Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição: Obras do Mestre Manuel Lima no novo Espaço Politécnico Lx

Até dia 27 de abril | Espaço Politécnico Lx | Benfica, Lisboa

Exposição_MestreManuelLima.jpg

 

 

Até dia 27 de abril, o recém-inaugurado Espaço Politécnico Lx, acolhe uma exposição dedicada ao Mestre Manuel Lima, artista plástico com uma vasta obra, muitas vezes inédita. São no total 38 obras que mostram as várias técnicas e abordagens e que refletem o percurso artístico de Manuel Lima. Desde pintura a óleo, carvão e guache, tinta da china, desenho a lápis, guache negro, acrílico, aos vários materiais, nomeadamente, o óleo aplicado sobre tela e sobre madeira.

 

A exposição inaugurada no Espaço Politécnico Lx, surge como forma de dar a conhecer ao público a vasta obra de Manuel Lima, considerado um mestre em várias áreas, nomeadamente como artista plástico, tendo produzido um conjunto de trabalhos, muito significativo, visível nos catálogos das exposições que realizou. Nascido em 1911, foi professor na Escola António Arroio, docente na Escola Superior de Belas Artes da Universidade de Lisboa, que frequentou, e onde concluiu o Curso Superior de Pintura.

 

Com uma forte ligação ao Teatro e ao Cinema, Manuel Lima, foi responsável, a partir de 1946, pela cenografia e direção artística de inúmeras produções, tendo trabalhado para várias salas e para vários géneros de Teatro. No cinema, a sua carreira iniciou como assistente de arte no filme Camões, de Leitão de Barros e continuou até 1972, com a direção artística de inúmeros filmes. A relevância do seu trabalho está bem patente nas obras que fez para edifícios públicos, onde estão incluídas pinturas que decoravam o salão nobre do Teatro Nacional D. Maria II.

 

A exposição vai estar patente até 27 de abril, de segunda a sábado, com entrada livre, no novo Espaço Polítécnico Lx, espaço recentemente inaugurado e concebido para receber mostras de cariz cultural e artístico. Paralelamente, e na sequência do cruzamento do percurso do mestre com o Teatro e Cinema, estão em exposição, na Escola Superior de Teatro e Cinema, na Amadora, trabalhos cenográficos e desenhos de Manuel Lima.

 

A inauguração do Espaço Politécnico Lx com a exposição do Mestre Manuel Lima é apenas a primeira de várias iniciativas que visam assinalar o 32.º aniversário do Politécnico de Lisboa, cuja cerimónia comemorativa vai decorrer a 3 de maio (quinta-feira), no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa.

 

Teaser da exposição disponível aqui.

 

Exposição Mestre Manuel Lima - Entrada gratuita

 

Horário

Dias úteis das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30

 

Espaço Politécnico Lx

Edifício dos Serviços da Presidência do IPL

Estrada de Benfica, 529

 

Museu da Farmácia: Ilustrador Isidro Ferrer em Lisboa

Ilustrador Isidro Ferrer em Lisboa, no Museu da Farmácia

 

image001.jpg

 

Dia 22 de março, quinta-feira, pelas 18 horas, inaugura no Museu da Farmácia em Lisboa a exposição “Os Sonhos de Helena” do ilustrador espanhol Isidro Ferrer. A exposição reúne as obras que ilustram a coletânea de textos de Eduardo Galeano “Los Sueños de Helena”, editada em 2011 pela editora Libros del Zorro Rojo.

 

Como complemento é ainda apresentado um conjunto de esculturas, da série “Funny Farm”, de produção artesanal e inteiramente em madeira e que nos dão a conhecer uma singular coleção de personagens.

 

Numa alusão ao tema, o projeto expositivo consiste numa instalação com cinco camas, elevadas a três metros de altura, sob as quais serão suspensas as ilustrações e objetos figurativos. No final da exposição, as camas serão doadas a uma instituição de solidariedade social.

 

Após a inauguração, pelas 19 horas, terá lugar a conferência “Al pan, pan, y al vino, pan”, durante a qual Isidro Ferrer contactará com o público e terá a oportunidade de desvendar alguns aspetos da sua abordagem ao processo criativo.

 

Isidro Ferrer, ilustrador e designer, é considerado um dos mais geniais e influentes ilustradores contemporâneos. Algumas das criações de maior visibilidade deste madrileno nascido em 1963 incluem ilustrações para o diário El País, separadores de continuidade para o Canal Plus, a imagem gráfica do centenário de Luis Buñuel ou o anúncio televisivo para o New Beetle da Volkswagen. Cabe-lhe também a conceção da imagem gráfica desta exposição.

Mais informações sobre o artista em: www.isidroferrer.com

 

A exposição temporária “Os Sonhos de Helena” resulta de uma parceria entre a ILUSTRARTE -Bienal Internacional da Ilustração para a Infância e a Área Cultural da Associação Nacional das Farmácias (ANF). A curadoria é de Eduardo Filipe e Ju Godinho, comissários da ILUSTRARTE, e o projeto expositivo dos arquitetos Pedro Cabrito e Isabel Diniz.

 

A exposição, com entrada livre, poderá ser visitada todos os dias, das 10h às 19h e até 30 de junho, no Museu da Farmácia, Rua Marechal Saldanha,1.

 

Neste Abril em Lisboa voltamos a trazer para a rua uma programação centrada nos direitos humanos

 

image002.jpg

 

Este é um mês em que pode ver uma exposição, assistir a uma peça de teatro e tocar piano na rua

 

Neste Abril em Lisboa voltamos a trazer para a rua uma programação centrada nos direitos humanos, através da palavra, da fotografia, do teatro e da música, este ano com um olhar especial para as histórias das mulheres e raparigas.

 

Começamos com a exposição Raparigas de Gaza, dia 6, na Alameda dos Oceanos, no Parque das Nações. O trabalho da premiada fotojornalista Monique Jaques sobre jovens mulheres que crescem na Faixa de Gaza, poderá ser visto numa mostra composta por mais de 20 fotografias construída especialmente para o espaço público.

 

As mulheres portuguesas também são protagonistas deste Abril em Lisboa na peça “Elas também estiveram lá – quotidianos de resistência e de revolução de mulheres”, uma criação do Teatro do Vestido, com direção de Joana Craveiro, que, entre 13 e 21 de abril, leva o público a passear entre a Avenida da Liberdade e a “sala da censura” do Cinema São Jorge.

 

À medida que nos aproximamos da data da revolução, vão surgir pianos na cidade… A partir de dia 20, entre as 10h e as 20h, cinco pianos, em cinco lugares, estão disponíveis para qualquer um/a experimentar tocar ao ar livre. E no dia 24 os cinco pianos juntam-se na Praça do Comércio para um concerto espontâneo a várias mãos.

 

No dia 25, o Museu do Aljube – Resistência e Liberdade festeja o seu terceiro aniversário, com propostas artísticas variadas incluindo os Dias da Memória, para a partilha de testemunhos e objetos de antigos reclusos políticos, e a dramatização de Joana Brandão baseada em entrevistas a mulheres presas pela PIDE.

 

Destaque ainda para uma nova edição do Festival Política, no cinema São Jorge, que durante quatro dias apresenta sessões de cinema, debates, workshops e atividades para crianças, dando enfoque, nesta segunda edição, às questões de género e da não-discriminação.

 

Com esta programação, que celebra ainda a descoberta do Teatro Romano e sugere uma visita aos Paços do Concelho, a EGEAC convida novamente a cidade para preservar a memória e os valores nascidos a 25 de abril bem com a sua aplicação no presente.

 

Cassete Pirata e Old Jerusalem no Festival Telheiras

0d4a41f4-ca8f-4323-bd24-713d755b7c31.jpg

 

Os diversos espaços públicos e culturais do bairro voltam a acolher o Festival de Telheiras de 11 a 19 de Maio. Já na sua nona edição o evento continua a ser organizado pelas diversas associações do bairro com actividades promovidas pelo comércio local, pessoas e instituições interessadas em participar e dar mais vida a Telheiras.

A música é sempre o ponto forte do festival, tal como nos anos anteriores. Nos dias 18 e 19 de Maio, a festa concentra-se no jardim de Telheiras, junto à saída do Metro. Pela noite usufrui-se dos petiscos acompanhados de concertos que começam pelas 19h00 com bandas locais e destacam-se as actuações, no dia 18, pelas 21h00 dos Cassete Pirata e no dia 19, pelas 22h00, dos consagrados Old Jerusalem.

Os dias são dedicados ao convívio e lazer com a Feira da Tralha (venda de artesanato e produtos em 2ª mão), actividades holísticas e de desporto e espaços dedicados às crianças com insufláveis e outras surpresas.

Como warm up para estes dois dias, durante a semana realizam-se iniciativas programadas pelos diversos parceiros pelos diferentes espaços de Telheiras com workshops de dança, ilustração, novas tecnologias e ambiente, debates temáticos, iniciativas de rastreios de saúde e atividades desportivas e de bem-estar.

Este ano a organização terá como foco a sustentabilidade e está a preparar um conjunto de acções para tornar o festival mais amigo do ambiente, nomeadamente em relação ao lixo produzido, reduzindo ao máximo o uso de plásticos no recinto do evento. A programação também reflecte esta aposta, com workshops, palestras e com a exibição ao ar livre do documentário “Amanhã" de Cyril Dion e Mélanie Laurent, no dia 15 de Maio, que nos vai inspirar a todos a criar um mundo mais justo, sustentável e feliz.

Destaca-se também o 1º Encontro de Cante Alentejano "Telheiras tem Cante", com a participação de 6 grupos, incluindo dois grupos vindos directamente do Alentejo.

O Festival é organizado pela Parceria Local de Telheiras e conta com o apoio da Junta de Freguesia do Lumiar e Câmara Municipal de Lisboa. Surgiu em 2007 e cresceu do empenho e dinamismo de dois jovens moradores que assumiram o compromisso de alavancar este movimento de aproximação de realidades, de pessoas e de serviços.

Um festival pensado em Telheiras para toda a cidade.

9aaf8529-0cea-4d3a-88cd-f2c0f289bda2.jpg

 

 

 

 

Inauguração da exposição "DO ORIENTE VEM A LUZ"

Convite DO ORIENTE VEM A LUZ .jpeg

Após alguns meses de obras de beneficiação, a Livraria Sá da Costa – Galeria reabre no próximo dia 8 de Maio com a exposição
“DO ORIENTE VEM LUZ - A Sabedoria Universal,dedicada a Helena Blavatsky.
Esta mostra consta de dois módulos, um dos quais é este que se apresenta na Sá da Costa e o segundo é a exposição fotográfica de Carlota Mantero, intitulada “O Deserto - projecto inspirado pela viagem do casal Roerich ao Gobi", patente na Sociedade Nacional de Belas Artes a partir de 4 de Maio.

Casino Lisboa renova programa de música ao vivo em Abril

A celebrar o seu 12º aniversário, no próximo mês de Abril, o Casino Lisboa renova a aposta num diversificado programa musical. O Arena Lounge recebe, de Quarta-Feira a Sábado, um versátil elenco de intérpretes nacionais. Com um extenso cartaz, o Casino Lisboa propõe, ainda, de Quinta-Feira a Sábado, pouco depois da meia-noite, diferentes Dj’s que asseguram a animação até de madrugada. A entrada é livre. 

 

Com várias actuações bem-sucedidas, os Tamla apresentam-se, de 4 a 7 de abril, no Arena Lounge. A vocalista Elisabete Brás partilha o palco com André Mendes nas teclas, e João Colaço na bateria.

 

Tamla - Elisabete Brás - 4 a 7 de Abril.jpg.png

 

Desta sua essência, o estilo perdura na “alma” característica à sua representação. O som da Motown chega-nos como título de criação de três performers sincrónicos, evocando os mentores e sucessores desta vibração musical única. 

 

 

Os Hearts and Bones actuam, de 11 a 14 de Abril, no Arena Lounge. Voz, guitarra e histórias em canção constituem o mote para a banda prestar homenagem às suas referências musicais, não esquecendo os seus próprios temas, escritos ao longo de mais de uma década de parceria.

 

Hearts and Bones - 11 a 14 de Abril.jpg.png

 

Com um estilo muito próprio, os Hearts and Bones partilham o amor à música num formato intimista e cru, em que vagueiam tanto os fantasmas do Mississipi como os do Tejo que os viu crescer. O repertório inclui registos de Robert Johnson a Patsy Cline, de Paul Simon a Neil Young, Os Hearts and Bones são Petra Pais (voz) e Luís Ferreira (guitarra), fundadores de uma das mais reconhecidas bandas de blues nacionais, a Nobody´s Bizzness, juntos em dueto e em visita ao blues e à folk norte americana. 

 

 

Em ambiente festivo, os Voodoo Marmalade propõem, de 18 a 21 de Abril, um ciclo de actuações muito dinâmico no Arena Lounge. Trata-se de uma banda de indie-rock que consegue, através do som orgânico de ukuleles, vozes e percussao, “rockar” o maior dos palcos.

 

Com um alinhamento musical eclético, os Voodoo Marmalade posicionam-se como non-stop rock action. De originais cativantes, a inteligentes misturas de músicas de outros artistas, os espetáculos dos Voodoo surpreendem. Com João O’Neill  (voz e Ukelele), Tiago Albuquerque (voz e Ukelele) e Sérgio Gaspar (voz e Ukelele),  Miguel Roquette (percussão), André Galvão (baixo), João Cabrita (voz e Ukelele) e Marcos Alves (voz e Ukelele).

 

 

Os Dee Dee & The Drum Killers serão, de 25 a 28 de Abril, os grandes protagonistas da animação musical no Arena Lounge. Com uma singular cumplicidade em palco, Dee Dee é a vocalista Andreia Nunes, enquanto os The Drum Killers são Gonçalo Sousa, na harmónica, e João Roque, na guitarra e percussão.

 

Dee Dee interpreta com mestria os blues e os clássicos soul. Por sua vez, os The Drum Killers sabem esse reportório de trás para a frente. Trata-se de uma aventura musical que se iniciou no faroeste alfacinha, mas que já se alastrou por todo o território nacional.

 

Arena Lounge – Jukebox

O programa de animação musical sugere, ainda, de Quinta-Feira a Sábado, pouco depois da meia-noite, diferentes Dj’s que escolhem os ritmos ideais para um serão pleno de animação. A entrada é livre. 

 

Programa de Abril

05 - Pan Sorbe

06 - Dj Al

07 - John Holmes

 

12 - Mário Valente

13 - Diogo Pies

14 - Sheri Vari

 

19 - Dj Dadda

20 - Johnny Deep

21 - Luis Leite

 

26 - Nery

27 - Bruno Safara

28 - Luis Patraquim

 

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Lisboa é reservado a maiores de 18 anos.

Exposição «All off» na Galeria SALA 117 prolongada até 28 de abril

All Off 2.jpg

 

O sucesso que tem constituído a exposição «All off», na Galeria SALA 117, no Porto, levou a que a exibição seja prolongada até ao próximo dia 28 de Abril. É mais uma oportunidade para visitar uma mostra com desenhos da autoria de Andreia Santana, Dayana Lucas, Diogo Tudela e Nuno Henrique e curadoria de Luís Albuquerque Pinho e Luís Pinto Nunes.

Partindo de uma seleção de projectos artísticos que compreendem um exercício de acção reflexo de um método de organização de conteúdos e elaboração de pensamentos, a exposição «All off» tem no desenho o seu foco principal, permitindo entender as lógicas de cada um dos autores.

De acordo com os curadores “quando observamos um desenho, conseguimos facilmente identificar as hesitações de quem o realizou, as alterações à forma que este sofreu, as suas definições de materiais e de expressividade”, lembrando que “são várias as características do desenho: o suporte, os materiais e técnicas, a gestualidade e maneirismo, que se tornam identitárias da tipologia do desenho e também do seu autor”.

A exposição «All off» observa esta questão da organização e sistematização de métodos de pensamento, resultantes da escassez de tempo disponível para fazer este exercício do ‘desenho’, que admite o erro e o estudo de hipóteses. As associações entre cada uma das obras em exposição vivem da lógica do pensamento e das suas lacunas, partindo de uma pureza muito objectiva dos materiais, luz, metal, papel e vidro, nos seus estados puros, transmitindo uma genuinidade de execução que se deixa envolver pela densidade de cada um.

Sobre os autores

Dayana Lucas nasceu em Caracas, em 1987, e foi um dos membros fundadores da Oficina Arara no Porto (com Miguel Carneiro, Luis Silva e a dupla de artistas Von Calhau!). Esta plataforma de produção representou, a partir de 2010, uma viragem na perceção pública da importância do experimentalismo possível no âmbito das artes gráficas, não só na vertente produtiva (pensando modos de produção próximos do DIY e na rentabilização social e artística desses mesmos meios de produção), como também tornando visível a presença de uma arte tendencialmente interventiva e anónima no espaço público.

Diogo Tudela nasceu no Porto, em 1987, e é programador e pesquisador independente cuja prática envolve ficção teórica, computação especulativa, práticas de simulação e mecatrônica. Concluiu a Licenciatura em "Som e Imagem" em 2009 e o Mestrado em Artes Digitais em 2011, ambos na Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa. Tem exposto trabalho em eventos e espaços como "Future Places", "Serralves em Festa", "Olhares de Outono", "Semibreve Festival", "Projeto I.M.A.N.", Passos Manuel, Theatro Circo, Plano B, Gare e Maus Hábitos. Recentemente, concebeu e leccionou alguns workshops em Serralves.

Nuno Henrique nasceu no Funchal em 1982 e vive e trabalha entre Nova Iorque, Lisboa e a Ilha da Madeira. Em 2016 concluiu o programa de Mestrado em Belas Artes no Pratt Institute em Nova Iorque. Licenciou-se em Escultura na Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto (2005). Das exposições que participou destacam-se, as individuais, como «Revolver cobras e pedras», Módulo Centro Difusor de Arte, Lisboa (2017), «o livre uso dos elementos», Museu do Dinheiro-Banco de Portugal, Lisboa (2016), «ЯATƧ», Rooster Gallery, Nova Iorque (2015) ou «Flores; Frutos; Hojas; Savia; Tallo. O Grande Atlas do Mundo», Twin Gallery, Madrid (2014). De entre as coletivas, destaque para  «Our Anthropocene: Eco Crises», The Center for Book Arts, Nova Iorque (2018), «Estradas Secundárias» com Samuel Silva, Laboratório das Artes, Guimarães (2013) ou «Paisagem e Natureza na Arte Contemporânea Portuguesa», Museu de Évora (2013).

Andreia Santana nasceu em Lisboa em 1991, cidade onde vive e trabalha. Concluiu a licenciatura em Artes Plásticas na ESAD - Escola de Artes e Design de Caldas da Rainha e participou do Programa de Estudos Independentes em Artes Visuais da Maumaus / Lumiar Cité em Lisboa. Desde 2013, tem participado em vários programas de residências artísticas, nomeadamente a Residency Unlimited em Nova York com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian. Ganhou o Prémio NOVO BANCO Revelação em 2016 e o ​​Prémio de Escultura D. Fernando II, exibindo regularmente o seu trabalho em Portugal e no estrangeiro, destacando-se as exposições «História da Falta» no Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto (2017), «New Skin, Old Stone» no Old School, com curadoria de Susana Pomba, Lisboa (2017) ou «No water on the other’s edge» na Galeria Mieszkanie Gepperta, Wroclaw.

 

Sobre a Galeria SALA 117

A galeria SALA 117 é um projeto que visa trazer ao diálogo perspetivas plurais sobre as práticas artísticas contemporâneas, ao cruzar as linguagens e perceções estético-artísticas presentes nas obras de artistas consagrados e no trabalho de jovens artistas. A galeria procura redimensionar a experiência estética a partir da procura de novas dinâmicas expositivas. Nesse sentido, o espaço no nº 200 da Rua Damião de Góis, no Porto, responde à missão de desenvolver um ambiente alternativo ao movimento artístico dominante que agita a cidade, criando um novo ponto de encontro entre artistas, arte e público.

Em abril... eventos mil!

 

 

Em abril... eventos mil!

 

O Roca Lisboa Gallery tem uma agenda de eventos de excelência para si, no coração da capital

 

 

  • No Roca Lisboa Gallery continua patente a exposição de Nicanor Garcia, arquiteto e fotógrafo de arquitetura e viagens, a par de outras iniciativas nas quais poderá participar ao longo de todo o mês de abril.

 

 

O Roca Lisboa Gallery preparou mais um mês repleto de atividades nas quais poderá participar. Entre cursos, conferências, eventos relacionados com o marketing desportivo, lançamento do Yearbook da reabilitação, mesas redondas, workshops e uma exposição ímpar, há muitos motivos para conhecer a agenda de eventos. Um mês onde a Mouraria é o bairro em destaque e onde poderá ficar a saber mais sobre a sua história, arquitetura, cultura, gente e evolução no tempo. Outrora confinado aos muçulmanos após a conquista de Lisboa, é agora um dos bairros mais seguros da capital. Venha participar nesta conversa!

Curso «Certified Passive House Designer»

A2782E1C-CBFA-4E1E-B31B-AE8D2C9CC052.png

 

Data: 03,10,17 e 24 de abril | 2, 8, 15 e 22 de maioHorário: 10h30 - 18h30

O Roca Lisboa Gallery convida-o/a para o Curso «Certified Passive House Designer», destinado a consultores e projetistas – arquitetos, engenheiros técnicos e civis, mecânicos e peritos qualificados – com o objetivo de implementar soluções Passive House, projetar edifícios Passive House e NZEB e utilizar a ferramenta PHPP. Esta formação que decorrerá entre as 10h30 e as 18h30, nos dias 03, 10, 17 e 24 de abril e que seguirá depois em maio, contará com João Marcelino e João Gavião como formadores, ambos certificados pelo Passivhaus Institut e IEFP.

Vagas limitadas, inscreva-se aqui.

Organização: Homegrid e Associação Passivhaus Portugal

Colaboração: Roca Lisboa Gallery

 

 

Seminário «Passive House: Edifícios Saudáveis – Cidades Sustentáveis»

2438473A-717E-4DC3-B0BE-84C3BF9B1425.png

Data: 04 de abril Horário: 14h00

O Roca Lisboa Gallery convida-o/a para o Seminário «Passive House: Edifícios Saudáveis, Cidades Sustentáveis», dando-lhe a oportunidade de conhecer mais sobre o conceito Passive House e a sua aplicação à escala urbana, municipal e metropolitana. O programa deste seminário conduzido pelos formadores João Marcelino e João Gavião, ambos certificados pelo Passivhaus Institut e IEFP, passará pela definição e exemplos do conceito Passive House, a implementação do conceito em Portugal, as vantagens do município Passive House e a sua aplicação em diferentes escalas.

Entrada livre. Vagas limitadas. Inscreva-se aqui.

Organização: Homegrid e Associação Passivhaus Portugal I Colaboração: Roca Lisboa Gallery

 

Conferência «Tendências na Hotelaria»

795314A9-6F3C-458A-8CA1-30B18A810732.png

 

 

Data: 10 de abril Horário: 18h30

O Roca Lisboa Gallery convida-o/a para a conferência «Tendências na Hotelaria», moderada por Carina Monteiro – Diretora editorial da revista Publituris – com o objetivo de lhe dar a conhecer mais sobre a perspetiva de crescimento do setor hoteleiro em Portugal, a perspetiva do hóspede e das tendências que segue, o que procuram os turistas e outras questões a ser abordadas por um painel de oradores de excelência, composto por Maria João Martins – Diretora de projetos e formação na AHP; Ricardo Afonso – Senior account manager Portugal na Booking.com; Cristina Carvalho – Diretora comercial na Oasistravel e Jorge Ferreira – Partner & CEO na Modo Distinto.

Entrada livre. Vagas limitadas. Inscreva-se aqui.

Organização: Roca I Colaboração: Roca Lisboa Gallery

 

 

 

Curso «Demolição versus (vs.) Desobstrução»

 

 

BFBEC366-1330-4B47-B2DC-09A2232635FA.png

 

Data: 10,11,12 e 13 de abril Horário: 14h30 às 18h30

O Portal da Construção sustentável e o  Roca Lisboa Gallery convidam-no/a para a ação de formação sobre «Desconstrução vs. Demolição», destinada a estudantes e profissionais de arquitetura ou engenharia, urbanismo, bem como todos aqueles que se interessam pela gestão eficiente de edifícios, com o objetivo de incutir aos profissionais conhecimentos sobre o conceito de «desconstruir edifícios» e suas mais-valias, como atitude fundamental para a economia circular de um dos setores que mais impacto negativo tem no ambiente e consciencializar para um ciclo fechado.

Vagas limitadas. Inscreva-se aqui.

Organização: Portal da Construção Sustentável I Colaboração: Roca Lisboa Gallery

 

 

 

Marketing Desportivo

 

B89C89D1-0178-466A-9FB2-6F4AE3B89A8E.png

 

Data: 17 de abril Horário: 18h30

O Roca Lisboa Gallery dá as boas vindas ao Marketing Desportivo, no âmbito do patrocínio da Roca ao Millennium Estoril Open 2018. Nesta sessão, venha conhecer o evento ao detalhe, apresentado por João Zilhão, Diretor do torneio, Filipa Caldeira, Vice-Presidente da Federação Portuguesa de Ténis, com o pelouro do Marketing e CEO da Fullsix, Filipa Robalo, CEO da Wonder\Why e responsável pela criação de marcas de eventos internacionais desportivos como o Euro 2012 Polónia/Ucrânia, Copa América 2015, Euro 2016 de França e Mundial 2018 na Rússia. Saiba ainda o que leva uma marca como a Roca a associar-se a um evento desta natureza. No final, assista à assinatura do contrato de patrocínio e dê-se ao luxo de se sentar na cadeira dos jogadores!

 

Entrada livre. Vagas limitadas. Inscreva-se aqui.

Organização: Roca I Colaboração: Roca Lisboa Gallery

 

 

 

 

                                             

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios  

6C2B0366-A6B3-421F-A9EB-04BD949B907D.png

 

Data: 18 de abril Horário: 18h30        

O Roca Lisboa Gallery convida-o/a para a mesa redonda que abordará a temática «Os antigos processos na utilização da água», no âmbito da celebração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios. A entrada é livre, contudo a inscrição é obrigatória. A moderação desta mesa redonda fica a cargo de Pedro Inácio – coordenador do Museu da Água da EPAL e Vice-Presidente da APOM – Associação Portuguesa de Museologia.

Entrada livre. Vagas limitadas. Inscreva-se aqui.

 Organização: Roca e APOM I Colaboração: Roca Lisboa Gallery

 

 

 

 

 

Lançamento – Yearbook da Reabilitação  

B0AA1FF0-68DA-47C3-B498-F6399F7EDF53.png

 

Data: 19 de abril Horário: 09h00

O Jornal Construir organiza, no próximo dia 19 de Abril, uma conferência subordinada ao tema Reabilitação Urbana em Lisboa, com transmissão direta na página do CONSTRUIR no Facebook. "Reabilitação e 'Turistificação': estratégia pública para o Município de Lisboa" e "Arquitetura e Reabilitação em património imobiliário público" em debate, numa iniciativa que terá lugar no Roca Lisboa Gallery.

Entrada livre. Vagas limitadas.

Organização: Jornal Construir I Colaboração: Roca e Roca Lisboa Gallery

 

Conversas sobre Lisboa: Lisboa dos Mouros – Mouraria

68678E61-266C-4350-BDC1-E4FDC722962A.png

 

 

Data: 26 de abril Horário: 18h30

O Roca Lisboa Gallery convida-o/a para mais uma sessão de conversas sobre Lisboa. A 3º conversa será sobre o bairro da Mouraria – um dos mais tradicionais bairros da cidade, considerado um dos mais seguros da capital e também um ponto de encontro de pessoas de diferentes culturas, sem que com isso se esbatam as tradições populares que continuam bem presentes. A perspetiva histórica, que deu origem ao nome, social e arquitetónica serão o mote desta sessão.

Entrada livre. Vagas limitadas. Inscreva-se aqui.

Organização: Roca Lisboa Gallery I Colaboração: Arquiteto Pedro Novo

 

 

Aqua Labs - Workshops sobre a água nas cidades futuras

 

002E9DF7-982E-48A6-93ED-CE0F19BA345A.png

 

Data: 26 de abril Horário: 10h00

O Roca Lisboa Gallery convida-o para o primeiro workshop de um ciclo de 4 workshops orientados por Laura Korčulanin - docente e investigadora no IADE/UNIDCOM – Universidade Europeia. Este workshop, o primeiro de 4, será dedicado a uma dimensão da água nas cidades futuras, com particular propósito de criar diretrizes baseadas nas respostas dadas pelos vários intervenientes envolvidos nos workshops.

Entrada livre. Vagas limitadas. Inscreva-se aqui.

Organização: Roca Lisboa Gallery | Colaboração: Laura Korčulani

 

 

«Places&Spaces» – Entrada Livre

 

602865C0-EDC6-4AE3-8969-89E1770E9A57.png

 

Até 30 de abril

Uma exposição de fotografia de Nicanor Garcia – fotógrafo especializado em arquitetura e viagens. Outrora arquiteto, foi na fotografia que Nicanor encontrou mais uma vocação que lhe tem valido um enorme reconhecimento. Uma exposição que nos remete para uma reflexão visual do espaço urbano e nos faz perceber a importância da luz, da escala e da geometria na hora do click ( click em itálico.

Uma exposição ímpar de entrada livre, que poderá visitar até ao final deste mês. Dias úteis, das 10h às 19h e sábados, das 10h às 17h.

 

 

***

 

Sobre o Roca Lisboa Gallery

Os Roca Galleries são parte da estratégia internacional da Roca e um conceito que expressa a realidade atual e as suas metas de futuro. O design, a inovação, a sustentabilidade e o bem-estar são valores Roca transmitidos pelos Galleries, manifestando assim a vontade da marca líder em espaços de banho em manter um diálogo constante com a sociedade, e especialmente com os profissionais com quem partilha a preocupação e o interesse em evoluir os espaços de banho. Os diferentes Roca Galleries Londres, Shangai, Barcelona, Madrid, São Paulo e Lisboa veiculam esta vontade, oferecendo um ponto de encontro e um espaço de diálogo aberto à comunidade interessada, a designers e decoradores de interiores, e arquitetos de todo o mundo.  

O Roca Lisboa Gallery é o resultado da colaboração com o estúdio Ferruz Decoradors e foi inaugurado em junho de 2011. O Roca Lisboa Gallery, localizado num antigo palacete de 1909 no início da extensa Avenida da Liberdade, na Praça dos Restauradores nº46, é um espaço fundamental e flexível onde a exposição de produtos do portefólio Roca partilha o mesmo espaço de forma natural com o Espaço Cultura, onde exposições, apresentações, encontros de profissionais e eventos de interesse, dinamizam a oferta sociocultural de Lisboa.

www.rocalisboagallery.com

 

Sobre a Roca 

A Roca é uma empresa dedicada ao design, à produção e comercialização de produtos para o espaço de banho, pavimentos e revestimentos cerâmicos destinados à arquitetura, construção e decoração. As suas origens remontam a 1917, quando a família Roca iniciou a construção da sua primeira planta de produção em Gavà (Barcelona). Cem anos depois da sua função, a companhia emprega mais de 22.600 pessoas, tem 78 centros de produção e está presente em mais de 170 mercados distribuídos pelos cinco continentes. 

www.roca.com

 

 

 

 

 

 

Casino Lisboa recebe os Dee Dee & The Drum Killers de 25 a 28 de Abril

DeeDee&The DRum Killers.jpg

 

 

Com renovadas propostas musicais, o Casino Lisboa oferece, de 25 a 28 de Abril, um ciclo de actuações protagonizado pelos Dee Dee & The Drum Killers. Estarão em destaque numerosos êxitos de blues e clássicos de soul. A entrada é livre.

 

Os Dee Dee & The Drum Killers revelam uma singular cumplicidade em palco. Dee Dee é a vocalista Andreia Nunes, enquanto os The Drum Killers são Gonçalo Sousa, na harmónica, e João Roque, na guitarra e percussão.

 

Dee Dee interpreta com mestria os blues e os clássicos soul. Por sua vez, os The Drum Killers sabem esse reportório de trás para a frente. Trata-se de uma aventura musical que se iniciou no faroeste alfacinha, mas que já se alastrou por todo o território nacional.

 

 

Ciclo de música ao vivo da banda Dee Dee & The Drum Killers

Quarta-Feira, dia 25 de Abril: 22h00 às 22h50 e das 23h10 às 00h00

Quinta-Feira, dia 26 de Abril: 20h30 às 21h20 e das 23h30 às 00h20

Sexta-Feira, dia 27 de Abril: 20h30 às 21h20 e das 23h40 às 00h30

Sábado, dia 28 de Abril: 20h30 às 21h20 e das 23h40 às 00h30

 

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Lisboa é reservado a maiores de 18 anos.