Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição “A revolução e o que ela trouxe” na Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz

Cartaz 25 de Abril (1).jpg

O Município de Reguengos de Monsaraz inicia as comemorações dos 50 anos do 25 de Abril com a exposição “A revolução e o que ela trouxe”, da Ephemera – Biblioteca e Arquivo de José Pacheco Pereira. A mostra vai ser inaugurada no dia 2 de abril, pelas 18h, com a presença de José Pacheco Pereira, estará patente até 28 de abril no Auditório António Marcelino da Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz e poderá ser visitada de segunda-feira a sábado das 10h às 12h30 e entre as 14h e as 17h30.

 

Em exposição vão estar materiais do arquivo Ephemera sobre o 25 de Abril de 1974 e os tempos que se lhe seguiram, pretendendo retratar os dias da revolução, os seus protagonistas, os símbolos, a democratização da política e o exercício de direitos inerentes à liberdade. Para a mostra foram selecionados jornais diários desde o dia da Revolução dos Cravos até aos dez dias seguintes, incluindo um com a orgulhosa menção de que “Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura”, assim como jornais publicados posteriormente por várias forças políticas.

 

Desta forma, pretende-se dar uma imagem da profundidade e vivacidade da revolução e dos dias que se lhe seguiram, com várias edições diárias e notícias constantes. A opção pela exposição de jornais de diversas organizações políticas tem também como objetivo demonstrar a participação cívica, pela via da formação de novos partidos e pela legalização de outros.

 

“A revolução e o que ela trouxe” exibe, entre outros, o primeiro “Avante!” publicado em liberdade e o “Povo Livre”, editado pelo PPD, o primeiro partido formalmente constituído após a revolução. Os cartazes escolhidos retratam a diversidade das formas de manifestação, numa ilustração da iconografia dessa época, como o cravo, a pomba, a chaimite, os soldados e o povo.

 

Alguns dos cartazes sobre a dinamização cultural, que se vieram a tornar famosos também pelo seu valor estético, ilustram, com a autoria de João Abel Manta, esse processo que o Movimento das Forças Armadas levou a cabo. A realização de manifestações após a revolução, fossem de regozijo e alegria ou de reivindicação, ocorreram por todo o país e na mostra estão expostos dois panos originais utilizados em manifestações no Porto, que revelam o ambiente então vivido.

 

O arquivo Ephemera dedica-se ao salvamento, preservação e divulgação pública de espólios, acervos, livros, manuscritos, documentos, papéis, panfletos e objetos portugueses e estrangeiros relacionados com a memória da história social, cultural, sindical e política contemporânea, tendo publicadas na internet cerca de 20 mil pastas de material disponível. O arquivo acolhe investigadores e projetos de investigação dos seus acervos e espólios, organiza e participa em exposições públicas com os seus fundos e cede documentação e imagens para livros e artigos publicados em Portugal e no estrangeiro.

 

Tapeçarias e serigrafias de Nadir Afonso em exposição na Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz

babilónia_.jpg

A exposição de tapeçarias e serigrafias “Civilização” de Nadir Afonso vai estar patente de 5 de outubro a 30 de novembro no Auditório António Marcelino da Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz. Esta mostra foi possível através da colaboração da autarquia com a Fundação Nadir Afonso e poderá ser visitada de segunda-feira a sábado das 9h às 12h30 e entre as 14h e as 17h30.

 

A exposição “Civilização” apresenta 22 serigrafias editadas durante quase quatro décadas e três tapeçarias realizadas pela Manufatura de Tapeçarias de Portalegre. Os temas dominantes desta mostra são as cidades e as civilizações e integra obras como “Évora Surrealista”, “Procissão em Veneza”, “Copacabana”, “Idade Média”, “Dusseldorf”, “Babilónia”, “Sevilha”, “Pequim”, “Os Portugueses”, “Parque de São Paulo” e “Pontes sobre o Reno”.

 

Os traçados geométricos evocam pontes, jardins, catedrais, construções que contrastam com os horizontes e as águas onde as formas se espraiam, como que absorvidas pela imensidão dos céus ou dos oceanos, numa grande variação cromática. O artista considerava que a combinação das formas desencadeia entre elas relações e espaços intermédios cujas proporções devem ser igualmente harmoniosas, pois para realizar a obra de arte é necessário que as formas complementares mantenham as leis de proporções que a sensibilidade pressente nas formas elementares.

 

Nadir Afonso nasceu no dia 4 de dezembro de 1920 e faleceu no dia 11 de dezembro de 2013 e é considerado um dos artistas de maior relevo da arte do século XX e XXI, pioneiro na arte cinética em Portugal, corrente que explora efeitos visuais através de movimentos físicos ou de ilusão de ótica. Autor de uma obra singular e sustentada no contexto artístico internacional, o artista foi Doutor Honoris Causa pela Universidade Lusíada de Lisboa (2010) e pela Universidade do Porto (2012) e condecorado com os graus de Oficial (1984) e Grande-Oficial (2010) da Ordem Militar de Sant’lago da Espada.

 

Durante a sua carreira teve vários períodos, nomeadamente primeira modernidade, surrealista, barroco, pré-geometrismo, egípcio, espacillimité, ogival, perspético, antropomórfico, organicismo, fractal e realismo geométrico. Nadir Afonso fez muitas vezes apelo ao rigor matemático, acreditando que o Homem antes de adquirir o sentido abstrato do equilíbrio moral possuía já o sentido concreto do equilíbrio e do rigor espacial dados pela Geometria, a sua primeira ciência, um dos seus primeiros cultos e uma das paixões do artista. As obras de Nadir Afonso têm sido exibidas em centenas de exposições e os seus trabalhos integram coleções públicas de importantes museus portugueses e estrangeiros, como o Museu Nacional de Soares dos Reis, Museu Nacional de Arte Contemporânea, Fundação Calouste Gulbenkian, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (Brasil), CitiBank (Nova Iorque, Estados Unidos da América), Centre George Pompidou (Paris, França), Museum Im Kulturspeicher (Würzburg, Alemanha) e Szépmüvészeti Múzeum (Budapeste, Hungria).

 

 

 

Pedro Abrunhosa, Plutonio e Cuca Roseta nas Festas de Santo António em Reguengos de Monsaraz

Festas de Santo António 2022 (1).JPG

As Festas de Santo António vão decorrer de 9 a 13 de junho no centro da cidade de Reguengos de Monsaraz. As festividades em honra do padroeiro da cidade vão ter na banda sonora os concertos de Pedro Abrunhosa e Comité Caviar, Plutonio, Cuca Roseta, Banda da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense com António Pinto Basto, The Peakles e os DJ’s Wilson Honrado, Zanova, Malasiano, Peter Beats, Oskar DJ e André Gaspar. O programa integra também o desfile e atuação das tradicionais marchas populares.

 

Este ano assinalam-se os 50 anos da comemoração a 13 de junho do feriado municipal em Reguengos de Monsaraz. A primeira edição das Festas de Santo António com carater regular em Reguengos de Monsaraz aconteceu em 1970 e a autarquia solicitou autorização ao governo em 1973 para a criação do feriado municipal no dia 13 de junho, que foi concedida com a condição de nessa data se realizarem as festividades.

 

A abertura oficial das Festas de Santo António vai acontecer no dia 9 de junho, às 18h, nos Paços do Concelho. Segue-se às 18h15 a inauguração da exposição de artesanato de Delfim Manuel, intitulada “Santo António – A luz que brilha”, que vai estar patente até ao dia 4 de julho na Biblioteca Municipal.

 

Nos jardins da biblioteca será o Espaço Santo Antoninho, que vai estar aberto todos os dias das festividades entre as 17h30 e as 19h30 com espetáculos, um insuflável, cama elástica e pinturas faciais para as crianças. A RegWine, feira de vinhos da sub-região vitivinícola de Reguengos de Monsaraz, vai abrir ao público pelas 18h30 no Parque da Cidade e nos restantes dias terá início às 18h.

 

A exposição de fotografia “Festas de Santo António”, de Francisco Marcão, vai ser inaugurada às 18h45 e estará patente nas ruas da cidade.  O Espaço Santo Antoninho recebe pelas 19h um espetáculo de marionetas integrado na BIME – Bienal Internacional de Marionetas de Évora, intitulado The Alex Barti Show, de Alex Barti, macedónio radicado na Dinamarca que viaja pela Europa com o inseparável Mister Barti, uma marioneta suspensa por mais de 40 cordas que lhe permitem mover o seu corpo e mudar a expressão do rosto para mostrar raiva, alegria ou prazer. Este espetáculo não tem texto e toda a história é expressa com movimento, mímica e música.

 

Às 21h30 sobe ao Palco Mundo o grupo Mariachi Sol de Lisboa, que reflete a emoção e a alegria dos vários géneros musicais do México, como a música ranchera, o son jarocho, os huapangos, os corridos, as polcas, a valsa mexicana, o bolero ranchero e a cúmbia. Durante a atuação, este grupo do México toca vários instrumentos tradicionais como a vihuela mexicana e o guitarrón, além dos trompetes e violinos que acompanham as vozes.

 

Plutonio vai estar no palco principal das Festas de Santo António a partir das 23h para interpretar os seus sucessos musicais, como “Somos Iguais”, “Vergonha na Cara”, “1 de Abril”, “Cafeina” e “Última Vez”, numa sonoridade que abraça o rap, hip-hop/trap, afrobeat, RnB e afrotrap. O rapper de Cascais lançou três álbuns, nomeadamente “Histórias da Minha Life” (2013), “Preto e Vermelho” (2016) e “Sacrifício” (2019), tendo em 2021 editado as músicas “Lisabona” e “Tirar Bilhete”, no ano seguinte “4AM no Rio” e “Por Enquanto” e este ano “Alcatraz”.

 

Segue-se pela meia-noite e meia hora a DJ Zanova, uma das DJ’s de maior sucesso mundial com 2,5 milhões de seguidores na plataforma Tik Tok e que já atuou em mais de 50 países de quatro continentes, onde levou o público a uma viagem musical pelos seus sets de eletro house, hard dance, bass house e trap. A produtora russa está radicada em Portugal, vive desde 2010 na Apúlia, em Esposende, e com a sua atitude de rock star nas cabines tem contagiado o público que vibra intensamente ao som das suas misturas.

 

O DJ Malasiano, natural de Redondo, vai fechar a noite a partir das 2h30 com um set que vai incluir várias sonoridades da música eletrónica, desde o house, o tecno e o hard house, passando pelo vocal com sons tribais. A sua carreira tem sido desenvolvida em Portugal, tendo partilhado a cabine com alguns dos mais conceituados DJ’s nacionais, mas também já tocou em Ibiza, Bruxelas e Amsterdão.

 

No dia 10 de junho, o programa das Festas de Santo António abre às 9h30 com a Caminhada em Família, que terá um percurso de cinco quilómetros com partida da Praça da Liberdade. Pelas 18h tem início no Espaço Santo Antoninho o espetáculo de marionetas Pipa – El Títere Maravilla, pela companhia de teatro La Puntual, que faz parte da programação da BIME – Bienal Internacional de Marionetas de Évora. Esta companhia de teatro de Barcelona vai apresentar uma comédia para todas as idades inspirada nos tradicionais espetáculos de marionetas de luva, com uma manipulação enérgica e uma sucessão de situações, confrontos e gags que remetem o espetador para os temas clássicos e universais do bem e do mal, do amor, da luta contra o abuso e da amizade.

 

Os Gigabombos do Imaginário vão animar as ruas da cidade entre as 18h e as 20h com gigantones, cabeçudos, bombos e gaitas. Este projeto de intervenção artística visa aproximar as novas gerações a práticas musicais e artísticas inspiradas nas tradições culturais portuguesas.

 

Pelas 18h30 decorre na Biblioteca Municipal a palestra “Santo António, o santo de todo o mundo”, por Pedro Teotónio Pereira, coordenador do Museu de Lisboa – Santo António. O palco da Praça da Liberdade terá às 19h30 a atuação do Grupo Coral da Casa do Povo de Reguengos de Monsaraz e pelas 21h30 sobe ao Palco Mundo o Dúo Dale Mambo, um projeto musical dos cubanos Pedro Ceballos e Beatriz Diaz que recria os ritmos de Cuba mais tradicionais até aos mais contemporâneos, explorando igualmente o jazz e outros universos musicais da América Central e da América do Sul.

 

Cuca Roseta vai cantar a partir das 23h no palco principal para interpretar as músicas do disco “Meu”, editado durante a pandemia, tal como aconteceu com o álbum de homenagem a Amália Rodrigues, “Amália por Cuca Roseta”. O espetáculo vai centrar-se no álbum “Meu”, o disco mais pessoal da artista que foi feito exclusivamente a pensar na cumplicidade e partilha que tem com o seu público, mas nessa noite poderão ouvir-se também alguns dos fados mais conhecidos da sua carreira.

 

O DJ Wilson Honrado, que anima as tardes da Rádio Comercial e produz o único programa de música eletrónica da estação vai subir ao palco principal à meia-noite e meia hora. Os seus sets ecléticos incluem os mais recentes sucessos musicais e já foram dançados em festivais e grandes eventos nacionais. A partir das 2h30, o DJ Peter Beats apresenta o seu set para encerrar a noite.

 

O programa das Festas de Santo António integra no dia 11 de junho, às 9h, o Passeio Solidário de Motas Clássicas. Este passeio organizado pelo Grupo Motard Terras del Rei tem início na Praça da Liberdade e vai apoiar os Bombeiros Voluntários de Reguengos de Monsaraz.

 

Pelas 18h realiza-se no Espaço Santo Antoninho o espetáculo de Marionetas João Pateta, pelo Grupo Maurioneta, com fantoches de luva manipulados por Mauricio Rebocho. À mesma hora decorre uma arruada pela Fanfarra dos Bombeiros Voluntários de Reguengos de Monsaraz por várias ruas da cidade e a Praça de Toiros José Mestre Batista recebe uma corrida de toiros com os cavaleiros Filipe Gonçalves, Marcos Bastinhas e António Prates. Os grupos de forcados são os Amadores do Ribatejo, de Monsaraz e de São Manços, que vão pegar toiros da Ganadaria São Martinho.

 

A Biblioteca Municipal recebe a partir das 18h30 a palestra “O neogoticismo da Igreja de Reguengos de Monsaraz”, por Regina Anacleto, Professora Jubilada da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, seguindo-se pelas 19h30 a atuação do grupo Corazón Flamenco na Praça da Liberdade.

 

O Palco Mundo terá às 21h30 um espetáculo com o grupo de samba luso-brasileiro Samba Sem Fronteiras, que foi fundado em 2012 e nasceu da iniciativa de alguns brasileiros residentes em Portugal que sentiam falta de encontrar o samba de raiz, feito por quem gosta e valorizando a tradição e os grandes poetas dessa música popular brasileira. O seu primeiro disco de originais intitulado "Samba Sem Fronteiras" foi lançado em 2018 e o segundo, “Estrangeiro”, foi editado em 2022 num formato de passaporte, que se for levado para os concertos pelas pessoas que o adquiriram, poderá ser autografado e carimbado pelos músicos. Em cada roda, concerto ou festa, o grupo pretende contribuir para tornar as pessoas mais alegres, deixando o corpo entrar no ritmo do samba. 

 

No palco principal, pelas 23h, haverá um concerto com a Banda da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense com o fadista António Pinto Basto. A partir da meia-noite e meia hora sobe ao palco o Oskar Dj, que tem 33 anos de carreira e é um dos DJ’s nacionais com maior reconhecimento internacional pelo seu trabalho, tendo atuado em clubes de Londres, Barcelona, Ibiza e Luanda. Em Reguengos de Monsaraz vai apresentar um set baseado nos grandes sucessos musicais das últimas décadas.

 

No dia 12 de junho, às 18h, realiza-se no Espaço Santo Antoninho o espetáculo de marionetas “Aventura do Coelhinho”, com fantoches de luva pelo grupo Maurioneta. À mesma hora decorre a “Promoção da Saúde em Contexto Recreativo Unidade Móvel Cuida+”, pelo Centro de Respostas Integradas e Instituto Português do Desporto e Juventude.

 

Pelas 19h realiza-se um desfile e atuação do Grupo Coral da Casa do Povo de Reguengos de Monsaraz por várias ruas da cidade. As marchas populares de Santo António vão também desfilar pela cidade a partir das 21h30 e depois realizam uma atuação na Praça de Santo António.

 

Este ano haverá marchas infantis da Componente de Apoio à Família do Jardim de Infância de Reguengos de Monsaraz, do Palco de Sonhos, da ANI+ - Associação de Proteção de Animais de Reguengos de Monsaraz e do Jardim de Infância da Santa Casa da Misericórdia de Reguengos de Monsaraz. As marchas de adultos são da Universidade Popular Túlio Espanca, da Junta de Freguesia de Reguengos de Monsaraz e do Palco de Sonhos.

 

Pedro Abrunhosa acompanhado pelo Comité Caviar vai subir às 23h ao palco principal para um espetáculo que terá os grandes sucessos musicais de três décadas de carreira. Pedro Abrunhosa ficou conhecido quando lançou o álbum “Viagens”, em 1994, e desde essa data lançou mais de uma dezena de discos que o tornam num dos artistas de maior sucesso em Portugal.

 

À meia-noite e meia hora haverá um espetáculo pirotécnico de fogo de artifício, seguindo-se à 1h da madrugada o baile popular de Santo António com o grupo Sons e Tons, no Largo Almeida Garrett, onde está instalado o Palco Mundo. À mesma hora, no palco principal, o DJ André Gaspar, mais conhecido por DJ A.G., vai apresentar o projeto “A Nave”, que lançou no ano passado e que consiste em duas barras de leds que quando estão acesas pretendem transmitir energia e transportar o público para outra dimensão.

 

No último dia das festividades, 13 de junho, dia de Santo António, pelas 10h decorre a cerimónia do içar das bandeiras, nos Paços do Concelho, com a interpretação dos hinos do Município, de Portugal e da União Europeia pela Banda da Sociedade Filarmónica Harmonia Reguenguense. À mesma hora abre a Feira das Suculentas, no Mercado Municipal, organizada pelo Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão da Santa Casa da Misericórdia de Reguengos de Monsaraz, com as receitas a reverterem para a associação Ani+.

 

O programa prossegue pelas 10h30 na Praça da Liberdade com a chegada das imagens dos padroeiros das paróquias da Unidade Pastoral de Reguengos de Monsaraz e meia hora depois com a celebração da Eucaristia. O Espaço Santo Antoninho recebe às 18h as Histórias com Rita Caeiro e a partir das 19h haverá animação de rua com a Orquestra do Bairro, que canta “Ó ló ai larilo lela, Ó ló ai lari lóló” quando quer chamar à rua os vizinhos para cantar, tocar e bailar.

 

A Academia de Dança e Artes Performativas da Sociedade Artística Reguenguense vai proporcionar às 19h30 um espetáculo de danças urbanas na Praça da Liberdade e as marchas populares voltam a desfilar pelas ruas a partir das 21h30, com a atuação a decorrer na Praça de Santo António.

 

A encerrar as Festas de Santo António, às 23h sobe ao palco principal a banda The Peakles,fundada em 2013 em Almada e que já se tornou na maior referência nacional de tributo aos The Beatles, dos quatro fabulosos de Liverpool, John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Star. Com mais de duas dezenas de concertos na Grã-Bretanha, The Peakles é a única banda portuguesa convidada a participar no mundialmente conhecido International BeatleWeek Festival, que decorre há mais de 30 anos em Liverpool, tendo tocado em quatro edições (2014, 2018, 2020 e 2022) e esgotado sempre os concertos que realizaram no local onde os The Beatles se tornaram conhecidos, o The Cavern Club.

 

As Festas de Santo António têm entrada gratuita e durante os dias das festividades haverá bares e tasquinhas.

 

 

Fotografias do quotidiano da comunidade sénior em exposição na Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz

20230224_sessao4_LAB_FOTO-CRIATIVA_Reguengos-Monsa

A exposição das fotografias tiradas durante o Laboratório de Fotografia Criativa promovido pela Malvada Associação Artística vai ser inaugurada no dia 9 de março, pelas 17h30, na Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz. Esta mostra vai estar patente até ao dia 31 de março e pode ser visitada de segunda a sexta-feira das 10h às 12h30 e entre as 14h e as 17h30.

 

O Laboratório de Fotografia Criativa decorreu às terças-feiras entre 31 de janeiro e 7 de março no Pólo de Reguengos de Monsaraz da Universidade Popular Túlio Espanca, foi orientado por José Miguel Soares e envolveu um grupo de alunos desta instituição e elementos da comunidade sénior. Este laboratório faz parte do projeto artístico de inovação social Cotidianos, da autoria da dupla de artistas Ana Luena e José Miguel Soares, no qual se desenvolvem atividades de criação artística inovadoras e experimentais que partem do quotidiano para a construção de imaginários, num trabalho direto com o público sénior e desempregados.

 

O objetivo desta iniciativa é dar a conhecer as bases da fotografia segundo uma abordagem teórico-prática orientada para o desenvolvimento criativo, incentivando os participantes a fotografar com os seus telemóveis e máquinas fotográficas, momentos e pormenores do seu quotidiano. Desta forma potencia-se o entendimento de como as imagens fotográficas são construídas, mas principalmente a capacidade de expressar e apresentar a realidade de um ponto de vista pessoal, autoral e criativo.

 

O Laboratório de Fotografia Criativa que decorreu em Reguengos de Monsaraz teve a participação de Antónia Cadete, Berta Filipe, Catarina Lucas, Daniela Batista, Joaquina Ramalho, Maria do Rosário Rizo, Maria Inácia Martins, Maria Isabel Lopes, Maria Joana da Costa, Maria Teresa da Conceição, Miquelina Falé, Sónia D’Assunção e Rosa Veladas. O projeto artístico de inovação social Cotidianos decorre em Reguengos de Monsaraz, Alandroal, Borba, Évora e Terena no âmbito do programa Projetos Inovadores/Experimentais na Área Social - MONTE, que é cofinanciado pelo Alentejo 2020, Portugal 2020 e Fundo Social Europeu - União Europeia.

 

 

Manuel Cargaleiro apresenta “A Essência da Cor” na Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz

Ce Brasier de solitude - serigrafia a 62 cores.jpg

 

 

No dia 4 de setembro, pelas 18h, abre ao público a exposição de serigrafia e litografia “A Essência da Cor”, de Manuel Cargaleiro, com a presença do artista. A mostra estará patente até 30 de setembro na Biblioteca Municipal e poderá ser visitada de segunda a sexta-feira das 10h às 12h30 e entre as 14h e as 17h30.

 

“A Essência da Cor” evidencia a enorme versatilidade do Mestre Cargaleiro perante os materiais, as diferentes linguagens artísticas e as técnicas utilizadas. Um trabalho apurado de pesquisa e de estudo constante, onde a exploração da cor serve, antes de tudo, para definir formas, revelar sentimentos ou criar múltiplos espaços, tudo em perfeita comunhão com a natureza e com o mundo que o rodeia.

 

Esta exposição é uma viagem ao percurso artístico de Manuel Cargaleiro, composto por muitas décadas de inesgotável vontade criativa, intensa e sempre rica nas suas propostas e aberta a novos caminhos. “A Essência da Cor” integra um conjunto muito significativo de serigrafias elaboradas entre 1973 e 2010.

 

Desenhador, pintor e ceramista, Manuel Cargaleiro é natural de Vila Velha de Ródão, onde nasceu a 16 de março de 1927. Desde 1950, quando realizou a sua primeira exposição individual de cerâmica, o artista tem apresentado as suas obras em inúmeras mostras em Portugal, França, Suíça, Itália, Bélgica, Alemanha, Espanha, Brasil, Japão, entre muitos outros países.

 

Mestre Manuel Cargaleiro foi agraciado em 1984 com o Grau de Officier des Arts et des Lettres pelo governo francês e em 2017 foi condecorado pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique. A Fundação Manuel Cargaleiro, criada em 1990, gere o Museu Cargaleiro que recebeu todo o espólio do artista e é herdeira e detentora de um significativo património com grande valor artístico, histórico e cultural. 

 

Objetos utilitários criados por vários artesãos em exposição na Casa do Barro em São Pedro do Corval

Objetos utilitários criados por vários artesãos em exposição na Casa do Barro em São Pedro do Corval

703A0059.jpg

 

A Casa do Barro – Centro Interpretativo da Olaria de São Pedro do Corval está a apresentar até 15 de abril a exposição “Práticas Situadas – Utilidades e Perspetivas Artesanais”. Esta mostra promovida pelo The Home Project Design Studio, a plataforma Origem Comum e o Município de Reguengos de Monsaraz pode ser visitada de terça-feira a domingo das 9h30 às 12h e entre as 14h e as 17h30.

 

A exposição tem design e coordenação de Álbio Nascimento e Kathi Stertzig e apresenta várias artes, com destaque para as peças criadas por um oleiro de São Pedro do Corval, Egídio Santos, sobre o qual fizeram um documentário audiovisual, que se junta a outros vídeos de artesãos do sul do país. Ao longo do último ano, a plataforma Origem Comum colaborou com vários artesãos e, em conjunto com esses parceiros, revisitou técnicas, formas e modelos ancestrais.

 

Aplicando e repensando o conhecimento vernacular de um saber-fazer próprio de cada lugar, desta colaboração resultou uma coleção de objetos utilitários simples destinados à vida quotidiana. Na exposição na Casa do Barro são apresentadas propostas concebidas com materiais naturais e desenvolvidas em diferentes territórios do país, lado-a-lado com uma série de curtos filmes que oferecem uma perspetiva única e crítica da visão dos artesãos sobre a sua arte e a sua filosofia de trabalho e de vida.

 

Com a apresentação deste projeto fora dos centros urbanos pretende-se devolver a discussão sobre cultura material do quotidiano aos meios onde continuam a ser criados e produzidos produtos em harmonia com o ambiente e a cultura local. Desta forma, abre-se espaço para a recontextualização, o envolvimento e a crítica do saber-fazer vernacular, mas também para que as práticas artesanais integrem a discussão global de alguns dos temas atuais mais pertinentes: produção sustentável, comércio justo, consumo responsável, respeito pelo clima e pelo bem-estar em comunidade.

 

Festival internacional Reguengos Wine & Blues regressa com a Budda Power Blues e Maria João

 

A quarta edição do festival

BEX-II_Foto'20.jpeg

 

internacional Reguengos Wine & Blues vai acontecer este ano na vila medieval de Monsaraz. Devido à pandemia, o Município de Reguengos de Monsaraz e a produtora Trovas Soltas decidiram organizar amanhã, dia 8 de setembro, apenas um concerto com a banda Budda Power Blues e a diva do Jazz Maria João, pelas 21h30, no Largo D. Nuno Álvares Pereira.

 

Neste espetáculo musical vai ser apresentado o segundo disco que resulta da união da Budda Power Blues com Maria João, intitulado “The Blues Experience II”, uma experiência pelo mundo do Blues com influências de toda a música do mundo. Este segundo disco é, por isso, baseado na experiência dos concertos, construindo canções à volta das improvisações e inspirado na magia criada ao vivo por um coletivo orgânico que se move e cria em tempo real.

 

A mistura do poder cru do trio de Braga e da delicadeza de Maria João é contagiante e com um resultado único. Os concertos são realmente onde este quarteto improvável mais brilha e onde esta química cozinhada em direto e sem rede se revela na sua mais poderosa combinação.

 

Budda assume novamente as músicas e as letras, exceto na canção “Missing You”, da autoria de Nico Guedes, e Maria João empresta a voz a este novo disco que é mais uma experiência no universo do Blues, onde a cantora deixa cair o seu registo icónico para se apoderar das canções e dar vida às letras. O concerto terá entrada grátis e um número limitado de lugares para que sejam cumpridas as determinações da Direção Geral da Saúde, pelo que os bilhetes deverão ser levantados antecipadamente nos postos de turismo de Monsaraz e de Reguengos de Monsaraz.

 

 

Edição especial do Festival Andanças vai decorrer em Campinho, no concelho de Reguengos de Monsaraz

Edição especial do Festival Andanças vai decorrer em Campinho, no concelho de Reguengos de Monsaraz

 

Festival Andanças.jpg

 

 

O Festival Andanças vai realizar a primeira edição em Campinho, no concelho de Reguengos de Monsaraz, nos dias 21 e 22 de agosto. Numa parceria da Associação PédeXumbo com a Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, com o apoio da União de Freguesias de Campo e de Campinho e da Associação Gente Nova de Campinho, esta edição do festival intitula-se “A Caminhar para o Andanças” e vai decorrer num formato e com a programação adaptada ao contexto de pandemia, limitado a 60 participantes.

 

O programa propõe no dia 21 de agosto, às 10h, a visita e passeio “Monsaraz e a Rota Megalítica & Comunidade no Andanças” com Isidro Pinto, do Grupo Caminhantes Monsaraz a Caminhar. O almoço será acompanhado pelo Cante Alentejano no Parque de Eventos de Campinho e às 17h realiza-se o passeio “Herdade do Esporão & Dança e Música no Andanças”.

 

O Parque de Eventos de Campinho recebe também a partir das 21h30 o concerto com os Burricos, um grupo de música tradicional portuguesa baseado nas tradições do planalto Mirandês. A fechar o primeiro dia do festival realiza-se às 23h um passeio noturno no Parque de Merendas de Campinho para observações astronómicas na Reserva Dark Sky Alqueva.

 

No dia 22 de agosto, às 9h30, decorre o passeio “A Caminhar para o Andanças”, com início no Parque de Merendas de Campinho, seguindo-se pelas 10h30 a conversa “Alqueva (EDIA) & Sustentabilidade no Andanças”, na Sociedade Recreativa Campinhense. A partir das 17h realiza-se a visita “Centro Interpretativo da Olaria de S. Pedro do Corval & Voluntariado no Andanças”, em S. Pedro do Corval. O festival vai encerrar com o concerto do espanhol Sérgio Cobos, às 21h30, no Parque de Eventos de Campinho.

 

Os participantes nesta edição especial do Andanças terão de apresentar o certificado de vacinação completa, um teste negativo ao covid-19 ou um autoteste realizado pela responsável do Espaço Saúde do Andanças, que estará localizado no Espaço Cultural de Campinho.

Concurso “Quem Sabe Mais?” nas comemorações do Dia Mundial do Enoturismo em Reguengos de Monsaraz

 

 

Dia Mundial do Enoturismo  (2).jpg

 

Reguengos de Monsaraz, a “Capital dos Vinhos de Portugal”, vai assinalar no dia 10 de novembro o Dia Mundial do Enoturismo. O programa comemorativo organizado pelo Município de Reguengos de Monsaraz integra pelas 15h, na biblioteca municipal, o concurso “Quem Sabe Mais?”.

 

O concurso será disputado por equipas de duas pessoas e terá perguntas sobre Reguengos de Monsaraz, a vinha e o vinho no concelho. A competição terá jogos didáticos em suporte informático, fáceis de utilizar e que permitem abordar vários temas, tal como nos concursos de televisão.

 

A autarquia vai premiar as três equipas melhor classificadas, mas haverá lembranças para todos os participantes. As regras do concurso e alguns jogos para treinar estão disponíveis no site www.quemsabemais.pt.

 

A fechar a comemoração do Dia Mundial do Enoturismo realiza-se às 17h, também na biblioteca municipal, uma prova de vinhos produzidos no concelho. Reguengos de Monsaraz tem 11 produtores de vinho, nomeadamente a CARMIM, Esporão, Ervideira, Casa de Sabicos, Monte dos Perdigões, Adega José de Sousa, Luis Duarte Vinhos, Adega do Calisto, Monte das Serras, Elite Vinhos e São Lourenço do Barrocal.

Município de Reguengos de Monsaraz organiza visita ao “Palácio Assombrado” no Halloween

Visita ao Palácio Assombrado no Halloween (9).jpg

 

O Halloween em Reguengos de Monsaraz vai ter como tema uma visita ao “Palácio Assombrado”. A iniciativa que assinala a noite das bruxas vai decorrer na quinta-feira, dia 31 de outubro, a partir das 21h, no Palácio Rojão, local onde funciona a Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz.

 

A autarquia propõe uma visita histórica em família até ao ano de 1422. Nesse ano, D. Nuno Álvares Pereira decidiu entrar para a vida monástica e doou Monsaraz ao seu neto D. Fernando, Conde de Arraiolos, ficando juridicamente incorporada no património da Casa de Bragança.

 

Os participantes poderão apresentar-se vestidos de acordo com o Halloween e vão ter um percurso assustador no edifício, decorado para a noite das bruxas. As inscrições para esta iniciativa para maiores de seis anos de idade são gratuitas e devem ser efetuadas até ao dia 28 de outubro na biblioteca municipal.

 

O Palácio Rojão foi construído na primeira metade do século XIX para residência urbana da família Papança. Uma obra considerada arrojada para a época, pois, para além da inspiração que foi buscar ao estilo romântico, que na altura ditava a linha de construção dos grandes edifícios, denota também, ao nível da fachada, elementos de conceção mourisca.