Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

"Da Coleção ao Museu - a Arte de Colecionar" nas tertúlias do Museu da Farmácia

Tertulias_Conversa.png

 

A próxima tertúlia online “À conversa com…”, organizada pelo Museu da Farmácia, intitulada “Da Coleção ao Museu - a Arte de Colecionar”, vai decorrer no próximo dia 19 de Maio, às 19 horas, e conta com transmissão em direto na página de Facebook do Museu.

 

A conversa vai centrar-se no papel das coleções enquanto pilares dos museus, que funcionam como guardiães temporários da transmissão de conhecimento. Vão ser debatidas as diferenças entre coleções e peças, as quais não vivem por si, mas na relação entre elas e com outras coleções, assim como o papel da investigação, preservação e exposição, as três áreas essenciais que qualquer museu tem de trabalhar no que respeita aos seus acervos.

 

«A arte de colecionar é também uma arte do poder, na medida em que traduz a posse do tempo, do espaço e da beleza. Há um ganho civilizacional quando passamos de uma coleção privada para uma do domínio público, que permite partilhar o conhecimento com muitos», afirma João Neto, diretor do Museu da Farmácia.

 

João Neto é o moderador desta conversa que reúne três museus e o Estado português. Participam Joana Belard da Fonseca, diretora adjunta do Museu do Oriente/Fundação Oriente, João Carvalho Dias, diretor adjunto do Museu Calouste Gulbenkian e David Santos, curador da coleção de arte contemporânea do Estado, gerida pelo Ministério da Cultura.

 

​Todas as semanas, o Museu da Farmácia dinamiza tertúlias, em formato digital, via Facebook, e que já abordaram temas como: “O Holocausto e as Coleções em Portugal”, "A Ciência dos Descobrimentos e os Descobrimentos da Ciência”, "Quando os Ossos Contam Histórias", “Cosme e Damião – Saúde, Religião e Futebol", "Geopolítica e Farmácia no Oriente”, "O Egito na Literatura e Vida de Eça de Queiroz", “Missões Humanitárias – Histórias que Mudam Vidas”, “Sherlock Holmes - A Época e a Ciência”, “Exploradores e Literatura de Viagens”, “Revistas que Descodificam a História” e “Política e Ciência em Época de Pandemias”.

Tertúlia "Percursos literários na cidade do Porto"

21 de Fevereiro | 18h30 | Museu da Farmácia Porto*

 

Carlos Tê, escritor, Pedro Abrunhosa, músico e autor, e Aurora Pedro Pinto, administradora da Livraria Lello, são os convidados do Museu da Farmácia Porto, no próximo 21 de Fevereiro, Dia Internacional da Língua Materna.

 

Os três participantes vão dinamizar uma tertúlia cultural que tem como tema a cidade do Porto e vai decorrer no espaço recentemente renovado do Museu da Farmácia Porto. 

 

Perspetiva-se uma singular e aliciante conversa à volta dos livros e da literatura com a cidade do Porto, a sua história, geografia urbana e escritores em pano de fundo, enquanto fonte de inspiração e motor da criatividade artística.

 

A entrada é livre.

 

Evento no Facebook

 

Organização: Museu da Farmácia

 

Informações e reservas: Museu da Farmácia, tel.: 22 616 7995| museudafarmacia@anf.pt

 

*Rua Engº. Ferreira Dias, 728.

Jorge de Sena é o poeta em destaque na tertúlia de maio | "Palavras na Nossa Terra" na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo

Palavras na Nossa Terra.jpg

 

A poesia de Jorge de Sena vai estar em destaque na tertúlia “Palavras na Nossa Terra” de maio, marcada para dia 31 de maio, às 21h00, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo.

 

Jorge de Sena nasceu em Lisboa a 2 de novembro de 1919 e morreu em Santa Bárbara, na Califórnia, em 1978. Licenciado em Engenharia Civil pela Faculdade de Engenharia do Porto, partiu para o exílio no Brasil, em 1959, onde se doutorou em Letras e se tornou regente das cadeiras de Teoria da Literatura e de Literatura Portuguesa. Mudou-se para os Estados Unidos, em 1965, lecionando na Universidade de Wisconsin e, anos depois, na Universidade da Califórnia. Poeta, ficcionista, dramaturgo, ensaísta e tradutor, é considerado um dos mais relevantes escritores de língua portuguesa do século XX, autor de títulos como Metamorfoses (1963), Os Grão-Capitães (1976), O Físico Prodigioso (1977) e Sinais de Fogo (1979).

 

Recorde-se que a participação nestes encontros, que decorrem uma vez por mês, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo, é livre e aberta a todas as pessoas que gostem de ouvir, escrever, ler ou declamar poesia.

 

 

 

 

 

 

“Tertúlias no Convento” abordam “Memórias” da CUF/Quimigal do Barreiro

Cartaz Tertulias Poeticas_Jan_Fev_Mar_2019.jpg

 

“Memórias da CUF”, a 28 de janeiro, pelas 15h00, no Convento da Madre de Deus da Verderena, no Barreiro, é o tema da primeira das várias “Tertúlias no Convento” agendadas para os próximos meses. Leal da Silva, engenheiro, com um vasto currículo académico, ligado à Companhia União Fabril/Quimigal, será o convidado da sessão. Com entrada gratuita, esta programação tem como mote “Ao Encontro de…”.

 

Programação para o primeiro trimestre de 2019: 

JANEIRO – “Memórias da CUF”

Convidado: Leal da Silva

28/01/2019 – 15h00

 

FEVEREIRO “E o Tejo aqui tão perto”

Convidada: Lina Soares

25/02/2019 – 15h00

 

MARÇO – “A Odisseia da Pesca do Bacalhau”

Convidada: Elvira Carvalho

25/03/2019 – 15h00

 

Café Filosófico: «O que é o Sentido da Vida?»

53b4522e-4c86-46bf-98fe-167091f7f450.jpg

 

Café Filosófico no Palácio
«O que é o Sentido da Vida?»

Quinta-feira, 06 de Dezembro, 19h30 - 21h30
Palácio dos Aciprestes

(Av. Tomás Ribeiro, nº18, Linda-a-Velha)

 


Inscrição até dia 04/12
 no seguinte formulário: https://bit.ly/2PW09r5



Todos participam!


Convidamos todos os inscritos na actividade a participar no debate
sobre o Sentido da Vida:

- A vida terá um sentido, uma finalidade?

- Somos nós que escolhemos essa finalidade?

- Haverá relação entre Sentido e Liberdade Interior?

- Haverá pré-determinação ou tudo segue o Acaso?

- Somos arquitectos do nosso próprio Destino?

 


 

Participação: 3€ (inclui o café)
Pagamento por transferência para a seguinte
conta da Nova Acrópole:
0045 5492 4029 1166 0659 8

 
 


 
Informações:
oeiras-cascais@nova-acropole.pt
963 925 758

“Palavras na Nossa Terra” evoca poeta Fernando Pinto do Amaral

Cartaz - Palavras na Nossa Terra.jpg

 

Fernando Pinto do Amaral será o poeta evocado no próximo encontro de poesia “Palavras na Nossa Terra”, que se realiza no dia 28 de setembro, às 21h00, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo.

Depois de frequentar a Faculdade de Medicina, que abandonou por falta de vocação, Fernando Pinto do Amaral licenciou-se na área das literaturas românicas, tendo mais tarde concluído o doutoramento nessa mesma área. É professor na Faculdade de Letras de Lisboa, tradutor e crítico literário. Colabora regularmente no jornal "Público" e nas revistas "Ler" e "Colóquio Letras". Em 1990 publicou o seu primeiro livro de poesia, "Acédia", a que se seguiram "A Escada de Jacob" (1993), "Às Cegas" (1997) e "Poesia Reunida 1990-2000". De entre os seus ensaios, destaque para o "O Mosaico Fluido - Modernidade e Pós-modernidade na Poesia Portuguesa mais Recente" (1991). Traduziu, entre outros, Baudelaire, Verlaine, Borges.

A participação nestes encontros de poesia, que decorrem uma vez por mês, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo, é livre e aberta a todas as pessoas que gostem de ouvir, escrever, ler ou declamar poesia.

 

 

Vitorino Nemésio é poeta evocado no próximo encontro de poesia | Biblioteca Municipal de Pinhal Novo - 27 de julho

“Palavras na Nossa Terra”

Vitorino Nemésio é poeta evocado no próximo encontro de poesia

 

O próximo encontro de poesia “Palavras na Nossa Terra” realiza-se no dia 27 de julho, às 21h00, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo, e vai evocar o poeta Vitorino Nemésio. O encontro vai incluir a leitura espontânea de poemas das/os participantes.

Vitorino Nemésio (1901-1978) foi professor da Faculdade de Letras de Lisboa e ensaísta reputado, mas o seu prestígio na história literária portuguesa deve-se, sobretudo, ao romance açoriano “Mau Tempo no Canal”, de 1944, uma história de amor e de sinuosidades familiares e sociais. Deve-se também aos vários livros de poesia que o consagram como um dos grandes líricos do nosso século (“O Verbo e a Morte”, de 1959, e “Sapateia Açoriana, Andamento Holandês e Outros Poemas”, de 1976), que equaciona o sentido da existência humana perante os diversos conflitos que a centram: o sagrado e o profano, o saber e a ingenuidade, a cultura e a natureza, o amor excessivo e os desapegos da banalidade quotidiana.

A participação nestes encontros de poesia, que decorrem uma vez por mês, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo, é livre e aberta a todas as pessoas que gostem de ouvir, escrever, ler ou declamar poesia.

 

 

 

RAUL BRANDÃO NA ACADEMIA DAS CIÊNCIAS

raul brandao frente.JPG

 

 

 

Vai ter lugar na próxima segunda-feira, 18 de Junho, na Academia das Ciências, uma mesa-redonda subordinada ao tema “Três olhares sobre a vida e a obra de Raul Brandão”. A sessão, integrada num Ciclo evocativo daquele insigne escritor, tem início às 18 horas e conta com a participação de António Valdemar, Isabel Cristina Mateus, José Manuel de Vasconcelos, José Manuel Mendes e Luís Machado.

 

Promovido pela Associação Portuguesa de Escritores, este evento, coordenado por Luís Machado, propõe um vasto programa que integra palestras, mesas-redondas e projecção de filmes.

 

As entradas para todas as sessões do ciclo “Raul Brandão – Um Tributo” são livres.

 

Esta iniciativa mereceu o apoio da Antena 1.

Tertúlia poética “Palavras na Nossa Terra” evoca El-Rei D. Dinis | 25 de maio - Biblioteca Municipal de Pinhal Novo

 

“Palavras  na Nossa Terra” em Pinhal Novo

Encontro de Poesia evoca El-Rei D. Dinis

 

 

No dia 25 de maio, às 21h00, a Biblioteca Municipal de Pinhal Novo acolhe o encontro de poesia “Palavras na Nossa Terra” que evocará a poesia trovadoresca de El-Rei D. Dinis.

  1. Dinis, foi Rei de Portugal entre 1279 e 1325. Ficou conhecido como o Lavrador, pelo impulso dado à agricultura e pela plantação do pinhal de Leiria e com o Rei-Poeta. Contribuiu ativamente para o desenvolvimento da poesia trovadoresca,  deixando um legado significativo de Cantigas de Amor, de Amigo e de Maldizer publicadas nos Cancioneiros Galaico-Portugueses. Como poeta, D. Dinis é, entre os trovadores dos Cancioneiros, o que melhor representa a poesia trovadoresca.

A participação nestes encontros de poesia, que decorrem uma vez por mês, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo, é livre e aberta a todas as pessoas que gostem de ouvir, escrever, ler ou dizer poesia.

 

 

Casino Lisboa homenageia Sophia de Mello Breyner em ciclo de "Tertúlias Poéticas do Casino"

Casino Lisboa 1.jpg

 

O Casino Lisboa acolhe, na próxima Terça-Feira, 22 de Maio, às 21h30, a 2ª sessão do ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino”. Agendada para o restaurante Beltejo, no 3º piso, esta iniciativa de âmbito cultural resulta de uma parceria do Casino Lisboa com a Associação de Moradores e Comerciantes do Parque da Nações - AMCPN.

 

Recorde-se que, no passado mês de Abril, o Casino Lisboa inaugurou o ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino”, prestando homenagem a Fernando Pessoa. Foi num ambiente intimista que o restaurante Beltejo encheu para acolher um programa diversificado, que se iniciou com a declamação de poemas da autoria de J. Figueiredo Costa, bem como de poetas consagrados, entre os quais, se destacou Fernando Pessoa. Estiveram, também, em evidência outras manifestações culturais: pintura ao vivo com uma aguarela de Carlos Santos Marques, momento música com José Eduardo Sabbo (trio de flautas) e exposição de fotografia de José Boldt.

 

Foi, de facto, uma oportuna iniciativa de índole cultural que permitiu ao público ler os poemas, partilhá-los com os presentes e conhecer, ainda, os autores, poetas, músicos, pintores e fotógrafos.

 

O ciclo de “Tertúlias Poéticas do Casino” é uma organização da AMCPN que se realiza no restaurante Beltejo do Casino Lisboa, até ao próximo mês de Novembro. Visa criar um espaço de convívio na Freguesia do Parque das Nações, onde a cultura partilhada é o seu pilar central.

 

Com periodicidade mensal, o programa prossegue no próximo dia 26 de Junho, prestando homenagem a José Carlos Ary dos Santos.