Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Projeto de arte urbana em antecipação ao mundial de futebol 2018 | "Conquista o Sonho"

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL
PROJETO DE ARTE URBANA EM ANTECIPAÇÃO AO MUNDIAL DE 2018
"CONQUISTA O SONHO" ABRANGE TODO O PAÍS

Obra de Samina em Portimão.

ÚLTIMAS INTERVENÇÕES:
29 MAIO a 02 JUN - BAIRRO DA JAMAIKA, SEIXAL. 
29 MAIO a 02 JUN - BAIRRO DA LIBERDADE, LISBOA.

A Mistaker Maker, plataforma de intervenção artística, foi chamada pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que neste momento se está a comunicar como as Selecções de Portugal ou somente Portugal, para criar um novo projeto que resulta da fusão entre o mundo do futebol e o da arte urbana portuguesa. Este é um novo posicionamento da FPF para a campanha rumo ao Mundial 2018 e pós mundial. 
 

A FPF tem como principal objectivo com esta colaboração, trabalhar a mentalidade colectiva dos portugueses, fazê-los sentirem-se mais capazes, mais destemidos, mostrar que não existem impossíveis e que ninguém nasce herói. Que com trabalho e dedicação, todos os sonhos se alcançam. 

 

É desta forma que se apresenta o novo claim da FPF: "Conquista o Sonho". 

 

Quebra-se o paradigma do futebol pelo futebol, desenvolvendo e trabalhando a ideia de colectivo, de pertença e superação diária. Tudo motes que não são somente aplicados ao futebol, mas ao nosso dia-a-dia, seja em colectivo ou como indivíduo. "Conquista o sonho" é claramente uma história de superação, de resiliência, em que o sonho sem trabalho é pura ilusão, assumindo-se ainda de que nada é tão nosso quanto os nossos sonhos.

 

Para colocar esta premissa em prática, estamos a envolver um grupo de artistas visuais, que estão na linha da frente no que temos de melhor em Portugal no que a arte urbana se refere, para que durante o período que precede o Mundial, durante o mês de Maio, desenvolva um conjunto de intervenções por diversas cidades do País, do litoral ao interior, de norte a sul, que inspirem as comunidades, num mote de Portugalidade, que somos todos nós. 

 

Neste projeto, o organismo que superintende o futebol nacional conta com o apoio de autarquias de norte a sul do país, e conta a colaboração da colaboração da curadora Lara Seixo Rodrigues, criadora do projeto Lata 65 | Workshop de Arte Urbana para Idosos, dos festivais WOOL | Covilhã Arte Urbana, ESTAU | Estarreja Arte Urbana e MURALIZA | Festival de Arte Mural de Cascais e responsável pela exposição ATTERO de Bordalo II. 

O colectivo de artistas selecionado contempla nomes consagrados e talentos emergentes da arte urbana nacional, com trabalhos elaborados do graffiti ao ‘stencil’, passando por todos os géneros, estéticas e técnicas habitualmente referidas como pós-graffiti com influências contemporâneas de ilustração figurativa.

As peças e murais a desenvolver no âmbito deste projeto são representações únicas e inéditas do movimento “Conquista o Sonho”, sem quaisquer fins lucrativos e com o objetivo único de servir e inspirar os portugueses.

Com intervenções já realizadas na Covilhã, Portimão, Beja e Porto, "Conquista o Sonho" passa também por Aveiro, Paredes de Coura e termina na Grande Lisboa, com intervenções no bairro da Jamaika no Seixal e no Bairro da Liberdade. Estas últimas intervenções acontecem de 29 de maio a 02 de junho.

"Com Arte e com Alma" | Hoje, 21h15, Arrentela (Seixal)

SEXTA CONFERÊNCIA/CONVERSA

10 de abril de 2018 (3ªf), Igreja de Nossa Senhora da Consolação, Arrentela (Seixal), 21h15

 

image001.jpg

 

 

Situada numa pequena colina a ladear a baía do Seixal, a belíssima igreja paroquial de Nossa Senhora da Consolação, em Arrentela, será o tema da 6ª e penúltima sessão do projeto “Com Arte e com Alma. Serões com o nosso Património”, organizado pela Comissão Diocesana de Arte Sacra de Setúbal.

 

Como tem sido habitual, a sessão contará com duas conferências onde serão abordadas a história da igreja e da paróquia e um importante elemento patrimonial deste templo: o seu teto em estuque.

 

O historiador e investigador Rui Manuel Mesquita Mendes apresentará a primeira comunicação da noite, intitulada “Igreja da Arrentela: Algumas notas históricas e patrimoniais”, onde traçará uma resenha histórica da paróquia e da sua igreja paroquial, analisando, igualmente, alguns aspetos em torno do seu património artístico. Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Rui Manuel Mesquita Mendes é investigador do Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (ARTIS), membro do Centro de Documentação das Instituições Religiosas e da Família (CDIRF) e do Centro de Arqueologia de Almada (CAA). Tem-se dedicado com grande rigor ao estudo da história e património da região de Almada e Seixal (entre outros temas), tendo vários trabalhos publicados sobre o assunto.

 

A segunda conferência, intitulada “Estuques em homenagem à Virgem.  João Baptista Picardo e os ‘arrais dos barcos de pesca’ da Arrentela (Seixal)”, será proferida pela historiadora da arte e investigadora Isabel Mayer Godinho Mendonça, que, para além de contextualizar a história da produção de estuque decorativo em Portugal, nomeadamente no século XVIII, apresentará novos dados relacionados com o teto estucado da igreja de Arrentela. Doutorada em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade Porto e com pós-doutoramentos realizados nesta mesma instituição e na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Isabel Mayer Godinho

Mendonça é investigadora do Instituto de História da Arte desta última Universidade. Para além de se dedicar ao estudo de variados temas das artes decorativas portuguesas (e não só), publicou dezenas de artigos e livros de referência em torno da história do estuque decorativo em Portugal.

 

De entrada livre, a sessão terá lugar no dia 10 de abril de 2018 (3ªfeira), pelas 21h15, na igreja de Nossa Senhora da Consolação, em Arrentela (concelho do Seixal).

 

ESTREIA 28ª criação infância - ESTAÇÕES

 

824bf078-b4bb-4415-b425-d097cd515ae3.jpg

 

 

SOBRE
Inspirados nos movimentos de rotação e de translação do nosso planeta, digladiámo-nos com o tempo, as 24 horas que compõem o dia, os 365 dias que compõem o ano, a diferenças que ocorrem durante…em nós, na natureza.
Iniciámos uma viagem que se dá entre estações, duas personagens de paragem em paragem, cuidam e assistem cada mutação, também a música dita o percurso que nos transportará até um presente.
SINOPSE
O Ano perdeu o Dia, sem ajuda a viagem não será possível!
Diana salta para a carruagem e percebe que em cada estação é necessária manutenção.
Na Primavera há que ajudar flores a brotar, no Verão orientar a areia num quente chão, no Outono apanhar folhas que voam e caem, no Inverno espremer nuvens que água nos dão.
Num só dia ver o ano em ação, de estação em estação…

 
FICHA ARTÍSTICA
Encenação e Direcção: Lina Ramos | Interpretação: Cláudia Palma e Sérgio Marcelino |Cenário, Figurinos, Concepção Plástica: Lina Ramos | Serralheiro: José Galego | Costureira: Lina Ramos e Teresa Beirão | Imagem: César Duarte | Composição Musical: Cláudio Gomes Pereira e Sérgio Marcelino, originais e versões de As Quatro Estações de António Vivaldi | Fotografia: Patrícia Ricardo e Paulo Vicente | Produção: Animateatro
 
 
DURAÇÃO: 35 minutos
PÚBLICO-ALVO: 6 meses aos 3 anos 
Classificação IGAC: PARA TODOS
PROJECTO 
Em 2002 nasce o percurso da Animateatro na criação de públicos infantis.
Com vista a anular possíveis dificuldades no usufruto deste recurso cultural, tem sido nosso principal propósito levar o teatro junto da criança.
Em 2009, incitados pelos docentes, enveredámos pelo teatro dirigido a pequenos de mais tenra idade, abrangendo infantes dos 6 meses aos 3 anos suprimindo uma lacuna na oferta cultural que se fazia sentir na altura para esta faixa etária, a primeira infância.
Nunca perdendo a importância da narrativa, a concepção criativa é centrada num universo de estímulos, permitindo ao bebé um desenvolvimento psicomotor mais expressivo na relação com os outros e o meio envolvente.
HISTORIAL CRIAÇÕES INFÂNCIA
2002: “Uma Viagem ao Passado”
2003: “Um Coração de Boneco”
2003: “A menina que lê poemas”
2004: “O Conto da Quinta”
2005: “A Fábula do Gato e da Gaivota”
2006: “Em Busca do Tesouro Perdido”
2007: “Lupis, Jacas e Lupões”
2007: “O Feiticeiro de Oz”
2008: “Pinóquia”
2008: “Natal dos Pequeninos”
2009: “Tom Sawyer”
2009: “Em busca do barulhinho”
2010: “Hansel and Gretel”
2010: “HEIDI”
2010: “O Cocó do Cão?”
2011: “Pedro e os Lobos”
2011: “OS CÃES”
2012: “Vêtoca”
2012: “As Viagens de Gulliver”
2013: “Dragões, Princesas e muitas certezas”
2014: “dona BÔ e senhor NIZ”
2014: “Alice no pais do soldadinho de chumbo”
2015: “A ILHA de Plástico”
2015: “Lago dos Cisnes”
2016: “BALBUCIA”
2016: “JOÃO e o PÉ de FEIJÃO”
2017: “SUPER-HERÓIS”
RESERVAS
BILHETEIRA│abertura 1h antes do início da sessão│5€ (preço único) | 3€ ANIMAMIGOS
Tel.: 212254184
PRODUÇÃO EXECUTIVA | Lina Ramos: 919432556

Alcoolémia ao vivo | 24 de Fevereiro, Auditório Municipal do Seixal - esgotado

ALCOOLÉMIA | 25 Anos de Rock
 
24 de Fevereiro | Auditório Municipal do Seixal, 21h30

view.php.jpg

 

 
"XXV Anos”  marcou o regresso dos Alcoolémia, num disco que celebra duas décadas e meia de pop/rock e estrada do grupo, que nos anos 90 editou o reconhecido tema  “Não Sei Se Mereço” (cuja letra se mantém atual, passados 20 anos). 

Para celebrar os XXV anos o grupo lançou o convite a uma série de amigos que aceitaram revisitar os seus maiores sucessos. Entre as vozes de músicos já consagrados, e novos valores, os Alcoolémia contam com a participação de António Manuel Ribeiro (UHF), Nelson e Sérgio Rosado (Anjos), Carlos Tavares (Grupo de Baile), Nuno Norte, Zeal (Dr. Estranho Amor), Maria João, Vasco Duarte (Ossos do Oficio), Alfredo Costa (Skills and Bunny Crew), Tiago Estrela (Rock em Stock) e Paulo Borges (GNR) que ficou a cargo das teclas.

Dando seguimento à celebração dos XXV anos de Rock, o grupo irá gravar o próximo concerto para edição em CD, no dia 24 de Fevereiro, no Auditório Municipal do Seixal, pelas 21h30. No palco, com os Alcoolémia, estarão António Manuel Ribeiro, Nuno Norte, Carlos Tavares (grupo de Baile), António Côrte-Real (UHF/União das Tribos) e Orlando Cohen (Censurados).

 

Programação FEVEREIRO 2018 no Animateatro

ESPAÇO ANIMATEATRO (Programação GERAL) SábadoS pelas 21H30

 

Dia 17: concerto contado "Histórias Mal Contadas" 

p/ CLÁUDIO PEREIRA (Vila Nova de Milfontes) 

Classificação: M 16 anos

Duração: 70 minutos aprox.

http://www.animateatro.org/contactos/ 

 

fotoHistórias Mal Contadas5 (2).jpg

 

 

CINEMA SÃO VICENTE (Programação INFÂNCIA) Domingos pelas 16H

 

Dia 04: "LITERATURINHA - PINÓQUIO" 

Leitura encenada a partir de As Aventuras de Pinóquio, de Carlo Collodi

Lotação limitada 50 lugares

p/ teatro MOSCA (Sintra) 

Classificação: M 4 anos 

Duração: 40 minutos 

http://www.animateatro.org/contactos/ 

 

fotoLITERATURINHApinóquio.jpg

 

Dias 18 e 25: teatro infância "CAPITÃO MIAU - MIAU" 

p/ teatro ESFERA (Lisboa) 

Classificação: M 3 anos 

Duração: 60 minutos 

http://www.animateatro.org/contactos/ 

 

fotoCAPITÃO MIAU, MIAU.jpg

 

 

 

FORAS de CASA (Animateatro)

 

SUPER-HERÓIS 

· Dia 03 (Sábado) pelas 16H no AMAS (Auditório Municipal António Silva– município SINTRA, acolhimento teatro MOSCA - http://teatromosca.weebly.com/contactos-contacts.html 

 

  • 19 a 23 - itinerância distrito de AVEIRO