Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Prémio Internacional de Composição - Órgãos do Palácio Nacional de Mafra

Prmio-Internacional-de-Composio.jpg

 

 

 

O Ministério da Cultura e o Município de Mafra promovem o “Prémio Internacional de Composição – Órgãos do Palácio Nacional de Mafra”, visando criar novo repertório para o magnífico conjunto instrumental, recentemente classificado como Património Mundial pela UNESCO. As candidaturas estão abertas até 16 de abril de 2021.

Da autoria dos dois mais importantes organeiros portugueses do seu tempo – António Xavier Machado e Cerveira e Joaquim António Peres Fontanes – os seis órgãos da Basílica do Palácio Nacional de Mafra constituem um conjunto único no mundo, não pelo seu número, já de si notável, mas pelo facto de terem sido construídos ao mesmo tempo e concebidos originalmente para tocar em conjunto.

O prémio, com periodicidade bienal, visa distinguir compositores que apresentem peças destinadas ao referido conjunto instrumental, fazendo uso das suas características próprias.

Dividido em duas categorias, desdobra-se numa componente relativa à composição de uma obra original e outra referente à transcrição para os seis órgãos. O valor dos prémios é de 10 mil e 5 mil euros, respetivamente.

O júri desta quarta edição é constituído por quatro personalidades de reconhecido mérito internacional: Yves Rechsteiner (CH) que preside, Federico Del Sordo (IT), Eugénio Amorim (PT) e João Vaz (PT).

Para mais informações, consulte o regulamento no site da Câmara Municipal de Mafra.

 

Prémios Literários da Estoril Sol recebem candidaturas até 31 de Julho

Agustina Bessa-Luís.jpg

 

Expira, já no próximo dia 31 de Julho, o prazo de recepção de obras originais para a 13ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís e das obras de ficção (romance ou novela) candidatas à 23ª edição do Prémio Literário Fernando Namora. Apesar da crise pandémica de Covid-19 que continua a preocupar o país e o mundo, a Estoril Sol manteve uma das mais prestigiadas iniciativas que integram o calendário de eventos com relevância cultural. O júri comum aos dois Prémios será presidido por Guilherme D ‘Oliveira Martins.

 

Em relação ao Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís, é de sublinhar que, a Estoril Sol privilegia, sobretudo, o aparecimento de novos valores. Por isso mesmo, aboliu, desde 2016, a norma que impunha o limite dos 35 anos de idade para os concorrentes, o que permitiu agilizar o Regulamento do Prémio.

 

Com a extinção dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol correspondeu aos pedidos manifestados por numerosos candidatos que estavam impossibilitados de participar no concurso. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

 

A 13ª edição do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, de acordo com o protocolo existente com a Estoril Sol.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, mantém-se aberto o período de candidaturas ao Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e cujo Júri foi presidido, durante vários anos, por Agustina Bessa-Luís e, posteriormente, por Vasco Graça Moura.

 

Com periodicidade anual, o Prémio Literário Fernando Namora tem o valor de 15 mil euros e destina-se a galardoar uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2019, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores.

 

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo, José Carlos de Vasconcelos e Liberto Cruz, convidados a título individual, além de Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

 

"Prémio Arte em Espaço Público & Sustentabilidade" desafia a transformar resíduos em obras de arte | Vencedor ganha 7500 euros

Artista vencedor distinguido com 7500 euros

 DSTGROUP E ZET GALLERY LANÇAM

“PRÉMIO ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE”

 *Iniciativa conta com o apoio do IB-S da Universidade do Minho

*Obra vencedora será cedida à cidade de Braga

Apresentação Prémio Arte em Espaço Público e

 

O dstgroup e a zet gallery apresentaram ontem, em Braga, o Prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE”, uma iniciativa inovadora em Portugal que se destina a afirmar um pensamento estratégico sobre a economia circular, a partir da criação artística contemporânea. O prémio, que conta com o apoio do Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade (IB-S) da Universidade do Minho, desafia a criar uma obra de Arte para espaço público a partir de resíduos industriais ou provenientes da construção e demolição de edifícios. O vencedor do prémio será distinguido com um valor pecuniário de 7500 euros e terá a sua criação artística exposta num espaço público, já que os promotores do Prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE” cederão a mesma à cidade de Braga.

A open call, destinada a artistas nacionais e internacionais, está aberta até dia 3 de abril, data limite para submissão de portfólios e de propostas conceptuais que cumpram os requisitos previstos no regulamento. O prémio aposta num modelo que tem por base a apresentação livre de propostas e não a pré-seleção de autores, com o objetivo de fixar o conceito relacional ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE como marca do grupo e da galeria, afirmando uma possibilidade de relações que se estabelecem e se continuarão a estabelecer entre a criação artística, a natureza e a indústria.

No dia 8 de maio serão anunciadas as três propostas que passam à fase seguinte, terminando a 26 de junho  o prazo para entrega das maquetes ou projetos 3D das obras a realizar. Pelo meio, está prevista uma visita ao campus do dstgroup, proporcionando aos artistas a possibilidade de avaliarem e selecionarem os resíduos disponíveis no centro logístico do grupo liderado por José Teixeira para a execução das respetivas criações artísticas. A 21 de julho será revelado o vencedor do Prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE” e, no dia 3 de outubro, será inaugurada a obra de arte já no seu destino final, isto é, num espaço público da cidade, a acordar entre os promotores do prémio e a Câmara Municipal de Braga.

Um dos fatores diferenciadores deste prémio é a constituição do júri que avaliará todas as fases do concurso. Com efeito, trata-se de um júri multidisciplinar, que combina diferentes áreas do saber e sensibilidades e estabelece um cruzamento com outros projetos culturais promovidos pelo dstgroup. A vencedora do Grande Prémio de Literatura dst 2019, Lídia Jorge, é, por exemplo, um dos elementos que integra este júri, composto ainda por João Castro Silva, professor na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, e André Rangel, docente na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Porto, instituições com quem a zet gallery tem desenvolvido projetos comuns. O IB-S (Universidade do Minho), parceiro privilegiado do dstgroup em vários projetos inovadores, integra também o painel de jurados, através do seu diretor-executivo Tiago Miranda, a que se junta ainda Ricardo Portela, administrador da bysteel fs, empresa do dstgroup.

 

A génese do prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE”

A semente deste prémio foi lançado em 2008, quando o dstgroup organizou o primeiro simpósio dedicado à arte e à sustentabilidade. Desde então, o grupo empresarial tem promovido iniciativas à volta da sustentabilidade ambiental, um dos seus principais valores, mas com um plano de ações mais direcionadas para o público interno. Em 2017, o tema da sustentabilidade ganha um novo fôlego e salta para o espaço público com a produção da escultura “Artes, Humanidades e Engenharia”, da autoria de Raúl Ferreira, uma peça desenvolvida a partir de um material, visual e funcionalmente, equivalente ao cimento, mas concebido de forma sustentável pelo IB-S. A peça - que se encontra no campus da Universidade do Minho, em Braga, em homenagem ao Professor Vítor Aguiar e Silva, personalidade eminente da cultura e das universidades portuguesas e presidente do júri do Grande Prémio de Literatura dst desde a sua génese - assinala o início da  parceria entre a zetgallery e o IB-S, consequente à já estabelecida com o dstgroup.

Em 2018, é reeditado o simpósio que tinha lançado a semente da arte e da sustentabilidade dez anos antes, numa abordagem evolutiva que coloca a questão da sustentabilidade e da economia circular na agenda do evento. Nessa ocasião, quatro artistas foram desafiados a produzir obras de arte públicas que reutilizassem resíduos oriundos do campus do dstgroup. O IB-S foi parceiro da iniciativa, como o é no projeto Esposende SmartCity onde se enunciam alguns destes mesmos pressupostos.

O regulamento do prémio “ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO & SUSTENTABILIDADE” está disponível em http://zet.gallery/storage/files/regulamento_premio.pdf

SERRALVES // CANDIDATURAS: ATÉ 30 JUNHO // PRÉMIO DE FOTOGRAFIA NOVO BANCO REVELAÇÃO

 

O NOVO BANCO e a Fundação de Serralves lançam a edição de 2019 do Prémio NOVO BANCO Revelação, uma iniciativa que distingue jovens criadores no campo da fotografia contemporânea. As candidaturas decorrem até 30 de junho e o tema é livre.

 

Um júri internacional, de composição diferente em todas as edições, selecionará até quatro projetos finalistas e elegerá de entre estes o grande vencedor. Todos os artistas selecionados recebem uma bolsa de produção no valor de 4.500 euros para a concretização dos projetos.

 

A exposição coletiva que reúne os projetos selecionados e do grande vencedor, terá lugar no Museu de Serralves e inaugurará durante o ultimo trimestre de 2019, em data a anunciar. Será também publicado um catálogo com o trabalho do artista vencedor.

 

São admitidos a concurso projetos de criadores de nacionalidade portuguesa, ou estrangeiros a residir em Portugal, com idade limite de 30 anos (à data de fecho das candidaturas, 30 de junho de 2019).

 

Ao apostar com Serralves numa iniciativa que promove o surgimento de novos criadores, o NOVO BANCO reforça a sua estratégia de mecenato e promoção da cultural na área da fotografia e, simultaneamente, intervém na comunidade, através de formas inovadoras de dinamização da arte, nomeadamente no contexto dos jovens artistas contemporâneos portugueses.

 

Todas as informações sobre o Prémio estão disponíveis nos sites do NOVO BANCO(www.novobanco.pt/novobancorevelacao) e da Fundação de Serralves (www.serralves.pt).

 

 

Inscrições para a 5ª edição do Prémio Sophia Estudante estão na reta final

 

Dia 2 de novembro será o último dia de inscrições para a 5ª edição do Prémio Sophia Estudante, cuja cerimónia de entrega de prémios vai decorrer dia 13 de dezembro, no Teatro Municipal Rivoli, no Porto.

Os estudantes podem inscrever-se através do site da Academia Portuguesa de Cinema (www.academiadecinema.pt/sophia-estudante/8252-2/), enviando duas obras, com a duração máxima de 20 minutos, para cada uma das seguintes categorias: Ficção, Documentário, Animação e Experimental. Este ano, pela primeira vez, será também entregue o Prémio Sophia Estudante para Melhor Cartaz.

No dia 13 de dezembro serão conhecidos os três primeiros classificados para cada uma das categorias identificadas, que receberão um certificado. O primeiro lugar de cada categoria também recebe um troféu Sophia Estudante.

Todos os premiados de dia 13 de dezembro, exceto na categoria Melhor Cartaz, ficam ainda apurados para a primeira triagem do Júri dos Prémios Sophia e quatro deles serão escolhidos como nomeados na Cerimónia dos Prémios Sophia, a acontecer em Março de 2019.

A curta-metragem vencedora do primeiro lugar é premiada com cinco mil euros pela NOS, com material de iluminação pela Cinemate e com material de imagem pela PLANAR, para a produção de uma nova curta-metragem. Os Prémios Sophia Estudante contam ainda apoio do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) que, no âmbito da promoção do cinema estudantil, distingue curtas-metragens realizadas por alunos de estabelecimentos do ensino superior e técnico em Portugal.

Para mais informações, consulte o regulamento em www.academiadecinema.pt/sophia-estudante/regulamento-sophia-estudante/

 

Prémio Internacional de Composição - Órgãos do Palácio Nacional de Mafra

 

Cartaz-PIC2019.jpg

 

 

O Ministério da Cultura e o Município de Mafra promovem o “Prémio Internacional de Composição – Órgãos do Palácio Nacional de Mafra”, visando criar novo repertório para o magnífico conjunto instrumental. As candidaturas estão abertas até 29 de março de 2019.

Da autoria dos dois mais importantes organeiros portugueses do seu tempo – António Xavier Machado e Cerveira e Joaquim António Peres Fontanes – os seis órgãos da Basílica do Palácio Nacional de Mafra constituem um conjunto único no mundo, não pelo seu número, já de si notável, mas pelo facto de terem sido construídos ao mesmo tempo e concebidos originalmente para tocar em conjunto.

O prémio, com periodicidade bienal, visa distinguir compositores que apresentem peças destinadas ao referido conjunto instrumental, fazendo uso das suas características próprias.

Dividido em duas categorias, desdobra-se numa componente relativa à composição de uma obra original e outra referente à transcrição para os seis órgãos. O valor dos prémios é de 10 mil e 5 mil euros, respetivamente.

O júri desta terceira edição é constituído por quatro personalidades de reconhecido mérito internacional: Jean Ferrard (Bélgica), que preside, Sérgio Azevedo (Portugal), William Whitehead (Inglaterra) e João Vaz (Portugal).

Para mais informações:
http://www.cm-mafra.pt/pt/municipio/premio-internacional-de-composicao-orgaos-do-palacio-nacional-de-mafra

 

Entrega do Prémio de Desenho Pedro de Sousa e inauguração da Exposição da II Bienal de Desenho de Almada




 

O Júri de Selecção da II Bienal de Desenho de Almada - Prémio Pedro de Sousa 2018,  após análise das 210 obras de 125 artistas a concurso,  a nível nacional,  selecionou 22 trabalhos de 21 artistas  para a Exposição da II Bienal de Desenho de Almada, que vai decorrer de 14 de Julho a 16 de Setembro no Solar dos Zagallos.

 

Artistas selecionadosAna M. Mourão, Ana Nogueira, Aquilino Ferreira, Aurélio Mesquita, Cris D.K., Eduardo Abrantes, Elena Urbina, Emília Morais, Graça Martins Fernandes, Henrique do Vale, José Victor (Zévi), Marco Macedo, Patrícia Ferreira, Paulo Canilhas, Pedro Cunha, Rogério Silva, Rui Silvares, Sa Cortes, Sara Vieira Vasques, Susana Chasse e Tatiana São







Dentre as obras seleccionadas para a exposição será atribuído o Prémio Pedro de Sousa 2018, pelo Júri do Prémio, que é constituído por Filipa Oliveira, curadora, directora artística da Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea em Almada e representante da Câmara Municipal de Almada,  João Pedro Cochofel, artista plástico e membro da direcção da Galeria Diferença em Lisboa como convidado e Louro Artur, pintor, professor e representante da Imargem.

 

O Prémio e as Menções Honrosas serão divulgadas e entregues antes da Inauguração da Exposição da II Bienal de Desenho de Almada , no dia 14 de Julho pelas 14,30 horas  no Solar dos Zagallos em Almada.







 

 ------ * -------

 

IMARGEM-Associação de Artistas Plásticos de Almada, Rua Torcato José Clavine,19 Piso 03  2804-501 PRAGAL  

Horário: 2ªs, 3ªs e 6ªs 9h30-13h e 3ªs 17h-19h (durante o mês de julho)

 


 



Grande Prémio de Literatura dst: Daniel Jonas recebe prémio no Theatro Circo, em Braga | Concerto de Marta Ren & The Groovelvets | Dia 29, às 21h30

Dia 29 de Junho, às 21h30, no Theatro Circo, em Braga

Daniel jonas recebe prémio na gala

do XXIii Grande Prémio de Literatura dst

 *Cerimónia conta com concerto de Marta Ren & The Groovelvets

 *Declamação de poesia por Filipa Leal

 

A cerimónia de entrega do XXIII Grande Prémio de Literatura dst, que este ano distinguiu Daniel Jonas com a obra “Oblívio”, realiza-se no próximo dia 29, às 21h30, no Theatro Circo, em Braga. A sessão conta com declamação de poesia do livro vencedor por Filipa Leal e com um concerto de Marta Ren & The Groovelvets.

A edição deste prémio, que todos os anos distingue o melhor da literatura em Portugal, foi dedicada a obras de poesia de autores portugueses. Publicado em 2017, “Oblívio” conquistou o júri pelo “trabalho textual, muito depurado, assumindo uma linguagem de timbre clássico, para melhor encontrar uma clara modernidade de temas e formas”, conforme adianta o júri, assim como “pelas “evidências cultas, sensíveis, de uma criação poética que não se alheia do quotidiano nem da emoção”.

A cerimónia de entrega do prémio, no valor de 15 mil euros, integra a programação da feira do Livro de Braga, que decorre entre 20 de junho e 15 de julho, com o mecenato do dst group.

O Grande Prémio de Literatura dst foi instituído há mais de duas décadas pelo dstgroup e afirma-se ano após ano como um dos mais importantes no panorama cultural português. Tem um funcionamento rotativo, premiando num ano uma obra de poesia e, no seguinte, uma obra de prosa. Já distinguiu autores como Manuel Alegre, Mário Cláudio, Luísa Costa Gomes, Armando Silva Carvalho, Jacinto Lucas Pires e Maria Velho Costa.

“Com esta e outras iniciativas, pretendemos fomentar, nos nossos colaboradores e nos portugueses em geral, o gosto pela cultura, pela arte e pela literatura”, explica José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do dst group.

 

Prazo de candidaturas ao Prémio Literário Fernando Namora expira a 31 de Maio

Fernando Namora 2.jpg

 

 

É já no próximo dia 31 de Maio que expira o prazo de recepção das obras candidatas à 21ª edição do Prémio Literário Fernando Namora. Trata-se de uma referência maior entre iniciativas congéneres no meio literário nacional. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

Com periodicidade anual, o Prémio Literário Fernando Namora destina-se a galardoar uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2017, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores. 

 

Instituído pela Estoril Sol, em 1988, este prestigiado galardão tem o valor pecuniário de 15 mil euros. Ana Cristina Silva foi a vencedora no ano passado com o seu romance “A Noite Não É Eterna”.

 

Nas anteriores edições, o galardão foi atribuído a João de Melo, Maria Isabel Barreno, Urbano Tavares Rodrigues, Mário de Carvalho, Manuel Alegre, Teolinda Gersão, Armando Silva Carvalho, António Lobo Antunes, Nuno Júdice, Miguel Real, Mário Cláudio, Luísa Costa Gomes, Gonçalo M. Tavares, Paulo Castilho, José Eduardo Agualusa, Bruno Vieira do Amaral e Afonso Cruz.

 

II Bienal de Desenho de Almada - Prémio Pedro de Sousa 2018

Cartaz Bienal Almada.jpg

 

A Bienal de Desenho de Almada – Prémio Pedro de Sousa 2018 organizada pela Imargem-Associação dos Artistas Plásticos do Concelho de Almada com o apoio da Câmara Municipal de Almada, tem como objectivo incentivar, promover e divulgar actividades de criação artísticas no âmbito das artes plásticas, mais precisamente no desenho. 

Podem participar na Bienal de Desenho de Almada todos os artistas nacionais e estrangeiros residentes em Portugal com mais de 18 anos. O Prémio Pedro de Sousa (Prémio Aquisição) é atribuído pela Câmara Municipal de Almada e tem o valor de 1.000,00 €. 
 
Inscrições até 15 de junho de 2018.
Mais informações, Regulamento e Inscrição em https://imargem82.wordpress.com/bienal-desenho-almada/bienal-desenho-2018/

Agradecemos divulgação
 
Almada, 17 de Abril de 2018
Com os melhores cumprimentos,
A Direcção da IMARGEM

________________

IMARGEM - Associação de Artistas Plásticos do Concelho de Almada
Rua Torcato José Clavine nº19 Piso 03, 2804-501 PRAGAL | Tel: 212731272
www.imargem.82.wordpress.com; bienaldesenhoalmada@gmail.com
Horário: terças 14:00 - 20:00 e quintas 9:30 - 13:00