Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Gastão Cruz distinguido com o Grande Prémio de Poesia Maria Amália Vaz de Carvalho

 

 

Um júri constituído por António Carlos Cortez, Fernando J. B. Martinho e Rita Patrício decidiu, por maioria, atribuir o Grande Prémio de Poesia “Maria Amália Vaz de Carvalho” APE/Câmara Municipal de Loures ao livro Existência, de Gastão Cruz (Assírio & Alvim), tendo Fernando J. B. Martinho votado no livro A Noite Imóvel, de Luís Quintais.

Nesta 1.ª edição do Grande Prémio de Poesia “Maria Amália Vaz de Carvalho, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores patrocinado pela Câmara Municipal de Loures, concorreram, as obras saídas no ano de 2018, e a título excepcional, 2017.

O valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de € 12.500,00 (doze mil e quinhentos euros).

A data da cerimónia de entrega do prémio será oportunamente anunciada.                                                                               

 

Gastão Cruz - Poeta e ensaísta português, Gastão Cruz nasceu em 1941, na cidade de Faro, no Algarve, e licenciou-se pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em Filologia Germânica. Professor do ensino secundário, o autor exerceu paralelamente, entre 1980 e 1986, a carreira de leitor de Português no King's College de Londres e dirigiu, nos anos 70 a 90, após a morte de Carlos Ferreira, o grupo de teatro Teatro Hoje/Teatro da Graça que ajudou a fundar. O gosto pelo teatro e pelo mundo da poesia "empurra-o" para a tradução de títulos dramáticos de, entre outros autores, Strindberg, Shakespeare (Conto de Inverno) e Cocteau e para a organização de recitais dramatizados que proporcionam uma intensa divulgação poética. Ainda muito jovem, com apenas 19 anos, Gastão Cruz, manifestando já um grande apego pelo texto poético, publica o seu primeiro livro, A Morte Percutiva, no volume colectivo intitulado Poesia 61, que compila textos de uma plêiade de cinco jovens poetas: Casimiro de Brito, Fiama Hasse Pais Brandão, Luiza Neto Jorge e Maria Teresa Horta. (…) As suas obras são caracterizadas pela contenção quantitativa, sendo assim reduzido o número de textos que compõem cada volume. Ao contrário, cada um destes textos são portadores de uma grande densidade de significação e formam entre si uma unidade que se estrutura como uma teia. (…) Acreditando que a poesia deve conter um "discurso autónomo", correspondendo a um "sistema com as suas leis próprias", Gastão Cruz considera que esta deve resultar de um trabalho de composição consistente e rigoroso. (…) em 2000 recebeu o Prémio D. Dinis. 

Atribuição do Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho a Joana Matos Frias

image012.png

 

Um júri constituído por Cândido Oliveira Martins, Isabel Cristina Rodrigues e José Carlos Seabra Pereira decidiu, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Ensaio “Eduardo Prado Coelho” APE/C.M de Vila Nova de Famalicão ao livro O Murmúrio das Imagens, de Joana Matos Frias (editado em 2 volumes pela Afrontamento).

 

Da acta destaca-se: “…. O júri foi particularmente sensível à solidez e clareza da fundamentação teórica aduzida sobre um tema tão complexo (a relação multisecular entre imagem e poesia), fundamentação esta posteriormente canalizada par a (a todos os níveis) notável leitura crítica da obra poética de Ruy Cinatti.”

 

O Grande Prémio de Ensaio “Eduardo Prado Coelho”, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores patrocinado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, destina-se a galardoar anualmente uma obra de ensaio literário, em português e de autor português, publicada em livro, em primeira edição, no decurso do ano de 2018.

 

O valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de € 7.500,00 (sete mil e quinhentos euros) e desde de 2010 distinguiu já Victor Aguiar e Silva, Manuel Gusmão, João Barrento, Rosa Maria Martelo, José Gil, Manuel Frias Martins, José Carlos Seabra Pereira, Isabel Cristina Rodrigues e Helder Macedo.

 

A data da cerimónia de entrega do prémio será oportunamente anunciada.

                                                                                

A Direcção

 

Nota Biográfica

Joana Matos Frias é Professora Auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade do Porto – onde se doutorou em 2006 com a dissertação Retórica da Imagem e Poética Imagista na Poesia de Ruy Cinatti –, membro do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa e da Sociedade Portuguesa de Retórica, e investigadora da rede internacional LyraCompoetics. Autora do livro O Erro de Hamlet: Poesia e Dialética em Murilo Mendes (7letras, 2001) – com que venceu o Prémio de Ensaio Murilo Mendes –, responsável pela antologia de poemas de Ana Cristina César Um Beijo que Tivesse um Blue (Quasi, 2005), corresponsável (com Luís Adriano Carlos) pela edição fac-similada dos Cadernos de Poesia (Campo das Letras, 2005), e (com Rosa Maria Martelo e Luís Miguel Queirós) pela antologia Poemas com Cinema (Assírio & Alvim, 2010). Tem publicado ensaios no campo da Estética Comparada – privilegiando as correlações entre a poesia, a pintura, a fotografia e o cinema –, e a sua actividade crítica tem-se repartido por autores como Ronald de Carvalho, Cecília Meireles, C. Drummond de Andrade, Guimarães Rosa, Clarice Lispector, Murilo Mendes, J. Cabral de Melo Neto, Adélia Prado, José Régio, José Gomes Ferreira, Eugénio de Andrade, Vergílio Ferreira, Nuno Guimarães, Ruy Belo, Fiama Hasse Pais Brandão, Armando Silva Carvalho, Manuel António Pina, Daniel Faria, Vasco Gato, valter hugo mãe e José Miguel Silva. Em 2014, publicou a colectânea de ensaios Repto, Rapto.

Fonte: https://www.wook.pt/autor/joana-matos-frias/3343417

 

Afonso Cruz distinguido com o Grande Prémio de Literatura de Viagens Maria Ondina Braga

image004.jpg

 

Um júri, coordenado por José Manuel Mendes, constituído por Guilherme d’Oliveira Martins, Isabel Cristina Mateus e Teresa Carvalho atribuiu, por unanimidade, o Grande Prémio de Literatura de Viagens Maria Ondina Braga ao livro Jalan Jalan, de Afonso Cruz (Companhia das Letras).

 

Da acta do júri consta: “…por unanimidade, deliberou o júri atribuir ao Grande Prémio de Literatura de Viagens Maria Ondina Braga na edição do ano em curso à obra Jalan, Jalan de Afonso Cruz, destacando a coerência, a fluidez narrativa e a consistência de uma leitura do mundo a partir da temática da viagem de que é um interprete privilegiado.”

 

Nesta 2.ª edição da Grande Prémio de Literatura de Viagens Maria Ondina Braga, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Braga, concorreram, as obras saídas no ano de 2018, e a título excepcional, 2017.

 

O valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de € 12.500,00.

 

A cerimónia de entrega do prémio será anunciada oportunamente.

Hélia Correia recebe no dia 22 de Julho o Grande Prémio de Romance e Novela

image006.jpg

 

A Associação Portuguesa de Escritores informa que a cerimónia pública de entrega do Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB – 2018 terá lugar no próximo dia 22 de Julho, pelas 18 horas, na sala 1 da Fundação Calouste Gulbenkian, à escritora galardoada, Hélia Correia pelo seu livro Um Bailarino na Batalha (Relógio D’Água).


O Prémio, actualmente de 15.000 euros, teve como coordenador do júri, José Manuel de Vasconcelos, e foi constituído por Clara Rocha, Cristina Robalo Cordeiro, Fernando Pinto do Amaral, Maria de Lurdes Sampaio e Salvato Teles de Menezes.

 

A sessão conta com a Presidência da Senhora Ministra da Cultura, Dr.ª Graça Fonseca.

Vencedor do Grande Prémio de Romance e Novela - 2018

GRANDE PRÉMIO DE ROMANCE E NOVELA

APE/DIRECÇÃO-GERAL DO LIVRO, DOS ARQUIVOS E DAS BIBLIOTECAS – 2018

 

A Direcção da Associação Portuguesa de Escritores (APE) informa que o Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB – 2018, foi atribuído ao romance

image011.jpg

Um Bailarino na Batalha

de Hélia Correia

(Relógio D’Água)

 

O júri, coordenado por José Manuel de Vasconcelos, e constituído por Clara Rocha, Cristina Robalo Cordeiro, Fernando Pinto do Amaral, Maria de Lurdes Sampaio e Salvato Teles de Menezes, deliberou, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB à obra Um Bailarino na Batalha, num conjunto de 79 livros admitidos a concurso.

 

O Prémio, actualmente de 15.000 euros, foi já atribuído a 31 autores, tendo-o obtido por duas vezes os escritores, Vergílio Ferreira, António Lobo Antunes, Mário Cláudio, Agustina Bessa-Luís, Maria Gabriela Llansol e Ana Margarida de Carvalho. O Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB, instituído em 1982, teve, nesta 37.ª edição, os seguintes patrocínios: Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Câmara Municipal de Grândola, Fundação Calouste Gulbenkian, Instituto Camões.

 

 

Hoje, na Biblioteca Palácio Galveias - Centenário do Nascimento de Jorge de Sena

Jorge de Sena.jpg frente.jpg

 

 

Hoje, na Biblioteca Palácio Galveias, pelas 18h00 a Associação Portuguesa de Escritores vai dar início à 1.ª sessão do ciclo comemorativo dos centenário de nascimento do Jorge de Sena com "Sinais de Fogo: O livro e o filme", com a participação de José Manuel Mendes, Luís Filipe Rocha e Luís Machado. No final do debate será exibido o filme:

SINAIS DE FOGO de Luís Filipe Rocha
Com: Diogo Infante, Marcantonio Del Carlo, Ruth Gabriel
Classificação: M/12 | Género: romance, Drama | Duração: 101’ | Ano: 1995

 

A sessão de entrada livre mereceu o apoio da Antena 1.

 

Lídia Jorge vence XXIV Grande Prémio de Literatura dst

Estuário - Lídia Jorge.jpg

 

*Prémio, no valor de 15 mil euros, será entregue no dia 28 de junho, no Theatro Circo, no âmbito da inauguração da Feira do Livro de Braga

 

A escritora portuguesa Lídia Jorge é a vencedora do XXIV Grande Prémio de Literatura dst, com a obra “Estuário”, publicada em Maio de 2018. O prémio no valor de 15 mil euros será entregue no próximo dia 28, no âmbito da inauguração da Feira do Livro, em Braga.

O júri, composto por Vítor Aguiar e Silva, José Manuel Mendes e Carlos Mendes de Sousa, figuras de relevo no meio literário nacional e com os quais o dstgroup tem vindo a contar desde a génese do prémio, justifica a escolha deste romance “pela elevada qualidade da sua escrita, absorvendo e reelaborando fragmentos de um quotidiano mutacional, com fortes sequências efabulatórias e personagens com notória densidade social e psicológica”.

A XXIV edição do Grande Prémio de Literatura dst, dedicada a publicações em prosa, registou este ano cerca de uma centena de participações de autores portugueses, entre as quais foram selecionadas cinco finalistas. “Ecologia”, de Joana Bértholo, “Burgueses Somos Todos Nós ou Ainda Menos”, de Mário de Carvalho - vencedor da X edição do Grande Prémio de Literatura dst -, “Um Bailarino na Batalha”, de Hélia Correia, “Estuário”, de Lídia Jorge, e “Um Muro no Meio do Caminho”, de Julieta Monginho, foram os títulos que chegaram à fase final deste prémio anual, cujo funcionamento rotativo distingue num ano um livro de poesia publicado em primeira edição no biénio anterior, e, no ano seguinte, um título em prosa saído, também, no biénio que o precedeu.

“Estuário”, de Lídia Jorge, é um livro que retrata a vulnerabilidade de um homem, de uma família, de uma sociedade e do próprio equilíbrio da Terra, relatados pelo olhar de um jovem sonhador que se interroga sobre a fragilidade da condição humana. 

O Grande Prémio de Literatura dst é já uma referência incontornável no panorama cultural português. Nestes últimos anos tem distinguido nomes como Jacinto Lucas Pires, Armando Silva Carvalho, Luísa Costa Gomes, ,Manuel Alegre e Mário Cláudio. Em 2018 venceu Daniel Jonas, com o livro de poesia “Oblívio”.

Sobre Lídia Jorge

Lídia Jorge nasceu em 1946, no Algarve. Da sua vasta obra destacam-se os romances O Dia dos Prodígios (1980), O Cais das Merendas (1982), Notícia da Cidade Silvestre (1984), os dois últimos distinguidos com o Prémio Cidade de Lisboa, A Costa dos Murmúrios (1988), um dos mais poderosos textos sobre a guerra colonial, adaptado ao cinema num filme de Margarida Cardoso, e O Jardim sem Limites (1995), distinguido com o Prémio Bordallo de Literatura da Casa da Imprensa. Em 1998 publica Vale da Paixão, distinguido com os prémios Dom Dinis, Bordallo, Ficção do Pen Club, Máxima de Literatura e o Prémio Jean Monet de Literatura Europeia – Escritor Europeu do Ano, tendo sido ainda finalista do International IMPAC Dublin Literary Award 2003. O seu romance O Vento Assobiando nas Gruas (2002) conquistou o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores e o Prémio Correntes d’Escritas, já o romance Combateremos a Sombra (2007) venceu o Prémio Charles Bisset (2008). 

Foi ainda vencedora do prestigiado prémio da Fundação Günter Grass, na Alemanha, ALBATROS (2006) e do Grande Prémio Sociedade Portuguesa de Autores – Millennium BCP. Em 2011, ano em que publica A Noite das Mulheres Cantoras, foi-lhe atribuído o Prémio da Latinidade João Neves da Fontoura, pela "consagração da sua obra como escritora que muito tem contribuído para o enriquecimento do património cultural e literário do Portugal contemporâneo". Em 2014 publica Os Memoráveis, em 2016 o texto para teatro Instruções para Voar e o livro de Contos O Amor em Lobito Bay. A sua obra encontra-se traduzida em muitas línguas e países, sendo recebida pelos críticos nacionais e internacionais com grande interesse. 

Sobre o dstgroup

O dstgroup é um grupo empresarial português, nascido em Braga, nos anos 40, que desenvolve a sua principal atividade na área da Engenharia & Construção, setor que lhe deu origem e no qual é um dos grupos nacionais de referência. Atento às exigências do mercado, diversificou a sua atividade para áreas de negócio sinérgicas com a sua atividade central, nomeadamente Ambiente, Energias Renováveis, Telecomunicações, Real Estate e Ventures, somando competências nas suas diversas empresas.

É um mecenas cultural por excelência, sendo o apoio à Cultura e à Arte parte indissociável do seu código genético, o que se reflete de forma mais visível na sua assinatura de marca building culture. Há quase 25 anos que promove o “Grande Prémio de Literatura dst”, de âmbito nacional, que se junta a outras iniciativas de apoio e de incentivo à leitura no seio do grupo e junto da comunidade, tendo lançado em 2019 a I edição do “Prémio de Literatura dstangola/Camões”.

Noite da Literatura Europeia regressa a Lisboa

image002.jpg

 

O evento literário mais internacional das Festas de Lisboa volta a encher as ruas já no próximo dia 8 de junho. Na sua 7.ª edição, a Noite de Literatura Europeia muda-se para a histórica Colina de Santana, em Arroios, e a entrada continua a ser gratuita.

Do romance à poesia, passando ainda pelas histórias de fantasia, a sétima edição da Noite da Literatura Europeia vai decorrer em 15 espaços na histórica Colina de Santana: entre a Galeria Monumental e o Paço da Rainha, passando pela Faculdade de Ciências Médicas e descendo às Carpintarias de São Lázaro.

Ao todo, são 14 os países representados nesta edição da Noite da Literatura Europeia, onde poderá encontrar nomes como Daniel Kehlmann (Alemanha), Judith Nika Pfeifer (Áustria), Dubravka Oraić Tolić (Croácia), Leopoldo María Panero (Espanha), Maria Turtschaninoff (Finlândia), Maylis de Kerangal (França), Christos Ikonomou (Grécia), John Banville (Irlanda), Enrico Ianniello (Itália), Olga Tokarczuk (Polónia), Fiona Mozley (Reino Unido), Kamil Bouška (República Checa) e Radu Paraschivescu (Roménia). A literatura portuguesa vai estar representada por João Tordo, que lançou recentemente o romance “A Mulher que Correu Atrás do Vento”.

A inauguração está agendada para as 18h00, nas Carpintarias de São Lázaro, e vai contar com a presença de um convidado especial – a Casa Fernando Pessoa. Entre as 19h00 e as 23h30 terão lugar as interpretações de excertos de obras europeias e leituras de poemas de várias origens, com uma duração de 10 a 15 minutos, e que se realizam de meia em meia hora para dar ao público a possibilidade de assistir às várias apresentações.

A Noite da Literatura Europeia é organizada pela EUNIC Portugal, conta com o apoio da Representação da Comissão Europeia em Portugal, e realiza-se no âmbito das Festas de Lisboa, em parceria com a EGEAC e a Junta de Freguesia de Arroios.

Pode consultar mais informações nas redes sociais da NLE, disponíveis aqui.

Pode descarregar o teaser da NLE em https://we.tl/t-DHTTfZKwOc

 

PROGRAMA:

ALEMANHA – Daniel Kehlmann

Devias ter-te ido embora | Du hättest gehen sollen

Intérprete: Ulisses Ceia

Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa: Sala Gabino Castro Gil

 

 

ÁUSTRIA – Judith Nika Pfeifer

entre | zwischen

Intérprete: Patrícia André

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Escadaria principal

 

 

CROÁCIA – Dubravka Oraić-Tolić

As Experiências do pequeno Carlos | Doživljaji Karla Maloga

Intérprete: Sandra Hung

Biblioteca de São Lázaro: Sala de Leitura Infantil

 

 

ESPANHA – Leopoldo María Panero

A canção do croupier do Mississípi e outros poemas | La canción del croupier del Missisippi y otros poemas

Intérprete: Blablalab

Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa: Sala Leocádia Boullosa Muñoz

 

 

FINLÂNDIA – Maria Turtschaninoff

Maresi

Intérprete: Ana Água

Biblioteca de São Lázaro: Salão Nobre

 

 

FRANÇA – Maylis de Kerangal

Um mundo mesmo à mão | Un monde à portée de main

Intérprete: Cátia Tomé

Galeria Monumental

 

 

GRÉCIA – Christos Ikonomou

As filhas do Vulcão |  Οι κόρες του Ηφαιστείου

Intérprete: Efthimios Angelakis

Escola Básica N.º 1 de Lisboa – Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves

 

 

IRLANDA – John Banville

Mrs. Osmond

Intérprete: Inês Lapa

Paço da Rainha: Sala D. João IV

 

 

ITÁLIA – Enrico Ianniello

A vida prodigiosa de Isidoro Sifflotin | La Vita Prodigiosa di Isidoro Sifflotin

Intérprete: Elmano Sancho

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Sala dos Atos

 

 

POLÓNIA – Olga Tokarczuk

Viagens | Bieguni

Intérprete: Alexandra Teles

Escola Básica N.º 1 de Lisboa – Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves, Sala 4

 

 

PORTUGAL – João Tordo

A mulher que correu atrás do vento

Intérpretes: Ana Jordão e Vanessa Marques Oliveira

NOVA Medical School – Pólo de Investigação: Biblioteca

 

 

REINO UNIDO – Fiona Mozley

Elmet – Vidas desencantadas | Elmet

Intérprete: Hugo Bettencourt

Paço da Rainha: Biblioteca da Academia Militar

 

 

REPÚBLICA CHECA – Kamil Bouška

Inventário | Inventura

Intérprete: Tiago Patrício

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Sala dos Conselhos

 

 

ROMÉNIA – Radu Paraschivescu

Com o coração arrancado do peito | Cu inima smulsă din piept

Intérprete: Rui Zink

NOVA Medical School – Pólo de Investigação: Auditório Professor Doutor Manuel Machado Macedo

 

Convidado especial: CASA FERNANDO PESSOA

A língua às portas do céu da boca

Poetas: Golgona Anghel, José Luiz Tavares, Margarida Vale de Gato, Miguel Cardoso, Marta Chaves e Vasco Gato

Carpintarias de São Lázaro

 

Está a chegar mais uma Noite da Literatura Europeia

 

Conversas com Autores da Noite da Literatura Europeia

Evento: Conversa de Autores

Data: 7 de junho de 2019

Local: Auditório da Fundação José Saramago

Horário: início às 15h30

 

O Auditório da Fundação José Saramago vai ser palco de uma partilha de testemunhos com alguns dos autores e atores/atrizes daquele que é considerado o evento literário mais internacional das Festas de Lisboa. A Conversa de Autores será moderada pelo escritor e professor universitário português, Rui Zink.

O início da conversa está agendado para as 15h30, e a iniciativa é aberta à imprensa, mas requer aviso prévio obrigatório.

Ao longo da conversa, poderá encontrar nomes como João Tordo e Jorge Melícias (Portugal), Judith Nika Pfeifer (Áustria), Kamil Bouška (República Checa), Jamie Chávarri (em representação de Leopoldo María Panero, Espanha) e Radu Paraschivescu (Roménia).

A Noite da Literatura Europeia é organizada pela EUNIC Portugal, conta com o apoio da Representação da Comissão Europeia em Portugal, e realiza-se no âmbito das Festas de Lisboa, em parceria com a EGEAC e a Junta de Freguesia de Arroios.

Pode consultar mais informações acerca da NLE em http://www.noitedaliteraturaeuropeia.pt/ .

Está a chegar mais uma Noite da Literatura Europeia

 

As Carpintarias de São Lázaro são palco da inauguração daquele que é considerado o evento literário mais internacional das Festas de Lisboa. A abertura está agendada para as 18h00, e vai contar com a presença de um convidado especial – a Casa Fernando Pessoa.

Entre as 19h00 e as 23h30 terão lugar as interpretações de excertos de obras europeias e leituras de poemas nos vários espaços, com uma duração de 10 a 15 minutos, e que se realizam de meia em meia hora para dar ao público a possibilidade de assistir às várias apresentações.

Ao todo, são 14 os países representados nesta edição, onde poderá encontrar nomes como João Tordo (Portugal), Daniel Kehlmann (Alemanha), Judith Nika Pfeifer (Áustria), Dubravka Oraić Tolić (Croácia), Leopoldo María Panero (Espanha), Maria Turtschaninoff (Finlândia), Maylis de Kerangal (França), Christos Ikonomou (Grécia), John Banville (Irlanda), Enrico Ianniello (Itália), Olga Tokarczuk (Polónia), Fiona Mozley (Reino Unido), Kamil Bouška (República Checa) e Radu Paraschivescu (Roménia).

A Noite da Literatura Europeia é organizada pela EUNIC Portugal, conta com o apoio da Representação da Comissão Europeia em Portugal, e realiza-se no âmbito das Festas de Lisboa, em parceria com a EGEAC e a Junta de Freguesia de Arroios.

Pode consultar mais informações nas redes sociais da NLE, disponíveis aqui.

 

PROGRAMA:

ALEMANHA – Daniel Kehlmann

Devias ter-te ido embora | Du hättest gehen sollen

Intérprete: Ulisses Ceia

Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa: Sala Gabino Castro Gil

 

 

ÁUSTRIA – Judith Nika Pfeifer

entre | zwischen

Intérprete: Patrícia André

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Escadaria principal e Pátio

 

 

CROÁCIA – Dubravka Oraić-Tolić

As Experiências do pequeno Carlos | Doživljaji Karla Maloga

Intérprete: Sandra Hung

Biblioteca de São Lázaro: Sala de Leitura Infantil

 

 

ESPANHA – Leopoldo María Panero

A canção do croupier do Mississípi e outros poemas | La canción del croupier del Missisippi y otros poemas

Intérprete: Blablalab

Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa: Sala Leocádia Boullosa Muñoz

 

 

FINLÂNDIA – Maria Turtschaninoff

Maresi

Intérprete: Ana Água

Biblioteca de São Lázaro: Salão Nobre

 

 

FRANÇA – Maylis de Kerangal

Um mundo mesmo à mão | Un monde à portée de main

Intérprete: Cátia Tomé

Galeria Monumental: Salão Nobre

 

 

GRÉCIA – Christos Ikonomou

As filhas do Vulcão |  Οι κόρες του Ηφαιστείου

Intérprete: Efthimios Angelakis

Escola Básica N.º 1 de Lisboa – Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves: Sala 7

 

 

IRLANDA – John Banville

Mrs. Osmond

Intérprete: Inês Lapa

Paço da Rainha: Sala D. João IV

 

 

ITÁLIA – Enrico Ianniello

A vida prodigiosa de Isidoro Sifflotin | La Vita Prodigiosa di Isidoro Sifflotin

Intérprete: Elmano Sancho

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Sala dos Passos Perdidos

 

 

POLÓNIA – Olga Tokarczuk

Viagens | Bieguni

Intérprete: Alexandra Teles

Escola Básica N.º 1 de Lisboa – Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves: Sala 4

 

 

PORTUGAL – João Tordo

A mulher que correu atrás do vento

Intérpretes: Ana Jordão e Vanessa Marques Oliveira

NOVA Medical School – Pólo de Investigação: Biblioteca

 

 

REINO UNIDO – Fiona Mozley

Elmet – Vidas desencantadas | Elmet

Intérprete: Hugo Bettencourt

Paço da Rainha: Biblioteca da Academia Militar

 

 

REPÚBLICA CHECA – Kamil Bouška

Inventário | Inventura

Intérprete: Tiago Patrício

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Sala dos Conselhos

 

 

ROMÉNIA – Radu Paraschivescu

Com o coração arrancado do peito | Cu inima smulsă din piept

Intérprete: Rui Zink

NOVA Medical School – Pólo de Investigação: Auditório Professor Doutor Manuel Machado Macedo

 

Convidado especial: CASA FERNANDO PESSOA

A língua às portas do céu da boca

Poetas: Golgona Anghel, José Luiz Tavares, Margarida Vale de Gato, Miguel Cardoso, Marta Chaves e Vasco Gato

Carpintarias de São Lázaro