Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Percursos Sonoros chega esta semana!

Percursos Sonoros: a simbiose entre o património e a música está de volta a Oliveira de Azeméis.
 


Novidades

Em 2019, o Percursos Sonoros salta dos palcos musicais e oferece mais cultura ao público.

Atividades

Para recuperar as memórias da antiga biblioteca infantil, situada em tempos no parque infantil, surge a atividade "Histórias sonoras, livros com música", um projeto de David Leão e Ivo Prata, dinamizado em parceria com a Biblioteca Municipal Ferreira de Castro. Será ainda lançado um projeto de bookcrossing, em parceria com a associação aveirense AgoraAveiro, em que junto à antiga biblioteca infantil espaço será inaugurada uma mini biblioteca dentro de um frigorifico.
O Café do Lago será palco de uma conversa informal com a temática “Eventos culturais e o seu impacto no património cultural”, onde se pretende uma troca de ideias sobre o papel dos eventos culturais na preservação, valorização e transmissão do Património Cultural. Nesta conversa estão confirmados Rui Luzes Cabral, atualmente vice-presidente da Câmara Municipal da Oliveira de Azeméis, sócio fundador da Signinum, Gestão de Património Cultural, uma das maiores empresas de valorização e conservação do património edificado, e Ana Sofia Oliveira, mestre em Gestão e Programação do Património Cultural, fundadora do festival Percursos Sonoros.
 

Por sua vez, o Berço Vidreiro será palco de uma viagem à história do vidro em Oliveira de Azeméis, com a atividade “O vidro em Oliveira de Azeméis - Uma História”. Não seria possível falar de Oliveira de Azeméis sem mencionar o seu importante papel na história do vidro. Nesta viagem vai ser possível conhecer como se produzia o vidro há séculos e quais as técnicas usadas, bem como a importância da atividade no concelho desde que foi criada em Oliveira de Azeméis a primeira fábrica de vidro do país.
 

Durante os concertos estará patente a instalação “PAUSE/PLAY”. Esta produção artística procura transmitir a ideia de movimento a partir da transformação de um objeto doméstico que exprime a ideia de intervalo. A pausa sofreu uma viragem e agora somente o som habita neste espaço. Para permitir que se alcance a clareza da visão e a energia da ação, é entregue, a este dispositivo suspenso, o compromisso de iluminar o percurso sonoro. A obra PAUSE/PLAY é a primeira instalação artística de Ricardina Oliveira e Susana Vasco.
 

Ambiente, ecologia e copo ecológico: A Sustentabilidade é um tema cada vez mais atual e urgente, e o Percursos Sonoros acompanha essa tendência. Iremos ajudamos a preservar o nosso património assim como o nosso habitat natural através da venda de copos reutilizáveis.

 

 

4e2c9c24-4efa-4ae5-8404-5f06a8e43cc6.jpg

 

A quarta edição do festival, organizada pela Incentivo Positivo em parceria com a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis e com o Conselho Municipal da Juventude, irá acontecer no dia 28 de setembro, a partir das 22h, num  dos espaços mais acarinhados da região, o Parque de La Salette.

O intuito do Percursos Sonoros continua (e continuará) a ser o mesmo: promover o património “esquecido” da cidade através da música. O Coreto, o Lago, o Miradouro do Parque, assim como a Estalagem de S. Miguel são os palcos históricos escolhidos para a constituição do percurso da edição de 2019 do festival. Cada recanto do Parque de La Salette representa um pedaço especial da cultura e memória dos oliveirenses, o que torna o estudo e  a triagem dos espaços uma das maiores dificuldade sentida por parte da organização. 

Quanto ao cartaz, este também já se encontra definido e promete trazer a Oliveira de Azeméis o que de melhor se faz no nosso país a nível músical. Com o novo álbum, Aurora, os Sensible Soccers conduzirão o público aos recantos por descobrir da memória e da infância através dos seus ritmos vibrantes.

A banda portuguesa melhor classificada da edição de 2018 do Festival Termómetro, os  Gator, The Alligator, oriundos de Barcelos, prometem hipnotisar o público com as descargas elétricas em forma de ondas sonoras repletas de garage rock, sons psicadélicos e fuzz.

A dividir o espaço com a banda barcelense, vamos encontrar CelesteMariposa, que numa mudança de ritmos nos vai levar ao universo dos bailes africanos, uma viagem através do tempo desde as bases do funaná instrumental até ao áspero merengue angolano, além de Semba, Gumbé da Guiné-Bissau, Socopé de São Tomé e Príncipe e Marrabenta moçambicana.

Conta-se ainda com os Bardino, um autêntico mergulho na tranquilidade existente entre o psicadelismo antigo e a herança do rock progressivo e as suas variantes funk e jazz-fusion.

Ao concluir a apresentação do cartaz, chega uma novidade internacional de peso: Martin Harley, um dos songwriters nomeado para os UK AMERICANA AWARDS como melhor instrumentista do ano. 
 

O Percursos Sonoros mantém-se de entrada gratuita. Apesar dos concertos terem início às 22h, o público vai ser convidado a chegar mais cedo através de uma programação diurna complementar para várias idades e que pretende enriquecer a experiência de quem visita o Parque de La Salette. “Queremos trazer público já durante a tarde ao Parque, para que seja retirado o maior proveito possível das suas potencialidades”, acrescenta a organização.

Mais três grandes noites de Festim, com América Latina e África!

Pascuala Ilabaca y Fauna (Chile)
SEXTA 6 JULHO, 22h00 - Praça Henriqueta Maia, ÍLHAVO
SÁBADO 7 JULHO, 22h00 - Cineteatro Alba, ALBERGARIA-A-VELHA

Orquestre Poly-Ryhmo de Cotonou
(Benim)
SÁBADO 7 JULHO, 22h00 - Praça Henriqueta Maia, ÍLHAVO
DOMINGO 8 JULHO
, 22h00 - Praça da Cidade, OLIVEIRA DE AZEMÉIS

 

image.png

Com uma fortíssima presença em palco, agarrada ao seu acordeão, a cantora Pascuala Ilabaca é uma verdadeira preciosidade na nova vaga de jovens artistas do Chile. A sua música tem origem nas raízes étnicas e indígenas do folclore chileno, mas integra ritmos latinos, jazz, pop e muito rock, não só no som mas também na atitude. Junto da poderosa banda que a acompanha e a que chama Fauna, Pascuala dá asas a uma voz vibrante, igualmente capaz de adoçar a soberba energia dos concertos. Numa abordagem tão política quanto romântica, a enérgica intérprete traz-nos o espírito jovial e festivo da nova canção chilena. Música exótica com mensagem a celebrar o Festim!

 

image.png

A lendária e todo-poderosa Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou é uma instituição histórica sendo, seguramente, a mais antiga das grandes orquestras africanas que ainda se encontram ativas, composta por sucessivas gerações de músicos desde 1966. Trazem-nos uma fascinante sonoridade ligada aos cerimoniais festivos do Benim, pequeno país da África ocidental, confluência de múltiplas heranças musicais e culturais. Fazendo jus ao consagrado nome, eis o exemplo acabado de uma explosiva mistura de ritmos (afrobeat, rumba africana, funk, soul, jazz, disco sound, groove, latino, entre outros). Em palco, dez músicos garantem um autêntico Festim!


http://www.festim.pt
http://www.facebook.com/dOrfeu.Festim

La Caravane Passe (França) | Boban Markovic Orkestar (Sérvia) | Pascuala Ilabaca y Fauna (Chile) | Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou (Benim) | La Yegros (Argentina) | Waldemar Bastos (Angola) | Omar Souleyman (Síria)
 
22 junho a 26 julho | 10ª edição
ÁGUEDA * ALBERGARIA-A-VELHA * SEVER DO VOUGA * ESTARREJA * ÍLHAVO * OLIVEIRA DE AZEMÉIS