Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Concurso de Ideias - Fraunhofer Portugal Challenge 2019

FhPchallenge2019_Poster.jpg

 

Estão abertas as candidaturas ao Fraunhofer Portugal Challenge 2019, um concurso de ideias para estudantes e investigadores. O objetivo do concurso é premiar e impulsionar as melhores ideias desenvolvidas no âmbito de Teses de Mestrado e de Doutoramento, em universidades portuguesas. As candidaturas decorrem até 31 de julho e estão destinados prémios no valor total de 9000 euros distribuídos pelos 6 vencedores do concurso, que apresentarem as melhores ideias e ainda a oportunidade de ser convidado a trabalhar com a nossa equipa de investigação.

Smartphones, saúde, agricultura, países em desenvolvimento, wearables, crowd sourcing, sensores de mobilidade, monitorização de atividade, desporto, segurança, seniores, big data e logística são alguns dos temas preferenciais da iniciativa.

 

 

Para mais informações acerca do concurso: https://www.challenge.fraunhofer.pt/en/home.html

Hélia Correia recebe no dia 22 de Julho o Grande Prémio de Romance e Novela

image006.jpg

 

A Associação Portuguesa de Escritores informa que a cerimónia pública de entrega do Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB – 2018 terá lugar no próximo dia 22 de Julho, pelas 18 horas, na sala 1 da Fundação Calouste Gulbenkian, à escritora galardoada, Hélia Correia pelo seu livro Um Bailarino na Batalha (Relógio D’Água).


O Prémio, actualmente de 15.000 euros, teve como coordenador do júri, José Manuel de Vasconcelos, e foi constituído por Clara Rocha, Cristina Robalo Cordeiro, Fernando Pinto do Amaral, Maria de Lurdes Sampaio e Salvato Teles de Menezes.

 

A sessão conta com a Presidência da Senhora Ministra da Cultura, Dr.ª Graça Fonseca.

Estágios Ciência Viva no Laboratório: há 23 anos a “Criar Futuro”

CienciaVivaLaboratorio2019_newsletter3.jpg

 

Lançamento do programa de estágios científicos para alunos do Ensino Secundário terá lugar dia 16 de Julho, às 10.30, no INESC TEC - Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência, no Porto, com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, da Presidente da Ciência Viva, Rosalia Vargas, e do Presidente do Conselho de Administração do INESC TEC, José Manuel Mendonça.

"O meu sonho é ser engenheiro. Espero daqui a uns anos ter um produto inventado por mim que seja um grande sucesso. Que chegue a todo o mundo e ajude várias pessoas na área da saúde ou nos problemas simples do dia-a-dia". Tiago Teixeira tem 16 anos, é de Aveiro e vai frequentar, pela primeira vez, um estágio no âmbito da Ciência Viva no Laboratório. O entusiasmo na voz não engana. As expectativas são altas e a vontade de aprender é enorme: "Espero que esta experiência me traga mais conhecimento e me ajude a perceber o que vai ser a minha vida futura na universidade e até mesmo no trabalho".

Tiago é um dos quatro jovens do Ensino Secundário que irão participar no estágio Como vai ser a Inteligência Artificial em 2030?, no INESC TEC. "São poucos mas representam uma grande mudança", assegura Rosalia Vargas, Presidente da Ciência Viva. "É isso que temos vindo a fazer, desde há 23 anos, com as instituições científicas de todo o país. Com o INESC TEC já o fazemos há mais de uma década e este ano com um desafio acrescido: ter estágios que promovam a literacia dos jovens na área da inteligência artificial, na ciência de dados e na aprendizagem automática em todas as áreas do conhecimento".

Desde 1997, o programa Ciência Viva no Laboratório - Ocupação Científica de Jovens nas Férias já envolveu mais de 16000 alunos que frequentaram estágios científicos em laboratórios de instituições de todo o país. Quando o Ministro da Ciência, Manuel Heitor, visitar na terça-feira os estágios do INESC TEC, já terão tido lugar em todo o país quase 200 estágios, abrangendo 611 alunos. Mas há muitos mais a acontecer até 6 de Setembro e em áreas tão diversas como robótica, amplificação de sequências de ADN, impressão 3D, construção de drones e energias renováveis.

Participar neste programa é uma experiência que marca o futuro dos "estagiários", quer este passe pela ciência quer não. Inês Luzio, 24 anos, actualmente professora no Conservatório de Música de Coimbra, toca eufónio e há sete anos participou no estágio À descoberta do meu lado empreendedor, promovido pelo INESC TEC. "Só agora me apercebi como este estágio foi importante para mim", diz, surpreendida. "A música é uma actividade altamente empreendedora. Aprendi conceitos naquele estágio que aplico hoje em dia, como a análise SWOT, os procedimentos financeiros e a elaboração de projectos. O que faço hoje em dia não está directamente relacionado com o estágio mas foi extremamente útil".

A edição deste ano da Ciência Viva no Laboratório conta com mais de 300 estágios, em 68 instituições e vai chegar a cerca de 1050 estudantes do 9.º ao 12.º ano. Alguns já são autênticos veteranos. "Este vai ser o meu terceiro estágio", revela Renata Lei. Com 18 anos, não tem dúvidas: "Em vez de ir só para a praia e sair à noite com os amigos, faço uma semana de trabalho, não muito árduo. É uma experiência diferente e se não gostarem, é apenas uma semana. Não precisam de fazer vários como eu!". Ainda entre risos, a jovem deixa o conselho: "Inscrevam-se, vão ver que vale a pena. No secundário estamos sempre a pensar na faculdade e esta foi uma oportunidade de conhecer o meio e estar um pouco mais envolvida".

Mas em Aveiro, Renata não é caso único. José Sarilho tem 27 anos, é responsável pela gestão de energia da fábrica de pasta de papel Navigator e tem no currículo estudantil a participação em vários projectos da Ciência Viva, durante o Ensino Básico e Secundário, e a frequência de dois estágios científicos no laboratório. É um verdadeiro recordista! "Olhando para 2010, o que mais me marcou foi ter-me apercebido do papel que Portugal desempenhava na investigação internacional. Já naquela altura estávamos na corrente, a par e ao nível do que outros institutos europeus faziam". A todos os jovens indecisos, deixa uma frase: "Os estágios da Ciência Viva são importantes para abrir horizontes e conhecer mundo!".

Este ano, o INESC TEC respondeu ao desafio da Ciência Viva e estreia na próxima segunda feira, 15 de julho, no novíssimo Industry and Innovation Lab, o estágio Como vai ser a Inteligência Artificial em 2030? No final da semana, e depois de passarem por várias oficinas especializadas em inteligência artificial, reconhecimento de imagem e voz, e algumas visitas externas, os quatro jovens entre os 15 e os 18 anos irão apresentar um projecto de inteligência artificial com grande impacto em 2030.
Carmen Silva não podia estar mais contente: "Eu adoro um montão de coisas, desde Direito, investigação, tecnologia. Tudo me cativa! Foi complicado escolher apenas um estágio porque havia vários, muito interessantes. No entanto a inteligência artificial será uma área que vai evoluir muito no futuro e abrir novos horizontes". No extremo oposto está o "benjamim" do grupo, Rúben Leal. Com apenas 15 anos, é perentório: "Já estou decidido no que quero seguir, sendo engenharia biomédica a minha primeira opção". O estágio vai funcionar como uma iniciação ao futuro que o espera. "Vamos acabar o secundário dentro de pouco tempo. É muito importante ter, já nesta fase, um contacto com a comunidade científica".

Com cobertura nacional, o programa Ciência Viva no Laboratório - Ocupação Científica de Jovens nas Férias é uma oportunidade única para os estudantes terem um contacto directo com o trabalho de investigação em laboratórios e instituições científicas. Para além de aplicarem os seus conhecimentos, vão conhecer novas áreas e, quem sabe, descobrir o que querem fazer no futuro.
Foi o que aconteceu há quase 10 anos com Pedro Sá. "Fiz três estágios muito diferentes com a Ciência Viva. O objectivo era ter uma experiência mais imersiva em instituições académicas e ajudar-me a perceber o que queria fazer". Apesar do percurso académico marcado pelas áreas tecnológicas, Pedro frequentou o estágio À descoberta do meu lado empreendedor e aos 24 anos trabalha na startup James Finance. "Curioso, não é? Na altura em que estive no INESC TEC o empreendedorismo estava a explodir e eu achei que era uma boa oportunidade para entender o fenómeno. Quem diria!".

Programa completo e inscrições em cienciaviva.pt

Agenda de Eventos 2830 de julho/agosto de 2019

capa agenda 9 .jpeg

 

A Agenda de Eventos 2830, referente aos meses de julho e agosto de 2019 já está disponível. Esta edição tem como destaque a eclética programação das Festas do Barreiro, em honra de Nossa Senhora do Rosário, e a programação "Dias de Verão", nomeadamente os ateliês no Moinho de Vento de Alburrica e os concertos da Banda Municipal do Barreiro e da Orquestra Baía.

 

A versão online pode ser consultada AQUI.

EDP vai medir a energia dos aplausos do EDP Fado Cafe no NOS Alive e vai doá-la a uma IPSS

006.JPG

 

Arranca hoje mais uma edição do festival NOS Alive e a EDP vai medir a energia dos aplausos do palco EDP Fado Cafe e vai doá-la a uma IPSS

 

Iniciativa inédita em Portugal vai medir a energia gerada pelo público no palco EDP Fado Cafe e transformá-la em energia solidária. Conceito marca mais uma presença disruptiva da EDP nos festivais portugueses.

 

De forma a reforçar o compromisso da EDP com a responsabilidade social, a marca vai instalar neste palco um sistema que mede os decibéis dos aplausos dos festivaleiros durante os concertos. Estes decibéis serão convertidos em kW de energia solidária que serão depois aplicados no desconto da fatura de eletricidade de uma instituição de solidariedade social. A IPSS escolhida foi aObra do Padre Gregório – Organização que acolhe 18 raparigas entre os 10 e os 21 anos com o objetivo de proporcionar a estas raparigas as condições necessárias para o seu desenvolvimento integral com vista à promoção da sua autonomia e inclusão social

LIXO DO FESTIVAL ELÉTRICO VAI SER TRANSFORMADO NUMA OBRA DE ARTE

image002.jpg

 

O Festival Elétrico está de regresso ao Parque da Pasteleira, nos dias 26, 27 e 28 de julho, para a sua segunda edição. Apresenta um cartaz repleto de nomes underground de referência da música eletrónica. Mas o Elétrico assume-se como mais do que um festival de música: os seus 5 espaços (Music, Energy, Start, Art e Kids) tornam este festival numa verdadeira experiência de criatividade, consciência e equilíbrio. Em 2019, a organização aposta na Sustentabilidade como tema central das áreas complementares do evento.

 

ESCULTURA LIVE (ESPAÇOS ART E KIDS)

 

Nos últimos anos tornou-se inegável o impacto da sociedade moderna no ambiente e no perigo que os hábitos de consumo têm na sustentabilidade do planeta.

 

Contudo, 2019 fica marcado como o ano em que a atenção mundial se vira para o plástico e para os terríveis efeitos que este tem nos ecossistemas e no contributo para a acelerada degradação ambiental.

 

Assim, o Festival Elétrico, em conjunto com o G Teatro, irá construir durante o evento uma escultura com mais de 2 metros de altura, utilizando apenas lixo plástico. Nesta peça de arte serão reutilizados grande parte dos resíduos produzidos durante o festival, tornando o Elétrico num festival sustentável e com um impacto ecológico quase zero.

 

Esta é uma atividade que faz a ligação entre o tema geral do festival, a Sustentabilidade, e os espaços Kids e Art. Será uma construção interativa, divertida e apropriada para a participação de crianças. A colaboração dos mais novos é muito importante, pois a próxima geração terá um papel fundamental no futuro do planeta. Torna-se imperativo que estes desenvolvam uma consciência do impacto ambiental provocado pelos hábitos de consumo atuais.

 

Assim, pretende-se que o lixo ganhe uma segunda vida, não só como peça de arte, mas também como peça de sensibilização para a necessidade urgente em reduzir o consumo de plástico e no desenvolvimento de hábitos de consumo sustentáveis para o futuro do planeta.

 

Esta instalação artística irá aliar o espírito criativo da Arte, a importância de uma consciência de Sustentabilidade e a interação do público, com destaque para os mais novos. Nesta festa da música eletrónica e da cidade do Porto, os desperdícios encontram uma nova vida e servem de material para uma das peças de arte mais icónicas de todo o festival.

 

ESPAÇO ART

 

O Festival Elétrico apresenta o espaço Art, vocacionado para a criação, partilha e divulgação da arte.

 

As instalações artísticas poderão ser encontradas quer nos espaços mais centrais, quer nos espaços de natureza, como é o exemplo das instalações de espelhos presentes por todo o parque. Estas instalações prometem criar uma experiência fraturante com a realidade, criando ilusões óticas e diferentes formas de perceção.

 

Outro dos espaços dedicados à arte são os diversos painéis que serão pintados por performers de street art, onde se poderá assistir à criação de obras de arte urbana ao vivo.

 

Existem mais dois espaços enquadrados no espaço Art do festival. Um deles é o Elétrico Art Affair, que será uma feira de arte a decorrer durante toda a duração do festival, que pretende promover os artistas da cidade do Porto, através das suas obras, que se encontram alinhados com o espírito criativo e inclusivo do festival. O outro espaço é a Galeria de Mupis, que irá exibir peças fotográficas, igualmente enquadradas na mensagem de consciencialização ambiental e na diversidade da experiência humana.

 

ESPAÇO KIDS (crianças até aos 12 anos não pagam)

 

O Elétrico é um festival para toda a família e foi a pensar nos mais novos que foi criado o Espaço Kids. Neste espaço dedicado para as crianças, haverá várias atividades que prometem aliar diversão, bem-estar e criatividade. As crianças até aos 12 anos não pagam entrada no festival.

 

No espírito de consciencialização ambiental irá ser construída, como referido, uma escultura de plástico reutilizado. Pretende-se que as crianças participem e sejam um elemento ativo na construção desta peça de arte. Nesta atividade pretende-se que os mais novos desenvolvam a sua consciência criativa e de sustentabilidade ambiental.

 

Numa ligação entre o espaço Kids e o espaço Energy, irão decorrer sessões de Meditação dos Sentidos para crianças. Os sentidos são a ponte entre o “eu” e o momento presente e, nesta atividade, as crianças vão aprender a ganhar consciência dos sentidos e a viver o presente.

 

ESPAÇO ENERGY

 

O espaço Energy é o epicentro da energia do festival e é dedicado ao Mindfulness, ao Yoga e à Meditação. Depois de em 2018 ter sido um dos espaços mais procurados, neste ano o espaço Energy volta com uma agenda mais preenchida e com novas atividades, em que se incluem sessões de Meditação, Yoga, Ritual Dance e Meditação Sonora.

 

O que vai acontecer?

 

O final da tarde de sexta-feira marca a abertura do espaço Energy, com uma sessão de Yoga Tibetano.

 

No dia seguinte, a energia começa a fluir logo pela manhã com uma sessão de Meditação Sonora de Gongos, Dança do Coração (Meditação Ativa) e Taças Tibetanas. No sábado irão decorrer atividades durante todo o dia, com sessões de Yoga Dance Flow, Sacred Dance Ritual e Yoga Tibetano.

 

A dança tem lugar de destaque em qualquer festival de música eletrónica e, por isso, também há espaço para sessões de dança ritual. Usada como técnica de libertação espiritual e do despertar dos sentidos desde há milhares de anos, a dança ritual chega ao elétrico ao ritmo de Dharum.

 

Durante a manhã de domingo, para encerrar o espaço Energy, irá haver mais uma sessão de Meditação Sonora de Gongos. Mais tarde, Dharum DJ Set volta para um novo ritual de Sacred Danced. Haverá ainda um Concerto Meditativo com Eye Color Dreams.

 

No intervalo destas sessões será possível apreciar a natureza e absorver a tranquilidade envolvente do espaço verde e do lago, um pouco mais afastado da zona dedicada à dança.

 

PRESS START: THE NEXT BIG LEADERS

 

Na edição do Festival Elétrico de 2019 regressa também a iniciativa Press Start em que, à semelhança da edição de 2018, haverá um espaço dedicado à Inovação, à Tecnologia e à Sustentabilidade em parceria com o The Next Big Idea.

 

O foco em 2019 está precisamente nos desafios que a sustentabilidade ambiental e social colocam na forma como vivemos, como trabalhamos, como geramos riqueza e como educamos as novas gerações.

 

E é esse o mote do The Next Big Leaders, uma iniciativa que terá o seu arranque no Parque da Pasteleira e em que serão conhecidos projetos de jovens líderes com soluções e ideias para a solução de problemas ou melhoria de realidades na esfera da sustentabilidade.

 

Porquê a escolha deste tema?

 

- As alterações climáticas são uma prioridade da humanidade, independente da raça, classe social ou geografia

 

- 2019 foi o ano da primeira greve estudantil pelo ambiente

 

- Segundo o Eurobarómetro, as alterações climáticas e a proteção do ambiente são uma das quatro principais preocupações dos europeus

 

 

Todas as informações sobre o Festival Elétrico podem ser encontradas em https://eletricofest.com

 

 

Horários:

 

Sexta-feira: 14h00 – 01h00

Sábado: 11h00 – 01h00

Domingo: 11h00 – 22h00

Villa Mix | Voluntariado | Inscrições Abertas

Inscrições abertas para voluntariado na edição de Lisboa do Villamix

fde102ac-242c-4e66-8f37-71c92c1cd567.jpg

 

O VILLAMIX regressa a Lisboa nos próximos dias 13 e 14 de setembro no Altice Arena.

Artistas do universo lusófono foram convidados para participar neste que é tido como um dos maiores festivais do mundo, tendo já batido alguns recordes do Guiness como o do maior palco.

O Festival, pela primeira vez, cria um Programa de Voluntariado “Voluntário Mix” para todos aqueles que procuram experiências com grandes eventos, possuem disponibilidade e espírito voluntário.
 

Funções

Os voluntários devem garantir o apoio nas diferentes áreas envolvidas na organização do evento, tais como:
·       Acreditação  
·       Backstage 
·       Lounge Golden Mix Vip
·       Comunicação 
·       Conteúdos para Social Media 
·       Gestão de Público 
·       Produção Geral
·       Produção Voluntariado   
·       Logística 
·       Roda Gigante 
·       Troca de Pulseiras e Informações
·       Intervenções artísticas e musicais 

 Quem pode participar?

- Disponibilidade nos dias 04 a 14 de Setembro
- Idade igual ou superior a 18 anos
 
O que os voluntários ganham?

- Seguro
- Certificado de participação
- Alimentação
- Subsidio diário de transporte
- T-shirt
- Credencial

Processo de Seleção

Inscrições Online: voluntariomix@gmail.com

Formação

É assegurada uma formação específica para cada uma das áreas.

 

VILLAMIX ORIGEM

O VILLAMIX foi criado em 2011 para ser apenas um festival de música sertaneja. Contudo, o seu sucesso imediato com mais de 50 000 espectadores no primeiro ano e mais de 100 000 no ano seguinte, fizeram com que a organização repensasse o festival criando um palco maior, melhores condições técnicas e não apenas uma edição por ano mas sim, várias. Neste momento, realizam-se mais de 30 edições por ano em 24 cidades diferentes e com mais de 2 milhões de espectadores. 


VILLAMIX INTERNACIONAL

Em 2015, o VILLAMIX contou com a participação de artistas internacionais como Demi Lovato e ganhou pela primeira vez (a segunda seria em 2017) o certificado do “Guinness World Records” por ter o maior palco do mundo. 

Em 2018, contou ainda com mais nomes internacionais como foram os casos de Shawn Mendes, Nick Jonas, J. Balvin, Maluma, Liam Payne entre outros.

VILLAMIX LISBOA

Nesse mesmo ano, em outubro, realizou-se a primeira edição internacional do festival em Lisboa no Altice Arena onde estiveram mais de 20 000 pessoas.

O alinhamento do festival em Lisboa por dias pode ser consultado nas linhas abaixo, assim como o valor dos bilhetes:
 
13/09, sexta:
Jorge e Mateus, 
Wesley Safadão, 
Simone e Simaria
Matheus e Kauan
Djodje
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
14/09, sábado:
Luan Santana
Gusttavo Lima
Xand Avião
Alok
Calema
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A venda de bilhetes diários começa dia 24/04, com os seguintes valores:
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Balcão 1 €60 por dia⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Balcão 2 €40 por dia⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Villa Prime €60 por dia⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Golden Mix Vip €120 por dia

Link bilheteira: https://www.blueticket.pt/Event/4301/FESTIVAL-VILLA-MIX-LISBOA

Fundação Mirpuri vai entregar 90 mil euros às artes no Teatro São Carlos, em Portugal

Candidaturas abertas para os Prémios de Dança, Música e Teatro 2020

 

 

 

Abriram as candidaturas para a segunda edição dos Prémios de Dança, Música e Teatro da Fundação Mirpuri. A Gala está marcada para 24 de outubro de 2020, mas todos os candidatos já têm o regulamento disponível em https://mirpurifoundation.org/. A promoção do mérito artístico, nacional como internacional, apostando na distinção do melhor da cultura e no fomento das atividades culturais em Portugal e no mundo, é a missão de raíz da iniciativa.  Cada categoria tem associado um prémio de 30 mil euros, perfazendo um total de 90 mil euros entregues aos nomes que mais se destacaram nas áreas artísticas dos Prémios.

O nome dos Prémios foi inspirado em figuras nacionais incontornáveis da cultura portuguesa: Carlos Avillez, Anna Mascolo e Sequeira Costa. Ao contrário do ano passado, poderão concorrer artistas de todo o mundo na sua respetiva área, aumentando o alcance da cerimónia.

Na primeira edição, realizada a 3 de novembro de 2018, o prémio na área da dança foi para Fernando Duarte, Mestre de Bailado, Coreógrafo e Professor Convidado do Conselho Internacional de Dança/UNESCO.

Na área da música, o galardoado foi o Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa (MPMP), prémio entregue a Edward Abreu (Presidente do MPMP) e Duarte Martins (Vice-Presidente do MPMP). O Ensemble MPMP é um grupo de instrumentação flexível que tem desenvolvido um trabalho com vista à redescoberta de património passado e a valorização de repertórios contemporâneos.

Por fim, na área de teatro, o contemplado foi Elmando Sancho, ator que frequentou as mais conceituadas escolas e universidades como a Real Escuela Superior de Arte Dramático de Madrid, a Universidade São Paulo/Escola Comunicação e Artes e o Conservatoire National Supérieir D’art Dramatique de Paris. Tanto no teatro, como em televisão e cinema, fez parte do elenco das mais variadas peças, séries e filmes.

A gala do ano passado homenageou Vladimir Vasiliev - figura incontornável da história da dança, além de bailarino também coreógrafo, diretor de teatro e cinema, ator, professor, artista e poeta, premiado pela Academia de Dança de Paris com o título Melhor Bailarino do Mundo, e pela Dancing

Time Magazine como O Deus da Dança -, contou com os reconhecidos apresentadores, Catarina Furtado e Paul Rose da BBC, e com a atuação de inúmeros artistas internacionais como Ekaterina Kondaurova, bailarina principal do Ballet do Teatro Mariinsky, de São Petersburgo, Maria Alexandrova, bailarina aclamada que fez carreira no Ballet Bolshoi , Andrey Ermakov, Nina Ananiashvili, atual diretora do Ballet da Geórgia, Marcelo Gomes, bailarino brasileiro e bailarino principal do American Ballet Theatre até 2017, Patrícia Henriques, distinguida pela revista Dance Europe, Miguel Ramalho, que recebeu o prémio da imprensa em 2012 como bailarino no ano. Também participou neste espetáculo a Orquestra Sinfónica Portuguesa, dirigida pelo maestro Pedro Neves.

 

Santa Casa da Misericórdia patrocina Prémios Nico pela primeira vez

Santa Casa da Misericórdia patrocina Prémios Nico pela primeira vez

Jovens talentos prometem marcar o cinema português

 

 

A Academia Portuguesa de Cinema distinguiu, pelo terceiro ano consecutivo, três jovens talentos com os Prémios Nico. São eles António Pinhão Botelho, realizador da longa-metragem “Ruth”, Alba Baptista, atriz coprotagonista do filme “Leviano” e Francisco Froes, ator e um dos rostos de “Parque Mayer”, o 3º filme português mais visto em 2018.

Segundo o Presidente da Academia, Paulo Trancoso, “os vencedores dos Prémios Nico deste ano são jovens que têm merecido a atenção da crítica e prometem marcar o cinema português”.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa associa-se pela primeira vez como principal Patrocinador dos Prémio Nico, contribuindo não só com o Troféu como também com um prémio de €1000 para cada um dos vencedores.

Os Prémios Nico, assim designados em homenagem ao ator e realizador Nicolau Breyner, têm como objetivo premiar novos talentos que de alguma forma evidenciam as qualidades e os sonhos daquele que foi um dos expoentes máximos do cinema português.

Em 2018 foram distinguidos com os Prémios Nico o realizador Pedro Pinho, o ator José Pimentão e a atriz Oksana Tkach.

 

Sobre os premiados:

António Pinhão Botelho - Realizador

image016.jpg

Em 2008, após concluída a licenciatura como argumentista pela Escola Superior de Cinema de Lisboa, ganhou a Bolsa Brett Rattner que lhe permitiu matricular-se na New York Film Academy. Em 2009, recebeu uma Bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian/Fundação Luso-Americana para a continuação dos seus estudos nos EUA. Durante esse período, escreveu, produziu e realizou dezenas de curtas-metragens, tendo obtido diversos prémios em Portugal e nos EUA. Integrou os quadros do Canal Q (2010/17), onde realizou programas diários, semanais, mini-séries, talk-shows e programas de humor e de desporto, como "Filho da Mãe", "É a Vida, Alvim" e  "Inferno", entre outros. Realizou também alguns filmes publicitários e telediscos. Na sua filmografia estão incluídas obras como “Madeleine” (2009), “A Carteira Roubada” (2009), “Vil” (2012) e “Rio” (2014). "Ruth" (2018) é a sua primeira longa-metragem, que mereceu de imediato a aclamação da crítica.

 

Francisco Froes - ator

image017.jpg

Nasceu em Lisboa e viveu a maior parte da sua infância na Califórnia, onde permaneceu até aos 10 anos. Iniciou-se como ator na série televisiva “Morangos com Açúcar” mas diz frequentemente que foi na escola Neighborhood Playhouse em Nova Iorque, onde estudou durante dois anos, que aprendeu tudo o que sabe sobre representação. Em 2012 fundou uma produtora com alguns amigos, a “Pocket Man Entertainment”, para a qual escreve, produz e realiza pequenos filmes. Nos últimos anos tem integrado o elenco de várias produções nacionais, como “Noite de Paz” (2011) ou “Deste Lado da Ressurreição” (2012) e em 2018 foi um dos protagonistas da longa-metragem “Parque Mayer”, para a qual teve uma nomeação para os Prémios Sophia.

 

Alba Baptista - atriz

image018.jpg

 

Concluiu em 2012 o curso de interpretação da ACT — Escola de Atores, tendo posteriormente trabalhado em cinema e em televisão. Em 2014, com apenas 16 anos, estreou-se na curta-metragem “Miami” e, nesse mesmo ano, integrou o elenco da novela “Jardins Proibidos”, que a projetou definitivamente para uma carreira de atriz. Desde então é presença assídua em projetos televisivos e longas-metragens como “Miami”, de Simão Cayatte, “Leviano”, de Justin Amorim, “Caminhos Magnétykos”, de Edgar Pêra, e “Tudo o que imagino”, de Leonor Noivo. Foi distinguida, em novembro de 2018, no Festival de Cinema Europeu Subtitle, na Irlanda, com o prémio Revelação (feminina). Será a protagonista da série “Warrior Nun”, da Netflix, que se encontra ainda em gravações.