Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Multidisciplinaridade ● Fevereiro na Rua das Gaivotas 6

TEATRO
NINA, NINA
ColectivoRetorno

embedded-image-1548344294.png

7-9 fevereiro | quinta-sábado | 21h30
10 fevereiro | domingo | 19h30
7,50€ | 5€ [desconto] | 60min



"Nina, Nina" resulta num pequeno retrato ficcional de Nina, personagem fulcral na obra “A Gaivota” de Anton Tchékhov, que tenta dialogar com o nosso tempo. Por outro lado, há uma Nina ficcional do nosso tempo que tenta dialogar com o tempo da Nina da obra. 
 
 
ARTES VISUAIS
RED SEES
Exposição de Francisca Sousa

embedded-image-1548344568.png

inauguração 7 fevereiro | quinta | 18h
8-10 fevereiro | sexta-domingo | 14h-20h
entrada gratuita


"Red Sees" é um ensaio sobre o Vermelho, um projeto que fala sobre o domínio dos corpos e sobre demonstrações de poder, invertendo os papéis que ainda nos são incutidos em sociedade. Este projeto expositivo reúne trabalhos que vão da pintura, à ilustração e à produção de objetos que nos falam sobre violências escondidas, problemas de género e que defendem um debate aberto sobre a importância do sexo.​​​​​​​
 
 
WORKSHOP
A (IN)VISIVILIDADE
DA POPULAÇÃO LGBTI
Acesso Cultura

embedded-image-1548852390.png

 


18 fevereiro | segunda | 9h30-17h
30€ | 25€ [estudantes / desempregados]
20€ [associados Acesso Cultura]


Esta acção de sensibilização vem no seguimento da nossa conferência “E este património? A presença LGBTQI+ no Ano Europeu do Património Cultural” (2018). Procuraremos conhecer melhor as especificidades da discriminação contra pessoas lésbicas, gay, bissexuais, trans e intersexo e a forma como a discriminação, muitas vezes de forma subtil, afecta a visibilidade das experiências e realidade da população LGBTI. 
 
 
TEATRO
TRISTANA:
O NOME QUE NUNCA TIVE
Bárbara Bruno

Frame.png

20-24 fevereiro | quarta-domingo | 21h30
7,50€ | 5€ [desconto]  | 50min | M/12



​​​Este espectáculo surge num ambiente de discoteca dos anos 80, a partir do universo literário e biográfico de Susan Sontang e Patty Smith. Poderia dizer que estes dois universos se cruzam com os meus próprios dados biográficos, eu que sou Tristana, o nome que a minha mãe me teria dado, não fosse ter escolhido aquele que hoje me designa.
 
 
DANÇA 
SLOWSTEPPER
Hygin Delimat

embedded-image-1548345353.png

28 fevereiro - 2 março | quinta-sábado | 21h30
10€ | 50min


No Limite Da Sobrevivência. Na necessidade essencial de Sobrevivência, não somos diferentes de outras espécies. No entanto, o que é que somente nós humanos precisamos para sobreviver? A Sobrevivência é visível em dualidades físicas: fraca-forte, virtuosa-vulnerável … Por um lado, há corpo na borda, corpo em crise, corpo de um sobrevivente de acidente de avião, corpo drenado de água e energia. 
 
 
LANÇAMENTO DE JORNAL
COREIA
com uma leitura-demonstração
de Ana Rita Teodoro

Coreia-positivo.jpg

 

24 fevereiro | domingo | 18h
entrada livre


"Coreia" é um novo projecto editorial de carácter artístico, crítico e discursivo, a propósito das artes em geral, firmado numa relação umbilical com a dança. Independente, experimental e internacionalista, o jornal, de tiragem semestral e distribuição gratuita, está focado no discurso produzido pelas obras e pelos artistas, e preocupado em divulgar formatos vários como partituras, manifestos, entrevistas, crónicas, ensaios, críticas e reflexões em língua portuguesa. 
 
 

Baixa da Banheira: Teatro e Dança “Rainha” no Fórum Cultural

2 março rainha.jpg

 

No âmbito do projeto “De Pequenino ao de Pequenote”, o Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, recebe, a 2 de março, em duas sessões, o espetáculo de teatro e dança “Rainha”, pelo Teatro do Biombo.

 

As sessões realizam-se às 15:30h, para crianças dos 3 aos 6 anos, e às 17:30h, para bebés dos 6 aos 36 meses.

O espetáculo tem entrada gratuita mediante inscrição prévia (lotação por sessão: 20 crianças e acompanhantes).

 

Um espetáculo de dança e teatro, quase sem palavras, assente na exploração das cores e nas imagens e sensações que estas provocam. Partindo do preto e branco e culminando numa explosão de cores, este espetáculo explora o universo da cor na perceção do mundo e na resposta sensorial e simbólica que origina. Os bebés e crianças vão vivenciar um crescendo colorido teatral, num ambiente pensado e criado especialmente para eles.

 

Criação e Encenação: Joana Capucho | Coreografia: Pedro Paz | Interpretação: Beatriz Teixeira e Pedro Paz | Desenho e Projeção ao vivo: Gonçalo Lima | Acompanhamento pedagógico: Miguel Mata Pereira | Produção: Teatro do Biombo
 

 

Reserva de Bilhetes:
Fórum Cultural José Manuel Figueiredo
Rua José Vicente, Baixa da Banheira
Tel. 210888900
Horário da Bilheteira:
De 3ª a sábado – 14:30h às 19:30h
Dias de espetáculo e cinema – uma hora antes do início do espetáculo ou sessão. Os bilhetes podem ainda ser reservados através do telefone 210 888 900, no horário de funcionamento da bilheteira. As reservas podem ser levantadas, no máximo, até 1h antes do início do espetáculo, com um limite de cinco bilhetes por reserva.

 

"Os Combatentes" apresenta - Mariema, a vida e as canções

image002.jpg

 

Esta peça conta-nos a história da vida e da carreira de Mariema. Nascida no bairro de Campo de Ourique, Mariema foi aluna da escola Os Combatentes. Anos passaram e é n’Os Combatentes que queremos homenagear a atriz que recebeu o Prémio Bordalo na categoria “Teatro de Revista”. 

 

Se foi por brincadeira que começou a cantar fado, mais tarde, foi Deolinda Rodrigues que propôs que fosse para o teatro de revista. Estreou-se no teatro Parque Mayer como atração na revista É Regar e Pôr ao Luar e foi já no Teatro Maria Vitória que criou o seu maior sucesso de sempre “O Fado Mora em Lisboa”. Depois deste, vários se seguiram como é o caso de “Lisboa, princesa do Tejo”, “Marujinho” ou “Alfacinha de gema”.   

 

A par da sua carreira, descobrimos a história de amor e desamor de Mariema. Uma história de amor em que, como tantas outras, o final não é feliz como seria de esperar. Se o amor não tem o final que se espera, a amizade de quem a rodeia e o carinho do público marcam a sua vida. 

 

É numa viagem pelo tempo que relembramos Mariema, nos deixamos encantar na história e embalar nas suas canções. 

 

O Grupo Dramático e Escolar “Os Combatentes” apresenta a peça “Mariema – a vida e as canções” com texto de Inês Marto e André Camilo, direção musical de Carlos Dionísio numa criação coletiva do Grupo de Teatro d’Os Combatentes. 

 

 

ESPECTÁCULO A EMANCIPAÇÃO DO SER SEM BRAÇOS

 

_DSF2646 _1_billboard_experiencia_4.jpg

 

 

Ana Lopes e Laura Morais da Silva apresentam-se como criadoras a título individual, tendo começado a sua colaboração artística em 2014 e enquanto dupla em 2017.

Partilham o mesmo historial de formação na Escola Superior de Teatro e Cinema na licenciatura de teatro – Ramo Actores, que concluíram em 2014.

Em 2014, apresentam, como actrizes e co-criadoras, inseridas no Colectivo CADUCADO, a peça original CADUCADO no 18o Ciclo de Teatro Universitário da Beira Interior. Participam ainda, como actrizes e co-criadoras, na peça original AMOR2, apresentada na Comuna-Teatro de Pesquisa, em Fevereiro de 2017, desenvolvida pelo mesmo colectivo acima referido.

Em 2017 apresentam o seu primeiro objecto artístico a solo, SABOR A CEREJA, estreado em Lisboa no Centro de Inovação da Mouraria, em Dezembro e com reposições em Lisboa e noutras cidades do país. Em Julho de 2018 estreiam SATURNAIS no Teatro da Comuna. Todos os trabalhos contam com textos originais das criadoras.

A EMANCIPAÇÃO DO SER SEM BRAÇOS, é a sua terceira colaboração enquanto dupla no intervalo de tempo de um ano e conta com texto de Ana Lopes.

SINOPSE


Existe um mundo privado em cada cabeça pensante.

Se tivéssemos acesso a essas vontades primárias, aos medos guturais e à líbido sem prisão, as portas da anarquia seriam abertas indefinidamente.

Quando os olhos fecham e o corpo se enterra, o público é convidado a entrar.

São 8 cabeças. 8 mundos, 8 vontades.

Mas se fossemos obrigados a partilhar cama com estranhos, que mundos estes, seriam cruzados?

Quem controlaria um mundo assim? Quem saberia tocar nos nossos mais escondidos nervos?

Este espectáculo, revoca ao controlo real do onírico, à inexistência do livre arbítrio no nosso inconsciente e à manipulação dos nossos maiores receios e desejos.

Convidamos o nosso público a visitar estes corpos presos, até que os olhos abram.

Eu durmo contigo para conhecer o teu outro eu…

O criador sou eu e invento-te. Às vezes não há faces.

TENDÊNCIA PARA 2019

FICHA ARTÍSTICA |


ENCENAÇÃO | Ana Lopes, Laura Morais da Silva

TEXTO | Ana Lopes

INTERPRETAÇÃO | Ana Lopes, André Lopes, Brandão de Mello, Hugo Teles, Laura Morais da Silva, Leonor Vilar, Luís Salvador, Maria Alves, Pedro Miguel Jorge

DESENHO DE LUZ | Manuel Abrantes

FOTOGRAFIA ESPECTÁCULO | Vitorino Coragem

VÍDEO ESPECTÁCULO | Ana Correia

APOIO TÉCNICO | José Alvega

AGRADECIMENTOS | COMPANHIA OLGA RORIZ, POLO CULTURAL DAS GAIVOTAS, CAVES DO LICEU CAMÕES, FUTURDATA, MCKEVENTOS, REAL SPORT CLUB, FUTEBOL CLUBE DE S.PEDRO

PASSATEMPO VIDAS PRIVADAS AUDITÓRIO CASINO ESTORIL

O Blog Cultura de Borla em parceria com ARTEFEIST tem bilhetes duplos para o espectáculo "VIDAS PRIVADAS" no CASINO DO ESTORIL para os dias 8 e 9 de Fevereiro às 21h30 aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

- enviem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver  "VIDAS PRIVADAS" com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone e sessão pretendida.

 

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

 

POSTER_A3_WEB.jpg

 

PRIVATE LIVES / VIDAS PRIVADAS

TEATRO

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA – M/12

DURAÇÃO – 105 MIN C/INTERVALO

PREÇO – 15€*

SESSÕES – 2 FEV A 3 MAR – QUINTA A SÁBADO – 21H30 E DOMINGO ÀS 17H**

*QUINTAS-FEIRAS (DIA DO ESPETADOR) – PREÇO ÚNICO 10€

**EXEPTO DIAS 14,15,16 E 23 DE FEVEREIRO

 

SINOPSE

 

Uma peça sobre o amor nas suas mais quentes, e mais frias, expressões.
AMANDA e ELYOT, divorciados há cinco anos reencontram-se por acaso,com novos esposos, em segunda lua de mel num hotel em Deauville. Quando a chama entre eles se reacende, fogem juntos para Paris, onde... uns dias mais tarde os novos esposos os vêm procurar...
Uma comédia de costumes duradoura e especiosa.

 

Com Suzana Borges, Guilherme Barroso, Maria Dias e Martinho Silva.

Passatempo CASAL ABERTO

O Blog Cultura de Borla em parceria com o CEGADA - GRUPO DE TEATRO tem bilhetes duplos para a peça  CASAL ABERTO epara as sessões de 8 e 9 de Fevereiro, sexta e sábado,  às 21h30,  e dia 10 de Fevereiro às 16h no TEATRO-ESTÚDIO Ildefonso em Alverca do Ribatejo aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver CASAL ABERTO  com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

 

 

 

50882552_2672150606159143_3646911732384792576_n.jp

 

Estreou na passada sexta feira, dia 25, a peça Casal Aberto de Dario Fo e Franca Rame, uma texto sobre a igualdade de género.
(estará em cena no TEIV até 10 de Fevereiro, sextas e sábados às 21:30 e domingos às 16:00)

Dois dias antes da estreia a Companhia Cegada, de Alverca do Ribatejo, anunciou estarem esgotados os lugares para as duas primeiras sessões no TEIV – Teatro Estúdio Ildefonso Valério. Na noite de estreia estiveram diversas personalidade do meio: Tito Lívio, Sónia Cláudia entre outros criadores e interpretes dos quais se destacam as presenças do actor Carlos Vieira de Almeida e a actriz Io Appolloni, ambos protagonistas da primeira encenação da peça de Fo e Rame em Portugal, decorria o ano de 1986.

A peça Casal Aberto, da autoria do Prémio Nobel Dario Fo e sua musa Franca Rame, aborda a temática de um homem que, por via dos continuados relacionamentos extra conjugais, provoca um constante estado de sofrimento e depressão na sua esposa. Sob o aparente objectivo de lhe minimizar o sofrimento - e confiante que convenção social de género vigente impossibilitará qualquer alteração comportamental à mulher - propõe que se tornem num "Casal Aberto" a outros relacionamentos.

Depois de realistas cenas de violência física, verbal e psicológica, e ultrapassadas a barreiras sociais exclusivas à Mulher que a impedem da igualdade de comportamentos, talvez possamos ter um ensaio de uma situação de justa igualdade de género. A partir deste ponto no texto, Dario Fo expõe de forma satírica e altamente cómica, as alterações comportamentais em torno de todo o Homem que, mesmo sem qualquer plano ardiloso por principio, é obrigado a reagir à perda do conforto que a sociedade, conservadora de costumes, lhe proporciona.

Estreia de "CASAL ABERTO"
de Dario FO e Franca RAME

EM CENA
de 25 de Janeiro a 10 de Fevereiro
Sex. e Sáb. às 21:30, Dom às 16:00

INFORMAÇÕES E RESERVAS:
926 941 164 / 910 923 397
publico.teiv@gmail.com

FOTOGRAFIA
Luana RIBEIRO

CRIAÇÃO
Cegada Grupo de Teatro

ESTRUTURA FINANCIADA
Governo de Portugal - Cultura / Direcção-Geral das Artes
Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

Terra Franca de Leonor Teles e Salvador Martinha com Cabeça Ausente em Castelo Branco

 

 

1) MÚSICA

JERÓNIMO E CRO-MAGNON

Sexta-feira, 8 de Fevereiro

21h30

Cine-Teatro Avenida

M/06

Bilhete: 5€

 

2) MÚSICA

POR TERRAS DE XISTO E GRANITO

Programa Municipal de Difusão das Artes do Espectáculo

Sábado, 9 de Fevereiro

18 h., Salão da Junta de Freguesia de Almaceda

ORQUESTRA VIOLA BEIROA

21h., Centro de Animação Social e Cultural de Louriçal do Campo

CASTRA LEUCA TRIO

 

Domingo, 10 de Fevereiro

15h., Antiga Escola Primária de S. André das Tojeiras

CASTRA LEUCA TRIO

15h., Salão da Casa do Povo de Lardosa

ENTRADA GRATUITA

 

3) TEATRO

SALVADOR MARTINHA

Cabeça Ausente

1000x1450.jpg

 

9 de Fevereiro, sábado

21h30

Cine-Teatro Avenida

M/16

Bilhete: 10€

 

4) CINEMA

MARIA, RAINHA DOS ESCOCESES

De Josie Rourke

Segunda-feira, 11 de Fevereiro

18h e 21h30

Cine-Teatro Avenida

M/14

Bilhete: 4€

 

5) CINEMA

TERRA FRANCA

De Leonor Teles

Terça-feira, 12 de Fevereiro

21h30

Cine-Teatro Avenida

M/12

Bilhete: 4€

 

 

Fotos: Jerónimo & Cro-Magnon e Salvador Martinha

Passatempo NINA, NINA - Rua das Gaivotas, 6

O Blog Cultura de Borla em parceria com o Rua das Gaivotas 6 e o Teatro Praga tem um bilhete duplo para o espetáculo NINA, NINA,  para dia 8 de Fevereiro às 21h30 ao primeiros leitor que:

 

Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ir ver NINA
   com o Cultura de Borla" com nome, CC e nº de telefone:

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

 

 
NINA, NINA / ColectivoRetorno
7-9 Fev / 21h30 & 10 Fev / 19h30
7,50€ | 5€ | 60 min

embedded-image-1548344294.png

 

 

Nina, Nina resulta num pequeno retrato ficcional de Nina, personagem fulcral na obra “A Gaivota” de Anton Tchékhov, que tenta dialogar com o nosso tempo. Por outro lado, há uma Nina ficcional do nosso tempo que tenta dialogar com o tempo da Nina da obra. A Nina do nosso tempo, não tem tempo. A Nina da obra deseja que o tempo acelere. Ambas sentem repulsa pelo tempo em que habitam.

Assiste-se à frustração de vontades contrárias, tanto a partir das personagens, como da ironia dos intérpretes perante a sua própria condição, num tempo onde coabitam demasiados tempos para se entenderem. No entanto, o tema do amor é imune a discordâncias. É o grão intemporal.

Seremos sempre Ninas, de um tempo ou de outro. Seremos sempre Ninas

Baixa da Banheira: “De Pequenino ao de Pequenote” no Fórum Cultural

Baixa da Banheira

“De Pequenino ao de Pequenote” no Fórum Cultural

Crédito Foto Monda Teatro Música.JPG

 

No âmbito do projeto municipal “De Pequenino ao de Pequenote”, a Monda Teatro-Música apresenta o espetáculo musical “Enquanto Conto e Canto: Ombela ye, Ombela ya... Chora a Chuva cá, Chora a Chuva lá!”, no dia 2 de fevereiro, às 16:00h e 17:30h, no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira. 

 

Não te esqueças de chorar — lembrou-lhe o pai.

Assim como a lua tem muitas faces

e no mundo faz inverno e verão,

também nós, os deuses,

não podemos sempre estar felizes.

In Ombela, A Origem das Chuvas, de Odjaki

 

Ombela é uma rapariga que chora, por vezes, de tristeza, por vezes, de felicidade. Este fenómeno deixa-a sempre atrapalhada, até que o pai, um Deus que com o passar do tempo vai ficando mais pequenino, lhe explica a função das lágrimas... a de formar os rios e mares desse mundo fora!

Um espetáculo musical, que apresenta o livro homónimo do escritor angolano Ondjaki, “Ombela”, num trabalho repleto de canções, paisagens sonoras e objetos, que nos transporta até África, onde as lendas relacionam intimamente a natureza do mundo com a natureza dos homens.

 

Conceção e orientação: Guitarra - Rodrigo Crespo | Voz: Tânia Cardoso.

 

Duração: 35 a 45 minutos

Destinatários das 16:00h – bebés dos 12 aos 36 meses                

Destinatários das 17:30h – crianças dos 3 aos 7 anos                

Lotação por sessão: 20 crianças e acompanhantes (um no palcoe restantes na plateia)

Entrada gratuita mediante inscrição prévia a partir de dia 15 de janeiro.

 

Reserva de Bilhetes:
Fórum Cultural José Manuel Figueiredo
Rua José Vicente, Baixa da Banheira
Tel. 210888900
Horário da Bilheteira:
De 3ª a sábado – 14:30h às 19:30h
Dias de espetáculo e cinema – uma hora antes do início do espetáculo ou sessão. Os bilhetes podem ainda ser reservados através do telefone 210 888 900, no horário de funcionamento da bilheteira. As reservas podem ser levantadas, no máximo, até 1h antes do início do espetáculo, com um limite de cinco bilhetes por reserva.