Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Passatempo - Tristezas e Alegrias nos Recreios da Amadora

O Blog Cultura de Borla em parceria com TEATRO DOS ALOÉS tem bilhetes duplos para a peça Tristezas e Alegrias para as sessões de 21 a 24 de Novembro (21h30) e 25 de Novembro (16h) nos RECREIOS DA AMADORA aos leitores que de 5 em 5 participações:

  

- enviarem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver Tristezas e Alegrias com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone e a sessão que pretende.

- façam like na página do Teatro dos Aloés no Facebook;

 - Partihem o post do passatempo no facebook no seu perfil pessoal de forma pública e nomeando três amigos na partilha;

 

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

ed127772-d39a-458a-abe3-825c896b97a2.jpg

 

Tristezas e Alegrias de Athol Fugard
Recreios da Amadora
  
21 de Novembro a 2 de Dezembro 
(quarta a sábado às 21h30/domingo às 16h00)

 

 
Sinopse: Duas mulheres encontram-se numa velha casa de uma pequena aldeia do Karoo depois do funeral de David, o homem que ambas amaram. Uma é a sua esposa. A outra é mãe da sua filha. David, que fora levado ao exílio por causa do seu activismo político contra o apartheid, reaparece nas memórias das mulheres como que registadas a ferro. Durante uma tarde de verdade e reconciliação, os pactos de amor são dolorosamente marcados. O novo confronta-se com o velho e o que é a esperança para estas pessoas é a esperança para uma nova África do Sul. Feita de monólogos, memórias e desabafos que saltam do presente para o passado e que por vezes são só reflexões, produzem um teatro de uma convenção menos comum entre nós e que nos tocou profundamente e constitui um desafio para a cena e uma dádiva útil e emocionada para a sala.

Ficha artística: Texto: Athol Fugard; Tradução: Graça Margarido e Mick Greer; Encenação. José Peixoto; Interpretação: Ana Valentim; Elsa Valentim, Jorge Silva e Laurinda Chiungue; Cenografia: José  Manuel  Castanheira; Figurinos: Maria Luiz; Desenho de Luz: Tasso Adamopoulos; Música: Miguel Tapadas; Fotografia: José Frade; Operação Técnica: Nuno Figueira; Design Gráfico: Rui A. Pereira; Produção Executiva: Daniela Sampaio; Produção: Teatro dos Aloés. 


Informações e reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt
Mais informações em: www.facebook.com/teatro.dosaloes

Teatro Artimanha estreia “Perséfone” no Auditório Municipal de Pinhal Novo

Cartaz - Perséfone.jpg

 

A nova produção do Teatro Artimanha, “Perséfone”, estreia no Auditório Municipal de Pinhal Novo, a 16 de novembro, às 21h30, sendo exibida também no dia 17, à mesma hora. O espetáculo, com dramaturgia de Isabel Teles de Menezes e encenação de Rui Guerreiro, conta com o apoio da Câmara Municipal de Palmela.

«Há muito tempo, os humanos tinham em duplicado todas as partes do corpo: quatro braços, quatro pernas e duas cabeças. Por ambição, tentaram chegar ao Olimpo, para derrotar os deuses e, por causa disso, Zeus decidiu dividi-los ao meio, para os enfraquecer. Mas foi pior a divisão do que a morte, pois o coração dos humanos ficou dividido em dois e o anseio por se voltarem a unir era tão forte, que os destruía. Por isso, Zeus alterou-os, para que as verdadeiras almas gémeas se pudessem voltar a “unir”. E quando o filho de Afrodite disparava setas para os corações humanos, brincando com os seus desejos e criando falsas paixões, os deuses do Olimpo, envolvidos nos seus próprios egos, acharam que percebiam o que é o amor. Mas o verdadeiro amor não é filho da beleza. Eros, o amor, nasceu do caos e é um dos deuses primordiais, cujas formas criaram a própria estrutura do universo. O seu poder é superior ao do próprio caos e é a sua força de união que mantém o universo inteiro».

 

Ficha Artística

 

Dramaturgia: Isabel Teles de Menezes

Encenação: Rui Guerreiro

Elenco: Ana Guerreiro, Ana Sílvia, Bruno Gomes, Cintia Hortense, Elisabete Silva, Inês Cavaco, Mathilde Brouillard,  Paulo Paiva,  Rafaela Cruz, Sara Masqueiro e Teresa Costa

Figurinos: Célia Machado

Técnica: Catarina Carapeta e João Costa

Música: Paulo Duarte

Apoio ao movimento: Mathilde Brouillard

Direção de cena: Ana Guerreiro

Make up: Ana Silva e Ilda Silva

Com a colaboração de: Beatriz Soares, Nádia Diniz e Ruben Santos

 

Teatro “Na Fogueira de São Martinho – Estórias com Asas”

Fórum Cultural, na Baixa da Banheira

Teatro “Na Fogueira de São Martinho – Estórias com Asas”

 

Na fogueira de são martinho.jpg

 

OAuditório do Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, recebe, no dia 17 de novembro, pelas 16:00h, a peça de Teatro “Na Fogueira de São Martinho – Estórias com Asas”, com criação e interpretação de Lita Pedreira e Luís Geraldo.

 

Sinopse

Aqui, ao redor desta fogueira, contam-se estórias e lendas, mitos e fábulas. Tudo se conta, tudo se descobre. Aqui, as nuvens negras desaparecem e o sol surge. Aqui tudo é possível. Aqui partilham-se tradições e descobre-se o verdadeiro sabor das castanhas. Aqui! A partir do universo da tradição oral: lendas, estórias, provérbios e cantigas tradicionais.

 

Espetáculo-leitura encenada seguido de um espaço de conversa.

Duração: 45 minutos

Destinatários: famílias e crianças a partir dos 6 anos

Lotação: 20 crianças e acompanhantes (um no palco e restantes na plateia)

Bilhete: menores de 12 anos - 1,84 euros;

Maiores de 12 anos - 3,05 euros

 

Reserva de Bilhetes:
Fórum Cultural José Manuel Figueiredo
Rua José Vicente, Baixa da Banheira
Tel. 210888900
Horário da Bilheteira:
De 3ª a sábado – 14:30h às 19:30h
Dias de espetáculo e cinema – uma hora antes do início do espetáculo ou sessão. Os bilhetes podem ainda ser reservados através do telefone 210 888 900, no horário de funcionamento da bilheteira. As reservas podem ser levantadas, no máximo, até 1h antes do início do espetáculo, com um limite de cinco bilhetes por reserva.
Compra de bilhetes online:
http://ticketline.sapo.pt

http://pt-pt.facebook.com/cmmoita

E nos postos de venda aderentes: http://ticketline.sapo.pt/pagina/postosdevenda

 

Teatro “Dois Reis e um Sono” no Fórum Cultural

Na Baixa da Banheira

Teatro “Dois Reis e um Sono” no Fórum Cultural

 

O Teatro Extremo apresenta, no dia 16 de novembro, pelas 21:30h, a peça “Dois Reis e um Sono”, no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira.

Peça escrita por Natália Correia, em colaboração com Manuel de Lima, “Dois Reis e um Sono” conta-nos a história de dois reinos em litígio, sendo a alegórica figura do Sono o motivo da discórdia entre monarcas irmãos. Uma parábola sobre o poder, a vaidade, o consumismo, o amor, a conquista e o uso da liberdade de expressão, mas também sobre qual o limite do nosso livre arbítrio e para onde caminha a Humanidade.

Também no dia 16 de novembro, “Dois Reis e um Sono” sobe ao palco do Fórum, pelas 14:30h, dirigido ao público escolar do 1º, 2º e 3º ciclos. Esta sessão tem entrada gratuita.

 

Para M/6 anos

Bilhete: 3,66 euros

Reserva de Bilhetes:
Fórum Cultural José Manuel Figueiredo
Rua José Vicente, Baixa da Banheira
Tel. 210888900
Horário da Bilheteira:
De 3ª a sábado – 14:30h às 19:30h
Dias de espetáculo e cinema – uma hora antes do início do espetáculo ou sessão. Os bilhetes podem ainda ser reservados através do telefone 210 888 900, no horário de funcionamento da bilheteira. As reservas podem ser levantadas, no máximo, até 1h antes do início do espetáculo, com um limite de cinco bilhetes por reserva.
Compra de bilhetes online:
http://ticketline.sapo.pt

http://pt-pt.facebook.com/cmmoita

E nos postos de venda aderentes: http://ticketline.sapo.pt/pagina/postosdevenda

 

 

 

Passatempo ZÉ MANEL TAXISTA - UMA COMÉDIA COM BRILHANTINA

O Blog Cultura de Borla em parceria com UAU tem bilhetes duplos para  ZÉ MANEL TAXISTA - UMA COMÉDIA COM BRILHANTINA no CASINO LISBOA - AUDITÓRIO DOS OCEANOS para o dia 11 de Novembro às 17h aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

- enviem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver ZÉ MANEL TAXISTA - UMA COMÉDIA COM BRILHANTINAcom o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

 

21178744_N3374.jpeg

 

ZÉ MANEL TAXISTA - UMA COMÉDIA COM BRILHANTINA

Zé Manel Taxista, Uma Comédia com Brilhantina celebra os 20 anos de existência de uma das personagens mais emblemáticas e acarinhadas de Maria Rueff.
Na Lisboa de hoje, Zé Manel, taxista, pai de família e adepto ferrenho do Benfica, já não reconhece os cantos-à-casa da "sua" cidade e anda arreliado. Entre turistas, tuk-tuks e alojamentos locais, Zé Manel despista-se... naturalmente!

Texto Maria João Cruz, Filipe Homem Fonseca, Mário Botequilha, Rui Cardoso Martins
Encenação António Pires
Direcção Musical e Sonoplastia Artur Guimarães
Cenografia Luísa Pacheco
Figurinos Dino Alves
Coreografia Paula Careto
Desenho de Luz Paulo Sabino
Programação de Luz Vasco Silva
Make-Up Paula Carmo
Cabelos Nuno Souto
Ilustração Ricardo Galvão
Fotografia e Conteúdos WEB João Bacelar
Direcção de Cena e Assist. Figurinos Margarida Sales
Assist. Cenografia Luísa Gago
Prof. Patinagem Diogo Augusto
Assist. Encenação João Maria

Com Maria Rueff, FF, Rafael Barreto, Ruben Madureira, Sissi Martins e Filipe Rico, Marta Mota, Sara Martins, Tiago Coelho
Participação Especial João Maria Pinto, Ludmila Gubernaciuc
Agradecimentos Io Apoloni
Banda André Galvão (baixo/guitarra), Artur Guimarães (teclado), Tom Neiva (bateria/percussão)

Passatempo A CEIA DO MARQUÊS

O Blog Cultura de Borla em parceria com a produtora Cenas & Quê tem bilhetes duplos para a peça de teatro imersivo "A CEIA DO MARQUÊS", para a sessão do próximo dia 9 de novembro,  às 21h,  no Palácio dos Aciprestes aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ir cear com o Marquês com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

 

image002.jpg

 

“A CEIA DO MARQUÊS”

Uma experiência cénica, gastronómica e histórica

no Palácio dos Aciprestes

 

Depois do sucesso da primeira temporada, o Palácio dos Aciprestes vai voltar a receber “A Ceia do Marquês”, um espectáculo que apela aos cinco sentidos, por proporcionar uma experiência cénica, gastronómica e histórica, onde os espectadores assistem a uma sucessão de quadros teatrais inspirados na vida do Marquês de Pombal, enquanto se sentam à sua mesa, até dia 7 de dezembro.

 

A produtora “Cenas e Quê…” regressa com a segunda temporada de A Ceia do Marquês, um espectáculo que pretende transportar o público a 1777, numa jornada histórica e gastronómica.

A Ceia do Marquês é, acima de tudo, uma viagem. Uma viagem no tempo, até 1777, onde o público vai acompanhar momentos da vida do Marquês de Pombal – assentes em factos históricos – mas também à infância da mentora do projecto, Fátima Morais, que traz sabores, aromas e tradições de Trás-os-Montes para a mesa desta ceia.

À mesa, os espectadores vão poder provar algumas iguarias caseiras, como a bôla de alheira de Mondim de Basto, Paté do Conde, Bacalhau à Marquês e, para finalizar, o Pudim Pombalino.

Uma viagem pelo tempo, pelos sabores e pelos sentidos para (re)descobrir uma das mais incontornáveis figuras da nossa História, A Ceia do Marquês estará em cena nos dias 2, 9, 16, 23 e 30 de Novembro e 7 de dezembro às 21h00, no Palácio dos Aciprestes, em Linda-a-Velha. O bilhete para esta Ceia tem um valor de 35€ e reserva obrigatória através do e-mail cenaseque@gmail.com

 

A Ceia do Marquês
M/12 anos

Ideia Original de: Fátima Morais
Texto: Liberto Luso
Com: Adriana Rocha, Carlos Paiva, Carolina Dominguez, José Coelho e Tâmara Paiva

Direcção de Actores: Carlos Paiva

Produção: Cenas e Quê…

Datas:  2, 9, 16, 23 e 30 de novembro e 7 de dezembro às 21h00

Bilhetes: 35€ (opção vegetariana disponível)
Bilhete com desconto para grupos de 10 ou mais elementos: 30€

Reservas: cenaseque@gmail.com

EM NOVEMBRO no Teatro Taborda

88007066-0f11-4dc2-b2c1-67c86fd7835e.jpeg

 

DISPLAY
91ª Criação Teatro da Garagem
Coprodução Teatro Nacional São João
Texto e Encenação Carlos J. Pessoa

VERSÃO 2018
 
7 a 11 nov
qua-sáb 21h, dom 16h30

Teatro Taborda

 
Display é um espetáculo de teatro sobre a arte teatral. A arte, entendida como “fazer poético”, como elucubração do mundo, vem tendo um lugar marginal na atualidade contemporânea sobretudo ditada por critérios estatísticos subordinados a mais valias económicas. A arte teatral, por seu turno, sobrevive, através do seu amor ao coletivo, à Companhia de Teatro, à junção de pessoas que se tornam cúmplices de uma desmedida tarefa, como um reduto de resistência à avalanche consumista e à superficialidade da receção.
Display procura, teimosamente, ser um objeto duradouro numa época de instantâneos, de consumo rápido, de memória curta, de afazer hedonista, em zapping perpétuo.
Display é, talvez, mais um objeto “masoquista” do Teatro da Garagem, seguindo a linha de pensamento de Boris Groys: um objeto em permanente e reiterado prazer na busca de revelação, indiferente às marcas ou outras fórmulas de sucesso, de duvidosa duração e profundidade. O objeto “masoquista”, ainda segundo a formulação feliz de Groys, que prezamos, matiza-se no conluio discreto, subtil, com pouco disfarçada ironia melancólica, e indiferente a formas de legitimação estatística.
Para que Display exista, dure e faça sentido há uma constatação de liberdade a fazer; é essa liberdade criativa que agradecemos, que prezamos e que queremos devolver sob a forma de espetáculo, de espelho diverso, plural e problemático.
Carlos J. Pessoa
 
FICHA TÉCNICA E ARTÍSTICA
Texto e Encenação Carlos J. Pessoa Interpretação Ana Palma, André Simões, Emanuel Arada, Ma Xinyun, Maria João Vicente e Rita Monteiro Música original ao vivo Daniel Cervantes Cenografia e Figurinos Sérgio Loureiro Desenho de Luz Nuno Samora Operação de Luz Manuel Abrantes Fotografia Marília Maia e Moura e Carolina Mano Direção de Produção Maria João Vicente Produção, Comunicação e Legendagem Carolina Mano Assistência de Produção Marília Maia e Moura

 
+ infos e reservas
geral@teatrodagaragem.com
968015251

Estreia amanhã "Don Juan Esfaqueado na Avenida da Liberdade", de Pedro Gil > São Luiz Teatro Municipal

b3ce6018-dd58-487c-9ddd-a5675bf42490.jpg

 

DON JUAN ESFAQUEADO NA AVENIDA DA LIBERDADE

ESTREIA DIA 7 DE NOVEMBRO NO SÃO LUIZ TEATRO MUNICIPAL
 

DON JUAN ESFAQUEADO NA AVENIDA DA LIBERDADE, de Pedro Gil
7 novembro a 2 dezembro
Teatro São Luiz – Sala Mário Viegas

 

Don Juan Esfaqueado na Avenida da Liberdade  estreia no Teatro São Luiz a 7 de novembro e fica em cena até ao dia 2 de dezembro. Uma comédia de Pedro Gil, que conta com as interpretações de Tonán Quito, Miguel Loureiro, Pedro Gil, Filipa Matta, Raquel Castro e Rita Calçada Bastos.

Pedro Gil teve a ideia de fazer um Don Juan, há dois anos, quando visitou o Museu do Aljube, antiga prisão do Aljube, onde o seu avô foi preso pelo regime salazarista e viu numa das paredes da exposição Os Cinco Nãos do Estado Novo em letras garrafais: NÃO discutimos a pátria, NÃO discutimos a autoridade, NÃO discutimos a família, NÃO discutimos o trabalho e NÃO discutimos Deus. Subitamente surgiu a ideia de fazer um Don Juan. Este Don Juan desconfia do fantasma do Comendador. O fantasma quer que ele lhe aperte a mão. Don Juan pressente que não é boa ideia apertar a mão a um fantasma de uma pessoa que ele próprio matou. Decide então não comparecer à ceia acordada. Don Juan foge, mas para onde? É uma comédia.

No dia 18 de novembro, a sessão é realizada com interpretação em Língua Gestual Portuguesa e terá lugar uma conversa com os artistas após o espetáculo.

Don Juan Esfaqueado na Avenida da Liberdade é uma co-produção Barba Azul, São Luiz Teatro Municipal, Teatro Municipal do Porto e Centro Cultural Vila Flor.


Quarta a sábado, 21h00; domingo, 17h30
São Luiz Teatro Municipal - Sala Mário Viegas
12€ com descontos



PORTO:
No dia 24 de maio, às 21h00, o espetáculo Don Juan Esfaqueado na Avenida da Liberdade realiza-se no Teatro Municipal do Porto - Auditório do Teatro Campo Alegre, no âmbito do FITEI 2019.

 

Texto e direção artística: Pedro Gil | Interpretação: Filipa Matta, Miguel Loureiro, Pedro Gil, Raquel Castro, Rita Calçada Bastos e Tónan Quito | Desenho de Luz: Daniel Worm d’Assumpção | Cenografia & Adereços: Pedro Silva | Figurinos: Catarina Graça | Maquilhagem: Jorge Bragada | Direção de Produção: Raquel Castro | Produção executiva: Vítor Alves Brotas | Apoio à criação: Diogo Andrade | Encadernação do adereço Livro: Filipa Matta | Modelagem face da estátua: Rute Reis | Apoio à execução de cenário e adereços: Fernando Gil | Assessoria de Imprensa: Helena César | Fotografia de cena: Mariana C. Silva | Registo Vídeo: João Gambino | Residência: O Espaço do Tempo, Companhia Olga Roriz | Apoios: Forum Dança, Ginásio Clube Português, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro Nacional São Carlos | Patrocínios: Bispos – Joaquim Augusto Bispo | Agradecimentos: Diogo Mesquita, Eugénia Vasques, Giacomo Scalisi, Gisella Mendoza, Joana Bértholo, João Brites, João Sebastian, Jorge Silva Melo, Manuel Leitão, Nuno Rebelo, Otília Andaluz, Rui Horta, Tiago Rodrigues

A Barba Azul é uma estrutura financiada pelo Governo de Portugal - Ministério da Cultura/Direção-Geral das Artes.

Espetáculo de Natal "Alice e o País das Maravilhas no Gelo" no Alegro Alfragide

O musical deste Natal chega a Lisboa a 23 de novembro

 

Cartaz_Alice e o Pais das Maravilhas no Gelo.png

 

 

 

A magia do Natal chega com uma das histórias mais loucas dos contos infantis, este ano com a novidade da projeção videomapping,

a par com as incríveis coreografias no gelo desempenhadas
por Marta Melro e Pedro Górgia.

 

 

O Centro Comercial Alegro Alfragide e a AM apresentam para este Natal mais um fascinante musical dedicado ao mundo dos sonhos com o conto “Alice e o País das Maravilhas no Gelo”. Com um guião inédito de Nuno Markl, Mafalda Santos e Francisco M. Palma, esta é uma estória que promete deslumbrar os corações de toda a família.

 

Além de divertido, este espetáculo prima pela exuberância e originalidade dos figurinos, onde as cores e as formas se tornam ainda mais deslumbrantes com a projeção videomapping. Esta é a grande novidade para este Natal, com a tecnologia a permitir cenários inovadores que fazem sobressair ainda mais as coreografias no gelo, transportando o público para um maravilhoso mundo encantado.

 

Este musical conta com um fantástico elenco nacional, do qual se destaca a participação especial de Marta Melro e Pedro Górgia, nos papéis de Rainha de Copas e de Chapeleiro Louco.

 

“Alice e o País das Maravilhas no Gelo” é um musical para toda a família, em que a pequena Alice embarca numa divertida e imprevisível aventura onde o impossível não tem convite para entrar. Animais e flores falantes, poções mágicas, criaturas loucas, um exército ridículo, um Rato guloso num julgamento absurdo e uma Rainha de perder a cabeça, são algumas das personagens que a vão acompanhar nesta verdadeira epopeia à fantasia e ao riso!

 

A direção de espetáculo está a cargo de Maria Henrique, com encenação de João Guimarães, música de Artur Guimarães e coreografia de Joana Quelhas.

 

A estreia decorre a 23 de Novembro 2018 e ficará em cena até 6 de Janeiro 2019, na tenda montada no exterior do Centro Comercial Alegro Alfragide, com capacidade para mais de 700 espetadores.

 

Entrada a partir dos 3 anos.

 

Bilhetes

Consulta dos preços e horários das sessões em: www.aliceeopaisdasmaravilhasnogelo.com

Reservas Email: reservas@am-live.pt Telefone: 707 919 280

“Metidos Num 31!” estreia absoluta no Cartaxo em Novembro

Cartaz 31net.jpg

 

 

de Frederico Corado e Vânia Calado

encenação de Frederico Corado

Centro Cultural do Cartaxo

 

ESTREIA A 23 de NOVEMBRO - às 21.30h

Dias 23, 24 e 30 de Novembro e 1 de Dezembro às 21.30 

Dia 25 de Novembro às 16.00 

 

 

Comédia sobre o espírito comunitário, especulação imobiliária, os tuc-tucs,  karaoke e um bocadinho de todos nós estreia dia 23 de Novembro

Dias 23, 24, 25 e 30 de Novembro | Dias 1 de Dezembro

A perfeita comédia para entrar no espírito da época está a chegar ao Cartaxo! Pela mão da Área de Serviço, com encenação de Frederico Corado chega “Metidos Num 31!”, uma peça de Frederico Corado e Vânia Calado que será a 25ª produção da Área de Serviço no Centro Cultural do Cartaxo.

Em Vilar dos Moços a sociedade é o centro do dia-a-dia da aldeia. São as conversas, os copos, os cafés, os esquecimentos e toda gente que por ali passa. Agora, a notícia da morte do senhorio e a chegada do herdeiro cheio de ideias de negócios abala toda a calmaria daquela aldeia.

O que fazer quando o novo proprietário da sociedade chega a Vilar dos Moços? Como impedir que a sociedade se transforme num alojamento local igual aos da grande cidade? Mentir. Ou melhor, embelezar a verdade. Pelo menos é assim que os habitantes de Vilar de Moços pensam e para salvar a colectividade são capazes de tudo, até de alterar a história de Portugal.

"Metidos num 31!" é uma comédia de situação, de enganos e mal entendidos sobre a força de vontade das pequenas aldeias e da importância das colectividades que hoje atravessam dificuldades para se manterem de portas abertas.

Uma comédia a não perder!

Um texto original de Frederico Corado e Vânia Calado no Centro Cultural do Cartaxo a encerrar o ano em que se celebram seis anos de vida da Área de Serviço. Este espectáculo reúne algumas caras já conhecidas do elenco da Área de Serviço com algumas novas caras.

Com Mário Júlio, Mónica Coelho, Tomás Formiga, Carlos Ramos, Rosário Narciso, João Paulo, Amélia Figueiredo, Rui Manel, Margarida Mascarenhas, Mauro Cebolo, João Taveira, Beatriz Dinis, Pedro Neves, Beatriz Lamarosa, Maria Inês Diniz e Inês Magalhães

 Encenação: Frederico Corado | Texto: Frederico Corado e Vânia Calado | Concepção Cenográfica: Frederico Corado | Execução Cenográfica : Mário Júlio | Produção da Área de Serviço : Frederico Corado, Vânia Calado e Mário Júlio com a assistência de Florbela Silva e Carolina Seia Viana | Assistente de Encenação : Florbela Silva | Direcção de Cena: Mário Júlio | Técnica: Miguel Sena | Desenho de Luz: Bruno Santos | Montagem: Mário Júlio | Uma Produção da Área de Serviço com o Centro Cultural do Cartaxo e Câmara Municipal do Cartaxo

Parceiros Institucionais: Câmara Municipal do Cartaxo | Centro Cultural do Cartaxo |

Apoios: Casa das Peles | J.M.Fernandes - Vidreira e Alumínio | Negócio de Família | Tejo Rádio Jornal | Revista Dada | Jornal de Cá | Valor Local | Guia dos Teatros

Facebook: https://www.facebook.com/AreaDeServico  

Centro Cultural do Cartaxo

Rua 5 de Outubro | 2070-059 Cartaxo, Portugal

Teatro . M/4

Bilhetes: 5€

Reservas: 243 701 600 | 914338893

areacartaxoreservas@gmail.com