Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Mural de Vhils materializa homenagem a Fernando Guedes

a70a55ec1bcf61368281d7ccd245d4de.jpg

 

A sede da Sogrape, em Avintes, foi o local escolhido para a construção de um mural de homenagem a Fernando Guedes, uma obra da autoria do mundialmente conhecido Vhils e que representa o rosto de uma figura emblemática no sucesso e história da Sogrape.

Em agradecimento e homenagem a seu pai, Fernando Guedes, os três irmãos Salvador, Manuel e Fernando elegeram o artista português Alexandre Farto, o maior nome da arte urbana em Portugal e mais conhecido como Vhils, para dar vida a uma obra de arte única.

O mural foi revelado no mês passado durante a apresentação do vinho Legado 2015, uma criação que representa também uma homenagem à passagem do tempo e de um valioso testemunho que Fernando Guedes deixou à empresa, à família e às gerações vindouras.

A obra, com o retrato de Fernando Guedes esculpido, eterniza um legado de valores e memórias felizes de um Homem inspirador, determinado e de progresso, que nutria uma profunda paixão pela arte.

 

"Prémio Arte em Espaço Público & Sustentabilidade" desafia a transformar resíduos em obras de arte | Vencedor ganha 7500 euros

Artista vencedor distinguido com 7500 euros

 DSTGROUP E ZET GALLERY LANÇAM

“PRÉMIO ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE”

 *Iniciativa conta com o apoio do IB-S da Universidade do Minho

*Obra vencedora será cedida à cidade de Braga

Apresentação Prémio Arte em Espaço Público e

 

O dstgroup e a zet gallery apresentaram ontem, em Braga, o Prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE”, uma iniciativa inovadora em Portugal que se destina a afirmar um pensamento estratégico sobre a economia circular, a partir da criação artística contemporânea. O prémio, que conta com o apoio do Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade (IB-S) da Universidade do Minho, desafia a criar uma obra de Arte para espaço público a partir de resíduos industriais ou provenientes da construção e demolição de edifícios. O vencedor do prémio será distinguido com um valor pecuniário de 7500 euros e terá a sua criação artística exposta num espaço público, já que os promotores do Prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE” cederão a mesma à cidade de Braga.

A open call, destinada a artistas nacionais e internacionais, está aberta até dia 3 de abril, data limite para submissão de portfólios e de propostas conceptuais que cumpram os requisitos previstos no regulamento. O prémio aposta num modelo que tem por base a apresentação livre de propostas e não a pré-seleção de autores, com o objetivo de fixar o conceito relacional ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE como marca do grupo e da galeria, afirmando uma possibilidade de relações que se estabelecem e se continuarão a estabelecer entre a criação artística, a natureza e a indústria.

No dia 8 de maio serão anunciadas as três propostas que passam à fase seguinte, terminando a 26 de junho  o prazo para entrega das maquetes ou projetos 3D das obras a realizar. Pelo meio, está prevista uma visita ao campus do dstgroup, proporcionando aos artistas a possibilidade de avaliarem e selecionarem os resíduos disponíveis no centro logístico do grupo liderado por José Teixeira para a execução das respetivas criações artísticas. A 21 de julho será revelado o vencedor do Prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE” e, no dia 3 de outubro, será inaugurada a obra de arte já no seu destino final, isto é, num espaço público da cidade, a acordar entre os promotores do prémio e a Câmara Municipal de Braga.

Um dos fatores diferenciadores deste prémio é a constituição do júri que avaliará todas as fases do concurso. Com efeito, trata-se de um júri multidisciplinar, que combina diferentes áreas do saber e sensibilidades e estabelece um cruzamento com outros projetos culturais promovidos pelo dstgroup. A vencedora do Grande Prémio de Literatura dst 2019, Lídia Jorge, é, por exemplo, um dos elementos que integra este júri, composto ainda por João Castro Silva, professor na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, e André Rangel, docente na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Porto, instituições com quem a zet gallery tem desenvolvido projetos comuns. O IB-S (Universidade do Minho), parceiro privilegiado do dstgroup em vários projetos inovadores, integra também o painel de jurados, através do seu diretor-executivo Tiago Miranda, a que se junta ainda Ricardo Portela, administrador da bysteel fs, empresa do dstgroup.

 

A génese do prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE”

A semente deste prémio foi lançado em 2008, quando o dstgroup organizou o primeiro simpósio dedicado à arte e à sustentabilidade. Desde então, o grupo empresarial tem promovido iniciativas à volta da sustentabilidade ambiental, um dos seus principais valores, mas com um plano de ações mais direcionadas para o público interno. Em 2017, o tema da sustentabilidade ganha um novo fôlego e salta para o espaço público com a produção da escultura “Artes, Humanidades e Engenharia”, da autoria de Raúl Ferreira, uma peça desenvolvida a partir de um material, visual e funcionalmente, equivalente ao cimento, mas concebido de forma sustentável pelo IB-S. A peça - que se encontra no campus da Universidade do Minho, em Braga, em homenagem ao Professor Vítor Aguiar e Silva, personalidade eminente da cultura e das universidades portuguesas e presidente do júri do Grande Prémio de Literatura dst desde a sua génese - assinala o início da  parceria entre a zetgallery e o IB-S, consequente à já estabelecida com o dstgroup.

Em 2018, é reeditado o simpósio que tinha lançado a semente da arte e da sustentabilidade dez anos antes, numa abordagem evolutiva que coloca a questão da sustentabilidade e da economia circular na agenda do evento. Nessa ocasião, quatro artistas foram desafiados a produzir obras de arte públicas que reutilizassem resíduos oriundos do campus do dstgroup. O IB-S foi parceiro da iniciativa, como o é no projeto Esposende SmartCity onde se enunciam alguns destes mesmos pressupostos.

O regulamento do prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE” está disponível em http://zet.gallery/storage/files/regulamento_premio.pdf

Município da Moita: Inscrições abertas para “Visionários – De Espectadores a Programadores”

 

 

Estão abertas as inscrições, até 25 de janeiro, para o “Visionários – De Espectadores a Programadores”, um projeto da Artemrede, em parceria com a Câmara Municipal da Moita.

visionário.jpg

 

Os visionários são espectadores que aceitam o desafio de escolher uma parte da programação cultural do concelho da Moita. Para isso, comprometem-se a assistir em formato audiovisual a um conjunto de espetáculos nacionais e internacionais, analisar o que é visto e selecionar um ou dois desses espetáculos para serem apresentados no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo em 2020.

Se mora, trabalha ou estuda no concelho da Moita e gosta de assistir a espetáculos, junte-se a este grupo! Para isso, basta enviar um email, até 25 de janeiro, para forum.cultural.jmf@mail.cm-moita.pt com o nome, contacto e a referência Visionários.

 

"Variações" representa Portugal nos Prémios Ariel para Melhor Filme Ibero-Americano

 

 

O filme “Variações”, de João Maia, foi selecionado pela direção da Academia Portuguesa de Cinema para representar Portugal na 62ª edição dos Prémios Ariel, no México.

Após ter conquistado o público, batendo o recorde do filme português mais visto nos cinemas em 2019, com 278 mil espectadores, o filme “Variações”, protagonizado por Sérgio Praia, é o candidato português à categoria de Melhor Filme Ibero-Americano.

Os Prémios Ariel são celebrados no México desde 1946 e têm como principal objetivo distinguir o melhor do cinema mexicano e ibero-americano.

“Variações” foca o processo de transformação na persona de António Variações, artista excêntrico e popular cuja carreira fulgurante foi interrompida pela sua morte precoce, em 1984, sendo também uma homenagem a todos os que ainda hoje perseguem os seus sonhos aspirando transformar as suas vidas.

A 62ª edição dos Prémios Ariel terá lugar no México em 2020, em data a anunciar.

PO ISE lança concurso de vídeo e fotografia

 

 

O Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (PO ISE) lançou o “PO ISE Stories”, um concurso de vídeo e fotografia que decorre exclusivamente na rede social Instagram. O principal objetivo deste concurso é humanizar o PO ISE divulgandoos projetos que cofinancia através de testemunhos reais.

O concurso é direcionado a todos aqueles que já estiveram envolvidos e foram cofinanciados pelo PO ISE.As regras para participar no concurso PO ISE Stories são simples:

  1. Certifique-se que o seu perfil de Instagram está público.
  2. Siga o perfil de Instagram do PO ISE (@po_ise).
  3. Partilhe uma fotografia ou vídeo no seu perfil pessoal de Instagram sobre o seu testemunho no projeto/entidade.
  4. Identifique/tag o PO ISE (@po_ise) diretamente no vídeo ou fotografia.
  5. Indique o nome do projeto/entidade na legenda da fotografia ou vídeo.

Para cada uma das vertentes do concurso (fotografia e vídeo) serão eleitos três vencedores, ou seja, o concurso contará com um total de seis vencedores, independentes entre si.

O concurso “PO ISE Stories” termina no dia 15 de janeiro de 2020.

Consulte o regulamento ou outras informações em http://poise.portugal2020.pt/poise-stories.

 

CINENOVA 2020: LAST CALL

O tempo para participar está a esgotar-se.

logo1.png

 

O CINENOVA, o primeiro e único Festival Interuniversitário de Cinema em Portugal, promovido pela NOVA-FCSH e organizado por estudantes e professores universitários, fechará o prazo de submissões de curtas-metragens no dia 1 de janeiro de 2020. O festival terá uma secção de competição e uma secção de não-competição. Temos 3.000‎ em prémios para oferecer ao Melhor Filme e ao Melhor Filme Português a concurso.

Já são conhecidos os vencedores dos Prémios Sophia Estudante 2019

A Academia Portuguesa de Cinema entregou ontem, dia 12 de dezembro, os Prémios Sophia Estudante 2019, numa cerimónia conduzida pela atriz Liliana Santos, que encheu o Auditório do Museu da Farmácia, em Lisboa.

Concorreram aos Sophia Estudante 2019 um total de 83 filmes de 18 escolas de norte a sul do país. O interesse e o entusiasmo destes jovens e a qualidade das curtas-metragens concorrentes mostram que o cinema português está bem vivo e tem futuro” sublinhou o Presidente da Academia Portuguesa de Cinema, Paulo Trancoso, numa das suas intervenções ao longo do dia.

Tal como aconteceu nas edições anteriores, os três primeiros classificados de cada categoria são agora candidatos ao Prémio Sophia Estudante no valor de 5.000 €, a ser entregue na cerimónia dos Prémios Sophia, dia 22 de março de 2020, no Casino Estoril.

Durante a manhã e a tarde alunos e professores assistiram a uma masterclass e um Q&A de dois mestres do cinema: a primeira a cargo de Jay Rabinowitz, editor de filmes icónicos como A Árvore da Vida ou Requiem for a Dream; e a segunda conduzida por Tariq Anwar, editor de Beleza Americana ou O Discurso do Rei, moderada por Branko Nesvok.

 

Conheça abaixo a lista dos vencedores:

 

Melhor Cartaz

1º Lugar: Ouro sobre Azul, da designer Marta Féria de Sá – Universidade Lusófona

2º Lugar: Paisagem Submersa, do designer Edmundo Correia - ESMAD

3º Lugar: Atrás de Tempo, Tempo Vem, da designer Patrícia Azevedo - ESMAD

 

Curta-metragem - Animação

1º Lugar: O Presidente Veste Nada, de Clara Borges e Diana Agar – Universidade da Beira Interior

2º Lugar: Ode à Infância, de João Monteiro e Luís Vital – Instituto Politécnico de Portalegre

3º Lugar: One Minute Show Time, de Maria Clara Norbachs e Marisa Alves Pedro - Universidade da Beira Interior

 

Curta-metragem - Documentário

1º Lugar: Jamaika Onto New Paths, de Alexander Sussmann – Universidade Lusófona

2º Lugar: A Rua é uma Selva, de Ricardo Mussa – World Academy

3º Lugar: Sombra, de Diogo Lourenço, Duarte Gaivão e Francisco Moura – Universidade Lusófona

 

Curta-metragem - Experimental

1º Lugar: A Viagem, de Henrique Lopes – ETIC Algarve

2º Lugar: Somewhere in Outer Space this Might be Happening Somehow, de Paulo Malafaya, Escola Artística Soares dos Reis

3º Lugar: Lázaro, de Concha Silveira, Alba Dominguez, David Cruces – Universidade Lusófona

 

Curta-metragem - Ficção

1º Lugar: Da Capo, de Mário de Oliveira – Universidade da Beira Interior

2º Lugar: Loop, de Ricardo M. Leite – ESMAD

3º Lugar: Banho Santo, de Bruno Saraiva – Universidade Lusófona

 

Menção Honrosa

Cringe, de Dinis Leal Machado - ESMAD

Afonso Cruz recebe o Grande Prémio de Literatura de Viagens, no próximo dia 13 de Dezembro, em Braga

 

No próximo dia 13 de Dezembro, pelas 17h00, realiza-se, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Braga, a cerimónia de entrega do Grande Prémio de Literatura de Viagens, a AFONSO CRUZ, galardoado pelo seu livro Jalan Jalan.

 

Patrocinado, integralmente pela Câmara Municipal de Braga, o valor monetário deste Grande Prémio é, para o autor distinguido, de € 12 500,00 (doze mil e quinhentos euros).

 

Nesta edição, o júri foi constituído por Guilherme d’Oliveira Martins, Isabel Cristina Mateus e Teresa Carvalho.

 

Vencedores dos Prémios Sophia Estudante 2019 conhecidos esta quinta-feira

Museu da Farmácia, Lisboa

 

Após o anúncio dos nomeados, no passado dia 28 de novembro, é chegada a hora de conhecer os vencedores da 6ª edição dos Prémios Sophia Estudante, promovidos pela Academia Portuguesa de Cinema, na cerimónia que terá lugar esta quinta-feira, 12 de dezembro, pela primeira vez no Museu da Farmácia, em Lisboa.

“Montagem”, o tema dos Sophia Estudante 2019, será o fio condutor da Q&A e da masterclass que decorrem ao longo da manhã. Durante a tarde serão projetadas as curtas-metragens selecionadas pela Academia Portuguesa de Cinema e à noite decorrerá a cerimónia de entrega dos prémios, conduzida pelos atores Diogo Amaral e Liliana Santos.

A lista de nomeados aos Sophia Estudante 2019, nas categorias Animação, Documentário, Experimental, Ficção e Cartaz, pode ser consultada no site oficial da Academia Portuguesa de Cinema.

 

EM AGENDA:

Cerimónia dos Prémios Sophia Estudante 2019

  • Auditório do Museu da Farmácia, R. Mal. Saldanha 1, 1249-069 Lisboa
  • Quinta-feira, 12 de dezembro de 2019
    • 10h00 – Masterclass com Jay Rabinowitz
    • 11h45  Q&A com Tariq Anwar
    • 14h15 - Projeção das curtas-metragens nomeadas aos Sophia Estudante 2019
    • 21h00 – Cerimónia de Entrega dos Prémios Sophia Estudante

Miguel Moreira ('Djon África') recebe Prémio Novo Talento nos Prémios Actores de Cinema da Fundação GDA

dab90e89-d801-4b95-bb0d-76614296d13c.jpg

 

O actor Miguel Moreira sagrou-se vencedor nos Prémios Actores de Cinema da Fundação GDA, na categoria Novo Talento, pelo desempenho no filme Djon África, de Filipa Reis e João Miller Guerra, numa cerimónia realizada hoje, no Teatro da Trindade. No filme – produzido pela Terratreme e co-produzido pela Desvia, Oll e Uma Pedra no Sapato - Miguel Moreira faz o papel de um jovem que vai para Cabo Verde em busca do pai que nunca conheceu.

Miguel Moreira (John Tibars África Noventaz) nasceu em Lisboa em 1990. No cinema, como protagonista, participou nos filmes Li Ké Terra (2010), Fora da Vida (2015) e Djon África (2018), todos realizados por Filipa Reis e João Miguel Guerra. Começou o seu trabalho na música, em 2004, num estilo de hip-hop original e underground. Fez várias colaborações com músicos portugueses e de diversos países africanos e lançou, em 2018, o EP Nada Fazi (F.P. NOVENTAZ). 

Antes deste prémio atribuído pela Fundação GDA, ganhou o prémio de melhor música original, representando Djon África, nos Prémios Sophia 2019, em conjunto com o director de fotografia, Vasco Viana.

Djon África teve estreia mundial, em competição, no festival de Roterdão (secção Tiger), em Janeiro de 2018, foi exibido no New Directors/New Films, em Nova Iorque, no festival do Uruguai - onde ganhou o prémio FIPRESCI, atribuído pela crítica, e uma menção especial atribuída pelo júri - entre muitos outros festivais, e teve estreia comercial em Portugal, Brasil, Inglaterra e Alemanha.

Os Prémios Actores de Cinema da Fundação GDA têm a particularidade de serem atribuídos entre pares: são prémios de interpretação atribuídos a atores por atores, anualmente. Nesta 12ª edição, o júri foi constituído pelos actores Diogo Dória, Joana Bárcia e João Reis, que avaliaram a qualidade, a excelência e o mérito do trabalho de interpretação dos colegas nas obras analisadas.

Todos os anos a Fundação GDA escolhe um júri diferente composto por três atores que analisa as obras da lista de produções cinematográficas de longa-metragem portuguesas, de ficção, estreadas comercialmente em sala entre 1 de Janeiro e 31 de Dezembro no ano anterior ao da atribuição do prémio.

Para além de Miguel Moreira, foram vencedores os actores Adriano Carvalho, na categoria de Melhor Actor Principal, pelo desempenho no filme Vazante, de Daniela Thomas, e Ana Cristina Oliveira, que interpreta o papel de Sveta, no filme Carga, de Bruno Gascon.

Ao troféu Melhor Actor/Actriz corresponde um prémio de €3.000 euros, ao de Melhor Actor/Actriz Secundário(a) um prémio de €2.000 euros e ao Novo Talento um prémio de 1.000€.

Sobre o filme:
http://www.umapedranosapato.com/pt/#djon-africa