Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Está a chegar a 3ª Edição do EFA Young Audience Award

e Maio de 2018

Está a chegar a 3ª Edição do EFA Young Audience Award

A Academia Portuguesa de Cinema e o ICA – Instituto do Cinema e Audiovisual levam novamente o EFA Young Audience Award à Cinemateca Portuguesa, em Lisboa. A 3ª edição da competição internacional de cinema, que tem a atriz Carla Chambel e o realizador Gonçalo Galvão Teles como mentores, acontece já no dia 6 de Maio, e os três filmes concorrentes deste ano são já conhecidos: “Girl in Flight” de Sandra Vannucchi, “Hobbyhorse Revolution” de Selma Vilhunen e “Wallay” de Berni Goldblat.

“Girl in Flight” é um drama de ficção italiano e suíço sobre a jornada de uma jovem de Florença que se rebela à vontade da família e parte sozinha à descoberta de Roma, a cidade dos seus sonhos. Já “Hobbyhorse Revolution” trata-se de um documentário finlandês sobre o mais recente desporto que está a agitar o mundo jovem, as competições com cavalos de brincar de madeira. “Wallay” é outra obra de ficção, desta vez de França, do Burkina Faso e do Qatar, sobre as desventuras de um jovem que pensa ir apenas de férias de verão para a quinta de um tio e acaba a descobrir o que é preciso para se tornar um homem.

Os filmes retratam questões sociais e temáticas comuns aos jovens um pouco por toda a Europa, despertando-lhes o interesse pela atualidade, fomentando-lhes o espírito crítico e o interesse por outras culturas. O júri do concurso é composto por jovens dos 12 aos 14 anos e o êxito do Young Audience Award vê-se no crescimento que regista desde 2012, tendo passado de 6 países participantes para 34.

Agora, no dia 6 de Maio, os três filmes serão exibidos em simultâneo nos vários países e o resultado de cada país será depois comunicado eletronicamente à EFA, em Efurt, na Alemanha. O vencedor será anunciado via videoconferência em todos os países em simultâneo.

É convidado do evento Fernando Mota, autor de bandas sonoras de diversos espetáculos. Será ainda um elemento fundamental na coordenação musical dos jovens jurados para a gravação do clip com as votações da delegação portuguesa, utilizando objetos do quotidiano.

Em Portugal o EFA Young Audience Award conta ainda com o apoio da NOS, da VIGOR e da PLENO, com brindes e no apoio as refeições durante o dia.

 

Sobre o Young Audiance Awards:

O Young Audience Awards é uma iniciativa da Academia Europeia de Cinema que tem como um dos principais objetivos colocar em contacto um público jovem com idades entre os 12 e os 14 anos com temáticas que lhes são próximas. Usando uma linguagem diferente, e dando-lhes a conhecer também um outro tipo de cinema, neste caso, de autores europeus, o concurso abre-lhes horizontes enquanto espetadores de cinema e desperta o seu sentido crítico, estético e de avaliação.

Já na sua sétima edição, o Young Audience Awards representa um verdadeiro voto europeu, marcando presença nos seguintes países: Alemanha (Berlin & Erfurt); Áustria (Viena); Bélgica (Bruxelas); Bulgária (Sofia); Croácia (Zagreb); Dinamarca (Aalborg); Eslováquia (Bratislava); Eslovénia (Izola); Espanha (Avilés & Barcelona); Grécia (Atenas); Holanda (Amsterdão); Hungria (Budapeste); Israel (Tel Aviv); Itália (Florença); Kosovo (Prizren); Letónia (Riga); Luxemburgo (Luxemburgo); Macedónia (Skopje); Malta (Saint-Julian's); Polónia (Wrocław); Portugal (Lisboa); Reino Unido (Londres); Roménia (Cluj-Napoca); Sérvia (Belgrado); Turquia (Antalya) e Ucrânia (Kiev).

 

Filmes em votação na edição de 2018 do EFA Young Audience Award

 

GIRL IN FLIGHT

image010.jpg

 

Realização: Sandra Vannucchi

Itália/Suíça, Ficção, 78 min.

Trailer: https://yaa.europeanfilmawards.eu/en_EN/girl-in-flight

 

A vida de Sílvia, de 11 anos, da Toscânia, é dominada pela depressão da sua mãe. Aguardando por um momento oportuno, Sílvia implora por uma viagem em família até Roma. Mas quando o pai recusa de forma veemente, Sílvia decide realizar o sonho, saindo de Florença sozinha. Sem medo e disponível para o que vier, Sílvia conhece uma cigana de 13 anos que, relutantemente, leva Sílvia consigo. Assim nasce uma complicada, mas sincera amizade que ajudará ambas. Filmado num campo cigano real, com residentes não-atores do campo, GIRL IN FLIGHT é uma ternurenta, assustadora e excitante viagem emocional, baseada em factos da vida da realizadora em estreia, Sandra Vannucchi.

 

HOBBYHORSE REVOLUTION

image011.jpg

 


Realização:
 Selma Vilhunen

Finlândia, Documentário, 90 min.

Trailer: https://yaa.europeanfilmawards.eu/en_EN/hobbyhorse

 

 

Brincar com cavalinhos de pau é uma brincadeira tradicional das crianças finlandesas, mas nos dias de hoje as adolescentes criaram um versátil hobby, elevando a brincadeira a um outro nível. As praticantes estão não-oficialmente organizadas, trabalhando na base do voluntariado.

Por um lado elas são ativas através das suas contas de Instagram, blogues e fóruns e, por outro, elas praticam a modalidade exercitando em parques, matas, levando a atividade muito a sério. Mais do que nunca, o grupo está a crescer, trilhando determinadamente o seu caminho e organizando competições nacionais. Todos os cavalos de pau são feitos à mão e cada um tem um nome e personalidade própria. A idade das praticantes está continuamente a expandir-se, sendo que a mais velha tem, neste momento, 20 anos. A febre dos cavalos de pau também está a espalhar-se além-fronteiras.

 

 WALLAY

image012.jpg

 

Realização: Berni Goldblat

França/Burkina Faso/Qatar, Ficção, 83 min.

Trailer: https://yaa.europeanfilmawards.eu/en_EN/wallay

 

Ady, um rapaz de 13 anos, já não respeita o seu pai que o educa sozinho. O progenitor, que se encontra sem recursos, decide confiar Ady ao seu tio Amadou, durante o Verão. O Tio Amadou e a sua família vivem do outro lado do Mar Mediterrânio… no Burkina Faso!

Lá, aos 13 anos, é suposto os rapazes tornarem-se homens, mas Ady, persuadido de que vai apenas de férias, entende as coisas de forma diferente.

 

 

 

Cláudia Nair Oliveira e Victor Escaleira levam azulejo português à Dinamarca

 
Artistas plásticos portuenses apresentam novas criações da azulejaria portuguesa em papel e em madeira. “MEMORIES OF AN IDENTITY” até 30 de Abril | Espaço VELUX - Dinamarca

 

primage_22656.png.jpg

 

A arte de recriar o azulejo português é o trabalho criativo que dois artistas plásticos do Porto expõem, este mês (Abril), na Dinamarca. Cláudia Nair Oliveira - mentora do projeto artístico Marias Paperdolls - e Victor Escaleira, escultor, inspiraram-se na azulejaria portuguesa para a exposição “Memories of an Identity” que decorre, desde 5 de Abril e até 30 de Abril, na cidade dinamarquesa - Hørsholm.  

Na essência desta obra conjunta está a ambição de apresentar ao público novas composições, novos estilos, novas linguagens para a azulejaria portuguesa, retratando a ilustração as várias influências e inspirações que ambos os artistas plástico absorvem, no seu quotidiano.

PORQUÊ O AZULEJO?

De forte sentido cenográfico descritivo e monumental, o azulejo é considerado como uma das produções mais originais da cultura portuguesa, onde se dá a conhecer, como num extenso livro ilustrado de grande riqueza cromática, não só a história, mas também a mentalidade e o gosto de cada época. Uma arte onde os portugueses têm 500 anos de tradição.

“Partindo do facto ser um símbolo de referência nacional - equacionando a admiração e a paixão que ambos temos pela azulejaria - nasceu a ideia de trabalhar esta arte de azulejar, explorando novos conceitos e abordagens através dos materiais que cada um de nós trabalha como tela: o papel e a madeira. No meu caso, são as minha bonecas - Marias Paperdolls - que vão dar corpo e alma ao azulejo”, explica Cláudia Nair Oliveira. 

Segundo Victor Escaleira, “este projeto artístico assumiu-se como grande desafio criativo que incidiu na recriação do azulejo tradicional, metamorfoseando-o sem perder a identidade, ou seja, criando apenas um conceito diferente, recorrendo à matéria-prima usada nas nossas obras - papel e madeira – e incorporando inovação e criatividade na produção.”

A oportunidade de levar a arte alusiva ao azulejo português à Dinamarca surgiu do convite feito pela marca VELUX – um grupo industrial com sede naquele país e com representação em Portual - que tem criado, há mais de 70 anos, os melhores ambientes habitacionais em todo o mundo.

 

Cláudia Nair Oliveira | Mentora do projeto artístico MARIAS PAPERDOLLS:

Abraça a arte de reciclar papel para construir bonecas artesanais que retratam cultura, património e personalidades. Cada peça conta uma história, defende uma causa, passa uma mensagem, tem ‘Alma e Identidade’.

As MARIAS PAPERDOLLS enquadram-se num conceito criativo, contemporâneo e ambiental (material reciclado), e têm no ADN uma essência humanista que gira em torno do universo feminino. Através das inúmeras, variadas e criativas ilustrações, as MARIAS PAPERDOLLS contam histórias, são rosto de causas e voz de mensagens pelo mundo. Espalhadas um pouco por todo o País, as MARIAS PAPERDOLLS já se internacionalizaram em países como Espanha, França, Itália, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Áustria e, brevemente, Japão.

 

Victor Escaleira | Escultor

Abraça a arte de esculpir madeira, criando obras inspiradas no que o rodeia. Depois de uma passagem de cinco anos a trabalhar ao vivo a madeira numa companhia de teatro, no âmbito de feiras temáticas em Portugal e estrangeiro, faz um interregno desde 2010, voltando ao ativo em 2016, iniciando uma nova fase nos seus trabalhos.

O seu mais recente projeto criativo foi ao serviço do Município de Valongo, no final de 2017, onde foi co-autor da obra artística intitulada “Cápsula do Tempo” que foi concebida no âmbito das comemorações dos 180 anos do concelho.  

Concurso Nacional de Leitura_4 finalistas

concurso1.jpg

 

 

Concurso Nacional de Leitura

 

4 finalistas vão participar nas provas intermunicipais

 

 

Na Prova Municipal realizada, no passado dia 13 de abril, no âmbito do Concurso Nacional de Leitura, o júri selecionou quatro alunos finalistas, do Concelho do Barreiro, por nível de ensino, que irão participar na 3º fase do Concurso Nacional de Leitura, (provas municipais) agendada para maio, em Almada.

 

São estes os seguintes finalistas:

1º Ciclo - Alexandre Gonçalves de Oliveira dos Santos – Colégio Minerva;

2º Ciclo - Patrícia Alexandra Bandeira Ferreira – Escola Básica Quinta Nova da Telha;

3º Ciclo - Carolina Alexandra Arroja Alves – Escola Básica Quinta da Lomba;

Secundário - Inês Sofia Camilo Simão – Escola Secundária de Casquilhos.

 

O Júri foi constituído por três elementos: o Autor, Paulo Freixinho, a Coordenadora Interconcelhia Rede de Biblioteca Escolares, Margarida Chaves, e Alice Conceição, em representação da Câmara Municipal do Barreiro.

 

 

CMB

11ª Vencedores Festa do Cinema Italiano

c17c6ac9-3b40-4089-8f1d-22c6ee20c850.png

 

Happy Winter premiado pelo júri e Cuori puri preferido do público
na 11ª Festa do Cinema Italiano, a edição com mais espectadores desde sempre

 

Happy Winter, primeira obra de Giovanni Totaro, é o grande vencedor do Prémio do Júri da 11ª Festa do Cinema Italiano e o filme vencedor do Prémio do Público Canais TVCine & Séries é Cuori puri, primeira obra de Roberto de Paolis, na edição que teve mais espectadores da história do festival.

Premiado de forma unânime pelo júri – constituído por Francisco Valente, Paula Brito Medori e Pedro Cabeleira – o documentário Happy Winter foi o escolhido com a seguinte justificação por parte do júri: “pela originalidade da sua proposta e pela liberdade do seu gesto, este filme constrói, a partir de um mosaico de vidas verdadeiras, um retrato lúdico, social e político complexo no qual reconhecemos não apenas um país mas, também, um microcosmo da realidade em que vivemos, tanto o seu lado eufórico como incerto”.

Com estreia mundial no Festival de Veneza, Happy Winter, foi exibido em festivais como IDFA - Documentary Film Festival Amsterdam, Visions du Réel, Istanbul Film Festival e Hot Docs. Um documentário que nos leva até à praia de Mondello, em Palermo - Sicília, onde todos os anos, no verão, são reconstruídas mais de mil cabanas, prontas para receber inúmeros banhistas que ali passam toda a temporada. Em completa devoção pela praia, a maioria não deixará a sua espreguiçadeira durante todo o verão, até setembro. De facto, para estas pessoas, as cabanas de praia são o melhor abrigo para se esconderem da memória de um status social que a crise económica dos últimos anos fomentou. Exorcizar as dificuldades diárias, parecer feliz e sem problemas é o objetivo compartilhado pela comunidade que todos os anos cria este microcosmos na praia, entre horas ao sol, danças em grupo, refeições, karaoke e festas na praia.

Cuori puri, de Roberto de Paolis venceu o Prémio do Público Canais TVCine & Séries. O filme preferido do público desta edição da Festa do Cinema Italiano foi uma das revelações do Festival de Cannes, nomeado na secção Caméra d'Or, dedicada a primeiras obras. Vencedor, entre outros, do prémio One-Future-Prize para Melhor Realizador no Munich Film Festival e de Melhor Atriz Principal (Selene Caramazza) no Sevilla Festival de Cine Europeo, o filme conta-nos a história de Agnese, de 17 anos, que vive sozinha com uma mãe impiedosa que lhe pede um voto de castidade até o casamento e de Stefano, de 25 anos, de um meio marginalizado, é segurança num parque de estacionamento de uma empresa. O encontro e a paixão entre os dois levam a um confronto entre os ideais de Agnese e os de Stefano.
 

Perto de 12.000 espectadores em sala em Lisboa e mais de 1600 nas cidades do Porto, Almada, Cascais e Setúbal

A 11ª Festa do Cinema Italiano aconteceu, em simultêneo em cinco cidades – Lisboa, Porto, Almada, Cascais e Setúbal – com excelente adesão de público, com salas cheias e mais de 10 sessões esgotadas em Lisboa (onde o festival decorreu no Cinema São Jorge, no UCI El Corte Inglés e na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema). No Porto, realizou-se no Cinema Trindade e Teatro Rivoli, verificando-se um expressivo crescimento em relação ao ano passado, com salas cheias e uma sessão esgotada.

Em Lisboa, o festival contou com perto de 12 mil espectadores em sala e mais de 1700 em atividades paralelas, o que significa, até ao momento, um total de cerca de 15.500, incluindo as outras quatro cidades.

Convidados
Este ano, a Festa do Cinema Italiano recebeu diversos convidados, nomeadamente, Marco Tullio Giordana, Angelo Milano, Valeria Solarino, Fabrizio Gifuni, Giorgio Ferrero, Federico Biasin, Emiliano Morreale, Gianna Gissi, Lorenzo Baraldi, Clara Rametta, Patricia Gangi e Daniela Virgoni.

Também Madonna marcou presença no festival, tendo assistido a uma sessão do filme Nico, 1988, de Susanna Nicchiarelli, que tem estreia nacional prevista para junho.

A Festa continua
A Festa continua agora em várias cidades: Coimbra (12 e 13 de abril, no Teatro Académico de Gil Vicente), Aveiro (16 e 17 de abril, no Teatro Aveirense), Évora (12 e 13 de abril, no Auditório Soror Mariana), Viseu (de 17 a 19 de abril, no Cineclube de Viseu - Auditório IPDJ), Beja (de 2 a 4 de maio, no Pax Júlia – Teatro Municipal), na Moita (11, 18 e 25 de maio, no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo), Tomar (15, 16, 17 e 19 de maio, no Cine-Teatro Paraíso), Abrantes (9, 10 e 16 de maio, no Centro Cultural Gil Vicente), Loulé (de 18 a 20 de maio, no Cine-Teatro Louletano) Viana do Castelo (22 e 23 de maio, no Teatro Municipal Sá de Miranda), Caldas da Rainha (22 a 24 de maio, no CCC – Centro Cultural de Congressos), entre outras, seguindo depois para Angola, Moçambique e Brasil.

A Festa do Cinema Italiano é organizada pela Associação Il Sorpasso, com o apoio da Embaixada de Itália, do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa, da Câmara Municipal de Lisboa e da EGEAC. O patrocinador principal deste ano é a Garofalo, contando ainda com os patrocínios da FIAT, Generali e da TVCine & Séries.

24 HORAS DE CULTURA COM O IVA A 6%

 

4997c264-8aca-4818-b695-e7a495c7a806.jpeg

 

24 HORAS DE CULTURA COM O IVA A 6%

ESTA SEXTA-FEIRA 13 DE ABRIL, ARTISTAS E AGENTES CULTURAIS UNEM-SE DURANTE 24 HORAS E DISPONIBILIZAM ESPETÁCULOS COM O PREÇO FINAL TAXADO AO CONSUMIDOR COM O IVA APENAS A 6%

Esta sexta-feira, 13 de abril, artistas e agentes culturais unem-se numa iniciativa de carácter único e disponibilizam uma longa lista de espetáculos com o preço final taxado ao consumidor com o IVA reposto a 6%. Esta ação não contará com qualquer apoio do Ministério da Cultura ou da Assembleia da República.

A APEFE (Associação de Promotores, Espetáculos, Festivais e Eventos), que lançou esta semana a Petição Pública da Reposição do IVA dos espetáculos nos 6%, apoia esta iniciativa que visa combater as más políticas levadas a cabo no sector da cultura ao longo dos últimos anos, entre as quais a inconstitucionalidade do IVA da Cultura com a taxa intermédia de 13%. O acesso à cultura é um direito constitucional, pelo que o Estado deve repor o IVA à taxa reduzida de 6%, tal como os restantes bens essenciais.

É de conhecimento público que as políticas culturais desenvolvidas em Portugal não têm atingindo os seus objetivos. Os últimos números conhecidos do sector pelo INE (Instituo Nacional de Estatística), em 2016, revelam que foram vendidos em Portugal 4,9 milhões de bilhetes para espetáculos ao vivo, o que reflete que um português só compra bilhetes de dois em dois anos. Estes dados podem ser facilmente justificados pelo facto de Portugal praticar o 5.º IVA de espetáculos mais alto da Europa, ao mesmo tempo que regista um dos mais baixos poderes de compra, entre os Estados-membros.


ESTECTÁCULOS ADERENTES

5 Lésbicas e uma quiche - Teatro Armando Cortez | Aladino – Teatro Politeama | Amélia Muge - Cine-Teatro Garret | Ara Malikian - Casino Estoril | Balas e Purpurinas – Auditório do Casino Estoril | Ben Harper - Aula Magna | Ben Howard – Fusion Arts Festival | Beth Dito – Capitólio | Carmen - CAE Fiqueira Da Foz & Tetro Tivoli BBVA | Celeste Rodrigues - Teatro Tivoli BBVA | Chico Buarque - Coliseu Porto & Coliseu Lisboa | Cinderela – Teatro Tivoli BBVA | Clã para Supernovos - Teatro Villaret | Clássicos Na Avenida - Teatro Tivoli BBVA | Cristina Branco -  Teatro Tivoli BBVA & Casa Da Música | Dead Combo - Casa Da Música | Deejay Kamala 2.0 – Coliseu Lisboa | Diabo Na Cruz - Coliseu Porto | Elisa Rodrigues – Capitólio | Erlend Oye Acoustic Tour – Capitólio | Eu saio na próxima e você? - Teatro Politeama | Feist – Coliseu Lisboa | Festival Paredes de Coura – Paredes de Coura | Forever King Of Pop - Campo Pequeno | Groove Braga - Forum Braga | Iron Maiden – Altice Arena | João Pedro Pais - Coliseu Lisboa | José Gonzalez & The String Theory | Kiss –  Estádio Municipal de Oeiras | Lago Dos Cisnes - Teatro Tivoli BBVA | LCD Soundsystem - Coliseu Lisboa | Lenny Kravitz - Altice Arena | Lusitânia Comedy Club - Coliseu Porto & Teatro Tivoli BBVA | M.O.M.E.N.T.U.M - Teatro Villaret | Mallu Magalhães | Coliseu Lisboa & Coliseu Porto | Marilyn Manson - Campo Pequeno | Mariza - Coliseu Porto & Multiusos Guimarães | Masha e o Urso - Teatro Ribeiro Conceição | MEO Marés Vivas - V. N. Gaia | Mercury Rev - Lux Frágil | Ñaque - Teatro Villaret | Natiruts - Coliseu Lisboa & Coliseu Porto | Nilton - Teatro Tivoli BBVA | NOS Alive’18 – Passeio Marítimo de Algés | NOS Primavera Sound – Porto | O Deus Da Carnificina - Teatro Trindade Inatel | O Padrinho (Filme-Concerto) – Fusions Arts Festival | O Principezinho - Teatro Trindade Inatel | Ozzy Osbourne - Altice Arena | Paulo De Carvalho - Casino Estoril | “Paw Patrol Live: Entrar em Acção” em Lisboa - Pedro Jóia Trio - Casa Da Música | Peter Broderick - Teatro Tivoli BBVA | Rhys Lewis – Capitólio | Raul - Teatro Sá Bandeira, CAE Figueira da Foz & Casino da Póvoa | Rock In Rio 2018 – Parque da Bela Vista | Rodrigo Leão – Teatro Tivoli BBVA & Coliseu Porto | Rui Massena - Teatro Tivoli BBVA & Casino Estoril | Rui Veloso - Multiusos Guimarães | Scorpions – Estádio Municipal de Oeiras | Suite 647 – Auditório dos Oceanos & Teatro Sá Bandeira | Tais & Quais - T. Villaret | Stone Sour – Coliseu Lisboa | Tasting Fado - Teatro Tivoli BBVA | The Jesus And Mary Chain – Fusion Arts Festival | The Simon & Garfunkel Story - Teatro Tivoli BBVA & Coliseu Porto | Tochas & Telmo - Teatro Villaret | Thirty Seconds To Mars - Forum Braga & Altice Arena | Valéria Rui em jeito de Bossa - Teatro Villaret | Vetusta Morla – Coliseu de Lisboa | Xavier Rudd - Aula Magna & Hard Club

E muitos outros...

Escolhidos os finalistas ao Prémio Brisa Mobilidade 2018

A Final acontece a 30 de maio

 

Escolhidos os finalistas ao Prémio Brisa Mobilidade 2018

 

Huubster, Famility - Mobilidade familiar e BGN - Bus Global Network são os 3 projetos finalistas do Prémio Brisa Mobilidade 2018. O prémio promovido pela Brisa no âmbito do Concurso Montepio Acredita Portugal tem como objetivo estimular e promover a criação de serviços e produtos de mobilidade inovadores.

 

Huubster: Avaliação e certificação de automóveis usados pré-compra para garantir compras mais informadas e, em última análise, melhores. Para além disso, incorporar no serviço ajuda na procura e descontos pós-compra do automóvel.

 

Famility: Mobilidade familiar: Famility vai reduzir o tráfego e os efeitos da logística escolar nas cidades através de uma plataforma que interliga as famílias, as escolas e as transportadoras de crianças e que simplifica a gestão da mobilidade familiar, otimiza os recursos transporte e os processos logísticos.

 

BGN: Bus Global Network: Plataforma Global de Gestão de Reservas de Autocarros

 

Os projetos finalistas foram escolhidos no último sábado, numa sessão que decorreu na sede da Microsoft, em Lisboa, em que foram avaliados 150 projetos empreendedores. Para além dos da área da mobilidade, foram ainda avaliados projetos das áreas de Empreendedorismo Social, Tecnologia Aplicada a Comércio e Serviços, Outras Tecnologias, Comércio, Serviços e Indústria, Educação e Saúde.

Cada um dos projetos foi avaliado por um painel de jurados especializado na área em questão.

 

Para além dos projetos finalistas, a organização deu ainda uma menção honrosa a 1 projeto candidato ao Prémio Brisa Mobilidade 2018 que se destacou pela sua elevada qualidade e potencial, o Geosafer.

 

Os projetos apresentados na área da Mobilidade, candidatos ao Prémio Brisa Mobilidade 2018, tiveram como jurados um painel de especialistas composto por membros da Brisa e da Acredita Portugal. Os projetos estão, sobretudo, relacionados com serviços e/ou soluções tecnológicas que pretendem melhorar a eficiência e integração dos sistemas de mobilidade, para criar novas ofertas de mobilidade ou que contribuam para um upgrade da conectividade dos sistemas de transportes, urbanos e não urbanos de passageiros e comerciais nas perspetivas digital e comportamental.

 

O vencedor do Prémio Brisa Mobilidade 2018, para além dos prémios normais do concurso, terá a oportunidade de ser incubado pela própria Brisa e de receber o apoio da Brisa na fase de Go to market.

 

Todos os projetos selecionados passarão por um período de pré-aceleração com a duração 5 semanas. Semanalmente, as equipas reúnem com diversas entidades com o objetivo de adquirir competências para o desenvolvimento e implementação dos respetivos projetos. Entre as entidades estão a IventaInternational, responsável por questões de proteção da propriedade intelectual, a Blended Training Systems, responsável por técnicas de negociação. Um dos dias é designado Demo Day, e os candidatos terão oportunidade de ligar-se diretamente a investidores.

 

A concurso estão mais de 500 mil euros em prémios.

 

No total, o concurso Montepio Acredita Portugal, o maior concurso de empreendedorismo a nível nacional e segundo maior do Mundo, recebeu 11 477 candidaturas. O maior número de projetos submetidos está relacionado com as áreas de Empreendedorismo Social (2.050 candidaturas), Comércio (898), Restauração (645) e Indústria (635).

 

O Concurso Montepio Acredita Portugal tem como objetivo apoiar ideias, projetos e negócios promissores de qualquer cidadão, independentemente da idade e do seu nível de formação. A participação permite o contacto direto entre candidatos e investidores, mentores e especialistas, assim como acesso a formação personalizada e a oportunidade de integrar um programa de pré-aceleração. 

       

A cerimónia de entrega de prémios acontece a 30 de maio de 2018. O concurso conta, entre outros, com parceiros como a Caixa Económica Montepio Geral, a Brisa, KCS IT, Creative Minds, SayUConsulting, , Microsoft, Sage, 360 Imprimir e DNS.pt.

 

Tudo sobre os projetos finalistas e outras informações em: www.acreditaportugal.pt  

 

Mais informação e regulamento disponíveis em: www.acreditaportugal.pt  

 

Fundação AFID Diferença lança companha “A Diferença é o que todos temos em comum” para consignação do IRS

AFID LOGO.jpg

 

A Fundação AFID Diferença, que apoia jovens com deficiência, crianças e idosos no concelho da Amadora, lança a campanha “A Diferença é o que todos temos em comum”, para a consignação do IRS durante os meses de abril e maio.

 

Com a campanha “A Diferença é o que todos temos em comum”, a Fundação AFID Diferença procura recordar aos portugueses da consignação do IRS para instituições de solidariedade social.

 

Os contribuintes podem colaborar com a Fundação com 0,5% do IRS ao assinalar X no quadro 11, Modelo 3 da declaração de IRS e inserir o NIPC – Número de Identificação Coletiva da Fundação 507 367 111.

 

Com este gesto simples os contribuintes podem contribuir para a continuação das atividades na instituição nas mais diversas áreas e contribuindo para uma sociedade mais inclusiva e solidária.

 

A Lei nº16/2001 de 22 de junho prevê que 0,5% do IRS – Imposto sobre o Rendimento – possa ser consignado a uma Instituição de Solidariedade Social e não ao Estado, sem que isso, tenha qualquer tipo de encargos adicionais para qualquer pessoa que opte por colaborar.

 

 

 

Sobre a Fundação AFID Diferença: 

A AFID – Associação Nacional de Famílias para a Integração da Pessoa com Deficiência celebrou em 2017 32 anos de existência. Ao longo do seu vasto percurso criou também a Fundação AFID Diferença, que por sua vez comemorou 12 anos, uma instituição particular de solidariedade social que se dedica a iniciativas de reabilitação, educação, formação e inserção socioprofissional de pessoas com deficiência. Desenvolve igualmente um conjunto de atividades de apoio à comunidade e serviços de proximidade nos domínios da assistência e solidariedade social, apoio à infância e à terceira idade. É a primeira Instituição da área social, em Portugal, certificada pelas Normas ISO 9001:2008, pela Marca ISS, Nível A e pelo EQUASS Excellence.  

Atualmente, a AFID, na sua globalidade, atende perto de 1500 pessoas – Infância (AFIDKIDS), Pessoas com Deficiência (AFIDREAB) e Pessoas Idosas (AFIDSÉNIOR) - e para as quais trabalham diariamente 211 colaboradores. Trata-se de uma das principais instituições sociais do país – pela dimensão, abrangência e complementaridade dos seus serviços e, sobretudo, pela qualidade impressa na gestão e intervenção técnica. A AFID enquanto associação de famílias mantém o seu objetivo ao nível da representação dos direitos das famílias e das pessoas com deficiência.  

Mais em: www.afid.pt

 

CBRE REVELA VENCEDORES DO CONCURSO URBAN PHOTOGRAPHER OF THE YEAR 2018

CBRE REVELA VENCEDORES DO CONCURSO URBAN PHOTOGRAPHER OF THE YEAR 2018

Richard Morgan foi eleito o vencedor da edição de 2018. A competição recebeu um número recorde de inscrições na sua 11ª edição.

 

 

Richard  Morgan_What Are You Looking At_.jpg.png

 

 

 Com mais de 80.000 participações de 180 países de todo o mundo, a 11ª edição do concurso “Urban Photographer of the Year” da CBRE fica marcada como a maior e mais abrangente de sempre. Richard Morgan, natural do Reino Unido, foi eleito o grande vencedor mundial da competição. A sua imagem "Para onde está a olhar?" captou uma cena fascinante de rua em Poznan, na Polónia, que mostra uma multidão a olhar fascinada para uma atração turística, onde sobressai um olhar direto para a câmara.

Mel Chennell, também do Reino Unido, foi condecorada vencedora na categoria Mobile. A fotografia “Verdadeiramente conectados?”, mostra uma estação de comboios em Londres e incentiva o espectador a questionar o verdadeiro significado das ligações entre mundo físico e digital.

 

A competição distinguiu ainda diversos vencedores regionais. O prémio das Américas foi entregue a Alec Herrera, dos Estados Unidos, com a sua fotografia "Bom dia, Auckland", que mostra o horizonte da cidade na perspetiva de um campista. O prémio Ásia-Pacífico foi para M Yousuf Tusha, do Bangladesh, pela imagem, “Betel Nut”, uma fotografia impressionante de um agricultor mergulhado num mar de nozes em Cox's Bazar, Bangladesh. Na região EMEA, o título de melhor fotografia foi atribuído a Ian Harper, do Reino Unido, pela sua imagem, "Barcelona vista de Cima", uma fotografia que mostra a beleza e a simetria da cidade quando vista de uma altura vertiginosa.

 

A competição, que mostra visões poderosas sobre o dia-a-dia nas cidades, é realizada anualmente pela CBRE, consultora imobiliária líder a nível mundial. Este ano, fotógrafos amadores e profissionais foram desafiados a capturar momentos de ligação e interatividade urbana através do tema “Cidades em movimento: Pessoas, Lugares e Perspetivas”.

 

Cofidis é o novo patrocinador do Rock in Rio-Lisboa

image005.jpg

 

A Cofidis torna-se, pela primeira vez, patrocinador oficial do Rock in Rio-Lisboa e representante exclusiva do setor bancário e financeiro. Este patrocínio tem como objetivo mostrar o lado mais jovem e dinâmico da financeira, reforçando a assinatura “De pessoas para pessoas”. Para anunciar o patrocínio ao mercado, a Cofidis lança hoje uma nova campanha.

É um prazer, para nós, associarmo-nos a um evento de referência como é o Rock in Rio. Sobretudo porque, tal como nós, é centrado nas pessoas e pensa o festival de modo a oferecer momentos únicos e especiais a quem o visita. São também momentos e experiências inesquecíveis que queremos proporcionar durante os 4 dias do festival, mostrando que a nossa assinatura “De pessoas para pessoas” não é apenas uma promessa” refere Nicolas Wallaert, Diretor Geral da Cofidis Portugal.

Para Roberta Medina, Vice-Presidente Executiva do Rock in Rio, “É muito bom estar com uma marca que, para além de trabalhar a música e o entretenimento como um caminho para criar histórias de vida, é uma marca que olha e destaca a forma como nos colocamos no mundo. Tal como o Rock in Rio, a Cofidis preocupa-se com o respeito e a relação entre as pessoas, pensando sempre como cada um de nós pode tornar o mundo melhor".

“A música da nossa vida” é o mote da nova campanha da Cofidis. Com o objetivo de mostrar que a música desperta emoções diferentes a cada pessoa e fortalece relações, a Cofidis convida todos a viver uma grande história consigo no Rock in Rio.

No âmbito desta campanha, a Cofidis lança duas ações promocionais onde oferece um bilhete na adesão ao cartão de crédito (limitado ao stock existente) e disponibiliza uma taxa especial Rock in Rio no crédito pessoal. Além disso, disponibilizará para os clientes passatempos naquela a que chamam a sua segunda casa, o Mais Cofidis, onde criaram uma área exclusiva Rock in Rio.

Com quatro dias de experiências únicas, a Cofidis, que tem uma forte associação ao ciclismo, vai patrocinar o “Passeio eu Vou” e o “Bike Park”, uma forma de estimular as pessoas a irem até ao recinto de bicicleta e promover assim a mobilidade e a sustentabilidade. Com esta presença, a Cofidis junta-se à Vodafone, EDP, 7up e Super Bock, patrocinadores do festival já confirmados.

A campanha, produzida pela FCB e pela Bro estará presente em televisão, imprensa, internet e outdoors. Conheça-a aqui.

 

AEPC 2018: Mais de 750 atividades já calendarizadas, inscrições prosseguem até dezembro

 

 

Plataforma online do Ano Europeu do Património Cultural (AEPC) já regista mais de 750 atividades programadas para decorrer ao longo do ano, refletindo ampla adesão do setor público e privado 

 

A inscrição de iniciativas mantém-se em aberto até dezembro

 

A filosofia subjacente à celebração do AEPC em Portugal radica no envolvimento da sociedade civil à escala local, regional e nacional, cobrindo o vasto leque do património cultural. O papel da DGPC foi o de lançar as bases para transformar esta celebração europeia num projeto altamente participado, com um programa aberto e em permanente atualização, desde 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2018. 

 

A vasta programação já definida espelha uma forte adesão de entidades públicas e privadas. Decorridos pouco mais de três meses desde a abertura do AEPC, o respetivo site tem inscritas mais de 750 iniciativas a nível nacional, incluindo Açores e Madeira, distribuídas até agora por 74 municípios. Os eventos calendarizados abrangem uma população estimada de 240 mil pessoas. Contudo, este universo tenderá a expandir-se dia após dia, mediante a continuada inscrição de atividades.

 

Assim, na página eletrónica do AEPC destacam-se até ao momento 232 visitas livres/orientadas e rotas patrimoniais,  151 encontros e congressos, 112 exposições, 90 ateliers, 72 espetáculos e muitas outras iniciativas - como lançamentos de publicações, festivais, campanhas de informação, animações de rua, concursos, recriações históricas, atividades de investigação, projetos digitais, documentários/filmes ou sessões de leitura.

 

Considerando apenas o universo dos organismos tutelados pelo Ministério da Cultura, estão definidas à data mais de 150 iniciativas: 33 da DGPC, 72 das Direções Regionais de Cultura e 48 de outros organismos (DG Artes, ICA, Academia Portuguesa da História, DGLAB, CCB, Biblioteca Nacional de Portugal, GEPAC, OPART, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Nacional de S. João). 

 

Em sintonia com uma das prioridades do AEPC – sensibilização das novas gerações – cerca de 800 professores do ensino básico e secundário e respetivas turmas de alunos vão participar numa série ações de curta duração sobre “Património Cultural”, a realizar em 2018 e com perspetiva de continuidade em 2019. Este programa resulta da articulação entre a equipa da Educação Artística do Ministério da Educação, a DGPC e as 4 Direções Regionais de Cultura.

 

Numa outra iniciativa, também de âmbito nacional, a Fundação Calouste Gulbenkian, a CITI da Universidade Nova de Lisboa e o Centro de Informação Europeu Jacques Delors criaram o Prémio Escolar AEPC, destinado às escolas, professores e alunos do 3º ciclo em todo o país.

 

A estratégia adotada pela DGPC na divulgação inicial do AEPC começou em 2017 e estruturou-se em múltiplos vetores, nomeadamente:

 

  • Contacto direto com um número assinalável de entidades, públicas e privadas, com especial relevância no domínio do património cultural;

 

  • Convites endereçados a cerca de 4.000 entidades que habitualmente participam nas iniciativas DGPC de caráter nacional, como o Dia Internacional dos Monumento e Sítios, o Dia Internacional dos Museus e as Jornadas Europeias do Património, que este ano são pontos altos do AEPC;

 

  • Articulação com o Ministério da Educação, Ministério do Ambiente e Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, tendo em vista a promoção de iniciativas alinhadas com os objetivos do AEPC;

 

 

“Património: onde o passado encontra o futuro” é o slogan do AEPC, cujo programa pode ser consultado em http://anoeuropeu.patrimoniocultural.gov.pt/