Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

QUEM PRECISA DE UM SUPER-HERÓI QUANDO TEM UM SUPER-PAI!

Os “Dominguinhos” de 15 de março vêm mesmo a tempo do dia do Pai!

 

image002.jpg

 

 

 

O dia do Pai é quando nós quisermos… pois claro! Mas uma coisa é certa..é sempre bom criar motivos especiais para celebrar e mimar quem mais gostamos! Com isso em mente, os “Dominguinhos” de 15 de março antecipam o dia do Pai (dia 19), no MAR Shopping Algarve, e oferecem um atelier de presentes originais, cheio de ideias para criar super-marcadores para o super-herói da família!

 

A programação dos “Dominguinhos” é semanal, com iniciativas gratuitas para preencher as manhãs de domingo das crianças que visitem a zona infantil interior do MAR Shopping Algarve, no piso 0, entre as 11h00 e as 12h00. Uma hora sempre diferente e mágica com espaço para a brincadeira e experiências pedagógicas, proporcionando momentos que as crianças vão recordar com entusiasmo, podendo repetir a experiência todos os domingos, ao longo do ano.

 

Aprender a construir instrumentos musicais com vegetais é primeira proposta da “Central Artes”

The Vegertable Or..jpg

 

No arranque da programação cultural em rede “Central Artes”, que envolve cinco municípios, Loulé acolhe esta quinta-feira, 12 de março, das 15h30 às 17h30, o Workshop “Construção de instrumentos musicais com vegetais”, uma iniciativa que irá decorrer no Palácio Gama Lobo.

Dois músicos da original “The Vegetable Orchestra”, que veio da Áustria para se juntar a este programa, serão os responsáveis por esta iniciativa. Nos workshops, que decorrerão também nos outros municípios que, com Loulé, formam esta rede (Albufeira, Faro, Olhão e Tavira), os grandes mestres da “música vegetal” irão partilhar os seus segredos, ao ensinar a ouvir os vegetais, senti-los e, finalmente fazer deles instrumentos musicais com mínimas habilidades na cozinha e algum treino.

Ao mesmo tempo, será feita uma colaboração direta com os músicos da “The Vegetable Orchestra” num ambiente de trabalho criativo para aprofundar diretamente o entendimento desta arte muito específica, além de mostrar os bastidores deste processo fascinante e criativo.

Este workshop será certamente interessante tanto para músicos profissionais quanto para ouvintes de músicas não profissionais, mas curiosos.

Os participantes precisam ter no mínimo dez anos de idade, pois irão trabalhar com facas e brocas. Trata-se de uma iniciativa limitada a 20 pessoas.

Inscrições e mais informações através do telefone 289 414 604 ou centralartes@eventorslab.com

Para encerrar o ciclo de 5 workshops que serão realizados nas cinco cidades envolvidas, a “The Vegetable Orchestra” apresentar-se-á no Mercado da Ribeira, em Tavira, às 21h30, do próximo sábado, dia 14 de março.

Todas as atividades são de entrada livre.

Recorde-se que a Central Artes é uma iniciativa conjunta de cinco municípios do Algarve Central (Loulé, Albufeira, Faro, Olhão e Tavira) no seguimento de uma candidatura realizada ao CRESC Algarve 2020 (Programa Operacional Regional do Algarve), instrumento financeiro, com fundos comunitários, que visa o apoio ao desenvolvimento do Algarve. Todas as atividades previstas irão desenvolver ao longo de 2020/21.

Toda a programação disponível em www.cm-loule.pt

Rui Machado é o próximo convidado de “Conversas com…”

Rui Machado.jpg.png

 

Rui Machado é o convidado da próxima sessão da iniciativa “Conversas com…”, a ter lugar esta sexta-feira, 13 de março, pelas 21h30, no histórico Café Calcinha.

Natural de Faro, onde nasceu a 10 de abril de 1984, foi um dos melhores tenistas nacionais, tendo figurado entre os 100 melhores do mundo. Atualmente é um dos responsáveis máximos do ténis nacional: exerce funções na Federação Portuguesa de Ténis como Diretor Técnico Nacional e é igualmente o Selecionador Nacional.

A entrada é livre e tem a apresentação e moderação do jornalista e comunicador Neto Gomes.

Esta iniciativa integra o programa do torneio “Loulé Open’20”, que decorre no Clube de Ténis de Loulé, de 8 a 15 de março e, cuja final será transmitida em direto na Sport TV.

“Conversas Com…” é um projeto que o Município de Loulé tem levado a efeito desde 2015, ano em que Loulé foi “Cidade Europeia do Desporto”. Lenine Cunha, Vanessa Fernandes, Marco Fortes, Carlos Sousa, Miguel Farrajota, Pedro Henriques, Manuel Cajuda e Duarte Gomes são alguns dos nomes grandes do desporto nacional que já participaram neste projeto.

 

 

CML/GAP /RP

 

 

5 escultores expõem na Galeria de Arte do Convento Espírito Santo, em Loulé

5 escultores_Prancheta 1.jpg

 

De 24 de janeiro a 28 de março, a Galeria de Arte do Convento Espírito Santo, em Loulé, recebe a exposição de escultura "5 Escultores Paralelos na Voz Criativa", da autoria de Beatriz Cunha, Manuela Castro Martins, Paulo Neves, Rui Matos e Vitor Ribeiro.

No início do ano de 2020, esta Galeria de Arte reúne cinco escultores nesta exposição, onde são apresentadas várias obras, realizadas em diferentes materiais: Pedra, Ferro, Vidro, Madeira e Bronze.  

Pedra representada por Vítor Ribeiro, nas suas florestas brancas, Rui Matos na plenitude do eu do outro lado da sombra, Manuela Castro Martins do símbolo ao barroco na forma do sagrado à paixão, Paulo Neves na espiral dos anéis e para terminar Beatriz Cunha na memória do sagrado.

A inauguração está marcada para as 18h00. A exposição pode ser visitada no seguinte horário: de terça a sexta-feira, das 9h30 às 17h30, e aos sábados, das 9h30 às 16h00. A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

Prestigiado coreógrafo Rui Horta nas “Conversas à Quinta” do Cineteatro Louletano

Rui Horta.jpg.png

 

No próximo dia 12 de março, pelas 21h00, o reconhecido coreógrafo e criador Rui Horta é convidado da rubrica regular “Conversas à Quinta”, no Cineteatro Louletano, continuando este equipamento cultural, assim, a apostar na dimensão do pensamento e do debate/reflexão crítica em torno da Cultura e, mais concretamente, das artes performativas.

Coreógrafo e bailarino conceituado nacional e internacionalmente, o inquietante convidado abordará inevitavelmente a temática da Dança, dos seus velhos e novos caminhos, dos seus múltiplos diálogos e cruzamentos transdisciplinares, e ainda o papel d’O Espaço do Tempo enquanto lugar referencial de criação e apoio aos artistas a partir do interior do país. Esta estrutura, criada por Rui Horta em 2000 em Montemor-o-Novo, afirmou-se já como um centro multidisciplinar de pesquisa e criação absolutamente incontornável no panorama nacional.

Rui Horta passou de bailarino a coreógrafo muito jovem, e aos 60 anos estreou “A Vespa”, um solo em que se expõe totalmente. Nasceu em Lisboa em 1957 e começou a dançar aos 17 nos cursos do Ballet Gulbenkian de Jorge Salavisa. Aos 20 criou o Grupo Experimental Dança Jazz, foi para Nova Iorque, voltou, fundou a Companhia de Dança de Lisboa, uma escola, um coletivo. Em 1990 foi convidado para trabalhar em Frankfurt e quando voltou, dez anos mais tarde, instalou-se com os três filhos em Montemor-o-Novo, onde criou O Espaço do Tempo, no Convento da Saudação. Uma constante aventura de criação, sobrevivência, trabalho, trabalho, comunidade. Criou muitas coreografias, para "os melhores entre os melhores bailarinos". E interpretou bastantes também.

O evento tem entrada gratuita, limitada, e dirige-se a maiores de 12 anos, tendo uma duração aproximada de 90 minutos.

Para mais informações os interessados podem contactar o Cineteatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar toda a programação na sua página de Facebook ou no seu website http://cineteatro.cm-loule.pt,  ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano).

O Cineteatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas do Município de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

 

 

CML/GAP /RP

Flores, borboletas e. molas divertidas! Vamos lá enfeitar!

Os “Dominguinhos” de 8 de março trazem um atelier cheio de cores

MARShopping Algarve Dominguinhos.jpg

 

No dia 8 de março“Dominguinhos” no MAR Shopping Algarve, como acontece todos os domingos de manhã, e também se celebra o dia da Mulher em todo o mundo! Nessa manhã, as crianças vão poder participar num atelier muito colorido e enfeitar coroas com flores e borboletas, ou decorar molas divertidas com animais que falam… imaginem só! Espera-se um atelier muito animado e, para quem quiser aproveitar, uma boa oportunidade para oferecer um miminho às mães, avós, tias, amigas, neste dia (mais) especial!

 

A programação dos “Dominguinhos” é semanal, com iniciativas gratuitas para preencher as manhãs de domingo das crianças que visitem a zona infantil interior do MAR Shopping Algarve, no piso 0, entre as 11h00 e as 12h00. Uma hora sempre diferente e mágica com espaço para a brincadeira e experiências pedagógicas, proporcionando momentos que as crianças vão recordar com entusiasmo, podendo repetir a experiência todos os domingos, ao longo do ano.

 

 

 

“Todos nós nascemos originais e morremos cópia”: Miguel Cheta expõe em Loulé

Miguel Cheta.jpg.png

 

Vai estar patente ao público, de 1 de fevereiro a 4 de abril, no CECAL – Centro de Experimentação e Criação Artística de Loulé, a exposição “Todos nós nascemos originais e morremos cópia”, da autoria do artista plástico Miguel Cheta.

O Município de Loulé foi convidado pelo Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado para integrar o projeto PORTUGAL Entre/PATRIMÓNIOS. Trata-se de um projeto que tem como base a sustentabilidade cultural e que se propõe ter um carácter experimental, que pretende, entre outros objetivos, proporcionar processos de “criação artística como sinónimo de futuro nos processos de mudança dos territórios. E questionar a complexidade da sociedade contemporânea através de leituras do património material e imaterial”.

Integrado neste projeto, o Município de Loulé, através das suas Galerias Municipais, desafiou o artista Miguel Cheta a refletir sobre as questões dos processos colaborativos, dos diálogos (im)possíveis, dos conflitos latentes (ou não) entre públicos e artistas, do que é a arte colaborativa, do papel do artista na transformação dos territórios!...

A inauguração está agendada para as 18h00.

O horário de visita desta exposição é o seguinte: de terça a sexta-feira, das 10h00 às 13h30 e das 14h30 às 18h00, e aos sábados, das 10h00 às 16h30. A entrada é livre.

“Todos nós nascemos originais e morremos cópia”: Miguel Cheta expõe em Loulé

Miguel Cheta.jpg.png

 

Vai estar patente ao público, de 1 de fevereiro a 4 de abril, no CECAL – Centro de Experimentação e Criação Artística de Loulé, a exposição “Todos nós nascemos originais e morremos cópia”, da autoria do artista plástico Miguel Cheta.

O Município de Loulé foi convidado pelo Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado para integrar o projeto PORTUGAL Entre/PATRIMÓNIOS. Trata-se de um projeto que tem como base a sustentabilidade cultural e que se propõe ter um carácter experimental, que pretende, entre outros objetivos, proporcionar processos de “criação artística como sinónimo de futuro nos processos de mudança dos territórios. E questionar a complexidade da sociedade contemporânea através de leituras do património material e imaterial”.

Integrado neste projeto, o Município de Loulé, através das suas Galerias Municipais, desafiou o artista Miguel Cheta a refletir sobre as questões dos processos colaborativos, dos diálogos (im)possíveis, dos conflitos latentes (ou não) entre públicos e artistas, do que é a arte colaborativa, do papel do artista na transformação dos territórios!...

A inauguração está agendada para as 18h00.

O horário de visita desta exposição é o seguinte: de terça a sexta-feira, das 10h00 às 13h30 e das 14h30 às 18h00, e aos sábados, das 10h00 às 16h30. A entrada é livre.

Projeto multidisciplinar da Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve sobre António Aleixo sobe ao palco do Cineteatro Louletano

 

No próximo dia 28 de fevereiro, sexta-feira, pelas 21h30, o Cineteatro Louletano apresenta a coprodução “Diz-me, António”, projeto multidisciplinar que une dança contemporânea, hip hop e spoken word, com cocriação e interpretação de Armando Correia, declamador, Carolina Cantinho, coreógrafa e bailarina, e Pedro Pinto, músico. “Diz-me, António” é uma encomenda da Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve, cofinanciada pelo Programa 365 Algarve, que se inspira no universo de António Aleixo, num tributo à sua obra aos 120 anos do seu nascimento. Trata-se de um diálogo criativo entre movimento, música e palavra dita em busca de uma poética da performance, em que três criadores/intérpretes se reúnem a refletir sobre o incontornável poeta algarvio.

Durante o dia 28 de fevereiro, sexta-feira, os criadores de “Diz-me, António” promovem paralelamente um workshop de palavra e movimento com início às 10h00 e término às 13h00, em Loulé, em local a designar. Este formato pretende envolver elementos da comunidade – dos 8 aos 80 anos – para exploração da palavra, do corpo, da voz e da música, de modo a que os participantes integrem depois o espetáculo a realizar no Cineteatro às 21h30.

Previsto está também um mini-roteiro por locais emblemáticos do património cultural de Loulé onde Aleixo passou parte do seu tempo e da sua vida, dinamizado pela empresa Eating Algarve Food Tours e a ocorrer também no dia 29 com início às 18h30 e duração de 90 minutos. Assim, prevê-se como ponto de encontro o Arquivo Municipal, a última casa do Poeta, o Pólo Museológico dos Frutos Secos, o Jardim dos Amuados, o Cineteatro Louletano, o Mercado Municipal e, por fim, o Café Calcinha onde se encontra uma estátua de homenagem ao mesmo. A participação é gratuita, requerendo inscrição prévia pelos contactos: 289414604 / cinereservas@cm-loule.pt

 

O espetáculo no Cineteatro Louletano, cuja produção é assegurada pela Associação Arquente, tem a duração prevista de 50 minutos, é indicado para maiores de 12 anos de idade e tem um custo associado por pessoa de 5 € (sem descontos aplicáveis), com lotação limitada. No final há conversa com o público e a equipa artística.

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cineteatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar toda a programação na sua página de Facebook ou no seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano), existindo também a possibilidade de compra de ingressos nos locais aderentes ou on-line através da plataforma BOL, em https://cineteatrolouletano.bol.pt

O Cineteatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas do Município de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

 

 

CML/GAP /RP

Loulé vai ser “Holywood Algarvio” durante 3 dias de paródia para receber o mais antigo Carnaval do país

Apresentação Carnaval de Loulé 2020 - CML - Mir

75 mil visitantres esperados em Loulé

LOULÉ VAI SER “HOLYWOOD ALGARVIO” DURANTE 3 DIAS DE PARÓDIA PARA RECEBER O MAIS ANTIGO CARNAVAL DO PAÍS

Autarquia de Loulé investe 375 mil euros nest evento que tem forte impacto na ecomomia local e regional

 

Nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro, a cidade de Loulé volta a ser palco de um dos mais emblemáticos corsos do país – que se distingue por ser o mais antigo –, evento que é uma imagem de marca do turismo algarvio durante a época baixa. A menos de quinze dias do arranque das festividades, ultimam-se os preparativos na Oficina/Museu do Carnaval, espaço onde esta terça-feira o autarca louletano, Vítor Aleixo, apresentou a edição de 2020 à Comunicação Social.

Com uma programação alargada, que não se restringe apenas ao desfile na Avenida José da Costa Mealha, o Carnaval de Loulé traz a magia do cinema para rua, tendo como mote “Era uma vez em… Louléwood”. “Os heróis e personagens dos filmes vão ser este ano tema do Carnaval de Loulé, sempre nas suas melhores tradições de humor e de sátira social e política”, referiu o responsável autárquico.

Os 14 carros alegóricos que irão integrar o desfile estão praticamente finalizados, fruto do trabalho de mais de 13 mil horas da equipa de criativos que tem o carismático “Palhó” (Paulo Madeira) um dos principais elementos, mas também funcionários da Autarquia e colaboradores que ajudam a montar este enorme corso, especialmente no que toca à colagem de perto de 1 milhão de flores decorativas. “É graças a esta gente muito experiente, que faz o Carnaval de Loulé há já muitos anos, que este evento tem todo este sucesso e que já habituou o país a olhar para este corso como um dos melhores”, salientou Vítor Aleixo.

 

São 600 os figurantes, entre os integrantes de 11 grupos de animação que representam o movimento associativo do concelho, 3 escolas de samba, bailarinas de corpos pintados, animadores, fanfarras, cabeçudos, gigantones e muito mais que darão cor e alegria à Avenida.

A componente ambiental continua a merecer especial atenção por parte da organização e, em 2020, o Carnaval volta a ter o selo de “EcoEvento”. “Somos um Município fortemente comprometido com a adaptação às alterações climáticas e, como tal, cada vez, acrescentamos um elemento novo nos eventos, na ótica da sustentabilidade e dos cuidados que devemos ter relativamente ao ambiente”, realçou o edil que deu como exemplos o uso de copos biodegradáveis e compostáveis tendo em vista a redução de plástico, o uso da energia solar como fonte energética, o racionamento da água ou a existência de papeleiras compactadoras.

Nos três dias o desfile arranca às 15h00 e prolonga-se até às 17h30. Na segunda-feira, dia 24, está prevista a transmissão em direto do corso através do canal 1 da RTP, “o que potenciará ainda mais o desfile”.

Tendo em consideração as boas condições meteorológicas previstas, o presidente da Câmara de Loulé acredita que possam passar por Loulé nestes dias na ordem dos “75 mil visitantes”.

As entradas têm um custo de 2 euros e todas as receitas de bilheteira revertem a favor de instituições de solidariedade do Concelho e do movimento associativo que participa no corso, tal como tem acontecido ao longo dos anos, com um montante médio de cerca de 65 mil euros a ser repartido pelas entidades.

À margem do corso, está previsto um extenso programa de animação, que arranca logo na sexta-feira, dia 21, com o emblemático Carnaval Infantil, prossegue com atividades desportivas com destaque para o Grande Prémio de Atletismo de Carnaval (domingo, dia 23) e o 46º Torneio Internacional de Vela (dias 22, 23 e 24) e terá como um dos pontos altos o Baile de Gala – “Grandiosa estreia Louléwood” –, este ano no Salão de Festas de Loulé, na segunda-feira à noite (24 de fevereiro, pelas 22h00).

O Carnaval de Loulé terá um investimento a rondar os 375 mil euros, uma verba que, pela primeira vez, está alocada a uma rubrica específica deste evento no orçamento municipal. Um montante não muito diferente do investimento realizado em 2019 mas que revst-se de especial importância pelo forte contributo para a “notoriedade externa, para a atratividade de turistas, com um impacto muito positivo na economia, nomeadamente ao nível da restauração e da hoteleira”, como considerou Vítor Aleixo.

CML/GAP /RP