Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

URBAN MARKET CELEBRA 7º ANIVERSÁRIO PORTUGAL LOVERS | 15 a 17 de Fevereiro | Hard Club - Mercado Ferreira Borges

URBAN MARKET CELEBRA
7º ANIVERSÁRIO PORTUGAL LOVERS

15 a 17 de Fevereiro | Hard Club  - Mercado Ferreira Borges
11h às 19h |Entrada Livre

MEET DESIGNERS & MAKERS

2019008_cartaz_programa.jpg

 

A Portugal Lovers celebra o seu 7º Aniversário com uma edição especial do já conhecido Urban Market, de 15 a 17 de Fevereiro no Hard Club, Mercado Ferreira Borges, que nos acolhe desde o início. Uma parceria com o Hard Club, com o apoio da CMP, através da Porto Lazer.


A história começa com duas meninas sonhadoras e determinadas, de cidades distantes, a Cintia vivia em Lisboa e a Filipa no Porto . Quis o destino juntar estas duas meninas. Conheceram-se em 2010, as duas da área do marketing e publicidade e com o mesmo sonho - criar o seu próprio trabalho mas fazer algo diferente do que já faziam, tinha que ser algo que “mexe-se” com as pessoas, que as fizesse crescer e evoluir e tal como elas criarem também o seu trabalho de sonho.

Assim nasceu a Portugal Lovers, Paixão pelo que é nosso e o Urban Market. O caminho tem sido feito sempre lado a lado, de mãos dadas, mesmo quando tudo apontava que não era possível, elas sempre acreditaram que sim.

A Poucos dias de festejar o 7º Aniversário o balanço é muito positivo e as duas meninas continuam a sonhar em fazer mais e mais e mais.

PROGRAMA

Dia 16 música com o DJ Richard Love (Ricardo Amorim)
Dia 17 cortes de cabelo com Karina Corr Hairstylist Hair by PÜRO

Quem quiser saber mais sobre a Portugal Lovers, dia 21 de Fevereiro às 19h a convite da Daniela Monteiro do Porto i/o Cintia e Filipa vão estar no evento “Failure Thursday” que tem como objectivo partilhar histórias de pessoas que conseguiram "sair por cima" e fazer o improvável acontecer mesmo quando parecia impossível.

Estão todos convidados para celebrar  7 anos de novos caminhos, parcerias de sucesso, muitos amigos e uma família que não pára de crescer.

 

Casa das Artes: Visitas guiadas à Instalação Instrumentos

A Casa das Artes, no Porto, promove a realização de visitas guiadas à Instalação Instrumentos de Manuel Horta. As inscrições estão a decorrer. 

 

As visitas guiadas pelo autor à Instalação «Instrumentos» de Manuel Horta realizam-se dias 26 janeiro, 1, 9 e 16 de fevereiro, às 17h00. Pretende-se, com a realização destas visitas guiadas, dar a conhecer os processos ancestrais de produção de carvão vegetal, em contraponto com os atuais, bem como os processos de fabrico de cerâmica em roda lenta.

 

Inscrições: momelo@culturanorte.gov.pt 

 

As inscrições devem ser feitas até às 12h30 do último dia útil anterior ao da visita. As visitas decorrem com um número mínimo de 7 adultos (menores devem ser acompanhados por adultos)

 

 

Instrumentos é uma instalação resultante de um processo artístico que pesquisa diferentes métodos de produzir carvão vegetal. Sendo o carvão uma fonte de energia ancestral e objeto de comércio é também um instrumento no contexto das artes plásticas. O processo de produzir carvão vegetal por combustão lenta e controlada da madeira pode ser um meio de cozer cerâmica. O autor explora diferentes meios e materiais como desenho, fotografia, vídeo, áudio, meios digitais, cerâmica, gesso, carvão vegetal, papel, plástico e objeto construído in situ.

 

Patente ao público na Casa das Artes, no Porto, até 19 de fevereiro. Entrada livre.

 

 

Nota Biográfica

Manuel Horta nasceu em Almada em 1970. Realizou o Curso de Mestrado em Escultura, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Realizou o Curso de Licenciatura em Artes Plásticas – Escultura, na Faculdade de Belas Artes da

Universidade do Porto.

Cria, desenvolve e apresenta projetos artísticos regularmente desde 1993. Participação em exposições coletivas e eventos artísticos.

Desenvolve a atividade artística e de docência/ formador em projetos de intervenção comunitária e em escolas do ensino público.

EMIR KUSTURICA & THE NO SMOKING ORCHESTRA NO NORTH MUSIC FESTIVAL

EMIR KUSTURICA & THE NO SMOKING ORCHESTRA NO NORTH MUSIC FESTIVAL

 

image002.png

 

O cineasta de culto e músico junta-se aos já confirmados Bush e atua com a sua banda na Alfândega do Porto, a 24 de maio.

 

Ainda há bilhetes disponíveis, com preço especial de antecipação, até 17 de fevereiro.

O sérvio Emir Kusturica é a mais recente confirmação para o cartaz do North Music Festival, que tem a sua 3.ª edição nos dias 24 e 25 de maio, na Alfândega do Porto. O autor dos célebres filmes Gato Preto, Gato Branco ou O Tempo dos Ciganos, que já se afirmou como músico talentoso, regressa a Portugal com a sua The No Smoking Orchestra para um concerto à beira do Douro, no primeiro dia do festival (24 de maio) – dia em que também atuam, no mesmo palco, os britânicos Bush.

 

Com um estilo gypsy rock, Emir Kusturica & The No Smoking Band são velhos conhecidos do público português. Das suas anteriores visitas a Portugal fazem parte várias salas esgotadas e concertos memoráveis, que fazem jus à palavra “festa”. Em maio deste ano a banda liderada pelo cineasta-músico volta a pisar palco português, trazendo um reportório carregado de clássicos onde certamente não faltarão temas que fazem dos filmes de Kusturica, como “Underground”, “Black Cat, White Cat”, “Gypsy Time” ou “The Arizona Dream”.  

 

Criado em 1980 na cidade de Sarajevo, o projeto musical de Emir Kusturica é, hoje, um dos principais representantes da música balcânica.

 

Os bilhetes para o North Music Festival já se encontram à venda, nos locais habituais. Até 17 de fevereiro é possível adquirir bilhetes diários e passes para os dois dias com um preço especial (32€ e 55€, respetivamente). Após essa data, os bilhetes diários passam a custar 35€ e o passe de dois dias 59€.

 

Recorde-se que além dos concertos no Palco Principal (Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra e Bush – 24 de maio; Franz Ferdinand, Bastille e Capitão Fausto – 25 de maio), no recinto haverá também um palco indoor “fora de horas” e um palco sunset para aquecer o ambiente logo a partir da abertura de portas, além de duas zonas de restauração (uma interior e outra exterior, dedicada a propostas street food), wine gardens com provas de vinho e outras experiências.

 

 

Ricardo Azevedo apresenta o álbum "KAIZEN" nas FNACs

 

 

"Kaizen" - o mais recente disco de Ricardo Azevedo, editado a 26 de Outubro, vai ser apresentado nas FNACs do Porto.

 

20 Janeiro -  17h - FNAC Norteshopping 
26 Janeiro -  17h - FNAC Sta. Catarina     
26 Janeiro -  22h - FNAC Mar Shopping  

 

A história deste disco remonta ao início do milénio.
Foi num dia frio e chuvoso, numa esplanada na Foz que Ricardo Azevedo e o Saul Davies se conheceram e começaram a dar os primeiros passos para este disco, mesmo sem o saberem.
Na altura, Ricardo Azevedo estava nos Ez Special e o Saul Davies estava com os James numa pausa sabática indefinida.
Os anos passaram, o Ricardo deixou a banda e o Saul voltou para os James.
Depois de 3 discos a solo editados, a dupla juntou-se novamente em Londres e Glasgow para gravar algumas canções, algumas delas bem conhecidas dos dois.
A música” Blue Song” foi incluída como faixa extra no single de “Daisy” e foi agora regravada. “For you” esteve com um pé no disco in n´out, mas quis o destino que fosse a 6 faixa de Kaizen.
“Unstoppable” e “The bond” foram escolhidas dentro do material inédito por explorar.
Destacam-se também algumas colaborações especiais como Paul Quinn (baterista The Soup Dragons e Teenage Fun Club) e Kevin Burleigh (trabalhou com Simple Minds e Clasvegas).
Paralelamente em Portugal, Ricardo Azevedo começou a compor na nossa língua materna, procurando novas sonoridades.

Kaizen é uma verdadeira viagem que faz uma ponte sonora entre um passado e um futuro musical.

 

Tema: Blue Song - 2º single

 

Aldo Lima leva SEXO DROGAS E ROCK'N ROLL a Lisboa e ao Porto

ALDO LIMA LEVA SEXO DROGAS E ROCK’N ROLL A LISBOA E AO PORTO

image001.jpg

 

LISBOA
Teatro Villaret • A partir de 27 de FevereiroQuartas-Feiras às 21h30 •  € 12,50 ( preço único com lugar marcado)


PORTO
Teatro Sá da Bandeira29 e 30 de Março •  Sexta-Feira e Sábado às 21h30 •  € 8,00  – € 12,50



Aldo Lima sobe ao palco dos teatros Villaret, em Lisboa, e Sá da Bandeira, no Porto, para interpretar um dos mais irreverentes textos do final do século XX.
O clássico moderno de Eric Bogosian foi levado a cena pela primeira vez em 1990, em Off Broadway, com interpretação do autor, tendo elevado Bogosian ao estatuto de
herói da cultura pop.


SINOPSE

SEXO, DROGAS E ROCK N’ ROLL

Aldo Lima sobe ao palco em Sexo Drogas e Rock n’Roll, o icónico e incontornável, texto de Eric Bogosian.
Através de um rol de personagens masculinas frenéticas e brilhantemente desenhadas, Sexo, Drogas e Rock n’ Roll esboça um comentário hilariante e mordaz sobre assuntos que nos assombram a todos, num one man show imperdível onde Aldo Lima está como peixe na água: sozinho em palco e pronto para tudo neste retrato humorístico e mordaz da sociedade moderna contemporânea.


FICHA ARTÍSTICA
Texto
 Eric Bogosian Encenação: Marco Medeiros Tradução Pedro Gorman Espaço Cénico Marco Medeiros Desenho de Luz Luís Duarte

Com Aldo Lima
Produção Força de Produção

 

Bilhetes à venda na Ticketline, Fnac, Bilheteiras dos Teatros e locais habituais.

Frederico Dinis apresenta whisperings na Casa das Artes, no Porto

whisperings de Frederico Dinis é apresentado sexta-feira, dia 25 de janeiro, na Casa das Artes (Porto), no âmbito das "Sextas com música"

whisperings de Frederico Dinis
25.01.2019 | 21:30
Sextas com música | Casa das Artes | Porto

Entrada: 5€
Contacto e reservas: f.dinis@sapo.pt
Duração do espetáculo: 55 minutos
Faixa etária: Todas

Sinopse:

whisper
/ˈwɪs.pər/
to speak very quietly, using the breath but not the voice,
so that only the person close to you can hear you


whisperings procura envolver o público numa névoa de recolhimento, numa experiência meditativa e intimista, pensada para usufruir e fruir o espaço de apresentação, representativo de três casas.
A performance abre sob um manto de serenidade, revestido por texturas e paisagens que gradualmente e de uma forma subtil se vão desenrolando ritmicamente sem chegarem a ser dissonantes, com uma complexidade suficiente para fascinar. Prossegue seguindo padrões continuados, símbolos de uma restrição inquieta e de uma esperança resignada, que fluem e refluem, com o recurso a pequenas variações sonoras de timbres e de filmagens que aparentam estar deslocados. Estruturas que simulam ser rigidamente simples, sendo simultaneamente emocionais e melancolicamente sedutoras, criando-se assim uma atmosfera de ambiguidade emocional.
whisperings procura revelar narrativas sonoras e visuais evocativas e terrenas, quer se trate de uma participação ativa ou passiva. O ouvinte-observador passivo vai encontrar pedaços instantâneos de serenidade absoluta enquanto uma atenção mais profunda revela uma viagem cruamente retratada e algumas vezes dramática, construída por memórias. Uma união de êxtase e movimento em frente que relaxa e fascina de forma igual, onde melodias e estórias integradas emergem como fantasmas, apenas para anunciar a sua presença antes de se derreterem no éter.


Ficha Técnica e Artística:
Conceito, gravação, edição, som, imagem e composição e interpretação: Frederico Dinis
Organização: Pensamento Voador/Casa das Artes
Produção: Pensamento Voador – Associação para a promoção de ideias
Com o Apoio: Casa das Artes, Direção Regional de Cultura do Norte, Rua das Gaivotas6/Teatro Praga, TAGV – Teatro Académico de Gil Vicente, CRIATEK, BINNAR, Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Câmara Municipal de Aveiro, Câmara Municipal de Cantanhede, RCPfm, stress FM

d5362dd1-b220-40fd-8cd1-72bca581283f.jpg

 

E se fosse possível cartografar a Paz?

image.png

 

E se fosse possível cartografar a Paz? Certamente exigiria pensar nos seus fluxos e refluxos. Nos recuos e avanços. Acima de tudo, implicaria parar, pensar, sentir... o Outro. “Cartography for Peace“ é o título da nova exposição, patente a partir do dia 26 de janeiro até 16 de março, na galeria Sput&nik the Window, no Porto. Um convite a pensar e a viver o conceito da Paz pela mão da artista plástica 
brasileira, Suzana Queiroga.
 
A mostra patente no Porto a partir de 26 de janeiro -”Cartography for Peace” - é um projeto a longo prazo, para ser realizado de diferentes formas em função das histórias e características de cada local, cidade e país. Trata-se de um trabalho que pretende gerar uma pausa e reunir subjetividades em torno da ideia da Paz e das suas componentes. 
 

Em “Cartography for Peace“, a artista explora ora mapas inventados, ora estuda as diferentes regiões, plantas citadinas e os tecidos urbanos, traduzindo-os em materiais como o papel, guache e recortes. Esta exposição partiu de um estudo sobre os sistemas e subsistemas citadinos, redes visíveis e invisíveis existentes nas metrópoles, sejam estas, redes de telecomunicações, de transportes, de eletricidade, de alimentação ou redes de histórias e pensamentos. Tal como as cidades, enquanto organismos vivos e em constante mutação, também a obra de Suzana Queiroga, patente na galeria Sput&nik the Window, traduz este devir e vontade de fuga, em busca da Paz. 
 
A ideia passa por conferir uma dimensão pública às suas obras de arte, aliás a componente táctil do trabalho de Queiroga é o fio condutor, comum em todo o seu trajeto cultural. 
 
Refira-se que Suzana Queiroga tem já um vasto currículo artístico, firmado em mostras de incontornável relevância como são exemplo o projeto "Ver e Sentir através do toque" patente no Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro; ou a exposição "Ah, Molécula" no Museu do Amanhã, RJ.

12ª Festa do Cinema Italiano em abril com retrospetiva de Nanni Moretti

7dd46844-8c95-4e7f-b4b7-aec09f41ec3f.png

 

A 12ª Festa do Cinema Italiano realiza-se de 5 a 14 de abril, em Lisboa, no Cinema São Jorge, nos Cinemas UCI El Corte Inglés e na Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, e noutras cidades portuguesas, nomeadamente, Almada (5 a 10 de abril), Coimbra (9 a 11 de abril), Porto (10 a 14 de abril), Setúbal (11 a 14 de abril), entre outras a anunciar em breve.

Este ano, o festival dedica uma retrospetiva exaustiva a Nanni Moretti. Uma oportunidade para ver em sala grandes sucessos estreados nos cinemas nacionais mas também obras inéditas, nomeadamente curtas-metragens e documentários do realizador romano.

580d0a5e-ae62-40a2-b5e4-0d807b4e4b06.jpg

Subtil, irónico, controverso, provocador e premiado, Nanni Moretti é, provavelmente, o realizador italiano que mais se destacou internacionalmente nos últimos trinta anos. Autor muito amado, conseguiu com o seu inconfundível estilo retratar o próprio país e a sociedade à sua volta de forma inteligente e nunca banal.

A Festa do Cinema Italiano é organizada pela Associação Il Sorpasso, com o apoio da Embaixada de Itália, do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa, da Câmara Municipal de Lisboa e da EGEAC.

exposição "Surfacism or The Radial Dispersion of Power", de Diogo Tudela

Surfacism_02.jpg

 

"Surfacism or The Radial Dispersion of Power" é o nome da instalação de luz e som que Diogo Tudela vai inaugurar na galeria SALA 117, no Porto, já amanhã, dia 30 de novembro, pelas 22 horas.

Durante a inauguração desta exposição, Diogo Tudela, Jonathan Saldanha e Luís Kasprzykowski estarão na galeria para um momento de ativação sonora da instalação. Este trabalho conta com a colaboração de Joana Pestana, Jonathan Uliel Saldanha, Juan Luis Toboso, Luís Kasprzykowski e Marcos Brias.

 

A exposição estará patente na SALA 117 até 26 de Janeiro de 2019 e poderá ser visitada de terça a sábado entre as 15 horas e as 19 horas.

Aniversário da Livraria Lello desvenda segredos musicais guardados na Universidade de Aveiro

Dia 13 de janeiro a partir das 16h00

Aniversário da Livraria Lello desvenda segredos musicais guardados na Universidade de Aveiro

 

Frente do disco de goma laca “ Fado Hilário”,

 

A Livraria Lello, no Porto, festeja o113º aniversário sob o signo do Fado com a inauguração, a 13 de janeiro, das mostras “A Severa Que Vocês Não Viram” e “Porto 1900: as primeiras expedições de gravação em Portugal”. Organizadas pela Universidade de Aveiro (UA), as mostras vão desvendar pela primeira vez ao grande público peças do espólio da Academia associados à figura da Severa e a primeiros discos gravados na Invicta em 1900.