Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Lídia Jorge vence XXIV Grande Prémio de Literatura dst

Estuário - Lídia Jorge.jpg

 

*Prémio, no valor de 15 mil euros, será entregue no dia 28 de junho, no Theatro Circo, no âmbito da inauguração da Feira do Livro de Braga

 

A escritora portuguesa Lídia Jorge é a vencedora do XXIV Grande Prémio de Literatura dst, com a obra “Estuário”, publicada em Maio de 2018. O prémio no valor de 15 mil euros será entregue no próximo dia 28, no âmbito da inauguração da Feira do Livro, em Braga.

O júri, composto por Vítor Aguiar e Silva, José Manuel Mendes e Carlos Mendes de Sousa, figuras de relevo no meio literário nacional e com os quais o dstgroup tem vindo a contar desde a génese do prémio, justifica a escolha deste romance “pela elevada qualidade da sua escrita, absorvendo e reelaborando fragmentos de um quotidiano mutacional, com fortes sequências efabulatórias e personagens com notória densidade social e psicológica”.

A XXIV edição do Grande Prémio de Literatura dst, dedicada a publicações em prosa, registou este ano cerca de uma centena de participações de autores portugueses, entre as quais foram selecionadas cinco finalistas. “Ecologia”, de Joana Bértholo, “Burgueses Somos Todos Nós ou Ainda Menos”, de Mário de Carvalho - vencedor da X edição do Grande Prémio de Literatura dst -, “Um Bailarino na Batalha”, de Hélia Correia, “Estuário”, de Lídia Jorge, e “Um Muro no Meio do Caminho”, de Julieta Monginho, foram os títulos que chegaram à fase final deste prémio anual, cujo funcionamento rotativo distingue num ano um livro de poesia publicado em primeira edição no biénio anterior, e, no ano seguinte, um título em prosa saído, também, no biénio que o precedeu.

“Estuário”, de Lídia Jorge, é um livro que retrata a vulnerabilidade de um homem, de uma família, de uma sociedade e do próprio equilíbrio da Terra, relatados pelo olhar de um jovem sonhador que se interroga sobre a fragilidade da condição humana. 

O Grande Prémio de Literatura dst é já uma referência incontornável no panorama cultural português. Nestes últimos anos tem distinguido nomes como Jacinto Lucas Pires, Armando Silva Carvalho, Luísa Costa Gomes, ,Manuel Alegre e Mário Cláudio. Em 2018 venceu Daniel Jonas, com o livro de poesia “Oblívio”.

Sobre Lídia Jorge

Lídia Jorge nasceu em 1946, no Algarve. Da sua vasta obra destacam-se os romances O Dia dos Prodígios (1980), O Cais das Merendas (1982), Notícia da Cidade Silvestre (1984), os dois últimos distinguidos com o Prémio Cidade de Lisboa, A Costa dos Murmúrios (1988), um dos mais poderosos textos sobre a guerra colonial, adaptado ao cinema num filme de Margarida Cardoso, e O Jardim sem Limites (1995), distinguido com o Prémio Bordallo de Literatura da Casa da Imprensa. Em 1998 publica Vale da Paixão, distinguido com os prémios Dom Dinis, Bordallo, Ficção do Pen Club, Máxima de Literatura e o Prémio Jean Monet de Literatura Europeia – Escritor Europeu do Ano, tendo sido ainda finalista do International IMPAC Dublin Literary Award 2003. O seu romance O Vento Assobiando nas Gruas (2002) conquistou o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores e o Prémio Correntes d’Escritas, já o romance Combateremos a Sombra (2007) venceu o Prémio Charles Bisset (2008). 

Foi ainda vencedora do prestigiado prémio da Fundação Günter Grass, na Alemanha, ALBATROS (2006) e do Grande Prémio Sociedade Portuguesa de Autores – Millennium BCP. Em 2011, ano em que publica A Noite das Mulheres Cantoras, foi-lhe atribuído o Prémio da Latinidade João Neves da Fontoura, pela "consagração da sua obra como escritora que muito tem contribuído para o enriquecimento do património cultural e literário do Portugal contemporâneo". Em 2014 publica Os Memoráveis, em 2016 o texto para teatro Instruções para Voar e o livro de Contos O Amor em Lobito Bay. A sua obra encontra-se traduzida em muitas línguas e países, sendo recebida pelos críticos nacionais e internacionais com grande interesse. 

Sobre o dstgroup

O dstgroup é um grupo empresarial português, nascido em Braga, nos anos 40, que desenvolve a sua principal atividade na área da Engenharia & Construção, setor que lhe deu origem e no qual é um dos grupos nacionais de referência. Atento às exigências do mercado, diversificou a sua atividade para áreas de negócio sinérgicas com a sua atividade central, nomeadamente Ambiente, Energias Renováveis, Telecomunicações, Real Estate e Ventures, somando competências nas suas diversas empresas.

É um mecenas cultural por excelência, sendo o apoio à Cultura e à Arte parte indissociável do seu código genético, o que se reflete de forma mais visível na sua assinatura de marca building culture. Há quase 25 anos que promove o “Grande Prémio de Literatura dst”, de âmbito nacional, que se junta a outras iniciativas de apoio e de incentivo à leitura no seio do grupo e junto da comunidade, tendo lançado em 2019 a I edição do “Prémio de Literatura dstangola/Camões”.

Noite da Literatura Europeia regressa a Lisboa

image002.jpg

 

O evento literário mais internacional das Festas de Lisboa volta a encher as ruas já no próximo dia 8 de junho. Na sua 7.ª edição, a Noite de Literatura Europeia muda-se para a histórica Colina de Santana, em Arroios, e a entrada continua a ser gratuita.

Do romance à poesia, passando ainda pelas histórias de fantasia, a sétima edição da Noite da Literatura Europeia vai decorrer em 15 espaços na histórica Colina de Santana: entre a Galeria Monumental e o Paço da Rainha, passando pela Faculdade de Ciências Médicas e descendo às Carpintarias de São Lázaro.

Ao todo, são 14 os países representados nesta edição da Noite da Literatura Europeia, onde poderá encontrar nomes como Daniel Kehlmann (Alemanha), Judith Nika Pfeifer (Áustria), Dubravka Oraić Tolić (Croácia), Leopoldo María Panero (Espanha), Maria Turtschaninoff (Finlândia), Maylis de Kerangal (França), Christos Ikonomou (Grécia), John Banville (Irlanda), Enrico Ianniello (Itália), Olga Tokarczuk (Polónia), Fiona Mozley (Reino Unido), Kamil Bouška (República Checa) e Radu Paraschivescu (Roménia). A literatura portuguesa vai estar representada por João Tordo, que lançou recentemente o romance “A Mulher que Correu Atrás do Vento”.

A inauguração está agendada para as 18h00, nas Carpintarias de São Lázaro, e vai contar com a presença de um convidado especial – a Casa Fernando Pessoa. Entre as 19h00 e as 23h30 terão lugar as interpretações de excertos de obras europeias e leituras de poemas de várias origens, com uma duração de 10 a 15 minutos, e que se realizam de meia em meia hora para dar ao público a possibilidade de assistir às várias apresentações.

A Noite da Literatura Europeia é organizada pela EUNIC Portugal, conta com o apoio da Representação da Comissão Europeia em Portugal, e realiza-se no âmbito das Festas de Lisboa, em parceria com a EGEAC e a Junta de Freguesia de Arroios.

Pode consultar mais informações nas redes sociais da NLE, disponíveis aqui.

Pode descarregar o teaser da NLE em https://we.tl/t-DHTTfZKwOc

 

PROGRAMA:

ALEMANHA – Daniel Kehlmann

Devias ter-te ido embora | Du hättest gehen sollen

Intérprete: Ulisses Ceia

Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa: Sala Gabino Castro Gil

 

 

ÁUSTRIA – Judith Nika Pfeifer

entre | zwischen

Intérprete: Patrícia André

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Escadaria principal

 

 

CROÁCIA – Dubravka Oraić-Tolić

As Experiências do pequeno Carlos | Doživljaji Karla Maloga

Intérprete: Sandra Hung

Biblioteca de São Lázaro: Sala de Leitura Infantil

 

 

ESPANHA – Leopoldo María Panero

A canção do croupier do Mississípi e outros poemas | La canción del croupier del Missisippi y otros poemas

Intérprete: Blablalab

Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa: Sala Leocádia Boullosa Muñoz

 

 

FINLÂNDIA – Maria Turtschaninoff

Maresi

Intérprete: Ana Água

Biblioteca de São Lázaro: Salão Nobre

 

 

FRANÇA – Maylis de Kerangal

Um mundo mesmo à mão | Un monde à portée de main

Intérprete: Cátia Tomé

Galeria Monumental

 

 

GRÉCIA – Christos Ikonomou

As filhas do Vulcão |  Οι κόρες του Ηφαιστείου

Intérprete: Efthimios Angelakis

Escola Básica N.º 1 de Lisboa – Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves

 

 

IRLANDA – John Banville

Mrs. Osmond

Intérprete: Inês Lapa

Paço da Rainha: Sala D. João IV

 

 

ITÁLIA – Enrico Ianniello

A vida prodigiosa de Isidoro Sifflotin | La Vita Prodigiosa di Isidoro Sifflotin

Intérprete: Elmano Sancho

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Sala dos Atos

 

 

POLÓNIA – Olga Tokarczuk

Viagens | Bieguni

Intérprete: Alexandra Teles

Escola Básica N.º 1 de Lisboa – Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves, Sala 4

 

 

PORTUGAL – João Tordo

A mulher que correu atrás do vento

Intérpretes: Ana Jordão e Vanessa Marques Oliveira

NOVA Medical School – Pólo de Investigação: Biblioteca

 

 

REINO UNIDO – Fiona Mozley

Elmet – Vidas desencantadas | Elmet

Intérprete: Hugo Bettencourt

Paço da Rainha: Biblioteca da Academia Militar

 

 

REPÚBLICA CHECA – Kamil Bouška

Inventário | Inventura

Intérprete: Tiago Patrício

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Sala dos Conselhos

 

 

ROMÉNIA – Radu Paraschivescu

Com o coração arrancado do peito | Cu inima smulsă din piept

Intérprete: Rui Zink

NOVA Medical School – Pólo de Investigação: Auditório Professor Doutor Manuel Machado Macedo

 

Convidado especial: CASA FERNANDO PESSOA

A língua às portas do céu da boca

Poetas: Golgona Anghel, José Luiz Tavares, Margarida Vale de Gato, Miguel Cardoso, Marta Chaves e Vasco Gato

Carpintarias de São Lázaro

 

Está a chegar mais uma Noite da Literatura Europeia

 

Conversas com Autores da Noite da Literatura Europeia

Evento: Conversa de Autores

Data: 7 de junho de 2019

Local: Auditório da Fundação José Saramago

Horário: início às 15h30

 

O Auditório da Fundação José Saramago vai ser palco de uma partilha de testemunhos com alguns dos autores e atores/atrizes daquele que é considerado o evento literário mais internacional das Festas de Lisboa. A Conversa de Autores será moderada pelo escritor e professor universitário português, Rui Zink.

O início da conversa está agendado para as 15h30, e a iniciativa é aberta à imprensa, mas requer aviso prévio obrigatório.

Ao longo da conversa, poderá encontrar nomes como João Tordo e Jorge Melícias (Portugal), Judith Nika Pfeifer (Áustria), Kamil Bouška (República Checa), Jamie Chávarri (em representação de Leopoldo María Panero, Espanha) e Radu Paraschivescu (Roménia).

A Noite da Literatura Europeia é organizada pela EUNIC Portugal, conta com o apoio da Representação da Comissão Europeia em Portugal, e realiza-se no âmbito das Festas de Lisboa, em parceria com a EGEAC e a Junta de Freguesia de Arroios.

Pode consultar mais informações acerca da NLE em http://www.noitedaliteraturaeuropeia.pt/ .

Está a chegar mais uma Noite da Literatura Europeia

 

As Carpintarias de São Lázaro são palco da inauguração daquele que é considerado o evento literário mais internacional das Festas de Lisboa. A abertura está agendada para as 18h00, e vai contar com a presença de um convidado especial – a Casa Fernando Pessoa.

Entre as 19h00 e as 23h30 terão lugar as interpretações de excertos de obras europeias e leituras de poemas nos vários espaços, com uma duração de 10 a 15 minutos, e que se realizam de meia em meia hora para dar ao público a possibilidade de assistir às várias apresentações.

Ao todo, são 14 os países representados nesta edição, onde poderá encontrar nomes como João Tordo (Portugal), Daniel Kehlmann (Alemanha), Judith Nika Pfeifer (Áustria), Dubravka Oraić Tolić (Croácia), Leopoldo María Panero (Espanha), Maria Turtschaninoff (Finlândia), Maylis de Kerangal (França), Christos Ikonomou (Grécia), John Banville (Irlanda), Enrico Ianniello (Itália), Olga Tokarczuk (Polónia), Fiona Mozley (Reino Unido), Kamil Bouška (República Checa) e Radu Paraschivescu (Roménia).

A Noite da Literatura Europeia é organizada pela EUNIC Portugal, conta com o apoio da Representação da Comissão Europeia em Portugal, e realiza-se no âmbito das Festas de Lisboa, em parceria com a EGEAC e a Junta de Freguesia de Arroios.

Pode consultar mais informações nas redes sociais da NLE, disponíveis aqui.

 

PROGRAMA:

ALEMANHA – Daniel Kehlmann

Devias ter-te ido embora | Du hättest gehen sollen

Intérprete: Ulisses Ceia

Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa: Sala Gabino Castro Gil

 

 

ÁUSTRIA – Judith Nika Pfeifer

entre | zwischen

Intérprete: Patrícia André

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Escadaria principal e Pátio

 

 

CROÁCIA – Dubravka Oraić-Tolić

As Experiências do pequeno Carlos | Doživljaji Karla Maloga

Intérprete: Sandra Hung

Biblioteca de São Lázaro: Sala de Leitura Infantil

 

 

ESPANHA – Leopoldo María Panero

A canção do croupier do Mississípi e outros poemas | La canción del croupier del Missisippi y otros poemas

Intérprete: Blablalab

Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa: Sala Leocádia Boullosa Muñoz

 

 

FINLÂNDIA – Maria Turtschaninoff

Maresi

Intérprete: Ana Água

Biblioteca de São Lázaro: Salão Nobre

 

 

FRANÇA – Maylis de Kerangal

Um mundo mesmo à mão | Un monde à portée de main

Intérprete: Cátia Tomé

Galeria Monumental: Salão Nobre

 

 

GRÉCIA – Christos Ikonomou

As filhas do Vulcão |  Οι κόρες του Ηφαιστείου

Intérprete: Efthimios Angelakis

Escola Básica N.º 1 de Lisboa – Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves: Sala 7

 

 

IRLANDA – John Banville

Mrs. Osmond

Intérprete: Inês Lapa

Paço da Rainha: Sala D. João IV

 

 

ITÁLIA – Enrico Ianniello

A vida prodigiosa de Isidoro Sifflotin | La Vita Prodigiosa di Isidoro Sifflotin

Intérprete: Elmano Sancho

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Sala dos Passos Perdidos

 

 

POLÓNIA – Olga Tokarczuk

Viagens | Bieguni

Intérprete: Alexandra Teles

Escola Básica N.º 1 de Lisboa – Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves: Sala 4

 

 

PORTUGAL – João Tordo

A mulher que correu atrás do vento

Intérpretes: Ana Jordão e Vanessa Marques Oliveira

NOVA Medical School – Pólo de Investigação: Biblioteca

 

 

REINO UNIDO – Fiona Mozley

Elmet – Vidas desencantadas | Elmet

Intérprete: Hugo Bettencourt

Paço da Rainha: Biblioteca da Academia Militar

 

 

REPÚBLICA CHECA – Kamil Bouška

Inventário | Inventura

Intérprete: Tiago Patrício

NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas: Sala dos Conselhos

 

 

ROMÉNIA – Radu Paraschivescu

Com o coração arrancado do peito | Cu inima smulsă din piept

Intérprete: Rui Zink

NOVA Medical School – Pólo de Investigação: Auditório Professor Doutor Manuel Machado Macedo

 

Convidado especial: CASA FERNANDO PESSOA

A língua às portas do céu da boca

Poetas: Golgona Anghel, José Luiz Tavares, Margarida Vale de Gato, Miguel Cardoso, Marta Chaves e Vasco Gato

Carpintarias de São Lázaro

 

IV Encontro Ibérico de Leitores de Saramago |

image002.jpg

 

“Seria perfeito poder reunir em um só lugar, sem diferenças de países, de raças, de credos e de línguas, todos quantos me leem, e passar o resto dos meus dias a conversar com eles.”

José Saramago

 

No próximo sábado 25 de maio irá realizar-se, no Consulado Geral de Portugal em Sevilha, o IV Encontro Ibérico de Leitores de Saramago.

Esta iniciativa está inserida no programa da Feira do Livro de Sevilha 2019 (FLS), em que Portugal é o país convidado.

Estes encontros acontecem anualmente desde 2016, em diversas bibliotecas e espaços públicos Portugal e Espanha.

A entrada é livre e está aberta à participação de leitores e leitoras da obra de José Saramago – Prémio Nobel la Literatura 1998.

A organização é da Câmara Municipal de Beja, através da sua Biblioteca Municipal, que tem o nome de José Saramago desde 1998, em colaboração com o projeto Aula Saramago, com o apoio da Fundação Saramago, e nesta edição conta com o apoio do Consulado Geral de Portugal em Sevilha e da Feira do Livro de Sevilha 2019.

 

PROGRAMA

Dia 25 maio

Sábado

12h00-14h00

Boas vindas pelo Cônsul Geral de Portugal, Dr. João Queirós

Inauguração do encontro por Pilar del Río, Presidente de Fundação José Saramago.

Apresentação do projeto “Encontro ibérico de leitores de Saramago”, por Paula Santos (Biblioteca Municipal de Beja José Saramago)

Apresentação de Diego Mesa - “José Saramago – Cidadão e escritor comprometido”

Participação de leitores e leitoras.

Intervenção do público.

 

16h30- 18h30

Participação de leitores e leitoras.

Intervenção do público.

Encerramento

Vencedor da edição de 2018 do Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários

PEDRO MEXIA

VENCE O GRANDE PRÉMIO DE CRÓNICA E DISPERSOS LITERÁRIOS

 

 

Um júri constituído por Carina Infante do Carmo, Isabel Cristina Rodrigues e Liberto Cruz decidiu, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Literatura Crónica e Dispersos Literários APE/C.M. de Loulé ao livro Lá Fora, de Pedro Mexia (Tinta-da-China).

 

Da acta destaca-se ter sido atribuído o Prémio: “…é um livro de crónicas de um intelectual no mundo de hoje, observando esse mesmo mundo por intermédio da arte (literatura, música, cinema) como coisa íntima e reclusa de si. A elegância da escrita da obra escolhida reverte a favor do apresso da forma aorística e da recolecção em livro dos dispersos publicados na imprensa.”

 

O Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Loulé, destina-se a galardoar anualmente uma obra em português, de autor português, publicada em livro e em primeira edição em Portugal, no ano de 2018. Na presente edição, o valor monetário deste galardão aumenta para o autor distinguido, € 12.000,00 (doze mil euros).

 

A cerimónia de entrega do prémio terá lugar no Dia do Municipio, 30 de Maio, pelas 9h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Loulé.

 

O Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários distinguiu já os autores José Tolentino Mendonça, Rui Cardoso Martins e Mário Cláudio.

Latitudes - Literatura e Viajantes de 16 a 19 de Maio, em Óbidos

Viagens escritas, faladas, ilustradas, por livrarias, por terra, céu e mar

AFcartaz_Latitudes2019-2.jpg

 

De 16 a 19 de Maio, Óbidos recebe a terceira edição do Festival Latitudes – Literatura e Viajantes. Viagens escritas, faladas, ilustradas, por livrarias, por terra, céu e mar, são propostas para um fim-de-semana que vai reunir, em Óbidos, alguns dos nomes mais sonantes nas áreas da Literatura e das Viagens.

O programa contempla atividades direcionadas para vários públicos, tendo a organização reforçado a oferta para a comunidade escolar, desenhando ainda novas propostas para famílias, nomeadamente, oficinas musicais, leituras animadas e visitas guiadas.

Para além das três exposições que serão inauguradas no primeiro dia do evento, destaque para a conferência de abertura, que será proferida pelo Capitão-de-fragata do Navio Escola Sagres, António Maurício Camilo, e que abordará a sua experiência de comandar uma das embarcações mais bonitas e emblemáticas do País.

Várias sessões e debates ligados às áreas da literatura terão lugar. Realce para a masterclass, por Maria Alexandre Lousada, ligada ao tema: Literaturas de Viagem - Viajantes, turistas e leitores; bem como uma sessão dedicada aos “blogs de viagens, contando histórias por meios digitais”; e o lançamento da segunda edição do prémio Discoveries Awards da Via Verde.

No último dia, realizar-se-á a mesa de autores subordinada à temática, Viagem ao Desconhecido, com os escritores Paulo Moura e Maria João Castro, moderada pela jornalista Vanessa Ribeiro Rodrigues. O evento termina com uma conferência de encerramento ligada ao espaço, uma metáfora para o futuro, no qual o astrofísico, Alberto Negrão, irá debruçar-se sobre a exploração espacial, num momento em que se celebra o 50.º aniversário da primeira viagem do Homem à Lua, uma iniciativa que tem o apoio do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço.

Concertos e apresentação de filmes completam o programa do evento, num total de 24 atividades.

Recorde-se que o Festival Latitudes teve a sua primeira edição em 2017, resultante do empenho da autarquia e de vários parceiros, para levar a cabo este encontro que, desde a classificação de Óbidos, pela UNESCO, como Cidade Criativa da Literatura, se pensava realizar. A presente edição conta com diversos parceiros de programação, tendo este evento o patrocínio exclusivo da Via Verde Portugal.

Todas as iniciativas são de participação gratuita.

Pedro Mexia vence Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários APE/C.M. de Loulé

Pedro Mexia.jpg

 

Um júri constituído por Carina Infante do Carmo, Isabel Cristina Rodrigues e Liberto Cruz decidiu, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Literatura APE/C.M. de Loulé – Crónica e Dispersos Literários ao livro “Lá Fora”, de Pedro Mexia (Tinta-da-China).

Da ata destaca-se ter sido atribuído o Prémio: “… é um livro de crónicas de um intelectual no mundo de hoje, observando esse mesmo mundo por intermédio da arte (literatura, música, cinema) como coisa íntima e reclusa de si. A elegância da escrita da obra escolhida reverte a favor do apresso da forma aorística e da recoleção em livro dos dispersos publicados na imprensa.”

O Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários, instituído pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Loulé, destina-se a galardoar anualmente uma obra em português, de autor português, publicada em livro e em primeira edição em Portugal, no ano de 2018. Na presente edição, o valor monetário deste galardão aumenta para o autor distinguido – 12 mil euros.

A cerimónia de entrega do prémio terá lugar no Dia do Município de Loulé, 30 de maio, pelas 9h30, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

O Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários distinguiu já os autores José Tolentino Mendonça, Rui Cardoso Martins e Mário Cláudio.

Pedro Mexia nasceu em Lisboa, em 1972. Licenciou-se em Direito pela Universidade Católica. Crítico literário e cronista nos jornais “Diário de Notícias” e “Público”, escreve atualmente no semanário “Expresso”. É um dos membros do “Governo Sombra” (TSF/TVI24), e coautor, com Inês Meneses, de “PBX”, um programa da Radar e podcast do “Expresso”. Foi subdiretor e diretor interino da Cinemateca Portuguesa.

Publicou seis livros de poesia, antologiados em “Menos por Menos” (2011), a que se seguiu “Uma Vez Que Tudo se Perdeu” (2015). Editou os volumes de diários “Fora do Mundo” (2004), “Prova de Vida” (2007), “Estado Civil” (2009) e “Lei Seca” (2014), e as coletâneas de crónicas “Primeira Pessoa” (2006), “Nada de Melancolia” (2008), “As Vidas dos Outros” (2010), “O Mundo dos Vivos” (2012), “Cinemateca” (2013) e “Biblioteca” (2015). No Brasil, saíram “Queria mais é que chovesse” (crónicas, 2015) e “Contratempo” (poesia, 2016).

Organizou um volume de ensaios de Agustina Bessa-Luís, “Contemplação Carinhosa da Angústia”; a antologia “Verbo: Deus como Interrogação na Poesia Portuguesa” (com José Tolentino Mendonça); e “O Homem Fatal”, crónicas escolhidas de Nelson Rodrigues. Traduziu Robert Bresson, Tom Stoppard, Hugo Williams e Martin Crimp. Coordena a coleção de poesia da Tinta-da-china. Em 2015 e 2016 integrou o júri do Prémio Camões.

 

CML/GAP /RP

 

CANDIDATURAS PARA XXIV EDIÇÃO DO GRANDE PRÉMIO DE LITERATURA DST ATÉ 29 DE MARÇO

Edição de 2019 distingue obras de prosa de autores portugueses

 

 

Termina já na próxima sexta-feira o prazo para a entrega das obras a concurso ao Grande Prémio de Literatura dst, que este ano  distingue obras em prosa de autores portugueses, publicadas entre 2017 e 2018. Instituído há quase 25 anos pelo grupo empresarial dst group, o Grande Prémio de Literatura dst é já uma das mais importantes distinções nacionais na área da literatura, com um papel preponderante no estímulo à produção literária nacional, nomeadamente de autores portugueses residentes em Portugal. O vencedor recebe um valor pecuniário de 15 mil euros.

O júri é composto por figuras de relevo no meio literário nacional e com os quais o grupo dst tem vindo a contar desde a génese do prémio. Vítor Manuel Silva, José Manuel Mendes e Carlos Mendes de Sousa são os três elementos do júri a quem caberá a análise, escolha e fundamentação da obra premiada, que será publicamente anunciada no dia 28 de junho, no âmbito da inauguração da Feira do Livro de Braga. A primeira etapa de seleção decorre até 24 de maio, altura em que serão escolhidos os cinco livros de poesia finalistas.

Recorde-se que o Grande Prémio de Literatura dst tem um funcionamento rotativo, premiando alternadamente obras em poesia e em prosa. Manuel Alegre foi o vencedor da edição de 2016 com a obra “Bairro Ocidental”, sucedendo a Luísa Costa Gomes, Mário de Carvalho, Maria Ondina Braga, Jacinto Lucas Pires. Em 2018 venceu Daniel Jonas, com o livro de poesia “Oblívio”.

Regulamento disponível em www.dstgsps.com (https://www.dstsgps.com/art-and-society-pt-pt/culture-pt-pt-2/#/#text)

(https://www.dstsgps.com/assets/Regulamento-e-formulario-GPL-dst-2019.pdf)

 

Candidaturas para a 1ª edição do Prémio de Literatura dstangola/Camões

Estão também abertas até 30 de março as candidaturas para a 1ª edição do Prémio de Literatura dstangola/Camões, uma iniciativa lançada recentemente pelo dst group e pelo Instituto Camões que visa distinguir, anualmente e de forma alternada, os trabalhos em poesia e prosa de artistas nascidos em Angola, residentes ou não, com obras publicadas no país ou no estrangeiro, nos dois anos anteriores, desde que em língua portuguesa.

A primeira edição, cujo galardão será entregue a 10 de junho, Dia da Língua Portuguesa, em Luanda, distinguirá obras em poesia, editadas em 2017 e 2018. Também com um valor de 15 mil euros, o prémio terá um júri de referência, presidido por Irene Guerra Marques, linguista e chefe do Departamento de Línguas da Faculdade de Letras da Universidade Agostinho Neto, de Luanda, e constituído pelo escritor José Eduardo Agualusa e pelo jornalista e diretor do Novo Jornal de Angola, Carlos Ferreira, ao qual caberá a análise, escolha e fundamentação da obra premiada.

O regulamento do Prémio de Literatura dstangola está disponível em www.dstgsps.com (https://www.dstsgps.com/art-and-society-pt-pt/culture-pt-pt-2/#/#text 

(https://www.dstsgps.com/assets/Regulamento-e-formulario-PL-dst-angola-2019-FINAL.pdf )

 

Sobre o dst group

O dst group nasceu nos anos 40 e desenvolve atividade nas áreas da Engenharia & Construção, setor que lhe deu origem e no qual é um dos grupos nacionais de referência. Atento às exigências do mercado, diversificou para as áreas do Ambiente, Energias Renováveis, Telecomunicações, Real Estate e Ventures, somando competências nas suas diversas empresas. O grupo dst pauta-se por uma ação diferenciadora no mercado e tendo em conta que a cultura é a variável que mais influencia a competitividade construiu redes com agentes culturais nas áreas das artes, da literatura, do teatro, da música e da dança, pois acredita que é nestas literacias que reside a sua proposta de valor, a fórmula da sua competitividade relativa.

 

Helder Macedo recebe o GRANDE PRÉMIO DE ENSAIO EDUARDO PRADO COELHO | 27 de Novembro | 18h00

CERIMÓNIA DE ENTREGA

DO GRANDE PRÉMIO DE ENSAIO “EDUARDO PRADO COELHO”

image005.jpg

 

Helder Macedo, recebe na próxima 3.ª feira, dia 27 de Novembro, pelas 18h00, na Academia das Ciências de Lisboa, o Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho pelo seu livro Camões e Outros Contemporâneos (Presença).

 

Patrocinado, integralmente pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, o valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de € 7.500,00 (sete mil e quinhentos euros) e desde de 2010 distinguiu já Victor Aguiar e Silva, Manuel Gusmão, João Barrento, Rosa Maria Martelo, José Gil, Manuel Frias Martins, José Carlos Seabra Pereira e Isabel Cristina Rodrigues.

 

Nesta edição, o júri foi constituído por Artur Anselmo, Clara Rocha e Isabel Cristina Rodrigues.