Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Império romano 'invade' Marvão

AMMAIA FESTUM.jpg

Império romano ‘invade’ Marvão

 

III Ammaia Festum celebra o legado histórico do concelho

 

 

A Cidade Romana de Ammaia é o grandioso cenário do III Ammaia Festum, que nos dias 31 de maio e 1 de junho vai celebrar o legado romano do concelho de Marvão com espetáculos de recriação histórica e muita animação cultural.

 

Música, dança, espetáculos de fogo, representações teatrais, artes circenses, reproduções de batalhas, e reconstituições do quotidiano romano, será este o cenário que vai invadir Ammaia, classificada como Monumento Nacional desde 1949. O festival conta também com visitas guiadas ao Museu e ruínas da Cidade Romana, um mercado de rua e um espetáculo noturno único de teatro, dança, acrobacia e fogo.

 

Promovido pelo Município de Marvão e pela Fundação Cidade de Ammaia e aliando o Património à Cultura, o festival pretende divulgar a herança romana de Marvão, fazer crescer o setor turístico e estimular a economia local.

 

Nesta terceira edição, o Ammaia Festum associa-se às comemorações do Dia Mundial da Criança, com atividades pedagógicas especificamente dirigidas aos mais jovens, como jogos lúdicos e oficinas de experimentação, sempre no cenário de eleição que são as ruínas da cidade romana.

 

 

 

 

Programa:

 

Dia 31 de maio (sexta-feira)

 

18h00 | Abertura do III Ammaia Festum

 

  • Espetáculos de recriação histórica Romana
  • Acampamento de Legionários
  • Lutas de gladiadores
  • Figuras mitológicas
  • Mercado de rua
  • Comédia
  • Música
  • Dança
  • Visitas guiadas ao Museu e ruínas da Cidade Romana de Ammaia

 

21H30 | Espetáculo de teatro, dança, acrobacia e fogo “Ubi tu Gaius, ego Gaia”

 

 

Dia 1 de junho (sábado)

 

17h00 | Abertura do III Ammaia Festum

 

Comemoração do Dia Mundial da Criança (Crianças até aos 12 anos com entrada gratuita)

* Com atividades especificamente dirigidas aos mais jovens, jogos lúdicos e oficinas de experimentação.

 

  • Espetáculos de recriação histórica Romana
  • Acampamento de Legionários
  • Lutas de gladiadores
  • Figuras mitológicas
  • Mercado de rua
  • Comédia
  • Música
  • Dança
  • Visitas guiadas ao Museu e ruínas da Cidade Romana de Ammaia

 

21H30 | Espetáculo de teatro, dança, acrobacia e fogo “Ubi tu Gaius, ego Gaia”

Percurso do Contrabando do Café renasce em Marvão

Contrab_Cafe_2019_web.jpg

 

Evento decorre a 4 de maio

 

O Percurso do Contrabando do Café volta a fazer de Marvão um destino obrigatório!

 

Deixe-se absorver pelas paisagens deslumbrantes que envolvem a fronteira entre Portugal e Espanha e por onde, em tempos, se contrabandeavam vários produtos. A rota dos antigos contrabandistas é homenageada a 4 de maio, em Marvão.

 

Durante o Estado Novo, por percursos sinuosos e de madrugada, os contrabandistas cruzavam a fronteira entre Portugal e Espanha transportando café, porcelanas, gomas e até Coca-Cola às escondidas das polícias dos dois lados da fronteira. Estes caminhos vão agora ser redescobertos numa caminhada de 13 km que é uma recriação e uma homenagem a uma profissão de circunstância que se tornou parte da história da raia luso-espanhola.

 

Roteiro turístico e viagem ao passado, o Percurso do Contrabando do Café recorda a principal fonte de rendimento de algumas famílias desta zona, durante boa parte do século XX. Pelos velhos trilhos dos contrabandistas e por localidades historicamente ligadas a esta atividade, os caminhantes vão explorar zonas de grande beleza dos dois lados da fronteira, como Galegos, Pitaranha e La Fontañera.

 

O ponto de encontro é o edifício da antiga Alfândega de Porto Roque (Galegos) e a partida está marcada para as 9h. Antes, os participantes poderão provar as típicas migas de pão com carne de porco frita, acompanhadas de “café do contrabandista”.

 

A inscrição para todo o programa - que além da caminhada inclui seguro, pequeno-almoço e reforço alimentar - é gratuita. Já o almoço é opcional e custa 12€, também com inscrição prévia.

 

Para as inscrições ou para mais informações, contactos através do Posto de Turismo de Marvão: 245 909 131 e turismo@cm-marvao.pt.

Uma Quinzena de Comidas d'Azeite para saborear em Marvão

image002.jpg

 

Com o objetivo de homenagear os produtores de azeite locais e, sobretudo, dinamizar a economia local, aliando o turismo à gastronomia, o Município de Marvão promove, de 2 a 17 de março, em 15 restaurantes do concelho, a Quinzena Gastronómica do Azeite.

 

Numa altura em que os lagares da região terminam a sua campanha, os restaurantes marvanenses dão o papel principal a um dos produtos endógenos da região, apresentando uma ementa à base do azeite. Nesta edição, pela primeira vez, todos os restaurantes vão apresentar um prato único e original, especialmente concebido para as Comidas d’Azeite.

 

Nas ementas dos restaurantes aderentes poderá encontrar pratos tão diversos como açorda de ovas feita com azeite de azeitona galega e sável frito, lombo de bacalhau em azeite de Marvão e alho, miolo de camarão e espargos selvagens, couvada de polvo com azeite cru à portuguesa, arroz de línguas de bacalhau com azeite de azeitona galega, entre muitos outros.

 

Ao longo desta quinzena há ainda tempo para celebrar dois momentos especiais, na aldeia de Porto da Espada. A Rota do Contrabando do Azeite, a 10 de março, e o tradicional almoço convívio, no dia 17 de março, marcam também a 14ª edição das Comidas d’Azeite.

 

Servido no recinto das festas, pela Associação Cultural, Desportiva e Recreativa “Portus Gladii”, e com animação do grupo de música popular portuguesa “Quintarolas”, este almoço encerra uma Quinzena Gastronómica inteiramente dedicada aos comeres do Lagar.

 

Da ementa fazem parte, a tradicional prova dos azeites produzidos no concelho, a azeitona galega temperada com azeite, o queijo fresco com azeite e orégãos, as couves com bacalhau do Lagar, as migas de pão com carne de porco frita em azeite, a laranja com mel, azeite e canela, ou a tiborna.

Festival Internacional de Música de Marvão volta a ser o grande destaque de 2019

Calendario_eventos_2019.jpg

 

Depois da presença do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa e um novo recorde de visitantes, superior a 7.500 visitantes, o VI FIMM – Festival Internacional de Música de Marvão já tem data e cartaz definidos. Um dos mais notáveis festivais de música clássica que se realiza no nosso país decorre de 19 a 28 de julho e dá o pontapé de saída com um concerto no Castelo de Marvão, com o pôr-de-sol como pano de fundo.

 

Mas não só de música clássica se faz a agenda cultural da vila de Marvão.

No início de maio, o Município promove o Percurso do Contrabando do Café, por caminhos sinuosos e outrora percorridos pelos contrabandistas, com o intuito de dar a conhecer uma zona de extraordinária beleza natural e paisagística.

 

O Ammaia Festum, em junho, transporta-nos no tempo com uma animação histórica na Cidade Romana de Ammaia, classificada como Monumento Nacional desde 1949, aliando Património e Cultura. Um mercado de rua, uma recriação histórica, música, dança, comédia, figuras mitológicas, lutas de gladiadores e um acampamento de legionários, são alguns dos atrativos do Ammaia Festum.

 

Em julho, regressa o FIMM, com Marvão a receber diversos artistas de classe mundial, pelas mãos do conceituado maestro alemão Christoph Poppen. Serão dez dias de concertos únicos, nos mais emblemáticos e mágicos lugares.

 

Já em agosto, o Periferias - Festival Internacional de Cinema de Marvão e Valencia de Alcántara, mantém a aposta num modelo de itinerância pelas aldeias e lugares históricos da raia luso-espanhola. A par da mostra de filmes, o Festival engloba exposições, palestras e espetáculos musicais, constituindo-se como um evento multidisciplinar de relevo no panorama cultural da região.

 

Em outubro, a vila recorda o seu fundador, Ibn Maruan, e realiza o Festival Al Mossassa. Durantes três dias, Marvão recua no tempo, até ao séc. IX, para recordar as suas origens e o ambiente vivido na época, numa celebração cultural única. Neste espaço, onde coabitam os legados islâmico, judaico e cristão, o visitante poderá encontrar um vasto leque de produtos e objetos relacionados com estas culturas, tomar o verdadeiro chá árabe e saborear as iguarias de outrora.

 

2019 leva-nos por uma viagem cultural e diversificada por este Marvão autêntico e único.

 

Marvão para ver, sentir, fruir e não mais esquecer!

 

 

A agenda cultural para 2019 volta a surpreender, confira aqui:

 

Percurso do Contrabando do Café

4 de maio 2019

 

Ammaia Festum

8 de junho de 2019

 

Festival Internacional de Música de Marvão

19 a 28 de junho de 2019

 

Boda Régia

1 de agosto de 2019

 

Periferias - Festival Internacional de Cinema

10 a 18 de agosto de 2019

 

Al Mossassa

4 a 6 de outubro de 2019

 

XXXVI Feira da Castanha

9 a 10 de novembro de 2019

 

 

 

Vem aí o festival Guitarras ao Alto – de 30 de maio a 3 de junho

Francisca Cortesão e Mariana Ricardo elevam as guitarras, pelo Alentejo

 

image006.jpg

 

Entre os dias 30 de maio e 3 de junho, o Alentejo será palco de mais uma edição do Guitarras ao Alto, um festival português que reúne, todos os anos, duplas de alguns dos melhores guitarristas nacionais, que se unem para proporcionar concertos inéditos em locais originais e emblemáticos da região. O vinho, a gastronomia, a paisagem e o património alentejano são o pano de fundo para este festival de primavera que tem por objetivo levar a música e o entretenimento ao interior do país.

Francisca Cortesão e Mariana Ricardo são as artistas convidadas desta 4ª edição que conta com uma série de cinco espetáculos itinerantes:

 

30 de maio - Estremoz - Convento das Maltezas/Centro Ciência Viva

31 de maio - Avis - Claustro do Convento de S. Bento de Avis

1 de junho - Beirã/Marvão - Antiga estação de comboios da Beirã-Marvão (parceria Train Spot)

2 de junho - Redondo - Herdade de São Miguel, em casa do patrocinador oficial do evento, vinhos Herdade de São Miguel

3 de junho - Crato – Pousada Flor da Rosa

 

Bilhetes à venda em www.guitarrasaoalto.pt (Preço - 5€ por pessoa, com oferta de copo de vinho Herdade de São Miguel).

 

O Guitarras ao Alto está vai na sua 4ª edição e por lá passaram nomes como Peixe, Frankie Chavez, Tó Trips, Filho da Mãe, Norberto Lobo e Luís Martins.  A ideia de criar o Festival Guitarras ao Alto surge quando, em 2013, o alfacinha Vasco Durão se muda para o Alentejo, Estremoz, com a sua família. Melómano incurável, Vasco rapidamente viu no Alentejo um potencial incrível de dinamização, tão vital para a região. Dedicou os últimos quatro anos a tornar isso possível e a provar que o Alentejo também pode ser palco de eventos originais e com muita qualidade.

A edição deste ano conta com o patrocínio oficial dos vinhos Herdade de São Miguel, da Casa Relvas, um dos principais produtores de vinhos do Alentejo, empenhado, ativamente, na promoção e divulgação da cultura e tradição alentejanas. A própria Herdade de São Miguel será “anfitriã” de um dos espetáculos Guitarras ao Alto, no sábado, dia 2 de junho, onde será preparado um evento único, do meio da tarde ao pôr do sol, integrado na vinha e na natureza. O evento conta ainda com o apoio do Turismo do Alentejo, através do Programa 365 Alentejo-Ribatejo, e da Antena 3, media partner oficial desde a génese deste projeto.  

 

SOBRE AS ARTISTAS

Francisca Cortesão nasceu no Porto em 1983, mas vive atualmente em Lisboa. Cantora, compositora e multi-instrumentista, desde 2006 que tem em Minta & The Brook Trout o seu principal projeto. A banda editou o terceiro longa-duração, Slow, em 2016.

Igualmente cofundadora dos They’re Heading West, entre as suas colaborações passadas e presentes contam-se ainda concertos e gravações de Walter Benjamin, B Fachada, David Fonseca, Márcia, Sérgio Godinho, Tape Junk, Bruno Pernadas e Lena D’Água, onde participa sobretudo com vozes e guitarras. Em 2018, foi convidada a compor para o Festival da Canção.

Mariana Ricardo nasceu em 1980 em Lisboa, onde vive e trabalha. Divide-se entre a música independente e o cinema. Iniciou a atividade musical em 1994, participando em diversos projetos musicais, com destaque para Pinhead Society e München.

Compôs e interpretou as bandas sonoras dos filmes “Xavier” (2002) e “Quatro Copas” (2007) de Manuel Mozos e de “A Cara que Mereces” de Miguel Gomes (2004). Em 2008 assinou a pesquisa e direção Musical do filme “Aquele Querido Mês de Agosto” de Miguel Gomes. Como integrante do coletivo musical München assinou, entre outras, a banda sonora dos filmes “Je flotterai sans envie” (2009) de Frank Beauvais e “A Espada e a Rosa” (2010) de João Nicolau.

Trabalha como argumentista desde 2005, coassinando os argumentos dos filmes “Aquele Querido Mês de Agosto” (2008, Miguel Gomes), "A Espada e a Rosa" (2010, João Nicolau) , "Tabu" (2012, Miguel Gomes), “As Mil e Uma Noites” (2015, Miguel Gomes) e John From (2015, João Nicolau).

Atualmente integra as bandas They’re Heading West, The Secret Museum of Mankind, Silence is a Boy e Minta & The Brook Trout.

Guitarras ao Alto está de regresso - Francisca Cortesão e Mariana Ricardo elevam as guitarras, pelo Alentejo

4ª Edição Guitarras ao Alto pela primeira vez no feminino

Francisca Cortesão e Mariana Ricardo elevam as guitarras, pelo Alentejo

 

image003.jpg

 

 

Entre os dias 30 de maio e 3 de junho, o Alentejo será palco de mais uma edição do Guitarras ao Alto, um festival português que reúne, todos os anos, duplas de alguns dos melhores guitarristas nacionais, que se unem para proporcionar concertos inéditos em locais originais e emblemáticos da região. O vinho, a gastronomia, a paisagem e o património alentejano são o pano de fundo para este festival de primavera que tem por objetivo levar a música e o entretenimento ao interior do país.

Francisca Cortesão e Mariana Ricardo são as artistas convidadas desta 4ª edição que conta com uma série de cinco espetáculos itinerantes: Estremoz - Convento das Maltezas/Centro Ciência Viva (30 de maio); Avis - Claustro do Convento de S. Bento de Avis (31 de maio); Beirã/Marvão - Antiga estação de comboios da Beirã-Marvão, em parceria com a guest house Train Spot (1 de Junho); Redondo - Herdade de São Miguel, em casa do patrocinador oficial do evento, vinhos Herdade de São Miguel (2 de junho); Crato – Pousada Flor da Rosa (3 de junho).

A novidade desta edição é o patrocínio oficial dos vinhos Herdade de São Miguel, da Casa Relvas, um dos principais produtores de vinhos do Alentejo, empenhado, ativamente, na promoção e divulgação da cultura e tradição alentejanas. A própria Herdade de São Miguel será “anfitriã” de um dos espetáculos Guitarras ao Alto, no sábado, dia 2 de junho, onde será preparado um evento único, do meio da tarde ao pôr do sol, integrado na vinha e na natureza.

A 4ª edição do festival Guitarras ao Alto conta ainda com o apoio do Turismo do Alentejo, através do Programa 365 Alentejo-Ribatejo, e da Antena 3, media partner oficial desde a génese deste projeto.  

A ideia de criar o Festival Guitarras ao Alto surge quando, em 2013, o alfacinha Vasco Durão se muda para o Alentejo, Estremoz, com a sua família. Melómano incurável, Vasco rapidamente viu no Alentejo um potencial incrível de dinamização, tão vital para a região. Dedicou os últimos quatro anos a tornar isso possível e a provar que o Alentejo também pode ser palco de eventos originais e com muita qualidade. O Guitarras ao Alto está já na sua 4ª edição e por lá passaram nomes como Peixe, Frankie Chavez, Tó Trips, Filho da Mãe, Norberto Lobo e Luís Martins. 

Bilhetes à venda no website do evento www.guitarrasaoalto.pt e na página oficial de Facebook www.facebook.com/guitarrasaoalto.

 

SOBRE AS ARTISTAS Francisca Cortesão nasceu no Porto em 1983, mas vive atualmente em Lisboa. Cantora, compositora e multi-instrumentista, desde 2006 que tem em Minta & The Brook Trout o seu principal projeto. A banda editou o terceiro longa-duração, Slow, em 2016. Igualmente cofundadora dos They’re Heading West, entre as suas colaborações passadas e presentes contam-se ainda concertos e gravações de Walter Benjamin, B Fachada, David Fonseca, Márcia, Sérgio Godinho, Tape Junk, Bruno Pernadas e Lena D’Água, onde participa sobretudo com vozes e guitarras. Em 2018, foi convidada a compor para o Festival da Canção. Mariana Ricardo nasceu em 1980 em Lisboa, onde vive e trabalha. Divide-se entre a música independente e o cinema. Iniciou a atividade musical em 1994, participando em diversos projetos musicais, com destaque para Pinhead Society e München. Compôs e interpretou as bandas sonoras dos filmes “Xavier” (2002) e “Quatro Copas” (2007) de Manuel Mozos e de “A Cara que Mereces” de Miguel Gomes (2004). Em 2008 assinou a pesquisa e direção Musical do filme “Aquele Querido Mês de Agosto” de Miguel Gomes. Como integrante do coletivo musical München assinou, entre outras, a banda sonora dos filmes “Je flotterai sans envie” (2009) de Frank Beauvais e “A Espada e a Rosa” (2010) de João Nicolau. Trabalha como argumentista desde 2005, coassinando os argumentos dos filmes “Aquele Querido Mês de Agosto” (2008, Miguel Gomes), "A Espada e a Rosa" (2010, João Nicolau) , "Tabu" (2012, Miguel Gomes), “As Mil e Uma Noites” (2015, Miguel Gomes) e John From (2015, João Nicolau). Atualmente integra as bandas They’re Heading West, The Secret Museum of Mankind, Silence is a Boy e Minta & The Brook Trout.