Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

"Caminhos de Pan" | Casa da Cultura-Setubal

image002 (1).jpg

 

O Teatro Estúdio Fontenova vai estrear no 21 de Dezembro de 2019, às 22h, na Casa da Cultura, "Caminhos de Pan" a sua última performance de 2019  
a convite da Casa da Cultura.

Sinopse:  5 A.C. aprox., uma família da Nazaré com um bebé foge de Belém para o Egipto. 1212 D.C., milhares de crianças cristãs Europeias tentam cruzar a Europa e África para conquistar a Terra Sagrada aos Muçulmanos. 1939 D.C. milhares de crianças, na sua maioria Judias, são transportadas da Alemanha, Áustria, Checoslováquia, Polónia para países como França, Bélgica ou Reino Unido. 2017 D.C. aprox. um milhão de crianças procuram asilo na União Europeia. Fugir, procurar, cruzar, transportar, refugiar em procura de algo melhor, a sua Terra do Nunca. Nesta performance, com o espírito de Yule, ou Natal, bebemos da(s) história(s) de fuga, a partir de “A Cruzada das Crianças”, de Marcel Schwob.   

Ficha Artística e Técnica:
Criação e Interpretação: Eduardo Dias e Patrícia Paixão | Design e Operação Técnica: Leonardo Silva | Produção: Graziela Dias   

 

Local: Casa da Cultura – Sala José Afonso (1ºpiso)
Reservas: 265 236 168 . casacultura@mun-setubal.pt

Duração aprox:40 min.
Organização: CMS . TEFN

Estrutura Financiada por: República Portuguesa - Direção-Geral das Artes e Município de Setúbal

Concurso “Pegada Ecológica” desafia crianças e jovens de Setúbal

 

A competição, promovida pela ESE/IPS, pretende fomentar a literacia ambiental

 

Que impacto tem o nosso estilo de vida – o que comemos, o que vestimos, como nos movemos – no planeta e em que medida podem as nossas ações ecológicas, individuais ou coletivas, restaurar o equilíbrio da Terra? É esta a grande reflexão proposta pelo concurso “Pegada Ecológica”, que acaba de ser lançado pela Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal (ESE/IPS), dirigindo-se a docentes e alunos do ensino básico do concelho de Setúbal.

 

Com inscrições abertas até ao próximo dia 31 de dezembro, a competição conta com o apoio da Câmara Municipal e da Proteção Civil de Setúbal e assume-se como um instrumento para desenvolver a literacia ambiental junto das crianças e jovens, ao desafiá-los a criar projetos nesta área que traduzam especial empenho e participação ativa face à problemática das alterações climáticas.

 

Tendo como bases orientadoras os conceitos de “ecological footprint” e “ecological handprint”, ou seja, a consciência do impacto negativo da ação do Homem no Ambiente e as respetivas ações positivas que podem ser tomadas para um planeta mais sustentável, os trabalhos participantes devem, por um lado, promover a inovação pedagógica e, por outro, estabelecer objetivos de aprendizagem e conteúdos que se enquadrem no currículo e que possam depois ser partilhados com a respetiva comunidade escolar.

 

Os prémios, entregues em cerimónia a realizar no dia 5 de junho de 2020, por ocasião das comemorações do Dia Mundial do Ambiente, pretendem distinguir o melhor projeto de cada um dos dois escalões considerados, consoante se trate de turmas do 1º ciclo (1º escalão) ou do 2º e 3º ciclos do ensino básico (2º escalão).  

 

Metropolitana e Carlos Fiolhais em concerto/conferência no IPS

Carlos Fiolhais.jpg

 

 

O físico Carlos Fiolhais e o ensemble Percussões da Metropolitana vão estar no Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) na próxima segunda-feira, dia 4 de novembro, para um concerto/conferência sobre a chegada do Homem à lua, no ano em que se celebra meio século do voo espacial Apollo 11. 

 

A iniciativa, com entrada livre, decorre pelas 15h00 no Auditório Nobre do IPS (edifício ESCE/ESS), integrando o ciclo “Música e Ciência”, que está a percorrer várias instituições de ensino superior em todo o País, numa organização do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), em parceria com a Orquestra Metropolitana de Lisboa (AMEC – Metropolitana).  

 

Sob direção musical de Marco Fernandes, as Percussões da Metropolitana apresentam no IPS a mais célebre composição do inglês Gustav Holst (1874-1934), a suite em sete andamentos que se dedica a cada um dos planetas do sistema solar conhecidos à época, além da Terra, e que, por isso, recebe o nome de “Os Planetas”. A transcrição para orquestra de percussão é de Scott Weatherson.

 

Antes, o professor universitário e ensaísta Carlos Fiolhais fará uma introdução à obra, que teve a sua primeira execução pública há precisamente um século e que terá ido buscar inspiração, não à astronomia, como seria de prever, mas à astrologia. O conferencista explicará também por que razão “Os Planetas” continuam a inspirar criadores até aos dias de hoje, do universo do rock até à banda sonora do filme de culto “Star Wars”.

 

 

--

Estreia / R.U.R. (Robots Universais Rossum) e Lançamento do livro

image002.jpg

 

O Teatro Estúdio Fontenova vai estrear no 31 de Outubro de 2019, às 21h30 no Fórum Municipal Luísa Todi em Setúbal, "R.U.R. (Robots Universais Rossum)".

R.U.R. (Robots Universais Rossum) é um aviso, uma visão, mas também uma esperança. Com o mundo prestes a entrar na 4ª revolução industrial a uma velocidade exponencial, a substituição do trabalho em larga escala por robots irá trazer novos desafios a toda a humanidade. R.U.R., apesar de ser um dos textos mais importantes na cultura do séc. XX, tem sido injustamente esquecido. O Teatro Estúdio Fontenova trá-lo à cena de forma profissional, pela primeira vez em Portugal, contribuindo desta forma para que encontre o seu lugar devido no plano literário e dramático contemporâneo.

Da mesma forma, o livro será lançado pela primeira vez em Portugal, pela editora não edições. O lançamento ocorrerá dia 1 de novembro, na Casa da Cultura - Sala José Afonso, pelas 17h00
à conversa com um ilustre painel de convidados; Alexandre Bernardino (Professor do Instituto de Sistemas e Robótica - IST), Manuel Araújo (Arquitecto e crítico de arte) e Tiago Lapa (Professor na Escola de Sociologia e Políticas Públicas - ISCTE-IUL) com moderação de João Santos (Doutorando do Instituto de História Contemporânea - NOVA/FCSH).

Informamos que o espectáculo vai estar, ainda, em cena Fórum Municipal Luísa Todi nos seguintes dias:

Dia 1 de Novembro (sexta-feira) às 21h30
Dia 2 de Novembro  (sábado) às 21h30
Dia 3 de Novembro  (domingo) às 17h


Ficha Artística e Técnica:

Autor: Karel Čapek | Encenação: José Maria Dias | Interpretação: André Moniz, Cirila Bossuet, Eduardo Dias, Fábio Nóbrega Vaz, Graziela Dias, Hugo Moreira, João Jacinto, Patrícia Paixão | Composição Musical do Coro: André Mota | Maestrina Coro: Markéta Chumová | Desenho de Luz: José Maria Dias | Cenografia e Imagem: José Manuel Castanheira | Sonosplatia: Emídio Buchinho | Figurinos: Zé Nova | Design de Comunicação, Fotografia, Vídeo e Operação Técnica: Leonardo Silva | Produção e Apoio à Dramaturgia: Patrícia Paixão | Execução de Figurinos: Gertrudes Félix | Coro:  
Ana Correia, Bruna Correia, Carlos Rocha, Cassandra Silva, Constança Ahumada, Daniela Francisco, Daniela Patrocínio, Diana Lopes, Eva Caracol, Filipe Braz, Inês Monteiro Pires, João Peitaço, Kuka Bragança, Lúcia Mosca, Mafalda Santos, Marta Sofia, Nadine Maneta, Paula De Melo Cruz, Pedro Rocha, Raquel Conde, Sofia Silva

Estrutura Financiada por: República Portuguesa - Direção-Geral das Artes e Município de Setúbal

68ª Produção do Teatro Estúdio Fontenova
Duração aprox: 120 min.
Classificação: m/ 12

Estreia / R.U.R. (Robots Universais Rossum)

image002.jpg

 

O Teatro Estúdio Fontenova vai estrear no 31 de Outubro de 2019, às 21h30 no Fórum Municipal Luísa Todi em Setúbal, "R.U.R. (Robots Universais Rossum)".

R.U.R. (Robots Universais Rossum) é um aviso, uma visão, mas também uma esperança. Com o mundo prestes a entrar na 4ª revolução industrial a uma velocidade exponencial, a substituição do trabalho em larga escala por robots irá trazer novos desafios a toda a humanidade. R.U.R., apesar de ser um dos textos mais importantes na cultura do séc. XX, tem sido injustamente esquecido. O Teatro Estúdio Fontenova trá-lo à cena de forma profissional, pela primeira vez em Portugal, contribuindo desta forma para que encontre o seu lugar devido no plano literário e dramático contemporâneo.

Da mesma forma, o livro será lançado pela primeira vez em Portugal, pela editora não edições. O lançamento ocorrerá dia 1 de novembro, na Casa da Cultura - Sala José Afonso, pelas 17h00.

Informamos que o espectáculo vai estar, ainda, em cena Fórum Municipal Luísa Todi nos seguintes dias:

Dia 1 de Novembro (sexta-feira) às 21h30
Dia 2 de Novembro  (sábado) às 21h30
Dia 3 de Novembro  (domingo) às 17h


Ficha Artística e Técnica:

Autor: Karel Čapek | Encenação: José Maria Dias | Interpretação: André Moniz, Cirila Bossuet, Eduardo Dias, Fábio Nóbrega Vaz, Graziela Dias, Hugo Moreira, João Jacinto, Patrícia Paixão | Composição Musical do Coro: André Mota | Maestrina Coro: Markéta Chumová | Desenho de Luz: José Maria Dias | Cenografia e Imagem: José Manuel Castanheira | Sonosplatia: Emídio Buchinho | Figurinos: Zé Nova | Design de Comunicação, Fotografia, Vídeo e Operação Técnica: Leonardo Silva | Produção e Apoio à Dramaturgia: Patrícia Paixão | Execução de Figurinos: Gertrudes Félix | Coro:  
Ana Correia, Bruna Correia, Carlos Rocha, Cassandra Silva, Constança Ahumada, Daniela Francisco, Daniela Patrocínio, Diana Lopes, Eva Caracol, Filipe Braz, Inês Monteiro Pires, João Peitaço, Kuka Bragança, Lúcia Mosca, Mafalda Santos, Marta Sofia, Nadine Maneta, Paula De Melo Cruz, Pedro Rocha, Raquel Conde, Sofia Silva

Estrutura Financiada por: República Portuguesa - Direção-Geral das Artes e Município de Setúbal

68ª Produção do Teatro Estúdio Fontenova
Duração aprox: 120 min.
Classificação: m/ 12

Estreia / R.U.R. (Robots Universais Rossum)

 

O Teatro Estúdio Fontenova vai estrear no 31 de Outubro de 2019, às 21h30 no Fórum Municipal Luísa Todi em Setúbal, "R.U.R. (Robots Universais Rossum)".

R.U.R. (Robots Universais Rossum) é um aviso, uma visão, mas também uma esperança. Com o mundo prestes a entrar na 4ª revolução industrial a uma velocidade exponencial, a substituição do trabalho em larga escala por robots irá trazer novos desafios a toda a humanidade. R.U.R., apesar de ser um dos textos mais importantes na cultura do séc. XX, tem sido injustamente esquecido. O Teatro Estúdio Fontenova trá-lo à cena de forma profissional, pela primeira vez em Portugal, contribuindo desta forma para que encontre o seu lugar devido no plano literário e dramático contemporâneo.

Da mesma forma, o livro será lançado pela primeira vez em Portugal, pela editora não edições. O lançamento ocorrerá dia 1 de novembro, na Casa da Cultura - Sala José Afonso, pelas 17h00.

Informamos que o espectáculo vai estar, ainda, em cena Fórum Municipal Luísa Todi nos seguintes dias:

Dia 1 de Novembro (sexta-feira) às 21h30
Dia 2 de Novembro  (sábado) às 21h30
Dia 3 de Novembro  (domingo) às 17h


Ficha Artística e Técnica:

Autor: Karel Čapek | Encenação: José Maria Dias | Interpretação: André Moniz, Cirila Bossuet, Eduardo Dias, Fábio Nóbrega Vaz, Graziela Dias, Hugo Moreira, João Jacinto, Patrícia Paixão | Composição Musical do Coro: André Mota | Maestrina Coro: Markéta Chumová | Desenho de Luz: José Maria Dias | Cenografia e Imagem: José Manuel Castanheira | Sonosplatia: Emídio Buchinho | Figurinos: Zé Nova | Design de Comunicação, Fotografia, Vídeo e Operação Técnica: Leonardo Silva | Produção e Apoio à Dramaturgia: Patrícia Paixão | Execução de Figurinos: Gertrudes Félix | Coro:  Ana Correia, Bruna Correia, Carlos Rocha, Cassandra Silva, Constança Ahumada, Daniela Francisco, Daniela Patrocínio, Diana Lopes, Eva Caracol, Filipe Braz, Inês Monteiro Pires, João Peitaço, Kuka Bragança, Lúcia Mosca, Mafalda Santos, Marta Sofia, Nadine Maneta, Paula De Melo Cruz, Pedro Rocha, Raquel Conde, Sofia Silva

Estrutura Financiada por: República Portuguesa - Direção-Geral das Artes e Município de Setúbal

68ª Produção do Teatro Estúdio Fontenova
Duração aprox: 120 min.
Classificação: m/ 12

Reservas aqui
Bilhetes aqui

 

Outubro no Teatro Estúdio Fonte Nova

Circulação “Voz dos Pássaros” | Teatro - Cine Teatro de Torres Vedras

image001.png

 

Uma viagem poética e de descoberta, de inspiração sufi, que metaforicamente, através dos pássaros, representa as falhas e as realizações humanas.

Espectáculo poético e com uma beleza estética onde a performance dos atores, numa simbiose entre a plástica corporal, a luz, o ambiente sonoro, a palavra e a cenografia, nos transporta com simplicidade para uma viagem pelos “vales” dos sentimentos e das emoções, na incessante procura do nosso Simorgh.

Encenação: José Maria Dias | Interpretação: Eduardo Dias, Rafaela Bidarra e Rui Rosado (Músico) | Texto: A partir de Farid Ud-Din Attar | Tradução: Eduardo Dias e Patrícia Paixão | Apoio Dramatúrgico: Luísa Monteiro | Apoio à Criação em Residência Artística: UMCOLETIVO | Cenografia: Ricardo Guerreiro Campos | Figurinos: Zé Nova | Execução de figurinos: Gertrudes Félix e Zé Nova | Desenho de Imagem: Ricardo Guerreiro Campos | Design Gráfico de Imagem: João P. Nunes | Sonoplastia: Emídio Buchinho | Produção
Executiva
: Graziela Dias e Patrícia Paixão | Vídeo: Ivã Crispim | Fotografia: Ivã Crispim e Leonardo Silva | Uma co-produção Festival Internacional de Teatro de Setúbal – XIX Festa do Teatro

63ª Produção do Teatro Estúdio Fontenova

Duração aprox: 60 minutos – sem intervalo
Classificação: M/ 12

Estrutura Financiada por: República Portuguesa – Direção - Geral das Artes e Município de Setúbal

 

Estreia “RUR” a 31 de Outubro no Fórum Municipal Luísa Todi

image002.png

 

R.U.R. - Robots Universais Rossum

A celebrar 100 anos da sua publicação, nunca um texto se mostrou tão actual. R.U.R. (Robots Universais Rossum) é um aviso, uma visão, mas também uma
esperança. Com o mundo prestes a entrar na 4ª revolução industrial a uma velocidade exponencial, a substituição do trabalho em larga escala por robots irá trazer novos desafios a toda a humanidade.

R.U.R., apesar de ser um dos textos mais importantes na cultura do séc. XX, tem sido injustamente esquecido. O Teatro Estúdio Fontenova trá-lo à cena de
forma profissional, pela primeira vez em Portugal, contribuindo desta forma para que encontre o seu lugar devido no plano literário e dramático contemporâneo.

Ficha Artística e Técnica:
Autor: Karel Čapek | Encenação: José Maria Dias | Interpretação: André Moniz, Cirila Bossuet, Eduardo Dias, Fábio Nóbrega Vaz, Graziela Dias, Hugo Moreira, João Jacinto, Patrícia Pereira Paixão | Composição Musical do Coro: André Mota | Maestrina Coro: Marketa Chumová | Desenho de Luz: José Maria Dias | Cenografia e Imagem: José Manuel Castanheira | Sonosplatia: Emídio Buchinho | Figurinos: Zé Nova | Design de Comunicação, Fotografia, Vídeo e Operação Técnica: Leonardo Silva | Produção e Apoio à Dramaturgia: Patrícia Paixão | Execução de Figurinos: Gertrudes Félix

Estrutura Financiada por: República Portuguesa - Direção-Geral das Artes e Município de Setúbal

68ª Produção do Teatro Estúdio Fontenova
Duração aprox: 120 min.
Classificação: M/ 12

Reservas aqui

Bilhetes aqui

 

Percursos em Rede para a Inclusão Ativa: “Visita com memórias” à cidade de Setúbal

Casa_Baía.jpg.png

 

 

“Visita com memórias - Território Arrábida” é o título da viagem à exposição “O Calafate” e ao centro histórico de Setúbal, que se realiza a 20 de setembro, pelas 9h30.

 

Nesta atividade vai ser possível conhecer o Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, passear pelo típico Bairro do Troino e visitar a Casa da Baía, em Setúbal.

Esta é uma iniciativa destinada à população do concelho de Palmela com mais de 55 anos, que integra a operação Percursos em Rede para a Inclusão Ativa IDADE +.

 

A participação é gratuita, mediante inscrição prévia.

 

Recorde-se que os concelhos de Palmela, Sesimbra e Setúbal, que partilham a gestão da Arrábida, estão, desde de 29 de maio deste ano, unidos por uma marca comum, destinada a promover um conjunto alargado de projetos com forte impacto no desenvolvimento social, económico e ambiental da região.

 

“Território Arrábida – Património Partilhado” é a marca que unifica a política de implementação dos projetos intermunicipais, com áreas de atuação que vão da mobilidade urbana à inclusão social, passando pelo desenvolvimento do turismo sustentável.

 

Esta marca surge como um catalisador lógico da Declaração de Compromisso, documento firmado em 2017 para a concretização destes projetos e respetivas ações, candidatados a apoios comunitários e que, entretanto, já estão concluídos ou se encontram a decorrer.

 

Organização: Câmara Municipal de Palmela, com a parceria do Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal e da Associação de Municípios do Distrito de Setúbal

 

Informações e inscrições: 21 233 66 06

 

TEATRO DOS ALOÉS

 
 
TRISTEZAS E ALEGRIAS

1 de setembro - Fórum Luisa Todi (Setúbal) - 21h - XXI Festa Internacional do Teatro

19, 20 e 21 de setembro - Recreios da Amadora - 21h30
 
Sinopse: Duas mulheres encontram-se numa velha casa de uma pequena aldeia do Karoo depois do funeral de David, o homem que ambas amaram. Uma é a sua esposa. A outra é mãe da sua filha. David, que fora levado ao exílio por causa do seu activismo político contra o apartheid, reaparece nas memórias das mulheres como que registadas a ferro. Durante uma tarde de verdade e reconciliação, os pactos de amor são dolorosamente marcados. O novo confronta-se com o velho e o que é a esperança para estas pessoas é a esperança para uma nova África do Sul. Feita de monólogos, memórias e desabafos que saltam do presente para o passado e que por vezes são só reflexões, produzem um teatro de uma convenção menos comum entre nós e que nos tocou profundamente e constitui um desafio para a cena e uma dádiva útil e emocionada para a sala.
 
Ficha Artística e Técnica:
 
Texto: Athol Fugard | Tradução: Mick Greer e Graça Margarido | Encenação. José Peixoto | Interpretação: Ana Valentim; Elsa Valentim, Jorge Silva e Laurinda Chiungue | Cenografia: José Manuel Castanheira |  Figurinos: Maria Luiz | Música: Miguel Tapadas | Desenho de Luz: Tasso Adamopoulos | Fotografia: José Frade | Produção Executiva: Vanessa Pereira | Produção: Teatro dos Aloés | M/12
 
 
 

ed127772-d39a-458a-abe3-825c896b97a2.jpg

 

LOVERS - VENCEDORES

28 de setembro - Auditório Municipal António Chainho (Santiago do Cacém) - 21h30
 
Sinopse: Lovers , a peça que Brian Friel escreveu em 1967 é composta por dois textos: Winners e Losers (Vencedores e Vencidos).
A peça que nos propusemos fazer para o início de 2019, Vencedores, situa-se na Irlanda, 1966, num período de profundas alterações sociais e políticas. A Igreja Católica controla poderosamente todos os aspetos da vida irlandesa, em particular nas comunidades rurais. O divórcio, o aborto, a contracepção bem como o sexo antes do casamento são mal vistos. Meg estuda num colégio de freiras, Joe estuda num colégio dirigido por padres. Meg está grávida, tem 17 anos. Joe tem 17 anos e meio. Querem casar-se. Têm sonhos e esperanças, estão apaixonados. São os vencedores, cheios de promessas e esperança.
 
Ficha Artística e Técnica:
 
Texto: Brian Friel | Tradução: Mick Greer e Graça Margarido | Encenação: Jorge Silva | Interpretação: Elsa Valentim, Carlos Malvarez, Jorge Silva e Raquel Oliveira | Cenografia: Rui Francisco | Figurinos: Maria Luiz | Desenho de luz: Tasso Adamopoulos |  Música: Rui Rebelo | Fotografia: Ricardo Vaz | Design Gráfico: Beatriz Freitas - MGAgentia | Produção Executiva: Vanessa Pereira | Produção: Teatro dos Aloés | M/12
 
 

141be86d-6451-4f21-a0fc-42940288c5da.jpg

 

 
BREVEMENTE
7 a 30 Outubro - Curso de Iniciação ao Trabalho do Actor | Formador: José Peixoto