Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição "Nos Passos de Santo António - Uma Viagem de Gonçalo Cadilhe"

e43ecabc-b507-4d9c-b3f5-2ef8ebd76e3c.jpg

 

 

O Museu de Lisboa convida para a exposição de fotografia Nos Passos de Santo António. Uma Viagem de Gonçalo Cadilhe, no dia 19 de junho, terça-feira, às 18h30, no Museu de Lisboa - Santo António. 

Gonçalo Cadilhe revisita um percurso feito há oito séculos e descobre um dos maiores viajantes da História de Portugal: Santo António.

António, o Santo português de Pádua, viajou durante dez anos numa época em que as estradas tinham desaparecido, o sistema cambial ainda não fora inventado, os idiomas não se traduziam em dicionários, os mapas não existiam. Gonçalo Cadilhe refaz a grande viagem deste franciscano, que durou os últimos dez anos da sua vida.

Depois do livro “Nos passos de Santo António” editado em 2016 e do documentário com o mesmo nome emitido pela RTP a 13 de junho de 2017, esta coleção de fotografias, com um cunho pessoal de Gonçalo Cadilhe, apresenta uma seleção dos lugares fundamentais da vida de Santo António na perspetiva de um viajante moderno, mochileiro e laico. A estrada foi a vida de António. Estas são as imagens da sua biografia.
 

Inauguração de Exposição: 19 junho (terça), 18h30

De 20 junho a 30 setembro: de terça a domingo, das 10h às 18h (última entrada 17h30)

Largo de Santo António da Sé, 22

 

"Tiradores" de Diogo Maia

 

 

Inauguração  sexta-feira 14 setembro, 19 horas
Exposição  15 setembro a 7 de outubro de 2018 | terça a sexta, 10h - 17h; sábado e domingo 11h – 18h

Museu Nacional de História Natural e da Ciência
Rua da Escola Politécnica, 56, 1250-096 Lisboa

8e07af7e-bc42-40bb-af86-96188e7a0a0d.png

 

No próximo dia 14 de setembro, às 19 horas, inaugura a exposição Tiradores, de Diogo Maia, no Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa.

Esta exposição é composta por uma série de fotografias sobre o trabalho de extração da cortiça, acompanhada por uma gravação áudio com o som e conversas dos respetivos tiradores, que nos transportam para o universo rural criando assim uma experiência sensorial mista entre o som e a fotografia. 

“Uma pequena comunidade agrícola, chamada no vulgo da indústria da cortiça de “tiradores”, utiliza um processo ancestral de extração de cortiça. 

Os tiradores trabalham num sistema de pares denominado de parelha, em que dependem uns dos outros. Para o bom funcionamento da equipa é essencial que haja um elevado nível de sinergia e confiança dado o risco de acidentes graves. 

Estes profissionais trabalham em condições extremas com elevadas temperaturas, equilibrados em árvores, tendo a sensibilidade de utilizar apenas a força suficiente para extrair a cortiça sem danificar a árvore. Para tal, é necessária habilidade manual e muita experiência. 

A cortiça é extraída pela primeira vez quando um sobreiro atinge os 25 anos e é posteriormente retirada de 9 em 9 anos. A mestria dos tiradores é fundamental para garantir a qualidade da cortiça de tiragem em tiragem."
                                                                                                                                           Diogo Maia

A exposição vai estar patente no Museu Nacional de História Natural e da Ciência, de 15 setembro a 7 de outubro, no seguinte horário: terça a sexta das 10h às 17h, sábado e domingo das 11h às 18h.


Diogo Maia (Lisboa, 1981) licenciou-se em Publicidade (vertente de Direção de Arte) na Thames Valley University, em Londres. Frequentou o Instituto Português da Fotografia, completando um curso sobre as várias componentes fotográficas: composição, iluminação técnica fotográfica e laboratório digital. Na Ar.Co (Centro de Arte e Comunicação Visual) onde fez o curso avançado de fotografia e fotografia aplicada em projecto.

Trabalha como designer e, simultaneamente, colabora como fotógrafo na produção de catálogos para as Leiloeiras Sotheby's (Londres), o Centre Pompidou (Paris), o Museu da Marioneta, a Coleção Francisco Capelo, entre outros. Estagiou, enquanto criativo e designer, na Carolan Media (Londres) e na Young & Rubicam Redcell (Lisboa).

Na sua visão, o artista mistura a ficção com o real, transcendendo a fronteira do credível com o imaginário adoptando vários estilos técnicos que o auxiliam a  alcançar o objectivo proposto utilizando como ferramenta a fotografia para a realização das imagem.

MAAT | 1º domingo do mês com entrada gratuita

 

1º domingo do mês com entrada gratuita
Sete exposições para visitar gratuitamente

 

Os primeiros domingos de cada mês têm sempre entrada gratuita no MAAT e na Central entre as 11h e as 19h.

 

  • GERMINAL. O núcleo Cabrita Reis na Coleção de Arte Fundação EDP, de Pedro Cabrita Reis – A primeira grande exposição sobre a Coleção Pedro Cabrita Reis, adquirida pela Fundação EDP em 2015, pode ser vista nas galerias 1 e 2 da Central Tejo. Foca-se numa ampla e sólida representação da chamada ‘geração de 90’, com presença de mais de 30. Debruça-se sobre momentos iniciais das carreiras de artistas nacionais cujos percursos têm vindo a afirmar-se.
  • Eco-Visionários: Arte, Arquitetura após o Antropoceno, Vários Artistas– Mais de 35 artistas propõem visões críticas e criativas face às transformações ambientais que afetam o planeta. Eco-Visionários lança o debate sobre um vasto panorama de questões associadas ao Antropoceno – a designação recente de um novo período geológico definido pelo impacto das ações humanas. Pode ser vista na Galeria Principal e Vídeo Room do MAAT.
  • Um Imaginário Termodinâmico de Tomás Saraceno – Na Galeria Oval do MAAT, o artista argentino Tomás Saraceno expõe esculturas que, desafiando a gravidade, flutuam no ar por via da incidência solar, abdicando de hélio ou combustível. Uma exposição que faz parte do projeto de investigação intitulado Aeroceno – designação de um tempo em que a raça humana poderá vir a habitar estas estruturas aéreas. Uma visão futurística de novas interações dos seres humanos com a atmosfera do planeta.
  • Derramamento Linguístico na Sala das Caldeiras de Gary Hill – Um trabalho concebido pelo artista norte-americano Gary Hill, especificamente para a Sala das Caldeiras, da Central Tejo. Nesta obra, Hill retoma a investigação que iniciou no final dos anos 1970 com a peça Electronic Linguistics, que deu origem a uma série de trabalhos que têm como ponto de partida a relação entre som, linguagem e imagem eletrónica.
  • Vida e trabalho: não como antes mas de novo, de Susana Mendes Silva – Exposição de cariz documental da artista Susana Mendes Silva, patente no Cinzeiro 8, da Central Tejo. Para além de acompanhar e dar a conhecer a produção da artista das últimas duas décadas, a exposição foca-se em dois aspetos: o registo e documentação das performances e a recriação de performances e criação de novos trabalhos.
  • Pan African Unity Mural, de Ângela Ferreira – O trabalho da artista Ângela Ferreira para o Project Room do MAAT é concebido para o ‘aqui’ e o ‘agora’. Além da sua própria trajetória, outras histórias biográficas são narradas, expostas e escondidas neste trabalho. Em tempo de crise da crítica a artista renegoceia “velhas histórias”, incluindo as suas próprias, à luz da necessidade urgente de novas perguntas e respostas.
  • Exposição permanente: Circuito Central ElétricaExemplar único do património histórico, industrial e arquitetónico da primeira metade do século XX, a Central Tejo está classificada como imóvel de interesse público e encontra-se totalmente conservado. A exposição conta a história da eletricidade, evoca o funcionamento e o ambiente de trabalho da antiga fábrica e percorre a evolução da eletricidade até às energias renováveis.

Setembro no Museu Coleção Berardo

620px_e5b8e7149beca25341229.jpg

 

Em setembro, não perca a inauguração da exposição 1968: O Fogo das Ideias, de Marcelo Brodsky, no dia 19, às 19h00. A entrada é gratuita. Não deixe de visitar também a exposição temporária Between the Devil and the Deep Blue Sea, de Pieter Hugo, que entra no seu último mês de exibição.

304px_e5b8e982a1f636649322.jpg

 

1968: O Fogo das Ideias

Exposição de Marcelo Brodsky.
Inauguração: 19 de setembro, 19h00.

 

296px_538efbb22454e111c0bf4bb8bd55b79e.jpg

 

Between the Devil and the Deep Blue Sea
Exposição de Pieter Hugo.
Até 7 de outubro.

 

 

Visitas temáticas em torno da exposição de Pieter Hugo

 

299px_e5b8e79b47c039559124.jpg

 

Classicismo e hibridismos: a paisagem e a natureza-morta na obra de Pieter Hugo
15 de setembro, sábado | 16h00 | Entrada gratuita.

 

300px_e5b8e79fb95587560135.jpg

 

Do lirismo ao manifesto: o género do retrato na obra de Pieter Hugo
29 de setembro, sábado | 16h00 | Entrada gratuita.

 

 

Outras visitas em setembro

289px_e5b8e9ac68310a657330.jpg

 

Visita orientada à exposição 1968: O Fogo das Ideias, por Marcelo Brodsky
22 de setembro | 16h00 | Entrada gratuita.

 

311px_e5b8e7d4165858569133.jpg

 

As escolhas dos críticos: Hamish Fulton por Luca Vargiu
29 de setembro | 16h00 | Entrada gratuita | Inscrição prévia.

 

Conferência

300px_e5b8e8050deab4578136.jpg

 

Corta e cose. Justaposições entre arquitetura e cinema
Orador: Luís Urbano.
12 de setembro, quarta-feira | 18h00 | Entrada gratuita, sujeita ao número de lugares disponíveis.

Exposição "Amadora BD" em destaque no Centro Colombo

Autores nacionais de banda desenhada para ver de 7 a 23 de setembro

 

image013.jpg

 

 

Este ano, a Arte Chegou ao Colombo traz a Exposição Amadora BD para o Centro. De 7 a 23 de setembro, o Piso 1 do Centro Colombo vai receber 30 artistas de banda desenhada, com 4 a 6 pranchas cada uma, que assinala os 29 anos do festival de Banda Desenhada da Amadora. Esta iniciativa conta com a participação de 30 artistas de várias gerações, entre eles Joana Afonso, João Fazenda e Ricardo Cabral. 

Com curadoria da Amadora BD, esta exposição, com inauguração marcada para dia 7 de setembro às 11h00, reúne os trabalhos dos artistas premiados, e outros autores da atualidade que viram o seu trabalho reconhecido e que assumem um papel importante na BD nacional. Esta compilação pretende dar a conhecer “tesouros” de artistas que são hoje amplamente conhecidos e faz ainda a ligação ao festival que irá decorrer de 26 de outubro a 11 de novembro na Amadora, homenageando, assim, os artistas na sua 29ª edição.

 

A Amadora BD irá também promover seis visitas guiadas com peritos em banda desenhada, proporcionando uma abordagem mais especializada à exposição central da Arte Chegou ao Colombo e esclarecendo os visitantes sobre as influências da BD na obra do artista da Pop Art. Roy Lichtenstein procurou explorar tanto a estética como os temas abordados na banda desenhada, apropriando-se de imagens, contidas em álbuns e revistas de BD, transformando-as em obras de arte ao reproduzir estas imagens em telas de grande dimensão. O seu interesse por esta arte começou provavelmente quando reproduziu o Rato Mickey, no início dos anos 50. Esta foi a sua primeira criação que integrou os símbolos icónicos da BD e, mais tarde, o tornou reconhecido e enquadrado no movimento da Pop Art, ao lado de artistas como Andy Warhol ou Robert Rauschenberg.

 

Para Nelson Dona, Diretor do Amadora BD e profundo conhecedor de banda desenhada, “Esta é uma forma única de, mais uma vez, inovarmos e surpreendermos todos os amantes de banda desenhada. Para aguçar a curiosidade de todos os visitantes, «instalamo-nos» no Centro Colombo e damos a conhecer o que de melhor já se viveu em 28 edições do maior festival de banda desenhada em Portugal, desvendando um bocadinho daquilo que vai ser possível ver a partir de outubro na Amadora. O convite está feito, agora é só aproveitar o melhor da banda desenhada no Centro Colombo”.

 

O Amadora BD é um dos festivais internacionais de banda desenhada mais importantes e reconhecidos na Europa e o de maior dimensão e relevo em Portugal que, este ano, vai para a sua 29ª edição. Entre outubro e novembro, o Amadora BD apresenta banda desenhada e não só: cartoons, caricaturas, cinema de animação, uma feira do livro e muitas atividades para os mais novos, é tudo o que os visitantes poderão ver. Este festival conta com a participação de muitos autores nacionais e estrangeiros e teve o seu início em 1989, tendo-se mantido um evento anual até aos dias de hoje. O Amadora BD tem, a cada edição, um tema específico e atribui prémios nacionais não só às obras a concurso mas também ao mercado da banda desenhada em geral.

 

A Exposição “Amadora BD” pode ser vista no Piso 1 do Centro Colombo de 7 a 23 de setembro, todos os dias, das 10H00 às 24H00, com entrada gratuita. A 8ª edição do projeto A Arte Chegou ao Colombo recebe, este ano, a exposição “Roy Lichtenstein e a Pop Art” e pode ser visitada até ao dia 23 de setembro, também com entrada gratuita, na Praça Central do Centro Colombo.

PORTUGAL POP: Conversas, duelos e provocações entre celebridades da cultura pop! Dia 23 de setembro no Centro Colombo

Encerramento da exposição “Roy Lichtenstein e a Pop Art” dia 23 de setembro

 

PORTUGAL POP: Conversas, duelos e provocações entre celebridades da cultura pop!

 

image008.png

 

No âmbito do encerramento da 8ª edição do projeto “A Arte Chegou ao Colombo”, o Centro Colombo, em parceria com a Visão, proporciona uma tarde divertida sobre a cultura pop. A partir das 15h00 do dia 23 de setembro, a Conferência PORTUGAL POP recebe conversas, duelos improváveis e provocações entre figuras bem conhecidas da cultura Pop em Portugal, tendo Ana Rita Clara como host.

 

José Cid e Margarida Rebelo Pinto são os primeiros a “sentarem-se à conversa” com o tema “Pim, Pam Pom: O que Mexe com as pessoas?” que o cantor e a escritora vão debater, surpreendendo o público com várias provocações. “Digipop: nos Tempos da Popularidade Instantânea” é o que vai levar a bloguer Ana Garcia Martins do blog A Pipoca Mais Doce e o facebooker Miguel Somsen a conversar, “discutir” e levantar muitas outras questões. Rita Ferro Rodrigues e Rui Maria Pêgo são os responsáveis pelo último “duelo”, refletindo sobre o impacto e a força da comunicação nos dias de hoje. “Causa Pop: Mudar Mentalidades Através da Comunicação” é o mote da conversa que marca o final desta tarde Pop bastante diferente.

O que é a Cultura Pop em 2018? O que mudou com os tempos digitais? O que mexe com as pessoas? Qual o lugar para as artes? Estas são apenas algumas das muitas questões que vão fazer os convidados do PORTUGAL POP refletir, pensar e debater. Esta tarde conta ainda com um Live Painting de Rueffa, a artista plástica e embaixadora da Exposição de “Roy Lichtenstein e a Pop Art”, que, neste dia, irá terminar a sua obra alusiva à cultura pop que tem vindo a desenvolver desde a inauguração da exposição. Esta iniciativa conta ainda com diversas intervenções de um DJ convidado, responsável por animar ainda mais esta tarde, criando momentos de puro entretenimento.

PORTUGAL POP é a iniciativa que vai marcar o encerramento da Exposição Roy Lichtenstein e a Pop Art”, e irá decorrer dia 23 de setembro a partir das 15h00 na Praça Central do Centro Colombo. A exposição “Roy Lichstentein e a Pop Art”, inaugurada dia 19 de junho, pode ainda ser visitada até 23 de setembro, todos os dias, das 10H00 às 24H00, tendo já recebido 106 mil visitantes.

"Horizontes Brancos" de Henrique Vieira Ribeira + Alfredo Antunes

HENRIQUE VIEIRA RIBEIRO + ALFREDO ANTUNES
 

 
Horizontes Brancos
 
Inauguração  quarta-feira 12 setembro, 19h
Exposição  13 setembro a 4 outubro, 2018 | Seg. a sex. 12h - 19h
Ocupart | Espaço Camões da Livraria Sá da Costa
Praça Luís de Camões, 22, 4º andar, Lisboa
 

c2f5b7d3-80c4-4b95-8d64-b43707c8e381.png

 

 
 

No próximo dia 12 de setembro, às 19 horas, inaugura a exposição Horizontes Brancos, de Henrique Vieira Ribeiro, no Espaço Camões da Livraria Sá da Costa.
Produzida pela Ocupart, esta exposição é composta por trabalhos de vídeo, instalação e pós-fotografia.

“talvez o teu sonho sejam as praias soalheiras do sul,
as noites quentes e perfumadas e a brisa agitando as palmeiras,
mas eu sonho um outro paraíso,
sonho horizontes brancos de neve brilhante,
sonho bosques onde o sol nunca se põe,
sonho montanhas entre o céu e o abismo”
                                                                                      In Horizontes Brancos, vídeo, 21´29´´


Em Horizontes Brancos, Henrique Vieira Ribeiro recorre a elementos audiovisuais privados, aos quais associa os objetos originais no seu registo e visionamento, questionando as fronteiras da vida observada como uma narrativa.
Assim, são convocadas camadas de retorno (passado, fabulado, graças ao convívio com as imagens originais), de suspensão (presente, instante em que as obras se apresentam) e de re-começo (futuro, resultado das narrativas construídas a partir da fruição destas “novas” imagens).
Esta reflexão assenta numa prática situada nos antípodas da apropriação de imagens desalmadas (cuja origem já não se conhece, não possuindo portanto potencial de retorno) testando Henrique os limites do conflito entre o documental e o ficcionado através da identificação do seu autor primário, com quem partilha os créditos desta mostra.
 
A exposição está integrada na programação do Bairro das Artes – A Reentrée Cultural da Sétima Colina de Lisboa, no dia 20 de setembro, com a realização de uma Conversa com o Artista às 19 horas. Poderá ser visitada até 4 de outubro, de segunda a sexta-feira, das 12 às 19 horas, ou noutro horário mediante marcação prévia, no Espaço Camões da Livraria Sá da Costa, localizado na Praça Luís de Camões, 22, 4º dto.
 
HENRIQUE VIEIRA RIBEIRO  (Lisboa, 1970), é mestre em Arte Multimédia, vertente de Audiovisuais, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, e licenciado em Arte Multimédia, vertente de Fotografia, pela mesma instituição.
Docente convidado na Escola Superior de Arte e Design, Caldas da Rainha (2015/2016 e 2016/2017) nas cadeiras de fotografia, projeto audiovisual e multimédia e desenho digital. Participa, em 2017, na residência artística ResArt Marvão. Na prática autoral, as suas inquietações têm como origem aspetos relacionados com a condição humana, nomeadamente a reflexão acerca da necessidade/desejo de transcendência do ser humano; neste aspeto, o objeto enquanto portador de vida, enquanto testemunho mnemónico, desempenha um papel preponderante. Utiliza a fotografia e o vídeo como media nucleares que, em conjunto com o desenho, formam os seus suportes de eleição; contudo, o resultado final das suas obras tem vindo a adquirir um cariz de instalação.
Está representado em várias coleções particulares em Portugal, França e Inglaterra, assim como em instituições como o Museu do Combatente, Galeria Artur Bual e Associação 25 de Abril. Está ainda representado na Fundação Calouste Gulbenkian e na Coleção Figueiredo Ribeiro - Quartel da Arte Contemporânea de Abrantes.

 

◖◖ RUA DAS GAIVOTAS 6 | Setembro 2018 ◗◗

1-OS-news-filtro-jset.jpg

 

[exposição | exhibition]
ONE SHOT
Carolina Pimenta
​15 set | sáb | 12h-19h
entrada livre
A presente exposição apresenta o resultado da performance ONE SHOT de Carolina Pimenta, realizada na mesma sala da Rua das Gaivotas6 a 10 de março de 2018, juntamente com o livro de artista que esteve na sua origem. 
À semelhança do evento anterior, a exposição tem apenas a duração de algumas horas, 
 
 

1-OH-news-filtro-SET.jpg

 

[visita | visit]
OPEN HOUSE
Trienal de Arquitectura de Lisboa
​22 set | sáb | 14h-18h
​entrada livre
A 7ª edição do Open House Lisboa acontece a 22 e 23 de Setembro de 2018. Vamos olhar para Lisboa numa escala urbana alargada pelos olhos de Luís Santiago Baptista e Maria Rita Pais que propõem uma leitura integrada das transformações recentes da cidade em várias zonas e seus eixos estruturantes.



INSCRIÇÕES ABERTAS: Sessão - Direitos de Autor e Direitos Conexos | Formações APA

INSCRIÇÕES ABERTAS
Formação: Direitos de Autor e Direitos Conexos

Formação no âmbito do APA – Apoio a Produtores e Artistas (Alkantara)
Plano de Formação (Polo Cultural Gaivotas | Boavista/Loja Lisboa Cultura)

DIREITOS DE AUTOR E DIREITOS CONEXOS
Formadora: Mafalda Sebastião
Max. 30 participantes

sessão gratuita

segunda, 24 de setembro
10h-13h - sessão de grupo | 14h-19h - atendimento personalizado
Polo Cultural Gaivotas | Boavista

A criação cultural na área das artes performativas gera e utiliza obras de natureza artística, veiculadas por intérpretes (cantores, atores, bailarinos). De modo a que estes profissionais sejam justamente retribuídos pelo seu trabalho, as suas obras e prestações são protegidas, respetivamente, pelo direito de autor e pelos direitos conexos. O que é protegido, quem detém estes direitos, para que servem e como se trabalham (tanto na qualidade de detentor destes direitos como de utilizador de obras ou prestações de outrem), são as respostas que se pretendem dar nesta sessão, seguida de possibilidade de atendimento individual para esclarecimento de questões relativas a este tema.

Mafalda Sebastião é coordenadora do Polo Cultural Gaivotas | Boavista, que integra a Loja Lisboa Cultura, da Câmara Municipal de Lisboa. Foi Professora de Produção I na Licenciatura em Artes Performativas, na Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa (ESTAL), Produtora no São Luiz Teatro Municipal, de 2007 a 2016, e advogada na EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EM, entre 2003 e 2006. Dedica-se, como jurista, desde 2002, aos ramos do Direito do Trabalho e do Direito da Cultura, incluindo da Propriedade Intelectual. 

A inscrição é até 21 de setembro, por ordem de chegada (limite de 30 participantes) e será confirmada por e-mail.

Inscrições através do FORMULÁRIO 

A 2.ª fase do programa de formação no âmbito do APA - Apoio a Produtores e Artistas do Alkantara e do Plano de Formação do Polo Cultural Gaivotas | Boavista/Loja Lisboa Cultura, decorre entre setembro e dezembro de 2018. A formação é gratuita, sujeita a inscrição prévia para cada uma das sessões, e dirigida a todos os profissionais do sector cultural.

Galileu promove desenvolvimento de competências empresariais e comportamentais com workshops gratuitos

Integrados na rentrée profissional de setembro

 

 

A GALILEU, empresa especialista em formação do Grupo Rumos, vai promover, durante o mês de setembro workshops gratuitos nas áreas de competências empresariais e comportamentais. Os workshops decorrerem nas lojas FNAC das cidades Almada, Braga, Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia e Viseu.

Stop Giving Feedback, Instead Give Feedforward: Dar feedback com olhos postos no futuro; The Magic of Enchanting Customers: Conquistar a fidelização através do encantamento dos clientes; Turn Difficulties Into Solutions: Intra-empreendedorismo como estratégia de liderança e Social Media Recruit: Atrair e recrutar talentos através das redes sociaissão os temas dos workshops, cujo principal propósito é ajudar os participantes a alcançar o sucesso profissional tendo em conta as circunstâncias do mercado de trabalho atual.

Os workshops encontram-se integrados na campanha de Regresso às Aulas da FNAC, são de participação gratuita e não carecem de pré-inscrição. Todos os participantes recebem um certificado de participação e um voucher de 75€ em formação, válido na oferta formativa dos centros GALILEU.

Mais informação disponível em: https://www.galileu.pt/.

 

WORKSHOPS

Stop Giving Feedback, Instead Give Feedforward: Dar feedback com olhos postos no futuro

O feedforward é uma ferramenta comunicacional cada vez mais importante: em vez de apenas dar feedback depois de consumado um projeto, dê à sua equipa, desde o início, o feedforward, que os irá ajudar a tirar partido dos seus pontos fortes e canalizar energias para se desenvolverem nas áreas onde mais necessitam. Trata-se de comunicar com os colaboradores de forma positiva, dar sugestões de desenvolvimento e de olhos no futuro, de forma construtiva e orientada, com objetivos alcançáveis.

Fnac Almada Fórum | 03 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Colombo | 10 Set | das 17h00 às 18h00

Fnac Chiado | 14 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Gaia Shopping | 20 Set | das 19h00 às 20h00

Fnac Vasco da Gama | 21 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Norte Shopping | 26 Set | das 18h30 às 19h30

 

The Magic of Enchanting Customers: Conquistar a fidelização através do encantamento dos clientes

Adquira técnicas que permitam melhorar o relacionamento com os clientes, aumentar a sua satisfação e superar as suas expectativas, através da excelência no atendimento e no serviço prestado. Clientes encantados são clientes fidelizados.

Fnac Chiado | 06 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Colombo | 11 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Braga | 12 Set | das 16h00 às 17h00

 

Turn Difficulties Into Solutions: Intra-empreendedorismo como estratégia de liderança

Saiba como ter uma atitude empreendedora na organização, dando a oportunidade aos colaboradores para desenvolver as suas próprias ideias e projetos. Colaboradores envolvidos são colaboradores mais motivados, satisfeitos e, consequentemente mais produtivos, que fazem aumentar a capacidade de inovação e competitividade da organização.

Fnac Colombo | 04 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Almada Fórum | 05 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Braga | 13 Set | das 16h00 às 17h00

Fnac Chiado | 18 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Gaia Shopping | 21 Set | das 19h00 às 20h00

Fnac Viseu | 28 Set | das 18h00 às 19h00

 

Social Media Recruit: Atrair e recrutar talentos através das redes sociais

Porque utilizar a expressão “somos uma empresa prestigiada” já não basta para atrair e recrutar talentos para a organização, é necessário ir mais além e adequar o anúncio ao público-alvo que queremos alcançar. Há que pensar no conteúdo da mensagem, bem como no meio em que a queremos divulgar, porque o antigo anúncio no jornal já não é suficiente. As redes sociais podem ser uma solução eficaz, quando utilizadas de forma adequada, de acordo com o perfil dos talentos que queremos atingir.

Fnac Colombo | 13 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Norte Shopping | 20 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Chiado | 24 Set | das 18h30 às 19h30

Fnac Gaia Shopping | 26 Set | das 19h00 às 20h00

Fnac Vasco da Gama | 29 Set | das 16h00 às 17h00