Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

X Festival "Música no Rio - Os Outros Sons do Fluviário"

image.jpg

 

Dez anos de “Música no Rio, Os Outros Sons do Fluviário”

Mário Laginha e Pedro Burmester, Elas e o Jazz, Joana Amendoeira, Sara Tavares. São estes os cabeças de cartaz da décima edição do Festival “Música no Rio, Os Outros Sons do Fluviário”, que decorrerá nos fins-de-semana de 12 e 13, 19 e 20 de Julho, no Parque Ecológico do Gameiro, em Cabeção, Mora.

A organização do evento, que cabe à Câmara Municipal de Mora, tem ao longo destes anos apostado em espectáculos que marcam pela diversidade e qualidade da oferta musical. O que na presente edição não será diferente.

Mário Laginha e Pedro Burmester, uma dupla de pianistas, unem no seu espectáculo o Jazz de Laginha e o clássico de Burmester. Um espectáculo que representa as diferentes inclinações musicais, experiências e o gosto pelo risco, partilhados entre ambos. Joana Machado, Marta Hugon e Mariana Norton transportam para o palco o amor comum pelo Jazz. O projecto intitulado Elas e o Jazz, recria o universo contêmporaneo da Broadway e dos clubes de jazz de Nova Iorque. Joana Amendoeira com o seu fado, apresenta um espectáculo evocativo de Ary dos Santos. A fadista cantará os fados que mais marcaram a obra do Poeta do Povo, imortalizados por outros, como Amália Rodrigues e Carlos do Carmo. Sara Tavares, hoje diferente do que nos mostrou há 20 anos atrás, criou com o tempo a sua própria sonoridade. Caracterizam-na a forte ligação às suas raízes cabo-verdianas, o seu amor pelo soul e a sua facilidade com a melodia, que no conjunto contribuem para que a sua música seja uma verdadeira música do mundo.

Com bilhetes com o valor simbólico de 1€, o Festival de Verão do Concelho de Mora acontece inserido no cenário natural e idílico do Parque Ecológico do Gameiro, junto ao Fluviário de Mora. Dez anos de Festival “Música no Rio – Os Outros Sons do Fluviário” com reconhecimento pela produção e organização do mesmo, que tem primado sempre pelo prestígio e pela envolvência entre a música erudita e o local onde acontece.

Uma aposta da Câmara Municipal de Mora, que conta, mais uma vez, com a Antena 1 como rádio oficial do Festival.

X Festival "Música no Rio - Os Outros Sons do Fluviário"

image.jpg

 

Dez anos de “Música no Rio, Os Outros Sons do Fluviário”

Mário Laginha e Pedro Burmester, Elas e o Jazz, Joana Amendoeira, Sara Tavares. São estes os cabeças de cartaz da décima edição do Festival “Música no Rio, Os Outros Sons do Fluviário”, que decorrerá nos fins-de-semana de 12 e 13, 19 e 20 de Julho, no Parque Ecológico do Gameiro, em Cabeção, Mora.

A organização do evento, que cabe à Câmara Municipal de Mora, tem ao longo destes anos apostado em espectáculos que marcam pela diversidade e qualidade da oferta musical. O que na presente edição não será diferente.

Mário Laginha e Pedro Burmester, uma dupla de pianistas, unem no seu espectáculo o Jazz de Laginha e o clássico de Burmester. Um espectáculo que representa as diferentes inclinações musicais, experiências e o gosto pelo risco, partilhados entre ambos. Joana Machado, Marta Hugon e Mariana Norton transportam para o palco o amor comum pelo Jazz. O projecto intitulado Elas e o Jazz, recria o universo contêmporaneo da Broadway e dos clubes de jazz de Nova Iorque. Joana Amendoeira com o seu fado, apresenta um espectáculo evocativo de Ary dos Santos. A fadista cantará os fados que mais marcaram a obra do Poeta do Povo, imortalizados por outros, como Amália Rodrigues e Carlos do Carmo. Sara Tavares, hoje diferente do que nos mostrou há 20 anos atrás, criou com o tempo a sua própria sonoridade. Caracterizam-na a forte ligação às suas raízes cabo-verdianas, o seu amor pelo soul e a sua facilidade com a melodia, que no conjunto contribuem para que a sua música seja uma verdadeira música do mundo.

Com bilhetes com o valor simbólico de 1€, o Festival de Verão do Concelho de Mora acontece inserido no cenário natural e idílico do Parque Ecológico do Gameiro, junto ao Fluviário de Mora. Dez anos de Festival “Música no Rio – Os Outros Sons do Fluviário” com reconhecimento pela produção e organização do mesmo, que tem primado sempre pelo prestígio e pela envolvência entre a música erudita e o local onde acontece.

Uma aposta da Câmara Municipal de Mora, que conta, mais uma vez, com a Antena 1 como rádio oficial do Festival.

Exposição de Pintura "memória da PEDRA" | Museu Interactivo do Megalitismo | Mora.

image.png

Exposição de Pintura "memória da PEDRA" de Maria Cecília Louraço. 
Patente de 1 de Junho a 31 de Agosto na Sala de Actividades do Museu Interactivo do Megalitismo, em Mora.
Inauguração: 1 de Junho às 18h00
 
 
 
Os caminhos voltaram a ser percorridos.

Foram terras visitadas e vividas, enquanto se mantiveram vivas as pessoas que a ela nos ligavam. Dessas, já só lá estão os filhos e os netos que nelas viveram enquanto cresciam, durante as férias.

Eram já somente lugares de avós. As notícias da geração anterior foram-lhes passadas pelos primos, numa corrente contínua de nomes, lugares, histórias, objectos que permaneciam, dando à casa a sua identidade. Objectos que serviram e foram tocados por outras mãos, num outro tempo. Os caminhos, as casas, os quintais e jardins voltaram a ser lugares de viver; terminava um ciclo e começava outro e depois outro...

O espírito do lugar dos avós tocou os netos, agora adultos, prontos para novo ciclo com novas histórias, novos objectos...
Esta é a história de uma família actual mas, bem podia ser a História da Humanidade, desde os tempos primordiais quando vivia nas entranhas da Terra, em total sintonia com a Natureza, agreste e violenta mas, simultaneamente, pródiga de matérias primas ao seu dispor.

Delas o Homem se foi apropriando, desenvolvendo modos de pensar e de fazer, cada vez mais aperfeiçoados e eficazes, essenciais à sua sobrevivência, num continuum de gerações.

A sua História está gravada no corpo da Terra – nas suas entranhas, nas paredes das grutas onde se recolhia, ou à superfície, nas pedras dos caminhos que percorreu e nos utensílios que com elas fabricou ou nos túmulos e lugares de culto que construiu.

Desde o infinitamente pequeno ao infinitamente grande, os ciclos de vida sucedem-se, uns curtos e simples, outros mais complexos e de maior duração, desde o momento mágico do encontro inicial até à morte física, acumulando sinais da passagem do tempo ao longo do processo.

É na paisagem que podemos ler os sinais dessa evolução da vida na Terra, em paralelo com o nosso ciclo de vida, não só a partir da sua evolução geológica natural, mas também da acção do homem, ao longo de sucessivas gerações.A paisagem contém, pois, uma carga simbólica muita expressiva do nosso próprio corpo e da sua evolução, enquanto seres vivos inteligentes que agem e constroem a sua história.

Tal como as civilizações se sucedem, deixando marcas da sua passagem nos lugares onde floresceram, ao longo dos tempos. Camada a camada sobrepõem-se os anos, os séculos, os milénios...
 
Maria Cecília Louraço
 

Fevereiro - Mês das Migas

image.jpg

 

É já de há seis anos a esta parte que anualmente no mês de Fevereiro, a Câmara Municipal de Mora leva a efeito, nos restaurantes do Concelho, o Mês das Migas.

Na sexta edição desta iniciativa gastronómica, que decorre de 1 a 28 de Fevereiro, participam em Brotas, O Poço, em Cabeção, A Palmeira, Os Arcos, O Fluviário e o Solar da Vila, em Mora, Afonso, Morense, O António, Bombeiros e Solar dos Lilases, em Pavia, o Forno.

Os pratos de migas são opções constantes dos menus dos restaurantes locais, no entanto, durante este mês a oferta é adaptada ao evento, existindo mais variedades e diversas combinações. Os espargos, os coentros, os enchidos, a batata, as ovas, o bacalhau e claro está, o pão alentejano, são apenas alguns dos ingredientes que compõem estes pitéus. As receitas são de base tradicional, fazendo das migas um dos pratos mais típicos da gastronomia alentejana. Pode dizer-se que para quem procura a tradição local à mesa, os pratos de migas são autênticas caixas de recordações que reportam para os tempos antigos.

Sendo Fevereiro um mês de época baixa, a Câmara Municipal de Mora, entidade organizadora deste e de outros eventos que trazem movimento ao Concelho, assume como objectivo primordial do Mês das Migas a valorização da gastronomia e dos restaurantes locais, através da promoção de um prato típico tão apreciado pelo público em geral.

Para a sexta edição, à semelhança do que sucedeu em 2018, a organização volta a criar abertura para a realização de “Migas com Chefe”. Um conceito diferenciador, em que cozinheiros com percursos profissionais distintos são convidados a cozinhar com as equipas dos restaurantes participantes do Mês das Migas, cujas confecções serão depois colocadas à prova dos clientes. “Migas com Chefe” acrescenta valor e dinamiza o Mês das Migas, evento registo de sucesso no Concelho de Mora.

Para mais informações consulte o site da Câmara Municipal de Mora: www.cm-mora.pt.

XXIII Mostra Gastronómica da Caça | 24 de Novembro a 9 de Dezembro | Concelho de Mora

XXIII Mostra Gastronómica da Caça.jpg

 



Pratos de caça voltam a estar em destaque nos restaurantes do Concelho de Mora de 24 de Novembro a 9 de Dezembro, na XXIII Mostra Gastronómica da Caça.
O evento anual promovido pela Câmara Municipal de Mora, tem como objectivo contribuir para o desenvolvimento económico do Concelho, através do aproveitamento das potencialidades cinegéticas existentes na região e, consequentemente, da gastronomia típica e de excelência.
A participar estão este ano 10 restaurantes das quatro freguesias do Concelho: Brotas - O Poço; Cabeção - A Palmeira, Os Arcos, O Fluviário, O Solar da Vila; Mora - Afonso, Hotel Solar dos Lilases, Morense e O António; Pavia - O Forno, que estarão devidamente identificados.
O paladar dos habitantes e dos turistas vai ser, mais uma vez, despertado por mais de 50 receitas confecionadas tendo como base a carne da caça, apresentadas no prato com variadas combinações, formas e feitios. Entre os quais: arroz de lebre, sopa da panela de pombo bravo, veado com feijão branco, javali no forno, canja de pombo, coelho bravo à caçador, lebre com grão e nabos, perdiz de escabeche e galinhola na púcara.
A Mostra Gastronómica da Caça arranca, como já vem sendo habitual, com um jantar para degustar alguns dos pratos confeccionados com as mais variadas espécies de caça. Os pratos apresentados são preparados pelos restaurantes participantes e estarão posteriormente, no decorrer do certame, disponíveis nas ementas dos mesmos.
A Mostra Gastronómica da Caça é uma iniciativa que já faz parte da tradição gastronómica do Concelho de Mora.


 

IX Festival Música no Rio - Os outros sons do Fluviário

image.jpg

 

Sinfonietta de Lisboa, Choro Criolo, Raquel Tavares e Teresa Salgueiro, são os cabeças de cartaz da nona edição do Festival “Música no Rio – Os Outros Sons do Fluviário”.
O evento é promovido pela Câmara Municipal de Mora e vai ter lugar nos dias 13 e 14, 20 e 21 de Julho, com um total de quatro concertos, tal como tem sucedido nas edições anteriores.
Com bilhetes com o valor simbólico de 1€, o Festival acontece inserido no cenário natural do Parque Ecológico do Gameiro, junto ao Fluviário de Mora, na freguesia de Cabeção, Concelho de Mora.

Prémio Jovem Cientista 2017- Fluviário de Mora

image001.jpg

 

Prémio Jovem Cientista 2017- Fluviário de Mora

O Prémio Fluviário – Jovem Cientista relativo a 2017 foi entregue a Joana Teixeira Ribeiro, da Universidade de Aveiro com o trabalho “Ribeiro, J.; G.R. Colli, R.  Batista, & A. Soares (2017). Landscape and local correlates with anuran taxonomic, functional and phylogenetic diversity in rice crops Landscape Ecology, 32: 1599–1612.

Para esta edição o Fluviário de Mora recebeu 17 candidaturas, sendo validados, dentro do âmbito do prémio, 17 artigos. (...)

Câmara Municipal de Mora divulga potencialidades turísticas na BTL

 

image.jpg

 


O Município de Mora estará mais uma vez presente na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que decorre entre 28 de Fevereiro e 4 de Março, na FIL – Parque das Nações, Lisboa.

Esta é a 30ª edição do certame. A BTL, que no ano transacto recebeu cerca de 78 mil visitantes, entre profissionais e público em geral, é o palco onde é dado a conhecer o produto turístico não só nacional, como internacional. Com 1296 metros quadrados, o stand da Entidade Regional de Turismo do Alentejo/Ribatejo é o maior desta Bolsa de Turismo, albergando 41 empresas e 52 municípios alentejanos, entre os quais o Município de Mora. (...)

MORA: Museu Interactivo do Megalitismo prepara Megaventura para as Férias de Verão - 20 de Junho a 12 de Setembro

 

O Museu Interactivo do Megalitismo de Mora tem o prazer de divulgar, para estas Férias de Verão, um conjunto de actividades destinadas a diferentes públicos. Entre 20 de Junho e 12 de Setembro a Câmara Municipal de Mora convida a partilharem, com o Serviço Educativo do Museu Interactivo do Megalitismo, e de forma gratuita, uma fantástica aventura numa viagem ao passado. As actividades em destaque para este Verão:
Deusas Pintadas | Pintura e gravação de placas de xisto e grés com recurso a pigmentos de cores idênticas às encontradas nas originais. Duração: 30 min | Público-alvo: <12 anos | Preço: Gratuito

Pinturas Rupestres | Num ambiente de gruta/anta, recorrendo a corantes alimentares e pigmentos, vamos aprender a produzir tintas. Os visitantes são convidados a procurar diferenciar representações paleolíticas de neolíticas e aprender as diferentes técnicas usadas. Duração: 30 min | Público-alvo: <12 anos | Preço: Gratuito





Quero ser um Arqueólogo | Nesta actividade, vamos aprender os procedimentos inerentes a uma escavação. O antes, o durante e o depois, e ainda a interdisciplinariedade existente dentro dos procedimentos arqueológicos. Duração: 45 min | Público-alvo: <19 anos | Preço: Gratuito




Oficina de Talhe | Além de darmos a conhecer os variados objetos talhados (pontas de seta, lâminas, geométricos, raspadeiras) e a sua utilidade, vamos ainda aprender a fabricar alguns deles. Duração: 45 min | Público-alvo: >7 anos | Preço: Gratuito



Sobre o Museu Interactivo do Megalitismo de Mora: A antiga estação do caminho-de-ferro, em Mora, ganhou uma nova vida e também uma nova cara. Localizado no centro da vila, o Núcleo Regional do Megalitismo, inaugurado a 15 de Setembro do ano passado, contribuiu e tem vindo a contribuir, objectivamente, para a valorização e divulgação do património megalítico do Concelho, fruto dos mais de 100 anos de escavações arqueológicas aqui levadas a cabo, bem como para o enriquecimento social, cultural e económico do Concelho de Mora e, consequentemente, para a sua afirmação enquanto ponto de referência turística nacional e internacional. Em Maio deste ano, recebeu da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo – ERT, o Prémio de Melhor Projecto Público 2016.

 

Horário de Verão 10h-19h (encerra à 2ª Feira) T. (+351) 266 439 074 | (+351) 266 403 054 E. geralmegalitismo@cm-mora.pt W. www.museumegalitismomora.pt