Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição "O Fazer da Pintura" | Ricardo Marcelino

RICARDO MARCELINO

O FAZER DA PINTURA

111f142f-faf7-4e1c-9ef5-912e2118fee5.jpg

 

© Ricardo Marcelino, Paisagem à noite", 2020 

 

Inauguração:  quinta-feira, 12 novembro | 12:30h às 20:00h


Exposição:  13 novembro a 18 dezembro 2020 | Segunda a Sexta, 14h30 - 19h

Espaço Camões da Livraria Sá da Costa

Largo de Camões 22, 4º Dt., 1200-994 Lisboa

 

No próximo 12 de novembro, entre as 12:30h e as 20:00h, inaugura a exposição "O Fazer da Pintura" do artista Ricardo Marcelino, no Espaço Camões da Livraria Sá da Costa.

Nesta exposição o artista mostra-nos um conjunto de pinturas recentes sobre diferentes suportes, com técnicas e formatos variáveis; auto-retratos, retratos, objectos quotidianos e paisagens que refletem sobre a formação da identidade. Obras muito texturadas e matéricas que revelam uma aturada insistência no fazer da pintura, refletindo sobre o tópico da representação e da constituição do símbolo.

"Esta mostra é sobre uma viagem. Viagem de elementos aparentemente aleatórios, que são espasmos, reflexos de uma actividade imersiva de atelier. A aleatoriedade é algo que o trabalho prático exigiu, para que se mantivesse uma busca plenamente subjectiva em toda a sua objectividade.(...)

No início, o pintor observou objectos presentes no atelier, figurados nas primeiras pinturas, e que são sobre a afecção do seu olhar, logo após tê-los esboçado, desenhando em papéis de vários formatos. Depois de perceber a inerência da figura pintada, passou para a pintura de retrato, retratando as pessoas próximas. Numa identificação cada vez maior com o que observava, relevava-se assim a coincidência do visto com aquele que vê, progressivamente demorando cada vez mais em cada pintura para uma depuração crescente dessa identificação. Foi aumentada a escala de uma paisagem, na esperança não expectante de depurar esse fazer demorado (...).”

Ricardo Marcelino in Dissertação de Mestrado em Pintura, julho 2020

Organizada pela Ocupart e pela Sá da Costa Arte esta exposição poderá ser visitada até 18 dezembro, de segunda a sexta, das 14h30 às 19:00 horas, no Espaço Camões da Livraria  Sá da Costa, localizada no Largo de Camões, 22, 4º Dt., 1200-994 Lisboa, ou noutro horário mediante marcação prévia para geral@ocupart.pt / a.sadacosta.mi@gmail.com.

 

Ricardo Marcelino, nasceu em Lisboa 1990, onde vive e trabalha.

Licenciado em Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, em 2017, Ricardo Marcelino obteve  o grau de  Mestre em Pintura, em 2020, na mesma faculdade.

Exposição Individual:
“Da Pintura”, Galeria Monumental, Lisboa 2017; 
 
Exposições Colectivas:
“Fourth Room: oucupação da casa da dona Laura, Campolide, Lisboa, 2018”
“O Escritório”, Conde Redondo, Lisboa 2018; “Locus 19”, Santos, Lisboa 2018;
“A dispensa”, CHLP Julio de Matos, Lisboa 2017;
“Pequenos Formatos”, Galeria Monumental, Lisboa 2016;
“Prémio Paula Rego”, Casa das Histórias Paula Rego, Cascais 2016;
Exposição colectiva na Galeria Shair (Braga) 2013

 

Organizada pela Ocupart e pela Sá da Costa Arte, a exposição poderá ser visitada até 18 de dezembro, no Espaço Camões da Livraria Sá da Costa, de segunda a sexta das 14h30 às 19:00h, ou noutro horário mediante marcação para geral@ocupart.pt ou a.sadacosta.mi@gmail.com.

 

"Paisagem à noite", 2020
 óleo sobre tela, 30 x 40 cm

 
 
Ocupart I Arte em Espaços Improváveis
Praça Luís de Camões, 22, 4º andar, 1200-243 Lisboa 

Festival World Academy | 13 a 16 e 18 Outubro | Convite

imagem
 
imagem
FESTIVAL WORLD ACADEMY 2020
O Festival World Academy é um grande evento aberto a toda a comunidade da escola e ao público em geral e que este ano decorre de 13 a 16 e 18 de OutubroTem como objetivo principal colocar em prática as aprendizagens adquiridas pelos alunos e mostrar os melhores trabalhos, desenvolvidos ao longo do ano letivo.

A programação, produção e promoção estão a cargo das turmas dos cursos de Produção de Eventos e Espetáculos e de Produção e Promoção de Música. Tal como nos anos anteriores a programação aposta na multiculturalidade e na diversidade de temas e trabalhos apresentados. 

Esta será a 5ª edição e este ano o Festival atravessa a rua e ocupa o Teatro Ruy de Carvalho em Carnaxide.

Os bilhetes já estão à venda em Blue Ticket e tem um custo de 4€ cada evento.

Pecados de Juventude - 23 e 24 de outubro | Montijo e Lisboa

884858fc-c818-45b1-a652-415ec2ad4195.jpg

 

PECADOS DE JUVENTUDE
Orquestra Metropolitana de Lisboa
 
Sem sobressaltos, adivinha-se um agradável serão de outono na antiga Quinta das Laranjeiras na companhia dos músicos da OML e de três grandes compositores. Serão tocadas obras de Mozart e de Mendelssohn escritas em tenra idade, mas que vaticinam sem mácula os lugares de honra que a História da Música hoje lhes reserva. Entre os doze e os catorze anos de idade, Mendelssohn compôs doze sinfonias para cordas. Não se confundem com as outras cinco completadas mais tarde para formação orquestral completa, mas transcendem quaisquer exercícios de aprendizagem, ou não seriam tão frequentemente programadas nas salas de concerto dos nossos dias. Também precoce, Mozart contava apenas dezasseis anos quando completou os divertimentos que se conhecem hoje pelo nome de Sinfonias de Salzburgo. De humor certeiro, destinadas a circunstâncias de entretenimento informais, destaca-se entre elas o KV 136, por se ser tornado numa das páginas mais célebres de todo o repertório clássico. Pelo meio, temos ainda a oportunidade de ouvir o primeiro concerto para trompa de Haydn, uma sábia combinação de elegância e virtuosismo que só o então recém-contratado Mestre de Capela da família Eszterházy poderia ter assinado.
 

Sexta-feira, 23 de outubro, 21h30, Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida, Montijo
Sábado, 24 de outubro, 21h00, Teatro Thalia

F. Mendelssohn Sinfonia para Cordas N.º 1
J. Haydn Concerto para Trompa e Orquestra N.º 1, Hob. VIId:3
F. Mendelssohn Sinfonia para Cordas N.º 6
W. A. Mozart Divertimento para Cordas, KV 136

 

Daniel Canas trompa
José Pereira violino e direção musical

Exposição ORDEM MILITAR DA TORRE E ESPADA - 80 ANOS DO GRANDE-COLAR

OrdemTE_3.JPG

 

Por ocasião dos 80 anos do Grande-Colar da Ordem Militar da Torre e Espada (2019), o Museu organiza uma exposição evocativa da condecoração mais alta do Estado português. 
O Presidente da República é por inerência o Grão-Mestre das Ordens Honoríficas Portuguesas, que se constituem como um dos núcleos permanentes do Museu e, portanto, uma área de interesse e investigação da colecção.
Na exposição, pode acompanhar a evolução e história da condecoração, conhecer o seu valor simbólico e todos os agraciados, bem como, o seu valor artístico e os experientes artífices que lhe dão forma.
EXPOSIÇÃO - ORDEM MILITAR DA TORRE E ESPADA - 80 ANOS DO GRANDE-COLAR
LOCAL - Museu da Presidência da República
DATA - 1 de agosto a 1 de novembro
HORÁRIO - 10h00 às 13h00 e 14h00 às 18h00
Entrada incluída no bilhete do Museu
Contactos - 21 361 46 60 | museu@presidencia.pt | sítio web | facebook

Lourenço de Castro | Plantar um jardim dentro de uma Janela


LOURENÇO DE CASTRO


PLANTAR UM JARDIM DENTRO DE UMA JANELA

c15096c6-f924-402d-8858-66825fc5dc7e.jpg

 

 

© Lourenço de Castro

 

Inauguração:  quinta-feira, 12 novembro | 12:30h às 20:00h


Exposição:  13 novembro a 18 dezembro 2020 | Segunda a Sexta, 14h30 - 19h

Espaço Camões da Sá da Costa

Largo de Camões 22, 4º Esq., 1200-994 Lisboa

 

No próximo 12 de novembro, entre as 12:30h e as 20:00h, inaugura a exposição "Plantar um jardim dentro de uma janela" do artista Lourenço de Castro, no Espaço Camões da Sá da Costa.

Nesta exposição o artista apresenta uma série de sequências narrativas visuais, dispostas no espaço de um modo linear.

"As séries agrupadas por afinidades visuais exploram, cada uma à sua maneira, a transformação de um modo de constituir uma imagem, sugerindo assim movimento, deslocação.
As imagens, consideradas individualmente, têm uma composição orgânica e são sempre o resultado da sobreposição de camadas, tanto visuais como matéricas. A noção de limite, de janela, de limiar para outro espaço, é uma constante e é um elemento estruturante na constituição da cada imagem, enquanto sistema pictórico.  
Por fim, a ideia de jardim sugere a possibilidade de um desenvolvimento orgânico infinito, neste caso, enquadrado por um legado cultural associado à ideia de Janela.”
 
Lourenço de Castro

Organizada pela Sá da Costa Arte e pela Ocupart, esta exposição poderá ser visitada até 18 dezembro, de segunda a sexta, das 14h30 às 19:00 horas, no Espaço Camões da Sá da Costa, localizada no Largo de Camões, 22, 4º Esq., 1200-994 Lisboa, ou noutro horário mediante marcação prévia para a.sadacosta.mi@gmail.com ou geral@ocupart.pt.

 

Lourenço de Castro, nasceu em Lisboa 1972, onde vive e trabalha.

Concluiu a Licenciatura em Arquitetura, na Universidade Lusíada – Lisboa, em 1996. No âmbito das artes visuais, concluiu o Curso Regular de Pintura em 2000, e depois em 2002, o Curso Avançado de Artes Plásticas, ambos no Ar.Co (centro de arte & comunicação visual).
 
Tem exposto regularmente desde o início do século, sendo estas as suas últimas exposições:
 
Individuais: 
‘’Becoming Screen’’, na Galeria Monumental em Lisboa, 2018;
‘’Atlas 2009 / 2017’’, na Galeria da Livraria Sá da Costa em Lisboa, 2017; 
‘’Dust is everywhere”, no Museu Geológico em Lisboa, 2016; 
“Sem Estilo – Modo Heterogéneo”, na Fundação D. Luís I em Cascais, 2015; 
 
Coletivas: 
12º Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, Amarante, em 2020; 
Drawing Room Madrid 2020; 
Drawing Room Madrid 2019; 
JustLX - Lisboa Contemporary Art Fair, em 2018; 
“Apropriação, Desejo e Memória", XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira, em 2017.

CCB | POP DELL'ARTE apresentam Transgressive Days > 8 outubro | 21h | Grande Auditório

image004.jpg

Pop Dell’Arte

Transgressive Days

 

Voz João Peste

Guitarra Paulo Monteiro

Baixo Zé Pedro Moura

Bateria Ricardo Martins

 

CCB  8 outubro ▪ quinta-feira  21h  Grande Auditório

image005.jpg

Transgressio Global, que se estreia em concerto no CCB, é o primeiro álbum em dez anos dos Pop Dell’Arte. É uma excursão através dos tempos pelo espírito transgressivo que insuflou a cultura europeia. In Different Times (At The Same Time) sintetiza o espírito dos restantes 21 temas e faz uma panorâmica romântica e satírica sobre a eternidade, envolvendo Gilgamesh, Timóteo, Vénus, Marte, Zeus, Khrishna – todos a escutarem Sonic Youth na rádio! O disco inicia-se com Em Creta, numa variação do poema de Sophia de Mello Breyner Andresen, e termina com uma lânguida prova de vinhos na colina romana de Aventino. Pelo meio há versões musicadas de um poema romano (cantado em latim), outro de tradição anacreôntica (cantado em grego) e Cá nesta Babilónia, de Camões, assim como uma cantiga de intervenção do activista chileno Víctor Jara, El Derecho De Vivir En Paz.

 

Freaky Dance evoca os anos 1970 do glam e do punk, enquanto Psycho-Urban-Jungle Rock é o regresso aos anos do trip-hopStyle Is The Answer (To Almost Everything) enumera nomes de estilistas e modelos e mais parece uma paródia ao som dos anos 1980, tal como era praticado pelos Felt ou pelas bandas da editora 4AD. Há colagens com a música de Arvo Pärt e as palavras de Foucault; encontros surrealistas de dança, ora com o deus Apolo, ora com o Minotauro num encontro futurista com Picasso; há também um tema sobre «arquitectura panóptica para ruas vazias numa cidade silenciosa», assim como canções com «hermafroditas» e amantes pós-românticos. A maior paródia de todas é The King of Europe. Em atmosfera barroca de concerto das nações, os tecnocratas europeus são investidos da pompa de Luís XIV para decretarem: «L’Europe c’est moi!» Tantas referências a figuras e personagens da cultura ocidental não fazem esquecer o prazer dos Pop Dell’Arte em continuarem a fazer música pop. Para dançar.

Conversa entre João Peste e Rui Catalão em fevereiro de 2020.

 

 

 

 

 

 

 

 

Novos ateliers para crianças em Outubro no Museu da Farmácia

 

 

Durante o mês de Outubro, o Museu da Farmácia, em Lisboa e no Porto, promove novas actividades dirigidas aos mais novos. Vários ateliers educativos abordam temas como a alimentação saudável, a higiene oral, a importância da higienização das mãos e de como os vírus se transmitem. Há ainda uma actividade especial dirigida ao Halloween, em que as crianças são convidadas a descobrir a magia da ciência.

 

  • Atelier “Brigada Antivírus”

Este atelier ensina às crianças a importância de terem as mãos bem lavadas para se protegerem dos vírus. As crianças vão aprender como os vírus se transmitem, conhecer formas de evitar a contaminação por microrganismos e compreender a razão pela qual devemos cobrir a boca e o nariz quando espirramos ou tossimos. De seguida, transformam-se em verdadeiros cientistas e fabricam o seu próprio álcool gel, que podem levar para casa.

Decorre a 10 de Outubro, às 15 horas, no Museu da Farmácia do Porto, e às 16h15 no Museu da Farmácia de Lisboa. O atelier tem uma duração de 50 minutos e um preço de 5,00€.

 

  • Atelier Alimentação Saudável

Nesta actividade, as crianças vão conhecer os vários grupos alimentares tendo por base a roda dos alimentos, os seus benefícios e perceber a importância de confeccionar refeições equilibradas nutricionalmente, valorizando todos os grupos e as proporções ideais entre eles.

Decorre a 17 de Outubro, às 15 horas, no Museu da Farmácia de Lisboa e do Porto. O atelier tem um preço de 5,00€ e uma duração de 50 minutos.

 

  • Atelier Higiene Oral

O atelier ensina às crianças a estrutura e composição dos dentes e a correcta utilização da pasta de dentes e do fio dental. De seguida, os pequenos cientistas vão fabricar a sua própria pasta de dentes, que podem levar para casa.

A atividade acontece no dia 24 de Outubro, às 15 horas, no Museu da Farmácia de Lisboa e do Porto, tem uma duração de 50 minutos e um preço de 5,00€.

 

  • Halloween no Museu da Farmácia

Neste Halloween, o Museu da Farmácia convida os mais pequenos a embarcar numa viagem pelo mundo encantado dos magos e alquimistas. Através da descoberta de poções mágicas e pós misteriosos, as crianças vão compreender que, muitas vezes, aquilo que parece magia é na verdade ciência.

A iniciativa acontece no dia 31 de Outubro, às 15 horas, no Museu da Farmácia de Lisboa e do Porto. Tem um preço de 6,00€ e uma duração máxima de 50 minutos.

 

Agenda:

10 de Outubro, 15h: Atelier “Brigada Antivírus”, Museu da Farmácia do Porto
10 de Outubro, 16h15: Atelier “Brigada Antivírus”, Museu da Farmácia de Lisboa

17 de Outubro, 15h: Atelier Alimentação Saudável, Museu da Farmácia Lisboa e Porto

24 de Outubro, 15h: Atelier Higiene Oral, Museu da Farmácia Lisboa e Porto

31 de Outubro, 15h: Halloween no Museu da Farmácia, Museu da Farmácia Lisboa e Porto

 

 

As actividades educativas são dirigidas a crianças com idade superior a cinco anos (acompanhados por um adulto), sendo necessário proceder a uma pré-inscrição através de envio de e-mail para museudafarmacia@anf.pt

 

Maat celebra 4.º aniversário com três dias de entrada livre

 

 

O maat – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia celebra o seu 4º aniversário no fim de semana de 3 a 5 de outubro, com três dias de entrada livre no maat e na Central, entre as 11:00 e as 19:00.

A par das visitas às exposições patentes nos dois edifícios – incluindo as recém inauguradas Ballad of Today, de André Cepeda e Festa. Fúria. Femina. – obras da Coleção FLAD – a programação inclui também visitas guiadas aos jardins do campus da Fundação EDP e visitas temáticas de arquitetura. Música itinerante com Farra Fanfarra e Swing na Guelra, teatro para crianças, oficinas e conversas compõe as propostas para este fim de semana. 

As várias atividades têm lotação limitada de forma a garantir o plano de segurança e a seguir as recomendações da DGS e da legislação em vigor no âmbito das medidas de prevenção da COVID – 19. 

O maat foi inaugurado no dia 5 de outubro de 2016. Da autoria da arquiteta inglesa Amanda Levete, o novo edifício situa-se na frente ribeirinha da zona história de Belém, convivendo com a Central Tejo, um dos exemplos nacionais de arquitetura industrial da primeira metade do século XX.

Programação detalhada emwww.maat.pt

 

 

Manuel Dordio e Joana Linda apresentam "Dor" em filme-concerto no Cinema Ideal > 13 de Outubro


Manuel Dordio apresenta álbum Dor em concerto
com projecções vídeo de Joana Linda 
no Cinema Ideal

8919dd87-8b1b-44dc-861f-4882a18d5bba.png

 


Após ter lançado o primeiro álbum a solo - Dor - no período de confinamento, Manuel Dordio apresenta-o agora ao vivo, num concerto acompanhado por um filme de Joana Linda, realizado propositadamente para esta ocasião. Dia 13 de Outubro, às 22:00, no Cinema Ideal, em Lisboa.

Editado com o apoio da Fundação GDA, em Dor, Manuel Dordio explora territórios sonoros íntimos e ambientais à guitarra. Com composição, guitarras, electrónica e gravação de Manuel Dordio, a mistura e masterização do disco foram da responsabilidade de Pedro Faro, do Silver Donkey Studio.

Os dois primeiros videoclips, realizados por Joana Linda, são Caldo Layla, feitos a partir de imagens de duas viagens, que fazem parte do arquivo da realizadora.

Tanto os vídeos como a imagem gráfica de Dor são da autoria da fotógrafa e realizadora Joana Linda. A linha condutora é uma polaroid escolhida por Manuel Dordio para capa do disco. Uma imagem abstracta e pouco nítida onde se vislumbra parte de uma estrada e alguns ramos de árvores. A partir daí foi criado um universo onírico que junta imagens de natureza e animais, retiradas do arquivo pessoal da realizadora, e a manipulação digital, da mesma forma que no disco se juntam as guitarras e os sintetizadores.

Os bilhetes para o filme-concerto custam 8€ (preço único) e estão à venda no Cinema Ideal.

O disco está à venda em formato CD e digital, disponível no Bandcamp e demais plataformas. 

Ficha artística:
Guitarra - Manuel Dordio
Vídeo arte - Joana Linda