Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

SERRALVES // CANDIDATURAS: ATÉ 30 JUNHO // PRÉMIO DE FOTOGRAFIA NOVO BANCO REVELAÇÃO

 

O NOVO BANCO e a Fundação de Serralves lançam a edição de 2019 do Prémio NOVO BANCO Revelação, uma iniciativa que distingue jovens criadores no campo da fotografia contemporânea. As candidaturas decorrem até 30 de junho e o tema é livre.

 

Um júri internacional, de composição diferente em todas as edições, selecionará até quatro projetos finalistas e elegerá de entre estes o grande vencedor. Todos os artistas selecionados recebem uma bolsa de produção no valor de 4.500 euros para a concretização dos projetos.

 

A exposição coletiva que reúne os projetos selecionados e do grande vencedor, terá lugar no Museu de Serralves e inaugurará durante o ultimo trimestre de 2019, em data a anunciar. Será também publicado um catálogo com o trabalho do artista vencedor.

 

São admitidos a concurso projetos de criadores de nacionalidade portuguesa, ou estrangeiros a residir em Portugal, com idade limite de 30 anos (à data de fecho das candidaturas, 30 de junho de 2019).

 

Ao apostar com Serralves numa iniciativa que promove o surgimento de novos criadores, o NOVO BANCO reforça a sua estratégia de mecenato e promoção da cultural na área da fotografia e, simultaneamente, intervém na comunidade, através de formas inovadoras de dinamização da arte, nomeadamente no contexto dos jovens artistas contemporâneos portugueses.

 

Todas as informações sobre o Prémio estão disponíveis nos sites do NOVO BANCO(www.novobanco.pt/novobancorevelacao) e da Fundação de Serralves (www.serralves.pt).

 

 

Inscrições para a 5ª edição do Prémio Sophia Estudante estão na reta final

 

Dia 2 de novembro será o último dia de inscrições para a 5ª edição do Prémio Sophia Estudante, cuja cerimónia de entrega de prémios vai decorrer dia 13 de dezembro, no Teatro Municipal Rivoli, no Porto.

Os estudantes podem inscrever-se através do site da Academia Portuguesa de Cinema (www.academiadecinema.pt/sophia-estudante/8252-2/), enviando duas obras, com a duração máxima de 20 minutos, para cada uma das seguintes categorias: Ficção, Documentário, Animação e Experimental. Este ano, pela primeira vez, será também entregue o Prémio Sophia Estudante para Melhor Cartaz.

No dia 13 de dezembro serão conhecidos os três primeiros classificados para cada uma das categorias identificadas, que receberão um certificado. O primeiro lugar de cada categoria também recebe um troféu Sophia Estudante.

Todos os premiados de dia 13 de dezembro, exceto na categoria Melhor Cartaz, ficam ainda apurados para a primeira triagem do Júri dos Prémios Sophia e quatro deles serão escolhidos como nomeados na Cerimónia dos Prémios Sophia, a acontecer em Março de 2019.

A curta-metragem vencedora do primeiro lugar é premiada com cinco mil euros pela NOS, com material de iluminação pela Cinemate e com material de imagem pela PLANAR, para a produção de uma nova curta-metragem. Os Prémios Sophia Estudante contam ainda apoio do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) que, no âmbito da promoção do cinema estudantil, distingue curtas-metragens realizadas por alunos de estabelecimentos do ensino superior e técnico em Portugal.

Para mais informações, consulte o regulamento em www.academiadecinema.pt/sophia-estudante/regulamento-sophia-estudante/

 

Prémio Internacional de Composição - Órgãos do Palácio Nacional de Mafra

 

Cartaz-PIC2019.jpg

 

 

O Ministério da Cultura e o Município de Mafra promovem o “Prémio Internacional de Composição – Órgãos do Palácio Nacional de Mafra”, visando criar novo repertório para o magnífico conjunto instrumental. As candidaturas estão abertas até 29 de março de 2019.

Da autoria dos dois mais importantes organeiros portugueses do seu tempo – António Xavier Machado e Cerveira e Joaquim António Peres Fontanes – os seis órgãos da Basílica do Palácio Nacional de Mafra constituem um conjunto único no mundo, não pelo seu número, já de si notável, mas pelo facto de terem sido construídos ao mesmo tempo e concebidos originalmente para tocar em conjunto.

O prémio, com periodicidade bienal, visa distinguir compositores que apresentem peças destinadas ao referido conjunto instrumental, fazendo uso das suas características próprias.

Dividido em duas categorias, desdobra-se numa componente relativa à composição de uma obra original e outra referente à transcrição para os seis órgãos. O valor dos prémios é de 10 mil e 5 mil euros, respetivamente.

O júri desta terceira edição é constituído por quatro personalidades de reconhecido mérito internacional: Jean Ferrard (Bélgica), que preside, Sérgio Azevedo (Portugal), William Whitehead (Inglaterra) e João Vaz (Portugal).

Para mais informações:
http://www.cm-mafra.pt/pt/municipio/premio-internacional-de-composicao-orgaos-do-palacio-nacional-de-mafra

 

Entrega do Prémio de Desenho Pedro de Sousa e inauguração da Exposição da II Bienal de Desenho de Almada




 

O Júri de Selecção da II Bienal de Desenho de Almada - Prémio Pedro de Sousa 2018,  após análise das 210 obras de 125 artistas a concurso,  a nível nacional,  selecionou 22 trabalhos de 21 artistas  para a Exposição da II Bienal de Desenho de Almada, que vai decorrer de 14 de Julho a 16 de Setembro no Solar dos Zagallos.

 

Artistas selecionadosAna M. Mourão, Ana Nogueira, Aquilino Ferreira, Aurélio Mesquita, Cris D.K., Eduardo Abrantes, Elena Urbina, Emília Morais, Graça Martins Fernandes, Henrique do Vale, José Victor (Zévi), Marco Macedo, Patrícia Ferreira, Paulo Canilhas, Pedro Cunha, Rogério Silva, Rui Silvares, Sa Cortes, Sara Vieira Vasques, Susana Chasse e Tatiana São







Dentre as obras seleccionadas para a exposição será atribuído o Prémio Pedro de Sousa 2018, pelo Júri do Prémio, que é constituído por Filipa Oliveira, curadora, directora artística da Casa da Cerca – Centro de Arte Contemporânea em Almada e representante da Câmara Municipal de Almada,  João Pedro Cochofel, artista plástico e membro da direcção da Galeria Diferença em Lisboa como convidado e Louro Artur, pintor, professor e representante da Imargem.

 

O Prémio e as Menções Honrosas serão divulgadas e entregues antes da Inauguração da Exposição da II Bienal de Desenho de Almada , no dia 14 de Julho pelas 14,30 horas  no Solar dos Zagallos em Almada.







 

 ------ * -------

 

IMARGEM-Associação de Artistas Plásticos de Almada, Rua Torcato José Clavine,19 Piso 03  2804-501 PRAGAL  

Horário: 2ªs, 3ªs e 6ªs 9h30-13h e 3ªs 17h-19h (durante o mês de julho)

 


 



Grande Prémio de Literatura dst: Daniel Jonas recebe prémio no Theatro Circo, em Braga | Concerto de Marta Ren & The Groovelvets | Dia 29, às 21h30

Dia 29 de Junho, às 21h30, no Theatro Circo, em Braga

Daniel jonas recebe prémio na gala

do XXIii Grande Prémio de Literatura dst

 *Cerimónia conta com concerto de Marta Ren & The Groovelvets

 *Declamação de poesia por Filipa Leal

 

A cerimónia de entrega do XXIII Grande Prémio de Literatura dst, que este ano distinguiu Daniel Jonas com a obra “Oblívio”, realiza-se no próximo dia 29, às 21h30, no Theatro Circo, em Braga. A sessão conta com declamação de poesia do livro vencedor por Filipa Leal e com um concerto de Marta Ren & The Groovelvets.

A edição deste prémio, que todos os anos distingue o melhor da literatura em Portugal, foi dedicada a obras de poesia de autores portugueses. Publicado em 2017, “Oblívio” conquistou o júri pelo “trabalho textual, muito depurado, assumindo uma linguagem de timbre clássico, para melhor encontrar uma clara modernidade de temas e formas”, conforme adianta o júri, assim como “pelas “evidências cultas, sensíveis, de uma criação poética que não se alheia do quotidiano nem da emoção”.

A cerimónia de entrega do prémio, no valor de 15 mil euros, integra a programação da feira do Livro de Braga, que decorre entre 20 de junho e 15 de julho, com o mecenato do dst group.

O Grande Prémio de Literatura dst foi instituído há mais de duas décadas pelo dstgroup e afirma-se ano após ano como um dos mais importantes no panorama cultural português. Tem um funcionamento rotativo, premiando num ano uma obra de poesia e, no seguinte, uma obra de prosa. Já distinguiu autores como Manuel Alegre, Mário Cláudio, Luísa Costa Gomes, Armando Silva Carvalho, Jacinto Lucas Pires e Maria Velho Costa.

“Com esta e outras iniciativas, pretendemos fomentar, nos nossos colaboradores e nos portugueses em geral, o gosto pela cultura, pela arte e pela literatura”, explica José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do dst group.

 

Prazo de candidaturas ao Prémio Literário Fernando Namora expira a 31 de Maio

Fernando Namora 2.jpg

 

 

É já no próximo dia 31 de Maio que expira o prazo de recepção das obras candidatas à 21ª edição do Prémio Literário Fernando Namora. Trata-se de uma referência maior entre iniciativas congéneres no meio literário nacional. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

Com periodicidade anual, o Prémio Literário Fernando Namora destina-se a galardoar uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2017, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores. 

 

Instituído pela Estoril Sol, em 1988, este prestigiado galardão tem o valor pecuniário de 15 mil euros. Ana Cristina Silva foi a vencedora no ano passado com o seu romance “A Noite Não É Eterna”.

 

Nas anteriores edições, o galardão foi atribuído a João de Melo, Maria Isabel Barreno, Urbano Tavares Rodrigues, Mário de Carvalho, Manuel Alegre, Teolinda Gersão, Armando Silva Carvalho, António Lobo Antunes, Nuno Júdice, Miguel Real, Mário Cláudio, Luísa Costa Gomes, Gonçalo M. Tavares, Paulo Castilho, José Eduardo Agualusa, Bruno Vieira do Amaral e Afonso Cruz.

 

II Bienal de Desenho de Almada - Prémio Pedro de Sousa 2018

Cartaz Bienal Almada.jpg

 

A Bienal de Desenho de Almada – Prémio Pedro de Sousa 2018 organizada pela Imargem-Associação dos Artistas Plásticos do Concelho de Almada com o apoio da Câmara Municipal de Almada, tem como objectivo incentivar, promover e divulgar actividades de criação artísticas no âmbito das artes plásticas, mais precisamente no desenho. 

Podem participar na Bienal de Desenho de Almada todos os artistas nacionais e estrangeiros residentes em Portugal com mais de 18 anos. O Prémio Pedro de Sousa (Prémio Aquisição) é atribuído pela Câmara Municipal de Almada e tem o valor de 1.000,00 €. 
 
Inscrições até 15 de junho de 2018.
Mais informações, Regulamento e Inscrição em https://imargem82.wordpress.com/bienal-desenho-almada/bienal-desenho-2018/

Agradecemos divulgação
 
Almada, 17 de Abril de 2018
Com os melhores cumprimentos,
A Direcção da IMARGEM

________________

IMARGEM - Associação de Artistas Plásticos do Concelho de Almada
Rua Torcato José Clavine nº19 Piso 03, 2804-501 PRAGAL | Tel: 212731272
www.imargem.82.wordpress.com; bienaldesenhoalmada@gmail.com
Horário: terças 14:00 - 20:00 e quintas 9:30 - 13:00
 
 

Prémio Casa do Alentejo 2018 - Concurso de Fotografia "Estações de Caminho de Ferro e Apeadeiros Alentejanos"

9195ee5e-7a59-4b6a-b6e1-3c724690d255.jpg

 

Regulamento

A Casa do Alentejo festeja o seu 95.º aniversário, no dia 10 de junho de 2018.
O Prémio Casa do Alentejo é uma das iniciativas tradicionais e de grande impacto nos aniversários da nossa Casa.
Para 2018 foi escolhido para concurso:
- A modalidade FOTOGRAFIA
- O tema “Estações de Caminho de Ferro e Apeadeiros Alentejanos”
“Em 1856, foi inaugurado o primeiro troço do caminho de ferro português, de Lisboa ao Carregado.
A nova e revolucionária acessibilidade estendeu-se, a pouco e pouco, por todo o país, ajudando a transformar as vidas e os locais por onde foi passando. Desde logo, há a construção ferroviária que tem o seu epicentro na estação do comboio ou no apeadeiro, locais que se tornam centros importantes no quotidiano das populações.
A “estação” é o meio de comunicar com o mundo, a ela chegam e partem gentes, a horas certas, apontadas no grande relógio que marca as vidas. Os rituais do comboio são ouvidos ao longe e tornam-se parte dos quotidianos. A estação é bonita. Foi decorada com azulejaria portuguesa, admirada e estimada por todos os habitantes. A estação é a porta da diáspora, por ela passam os sonhos de ir à procura duma vida melhor, mas também da saudade que fica ali, à espera.”
 

  1. Condições de Admissão
    1. O concurso é aberto a todos os fotógrafos amadores e profissionais, residentes em Portugal.
    2. Está vedada a participação aos membros do júri, aos corpos sociais e aos empregados da Casa do Alentejo.
  2. Modalidade e Temática
    1. Modalidade fotografia
    2.  O tema do concurso é “Estações de Caminho de Ferro e Apeadeiros Alentejanos”.
    3.  Os trabalhos podem ser apresentados a cores e/ou preto e branco.
    4.  Os trabalhos têm de ser apresentados com formato de 20x30 cm ou 30x40 cm.
    5.  No verso de cada fotografia deverá constar em letra legível o título do trabalho, a indicação do local da recolha da imagem e o pseudónimo do concorrente.
  3. Condições de Participação
    1. Cada participante pode apresentar 2 trabalhos em cada modalidade (preto e branco e cores).
    2.  Só serão aceites trabalhos que não tenham sido premiados noutros concursos.
    3.  Os trabalhos deverão ser entregues em sobrescrito fechado, em cujo exterior figurará apenas o pseudónimo do concorrente.
    4.  Dentro do sobrescrito fechado devem constar os seguintes dados do concorrente: nome, idade, profissão, morada, e-mail (caso possua) e o n.º de telefone. 
  4. Prazo e Recepção dos Trabalhos
    1.  Os trabalhos deverão ser entregues na Casa do Alentejo, juntamente com a ficha de inscrição, de 1 a 30 de Maio de 2018
    2.  O local de recepção é a Casa do Alentejo – Rua Portas de Santo Antão, 58, 1150-268 Lisboa.
    3.  Os trabalhos enviados por correio têm de ser acompanhados com ficha de inscrição.
  5. Direitos
    1. Os trabalhos premiados no concurso passarão a ser parte patrimonial da Casa do Alentejo. Esta, no âmbito das suas actividades, poderá fazer uso desse património sempre com a salvaguarda da identificação do seu autor.
    2.  Para todos os efeitos, a organização considera que a partir do momento em que os trabalhos sejam entregues, os concorrentes aceitam os termos deste regulamento.
  6. Seguros
    1. A organização compromete-se a tratar com o maior zelo e cuidado as obras recebidas.
    2.  Caso o fotógrafo o desejar poderá assegurar as suas obras.
    3.  A organização não se responsabiliza por quaisquer danos ou furtos das obras entregues.
  7. Constituição e Competências do Júri
    1.  O júri é composto por individualidades de reconhecida competência e idoneidade, um dos quais membro da Direção da Casa do Alentejo.
    2.  Das decisões do júri, não cabe recurso, resolvendo o mesmo eventuais casos omissos neste regulamento.
    3.  As decisões do júri tomadas no âmbito do Regulamento serão inscritas em ata cuja minuta se tornará pública.
  8. Prémios
    1. Serão atribuídos os seguintes prémios:

 

Preto e Branco - 1.º Prémio – 250 euros; 2.º Prémio; – 150 euros; 3.º Prémio – 50 euros

 

Cores - 1.º Prémio – 250 euros; 2.º Prémio – 150 euros; 3.º Prémio – 50 euros

 

  1.  O júri poderá atribuir, se assim o entender, menções honrosas.
  2.  Os prémios serão entregues aos vencedores (ou a quem devidamente credenciado o representar) no dia 10 de junho do corrente ano, durante a sessão solene do 95.º Aniversário da Casa do Alentejo, sendo os premiados atempadamente avisados.
  3.  A todos os distinguidos serão atribuídos diplomas da sua participação.
  1. Exposição e Devolução de Obras
    1.  As obras premiadas serão expostas, no Páteo da Casa do Alentejo, de 10 a 25 de Junho de 2018.
    2.  As obras não premiadas deverão ser levantadas de 28 de junho a 31 de agosto de 2018. Finda essa data, os trabalhos revertem para o acervo da Casa do Alentejo.
  2. Disposições finais
    1. A apresentação dos trabalhos pressupõe a plena aceitação do presente Regulamento.
    2.  Os casos omissos do presente Regulamento serão resolvidos pelo júri. 

Estoril Sol lança nova edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luis

Está aberto o concurso para atribuição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís que, este ano, realiza a sua 11ª edição. Recorde-se que, desde 2016, foi abolido do seu Regulamento o limite dos 35 anos de idade, cláusula que o Júri considerou estar a condicionar o aparecimento de novos valores. Instituída pela Estoril Sol, esta iniciativa de relevância cultural constitui, assim, uma oportunidade a não perder para todos candidatos a escritores. 

 

Com a extinção dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol vai ao encontro do desejo expresso por numerosos candidatos ao concurso, que estavam impossibilitados de nele participarem. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”. 

 

O Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, conforme o protocolo existente com a Estoril Sol. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

Recorde-se que, em 2017, o romance vencedor do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís foi “O Invisível”, de Rui Lage.

 

Ao eleger “O Invisível”, o júri considerou tratar-se de “um romance com notável fulgor imaginativo” no qual “a figura histórica de Fernando Pessoa é tornada personagem de romance e colocada no centro de uma trama de ficção muito original, que cruza criativamente referentes conhecidos da época e Cultura Pessoanas, particularmente a sua vertente ocultista e/ou esotérica”. 

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, a Estoril Sol mantém o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e a cujo Júri presidiu, durante vários anos, Agustina Bessa-Luís. 

Estoril Sol lança nova edição do Prémio Literário Fernando Namora

 

Fernando Namora 2.jpg

 

Com o desígnio de impulsionar as Letras portuguesas, a Estoril Sol relançou o Prémio Literário Fernando Namora. Trata-se da 21ª edição deste prestigiado galardão, cujo prazo de candidaturas se prolonga até 31 de Maio. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

No valor de 15 mil euros, o Prémio Literário Fernando Namora destina-se a galardoar uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2017, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores. 

 

Com periodicidade anual, o Prémio Literário Fernando Namora ocupa um espaço único no panorama nacional. Ana Cristina Silva foi a vencedora no ano passado com o seu romance “A Noite Não É Eterna”.

 

Na acta, o Júri salientou o facto do romance vencedor ser “uma obra que se articula a partir da realidade social, política e humana das crianças romenas, e das suas famílias, no período da ditadura de Nicolae Ceausescu”. O Júri foi, ainda, sensível a “uma belíssima composição narrativa com linguagem sóbria e cuidada, que valoriza em particular a narrativa de um drama pungente, num quadro político sufocante e obsessivo. É uma história construída sobre os labirintos da tirania”.

 

Recorde-se que o Prémio Literário Fernando Namora, atribuído regularmente desde 1988, teve um Júri presidido, durante vários anos, por Agustina Bessa-Luís, que dá agora o seu nome ao Prémio Literário Revelação, também instituído pela Estoril Sol.

 

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

 

Recorde-se que, expira a 31 de Maio o prazo de recepção dos romances publicados para a 21ª edição do Prémio Literário Fernando Namora e das obras originais para a 11ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís.