Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Formação “O fascínio das palavras: Os contos de Sophia para a juventude” na Biblioteca de Loulé

Sophia de Mello Breyner Andresen foto.jpg

 

No âmbito das comemorações do centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, a Biblioteca Municipal de Loulé irá receber a formação “O fascínio das palavras: os contos de Sophia para a juventude”, no dia 26 de outubro, sábado, das 10h00 às 13h00 e das 14h30 às 17h30.

Nesta ação, dinamizada por Marta Martins, serão abordadas diversas obras de Sophia. A formação é orientada para a aquisição de conhecimentos e para a recensão e adequação do conhecimento dos textos literários a públicos específicos.

Procurar-se-á que a aquisição do conhecimento decorra da análise dos textos e da informação que se vai sistematizando, de forma a implementar práticas educativas mais ativas junto de crianças e jovens. Pretende-se promover o debate em torno dos conteúdos a trabalhar e a realização de pequenas tarefas direcionadas para os objetivos de aprendizagem, visando a aplicação de conceitos.

O conceito de Literatura, a Literatura juvenil e Literatura para adultos, a caracterização de personagens, valores e modelos, a verdade versus falsidade na construção identitária, a família e a sociedade como intervenientes na construção da personalidade, os processos de sedução do leitor juvenil são alguns dos temas que serão abordados.

Destinada a um público adulto (maiores de 18 anos), esta ação é creditada para professores. A participação é gratuita mas é necessária inscrição prévia (vagas limitadas), através do email biblioteca@cm-loule.pt ou telefone 289 400850.

CML/GAP /RP

XXI Encontro de Música Antiga de Loulé Francisco Rosado

Scaramuccia2.jpg

 

De 5 a 27 de outubro, o concelho de Loulé é palco do XXI Encontro de Música Antiga de Loulé Francisco Rosado, um evento cujo principal objetivo é a divulgação da música que compreende o período entre a Idade Média e os finais do século XVIII.

Na abertura do programa, já este sábado, dia 5, pelas 21h00, na Igreja de Nossa Senhora da Assunção, em Querença, o agrupamento holandês Radio Antiqua junta-se ao contratenor Leandro Marziotte para convidar os espetadores a apreciar a música vocal e instrumental de Händel, um dos maiores compositores do período barroco. “Händel & co. da Itália à Inglaterra” é um retrato da Londres de Haendel, junto a outros compositores que foram seus colaboradores ou concorrentes: o ouvinte será levado aos bastidores de um dos maiores impérios musicais do século XVIII.

Segue-se, no dia 12, pelas 21h00, na Igreja de S. Sebastião de Boliqueime, a participação do grupo luso Ventos do Atlântico, que nos traz um programa onde o órgão histórico se torna o protagonista, cujo contraste e riqueza sonora são evidenciados pelas cores mais intimistas dos instrumentos de sopro. “Música para sopros de Itália à Alemanha no início de setecentos” é o mote para esta noite.

Outro projeto português – O Bando de Surunyo – surge neste Encontro no dia 13 de outubro, pelas 21h00, na Igreja de S. Francisco, em Loulé, com “Ua Enselada Ibérica”. A Península Ibérica apresenta, durante os séculos XVI e XVII, um riquíssimo quadro cultural que, alicerçado sobre uma matriz de pensamento comum a toda a Europa, possui, no entanto, características que lhe são distintivas. Um concerto comentado que incide no repertório vocal ibérico deste período.

O agrupamento Scaramuccia (Holanda/Portugal) irá presentear os espetadores com a mais bela música instrumental italiana do século XVIII, no dia 19, às 21h00, na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Quarteira. “1717. Memórias de uma viagem a Itália” inclui não só peças que Pisendel trouxe de uma viagem a Itália mas também outros descobrimentos da sua coleção pessoal.

No dia 20 de outubro, pelas 21h30, na Igreja Matriz de Loulé, vindo do Canadá, o Ensemble Caprice irá deleitar o público com um programa fabuloso, numa fusão entre o barroco francês e italiano, com um toque muito especial.

Naquela que será também uma atividade pedagógica, o Ensemble de Flautas de Loulé junta-se ao Consort de Flautas do Instituto Gregoriano de Lisboa num mastercurso de flauta de bisel com Matthias Maute, flautista, compositor e diretor do Ensemble Caprice. Esta atividade

que se irá desenvolver ao longo do fim-de-semana culminará com o concerto de domingo, 27 de outubro, pelas 18h00, na Igreja de Nossa Senhora da Assunção, em Alte. No programa estarão peças do período barroco e renascentista em arranjos para consorts de flautas, entre outras surpresas.

Uma vez mais, os instrumentos barrocos, o repertório antigo e a interpretação historicamente informada farão do concelho de Loulé a capital da capital da música antiga durante o mês de outubro.

“Pretende-se aqui realizar uma seleção rigorosa de grupos especializados na interpretação historicamente informada, apostando na diversidade entre a música vocal e instrumental, nacional e estrangeira”, refere Ana Figueiras, diretora artística deste evento.

Todos os espetáculos são de entrada livre.

 

CML/GAP /RP

Festival Verão Azul começa dia 17 de Outubro com programação em Faro e Loulé

Festival Verão Azul abre no dia 17 de Outubro, com programação em Faro e Loulé. 

Peça de teatro sobre um dos maiores desastres ambientais do Brasil e exposição de fotografia abrem Verão Azul

assinaturaemail-02.png

 

 

O Verão Azul — Festival Internacional de Artes arranca já no próximo dia 17 de Outubro e até 2 de Novembro vai estar entre Loulé, Faro e Lagos, com uma extensa programação de teatro, dança, música, performance, artes visuais e cinema. O festival —  com direcção artística da dupla Ana Borralho e João Galante e curadoria de Catarina Saraiva — celebra o início da 9ª edição com a abertura da exposição “Expats”, de André Príncipe, na Associação 289, em Faro, e com a estreia nacional do espectáculo “Mining Stories”, dos belgas Silke Huysmans e Hannes Dereere, em Loulé, no Cine-Teatro Louletano. 

 

A 9ª edição do Verão Azul - Festival Internacional de Artes realiza-se entre 17 de Outubro e 2 de Novembro, nas cidades de Loulé, Faro e Lagos. A Associação 289, em Faro, recebe na quinta-feira, 17, às 18h30, a inauguração de “Expats”, de André Príncipe, que regressa ao Verão Azul, desta vez num formato de exposição individual. O artista nasceu no Porto em 1976 e expõe regularmente o seu trabalho em Portugal e no estrangeiro. Em 2018, contou com duas exposições individuais — “Elefante”, no MAAT, em Lisboa, e “Non-fiction”, no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães. Trabalha como fotógrafo e cineasta; é fundador e co-editor da editora de livros Pierre von Kleist. A exposição fica patente até 22 de Dezembro e será de entrada gratuita.

 

Também na quinta-feira, em Loulé, o Verão Azul apresenta pela primeira vez em Portugal “Mining Stories”, da dupla belga Silke Huysmans e Hannes Dereere, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano. Esta peça de teatro documental fala sobre aquele que chegou a ser considerado o maior desastre socioambiental do Brasil. No dia 5 de Novembro de 2015, uma barragem no município brasileiro de Mariana rebentou, provocando uma inundação de lama que devastou várias aldeias. Silke Huysmans cresceu em Minas Gerais e vinte anos depois regressou ao Brasil com Hannes Dereere para a construção desta viagem intrigante, que visita memória, política, religião e a forma de contar estórias. O bilhete para o espectáculo custa 5 euros e pode ser adquirido online ou nas bilheteiras do Cine-Teatro Louletano. 

 

Nos camarins do Cine-Teatro Louletano, entre as 18h00 e às 20h30, será possível assistir à estreia absoluta de “In Between”, da artista polaca Paulina Szcesna. Trata-se de uma performance de 20 minutos entre a artista e um espectador, um encontro de costas com costas e onde não vale olhar para trás. “In Between” é apresentada nos dias 17, 19 e 25 de Outubro, no Cine-Teatro Louletano e em Faro, no Teatro das Figuras, dias 18, 24 e 26, entre as 18h00 e às 20h30. Com entrada gratuita, os interessados em participar devem inscrever-se previamente, enviando um email para info@festivalveraoazul.com .  

 

O primeiro dia do festival encerra com a inauguração do ponto de encontro do Verão Azul em Loulé, onde será apresentado “Uma Viagem à Construção de Universos”, de 2Mikkers - Imaginário e Lágrima, projecto de spoken word de João Caiano e Martim Santos. O concerto realiza-se às 23h30, com entrada gratuita, no Auditório do Solar da Música Nova, situado no Conservatório de Música de Loulé - Francisco Rosado. 

 

Verão Azul e Loulé Design Lab numa parceria pela reutilização

O Verão Azul tem vindo a desenvolver um conjunto de iniciativas que promovem e intensificam a relação com a comunidade e tecido artístico locais. Como exemplo, a preparação do ponto de encontro do festival em Loulé, no Auditório do Solar da Música Nova, contará com a intervenção da designer Verónica Guerreiro e do artista Paulo Tomé, que vão disponibilizar e criar alguns objectos feitos a partir de materiais recicláveis. Em 2012, criaram o projecto Pidutournée Design e são actualmente residentes no Loulé Design Lab, parceiro desta iniciativa.

 

Primeiro fim-de-semana divide-se entre Faro e Loulé

Na sexta-feira, 18 de Outubro, o Teatro das Figuras, em Faro, recebe o controverso músico espanhol Niño de Elche, também conhecido como “o homem que bombardeou o flamenco”, segundo o jornal El Mundo. Às 21h30, será apresentado o seu mais recente projecto “Colombiana”, um disco que está a mudar a forma de ver a música em Espanha e em particular o flamenco. Os bilhetes custam entre 5 a 10 euros e encontram-se à venda online ou na bilheteira do Teatro das Figuras.   

 

Durante o fim-de-semana, outros nomes vão passar pelo Verão Azul, como Ricardo J. Martins com “Variações à Guitarra Portuguesa” (Gimnásio Clube de Faro - Ponto de Encontro Verão Azul, 18 de Outubro, às 23h30); Cátia Pinheiro com “The Walk#2”, que convida o público a um percurso sonoro individual pelas ruas de Loulé (Ponto de partida: Convento do Espírito Santo, 18 e 19 de Outubro, a partir das 15h); Raquel André com “Colecção de Artistas”, terceiro volume da tetralogia “Colecção de Pessoas” (Cine-Teatro Louletano, 19 de Outubro, às 21h30); o concerto da rapper portuguesa Russa (Auditório do Solar da Música Nova, Loulé, 19 de Outubro, às 23h30); e Mil M2 (Mil Metros Quadrados), colectivo artístico chileno que vai percorrer as ruas de Faro com o “Proyecto Pregunta” (19 e 20 de Outubro, durante todo o dia).

 

Destaque ainda para o “Grupo de Crítica”, uma iniciativa gratuita destinada a artistas, jornalistas, críticos ou pessoas interessadas em escrita crítica. Esta actividade será constituída por um grupo limitado a dez participantes, mediante inscrição prévia, que irá acompanhar o festival e desenvolver textos sobre os espectáculos e artistas convidados para esta edição. Os primeiros dois momentos realizam-se já no próximo dia 18 de Outubro, com os belga Silke Huysmans e Hannes Dereere e com João Caiano. Os interessados deverão enviar email para info@festivalveraoazul.com 

 

O Verão Azul apresenta-se pela primeira vez em formato bienal. Artistas nacionais e internacionais vão desafiar o público a pensar o conceito do Antropoceno - época que se caracteriza pelo impacto das acções do Homem no seu habitat. Até 2 de Novembro o programa contará com nomes, como Alessandro Sciarroni, André Uerba, Dewey Dell, Gabriel Ferrandini, Maria Reis (Pega Monstro), André Cepeda, Gustavo Ciríaco, Cláudia Gaiolas, Tiago Saga, Sílvia Real, Grupo 23: Silêncio!, Francisco Camacho, Márcia Lança e Nuno Lucas, João Salaviza e Renée Nader Messora, entre outros.

 

Produzido pela associação cultural casaBranca, o Verão Azul afirma-se, mais uma vez, como um evento de características únicas na região dedicado à promoção e difusão da criação contemporânea. Desde a sua primeira edição em 2011 em Lagos, o festival estendeu-se também ao sotavento algarvio, fidelizando públicos e construindo parcerias com um número cada vez maior de agentes e instituições - destacando-se as parcerias de co-produção com o Cine-Teatro Louletano e Teatro das Figuras e a integração no programa 365 Algarve, uma iniciativa das Secretarias de Estado da Cultura e do Turismo, com financiamento do Turismo de Portugal. 

“STOUT”: Exposição de Carjé, Marta Roux e Sylvie António no CECAL

STOUT.jpg.png

 

 

O CECAL – Centro de Experimentação e Criação Artística de Loulé, situado no Parque Municipal, recebe, de 5 de setembro a 13 de outubro, a Exposição “STOUT”, da autoria de Carjé, Marta Roux e Sylvie António.

“STOUT” é a exposição que liga o verão ao outono, o setembro ao outubro, o visível ao invisível, o escuro ao claro. Nesta exposição, os três artistas convidados expõem e expõem-se na partilha das histórias que envolvem os seus trabalhos, umas para descobrir, outras para criar e muitas para se revelarem.

Mais uma vez a dupla L. Contemporary, designação assumida por João Apolónia e João Laborinho Lúcio, desafia os artistas a interpretarem o espaço expositivo do CECAL, abrindo-se assim as portas para onde a arte não é só aquilo que é, mas também o que foi e o que ainda vai ser vivido.

A inauguração acontece no dia 5 de setembro, quinta-feira, pelas 18h00, e contará com um momento musical com o grupo Jacarandá.

A exposição pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 11h00 às 14h00 e das 15h00 às 19h00, e ao sábado, das 11h00 às 17h30. A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

 

Livro sobre a Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva apresentado no Dia Mundial da Música

Livro Artistas de Minerva.jpg

 

No próximo dia 1 de outubro, Dia Mundial da Música, pelas 19h00, no auditório do Solar da Música Nova, irá decorrer a apresentação do livro “A Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva (Música Nova) – Perspetiva Histórica”, da autoria de Luísa Martins, historiadora e técnica superior na Câmara Municipal de Loulé.

Este livro surge no contexto das comemorações do 140º Aniversário da Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva, a partir das quais se referenciou a premência de um livro que registasse tantos anos de atividade. O livro resulta de um trabalho de recolha, salvaguarda e organização de algum espólio documental preservado pelo Museu Municipal de Loulé, em colaboração com a Sociedade Filarmónica Artistas de Minerva.

Trata-se de uma perspetiva histórica a partir de documentos originais, artigos de jornais e outras publicações, entrevistas, fotografias e outras fontes.

Com este livro fica sinalizada uma memória de uma Sociedade Filarmónica centenária integrada num concelho e numa população para quem a Música foi sempre espaço para troca de ideias, para aprendizagem e para divulgação da Arte de Minerva.

Luísa Fernanda Guerreiro Martins é licenciada em História, pós-graduada em História Regional e Local e em Alimentação – Fontes, Cultura e Sociedade, mestre em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa e doutora em História – Estudos da Presença Portuguesa em África. Em 1986 ingressa na Administração Pública como docente e formadora. Em 1996 exerce funções técnico-pedagógicas e de investigação na Delegação Regional do Algarve do Ministério da Cultura, no Centro de Estudos de História e Cartografia Antiga do Instituto de Investigação Científica Tropical, e na Câmara Municipal de Loulé, onde ingressa em 1999. Exerceu as funções de dirigente nesta Autarquia e atualmente integra a equipa do Serviço de Investigação da Câmara Municipal de Loulé.

A apresentação do livro estará a cargo de Ana Isabel Soares, docente da Universidade do Algarve.

A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

Jornadas Europeias do Património: Performance e apresentação de antologia de CDS marcam comemorações em Loulé

Grafonola Voadora.jpg

 

 

Terão lugar nos dias 27, 28 e 29 de setembro as Jornadas Europeias do Património 2019, este ano subordinadas ao tema “Artes Património Lazer”. Loulé volta a integrar o programa descentralizado e diversificado, com atividades que decorrerão em várias localidades do país.

Pretende-se, com este tema, destacar as muitas facetas do património ligadas às artes como fonte de entretenimento, que nos permitem a todos viver outras dimensões da vida quotidiana, apropriando-nos de uma parte da cultura, tornando-nos autores, especialistas, guardiões e protagonistas.

Assim, são duas as propostas em Loulé: uma performance audiovisual e musical e o lançamento da Antologia de CD’s de Património Oral do Concelho.

“Grafonola Voadora & Napoleão Mira” pela Casa da Cultura de Loulé é o espetáculo que será apresentado na Alcaidaria do Castelo de Loulé, na sexta-feira, dia 27, pelas 19h30. Trata-se de uma performance audiovisual que reúne músicos e performers em torno da palavra dita/cantada, música e imagem em movimento. Junta em palco, o cantautor Luís Galrito, que explorará a musicalidade dos quadros visuais, o artista visual João Espada, que deambulará, de forma poética, simbólica e visual, pelos lugares, gentes e paisagens do património material e imaterial, e o escritor, poeta e declamador Napoleão Mira que fará parte desta performance com a declamação de textos originais. O guitarrista Ricardo Martins e o acordeonista João Palma juntam-se ao espetáculo.

Propõem-se em (re)construir uma geografia afetiva, simbólica, visual e musical de quadros audiovisuais referente à sociedade em geral, viajando visualmente e musicalmente por espaços urbanos, rurais e marítimos numa busca de ambientes naturais e culturais ligados ao património material e imaterial em questão.

Esta iniciativa é promovida no âmbito do DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos, da Direção Regional de Cultura do Algarve.

Já no dia 28, sábado, pelas 18h00, o auditório do Convento do Espírito Santo recebe a sessão de lançamento da Antologia de CDs de Património Oral do Concelho de Loulé. Trata-se da compilação de um trabalho de investigação profundo desenvolvido desde 2004 por Idália Farinho, Maria Aliete Galhoz e Isabel Cardigos.

Depois dos livros “Contos” (vol.I), “Romances” (vol. II), “Orações” (vol. III) e “Cancioneiro” (vol. IV) é agora a vez de as autoras lançarem uma antologia de CDs que constitui mais um documento precioso para o conhecimento da identidade do concelho de Loulé para a preservação da sua memória coletiva levado a cabo por estas investigadoras e profundas conhecedoras da Língua Portuguesa.

As Jornadas Europeias do Património são uma iniciativa conjunta da Comissão Europeia e do Conselho da Europa desde 1999, apoiada pelo programa Europa Criativa. Envolvendo mais de 70 000 eventos, constituem o principal evento cultural participativo do continente europeu. Apresentam o valor do nosso património comum, salientando a necessidade de o conservar para as gerações atuais e futuras.

As atividades incluem, por exemplo, festivais, exposições, aulas de artesanato, conferências e visitas guiadas. Desde os espetáculos de rua às salas de concerto, passando por teatros, museus ou cinemas, o património artístico europeu subirá aos palcos regionais, nacionais e europeus e Loulé não será exceção.

As duas iniciativas são de entrada livre.

 

CML/GAP /RP

Motas clássicas e estilo vintage invadem Loulé para apoiar investigação de cancro da próstata e doenças mentais

Distinguished Gentlemen Ride - CA PHOTOGRAPHY (1).

 

No próximo domingo, 29 de setembro, a partir das 16h00, Loulé volta a receber o evento Distinguished Gentleman's Ride, iniciativa solidária que pretende angariar fundos que serão canalizados para apoiar a investigação para a cura do cancro da próstata e programas para a saúde mental masculina.

Com um “dress code” que passa pelo uso de um fato clássico e, naturalmente, por montar uma moto vintage, o estilo “dandy”, imagem de marca deste evento que, ao longo dos anos, tem captado cada vez mais seguidores, voltará a invadir a cidade. A Cerca do Convento Espírito Santo será o palco de convívio entre todos os participantes e não faltará a música e a boa disposição neste espaço repleto de elegância e, simultaneamente, originalidade.

A conceito do Distinguished Gentleman's Ride surgiu em Sydney, Austrália, quando Mark Hawwa, inspirado por uma fotografia de Don Draper (Mad Men), acreditou que envergar o seu melhor fato e montar uma moto clássica seria uma boa forma de contrariar o estereótipo muitas vezes negativo associado aos motociclistas, ao mesmo tempo que pretendia, de uma forma elegante, angariar donativos para apoiar esta causa.

Desde então, o evento anual cresceu em larga escala, com o número de participantes e de donativos a aumentar exponencialmente.

Através do parceiro oficial de solidariedade Movember Foundation, a maior organização mundial para a saúde do homem, os fundos angariados serão investidos em programas locais e globais de investigação sobre o cancro da próstata e prevenção do suicídio.

Mais informações em http://www.gentlemansride.com/sponsor

Festival de Arte Russa Clássica e Contemporânea pela primeira vez em Loulé apresenta-se no Cine-Teatro Louletano

 

Pogudin.jpg

 

Loulé recebe, pela primeira vez, as Temporadas Russas no Algarve e o Festival que as integra, a acontecer no dia 29 de setembro, domingo, pelas 17h00, no Cine-Teatro Louletano. O Festival de Arte Russa Clássica e Contemporânea é realizado no contexto do 240.º aniversário das relações diplomáticas russo-portuguesas que se celebra em 2019.

Trata-se de um festival de música e belas-artes que continua a tradição das temporadas russas da Paris dos inícios do séc. XX, sendo apresentados, segundo a organização, “as brilhantes imagens de arte clássica e contemporânea russa com a interpretação de artistas russos, dando a conhecer a arte e a cozinha tradicionais.”

Do programa faz parte: a atuação de Oleg Pogudin (voz) e quinteto, músico considerado “a voz de prata da Rússia”; um momento musical de M.Glinka, P.I. Tchaikovsky, S.Rachmaniniov, R. Gliér interpretado pelos solistas Mikhail Shumov (violoncelo), Ivetta Natskaya (viola de arco) e Elena Tsouranova (piano); a exposição fotográfica “Migração como a arte de viver”, da artista Irina Kuptsova; e o buffet russo, composto por uma mesa tradicional russa para os visitantes do festival.

De referir que Oleg Pogudin detém há muitos anos o título de um dos melhores cantores de romance russo que, na sua essência, é muito semelhante ao fado. A música e as palavras são aquilo que refletem as particularidades do caráter nacional e que demonstram a sua alma e os seus sentimentos. O repertório será cantado em francês e inglês.

A organização deste evento pertence ao Estúdio ”Histórias Musicais”, tem direção artística de Irina Svechnikova, direção de dança de Larisa Shumskaya, direção musical de Mikhail Shumov e conta com o apoio da Agência Federal da Rússia «Rossotrudnichestvo» e da Câmara Municipal de Loulé.

Este evento tem a duração de 150 minutos (com intervalo), destina-se a maiores de 5 anos e a entrada é gratuita.

Outras atividades estão agendadas no âmbito deste Festival de Arte Russa Clássica e Contemporânea: a 6 de outubro, pelas 17h00, no Auditório do Solar da Música Nova está prevista a Ópera "Evgeny Onegin" (transmissão de Metropolitan Opera de Nova York) e, no dia 8 de outubro, pelas 19h00, no mesmo local, o concerto "Alma da música russa" onde alunos e professores de música do Algarve tocam música de compositores russos.

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar a sua página de facebook – www.facebook.com/cineteatrolouletano ou o seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano), existindo também a possibilidade de compra de ingressos nos locais aderentes ou on-line através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt/

O Cine-Teatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

CML/GAP /RP

Loulé acolhe orquestra original do artista Lixoluxopóetico no âmbito do FOMe – Festival de Objectos e Marionetas & Outros Comeres

concerto João de Barros Oliveira.JPG.png

 

O concelho de Loulé volta a fazer parte de mais uma edição do FOMe – Festival de Objectos e Marionetas & Outros Comeres, o qual decorrerá este ano, entre 13 e 28 de setembro, num total de seis municípios do Algarve Central: Albufeira, Faro, Loulé, Olhão, São Brás de Alportel e Tavira.

Com cerca de uma dezena de espetáculos agendados para Loulé, o workshop CHÁ:VENA com João de Barros Oliveira (Lixoluxopóetico) é a primeira das atividades que irá realizar-se no âmbito deste Festival. A ideia é dar formação prévia (de 7 a 14 de setembro) a um conjunto de participantes (jovens) para criar uma orquestra com objetos do quotidiano doméstico ligado à gastronomia que depois será apresentada ao público em contexto de espetáculo.    

Idealizado para pessoas com idade superior aos 11 anos e com “alguma experiência na esfera musical em percussão”, o workshop ministrado por João Ricardo de Barros Oliveira, um dos mais criativos e originais artistas portugueses na área da performance sonora, decorrerá no Auditório do Solar da Musica Nova (Rua Sacadura Cabral 22, 8100-708 Loulé), entre os dias 7 e 15 de setembro, das 9h30 às 12h00 e das 14h00 às 18h00, com inscrição gratuita. No final estão previstas duas apresentações públicas dos trabalhos desenvolvidos no workshop CHÁ:VENA: no dia 14 de setembro, às 18h00, e no dia 15, às 11h00, no referido Auditório.

Trata-se de um projeto (também designado “Workestrasom”) nunca apresentado em Loulé a nível deste conceito e abordagem artísticos: criar uma orquestra que provoca som e contamina som, com chávenas, pires, copos, bules e colheres. Segundo João de Barros Oliveira, “o propósito do projeto consiste na pré-criação de um grupo de jovens músicos na esfera da percussão, posicionados num palco com os seus artefactos sonoros, com o intuito invisível de criar diálogos plástico sonoros. Dessa forma, encontraremos maneiras diversificadas de produzir sons, descobrindo uma extensão e exploração plástica da relação entre a física e o som.”

De recordar que o formador João de Barros Oliveira já se estreara no Sul do país, precisamente em Loulé no âmbito do festival Som Riscado (em abril deste ano), com uma performance de grande impacto público que não deixou ninguém indiferente de miúdos a graúdos: “Há:Som Directa”.

O artista é natural de Viana do Castelo, trabalha entre Portugal e Alemanha (Berlim), onde centraliza o desenvolvimento da sua atividade de escultor plástico sonoro. A dimensão da sua obra abrange desde esculturas até à conceção de novos instrumentos e objetos sonoros, construídos a partir de todo o tipo de materiais. A criação de objetos esculturais capazes de produzir sons com identidade própria, que nunca estão prontos e evoluem sempre para novas e inusitadas sonoridades, tem sido a sua cruzada de experimentação estética plástica e sonora. O ensaio de novas linguagens num projeto que se alia à escultura e à transformação do lixo em arte sonora. Colaborou com diversos artistas portugueses e estrangeiros, participou em numerosos festivais internacionais, compôs música para filmes, apresentou a sua obra na rádio e televisão na Noruega, Portugal, Espanha, Alemanha, Inglaterra, Áustria e nos Estados Unidos da América

Para mais informações e inscrições os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar toda a programação na sua página de Facebook ou no seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano), existindo também a possibilidade de compra de ingressos nos locais aderentes ou on-line através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt

O Cine-Teatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

CML/GAP /RP

Verão Azul — festival internacional de artes regressa em outubro ao Algarve

Festival decorre entre 17 de Outubro e 2 de Novembro, em Loulé, Faro e Lagos

 

 

Sob o mote “Pela Estrada Fora”, de Jack Kerouac, a 9ª edição do Verão Azul — festival internacional de artes volta a Loulé, Faro e Lagos, com propostas de teatro, dança, música, performance, artes visuais e cinema. Este ano em formato bienal, artistas nacionais e internacionais convidam o público a pensar o conceito do Antropoceno - época que se caracteriza pelo impacto das acções do Homem no seu habitat.  

 

Verão Azul — festival internacional de artes regressa ao Algarve, entre 17 de Outubro e 2 de Novembro, com um total de 21 espectáculos, dos quais se podem contabilizar quatro estreias — duas nacionais e duas absolutas — e duas co-produções. Com Direcção artística da dupla Ana Borralho e João Galante e curadoria de Catarina Saraiva, o programa da 9ª edição contempla criadores consagrados do panorama artístico internacional, como o coreógrafo italiano Alessandro Sciarroni, recentemente distinguido com o Leão de Ouro da Bienal de Dança de Veneza 2019; ou Niño de Elche, o enfant-terrible do Flamenco; e nomes nacionais, como Tó Trips, Raquel André ou a rapper algarvia, Russa.   

 

Este ano Loulé acolhe o espectáculo de abertura do Verão Azul. “Mining Stories”, dos belgas Silke Huysman e Hannes Derreere, é uma das duas estreias nacionais do festival e será apresentado em sessão única no dia 17 de Outubro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano. Trata-se de uma peça de teatro documental sobre o desastre ambiental Mariana, no Brasil. Uma viagem intrigante que visita memória, política, religião e a forma de contar estórias.

 

A outra estreia nacional é “Storm Atlas”, da companhia de dança italiana Dewey Dell, formada por Teodora, Demetrio, Agata Castellucci e Eugenio Resta. Um concerto-performance que procura encontrar a ligação entre som e movimento, onde músicos tocam ao vivo através de uma coreografia. “Storm Atlas” é apresentado no dia 24 de Outubro, às 23h00, no Teatro das Figuras, em Faro. 

 

O encerramento do festival fica a cargo de Tó Trips e Tiago Gomes, no dia 2 de Novembro, às 21h30, no Centro Cultural de Lagos. “On the Road” (Pela Estrada Fora), é um espectáculo-viagem baseado no livro homónimo de Jack Kerouac, considerado a bíblia da beat generation. Os dois performers e o vídeo (realizado por Raquel Castro) remetem o espectador para a route 66, na busca do sonho americano.

 

Dançar as migrações com o Leão de Ouro da Bienal de Dança de Veneza 2019 

“CHROMA_don’t be frightened of turning the page:”, de Alessandro Sciarroni, é um solo de dança hipnótico protagonizado pelo próprio e inspirado nos fluxos migratórios dos animais, mas também uma exploração dos aspectos físicos e psicológicos da intoxicação através do movimento. O espectáculo é apresentado no dia 26 de Outubro, às 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro. Em 2019, o coreógrafo e bailarino italiano recebeu o Leão de Ouro da Bienal de Dança de Veneza, que já distinguiu os maiores nomes da dança contemporânea, como Pina Bausch, Anne Teresa De Keersmaeker ou Lucinda Childs. 

 

O flamenco do futuro de Niño de Elche

Niño de Elche (nome artístico de Francisco Molina) apresenta no dia 18 de Outubro, às 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro, o seu mais recente projecto “Colombiana”. Considerado pelo jornal espanhol El Mundo, como o “homem que bombardeou o flamenco”, neste novo projecto inspira-se nas canções de ida e volta. Não apenas guajiras ou milongas, mas também a soleá e a seguiriya, romances, cabales, peteneras e pregones no vasto Caribe Afro-Andaluz. E o fandango, claro.

 

Duas estreias mundiais 

Um dos destaques é a estreia mundial do projecto “In Between” de Paulina Sz, uma performance de 20 minutos entre a artista polaca e um espectador. O projecto coloca duas pessoas de costas com costas sem olhar para trás e aborda questões como honestidade, presença, encontro e a relação com o outro. Recorde-se que a artista desenvolveu esta performance no âmbito do laboratório Shock Lab - Práticas Criativas em Contextos Periféricos, realizado em Faro e Loulé, em 2018. Estreia a 17 de Outubro no Cine-Teatro Louletano.

 

A outra estreia mundial decorre no dia 27 de Outubro, no Cine-Teatro Louletano. “A Laura Quer!” é um projecto de Sílvia Real em co-criação com o Grupo 23: Silêncio! e Francisco Camacho. Uma peça de dança e teatro, com adolescentes e crianças, voltado para o futuro e dirigido a todos os públicos a partir da pergunta: “Mas que futuro será este, ancorado nas incertezas deste intenso agora?”. 

 

Formato bienal com duas co-produções

Em 2018, o Verão Azul abriu um novo ciclo e adoptou o formato bienal. Nos anos intercalares, dedica-se a trabalhar a sua intenção artística de descentralização com artistas convidados, promovendo residências de criação, laboratórios de pesquisa e co-produções, cujos resultados serão apresentados em cada edição do festival. 

 

É o caso de Raquel André que, para “Colecção de Artistas”, uma das duas co-produções da edição de 2019 do festival, realizou duas residências artísticas no Algarve, em Faro e em Loulé. O espectáculo, que se estreia no dia 14 de setembro, no Teatro Nacional D. Maria II, é apresentado no dia 19 de outubro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano. Trata-se de uma colecção que se ocupa de cada artista, das suas práticas e ferramentas de trabalho, bem como dos seus pensamentos e biografias. O Verão Azul apresenta ainda “Colecção de Amantes” a 1 de Novembro, às 21h30, no Centro Cultural de Lagos. Estes dois trabalhos integram a tetralogia intitulada “Colecção de Pessoas”.

 

Outra co-produção desta edição do Verão Azul é “Entre Cães e Lobos”, do artista brasileiro Gustavo Ciríaco, que desenvolveu uma performance inspirada numa colecção de relatos e descrições de paisagens que apenas ficaram guardadas nas memórias de anciãos e de outras imaginadas e desenhadas por crianças. Para a criação de “Entre Cães e Lobos”, o artista realizou duas residências, uma em Lagos onde colaborou com um grupo de crianças e outra em Loulé com um grupo de séniores. O espectáculo pode ser visto, no dia 25 de Outubro, às 21h30, no Cine-Teatro Louletano.

 

Projectos no espaço público para envolver a comunidade

Cátia Pinheiro leva às ruas de Loulé (19 e 20 de Outubro) e de Lagos (1 e 2 de Novembro) “The Walk#2”, um percurso-áudio site-especific que se serve da cidade e das pequenas ficções dela extraídas para conduzir os espectadores numa viagem única e pessoal. Em Loulé, o início do percurso faz-se a partir do Convento do Espírito Santo e em Lagos, da Messe Militar de Lagos. As saídas serão individuais, com intervalo de quatro minutos entre cada espectador e os bilhetes podem ser adquiridos no Cine-Teatro Louletano e no Centro Cultural de Lagos. “The Wlak #2” foi desenvolvido no âmbito de uma residência realizada pela artista no Algarve.

 

O colectivo chileno MilM2 (mil metros quadrados) vai percorrer as ruas de Faro (19 e 20 de Outubro) e Quarteira (26 e 27 de Outubro) com o “Proyecto Pregunta”, um dispositivo que pretende incentivar a participação cívica, promover o debate no espaço público sobre questões sociais e que contará com a colaboração de um grupo de voluntários da comunidade local.

 

“Burn Time”, do coreógrafo e performer André Uerba, é uma performance que vai contar com a participação de 10 pessoas da comunidade local que serão selecionadas numa audição limitada a 25 participantes, no dia 17 de Outubro. O espectáculo será apresentado no dia 24 de Outubro, às 21h30, no Teatro das Figuras, em Faro. O bilhete (5 euros) para este espectáculo também dá acesso ao concerto-performance “Storm Atlas”, de Dewey Dell. 

 

Exposição de André Príncipe e várias sessões de cinema

No dia 17 de Outubro, às 18h30, o festival inaugura “Expats - Viver num País Estrangeiro”, exposição individual do cineasta, fotógrafo e editor André Príncipe, na Associação 289, em Faro.

O Verão Azul vai exibir três filmes: “Braguino”, de Clément Cogitore (22 de Outubro, 21h30, CineClube de Faro), um documentário sobre duas famílias que vivem na floresta siberiana, isoladas, de forma auto suficiente e sem falarem entre si; “Raving Iran”, de Susanne Regina Meures (23 de Outubro, 21h00, Auditório do Solar da Música Nova, em Loulé; 30 de Outubro, 21h30, no Galeria LAR, em Lagos), um filme sobre dois amigos DJs que vivem diariamente sob a ameaça da censura no Irão, num mundo secreto e underground, mas com uma vontade imensa para viver e realizar os seus sonhos; e “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos”, de João Salaviza e Renée Nader Messora (31 de Outubro, 21h30, Galeria LAR, em Lagos), que resulta do convívio de anos que os realizadores tiveram com o povo krahô no Norte do Brasil. Em 2018, o filme recebeu o prémio especial do júri da secção Un Certain Regard do Festival de Cannes. 

 

Artistas algarvios actuam nos pontos de encontro do festival

Uma das novidades desta edição do Verão Azul passa pela criação de dois pontos de encontro, no Gimnásio Clube de Faro e Auditório do Solar da Música Nova (Loulé), que vão contar com actividade programática de entrada gratuita, como concertos, conversas e encontros informais entre público e criadores. Em Loulé, vão decorrer os concertos dos artistas algarvios 2Mikkers - Imaginário e Lágrima, de João Caiano e Martim Santos (17 de Outubro, 23h30) e Russa (19 de Outubro, 23h30). Aqui será, também, apresentado o concerto de Gabriel Ferrandini, Maria Reis (Pega Monstro) e André Cepeda (25 de Outubro, 23h30). Em Faro, realiza-se o concerto de mais um algarvio, Tiago Saga (24 de Outubro, 00h00) e do guitarrista e compositor Sérgio Pelágio (26 de Outubro, 23h00).

 

Actividades paralelas

O Verão Azul propõe um conjunto de actividades paralelas, como workshops de dança, com Gustavo Ciríaco (26 e 27 de Outubro, na Academia Iluminarte, em Loulé), e de Improvisação Musical, com Gabriel Ferrandini (26 de Outubro, na Mákina de Cena - Associação Cultural, em Loulé). Os valores dos workshops variam entre os 20 e os 10 euros, respectivamente. 

 

Estão ainda previstas duas masterclasses gratuitas. No dia 26 de Outubro, na Casa da Cultura de Loulé decorre uma masterclass de fotografia com André Cepeda. No dia 2 de Novembro, na Galeria LAR em Lagos, realiza-se a masterclass de teatro, orientada por Raquel André. 

 

Para incentivar a crítica nas artes performativas, será criado um grupo de crítica, constituído por espectadores que vão analisar os espectáculos, entrevistar artistas e produzir material que poderá ser publicado no site do Verão Azul. Esta actividade é aberta ao público em geral e será orientada pela curadoria do festival. 

 

As inscrições para as actividades paralelas podem ser efectuadas através do endereço de e-mail info@festivalveraoazul.com . 

 

Sessões para escolas

A programação do festival contempla dois espectáculos dedicados exclusivamente à comunidade escolar. “Antiprincesas - Clarice Lispector”, de Cláudia Gaiolas é um espectáculo inspirado na vida da escritora brasileira, que será apresentado no dia 25 de Outubro, às 10h30, no Parque Municipal de Loulé, e a 30 de Outubro, à mesma hora, no Parque da Cidade, em Lagos. 

 

No dia 31 de Outubro, às 10h30, no Centro Cultural de Lagos, vai decorrer “Por esse Mundo Fora”, de Márcia Lança e Nuno Lucas, um espectáculo sobre como a curiosidade nos pode levar a superar os nossos limites. 

 

Produzido pela associação cultural casaBranca, o Verão Azul afirma-se, mais uma vez, como um evento de características únicas na região dedicado à promoção e difusão da criação contemporânea. Desde a sua primeira edição em 2011 em Lagos, o festival estendeu-se também ao sotavento algarvio, fidelizando públicos e construindo parcerias com um número cada vez maior de agentes e instituições - destacando-se as parcerias de co-produção com o Cine-Teatro Louletano e Teatro das Figuras e a integração no programa 365 Algarve.

 

Site Oficial: www.festivalveraoazul.com

 

Facebook.com/festivalveraoazul/

 

Instagram: festival_veraoazul