno da literatura Agatha Christie, e tem batido recordes de bilheteira por todo o mundo, estando registada no Guinness Book of Records, como a peça há mais anos em cena! Mais precisamente há 67 anos!

 

Sessões de preview: PVP:10€

A partir de 10 de Setembro: Cadeiras de Orquestra: 20€/ Primeira Plateia:18€

Medida Estímulo Acesso à Cultura – menores de 23 anos pagam apenas 10,00€. 

 

Yoga e Dança Oriental regressam ao Museu do Oriente

Aulas presenciais e online

 

Museu do Oriente (2).jpg

 

O Museu do Oriente retoma as aulas regulares de Yoga e de Dança Oriental, voltando a receber os participantes nas suas instalações, mas mantendo em paralelo o formato online para quem, no conforto da sua casa, pretenda deixar-se contagiar pelo espírito destas práticas.

 

Aos sábados de manhã (10.30-11.30) e às terças-feiras ao final do dia (18.30-19.30), as aulas de yoga online são uma oportunidade para promover o bem-estar físico e mental, no contexto desafiante em que vivemos. Orientada por Alexandra Prazeres, professora de Yoga formada pela Federação Portuguesa de Yoga, esta prática visa entender e descobrir o que representa o yoga em cada momento da vida, para potenciar o autoconhecimento e o equilíbrio do indivíduo a todos os níveis.

 

A partir de Setembro será possível retomar a prática regular de Yoga de forma presencial, com aulas às segundas e quartas-feiras, entre as 13.00 e as 14.00, orientadas por Amândio Figueiredo, Director do Departamento de Ayurveda e Yogaterapia (DAYT) da Federação Portuguesa Yoga-UP e membro fundador da Associação Europeia de Ayurveda. Para quem preferir, poderá ainda optar por aulas em regime online entre as 11h30 e as 12h30, também às segundas e quartas-feiras.

 

Já a decorrer estão as aulas presenciais de Dança Oriental, que são transmitidas online simultaneamente, às segundas e quintas-feiras, entre as 13.00 e as 14.00.

 

Feita por mulheres e para mulheres de todas as idades e formas físicas, a Dança Oriental tem como característica principal o movimento rítmico das ancas e dos músculos do ventre. É composta por uma série de movimentos de vibrações, acentuações, ondulações, movimentos pélvicos e rotações, que trabalham o corpo como um todo. Aliados à música e a uma sinuosidade semelhante à de uma serpente, estes movimentos eram originalmente parte integrante do ritual de fertilidade e de preparação para a maternidade.

 

Os benefícios físicos e emocionais da Dança Oriental fazem com que seja uma autêntica terapia para o corpo e para a mente, sobretudo, porque permite descobrir que é possível divertirmo-nos dançando, libertando e controlando o corpo ao mesmo tempo.

 

As aulas são orientadas por Carla Sofia, certificada em Dança Oriental pelo Conselho Internacional de Dança da UNESCO, membro da Companhia Matridança e fundadora, em 2016, do grupo Pandora.

 

As inscrições para todas as actividades são feitas através do site do Museu do Oriente.

 

Yoga aos sábados

10.30-11.30

Com Alexandra Prazeres

 

Yoga Nidra ao final da tarde

Terças-feiras

18.30-19.30

Preço:

20 €/ participante/ mês

30 €/ participantes/ mês

10 € aula avulsa

 

Yoga Semanal (a partir de Setembro)

Segundas e quartas-feiras

11.30-12.30 – aulas online

13.00-14.00 – aulas presenciais

1x semana | 20 €/ participante/ mês

2x semana | 35 €/ participante/ mês

 

Dança Oriental – aulas regulares presenciais e online

Com Carla Sofia

Segundas e quintas-feiras

13.00-14.00

Preço:

2x semana | 35 €/ mês/ aulas online

2x semana | 40 €/ mês/ aulas presenciais

1x semana | 23€/ mês

10 €/ aula avulsa

 

 

www.museudooriente.pt

 

Inaugura no Chiado, "Way to see - celebrando 25 anos de carreira", exposição de pintura de Natália Gromicho

O Atelier Natália Gromicho apresenta a exposição de pintura “Way to see”, com inauguração no dia 01 de Agosto pelas 15 horas.

ae7220c6-f1d7-4f5e-97b5-a6d4f33bab5b.jpg

 

A singularidade que cada um tem de interpretação do abstrato é algo que fascina o criador. “Forma de ver” as obras e interpreta-las. É este o desafio desta mostra de 15 quadros pintados pela artista Natália Gromicho.
 A exposição estará patente até dia 21 de Agosto, no Chiado.
 
A obra da artista poderá ser vista também em Londres (na Hay Hill Gallery, galeria que a representa no mercado Londrino e Russo), em Xangai na Noeli Art Gallery, na restante Asia pela Art Collage JANG e nos EUA por várias galerias e art consultants em Nova Iorque e Miami.
 
Natália Gromichoestudou pintura na Faculdade de Belas Artes e na Escola ArCo, em Lisboa. Com 20 anos de carreira, assinalados em 2015, tem representado Portugal em várias mostras internacionais, colectivas bem como individuais, num total de mais de 100 exposições. A sua obra integra coleções particulares e institucionais em todo o mundo, com destaque para Portugal, Austrália, EUA, Brasil, Itália, Rússia, França, Reino Unido, Timor-Leste, Singapura e Índia. Natália Gromicho pinta em regime de “open studio”, permitindo ao público observar o trabalho em curso.
 
 
Way to see
Pinturas de Natália Gromicho
Inauguração | 01 de Agosto | 15-17h
01 a 21 de Agosto
www.nataliagromicho.com
info@nataliagromicho.com
 
 
Atelier Natália Gromicho, Rua Nova da Trindade, 5G Piso S/L 1200-301 Lisboa
www.nataliagromicho.com

Wanda Stuart homenageia Amália Rodrigues

WS_concerto_amália.jpg

PastedGraphic-1 (1).png

 

No ano do centenário do nascimento de Amália Rodrigues, Wanda Stuart homenageia a mais importante intérprete musical portuguesa de todos os tempos, com um concerto na Casa Museu Amália Rodrigues, em Lisboa, no dia 30 de julho, às 18h00. 
 
“O Fado exige-me muito respeito porque é a canção que representa o nosso país, transmite um sentimento comum a todos nós” refere Wanda Stuart consciente do papel de Amália na transformação do Fado e na sua divulgação internacional.      
 
Wanda fez uma seleção de repertório sentimental. “Escolhi fados que me tocam, como por exemplo Barro Divino que tem uma mensagem tão atual e me lembro de ouvir a minha mãe cantarolar”. 
 
O concerto tem transmissão via streaming e conta com o apoio da Fundação Amália Rodrigues e de Amália Eyewear. 
 

Casal da Treta regressa ao Teatro Villaret a 25 de Setembro

Newsletter_Casal_Treta_Set2020.jpg

 

Ana Bola e José Pedro Gomes regressam ao palco do Teatro Villaret para mais uma temporada de Casal da Treta.
E estamos todos muito curiosos para saber o que Zezé e Detinha têm a dizer sobre o que se tem passado no mundo, desde que saíram de cena, em Fevereiro deste ano. Porque uma coisa é certa: se muita coisa mudou de repente, estes dois terão, seguramente, uma esclarecedora opinião - algures entre o insólito e o confuso – sobre o assunto, a juntar ao rol de assuntos que os atormenta.

A igualdade de género é uma treta, mas isso vai mudar! Ou será que não? Se até agora isto era um “clube de cavalheiros” bem-falantes, CASAL DA TRETA marca a estreia de Détinha (Ana Bola), a mítica mulher de Zezé (José Pedro Gomes). Décadas de vida em comum recordadas na medida do possível: os estafermos dos filhos, o bairro onde sempre despejaram o lixo, o casamento que só quem foi lá é que o esqueceu. Do poliamor ao fitness, da "prótese" da próstata ao “forno” uterino, este casal não tem tabus. Mas Zezé e Détinha têm alguns segredos um do outro... Lamentavelmente (ou lamentavelmentemestes, diria Zezé), os portugueses vão ter de os saber. Que treta.

Com Ana Bola e José Pedro Gomes

Texto Filipe Homem Fonseca, Mário Botequilha e Rui Cardoso Martins
Encenação Sónia Aragão Desenho de Luz Luís Duarte
Produção Força de Produção

TEATRO VILLARET
A partir de 25 Setembro
Sexta e Sábado às 21H30 | Domingos às 17H
Preço: 18€