Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Caminhos da Pedra: mais de 50 espetáculos gratuitos a partir de 12 de outubro na região do Médio Tejo

Caminhos da Pedra
a partir de 12 de outubro no Médio Tejo

 

ca4abc1f-aa00-45a3-8cf5-3ca16279d0a5.jpg

 

O terceiro e último momento do Caminhos do Médio Tejo 2018 - Caminhos da Pedra – realiza-se nos dias 12-14 e 18-21 de outubro, na região do Médio Tejo. Depois do Caminhos do Ferro e do Caminhos da Água, em abril e em julho, respetivamente, chega agora a altura de fechar o ciclo, neste terceiro momento, com mais de 50 espetáculos gratuitos durante dois fins-de-semana, em Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha.

Um conjunto de ofertas culturais, organizado pela CIMT - Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e pelos 13 municípios integrantes que inclui espetáculos de música, teatro, dança, teatro de rua, circo contemporâneo, histórias e percursos artísticos, seguindo os caminhos e as estradas da região.

Na música, há Lula Pena que, com a sua voz e guitarra, vagueia pelo português, francês, espanhol, inglês e grego (Tomar), LST – Lisboa String Trio, de José Peixoto, na guitarra, Carlos Baretto, no contrabaixo, e Bernardo Couto, na guitarra portuguesa (Entroncamento), Cristina Branco, que tem um álbum lançado este ano, Branco (Ourém), Norberto Lobo, acompanhado por Marco Franco e Ricardo Jacinto (Torres Novas), Marta Pereira da Costa, Uma Mulher, Uma Guitarra em palco (Tomar), La Negra, projeto que nos traz a voz e o piano de Sara Ribeiro (Sardoal), paisagens sonoras de Senza (Sardoal), Crassh Babies 2.0, de CRASSH, dirigido às famílias (Ferreira do Zêzere) e o projeto comunitário Voz à Solta que, sob a direção musical de Rui Souza junta as gentes de Ourém e Vila Nova da Barquinha numa Marcha de Almas (Ourém e Vila Nova da Barquinha).

No teatro, há Catabrisa, pela Companhia Instável (Sardoal), Se eu vivesse, tu morrias, de Miguel Castro Caldas (Torres Novas) e Aurora, de Mandrágora (Ferreira do Zêzere). No âmbito do teatro de rua, Mulier, da companhia espanhola Maduixa (Tomar e Entroncamento), a estreia nacional de Flagrant Délire, da companhia francesa Yann Lheureux (Entroncamento) e há Bestiário à Solta, onde se descobrem Histórias do Bestiário Tradicional Português (Entroncamento, Ferreira do Zêzere e Tomar) que irão agradar a todos, desde os mais novos aos mais velhos.

As propostas de circo contemporâneo são Gigante, de La Pequeña Victoria Cen (Ferreira do Zêzere e Vila Nova da Barquinha) e SAVAR A.M., de Erva Daninha (Ourém e Torres Novas).

Há ainda percursos de quatro artistas em diversas localidades: Iria - percurso sonoro, de Tiago Correia (Tomar), Pedra a pedra, de Ana Bento (Sardoal), De mapa na mão, de BURILAR (Ourém) e Andão mortos por sima dos vivos, de Francisco Goulão (Torres Novas).

Toda a programação do Caminhos do Médio Tejo é gratuita e apresenta-se, uma vez mais, com um programa cultural completo e apelativo, para todos os gostos e idades.
 

CAMINHOS DO MÉDIO TEJO 2018

O Caminhos do Médio Tejo 2018 – Programação Cultural em Rede – divide-se em três ciclos programáticos, que percorrem os acessos viários da região para chegar a todas as comunidades.

Em abril deste ano, teve lugar o Caminhos do Ferro, que acompanhou as linhas ferroviárias, em julho, o programa seguiu os cursos dos rios com o Caminhos da Água e agora, em outubro, percorre as estradas para assistirmos ao Caminhos da Pedra.

Criado em 2017 pela CIMT - Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e os 13 municípios integrantes, este projeto pretende proporcionar encontros em redor da cultura, colocando os recursos e espaços naturais ao serviço das comunidades. Encontros dos artistas com as comunidades, dos residentes com os vizinhos ou com outros visitantes, da arte com o entretenimento e da cultura com a paisagem natural.

 

CAMINHOS DA PEDRA
12-14 / 18-21 OUTUBRO
Entroncamento
Ferreira do Zêzere
Ourém
Sardoal
Tomar
Torres Novas
Vila Nova da Barquinha

 

PROGRAMA
POR DIAS

DIA 12 (SEXTA)
09:30 Iria - percurso sonoro, Tiago Correia – percurso
Posto de Turismo - Mata dos Sete Montes, TOMAR

10:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Centro Escolar de Areias, F. ZÊZERE

10:30 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Parque Infantil, TOMAR

11:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Jardim José Pereira Caldas (Jardim da Aranha), ENTRONCAMENTO
Catabrisa, Companhia Instável - teatro
Bombeiros Municipais, SARDOAL

14:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Centro Escolar de F.Zêzere, F. ZÊZERE

Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Jardim José Pereira Caldas (Jardim da Aranha), ENTRONCAMENTO

Catabrisa, Companhia Instável - teatro
Bombeiros Municipais, SARDOAL

15:30 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Centro Escolar de F.Zêzere, F. ZÊZERE

17:30 Pedra a pedra, Ana Bento – percurso
Lg. do Pelourinho, SARDOAL

21:30 Lisboa String Trio – música
Centro Cultural_ENTRONCAMENTO

22:30 Lula Pena – música
Complexo Cultural da Levada, TOMAR
 

DIA 13 (SÁBADO)

09:30 Iria - percurso sonoro, Tiago Correia – percurso
Posto de Turismo - Mata dos Sete Montes, TOMAR

10:00 Crassh Babies 2.0, CRASSH - teatro
Centro Cultural, F. ZÊZERE

11:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua Complexo Cultural da Levada, TOMAR

Catabrisa, Companhia Instável - teatro
Bombeiros Municipais, SARDOAL

Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Jardim Afonso Serrão Lopes (Zona Verde), ENTRONCAMENTO

11:30 Crassh Babies 2.0, CRASSH - teatro
Centro Cultural, F. ZÊZERE

14:00 Catabrisa, Companhia Instável - teatro
Bombeiros Municipais, SARDOAL

15:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Parque Infantil, TOMAR

15:30 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Biblioteca Municipal, F. ZÊZERE

16:30 Iria - percurso sonoro, Tiago Correia – percurso
Posto de Turismo - Mata dos Sete Montes, TOMAR

17:00 Mulier, Maduixa – teatro de rua
Praça da República, TOMAR

21:30 Yann Lheureux, Flagrant Délire – teatro de rua
Praça Salgueiro Maia_ENTRONCAMENTO
Pedra a pedra, Ana Bento – percurso
Largo do Pelourinho, SARDOAL
 

DIA 14 (DOMINGO)
09:30 Iria - percurso sonoro, Tiago Correia – percurso
Posto de Turismo - Mata dos Sete Montes, TOMAR

11:00 Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Jardim do Mouchão, TOMAR

Bestiário à Solta, Histórias do Bestiário Tradicional Português – teatro de rua
Jardim José Pereira Caldas (Jardim da Aranha), ENTRONCAMENTO

11:30 Pedra a pedra, Ana Bento – percurso
Largo do Pelourinho, SARDOAL

16:00 Pedra a pedra, Ana Bento – percurso
Largo do Pelourinho, SARDOAL

16:30 Iria - percurso sonoro, Tiago Correia – percurso
Posto de Turismo - Mata dos Sete Montes, TOMAR

18:00 Mulier, Maduixa – teatro de rua
Praça Salgueiro Maia, ENTRONCAMENTO

21:30 Marta Pereira da Costa – música
Cineteatro Paraíso, TOMAR

***

DIA 18 (QUINTA)

14:00 De mapa na mão, BURILAR - percurso
Museu Municipal - Casa do Administrador, OURÉM

21:30 Se eu vivesse, tu morrias, Miguel Castro Caldas - teatro
Teatro Virgínia, TORRES NOVAS

DIA 19 (SEXTA)
10:00 De mapa na mão, BURILAR - percurso
Museu Municipal - Casa do Administrador, OURÉM

11:00 Gigante, La Pequeña Victoria Cen - circo contemporâneo
Escola Pedro Ferreiro, F.ZÊZERE

21:00 Gigante, La Pequeña Victoria Cen - circo contemporâneo
Largo 1º de Dezembro, VNBARQUINHA

21:30 SAVAR A.M., Erva Daninha – circo contemporâneo
Junta de Freguesia de Caxarias, OURÉM

21:30 La Negra – música
Centro Cultural Gil Vicente, SARDOAL

 

DIA 20 (SÁBADO)
10:30 Andão mortos por sima dos vivos, Francisco Goulão - percurso
Zona Ribeirinha - Lapas, TORRES NOVAS

11:00 De mapa na mão, BURILAR - percurso
Museu Municipal - Casa do Administrador, OURÉM

16:00 SAVAR A.M., Erva Daninha – circo contemporâneo
Praça 5 de Outubro, TORRES NOVAS

17:30 Andão mortos por sima dos vivos, Francisco Goulão - percurso
Zona Ribeirinha - Lapas, TORRES NOVAS

18:00 Marcha das Almas, Projeto Comunitário – música
Praça Luís Kondor - Fátima, OURÉM

21:30 Aurora, Mandrágora - teatro
Cineteatro Ivone Silva, F. ZÊZERE

22:00 Norberto Lobo Trio – música
Teatro Meia Via, TORRES NOVAS
 

DIA 21 (DOMINGO) 

10:30 Andão mortos por sima dos vivos, Francisco Goulão - percurso
Zona Ribeirinha - Lapas, TORRES NOVAS

11:00 De mapa na mão, BURILAR - percurso
Museu Municipal - Casa do Administrador, OURÉM

16:00 Senza – música
Exterior do Centro Cultural, SARDOAL

17:30 Andão mortos por sima dos vivos, Francisco Goulão - percurso
Zona Ribeirinha - Lapas, TORRES NOVAS

18:00 Marcha das Almas, Projeto Comunitário Voz à Solta – música
Largo 1º de Dezembro, VNBARQUINHA

21:30 Cristina Branco - música
Cineteatro Municipal, OURÉM

 

 

46e28101-952d-4fb6-8e47-6f774f52832d.jpg

 

LST - Lisboa String Trio

É nas cordas da guitarra de José Peixoto, do contrabaixo de Carlos Barretto e da guitarra portuguesa de Bernardo Couto que os LST - Lisboa String Trio levam o público numa viagem alucinante pelas ruas da capital portuguesa. Mas não é só de caminhos pelas pedras da calçada que são feitos os trilhos sonoros deste trio instrumental. A sonoridade dos LST é um fenómeno onde entroncam Portugal, a Península Ibérica de hoje e a da época Medieval, podendo escutar-se até laivos de jazz entre sonoridades mais próximas do fado. Uma viagem imperdível com partida e chegada no Centro Cultural do Entroncamento.

 

ff2313b9-a104-4c3e-92f6-6260f174f2b5.jpg

 

Lula Pena

Ao terceiro disco, Lula Pena mostra o Archivo Pittoresco que a tem inspirado desde que em 2010 lançara Troubadour. Por entre as pinceladas de guitarra que dão a pulsação a uma forma distinta de interpretar, a artista vagueia pelo português, francês, espanhol e inglês. Mas também pelo grego, para nos lembrar que por mais diversos que sejam os caminhos que percorremos desde então, é na cultura helénica que encontramos a pedra basilar do léxico português. Pes mou mia lexi foi o single de estreia. Diga-me uma palavra. Será através da música e da palavra de Lula Pena que este ciclo começa a ganhar forma, no Complexo Cultural da Levada, em Tomar.

 

 

038a9df2-73db-4e11-b72d-fa630e50d13f.png

 

La Negra

Com percurso firmado como atriz, o mais recente trilho criativo de Sara Ribeiro conduziu-a à música, sob a pele de La Negra. O projeto surge do encontro entre as luzes e as sombras da multifacetada artista e acende os fantasmas que lhe habitam o imaginário. Histórias de personagens femininas ganham vida e gravitam na atmosfera dos ritmos criados pelos teclados mágicos e a bateria pungente acompanham a voz densa de La Negra. Neste caminho onde parece estar de pedra e cal, Sofia Ribeiro afirma aspirar apenas a criar um momento de beleza, uma ambição para comprovar no Sardoal.

 

a44b7740-a4d2-4c74-ba2e-cf475363ff99.jpg

Norberto Lobo

Depois de esculpido em 2017, o mais recente álbum de Norberto Lobo deixou um rasto luminoso no caminho que o levou a entrar na atmosfera da visibilidade do público. Surgiu como Estrela ascendente que depressa se fixou no firmamento. No Teatro Meia Via, em Torres Novas, espera-se mais um momento de brilho intenso. Uma oportunidade para contemplar o Universo que tem a guitarra de Norberto Lobo como astro-rei, e o violoncelo de Ricardo Jacinto e a bateria de Marco Franco a gravitarem na sua órbita. Um ambiente de mistério para ser admirado na plenitude.

 

92d557f5-b809-4ddc-844e-b710b3286c01.jpg

 

Senza

Pedras no Caminho? Guardamos todas, um dia vamos construir um CD. Podia ter sido qualquer coisa assim que pensaram Catarina Duarte e Nuno Caldeira quando decidiram fazer música inspirados pelas suas viagens. Os Senza nasceram das experiências e memórias que a dupla trouxe na bagagem de uma viagem pelo sudeste asiático, e que resultou no primeiro álbum – Praia da Independência. E depois da bonança trazida por esses postais cantados e envolvidos em música de fusão lusófona, este ano chegou Antes da Monção, com os Senza a apresentarem as paisagens sonoras de uma outra viagem, desta vez à Índia. Será o Sardoal inspiração para uma nova expedição musical?

 

c469f2fd-288b-4aa3-af90-755239751559.jpg

 

Cristina Branco

Menina foi a pedra angular na mudança de caminho da música de Cristina Branco. O álbum de 2016 tem nele os fundamentos para a construção de uma artista que agora se mostra em pleno com as múltiplas cores que encontramos em Branco. Com ele, a cantora diz sentir-se livre e completamente dona da sua música. A sorte de todos nós é que Cristina Branco é uma dona pouco possessiva com algo que se tornou património do mundo. E é todo esse tesouro que Cristina Branco vai partilhar no Cineteatro Municipal de Ourém, cabendo-lhe a responsabilidade de colocar uma Pedra sobre este Caminhos.

 

 

73822542-2f4c-4a28-850e-59bfb3a90091.jpeg

 

Marta Pereira da Costa

O caminho musical explorado por Marta Pereira da Costa funcionou quase como uma pedrada no charco no panorama musical. Emergindo no mundo da guitarra portuguesa, que parecia restrito a homens, a guitarrista conferiu uma nova sensibilidade e estética feminina ao objeto que transporta o som de Portugal. E foi sem surpresa que recebeu da Fundação Amália o Prémio Instrumentista, em 2014. Em palco, Uma Mulher, Uma Guitarra e todo o coração de quem fez do instrumento o prolongamento da alma, no que promete ser um momento irrepetível. Tudo para contemplar no Cineteatro Paraíso.

 

601b67a4-f2c5-4750-ae56-fbfad7f743bc.jpg

 

Projeto comunitário Voz à solta

É com a Marcha das Almas que o projeto Voz à Solta lança a primeira pedra e se faz de imediato ao caminho. Sob a batuta de Rui Souza, compositor e performer que idealizou este projeto, as gentes dos municípios de Ourém e Vila Nova da Barquinha vão dar o corpo - e, sobretudo a voz -, a uma criação que vai percorrer as ruas das alegrias e dos tormentos, do pão, do vinho, do trabalho no campo, da fome e da abundância, da voz, do grito e do silêncio. Uma procissão em que se aclama a identidade de cada um, projetando uma maior identidade coletiva para perceber qual o nosso exato tamanho.

 

TEATRO

 

694b34be-a89d-4e49-933e-ff99863327c7.jpg

Companhia Instável - Catabrisa

Foi da força do vento - o mesmo que espalha sementes e planta pelo caminho a vontade de mudar o mundo – que nasceu o mote para que um menino parta em busca das maiores aventuras que podem existir. Movido pela curiosidade do desejo, do espanto e da invenção, o protagonista do espetáculo trazido à pedra pela Companhia Instável vai à conquista do mundo, num jogo entre texto, ilustração, luz e sombra. Catabrisa, um espaço de ideias em forma de sensação, vai esvoaçar pelos ventos do Entroncamento e de Sardoal.

 

a419b102-5e40-41b6-992f-a9cfd545a114.jpeg

 

CRASSH - Crassh Babies 2.0

Palhaços que inventam figuras em balões? Isso parece uma coisa da idade da Pedra. Hoje, o caminho é outro. Pelo menos, é isso que defendem os Crassh Babies num espetáculo para toda a família em que combinam percussão, movimento e comédia visual. Em tudo, buscam o som para encontrar as reações do seu público. Uma forma educativa de olhar para a música não como arte, mas como o caminho para o desenvolvimento dos mais pequenos. Porque até os bebés têm uma crush pelos sons, algo para comprovar no Centro Cultural de Ferreira do Zêzere.

 

 

2ac5af06-dfec-4529-8f55-f03488ef9c3e.jpg

 

Cia Maduixa - Mulier

O direito de as mulheres poderem mostrar o seu lado instintivo mais selvagem e livre não pode ser decidido na aleatoriedade de um pedra, papel ou tesoura. Em Mulier, a companhia espanhola Maduixa atira a primeira pedra, embrulha os preconceitos e recorta-os de cena. Num multipremiado espetáculo de dança em espaço público, cinco performers femininas elevam-se para homenagear todas as mulheres que durante séculos foram oprimidas e lutaram para viver o seu lado mais selvagem, dançando e correndo livres. E que melhores espaços para exaltar a Liberdade, nesta estreia nacional, do que as Praças da República em Tomar e a Salgueiro Maia, no Entroncamento?

 

874d19f3-4c3c-4a01-a08b-c917280f5022.jpg

 

Miguel Castro Caldas - Se eu vivesse, tu morrias

Palavra fora da boca é pedra fora da mão. Mas e se lhe trocarmos as voltas e pelo caminho inscrevermos as palavras num livro? Se eu vivesse, tu morrias. E neste espetáculo concebido por Miguel Castro Caldas, Lígia Soares e Filipe Pinto, todos vivem. Todos morrem. E no fim, apenas sobrevive a palavra escrita, que viveu antes na boca dos personagens e promete não ser apagada da memória de quem vê o espetáculo. É essa a proposta feita ao público que for ao Teatro Virgínia conhecer a peça que recebeu o prémio SPA 2017 para melhor Texto Português representado.

 

2332d1a8-fb21-443a-9fe3-7fde8e71a9e8.jpg

 

Mandrágora - Aurora

Aurora é o mais recente espetáculo que a companhia Mandrágora traz à luz e que pretende ir à (re)descoberta da natureza, das tradições e das raízes do Parque Nacional da Peneda Gerês. Essa é a essência que guia um espetáculo que tem associada a preocupação com a preservação da Natureza e alerta para o caminho que está a ser feito gradualmente do espaço natural para o citadino. Na leveza de uma peça de teatro de marionetas que vai flutuar no palco do Cineteatro Ivone Silva, em Ferreira do Zêzere, pretende lançar-se uma nova primeira pedra na consciência ambiental de todos.

 

 

TEATRO DE RUA

35b9b7e0-2c39-42eb-b45c-44e3a463d546.jpg

Yann Lheureux - Flagrant Délire

Algures entre o século XVII e o XVIII, uma maçã ajudou Newton a contrariar o conhecimento vigente, inscrevendo o nome na criação da Lei da Gravidade. Acontece que, qual Ícaro, num delírio flagrante, a companhia francesa Yann Lheureux decidiu, agora, desafiar esse conceito. Entre saltos, voos e quedas coordenadas num cenário com múltiplas dimensões, um performer mergulha na génese das suas dúvidas e convicções, criando a vertigem de um espetáculo que, pelo caminho, promete fazer estremecer as pedras da calçada da Praça Salgueiro Maia. Flagrant Délire, um fenómeno com estreia nacional no Entroncamento.

 

e59bacde-677c-4e27-8a18-bbf976bc653d.jpg

Yann Lheureux - Flagrant Délire

Algures entre o século XVII e o XVIII, uma maçã ajudou Newton a contrariar o conhecimento vigente, inscrevendo o nome na criação da Lei da Gravidade. Acontece que, qual Ícaro, num delírio flagrante, a companhia francesa Yann Lheureux decidiu, agora, desafiar esse conceito. Entre saltos, voos e quedas coordenadas num cenário com múltiplas dimensões, um performer mergulha na génese das suas dúvidas e convicções, criando a vertigem de um espetáculo que, pelo caminho, promete fazer estremecer as pedras da calçada da Praça Salgueiro Maia. Flagrant Délire, um fenómeno com estreia nacional no Entroncamento.

Caminhos da Água: balanço + programa de 19 a 22 de julho

13cb727b-6862-4f8f-97e0-c8e2adbbc85a.png

 

Caminhos da Água recebeu cerca de 2800 pessoas
no primeiro fim de semana
e há mais 30 atuações gratuitas para ver, esta semana, 
de 19 a 22 de julho

 

O que é bom corre depressa. E foi isso que aconteceu com o primeiro fim de semana do Caminhos da Água que, num ápice, escoou pelo Médio Tejo e encheu de cultura os municípios de Alcanena, Constância, Ferreira do Zêzere, Mação, Torres Novas e Vila de Rei.

Foram 35 espetáculos gratuitos, de 14 projetos distintos, nas áreas da música, teatro de rua, circo contemporâneo, percursos, jogos e histórias para os mais pequenos.

No fim de semana que abriu o segundo ciclo de 2018 do Caminhos do Médio Tejo - programação cultural em rede, cerca de 2800 pessoas aceitaram o convite e seguiram os cursos de água da região, sedentos por conhecer territórios que se mostraram capazes de absorver a atenção de todos aqueles que ali afluíram.

E a partir desta quinta-feira, a corrente volta a ganhar caudal, com o retomar da programação para mais quatro dias de Caminhos. De 19 a 22 de julho, Abrantes, Alcanena, Mação, Sertã e Vila de Rei são a foz para mais 30 atuações de 12 projetos. E estão todos convidados a perder-se nestes Caminhos da Água - Caminhos do Médio Tejo.

Na música, há Bonga, Valter Lobo e Budda Power Blues & Maria João, no teatro de rua: Ytuquepintas (Sueños de Arena), Projecto EZ (EZ SUB), PIA (Entremundos) e Circolando (Água), há percursos com os artistas João Bento (Correspondência - percurso sonoro para o Jardim da Serrada), Francisco Goulão (Abrantes que cá não mora), Tiago Correia (A Selva), circo contemporâneo: The Funes Troup (The Funes Van) e jogos e histórias para crianças e famílias: Casa das Brincadeiras.

Toda a programação do Caminhos do Médio Tejo é gratuita e apresenta-se, uma vez mais, com um programa cultural dinâmico e apelativo, para todos os gostos e idades. Programação completa em http://caminhos.mediotejo.pt.


CAMINHOS DO MÉDIO TEJO 2018

O Caminhos do Médio Tejo 2018 – Programação Cultural em Rede – divide-se em três ciclos programáticos, que percorrem os acessos viários da região para chegar a todas as comunidades.

Em abril deste ano, teve lugar o Caminhos do Ferro, que acompanhou as linhas ferroviárias. Agora, em Julho, o programa vai por outros caminhos e segue os cursos dos rios. Já a terceira edição, em outubro, percorre as estradas para assistirmos ao Caminhos da Pedra.

Criado em 2017 pela CIMT - Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e os 13 municípios integrantes, este projeto pretende proporcionar encontros em redor da cultura, colocando os recursos e espaços naturais ao serviço das comunidades. Encontros dos artistas com as comunidades, dos residentes com os vizinhos ou com outros visitantes, da arte com o entretenimento e da cultura com a paisagem natural.

 

PROGRAMA CAMINHOS DA ÁGUA – JULHO 2018 - SEGUNDO FIM-DE-SEMANA

19 JUL (5ªF)

10:00-13:00 / 14:30-18:00 Casa das Brincadeiras – Praia Fluvial, Sertã – jogos e histórias

16:00 Correspondência: percurso sonoro para o jardim da Serrada, João Bento – Serrada, Sertã - percurso

18:00 Abrantes que já cá não moura, Francisco Goulão – Castelo de Abrantes, Abrantes – percurso

19:00 A Selva, Tiago Correia – Fábrica da Cultura de Minde, Alcanena - percurso

21:00 The Funes Van, The Funes Troup – Praça 8 de Maio, Alcanena – circo contemporâneo

22:00 Bonga – Praça 8 de Maio, Alcanena – música

 

20 JUL (6ªF)

10:00-13:00 / 14:30-18:00 Casa das Brincadeiras – Praia Fluvial, Sertã – jogos e histórias

16:00 Correspondência: percurso sonoro para o jardim da Serrada, João Bento – Serrada, Sertã - percurso

17:00 The Funes Van, The Funes Troup – Praia Fluvial do Penedo Furado, Vila de Rei – circo contemporâneo

18:00 Abrantes que já cá não moura, Francisco Goulão – Castelo de Abrantes, Abrantes – percurso

19:00 A Selva, Tiago Correia – Fábrica da Cultura de Minde, Alcanena - percurso

22:00 Sueños de Arena, Ytuquepintas – Praça Raimundo Soares, Abrantes – teatro de rua

 

21 JUL (SAB)

11:00 EZ SUB, Projecto EZ – Centro Histórico, Abrantes – teatro de rua

16:00 Correspondência: percurso sonoro para o jardim da Serrada, João Bento – Serrada, Sertã - percurso

17:00 EZ SUB, Projecto EZ – Praia Fluvial Ortiga, Mação – teatro de rua

18:00 Entremundos, PIA – Praia Fluvial, Sertã – teatro de rua

         Abrantes que já cá não moura, Francisco Goulão – Castelo de Abrantes, Abrantes – percurso

         Valter Lobo - Jardim Municipal, Mação – música

19:00 A Selva, Tiago Correia – Fábrica da Cultura de Minde, Alcanena - percurso

21:30 Sueños de Arena, Ytuquepintas – Centro Geodésico de Portugal, Vila de Rei – teatro de rua

 

22 JUL (DOM)

11:00 EZ SUB, Projecto EZ – Praia Fluvial do Bostelim, Vila de Rei – teatro de rua

         Água, Circolando – Parque Tejo, Abrantes – teatro de rua

16:00 Correspondência: percurso sonoro para o jardim da Serrada, João Bento – Serrada, Sertã - percurso

17:00 Água, Circolando – Parque Tejo, Abrantes – teatro de rua

        EZ SUB, Projecto EZ – Alameda da Carvalha, Sertã – teatro de rua

18:00 Abrantes que já cá não moura, Francisco Goulão – Castelo de Abrantes, Abrantes – percurso

19:00 A Selva, Tiago Correia – Fábrica da Cultura de Minde, Alcanena - percurso

21:30 Budda Power Blues & Maria João – Escadaria do Hotel do Convento, Sertã – música

 

b4740cb5-6db4-4f0d-9bff-7bb429c6a66c.jpg

BONGA

Bonga e água. A receita para criar toda a efervescência do semba é simples. Aquele que é provavelmente o maior embaixador da música angolana em Portugal tem Recados de Fora para dar e vai fazê-lo, com ritmo no pé, em Alcanena. O menino que nasceu nas margens do rio Dange, em Porto Kipiri, passa pelo Alviela para apresentar um pouco do que tem feito nos últimos 40 anos e levar todos prá Angola. É com Água Raz que Bonga abre caminho ao seu mais recente álbum, no qual deixa claro que ainda não lhe passa pela cabeça abandonar o barco da música e do ativismo.

19/07 22:00 Alcanena Praça 8 de Maio

 

a265dbb1-8061-451b-a922-626bb20801b5.jpeg

 

VALTER LOBO

Talvez por ser de água, Valter Lobo vive de forma intensa o que sonhou no calor da infância. Talvez por ser de água, tornou a vida um rio. Depois de atravessar o Inverno, aportou no Mediterrâneo que lhe aquece a viagem desde 2016. É de guitarra acústica nas mãos e voz afinada em português que este advogado de formação dita as suas leis na música. Afluente de Fafe, cidade no meio da encruzilhada dos rios Ferro, Bugio e Vizela, Valter Lobo desbrava caminho, fugindo do seu curso normal para desaguar à beira Tejo. E promete deixar em flor o Jardim de Mação.

21/07 18:00 Mação Jardim Municipal

 

 

BUDDA POWER BLUES & MARIA JOÃO

Budda Power e Maria João. Blues e Jazz. Uma união que vai buscar o que há de mais puro em cada uma das partes e resulta num deleite cristalino. Água mole em pedra dura… ou a delicadeza e teatralidade de Maria João num casamento perfeito com a voz rouca e a guitarra elétrica de Budda Guedes. Essa junção improvável é a alma deste The Blues Experience. E a sua energia até poderá ser captada pelas barragens que delimitam uma vila que, orgulhosa da união das forças ribeirinhas que acontece no seu leito, a imprime no seu brasão. O Convento da Sertã será o cenário de uma noite que tem tudo para ser histórica.

22/07 21:30 Sertã Hotel do Convento

 

TEATRO DE RUA

64e18c65-49dc-4ac2-bce1-270997a9e596.jpg

 

Sueños de Arena, Ytuquepintas

Sonhos construídos em grãos de areia que pingam das mãos de Borja González. Surgem de forma mágica para depois desaparecer por caminhos que não deixam rasto, dando lugar a novas imagens que nascem e preenchem o imaginário. Os Sueños de Arena são tão efémeros como os que nos invadem as noites e igualmente impossíveis de continuar ou repetir. É arte que se desvanece com a força de um sopro e que, por isso mesmo, tem de ser vivida no momento. É a história de duas pessoas, servida em ambiente intimista que vai envolver o público de Abrantes e Vila de Rei, levando-o a mergulhar nestes Sueños.

20/07 22:00 Abrantes Praça Raimundo Soares
21/07 21:30 Vila de Rei Centro Geodésico de Portugal

 

 

214143fc-519c-4aa4-9797-dd4b6271871d.jpg

 

ENTREMUNDOS, PIA

Que a morte é uma das grandes questões do universo, é claro como a água. Aquilo que varia é a forma como caminhamos na vida para chegar a esse destino. A Companhia PIA dedica um espetáculo a esta viagem ENTREMUNDOS, o dos vivos e o dos mortos, criando um universo paralelo onde nem a possibilidade de congelar o tempo trava o normal discorrer das vidas, que, como os rios, não têm forma de correr de volta à nascente. Neste espetáculo, porém, todos vão poder voltar a olhar para o mundo na perspetiva de uma pequena criança. Ali, na praia fluvial da Sertã, onde a Ribeira Grande corre sem medo em direção ao horizonte.

21/07 18:00 Sertã Praia Fluvial

 

53e10d36-54bb-4324-8869-4d1fbdabe954.jpg

 

EZ SUB, Projeto EZ

Deixando-se levar pela corrente dos Caminhos da Água, um submarino terrestre vai percorrer os sete municípios integrantes deste ciclo, com o objetivo de fazer emergir alegria e espanto à sua passagem. Momentos de teatro itinerante com recurso a uma máquina de grandes proporções que vai navegar por entre qualquer mar de gente. E que corre o risco de ficar inundado pelo público que não vai perder a oportunidade de embarcar nesta aventura e tornar-se protagonista de mais uma performance do Projeto EZ.

21/07 11:00 Abrantes Centro Histórico
21/07 17:00 Mação Praia Fluvial Ortiga
22/07 11:00 Vila de Rei Praia Fluvial do Bostelim
22/07 17:00 Sertã Alameda da Carvalha

 

7faa63d8-0f7f-42b5-93ec-9e06aaf35e19.jpg

 

Água, Circolando

Circular pelos caminhos por onde a água nos leva, conhecendo os seus diferentes estados através de micro-histórias que nascem do cruzamento entre instalação, arte pública e performance. Esse é o convite feito pela Circolando no espetáculo Água, que pretende inundar de gente o Jardim das Rosas, em Torres Novas, e o Parque Tejo, em Abrantes. Com a água como elemento central e um elo, três iglôs são o ponto de partida do pivot ecologista, do pescador de águas frias e do mago da terra negra, numa performance em que a água convida a uma contemplação em profundidade, com a consciencialização como fundo.

22/07 11:00 Abrantes Parque Tejo
22/07 17:00 Abrantes Parque Tejo

 

CIRCO CONTEMPORÂNEO

0f62523a-bd76-4ec1-a1d8-11c337ee9251.jpg

 

The Funes Van, The Funes Troup

Três amigos, uma caravana, bebida, malabarismos, saltos e pinotes sem conta. No meio de tudo isto, os três elementos que compõem a companhia espanhola The Funes Troup prometem uma barrigada de gargalhadas, esperando não meter água pelo caminho. Mas mesmo que isso aconteça, o mais provável é que esteja tudo planeado. Funes Van não é mais do que um jogo entre o clown e o circo contemporâneo, em que a tripla de interpretes mostra o quão irracionais, egoístas e inúteis podem ser as ideias do ser humano. Tudo numa linguagem simples e acessível para todos os públicos.

19/07 21:00 Alcanena Praça 8 de Maio
20/07 17:00 Vila de Rei Praia Fluvial do Penedo

 

JOGOS E HISTÓRIAS

4b98dd01-242f-4ba8-bc8c-83b33b41521c.jpg

Casa das Brincadeiras

Diz a sabedoria popular que “em casa de ferreiro, espeto de pau”. Mas na Casa das Brincadeiras não há espaço para dúvidas, Empurro eu, empurras tu, mas todos brincam. E porque os Caminhos da Água são também para os mais pequenos – aqueles por quem se começa a construir o futuro – eles próprios vão ter a possibilidade de criar os alicerces e as pontes desta relação. Para isso, terão a Cidade da Esponja, que lhes promete absorver o tempo, fazendo jorrar alegria em repuxos de criatividade, mas também a Cidade Visível, construída à imagem de cada um, em Torres Novas e na Sertã.

19/07 10:00 Sertã Praia Fluvial
20/07 10:00 Sertã Praia Fluvial

PERCURSOS

A criatividade de cinco artistas ganhou caudal com as ideias e partilhas que afluíram das comunidades por onde passaram em residência artística. Depois de recolhidas as lembranças que as gentes de Alcanena, Abrantes, Ferreira do Zêzere, Sertã e Vila de Rei têm dos seus lugares, é tempo de voltar a esses caminhos, num convite para que as populações e os visitantes se juntem aos artistas, encontrando novas paisagens em trilhos de todos os dias. Como uma espécie de processo de fertilização dos solos esquecidos, que querem, agora, germinar memórias coletivas renovadas, numa projeção da visão dos artistas convidados.

79ea8cb7-fae6-453e-b85c-054f886185d3.png

 

FRANCISCO GOULÃO
Abrantes já cá não moura

Num regresso à cidade onde viveu a infância e adolescência, Francisco Goulão descobriu que era desconhecido para ele o passado da notável “vila de Abrantes”. A partir daí, percebeu que o caminho que queria seguir teria de passar por trazer à tona a origem de mitos urbanos que viveram na sua memória durante anos, levando-o a fantasiar sobre coisas que nunca existiram. Em Abrantes já cá não moura, o artista pretende fazer o percurso até à origem de muitos desses mitos e, quem sabe, tornar-se nascente de novas lendas que corram depois por esses anos fora.

19/07 18:00 Abrantes Castelo
20/07 18:00 Abrantes Castelo
21/07 18:00 Abrantes Castelo
22/07 18:00 Abrantes Castelo

 

08de0bb3-4be4-472a-be1d-ea0bf840d29f.jpg

JOÃO BENTO
Correspondência - percurso sonoro para o Jardim da Serrada

O percurso sonoro preparado para o jardim da Serrada é um espaço de reflexão em torno do som e da palavra sobre e para aquele lugar concreto. A partir da requalificação paisagística da Serrada, João Bento constrói uma viagem sonoro/poética em movimento para o espaço, numa condução audio que cada participante transportará consigo. Como um rio que corre numa determinada direcção, abre-se um espaço à reflexão conjunta sobre o lugar, onde são manifestados desejos, histórias ou novos olhares sobre o local que habitamos. Observando-o mais a pormenor.

19/07 16:00 Sertã Serrada
20/07 16:00 Sertã Serrada
21/07 16:00 Sertã Serrada
22/07 16:00 Sertã Serrada

 

d951637f-e681-49a9-920f-6d82fb800252.png

TIAGO CORREIA
A Selva

Desenvolvido em residência artística, com a participação e co-criação de habitantes da comunidade da região, este percurso inscreve-se na paisagem minderica. Um processo de cariz teatral que explora métodos e linguagens plurais, para uma experiência energicamente popular. Alimenta-se da memória do lugar, assim como da sua realidade contemporânea, para apresentar, questionar e homenagear a sua cultura, a sua vida e o seu presente.

19/07 19:00 Alcanena Fábrica da Cultura de Minde
20/07 19:00 Alcanena Fábrica da Cultura de Minde
21/07 19:00 Alcanena Fábrica da Cultura de Minde
22/07 19:00 Alcanena Fábrica da Cultura de Minde

 

Chrysta Bell, a cantora, modelo e actriz de Twin Peaks vai estar em Portugal no mês de Abril | Tour - We Dissolve

947ce609-e345-4175-8705-a4c3ec613bc9.jpg

 

 
Hoje Chrysta Bell é reconhecida pelo seu papel na nova série de Twin Peaks desempenhando o papel da agente do FBI Tamara Preston e também pela já longa parceria musical com David Lynch.

2018 anuncia a continuação da tour que tem levado Chrysta Bell a percorrer os EUA e a Europa na maior tour que a artista já fez.

O seu último disco “ We Dissolve” pode ser descrito como um disco pop, com influências soul, rock e jazz .

Um disco que mistura o seu lado mais negro com a sua vertente sensual que nos deixa envolvidos música a música como um efeito hipnótico.

Colaborações de peso como é o caso de Adrian Utley dos Portishead, o mítico teclista Geoff Downes dos Asia e dos YES e o guitarrista Stephen O´Melley dos Sunn O, conferem aqui uma abrangência musical que revela grande maturidade.

O disco foi gravado em Bristol com reconhecido produtor John Parish, vencedor de um Mercury Prize.

Esta digressão tem como pilar este seu novo disco “ We dissolve”, no entanto outras faixas do seu primeiro álbum “This Train”, produzido por David Lynch, poderão ser igualmente escutadas nesta série de concertos em Portugal.
 
Datas:

11 de Abril  –
Coimbra – Teatro Gil Valente - 21h30

12 de Abril –
Arcos de Valdevez – Casa da Artes - 21h30

13 de Abril  –
Ovar – Centro de Arte de Ovar - 21h30

14 de Abril –
Torres Novas  – Teatro Virginia - 21h30
 

 

No próximo sábado estamos no Teatro Vírginia em Torres Novas com A NOITE DA DONA LUCIANA de Copi.

No próximo sábado estamos no Teatro Vírginia em Torres Novas com A NOITE DA DONA LUCIANA de Copi.

imgnw-imgnw-2470-2.jpg

 

A NOITE DE DONA LUCIANA 
de Copi

Tradução ISABEL ALVES Encenação RICARDO NEVES-NEVES Assistência de encenação CATARINA RÔLO SALGUEIRO Elenco CUSTÓDIA GALLEGOJOSÉ LEITEMÁRCIA CARDOSORAFAEL GOMESRITA CRUZ e VÍTOR OLIVEIRA Figurinos JOSÉ ANTÓNIO TENENTE Luz ELDUPLO Técnico de Luz SIMÃO SOARES Música SÉRGIO DELGADO Fotografias ALÍPIO PADILHA Vídeo Promocional EDUARDO BREDA Apoio ao espectáculo EMANUEL SANTOS Comunicação MAFALDA SIMÕES Um espectáculo TEATRO DO ELÉCTRICO M16 Duração 70 min

O espectáculo já foi apresentado em Lisboa, Leiria, Vila Velha de Ródão, Funchal, Matosinhos. Tem sessões agendadas para Loulé e Torres Novas.

O espectáculo teve duas nomeações para os Prémios da Sociedade Portuguesa de Autores: Melhor Espectáculo do Ano e Melhor Actriz do Ano (Rita Cruz).

Teatro Virgínia – Torres Novas (21 de Outubro, 21H30)
249 839 309 | bilheteira@teatrovirginia.com

Espectáculo apoiado pela Fundação GDA, apoio à Circulação de Espectáculos.

 

imgnw-imgnw-2472-1.jpg

 

KARL VALENTIN KABARETT
de Karl Valentin

Textos KARL VALENTIN Tradutores ALMEIDA FARIA, JORGE SILVA MELO, LUÍZA NETO JORGE, MARIA ADÉLIA SILVA MELO, OSÓRIO MATEUS Encenação RICARDO NEVES-NEVES Assistência de encenação RAFAEL GOMES Elenco ELSA GALVÃO, FERNANDO GOMES, JOANA CAMPELO, JOSÉ LEITE, MÁRCIA CARDOSO, RAFAEL GOMES, RITA CRUZ, SÍLVIA FIGUEIREDO, TADEU FAUSTINO, TÂNIA ALVES e VÍTOR OLIVEIRA Direcção musical RITA NUNES Apoio Vocal JOÃO HENRIQUES Orquestra FRANCISCO ANDRADE (Saxofone tenor), IVO RODRIGUES (Trompete), JOSÉ ALMEIDA (Baixo), JOSÉ MASSARRÃO (Saxofone alto), MARCOS LÁZARO (Violino), RITA NUNES (Saxofone alto e Barítono), RUI PEREIRA (Bateria), SIMON WADSWORTH (Piano), TOMÁS PIMENTEL (Trompete), XAVIER RIBEIRO (Trombone) Cantor TIAGO AMADO GOMES Sonoplastia SÉRGIO DELGADO Coreografia TIAGO CARETO Figurinos RAFAELA MAPRIL Assistência de Figurinos ANA SABINO Costureira  CLÁUDIA MONTEIRO Adereços PESSOA JR. Luz ELDUPLO Técnico de Luz SIMÃO SOARES Fotografias ALÍPIO PADILHA Vídeo promocional EDUARDO BREDA Apoio ao espectáculo EMANUEL SANTOS Produção/Comunicação MAFALDA SIMÕES Um espectáculo TEATRO DA TRINDADE, FESTIVAL DE ALMADA e TEATRO DO ELÉCTRICO M6

Karl Valentin Kabarett cruza várias peças curtas de Karl Valentin com músicas de repertório popular alemão do início do século XX, cantadas ao vivo em alemão pelos onze actores e um cantor lírico, acompanhados de uma orquestra de dez elementos.

Teatro Virgínia – Torres Novas (13 de Janeiro, 21H30)
249 839 309 | bilheteira@teatrovirginia.com 

KARL VALENTIN KABARETT esta semana em Montemor-o-Novo, na 4ªf 4 de Outubro. A NOITE DA DONA LUCIANA em Torres Novas a 21 de Outubro.

OUT 2017
KARL VALENTIN KABARETT esta semana em Montemor-o-Novo, na 4ªf 4 de Outubro. A NOITE DA DONA LUCIANA em Torres Novas a 21 de Outubro.

imgnw-imgnw-2466-1.jpg

 

 

KARL VALENTIN KABARETT
de Karl Valentin

Textos KARL VALENTIN Tradutores ALMEIDA FARIA, JORGE SILVA MELO, LUÍZA NETO JORGE, MARIA ADÉLIA SILVA MELO, OSÓRIO MATEUS Encenação RICARDO NEVES-NEVES Assistência de encenação RAFAEL GOMES Elenco ELSA GALVÃO, FERNANDO GOMES, JOANA CAMPELO, JOSÉ LEITE, MÁRCIA CARDOSO, RAFAEL GOMES, RITA CRUZ, SÍLVIA FIGUEIREDO, TADEU FAUSTINO, TÂNIA ALVES e VÍTOR OLIVEIRA Direcção musical RITA NUNES Apoio Vocal JOÃO HENRIQUES Orquestra FRANCISCO ANDRADE (Saxofone tenor), IVO RODRIGUES (Trompete), JOSÉ ALMEIDA (Baixo), JOSÉ MASSARRÃO (Saxofone alto), MARCOS LÁZARO (Violino), RITA NUNES (Saxofone alto e Barítono), RUI PEREIRA (Bateria), SIMON WADSWORTH (Piano), TOMÁS PIMENTEL (Trompete), XAVIER RIBEIRO(Trombone) Cantor TIAGO AMADO GOMES Sonoplastia SÉRGIO DELGADO Coreografia TIAGO CARETOFigurinos RAFAELA MAPRIL Assistência de Figurinos ANA SABINO Costureira  CLÁUDIA MONTEIRO Adereços PESSOA JR. Luz ELDUPLO Fotografias ALÍPIO PADILHA Vídeo promocional EDUARDO BREDA Apoio ao espectáculo EMANUEL SANTOS Produção/Comunicação MAFALDA SIMÕES Um espectáculo TEATRO DA TRINDADE, FESTIVAL DE ALMADA e TEATRO DO ELÉCTRICO M6

Karl Valentin Kabarett cruza várias peças curtas de Karl Valentin com músicas de repertório popular alemão do início do século XX, cantadas ao vivo em alemão pelos onze actores e um cantor lírico, acompanhados de uma orquestra de dez elementos.

Próximas apresentações em:

Cine-Teatro Curvo Semedo - Montemor-o-Novo (4 de Outubro de 2017, 21H30)
967 407 748 | Rua João Luis Ricardo, 7050-252 Montemor-o-Novo

Teatro Virgínia – Torres Novas (13 de Janeiro, 21H30)
249 839 309 | bilheteira@teatrovirginia.com 

imgnw-imgnw-2468-1.jpg

 

A NOITE DE DONA LUCIANA 
de Copi

Tradução ISABEL ALVES Encenação RICARDO NEVES-NEVES Assistência de encenação CATARINA RÔLO SALGUEIRO Elenco CUSTÓDIA GALLEGOJOSÉ LEITEMÁRCIA CARDOSORAFAEL GOMESRITA CRUZ e VÍTOR OLIVEIRA Figurinos JOSÉ ANTÓNIO TENENTE Luz ELDUPLO Música SÉRGIO DELGADO Fotografias ALÍPIO PADILHA Vídeo Promocional EDUARDO BREDA Apoio ao espectáculo EMANUEL SANTOS Comunicação MAFALDA SIMÕES Um espectáculo TEATRO DO ELÉCTRICO M16 Duração 70 min

O espectáculo já foi apresentado em Lisboa, Leiria, Vila Velha de Ródão, Funchal, Matosinhos. Tem sessões agendadas para Loulé e Torres Novas.

O espectáculo teve duas nomeações para os Prémios da Sociedade Portuguesa de Autores: Melhor Espectáculo do Ano e Melhor Actriz do Ano (Rita Cruz).

Próxima apresentação:

Teatro Virgínia
 – Torres Novas (21 de Outubro, 21H30)
249 839 309 | bilheteira@teatrovirginia.com

 
 

14 horas de festa no Arena Shopping Day | Descontos, concertos, animações e passatempos no maior shopping do Oeste

Arena Shopping Day 2017.jpeg

 

Arena Shopping Day 2017_Cavakitos.jpeg

 

Descontos, concertos, animações e passatempos no maior shopping do Oeste

 

14 HORAS DE FESTA NO ARENA SHOPPING DAY

 

O Arena Shopping organiza no próximo dia 3 de Junho mais uma edição do Shopping Day, que oferece descontos em diversas lojas, concertos, animações, passatempos e até uma emocionante emissão da final da Liga dos Campeões em ecrã gigante.

 

A apenas 40 minutos de Lisboa, o Arena Shopping, em Torres Vedras, acaba de anunciar mais uma edição do Shopping Day, um dia cheio de descontos e promoções em lojas de roupa femininas, masculinas e infantis, calçados, acessórios, brinquedos e itens de perfumaria. 

 

Além das ofertas imperdíveis, estão programados concertos do DJ Ângelo Rodrigues, às 12h30 e às 16h, com sets de música de verão e momentos especiais para selfies com as suas seguidoras. Na programação musical, está também previsto um concerto dos Los Cavakitos, às 18h, uma banda que é já um fenómeno de popularidade. Porém, está ainda agendada a transmissão de vários concertos musicais de artistas pop rock de todo o mundo, ao longo de todo o dia, num ecrã gigante no terraço do centro comercial.

 

No Arena Shopping Day não vai faltar animação, estando previsto também a disponibilização de jogos, nomeadamente máquinas flippers e video arcade, consultas personalizadas e gratuitas de tarot, um caricaturista que promete eternizar o momento oferecendo uma imagem para mais tarde recordar e os adeptos do futebol vão poder assistir à final da Liga dos Campeões num ecrã gigante.

 

Para esta edição do Shopping Day, o Arena vai ainda surpreender com hair stations, onde é possível fazer uma mudança de look, bem como com uma barbearia retro com tratamentos de barba e cabelo, inspirados nas últimas tendências.

 

No site do centro comercial, é possível obter todas as informações sobre outros passatempos que vão transformar o próximo sábado, das 10h às 24h, numa verdadeira festa no Arena Shopping.

Mercadinho de Torres - A não perder no Arena Shopping

Arena Shopping - Mercadinho de Torres_04.2017.png

 

 

O Mercadinho de Torres está de volta ao Arena Shopping. Até 1 de maio, o centro comercial recebe uma mostra de produtos gastronómicos regionais e peças de artesanato únicas, numa seleção do que melhor se faz no Oeste.

 

Ao longo da semana é possível encontrar cerca de 30 expositores dispostos em banquinhas, retomando o espírito dos mercados antigos característicos dos vários municípios da região, com uma seleção de produtos típicos e de vincada regionalidade, além de projetos repletos de autenticidade e inovação.

 

Começando com a singular doçaria, que promete deixar qualquer um com água na boca, desde os biscoitos aos licores, entre outros produtos gastronómicos, o Mercadinho de Torres convida para uma viagem pelo Oeste, tendo como guias os pequenos produtores da região. Para completar um cabaz de compras que surpreenderá a família e os amigos, há peças e projetos de artesanato para miúdos e graúdos: acessórios de moda e de decoração, bijuteria e brinquedos absolutamente originais.

 

O Mercadinho de Torres insere-se no programa “Eu Sou Oeste”, uma iniciativa de afirmação da região através da consciência coletiva de uma diferença positiva. A marca, criada pelo Arena Shopping, tem como principal missão a divulgação do Oeste e do contributo diário do centro comercial para uma região mais forte, através da valorização dos seus concelhos e das suas gentes: Alenquer, Alcobaça, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Nazaré, Óbidos, Peniche, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras.

 

Distribuído pelos pisos 1 e 2 do Arena Shopping, entre as 11h e as 21h, desde o dia 22 de abril até ao dia 1 de maio, o Mercadinho de Torres é o local de passagem obrigatória para todos aqueles que procuram conhecer e viver de forma única uma das mais autênticas regiões do país.

Estreia peça de teatro "SKIES"

JGM-Tyrone-Ormsby-SKIES-2.jpg

 

No dia 6 e 7 de Maio Companhia João Garcia Miguel estreia a peça Skies, em Torres Vedras, no Teatro Cine Torres Vedras. 

Esta é a 2ª parte do ciclo As Bacantes, e é interpretada pela bailarina italiana Lara Guidetti. A peça explora o clássico de Eurípides, reinterpretado na expressão e linguagem próprias da companhia, caracterizada pela procura da diferença e singularidade. 

Lara Guidetti é uma artista italiana que tem vindo a desenvolver o seu trabalho artístico como professora, atriz e coreógrafa, na área da dança e no teatro. Em 2006 fundou a Companhia de dança teatro Sanpapié, onde trabalha como diretora de arte, coreógrafa e bailarina e, desde 2010 que tem trabalhado com a Companhia Fenicia em Madrid, fundada por Cristiane Azem.

 

nova criação Vera Mantero - DANÇA PARA MÚSICOS / estreia 16 janeiro - teatro virgínia

Estreia de Dança para Músicos um projecto da Materiais Diversos com direcção artística de​ VERA MANTERO​

​. ​

IMG_9185.jpg

 (créditos: Rui Gonçalves)

Estreia absoluta ​no próximo dia 16 de Janeiro no Teatro Virgínia, em Torres Novas.

Em Dança para Músicos põe-se em colaboração um coreógrafo e uma banda filarmónica, Vera Mantero e a Sociedade Filarmónica Euterpe Meiaviense, resultando na criação de um espectáculo em que os músicos são os intérpretes exclusivos de um trabalho coreográfico e musical. O projecto envolve ainda o músico e compositor António Pedro e dialoga intimamente com a relevância da actividade musical no município de Torres Novas.

 

Dando relevo ao ADN associativo das bandas filarmónicas e ao papel agregador e formativo que desde a sua origem desempenham nas comunidades, esta criação tem como mote o trabalho colectivo e voluntário e a ideia de respiração como actividade regular da qual depende a própria vida. Num momento em que a vida cultural não pára “apesar de tudo”, revelando a resiliência e inventividade dos artistas, profissionais ou amadores, continuar a tocar, continuar a dançar, continuar a criar, pode ser encarado como respirar.

Direcção e coreografia Vera Mantero
Direcção musical António-Pedro
Direcção Técnica Carlos Ramos
Assistência coreográfica Marta Tomé
Interpretação Músicos da Sociedade Filarmónica Euterpe Meiaviense
Fotografia Rui Gonçalves
Produção Executiva Patrícia Bento
Produção Materiais Diversos
Direcção musical e ensaios da SFEM Maestro Claudino Dias

Um projecto materiais diversos com direcção artística de Vera Mantero