Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Mercado oitocentista em Torres Vedras no âmbito do festival "Novas Invasões"

 

transferir - 2021-08-28T175144.252.jpg

 

No âmbito da quarta edição do festival Novas Invasões, Torres Vedras vai acolher mais um mercado oitocentista, o qual terá lugar no Largo de Wellington, no Largo de São Pedro e na Rua Almirante Gago Coutinho, entre os dias 2 e 5 de setembro.

Sendo que o festival Novas Invasões é um evento que tem como ponto de partida a evocação da resistência à terceira invasão francesa a Portugal e a construção das Linhas de Torres, o referido mercado expressará a atividade humana na região de Torres Vedras no início do século XIX, rica em vivências e costumes.

Este mercado será recriado por companhias e grupos de teatro profissionais, associações e grupos de recriação histórica, figurantes e operadores locais. No todo, e em conjunto, serão apresentados vários quadros cénicos, constituindo um único espetáculo, permitindo ao público emergir na recriação de uma época.

De referir que vários dos quadros cénicos a apresentar recriarão vivências relacionadas diretamente com a terceira invasão francesa (“Hospital de campanha”, “Guerrilha da terra queimada”, “Vidas do tempo das invasões”, “Bartolomeu Erudito”, “Le cache and seek”, “Mulher do boi” e “Camponês”). Serão ainda apresentados outros quadros cénicos, relativos a vivências quotidianas da região de Torres Vedras no início do século XIX (“Ofícios à época”, “Exposição de animais”, “A vida na taberna” e “Agapito e Ubaldina”).

O mercado oitocentista funcionará nos dias 2 e 3 de setembro das 18h00 às 21h00 e nos dias 4 e 5 de setembro das 15h00 às 21h00.

Tendo em conta o atual contexto pandémico não haverá oferta gastronómica no mercado oitocentista, estando, no entanto, disponíveis menus de gastronomia oitocentista em oito restaurantes do concelho de Torres Vedras (A Colmeia, restaurante do Hotel Golf Mar, Mezza, Moinho do Paúl, O Beirão, O Patanisca, O Tacho e Roots).

Mais informação sobre o festival Novas Invasões pode ser consultada no site do evento.

 
Agenda

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Hospital de Campanha

Faz já quase 3 anos que sofremos com as constantes investidas do exército francês, a resistência aumenta mas com isso aumentam também as baixas de guerra, os recursos escasseiam e os hospitais de Abrantes e Lisboa para além de longe encontram-se sobrelotados. É urgente a prestação de (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Ofícios à época

O Mercado Oitocentista acolherá a recriação de ofícios da época, ricos em cenografia, figurinos e instrumentos típicos de áreas tão distintas como a forja, a fundição, a cozinha, a moagem, os têxteis e a tinturaria, responsáveis pela criação de micro narrativas, inspiradoras de um (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Exposição de animais

A exposição de animais proporcionará momentos de empatia e diversão junto do público. (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

A vida na taberna

O taberneiro entra e abre as portas para arejar as emoções vividas na última noite de copos. A filha do taberneiro que para ajudar o negócio do pai desde a morte da sua mãe, lava o chão e também serve às mesas na hora das refeições. Jovem e inocente mas com todas as suas qualidades de (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Guerrilha da Terra Queimada

Tomadas por um espírito de patriotismo e sobrevivência, as gentes do campo juntam-se para combater o invasor francês, formando grupos de guerrilha para atacar e sabotar as operações inimigas. Para que os franceses não tenham que comer nem onde pernoitar, segue-se uma política de terra (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Vidas do tempo das Invasões

No período das Invasões Francesas haviam diferentes formas de sentir a guerra. Para dar a conhecer esta diversidade foram criadas várias personagens inspiradas nos relatos e memórias da história. Um desfile de personagens irá representar vários papéis, ressalvando a sua importância na (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Agapito e Ubaldina

Agapito e Ubaldina são uma dupla de mercantes e tratantes. Com a sua banca recheada de frutas e legumes, manuseiam os seus produtos com jogos de malabarismo.  Cheios de graça e virtude interagem com o público, proporcionando a este momentos de extrema alegria e boa disposição. (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Bartolomeu Erudito

Bartolomeu Erudito foi capitão português nas batalhas da Roliça e do Vimeiro. Nesta última sofreu uma lesão que o incapacita para a guerra e dedica-se agora a distribuir informação. Traz consigo jornais e panfletos que lê e traduz (quando estrangeiros), conta histórias caricatas da guerra (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Le Cache And Seek

O esconde-esconde é um jogo de crianças, mas será que pode ser jogado por adultos? Pode e deve! Especialmente em tempo de guerra, quando qualquer buraco é uma trincheira e um soldado francês se perde atrás das linhas inimigas. (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Mulher do Boi

É uma mulher que vive aprisionada no mundo do seu quarto pois ao perder tudo nesta invasão dos franceses, desenvolve uma esquizofrenia provocada pelas inúmeras más experiências que sofreu. Agora, nas suas alucinações,  procura o que lhe é mais querido, o seu boi.  Por vezes, em certos (...)

Saber Mais

 

02 setembro 2021 a 05 setembro 2021 | quinta

Camponês

Um homem solitário e transtornado pelos traumas provocados pelas invasões, desenvolve problemas mentais que o levam a encarnar reconhecidas figuras de 1810. As histórias e a postura da personagem serão tão absurdas que provocarão momentos humorísticos. (...)

Saber Mais

18 E 19 DE SETEMBRO | Palmela - Município promove torneios medievais e feira franca

18 e 19 de setembro – Vila de Palmela

Município promove torneios medievais e feira franca

 

 

A vila de Palmela acolhe, nos dias 18 e 19 de setembro, a realização de torneios medievais e uma feira franca de artesanato. O evento, promovido pelo Município de Palmela, com o objetivo de evocar a Feira Medieval, decorrerá na Alameda D. Nuno Álvares Pereira e na zona adjacente do miradouro, próximo do Castelo.

Sob o contexto histórico da  Palmela do século XIV, os espetáculos recriam o ato de um jovem nobre se armar cavaleiro, momento com um significado especial na sociedade da época, constituindo-se como um festim, com torneios e repasto abertos à população. Esta “viagem no tempo” terá, como cenário, o  ano de 1330, em que o jovem escudeiro Afonso Gomes, irmão do Comendador de Palmela, Lourenço Gomes Teixeira, é armado cavaleiro e demonstra as suas qualidades num torneio.

Os torneios decorrerão com sessões diárias, às 11h30 e 17h00, enquanto que a feira franca medieval estará aberta entre as 10h00 e as 19h00, com entradas controladas e em segurança, de acordo com as normas da DGS.

Para assistir aos torneios, com entrada gratuita, deverá reservar bilhete até 16 de setembro, através do email turismo@cm-palmela.pt e levantá-lo até 30 minutos antes do espetáculo, na bilheteira do evento.

Acompanhe as atualizações desta iniciativa em www.cm-palmela.pt.

 

 

 

 

 

Crato| A.Alentejo - Torneio de Armas a Cavalo e animação medieval no Mosteiro de Flor da Rosa 13-14-15 de agosto

Torneio Medieval Crato.jpg

 

Nos próximos dias 13, 14 e 15 de agosto, o Município do Crato organiza a recriação histórica do “Torneio de Armas a Cavalo – Flor da Rosa Medieval”, com um programa vasto integrado na “Cultura em Rede”, promovido pela Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo e cofinanciado por fundos europeus,  na zona exterior do Mosteiro de Flor da Rosa, no Crato. (Programa infra)

Esta iniciativa, com recriações teatrais de ambientes medievais pretende celebrar a relevância que o Mosteiro teve e tem na história do nosso país assim como as personalidades ligadas à região, que marcaram profundamente o património e a cultura do concelho do Crato. Este tipo de eventos permite ainda ensinar história às gerações mais novas de forma lúdica e participada.

As festividades terão início na sexta-feira, dia 13 (pelas 18h00) com uma arruada de arautos e menestréis e terminará pelas 24h00 com a ronda dos aguazis. Já no sábado (dia 14), o programa terá início pelas 16h00 com formações ministradas pelos mesteirais no acampamento castrense. Durante o dia, várias recriações estão programadas: desde um torneio de armas a cavalo (20h00), passando por um teatro de fogo que antecederá o fecho diário. Para domingo, dia 15 de agosto, o cartaz disponibilizará atividades entre as 16 e as 22 horas. O Auto de abertura do arraial e cortejo régio abrirá as hostilidades, que se concluirão com a despedida de El-Rei dos amigos em Flor da Rosa, rumo à capital do reino.

Do ponto de vista turístico, são três dias de eventos pensados para as famílias, que pretendem atrair visitantes que procuram o Alto Alentejo para um fim de semana ou para as suas férias, que, como sabemos, têm sido muito dirigidas para destinos alternativos ao Algarve e ao estrangeiro. O Crato, e toda a região do Alto-Alentejo tem condições de excelência e de segurança para acolher estes visitantes e proporcionar férias com interesse cultural, além de toda a oferta de património natural e gastronómico a ter em conta nestas escolhas”, refere Joaquim Diogo, presidente da Câmara Municipal do Crato.

Programa Completo

Sexta-feira, 13/08

18h - Arruada de arautos e menestréis anunciando as jornadas seguintes

19h - Auto de recebimento e ceia ao emissário régio pelo Prior Lourenço Esteves de Góis em substituição interina do Prior Álvaro Camelo

21h - Novas do Paço e do que mais foi dito sobre essa fazenda

22h - Agasalho de peregrinos e bênção contra os bruxedos noturnos

23h - Teatro de fogo pelos truões

24h - Ronda dos aguazis

 

Sábado, 14/08

16h - Oficinas de formação pelos mesteirais no acampamento castrense; Acolhimento e agasalho dos peregrinos de Santiago de Compostela

17h - Auto de abertura do arraial e cortejo pelo burgo

18h - O rapto das freiras e seu resgaste pela milícia; Bailias e folguedos nos terreiros do mercado

19h - As razões que levaram Gonçalo Vasques Coutinho a pedir o auxílio contra o Infante D. Diniz

20h - Torneio de armas a cavalo por essas mesmas razões

21h - Comeres e beberes de antanho com sabores tradicionais; O encontro de D. João com Álvaro Gonçalves Camelo

22h - Lembranças de Aljubarrota; As bailias sarracenas e mouriscas do reino do Garb

23h- Teatro de fogo: Uma taberna virada do avesso

24h - A roda dos aguazis

 

Domingo, 15/08

15h - Oficinas de formação pelos mesteirais no acampamento castrense

16h - Auto de abertura do arraial e cortejo régio e sua comitiva; Pede-se a bênção da Senhora das Neves e de S. Bento para o burgo.

17h - Novas do Paço: A reconciliação de D. João I com Álvaro Gonçalves Camelo

18h - As razões e métodos da estratégia militar que se titulam como fundamentais para a envergadura de um bom general

19h - Arraial de trovadores e segréis

20h - Torneio de armas a cavalo e adubamento de cavaleiros

21h - Novas do Paço: A fuga de Álvaro Gonçalves Camelo para Castela

22h - El-Rei despede-se dos amigos em Flor da Rosa, rumo à capital do reino. Encerram os festejos.

 

 

Crato| A.Alentejo - Torneio de Armas a Cavalo e animação medieval no Mosteiro de Flor da Rosa 13-14-15 de agosto

Torneio Medieval Crato.jpg

 

Nos próximos dias 13, 14 e 15 de agosto, o Município do Crato organiza a recriação histórica do “Torneio de Armas a Cavalo – Flor da Rosa Medieval”, com um programa vasto integrado na “Cultura em Rede”, promovido pela Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo e cofinanciado por fundos europeus,  na zona exterior do Mosteiro de Flor da Rosa, no Crato. (Programa infra)

Esta iniciativa, com recriações teatrais de ambientes medievais pretende celebrar a relevância que o Mosteiro teve e tem na história do nosso país assim como as personalidades ligadas à região, que marcaram profundamente o património e a cultura do concelho do Crato. Este tipo de eventos permite ainda ensinar história às gerações mais novas de forma lúdica e participada.

As festividades terão início na sexta-feira, dia 13 (pelas 18h00) com uma arruada de arautos e menestréis e terminará pelas 24h00 com a ronda dos aguazis. Já no sábado (dia 14), o programa terá início pelas 16h00 com formações ministradas pelos mesteirais no acampamento castrense. Durante o dia, várias recriações estão programadas: desde um torneio de armas a cavalo (20h00), passando por um teatro de fogo que antecederá o fecho diário. Para domingo, dia 15 de agosto, o cartaz disponibilizará atividades entre as 16 e as 22 horas. O Auto de abertura do arraial e cortejo régio abrirá as hostilidades, que se concluirão com a despedida de El-Rei dos amigos em Flor da Rosa, rumo à capital do reino.

Do ponto de vista turístico, são três dias de eventos pensados para as famílias, que pretendem atrair visitantes que procuram o Alto Alentejo para um fim de semana ou para as suas férias, que, como sabemos, têm sido muito dirigidas para destinos alternativos ao Algarve e ao estrangeiro. O Crato, e toda a região do Alto-Alentejo tem condições de excelência e de segurança para acolher estes visitantes e proporcionar férias com interesse cultural, além de toda a oferta de património natural e gastronómico a ter em conta nestas escolhas”, refere Joaquim Diogo, presidente da Câmara Municipal do Crato.

Programa Completo

Sexta-feira, 13/08

18h - Arruada de arautos e menestréis anunciando as jornadas seguintes

19h - Auto de recebimento e ceia ao emissário régio pelo Prior Lourenço Esteves de Góis em substituição interina do Prior Álvaro Camelo

21h - Novas do Paço e do que mais foi dito sobre essa fazenda

22h - Agasalho de peregrinos e bênção contra os bruxedos noturnos

23h - Teatro de fogo pelos truões

24h - Ronda dos aguazis

 

Sábado, 14/08

16h - Oficinas de formação pelos mesteirais no acampamento castrense; Acolhimento e agasalho dos peregrinos de Santiago de Compostela

17h - Auto de abertura do arraial e cortejo pelo burgo

18h - O rapto das freiras e seu resgaste pela milícia; Bailias e folguedos nos terreiros do mercado

19h - As razões que levaram Gonçalo Vasques Coutinho a pedir o auxílio contra o Infante D. Diniz

20h - Torneio de armas a cavalo por essas mesmas razões

21h - Comeres e beberes de antanho com sabores tradicionais; O encontro de D. João com Álvaro Gonçalves Camelo

22h - Lembranças de Aljubarrota; As bailias sarracenas e mouriscas do reino do Garb

23h- Teatro de fogo: Uma taberna virada do avesso

24h - A roda dos aguazis

 

Domingo, 15/08

15h - Oficinas de formação pelos mesteirais no acampamento castrense

16h - Auto de abertura do arraial e cortejo régio e sua comitiva; Pede-se a bênção da Senhora das Neves e de S. Bento para o burgo.

17h - Novas do Paço: A reconciliação de D. João I com Álvaro Gonçalves Camelo

18h - As razões e métodos da estratégia militar que se titulam como fundamentais para a envergadura de um bom general

19h - Arraial de trovadores e segréis

20h - Torneio de armas a cavalo e adubamento de cavaleiros

21h - Novas do Paço: A fuga de Álvaro Gonçalves Camelo para Castela

22h - El-Rei despede-se dos amigos em Flor da Rosa, rumo à capital do reino. Encerram os festejos.

 

 

Feira Quinhentista de Sintra 2019

1.jpg

 

 

Largo D. Fernando II, S. Pedro de Sintra

Em 1502, estando D. Manuel nos seus Paços de Sintra, recebe a notícia de que a armada de Vasco da Gama estaria a chegar a Lisboa, o Rei decide subir à Capela de Nossa Senhora da Pena, no cimo da Serra de Sintra, para daí avistar a referida armada a entrar no Tejo.

A presença de D. Manuel I nos Paços de Sintra, local escolhido pelo monarca para seu desenfado pelos seus bons ares e abundância de caça é o mote para a Feira Quinhentista de Sintra 2019.

À Feira acorrem embaixadores, pintores, poetas, músicos, escritores, capitães de armada e marinheiros, que se juntam aos vendedores, taberneiros e artífices, dando à vila o movimento próprio de uma cidade.

Atraída pelos pregões dos vendedores, a nobreza vem à feira divertindo-se a mostrar como se dança no paço d’el Rei. Vem também o Bobo e Mestre Gil Vicente, figura de destaque nesta corte que não falta a uma boa feira, procurando inspiração para a criação dos seus autos e, quem sabe se não consegue no meio de tanta gente, descobrir novos talentos da arte de representar.

Nestas ocasiões, o povo aproveita para se divertir com os malabaristas ou com os gaiteiros que ali aparecem criando situações de uma certa euforia popular.

Na Feira encontra-se também Duarte D’Armas, encarregado de realizar o desenho de todas as fortalezas e castelos do Reino, fará “visitas guiadas” a Sintra a partir dos seus “3 debuxos das vistas de Cintra”. E não será o único a contar os seus feitos ao público, “Martim Afonso, marinheiro da carreira das Índias” fará o relato da sua viagem a bordo de uma nau da carreira das Índias.

O visitante desta feira poderá ainda conhecer melhor a Arte da Falcoaria, que estará representada com exposição de aves e demonstrações de voo, bem como alguns ofícios tradicionais como a cestaria, a azulejaria, a cerâmica e olaria e a carpintaria.

No sábado às 16h será apresentada uma palestra pelo Dr. Sérgio Luís de Carvalho: O quarto cavaleiro do Apocalipse: A Peste Negra em Sintra (do séc. XIV ao séc. XVI).

18 e 19 de julho - 17h00 às 24h00
20 de julho – 13h00 às 24h00
21 de julho – 13h00 às 23h00

Organização: Câmara Municipal de Sintra
Produção: Câmara dos Ofícios
Apoio: União de Freguesias de Sintra
Parceiro: Refood

Entrada  livre
Informações: camara.oficios@mail.telepac.pt

Feira Quinhentista regressa a Sintra

De 18 a 21 de julho, a Praça D. Fernando II, em São Pedro de Sintra, recebe mais uma edição da Feira Quinhentista, recriando um mercado de época, com entrada livre.

Serão quatro dias de feira, onde poderá conhecer alguns dos ofícios da época de D. Manuel I, como a tinturaria, a tecelagem e a moagem.

Esta recriação histórica contará com animação permanente num ambiente de festa com personagens do povo e da nobreza recriando várias situações do quotidiano em interação com o público, assim como quiosques destinados à venda de diversos produtos.

Em 1502 estando D. Manuel I nos Paços de Sintra, recebeu a notícia de que a armada de Vasco da Gama estaria a chegar a Lisboa, o Rei decidiu subir à Capela de Nossa Senhora da Pena, no cimo da Serra de Sintra, para daí avistar a referida armada a entrar no Tejo.

A presença de D. Manuel I nos Paços de Sintra, local escolhido pelo monarca para seu descanso pelos bons ares e abundância de caça é o mote para a realização da Feira Quinhentista de Sintra 2019.

À Feira acorrem embaixadores, pintores, poetas, músicos, escritores, capitães de armada e marinheiros, que se juntam aos vendedores, taberneiros e artífices, dando à vila o movimento próprio de uma cidade.

Atraída pelos pregões dos vendedores, a nobreza vem à feira divertir-se e mostrar como se dança no paço d´el Rei. Vem também o Bobo e Mestre Gil Vicente, figura de destaque nesta corte que não falta a uma boa feira, procurando inspiração para a criação dos seus autos e, quem sabe se não consegue no meio de tanta gente, descobrir novos talentos da arte de representar.

Nestas ocasiões, o povo aproveita para se divertir com os malabaristas ou com os gaiteiros que ali aparecem criando situações de uma certa euforia popular.

Na feira encontra-se também Duarte D´Armas, encarregado de fazer o desenho de todas as fortalezas e castelos do Reino, que fará “visitas guiadas” a Sintra a partir dos seus “3 debuxos das vistas de Cintra”. E não será o único a contar os seus feitos ao público, “Martim Afonso, marinheiro da carreira das Índias” fará o relato da sua viagem a bordo de uma nau da carreira das Índias.

O visitante desta feira poderá ainda conhecer melhor a arte da falcoaria, que estará representada com uma exposição de aves e demonstração de voo, bem como alguns ofícios tradicionais como a cestaria, a azulejaria, a cerâmica e olaria e a carpintaria.

No sábado às 16h00 será apresentada uma palestra pelo prof. Sérgio Luís de Carvalho: O quarto cavaleiro do Apocalipse: A Peste Negra em Sintra (do séc. XIV ao séc. XVI).

A Feira Quinhentista é organizada pela Câmara Municipal de Sintra, produzida pela Câmara dos Ofícios, e com apoio da União de Freguesias de Sintra.

 

Horário:

18 e 19 de julho – 17h00 às 24h00

20 de julho – 13h00 às 24h00

21 de julho – 13h00 às 23h00

Picnic Galante - 22 junho - Jardim do Cerco Mafra

PicNicMafra2019.jpg

 

A Câmara dos Ofícios e o Palácio Nacional de Mafra vão realizar no próximo dia 22 de junho, no Jardim do Cerco em Mafra, a partir das 15H00 e até às 19H00, a recriação de um Picnic Galante do Séc. XVIII.

O evento conta com um programa variado desde a azáfama dos criados da corte que chegam com arcas, pratas, candelabros, almofadas e tudo o que é necessário ao acontecimento, à chegada dos Nobres que vêm merendar. Para além da recriação de uma merenda do séc. XVIII, haverá momentos de dança, poesia e jogos do séc. XVIII.

O convite é feito à população em geral. Quem pretender participar deverá trazer a sua merenda e de preferência vir trajado a rigor, de modo a passar uma tarde de lazer com a Corte do Séc. XVIII.

Inserido no projeto europeu das Residências Reais “A place at the Royal Table/Um lugar à Mesa do Rei”, realiza-se este ano a 2ª edição.

O evento conta com o apoio da Câmara Municipal de Mafra.

 

ENTRADA LIVRE

Vinho Verde promove um "regresso à Casa do Conde" com Eça de Queiroz, Camilo Castelo Branco e António Silva Monteiro

Jantares temáticos abordam escritores portugueses e recriações de época

CASA DO VINHO VERDE PROPÕE UM “REGRESSO À CASA DO CONDE”

COM JOEL CLETO E ORADORES CONVIDADOS

Jantares_Casa do VV.jpg

 

A partir de 13 de Abril, a Casa do Vinho Verde abre portas a um ciclo de jantares temáticos que, mensalmente, propõe um “Regresso à Casa do Conde”. Um programa que convida a recuar até à segunda metade do século XIX e a frequentar o Palacete Silva Monteiro – que actualmente dá lugar à Casa do Vinho Verde - permite conversar com Gonçalves Guimarães para descobrir Eça de Queiroz, conhecer Camilo Castelo Branco através de Isabel Pires de Lima e desvendar o universo do Conde Silva Monteiro com Joel Cleto.

 

Para além dos oradores convidados, três Chefs de referência confecionam menus inspirados em nomes maiores da literatura portuguesa e da sociedade portuense: a 13 de Abril, uma noite “à mesa com Eça de Queiroz” conta com o Chef António Pinto - da Casa de Tormes – para recriar o menu queirosiano de “A cidade e as serras” harmonizado com o “fresco, esperto, seivoso” Vinho Verde.

 

A 25 de Maio, o Chef Renato Cunha revisita “A brasileira de Prazins” e apresenta produtos tradicionais da região minhota num menu Camiliano para estar “à mesa com Camilo Castelo Branco” e, a 29 de Junho, o Chef Hélio Loureiro prepara um jantar de inspiração oitocentista no Palacete da Rua da Restauração onde, à época, os salões se enchiam de arte e de cultura para receber a sociedade portuense.

 

O “Regresso á Casa do Conde” é uma iniciativa cultural integrada nas comemorações dos 110 anos da Região Demarcada dos Vinhos Verdes e tem como objectivo celebrar o Vinho Verde na literatura portuguesa, para além de promover a Obra do Conde Silva Monteiro, importante figura da cidade do Porto a nível cultural, económico, social e filantrópico.

 

“Regresso à Casa do Conde” | Ciclo de Jantares temáticos na Casa do Vinho Verde

13 de Abril – “À mesa com Eça de Queiroz” | Horário: 20 horas

Orador convidado: Gonçalves Guimarães | Chef António Pinto | Preço por pessoa: 50,00 euros

25 de Maio – “À mesa com Camilo Castelo Branco” | Horário: 20 horas

Orador convidado: Isabel Pires de Lima | Chef Renato Cinha | Preço por pessoa: 50,00 euros

29 de Junho | “Regresso à Casa do Conde” | Horário: 20 horas

Orador: Joel Cleto | Chef Hélio Loureiro | Preço por pessoa: 50,00 euros

 

Rua da Restauração, nº 318, 4050 – 501 Porto

Reservas: marketing@vinhoverde.pt

Feira Quinhentista de Sintra - 12 a 15 julho

I.jpg

 

Feira Quinhentista de Sintra 2018
Praça D. Fernando II, S. Pedro de Penaferrim
12 e 13 de julho - 17h00 às 24h00
14 de julho – 13h00 às 24h00
15 de julho – 13h00 às 23h00

Serão 4 dias de feira, onde se poderá conhecer alguns dos mesteres da época de D. Manuel I, como a tinturaria, a tecelagem e a moagem. Haverá também demonstração de armas da época para além da habitual animação com diversos personagens das obras de Mestre Gil Vicente, que também irá à Feira. Malabarismo, música e dança completam o ambiente de festa, próprio para degustar os produtos tradicionais da gastronomia portuguesa e galega, bem como muitas especialidades de doçaria conventual e tradicional.
Artífices, artesãos, produtores e mercadores estarão presentes com os seus melhores produtos e artigos.
As crianças poderão experimentar a oficina de padeiro, ou um passeio de burro.


Para mais informações: camara.oficios@mail.telepac.pt ou 219164550


Organização: Câmara Municipal de Sintra


Produção: Câmara dos Ofícios


Apoio: União de Freguesias de Sintra

 

FEIRA DE MAIO DE REGRESSO COM UMA RECRIAÇÃO HISTÓRICA

 

II.jpg

 

 

De 18 a 20 de Maio, no coração da Freguesia - Largo da República, será possível viajar até ao século XVIII na Feira de Maio. Com entrada livre, tem como principal objetivo a recriação histórica de um mercado e das vivências de uma quinta de recreio na primeira metade do século XVIII.

A criação da Feira de Agualva, uma das mais antigas da região saloia entre as feiras tradicionais, resultou de uma petição feita a D. João V pela Irmandade de Nossa Senhora da Consolação de Agualva. O rei acolheu favoravelmente este pedido e autorizou a realização da feira através de alvará régio datado de 22 de Setembro de 1712.

A animação será diversificada e constante durante o período da feira destacando-se a recriação de um ambiente de fidalguia com a presença da família de Matias Aires a quem pertencia o Palácio da Quinta N. Sr.ª do Monte do Carmo (Quinta da Fidalga).

No recinto da feira personagens característicos da época tais como: alcoviteiras, regateiras, aguadeiros, colarejas etc. recriam um ambiente de mercado com os seus pregões e algazarras e momentos de bailaricos ao som de gaitas de foles, recriarão várias situações características dos mercados setecentistas.

No sábado e domingo os Valdevinos Teatro de Marionetas, irá apresentar as tradicionais histórias do Teatro de D. Roberto, Nos mesmos dias às 15h00, decorrerão os “Passeios com história “, uma breve visita pela história de Agualva em especial pela Quinta da Fidalga e Feira de Maio dinamizada pelo Dr. Rui Oliveira.

Destaque ainda para um serão musical a realizar no dia 19 sábado, pelas 21:30h na capela da Quinta da Fidalga com um reportório composto por lundus e modinhas brasileiras do séc. XVIII

Ainda com o intuito de promover o convívio familiar e dar a conhecer às gerações mais novas as diversões de outrora, serão dinamizados por alguns personagens jogos do séc. XVIII tais como o jogo do pélélé, da cidade de Roma, tração à corda, chinquilho, peão entre outros.

O espaço será organizado de modo a proporcionar ao visitante uma ambiência de Feira do Séc. XVIII, com a presença de tasquinhas de comes e bebes, pão com chouriço, doçaria, hortícolas e frutas, artesanato e ofícios tradicionais.

A organização do evento está a cargo da Junta de Freguesia de Agualva e Mira Sintra, em parceria com a Câmara Municipal de Sintra, com produção e animação da Câmara dos Ofícios.

O horário será o seguinte:

Sexta (18 de maio) – das 18h00 às 24h00

Sábado (19 de maio) – das 12h00 às 24h00

Domingo (20 de maio) – das 12h00 às 22h00

 

 Informações: camara.oficios@mail.telepac.pt