Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Pode a palavra dita tornar-se uma competição poética? | Poetry Slam volta a Torres Vedras

descarregar (12).jfif

O Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras (CAC) recebe, pelo segundo ano consecutivo, o Poetry Slam Torres Vedras, um evento em torno da palavra dita que tem por base a performance e os textos poéticos da autoria dos participantes. Este é um evento co-organizado pela Câmara Municipal de Torres Vedras, Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras, EMERGE — Associação Cultural e Portugal Slam, que acontece a partir de 20 de maio até julho, nas diversas salas que compõem o CAC.  

Nos anos 80, um poeta local e um construtor civil lutaram, nos Estados Unidos da América em Illinois, Chicago, através da leitura de poesia contra aquilo que sentiam como uma perda de fulgor da poesia, ao mesmo tempo que queriam devolvê-la às pessoas, através das suas vozes - é assim que surge a prática do Poetry Slam. Esta prática chega a Portugal, a partir de 2009, em Lisboa sendo rapidamente disseminado noutras cidades, sendo hoje praticada em cerca de doze localidades diferentes. 

Pegando no exemplo de outras cidades e, como forma de promover a prática poética junto das comunidades locais, desenvolvendo aptidões literárias (linguagem e comunicação) através da poesia, o Poetry Slam chega a Torres Vedras em 2022.

É um evento gratuito, onde o público é convidado a participar activamente quer na apresentação de obras poéticas, quer enquanto júri, (selecionado a partir do público presente), pontuando cada slammer. 

A competição acontece em três eliminatórias (rounds), sendo o primeiro e segundo lugar automaticamente apurados para a Final do Poetry Slam Torres Vedras, onde será elegido o representante da cidade para a competição nacional no festival PORTUGAL SLAM 2023, que terá lugar em Almada.

Além desta competição pública (3 rounds), haverá também o evento quinzenal Open Slam, onde se convida à expressão livre e espontânea para testarem os seus poemas e, também, serão dinamizadas diversas oficinas. Estas oficinas estão abertas ao público em geral e são coordenadas por Li Alves e NBC. Nestas oficinas haverá lugar à contextualização, desobstrução, questionamento e reflexão sobre poesia e oralidade, a capacitação de participantes a desenvolverem a sua escrita através de referências/emoções escondidas, dos sentidos e sensações, utilizando recursos descritivos através de técnicas ligadas ao storytelling e workshops ligados ao cuidado com a voz, a sua projecção, expressão e técnica, na capacitação dos participantes de boas práticas no uso da voz como ferramenta criativa e profissional.

 

Sobre Emerge - Associação Cultural

A Emerge é uma associação cultural sem fins lucrativos, fundada em 2016 em Torres Vedras, que tem como principal objetivo promover arte contemporânea produzida por artistas emergentes. Esta promoção é levada a cabo através dos vários projetos desenvolvidos em parceria com instituições públicas e privadas, curadores, artistas, galerias, entre outros, abordando temas prementes da arte contemporânea.

 

Sobre Portugal Slam

Portugal SLAM é uma plataforma criada em articulação com as várias organizações do país que têm dinamizado eventos locais de Poetry Slam nas suas cidades, estando aberta em permanência a novos poetas, locais e organizações que se queiram juntar ao movimento. Ao longo de cada ano, o Portugal SLAM trabalha próximo das comunidades locais, bem como escolas, bibliotecas municipais e espaços culturais de Norte a Sul do país, cimentando a prática do Poetry Slam não só enquanto forma de expressão, mas também enquanto ferramenta pedagógica e de integração social. Desde 2014 é realizado um evento nacional que celebra a plataforma e conta com o Campeonato Nacional de Poetry Slam. 

A 9ª final Portugal SLAM irá realizar-se na cidade de Almada em Setembro de 2023, onde irá apurar-se o vencedor nacional de Poetry Slam que representará o nosso país a nível europeu.

 

Sobre CAC — Centro de Artes e Criatividade (entidade que acolhe o evento)

O Centro de Artes e Criatividade (CAC) de Torres Vedras centra-se no Carnaval, dando a conhecer as expressões artísticas de uma celebração assinalada um pouco por tudo o mundo.

 

Poetry Slam Torres Vedras 2023

Local | Centro de Artes e Criatividade Torres Vedras

Inscrições | OficinasCompetição 

 

Datas dos eventos 

Open Slam (evento regular) | quinzenalmente, às sextas, de 19 de maio a 28 de julho

Oficina de Introdução ao Poetry Slam | 20 de maio

Oficina de técnicas de projeção de voz e expressão vocal | 20 de maio

Oficina Aprender a conhecer o diafragma | 26 de maio

1º round Poetry Slam Torres Vedras | 28 de maio

2º round Poetry Slam Torres Vedras | 18 de junho

Oficina de escrita sensorial | 23 de junho

3º round Poetry Slam Torres Vedras | 9 de julho

Grande final Poetry Slam Torres Vedras | 30 de julho

Grande final nacional do Poetry Slam | 7 a 9 de setembro

 

Co-organização | Câmara Municipal de Torres Vedras, Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras, EMERGE — Associação Cultural e Portugal Slam

Mcs apresentadores e serviço educativo | Li Alves e NBC

Júri | blico

Gestão de projeto | Daniela Ambrósio

Produção e design cultural | Jorge Reis

MUNICÍPIO DE MORA ASSINALA COMEMORAÇÕES DO DIA DE PORTUGAL COM ESPETÁCULO “OS POETAS DE AMÁLIA”

Dia de Portugal 2023.png

No próximo dia 9 de junho pelas 21h30, para assinalar as comemorações do Dia de Portugal, a Casa da Cultura de Mora, recebe o espetáculo “Os poetas de Amália”.

Um espetáculo com André Gago (voz), Pedro Dias (guitarra portuguesa) e João Penedo (viola e contrabaixo).

Trata-se de uma viagem pela poesia cantada por Amália Rodrigues, onde as conhecidas melodias dos fados que a celebrizaram se reencontram de outro modo com as palavras dos poetas.

Ary dos Santos, David Mourão-Ferreira, Alexandre O’Neill, Vasco de Lima Couto, Pedro Tamen, Manuel Alegre, Luiz de Camões, Cecília Meireles e a própria Amália Rodrigues deixaram uma marca no fado português, que aqui se evoca com as melodias de Cuidei que Tinha Morrido, Naufrágio, Barco Negro, Gaivota, Fado Peniche, Formiga Bossa Nova ou Estranha Forma de Vida, entre muitas outras.

Não perca a oportunidade de celebrar o Dia de Portugal com cultura e música portuguesa.

 

MUNICÍPIO DE MORA ASSINALA COMEMORAÇÕES DO DIA DE PORTUGAL COM O ESPETÁCULO "OS POETAS DE AMÁLIA"

descarregar.png

No próximo dia 9 de junho pelas 21h30, para assinalar as comemorações do Dia de Portugal, a Casa da Cultura de Mora, recebe o espetáculo “Os poetas de Amália”. Um espetáculo com André Gago (voz), Pedro Dias (guitarra portuguesa) e João Penedo (viola e contrabaixo).Trata-se de uma viagem pela poesia cantada por Amália Rodrigues, onde as conhecidas melodias dos fados que a celebrizaram se reencontram de outro modo com as palavras dos poetas. Ary dos Santos, David Mourão-Ferreira, Alexandre O’Neill, Vasco de Lima Couto, Pedro Tamen, Manuel Alegre, Luiz de Camões, Cecília Meireles e a própria Amália Rodrigues deixaram uma marca no fado português, que aqui se evoca com as melodias de Cuidei que Tinha Morrido, Naufrágio, Barco Negro, Gaivota, Fado Peniche, Formiga Bossa Nova ou Estranha Forma de Vida, entre muitas outras. Não perca a oportunidade de celebrar o Dia de Portugal com cultura e música portuguesa.

𝙈𝙪𝙣𝙞𝙘𝙞́𝙥𝙞𝙤 𝙙𝙚 𝙈𝙤𝙧𝙖, 𝙪𝙢𝙖 𝙥𝙤𝙧𝙩𝙖 𝙖𝙗𝙚𝙧𝙩𝙖 𝙥𝙖𝙧𝙖 𝙤 𝙛𝙪𝙩𝙪𝙧𝙤!

CCB | Dia Mundial da Poesia > Celebração do Centenário do nascimento de Eugénio de Andrade | 25 março, a partir das 15h00, entrada livre

Dia Mundial da Poesia

Celebração do Centenário do nascimento de Eugénio de Andrade

Com o apoio do Plano Nacional de Leitura

 

No dia 25 de março de 2023, o CCB assinala o Dia Mundial da Poesia com um programa que celebra o centenário do nascimento de Eugénio de Andrade e que conta novamente com o apoio do Plano Nacional de Leitura – PNL2027. Das 15h00 às 19h00 pode usufruir de várias iniciativas em diferentes espaços do Centro de Congressos e Reuniões. O já clássico Diga lá um poema, um espaço para declamações espontâneas de poesia, este ano com Eurico Lopes e, pela primeira vez, o Mini Diga lá um poema, direcionado a um público mais jovem, sob a orientação de Ana Sofia Paiva. A Maratona de Leitura, com a moderação de André Gago, irá acolher leituras de poesia por personalidades das mais diversas áreas, e uma Conversa sobre a vida e a obra de Eugénio de Andrade. Poderá ainda assistir a um documentário sobre o poeta e percorrer a feira do livro de poesia e não só. Todos os eventos têm entrada gratuita. Venha celebrar este dia com o CCB.

 

 

Programa

 

Centro de Reuniões:

 

Diga Lá Um Poema

Moderação: Eurico Lopes

Espaço Gregotti, 15h30-18h30

Este ano com moderação de Eurico Lopes, encontra aqui um espaço para leituras de poesia em voz alta, onde o público é convidado a dizer os seus poemas favoritos ou de sua autoria.

 

Mini Diga Lá Um Poema

Moderação: Ana Sofia Paiva

Sala Eugénio de Andrade, 15h00-17h00

Este ano alargamos o Diga Lá Um Poema a um público mais jovem que é convidado a dizer poesia em frente a um microfone.

 

Maratona de Leitura

Moderação: André Gago

Sala Fernando Pessoa, 15h30-18h30

Eugénio de Andrade dito por diversas personalidades e por jovens do Ensino Secundário.

 

Conversa sobre Eugénio de Andrade

Sala Luís de Freitas Branco, 17h00-18h00

Com Federico Bertolazzi e José Mário Silva.

Conversa à volta da vida e obra de Eugénio de Andrade.

 

Documentário sobre Eugénio de Andrade em 2 partes:

Sala Sophia de Mello Breyner Andresen, às 16h00 e às 17h00

Eugénio de Andrade – O Poeta, parte 1

Eugénio de Andrade – Rosto Precário, parte 2

Realização de Jorge Campos

 

Feira do livro

Exposição e venda de livros

Hall da Receção do Centro de Reuniões, 15h00-18h30

No hall da receção do CCB poderá encontrar os seus poetas e poemas preferidos.

 

Outras Atividades

 

Fábrica das Artes:

Sujeita a inscrições através do email fabricadasartes@ccb.pt

 

Exposição O Peculiar Crime do Estranho Sr. Jacinto

Visitas guiadas por Bruno Caetano > 11h00, 11h30, 12h00, 12h30

De onde surgiu a ideia por trás desta história? Como se constrói uma marioneta para animação? Como é que estas personagens ganham vida? Acompanhados por membros da equipa que produziu o filme O Peculiar Crime do Estranho Sr. Jacinto, o público que visita a exposição poderá não só perceber como todo este mundo em miniatura foi construído, como colocar questões que possam ter em relação a esta técnica de animação tão distinta. Uma rápida passagem pelo mundo habitado pelo Sr. Jacinto e por todos aqueles que se cruzam com ele pelas suas particulares ruas.

 

Cinema e Animação

Oficina Conversa > 15h00-16h30

Ao longo de 12 semanas teremos uma série de conversas com autores/as e artistas, seguidas de divertidas atividades, onde vamos explicar a todas as pessoas interessadas as várias fases de uma produção de um filme de animação. Da elaboração de um storyboard à arte conceptual de personagens e cenários, da construção de marionetas ao uso dos mais variados materiais para a construção de um universo animado, da animação à composição de uma banda sonora. A moderação será feita por Bruno Caetano e cada sessão contará com um/a profissional da indústria, especializado/a no assunto do dia. No dia 25 de março, o tema é: Storyboard Pedro Brito

 

Museu CCB

 

Entre a Poesia e a Obra

10h30-12h30, 14h30-18h00

 

Conceção: Cristina Gameiro

Produção: Cátia Bonito, Filipa Gordo e Rita Cândido

Atividades com a orientação da equipa de educadores do Serviço Educativo.

image001 (2).jpg

No âmbito do Dia Mundial da Poesia, o Serviço Educativo do Museu CCB, convida os visitantes a participar na atividade contínua Entre a poesia e a obra, na qual serão desafiados a relacionar excertos da poesia de Eugénio de Andrade com fragmentos de obras da Coleção Berardo, criando uma composição plástica.

Esta atividade decorrerá na exposição permanente da Coleção Berardo e para os mais novos terá como ponto de partida a exposição temporária Dos Pés à Cabeça.

 

 

 

 

Dia Mundial da Poesia | Espetáculo POESIA EM FLORBELA (Espanca)| | 21 e 22 de março | *Entrada livre* | MATOSINHOS | Fundação INATEL

image006.jpg

Poesia em Florbela
21 e 22 de março | Matosinhos
Comemoração do Dia Mundial da Poesia | Fundação INATEL

ENTRADA LIVRE

A Fundação INATEL apresenta Poesia em Florbela. Por ocasião do Dia Mundial da Poesia, vamos celebrar, em Matosinhos, a vida e obra da poetisa Florbela Espanca, nos dias 21 e 22 de março.

Florbela Espanca é a poetisa que a Fundação INATEL homenageia, em 2023. Num tributo à escritora, na cidade de Matosinhos, um dos palcos da vida e obra da poetisa. Um espetáculo que toca várias dimensões artísticas do Teatro à Dança, da Música às Artes Visuais, numa viagem pelas facetas da obra de Florbela Espanca. Uma vida breve, mas cheia...

PROGRAMA
Dia: 21 de março
Tertúlia "Celebrar Florbela"
Local: Biblioteca Municipal Florbela Espanca (Matosinhos)
Hora: 18h00 | M6
Conversa informal sobre a vida e obra da poetisa moderada por Tito Couto e com a participação de Cláudia Pazos-Alonso, Matteo Pupillo e Eliana Barros

Dia: 22 de março
Espetáculo: Poesia em Florbela
Local: Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery
Hora: 21h00 | M6
Integrado no espetáculo haverá a leitura de um Manifesto pela Poesia da autoria da escritora Isabel Rio Novo, por Alice Neto de Sousa.

Direção Artística - Rui Sérgio
Manifesto pela Poesia - Isabel Rio Novo
Interpretação - Marcantonio Del Carlo . Iolanda Laranjeiro . Alice Neto de Sousa . Jorge da Rocha . Rui Oliveira . Luísa Pinto . Cristina Bacelar . Ana Isabel Castro

Parceiros Institucionais
Câmara Municipal de Matosinhos
Biblioteca Municipal Florbela Espanca
Teatro Municipal de Matosinhos Constantino Nery

Todas as atividades são de entrada livre sujeita à lotação dos espaços. Reserva obrigatória.

Mais Informações: inatel.pt | Reservas: 210 027 148 (Chamada para a rede fixa nacional | dias úteis 9h - 18h) | cultura@inatel.pt>

No Dia Mundial da Poesia receba um poema ao telefone!

 

Uma Ligação, Uma Poesia.jpg

Para assinalar o Dia Mundial da Poesia (21 de março), a Rede de Bibliotecas Públicas do Município de Palmela promove a iniciativa “Uma Ligação, Uma Poesia”, este ano em homenagem ao poeta português Eugénio de Andrade.

Neste dia, entre as 10h00 e as 19h00, as/os leitoras/es e utilizadoras/es da Rede que se inscrevam vão receber um poema, lido através de uma chamada telefónica.

Para participar, inscreva-se até 18 de março (indicando o nome, número de telefone e e-mail), através dos contactos 212 336 632 ou bibliotecas@cm-palmela.pt.

 

CCB | Diga lá um poema > moderação de Eurico Lopes | fins de tarde de sábado do mês de setembro na varanda do Espaço Vittorio Gregotti

CCB . 3, 10, 17 e 24 de setembro . sábado . 19h00 às 21h00 .

Espaço Vittorio Gregotti (Centro de Reuniões) . Entrada livre

image001.jpg

Diga lá um poema é a transposição de uma iniciativa de sucesso do Dia Mundial da Poesia para os fins de tarde de sábado do mês de setembro. Num espaço informal e com uma varanda de frente para o rio, o ator Eurico Lopes será o declamador residente, dando o mote para cada sessão. Um espaço que promove a espontaneidade do público, que é convidado a ler ou a dizer um poema de cor, de um autor conhecido ou da sua autoria.

 

Eurico Lopes iniciou a sua formação teatral em 1988 com Filipe Crawford na Fundação Calouste Gulbenkian. É presença assídua em televisão, cinema e teatro. Ao longo da sua carreira tem participado em vários projetos de divulgação de poesia em leituras públicas. Já foi dirigido por encenadores como João Lourenço, Fernando Heitor, Berta Teixeira, Bibi Perestrelo, Gastão Cruz, Tiago R. Santos, Vicente Alves do Ó e André Gago. Licenciado também em arquitetura, tem no seu currículo a criação de mais de vinte espaços cénicos, em teatros como o Teatro Nacional D. Maria II, Teatro da Trindade, Teatro São Luiz, CCB, Teatro Nacional de São João e Teatro Aberto.

 

INTERVENÇÃO POÉTICA EM ALTE EVOCA CÂNDIDO GUERREIRO

Cândido Guerreiro.jpg

O grupo Ao Luar Teatro leva ao palco no próximo dia 24 de setembro, pelas 15h30, na Fonte Pequena, em Alte, “Sonetos de uma aldeia, cantos e contos de cá!”, evento que pretende ser uma apresentação poética em torno da vida e obra do poeta altense Francisco Xavier Cândido Guerreiro.

O mote para este trabalho foi fornecido à companhia de teatro das Sarnadas pelo também poeta José Carlos Ary dos Santos, com o poema "A Viagem", escrito por este aquando da morte do poeta altense Cândido Guerreiro, no ano de 1953.
A companhia Ao Luar Teatro segue então nesta viagem, a viagem de Cândido Guerreiro, desde 1871 a 1953, passeando pelos caminhos da poesia e da vida do poeta altense, o poeta que amava a vida, o poeta dos sonetos. Contos, poemas, música e cantigas farão, também, parte desta viagem.

Os músicos Pedro Branco e Vasco Ramalho, os atores Rui Penas e Daniel Romeiro, e o rapper João Baião metem-se à estrada com Cândido Guerreiro.
Esta iniciativa é de entrada livre e surge no âmbito do projeto “Biblioteca Municipal adota a Escola Profissional Cândido Guerreiro”, que conta com o apoio da Junta de Freguesia de Alte

AO LUAR TEATRO LEVA À FONTE DE ALTE INTERVENÇÃO POÉTICA DEDICADA A CÂNDIDO GUERREIRO

Cândido Guerreiro.jpg

“Sonetos de uma aldeia, cantos e contos de cá” é o nome da intervenção poética que o grupo Ao Luar Teatro irá levar à Fonte Pequena de Alte, no próximo sábado, 7 de maio, pelas 15h30.

Integrado no projeto “Biblioteca Municipal adota a Escola Profissional Cândido Guerreiro”, esta pretende ser uma apresentação poética em torno da vida e obra do poeta altense Francisco Xavier Cândido Guerreiro. O mote para este trabalho foi fornecido à companhia Ao Luar Teatro pelo também poeta José Carlos Ary dos Santos, com o poema "A Viagem", escrito por este aquando da morte de Cândido Guerreiro, no ano de 1953.

A companhia Ao Luar Teatro segue então nesta viagem, a viagem de Cândido Guerreiro, desde 1871 a 1953, passeando pelos caminhos da poesia e da vida do poeta que amava a vida, o poeta dos sonetos. Contos, poemas, música e cantigas farão, também, parte desta viagem...

Os músicos Pedro Branco e Vasco Ramalho, os atores Rui Penas e Daniel Romeiro, e o rapper João Baião “metem-se à estrada com Cândido Guerreiro”. Este evento ´de entrada livre.

Poesia de André Tecedeiro e Exposição de Bartolomeu Costa Cabral em destaque no Festival Cultural da Universidade do Porto - 12 e 23 de abril

 

No âmbito do Casa Comum Fest, um novo festival cultural que promove o diálogo entre as várias instituições da Universidade do Porto, diversos artistas e toda a cidade, a iniciativa recebe a 12 de abril, André Tecedeiro, o poeta convidado da sessão do Ouvir, 59 minutos de imersão poética.

 

image005.png

Assim pelas 18h30, Casa Comum (no edifício histórico da Reitoria da Universidade do Porto, na Praça Gomes Teixeira) abre portas para que o silêncio ganhe consistência até que a voz possa entrar e sentir-se em casa.  Com programação e curadoria da Porto Editora, esta experiência imersiva terá uma narrativa de Nádia Carvalho que dará início à sessão e depois a voz do poeta conduz os sentidos até à descoberta de uma espécie de “dia novo”. A entrada é livre e limitada à lotação da sala.

Arquivo do arquiteto do modernismo português Bartolomeu Costa Cabral em exposição no Porto

 

A Fundação Instituto Marques da Silva (FIMS) recebe até 23 de abril a exposição documental dedicada ao arquiteto Bartolomeu Costa Cabral, no âmbito da Casa Comum Fest, promovida pela Universidade do Porto, que está durante o mês de abril a dinamizar vários equipamentos da cidade com animações culturais, exposições, peças de teatro e concertos diversos.

 

"A Arquitetura tem de falar às pessoas, tem de ser uma companhia, tem de dar sentido aos espaços criados e, só assim, podemos falar da sua humanização. Julgo que nas obras que fui fazendo ao longo da  minha vida profissional, existe uma constante relação com as pessoas". (Bartolomeu Costa Cabral, A Ética das Coisas, 2019)

image007.jpg

Bartolomeu Costa Cabral, premiado arquiteto, assinou diversas obras pelo país, nas áreas do urbanismo, ensino e habitação, mas também obras públicas e obras particulares. Recorde-se apenas algumas do seu vasto trabalho:

1953-1959 – Bloco das Águas Livres, Lisboa (em associação com Nuno Teotónio Pereira

1961 – Conjunto de 600 fogos em Olivais Sul. Em colaboração com o Arqtº Nuno Portas.

1963 – Conjunto de 300 fogos, Olivais Sul, (em associação com Nuno Teotónio Pereira).

1971 – Edifício sede da Sociedade Portuguesa de Autores, Lisboa (ateliê GPA).

1973-93 – Universidade da Beira Interior, na Covilhã– Polo 1

1978 – Agência da Caixa Geral de Depósitos, em Sintra.

1986 – Universidade do Minho / Núcleo de Guimarães (ateliê GPA).

1986 – Escola Superior Agrária de Bragança(ateliê GPA).

1988 – Escola Superior Agrária de Santarém (ateliê GPA).

1988 – Escola Superior de Tecnologia em Tomar.

1991 – Pavilhão de Agro-Industrias, Agronomia e Civicultura Tropical do Instituto Superior de Agronomia.

1992 – Edifício Sede da Liga de Protecção da Natureza.

1995-99 – Bloco Pedagógico / Instituto Politécnico de Bragança.

1996-01 – Faculdade de Engenharia / Universidade Católica Portuguesa / Campus de Sintra.

1998-01 – Biblioteca Central / Universidade da Beira Interior.

1998-02 – Estação da Quinta das Conchas do Metropolitano de Lisboa.

2000-03 – Museu de Lanifícios / Universidade da Beira Interior.

2000 – Zona Desportiva / Instituto Politécnico de Bragança.

2001 – Edifício dos Serviços Centrais / Instituto Politécnico de Bragança.

2006 – Estudo museográfico do Museu de Lanifícios / Universidade da Beira Interior.

2006-08 – Área pastoril e Roda Hidráulica do Museu de Lanifícios / Universidade da Beira Interior.

 

São 100 os eventos em abril que a Universidade do Porto vai realizar, no âmbito da iniciativa Casa Comum Fest, um novo festival cultural que promove o diálogo entre as várias instituições da Universidade do Porto, diversos artistas e toda a cidade.

 

Peças de teatro, exposições, saraus e visitas a museus são apenas algumas das iniciativas que a Universidade do Porto apresenta para comemorar o mês de abril, mês da democracia.