Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

FESTIVAL IMAGINÁRIO - 1º Festival de Artes para Famílias em Sintra

56760717_10156521909741715_326114109416275968_o.jp

 

Este ano a Byfurcação - Associação Cultural realiza o 1º festival de artes para famílias em Sintra - o Festival Imaginário

 

Este evento sem fins lucrativos, é realizado com o apoio da Câmara Municipal de Sintra, da Fundação Cultursintra e dos Parques Monte da Lua, tem como objetivos principais a promoção das artes para famílias, privilegiando o contacto com a Natureza. 

 

Com uma programação cultural que inclui teatro, música, circo, cinema, jogos tradicionais, artes plásticas e fotografia especificamente pensada para famílias, com oferta que vai desde os bebés aos adultos, o festival acontece nos dias 31 de Maio, 1 e 2 de Junho num local histórico e de grande beleza natural - a Quinta da Ribafria, em Sintra- e o festival pretende ainda destacar o património edificado e natural do concelho de Sintra, enquanto local único para desfrutar em família. 

 

No dia 31 de Maio o Festival propõe-se a receber grupos organizados de escolas e seniores, criando desta forma um momento único de convívio entre gerações

 

A abertura do festival ao público em geral no dia 31 de Maio pelas 22h, será memorável e aberta a todos com entrada gratuita, com o espetáculo LÚMEN, Uma História de Amor da companhia S.A. Marionetas (Alcobaça), que consiste num cortejo com marionetas gigantes iluminadas (manipuladas por voluntários) pela volta do Duche, seguida de espetáculo de teatro, luz, videomapping e música no largo do Palácio Nacional da Vila

Viagem pelo Mediterrâneo encerra ciclo "Reencontros" no Palácio de Sintra | 25 maio

image002.png

 

O último concerto de “Reencontros” é dedicado às músicas e danças tradicionais do sul de Itália, enquanto exemplos da fusão das inúmeras civilizações que ali confluíram ao longo de milénios. A protagonizá-lo estará Marco Beasley, tenor especialista nestes repertórios, e a bailarina Lieselotte Volckaert. Conclui-se assim a quinta edição do ciclo “Reencontros” no mais antigo paço real do país.

 

 

Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” despede-se no dia 25 de maio, às 21h30, com um concerto que nos leva até às costas do sul de Itália e à rica e variada cultura musical dessa região, resultado dos muitos povos que ali se foram fixando e miscigenando ao longo dos tempos. Somos assim transportados aos territórios do antigo reino de Nápoles no século XVI e iremos testemunhar como, longe de ficarem confinadas na província, estas músicas, danças e cantares chegaram à capital do reino – Nápoles – e inclusive alcançaram os meios mais cultos da aristocracia e da corte. Gerou-se assim um movimento de mútua influência entre repertórios tradicionais e músicas cultas, que mais contribuiu para a “marca” única da identidade musical da Itália meridional.

 

O programa “De Apúlia a Nápoles – temas tradicionais do séc. XVI” é protagonizado pelo tenor italiano Marco Beasley, a dirigir um ensemble de cordas dedilhadas (alaúde, arquialaúde, guitarra barroca e colascione) e tambores. Para além de canções tradicionais da Apúlia e da região de Nápoles, neste concerto haverá ainda espaço para temas originais dos músicos que compõem o agrupamento.

 

Neste espetáculo, seguimos ainda os movimentos coreografados de Lieselotte Volckaert, uma mulher da Europa do Norte (é belga) que, dançando, nos narra a paixão do Sul. A dançarina irá cruzar movimentos contemporâneos com outros ancestrais e típicos do sul de Itália.

 

O ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Reencontros” dão continuidade à 5.ª Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que iniciou em março com os “Serões Musicais no Palácio da Pena”, e termina com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, em outubro e novembro.

 

 

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 15€

Preço de Bilhete Ciclo (4 concertos): 51€

Capacidade da Sala dos Cisnes: 160 lugares

 

Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em e em www.blueticket.pt

M/6

"Reencontros" apresentam concerto que recria o estilo do "recitar cantando" | Palácio de Sintra | 18 maio

O terceiro concerto do ciclo “Reencontros”, no dia 18 de maio, traz ao Palácio de Sintra o Ensemble Arte Musica e um estilo musical que marca a transição entre a Renascença e o Barroco: o chamado ‘recitar cantando’, que será decisivo para o surgimento do género operático. Neste concerto, esse estilo será ilustrado com obras de Monteverdi e Sigismondo d’India.

Reencontros”, ao longo do mês de maio no Palácio de Sintra, prossegue com um concerto do prestigiado Ensemble Arte Musica, fundado em 1996 e desde então dirigido por Francesco Cera. No dia 18 de maio, às 21h30, com o programa “Claudio Monteverdi & Sigismondo d’India”, eles apresentam uma seleção de obras desses dois autores, ilustrativas do novo estilo vocal nascido no final do século XVI e que ficou conhecido por ‘stile rappresentativo’ ou estilo do ‘recitar cantando’.

 

Este estilo nasceu por oposição ao ‘stile polifonico’, consagrado pelos madrigais que dominaram a música profana ao longo de todo o século XVI. Contrariamente a este, defendia-se agora a primazia da palavra e da sua inteligibilidade, a par da importância de fazer passar para o ouvinte as emoções contidas no texto poético. Favoreceu-se por isso o estilo da ‘monodia acompanhada’. Este género musical surgiu em Florença e em Roma nos anos finais do século XVI, a partir da vontade de recriar o que seria o modo de representar as tragédias gregas da Antiguidade, tentando igualar assim o poder emocional que estas detinham. Esteve desde o início ligado aos ambientes da alta aristocracia, o que também explica o recurso a textos dos maiores poetas italianos do tempo. O principal objetivo de um compositor era expressar o sentido mais profundo dos textos que musicava, através de uma voz a solo (ou duas vozes), acompanhada por poucos instrumentos provendo suporte harmónico (o que dará origem ao baixo contínuo barroco).

image003.jpg

 

O ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Reencontros” dão continuidade à 5.ª Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que iniciou em março com os “Serões Musicais no Palácio da Pena”, e termina com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, em outubro e novembro.

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 15€

Preço de Bilhete Ciclo (4 concertos): 51€

Capacidade da Sala dos Cisnes: 160 lugares

 

Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6

 

 

 

Novas criações teatromosca

45ca925f-ce2e-46b2-ab27-5f5873da2a96.jpg

 

MODOS DE VER: Parque dos Poetas
17 mai > 16h
audiowalk concebido especificamente para este espaço em Oeiras
um novo projeto do teatromosca
em parceria com a Câmara Municipal de Oeiras
2019 - 2021
 

O Município de Oeiras e o teatromosca juntam-se para a criação de um conjunto de novos audiowalks no âmbito do projeto MODOS DE VER, que consiste de visitas realizadas em grupo e/ou individualmente a diferentes espaços do Parque dos Poetas, em Oeiras, guiadas por uma banda sonora original concebida pela equipa do teatromosca, especificamente, para este espaço, com base nas obras e nas biografias dos poetas aí representados, adaptado às caraterísticas únicas deste parque urbano, aliando literatura e arquitetura, música e teatro, contemplação e ação. Trata-se, efetivamente, de uma forma inovadora e invulgar de explorar os caminhos secretos deste lugar, em que cada espetador-caminhante assume o papel de um flâneur contemporâneo, (re)descobrindo este magnífico lugar, os poetas e as suas obras, caminhando por entre as memórias, as palavras e as esculturas, em performances interativas, que, a partir de abordagens lúdicas, procuram criar experiências imersivas únicas. Entre 2019 e 2021, serão criados seis diferentes audiowalks, com conteúdos distintos, para diferentes públicos (dos jovens do 3º ciclo e secundário, aos alunos do ensino superior e público-geral).

No dia 17 de maio, o projeto será lançado publicamente, no Parque dos Poetas, em Oeiras, com a presença do Presidente do Município de Oeiras, Isaltino Morais, e com a dinamização de um primeiro audiowalk.


ENTRADA LIVRE
LOTAÇÃO MUITO LIMITADA

Ciclo "Reencontros" celebra a (boa) vida na corte francesa do séc. XVI | 11 maio | Palácio de Sintra

“REENCONTROS” CELEBRAM A (BOA) VIDA

NA CORTE FRANCESA DO SÉC. XVI 

 

O histórico Ensemble Clément Janequin protagoniza a segunda proposta dos “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra”, no dia 11 de maio, num programa preenchido com canções renascentistas ricamente descritivas e evocativas e que fundem de modo único os universos popular e erudito.

 

 

O ciclo “Reencontros” prossegue com um concerto no sábado, 11 de maio, às 21h30, na Sala dos Cisnes do Palácio Nacional de Sintra. Será uma noite dedicada à canção francesa do séc. XVI, protagonizada pelo Ensemble Clément Janequin, dirigido pelo contratenor Dominique Visse.

 

No séc. XVI, as canções polifónicas de teor profano estavam muito associadas à mesa, acompanhando banquetes e refeições, num ambiente restrito. Na verdade, constituíam um divertimento, um entre vários outros prazeres que confluíam no ato de comer em conjunto. É esta atmosfera que o programa “Clément Janequin e seus contemporâneos - polifonia do séc. XVI” pretende recriar no segundo concerto de “Reencontros”.

 

Clément Janequin (1485-1558) foi compositor, poeta e excelente contador de histórias. Dotado de um humor, ora fino, ora truculento, era uma personagem pitoresca na sociedade francesa do séc. XVI e as suas canções traduzem bem aqueles “jogos” cortesãos adornados com iguarias, vinho e muita sedução. O programa que ouviremos no próximo sábado recupera essa celebração da (boa) vida, num registo pleno de humor e que viajará com desenvoltura entre o refinamento e o indecoroso, contrastes, afinal, tão ao gosto das cortes renascentistas.

 

O ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Reencontros” dão continuidade à 5.ª Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que iniciou em março com os “Serões Musicais no Palácio da Pena”, e termina com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, em outubro e novembro.

 

 

image002.png

 

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 15€

Preço de Bilhete Ciclo (4 concertos): 51€

Capacidade da Sala dos Cisnes: 160 lugares

 

Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6

Ciclo "Reencontros" traz o esplendor veneziano até Sintra | 4 maio

image004.jpg

 

O Ensemble La Fenice inaugura a 5.ª edição dos “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra”, com um concerto no sábado, dia 4 de maio, que transportará o público até à cidade de Veneza. No mais antigo paço real do país serão recriadas a solenidade e a magnificência das cerimónias de coroação dos doges no séc. XVI.

 

 

A quinta edição do ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra”, com direção artística de Massimo Mazzeo, tem início no dia 4 de maio, às 21h30, com um concerto dedicado à música veneziana do séc. XVI. Em estreia neste ciclo, o Ensemble La Fenice, com direção do cornetista Jean Tubéry, propõe-se recriar a cerimónia de coroação dos doges e transmitir o ambiente festivo que esse importante ritual cívico e ato público imprimia à cidade lagunar.

 

O programa “Giovanni e Andrea Gabrieli – Música Veneziana do séc. XVI”, preenchido com obras de Giovanni (1557?-1612) e Andrea Gabrieli (1532/33-1585), foi especialmente concebido para a Sala dos Cisnes do Palácio Nacional de Sintra, o que implicou uma disposição da plateia diferente da habitual, permitindo que o público vivencie ainda mais de perto o espetáculo.

 

Na primeira parte deste concerto, evoca-se a cerimónia que tinha lugar na Basílica de São Marcos, com música sacra de caráter cerimonial. Depois da cerimónia, tinha lugar um cortejo pela Praça de São Marcos, após o que o ritual passava para o Palácio Ducal, primeiro ao ar livre, no pátio interior, onde acontecia a coroação propriamente dita – ato também ele público –, e depois na Sala do Senado, em cerimónia de cariz mais privado. É esta etapa da cerimónia que será recuperada na segunda parte do concerto, com música própria de ambientes cortesãos, vocal ou de dança.

 

O ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Reencontros” dão continuidade à 5.ª Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que iniciou em março com os “Serões Musicais no Palácio da Pena”, e termina com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, em outubro e novembro.

 

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 15€

Preço de Bilhete Ciclo (4 concertos): 51€

Capacidade da Sala dos Cisnes: 160 lugares

 

Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6

Música medieval e renascentista de regresso ao Palácio Nacional de Sintra | Ciclo "Reencontros" | 4 a 25 maio

image004.jpg

 

O ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra”, segunda parte da Temporada de Música da Parques de Sintra, decorrerá este ano nos sábados do mês de maio, entre os dias 4 e 25, sempre às 21h30.  No Palácio da Vila irão atuar agrupamentos de renome que farão redespertar as músicas da Idade Média e do Renascimento que se ouviam no Palácio da Vila, quando este era residência real de verão.

 

Os “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra”, com direção artística de Massimo Mazzeo, regressam a este Palácio Nacional, de 4 a 25 de maio, com alguns dos mais conceituados intérpretes e agrupamentos internacionais especializados nos repertórios medieval e renascentista. O Palácio Nacional de Sintra recebe em estreia, neste ciclo, concertos dos históricos Ensemble La Fenice (criado em 1990) e Ensemble Clément Janequin, fundado em 1978. A quinta edição dos “Reencontros” conta ainda com a participação do Ensemble Arte Musica e de um agrupamento encabeçado pelo consagrado tenor de música antiga italiano Marco Beasley.

 

O ciclo “Reencontros” tem início no dia 4 de maio, com um programa dedicado à música veneziana, que recria a cerimónia de coroação dos doges, conduzido pelo Ensemble La Fenice, com direção de Jean Tubéry. Neste concerto, ouviremos obras de Giovanni (1557?-1612) e Andrea Gabrieli (1532/33-1585), que pontuavam estas celebrações, num programa especialmente concebido para a Sala dos Cisnes do Palácio de Sintra e que decerto transportará o público para os magníficos espaços da Basílica de São Marcos e do Paço Ducal de Veneza.

 

O segundo concerto, no dia 11 de maio, recupera a canção francesa do século XVI. Dirigido por Dominique Visse, o Ensemble Clément Janequin apresentará um programa repleto de humor e colocado sob o signo do epicurismo, com o elogio dos prazeres, do amor, do vinho, em resumo, uma celebração da (boa) vida.

 

No sábado, 18 de maio, chega de Itália o Ensemble Arte Musica, com um programa que apresenta obras de dois notáveis compositores da época conhecida por Maneirismo: Sigismondo d’India e Claudio Monteverdi. Os Arte Musica propõem-se ilustrar a transição do estilo “antigo” (polifónico) para o estilo “moderno” do canto acompanhado e da nova técnica do “recitar cantando”, de certa forma precursora da ópera.

 

Os “Reencontros” chegam ao fim no dia 25 de maio, com o tenor Marco Beasley a dirigir um ensemble multinacional num programa que celebra a civilização mediterrânea através das formas musicais de dança típicas do sul de Itália durante o século XVI. Neste concerto, abordam-se os processos de “mestiçagem” musical típicos desta região, quer pela confluência de diferentes povos que nela se fixaram, quer pela retroação que ali se verificou entre as músicas de extração popular e as músicas que se ouviam na corte napolitana.

 

O ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Reencontros” dão continuidade à 5.ª Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que iniciou em março com os “Serões Musicais no Palácio da Pena”, e termina com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, em outubro e novembro.

 

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 15€

Preço de Bilhete Ciclo (4 concertos): 51€

Capacidade da Sala dos Cisnes: 160 lugares

 

Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6

Teatro TapaFuros estreia HELENA, de Eurípides, dia 5, em Odrinhas

Cartaz Helena TapaFuros.jpg

A mais recente produção do Teatro TapaFuros, “Helena”, de Eurípides, estreia esta sexta, dia 5, pelas 21h30, e estará em cena até dia 27 de Abril, às sextas e sábados, na Basílica Romana do Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas. 
 
Escrita com base na premissa de que Helena, esposa de Menelau, nunca tenha ido para Tróia, esta peça narra o reencontro entre ambos no Egipto, onde vivia a mais bela do mundo, logo após o final da Guerra de Tróia. Nesse caso quem foi a mítica Helena de Tróia? Apenas um espectro da original?

Soprano Elisabete Matos no encerramento dos "Serões Musicais no Palácio da Pena" | 29 e 30 de março

image004.jpg

 

 

O último fim de semana dos “Serões Musicais no Palácio da Pena” tem como pano de fundo os 150 anos da morte de Hector Berlioz. Nos dias 29 e 30 de março, o soprano Elisabete Matos e o pianista Cristóvão Luiz apresentam um recital que recorda a obra da primeira grande figura do Romantismo musical francês, mas que também visita canções de Toldrà e Rossini e ‘Lieder’ de Strauss.

 

 

A edição de 2019 dos Serões Musicais no Palácio da Pena despede-se no último fim de semana de março, com um duplo recital de canto que marca também a estreia do soprano Elisabete Matos nos ‘Serões Musicais’. A notável cantora lírica portuguesa apresenta o programa ‘Nos 150 anos da morte de Berlioz’ no Salão Nobre do Palácio, nos dias 29 e 30 de março, às 21h00, acompanhada ao piano por Cristóvão Luiz.

 

Com uma carreira internacional de três décadas, Elisabete Matos já cantou em muitos dos principais palcos líricos mundiais. Entre a quase meia centena de papéis que interpretou, contam-se as mais famosas heroínas das óperas de Verdi, Wagner e Puccini. Em Portugal, tem-se apresentado com regularidade no Teatro Nacional de São Carlos ao longo da última década.

 

Em reconhecimento da sua brilhante carreira, Elisabete Matos foi condecorada com a Ordem do Infante D. Henrique (1999: grau de Oficial; 2013: grau de Grande Oficial) e recebeu em 2015 a Medalha de Mérito Cultural.

 

Já Cristóvão Luiz é maestro-titular do Coro do Círculo Portuense de Ópera e músico convidado da Orquestra Sinfónica do Porto e do Coro Casa da Música.

 

O último programa dos Serões Musicais revela textos e ambientes que não poderiam ser mais diferentes entre si e que permitirão admirar a versatilidade interpretativa de Elisabete Matos. De Eduard Toldrà (1895-1962), ouviremos “Seis Canciones Castellanas”, nas quais se nota a influência da canção popular e das músicas e ritmos tradicionais espanhóis. 

 

Segue-se uma das criações cimeiras do compositor francês Hector Berlioz, do qual se assinalam em 2019 os 150 anos da morte: o ciclo ‘Les nuits d’été’, sobre textos do grande poeta romântico Théophile Gautier. 

 

Um tom mais ligeiro será dado por “La Regata Veneziana”, de Gioacchino Rossini (1792-1868), um tríptico de ‘canzonette’ destinado a ser ouvido nas ‘soirées’ que o compositor italiano organizava na sua residência parisiense.

 

O programa completa-se com cinco ‘Lieder’ de Richard Strauss (1864-1949), entre os quais figuram os universalmente famosos ‘Zueignung’ e ‘Cäcilie’.

 

O ciclo Serões Musicais no Palácio da Pena é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Serões Musicais” iniciam a Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que prossegue em maio com os “Reencontros – Memórias musicais no Palácio de Sintra” e termina com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, em outubro e novembro.

 

 

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 15€

Preço de Bilhete Ciclo (7 concertos, nas datas: 1, 2, 8, 9, 15, 22 e 29/03): 89€

Capacidade do Salão Nobre: 80 lugares

Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6

 

Duas noites com canções de Schumann | Palácio da Pena | 22 e 23 de março

O quarto fim de semana dos “Serões Musicais no Palácio da Pena” é inteiramente dedicado ao compositor Robert Schumann (1810-1856). Nos dias 22 e 23 de março, no Salão Nobre do Palácio, o jovem e premiado barítono André Baleiro e o pianista David Santos apresentam um programa de ‘Lied’, a canção de câmara alemã.

image004.jpg

 

O penúltimo fim de semana de Serões Musicais no Palácio da Pena propõe um programa integralmente dedicado ao ‘Lied’, isto é, a canção para voz solo e piano sobre poema em língua alemã. O repertório a apresentar nos dias 22 e 23 de março, às 21h00, dará a conhecer três coleções de ‘Lieder’ de Schumann que não se contam entre as mais universalmente famosas de sua autoria, mas que vale a pena descobrir.  

 

Intérpretes serão o barítono André Baleiro e David Santos, o seu habitual pianista-acompanhador. André Baleiro venceu, em janeiro, o Concurso SWR Young Opera Stars (Prémio Emmerich Smola), na Alemanha. É já o terceiro prémio importante que recebe naquele país, após ter vencido o Concurso Robert Schumann de Zwickau (2016) e ter sido distinguido com o prémio para ‘Cantor mais promissor’ no Concurso ‘Das Lied’ (2017). É pois com excelentes credenciais que André Baleiro apresentará no Salão Nobre do Palácio da Pena o programa intitulado “O ‘Lied’ segundo Robert Schumann”. As canções que irá interpretar datam todas de 1840, ano prodigioso em que Schumann escreveu 138 canções no espaço de apenas 11 meses!

 

Do programa destacam-se 12 canções sobre poemas de Justinus Kerner (1786-1862), a mais negligenciada de entre as grandes coleções de ‘Lieder’ de Schumann. Destaque suplementar merecem ainda as quatro únicas canções que Schumann escreveu sobre poemas do grande escritor dinamarquês Hans Christian Andersen (1805-1875).

 

Os Serões Musicais prolongam-se até 30 de março, todas as sextas-feiras e sábados, no Salão Nobre do Palácio da Pena, espaço com 80 lugares sentados.

 

O ciclo Serões Musicais no Palácio da Pena é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Serões Musicais” iniciam a Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que prossegue em maio com os “Reencontros – Memórias musicais no Palácio de Sintra” e termina com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, em outubro e novembro.

 

 

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 15€

Preço de Bilhete Ciclo (7 concertos, nas datas: 1, 2, 8, 9, 15, 22 e 29/03): 89€

Capacidade do Salão Nobre: 80 lugares

Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6