Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

MUSEU MUNICIPAL DE TORRES VEDRAS ACOLHE EXPOSIÇÃO SOBRE A PINTURA "VIR DOLORUM"

descarregar (11).jpg

O Museu Municipal de Torres Vedras acolhe de 25 de janeiro a 25 de junho a exposição Vir Dolorum: A emoção na Arte da Oficina de Óbidos.

Com curadoria de Vanessa Antunes, Vítor Serrão e Fernando António Batista Pereira, esta exposição constitui-se como uma justa celebração de uma obra singular e inigualável - denominada Vir Dolorum -, a única pintura conhecida da Oficina de Óbidos relativa à temática da emoção na dor, a qual é pertença ao Convento do Varatojo.

De referir que todo o resplendor da pintura Vir Dolorum foi recentemente restituído no âmbito do projeto "As cores da terra pelas mãos de Josefa", levado a cabo pela associação TENTO. No âmbito desse projeto desenvolveu-se o tratamento de restauro dessa obra, bem como um estudo interdisciplinar de técnicas, materiais, contexto histórico-artístico e expositivo, o qual permitiu vislumbrar novas perspetivas acerca da Oficina de Óbidos e da sua atuação no Convento do Varatojo. Vir Dolorum revive hoje a plenitude dos seus cambiantes originais, o que traz à luz toda a sua profundidade emocional, decorrente da representação comovente da dor humana num momento de pesar e contemplação.

A exposição Vir Dolorum: A emoção na Arte da Oficina de Óbidos, que proporciona uma experiência sensorial que nos prende na profundidade da narrativa visual, mergulha fundo na história, na técnica e no trabalho de recuperação de uma obra única.

A inauguração desta exposição realiza-se no dia 25 de janeiro, pelas 17h30

TEATRO INFANTIL GRATUITO, PARA TODA A FAMÍLIA, NO MERCADO MUNICIPAL DE TORRES VEDRAS

 

Post_Geral_V2.jpg

 

A partir do dia 17 de março, o teatro infantil volta ao palco do Mercado Municipal em Torres Vedras, totalmente gratuito, ao domingo de manhã pelas 11h00 no Piso 1.

 

Depois do sucesso da edição de 2023 em que todos os teatros estiveram repletos de gargalhadas e boa disposição, o Mercado Municipal de Torres Vedras volta a receber o teatro infantil, onde os mais pequenos e os mais graúdos podem usufruir de uma manhã diferente e lúdica.

 

Numa programação mensal de março a dezembro, exceto os meses de julho e agosto, as histórias e músicas do Álbum de família chegam à cidade de Torres Vedras depois da grande estreia da série televisiva, na Sic K, Sic Internacional, Canal Panda e Panda +. Um grupo com 20 anos de experiência a trabalhar com o público infantil através da brincadeira, do sonho, da diversão, procuram ativar a curiosidade das crianças, provocando a sua vontade de aprender e de mergulhar no mundo incrível que nos rodeia. Cada episódio de Álbum de Família foca um tema essencial para os mais novos, onde o casal,  Julieta e Xavier, tentam resolver todas as questões através das histórias e canções.

Há espetáculos para todos os gostos desde Música, Dança, Teatro e Magia que prometem criar memórias inesquecíveis.

 

Os Teatros Infantis, das mais variadas temáticas, têm as seguintes datas:

 

19 maio | 11h00 | “A Magia Acontece" (temática Dia da Criança)

 

16 junho | 11h00 | "No Reino das Histórias Encantadas" (temática Férias de Verão)

 

22 setembro | 11h00 | "A Escola Nova dos 3 Porquitos" (temática Regresso às Aulas)

 

27 outubro | 11h00 | "A História da Maria, que era Bruxa e Não Sabia" (temática Halloween)

 

24 novembro | 11h00 | "E o teu maior sonho, qual é?" (temática profissões / o que queres ser quando fores grande)

 

15 dezembro | 11h00 | "A Prenda Ideal, para o Pai Natal!"

 

A Cultura e a Educação desempenham papéis fundamentais no desenvolvimento e no bem-estar das crianças e, por isso devem ser disponibilizadas de igual forma para todos. Oferecem às crianças oportunidades de aprendizagem, crescimento emocional e conexão com a sua identidade e comunidade, ou seja, contribuem para a felicidade geral.

 

Os teatros infantis são uma organização da entidade Municipal Promotorres. Conta com o patrocínio da Caixa Agrícola de Torres Vedras e Tecauto.

 

Todos, por uma infância feliz!

 

Exposição "Recomeçamos, não nos rendemos" de Afonso Cruz na Fábrica das Histórias

agenda-do-site-afonso-cruz_w720.jpg

Recomeçamos, não nos rendemos é o título de uma exposição que Afonso Cruz vai apresentar entre os dias 16 de março e 31 de julho na Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino, em Torres Vedras.

“Tudo, mesmo o inconcebível, deve tornar-se possível” é a frase do escritor e poeta Rainer Maria Rilke que dá mote a esta mostra, sendo que para Afonso Cruz é no lugar para onde remete essa frase “que se situa a humanidade, na eterna luta por algo melhor, por uma sociedade mais justa. Devemos ao presente uma posição crítica precisamente porque devemos ao futuro a esperança”.

Recomeçamos, não nos rendemos ocupará duas salas da Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino: uma, em que estarão patentes 10 fotografias, que apresentam imagens que remetem para locais e contextos de conflitos políticos e militares (captadas no Iraque, no Chile, na Palestina e em Cabo Verde); e uma outra, onde se poderão observar ilustrações dos livros A Cruzada das Crianças (Vamos mudar o mundo) e Paz Traz Paz.

De referir que Afonso Cruz, nome consagrado da cultura portuguesa contemporânea, nasceu em 1971, na Figueira da Foz. Tem mais de quarenta livros publicados, entre romances, novelas, teatro, poesia, álbuns ilustrados, foto-texto, ensaio e não-ficção. Recebeu vários prémios pelos seus livros, cujos direitos estão vendidos para mais de vinte línguas.

A inauguração de Recomeçamos, não nos rendemos acontecerá no próximo dia 16 de março, pelas 15h30.

"O Carlos e os Amigos" - Workshop de expressão plástica

descarregar (2).jpg

No dia 25 de maio o Serviço Educativo do Centro de Artes e Criatividade apresenta o workshop de expressão plástica "Carlos e os Amigos", a partir das 15h00. 

Esta é uma atividade direcionada a famílias com crianças maiores de 7 anos. A frequência é gratuita mas com necessidade de inscrição, para a realização do workshop. 

Sinopse

Carlos dará início ao workshop interagindo com os participantes. Contar-lhes-á a sua história, explicando que, apesar de ter outros amigos, nenhum se parece com ele, e por vezes seria agradável ter como companheiro de brincadeira alguém semelhante a si. Assim que o grupo se familiarizar com o boneco, explicaremos como funciona a sua boca. Do conjunto de objetos que disponibilizamos aos participantes, eles podem escolher quais servirão como base para criarem a sua personagem. Poderá ser uma almofada, uma caixa de cartão, uma meia, qualquer coisa que seja fácil de atravessar com uma agulha.

Formadores: Aurélie & Gonçalo & Carlos (boneco) 

Para mais informações e inscrições: cac.educativo@cm-tvedras.pt 

ENCONTRO DE HISTÓRIA TURRES VETERAS ABORDA ESTE ANO “DEMOCRACIA E CIDADANIA”

descarregar (4).jpg

“Democracia e Cidadania” é, propiciamente, o tema da edição deste ano do encontro de História Turres Veteras.

Integrado no programa comemorativo do 50.º aniversário da “Revolução dos Cravos” promovido pelo Município de Torres Vedras, o XXVI Turres Veteras realizar-se-á entre os próximos dias 9 e 11 de maio.

O auditório do Edifício dos Paços do Concelho de Torres Vedras é o ponto central do evento, local onde se apresentam as comunicações no âmbito do mesmo, sendo que as da sua edição deste ano, embora abordem o tema “Democracia e Cidadania” de forma transversal, incidirão especialmente na temática da transição democrática em Portugal. Também no auditório do Edifício dos Paços do Concelho de Torres Vedras terá lugar a exibição do documentário Presos à Liberdade, a qual será seguida da realização de um debate. Ainda no âmbito do programa da 26.ª edição do Turres Veteras está previsto a apresentação de uma performance, por Ana Caetano, denominada DESENHO. MÚSICA. CORPO. (também no Edifício dos Paços do Concelho de Torres Vedras, mais concretamente na sala 3 da Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras), e a realização de um percurso pedonal em torno de lugares de Torres Vedras relacionados com a temática da resistência.

A propósito do tema da edição deste ano do Turres Vedras, o membro da comissão organizadora do evento, Carlos Guardado da Silva, refere o seguinte: "Na cidade, desde tempos antigos, forjou-se a semente da Cidadania, permitindo a cada um ter voz e ter vez. Ali também nasceu um dia da noite e do silêncio a Democracia… e fez-se de um caldo de Liberdade e Igualdade a construção de um “Nós”, derrubando ditaduras, quando os homens eram presos e os espíritos torturados e as ideias perseguidas e emigrava-se para o fundo do Futuro. Mas houve alguém que disse ‘Não’, porque fez-se ouvir de novo a voz de um povo, que gritava por um Abril já feito ou ainda e sempre por fazer".

Recorde-se que o Turres Veteras constitui-se como um encontro nacional de História de referência, organizado anualmente e focado num tema, o qual é pertinente para o estudo da identidade e da memória do concelho de Torres Vedras e da região Oeste, e, também, para o da própria História de Portugal e do Mundo.

É um encontro organizado pelo Município de Torres Vedras e pelo Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com a parceria do Centro de Formação de Escolas de Torres Vedras e Lourinhã.

As inscrições para a participação na edição deste ano do Turres Veteras, as quais estão limitadas a 77 participantes, estão abertas e podem ser efetuadas no site da Câmara Municipal de Torres Vedras (na área de Agenda do mesmo).

Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail: museu.rececao@cm-tvedras.pt; ou pelos números de telefone: 261 310 455 / 485.

 

PROGRAMA

 

 

9 de maio

Local: Auditório do Edifício dos Paços do Concelho de Torres Vedras

21h00 | Exibição do documentário Presos à Liberdade

Sinopse: Durante 48 anos, instalou-se em Portugal um regime totalitário, sedimentado na censura e na polícia política. Milhares de homens e mulheres resistiram na luta pela mudança de regime, de governo, do país. Porque eram da oposição, foram perseguidos, obrigados a viver na clandestinidade, presos e torturados pela PIDE. A sua voz ouviu-se na Revolução de Abril, gritando pela Liberdade. Em abril de 2015, voltámos a ouvir as suas vozes, no Convento de Nossa Senhora da Graça, em Torres Vedras, onde outrora se situava um posto da Guarda Nacional Republicana. Lugar de memórias, de onde muitos partiram presos… para serem entregues à PIDE.

Produção: Câmara Municipal de Torres Vedras, 2015
Realização: Modular Studio
Coordenação do projeto: Pedro Fortunato e Carlos Guardado da Silva
Entrevistados: Duarte Nuno Pinto, João Martins, Firmino Rosa Santos, Herculano Neto da Silva
Investigação e entrevistas: Carlos Guardado da Silva e Venerando Aspra de Matos
Direção de Produção: Samuel Avelar
Imagem, cenografia e iluminação: Filipe Neto
Edição: João Dias
Direção de Arte: João Faustino e Samuel Avelar
Pós-produção: João Dias, João Faustino, Hugo Baptista Gomes
Música: Pedro Fortunato

22h00 | Debate

Moderação: Célia Reis (historiadora)
Convidados: Susana Martins (historiadora)
Carlos Guardado da Silva (coordenação do projeto, investigação e entrevistas)
Venerando Aspra de Matos (investigação e entrevistas)

 

 

10 de maio

 

Local: Auditório do Edifício dos Paços do Concelho de Torres Vedras

13h30 | Receção aos participantes

14h15 | Cerimónia de Abertura

14h30 | O 25 de Abril e a revolução dos cravos, uma história social | Raquel Varela (Secção Autónoma em Educação e Formação Geral e CLK, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa)

15h00 | O 25 de Abril através do Cinema | Mariana Liz (Centro de Estudos Comparatistas, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa)

15h30 | Daqui, posto de comando: o arquivo como instrumento de democracia | Pedro Félix (Arquivo Nacional do Som)

16h00 | Debate

16h30 | Pausa para café

17h00 | Democracia e populismo na Atenas do Século V a.C.? | Sofia Frade (Centro de Estudos Clássicos, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa)

17h30 | Senatus, coloniae, municipia: pedidos, concessões e recusas nos Annales de Tácito | Maria Cristina Pimentel (Centro de Estudos Clássicos, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa)

18h00 | As Cortes de Torres Vedras e Torres Vedras em Corte | Maria Helena Cruz Coelho (Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra & Academia Portuguesa da História)

18h30 | Debate

 

Local: Sala 3 da Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras

19h00 | Performance DESENHO. MÚSICA. CORPO.

Sinopse: O desenho surge como prática performativa e, assim, resposta à sonoridade da música e ao silêncio. O desenho é a extensão de uma dança de braços, ombros, coluna, de todo o corpo de Ana Caetano, em que cada movimento deixa um rastro na folha. Assume-se como um registo concreto de uma ação improvisada. Ana Caetano estará posicionada em frente a uma folha de papel e irá reagir e responder, com riscadores nas duas mãos em simultâneo, às vibrações da música de improviso tocada por Helena Espvall, criando um desenho que passa a fazer parte da exposição.

 

 

11 de maio


Local: Largo de São Pedro, Torres Vedras

9h30 | Percurso pedonal “Nas tuas mãos começa a Liberdade…” 

Percurso pedonal em torno de lugares de resistência em Torres Vedras.

Com: Francisco Manuel Fernandes / Venerando Aspra de Matos

Duração: 60 minutos

 

Local: Auditório do Edifício dos Paços do Concelho de Torres Vedras

11h00 | Escrita, Poder e Memória: os registos dos tabeliães torrienses | Ana Pereira Ferreira (CIDEHUS, Universidade de Évora)

11h30 | Os caminhos da emancipação política feminina: Olympe de Gouges, Declaração dos Direitos da Mulher e da Cidadã (1791) e Protofeminismo | Camila Franco Henriques (Faculdade de Direito, Universidade de Lisboa)

12h00 | Debate

15h00 | O exílio português no Magreb:1961-1974 | Susana Martins (Instituto de História Contemporânea, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa & Escola Superior de Educação de Lisboa)

15h30 | A Correspondência Política de Manuel Tito de Morais e Francisco Ramos da Costa: memórias da oposição clandestina ao Estado Novo | Luís Gonçalo Rodrigues (Centro de Estudos Clássicos, Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa)

16h00 | João Pereira Martins: o intelectual e a revolução | João Moreira (CHAM-Centro de Humanidades, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa)

16h30 | A justiça política sobre os agentes da PIDE/DGS na transição para a Democracia em Portugal | Irene Flunser Pimentel (Instituto de História Contemporânea, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa)

17h00 | Debate

17h30 | Cerimónia de Encerramento

18h00 | Torres Vedras de Honra

 

Nota: O XXVI Turres Veteras é uma ação acreditada pelo CCPFC, através do Centro de Formação de Escolas de Torres Vedras e Lourinhã, para os grupos de recrutamento 100, 110, 200, 210, 220, 240, 250, 290, 300, 400, 410, 420, 430, 600, 610, 910, 920, 930 (Curso de 12 horas).

 

3º edição do Poetry Slam Torres Vedras

descarregar.jpg

O Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras (CAC) recebe, pelo terceiro ano consecutivo, o Poetry Slam Torres Vedras, um evento em torno da palavra dita que tem por base a performance e os textos poéticos da autoria dos participantes. Este é um evento co-organizado pela Câmara Municipal de Torres Vedras, Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras, EMERGE — Associação Cultural e Portugal Slam, que acontece a partir de 23 de março até maio.  

Nos anos 80, um poeta local e um construtor civil lutaram, nos Estados Unidos da América em Illinois, Chicago, através da leitura de poesia contra aquilo que sentiam como uma perda de fulgor da poesia, ao mesmo tempo que queriam devolvê-la às pessoas, através das suas vozes - é assim que surge a prática do Poetry Slam. Esta prática chega a Portugal, a partir de 2009, em Lisboa sendo rapidamente disseminado noutras cidades, sendo hoje praticada em cerca de doze localidades diferentes. 

Pegando no exemplo de outras cidades e, como forma de promover a prática poética junto das comunidades locais, desenvolvendo aptidões literárias (linguagem e comunicação) através da poesia, o Poetry Slam chega a Torres Vedras em 2022.

É um evento gratuito, onde o público é convidado a participar ativamente quer na apresentação de obras poéticas, quer enquanto júri, (selecionado a partir do público presente), pontuando cada slammer. 

A competição acontece em três eliminatórias (rounds), sendo o primeiro e segundo lugar automaticamente apurados para a Final do Poetry Slam Torres Vedras, onde será elegido o representante da cidade para a competição nacional no festival PORTUGAL SLAM 2024.

Além desta competição pública (3 rounds), haverá também o evento Open Slam, onde se convida à expressão livre e espontânea para testarem os seus poemas e, também, serão dinamizadas diversas oficinas. Estas oficinas estão abertas ao público em geral e são coordenadas por Li Alves e NBC. Nestas oficinas haverá lugar à contextualização, desobstrução, questionamento e reflexão sobre poesia e oralidade, a capacitação de participantes a desenvolverem a sua escrita através de referências/emoções escondidas, dos sentidos e sensações, utilizando recursos descritivos através de técnicas ligadas ao storytelling e workshops ligados ao cuidado com a voz, a sua projeção, expressão e técnica, na capacitação dos participantes de boas práticas no uso da voz como ferramenta criativa e profissional.

 

Poetry Slam Torres Vedras 2024

Local | Centro de Artes e Criatividade Torres Vedras e outros (a definir)

Inscrições OficinasCompetição 

 

Datas dos eventos 

Open Slam | 15h00-18h00 | 6 e 20 de abril – Foliateca CAC | 4 de maio – Jardim Casa Azul

Oficina de Introdução ao Poetry Slam | 10h-13h | 23 de março (on-line)

Oficina de técnicas de projeção de voz e expressão vocal | 10h-13h | 30 de março - CAC

Oficina de escrita sensorial | 15h-18h | 30 de março CAC

Oficina Aprender a conhecer o diafragma | 10h-13h | 13 de abril - CAC

1º round Poetry Slam Torres Vedras | 5 de abril (local a definir)

2º round Poetry Slam Torres Vedras | 19 de abril (local a definir)

3º round Poetry Slam Torres Vedras | 3 de maio (local a definir)

Grande final Poetry Slam Torres Vedras | 21h-23h | 17 de maio – Foliateca CAC

Grande final nacional do Poetry Slam | a definir

 

 

Sobre Emerge - Associação Cultural

A Emerge é uma associação cultural sem fins lucrativos, fundada em 2016 em Torres Vedras, que tem como principal objetivo promover arte contemporânea produzida por artistas emergentes. Esta promoção é levada a cabo através dos vários projetos desenvolvidos em parceria com instituições públicas e privadas, curadores, artistas, galerias, entre outros, abordando temas prementes da arte contemporânea.

 

Sobre Portugal Slam

Portugal SLAM é uma plataforma criada em articulação com as várias organizações do país que têm dinamizado eventos locais de Poetry Slam nas suas cidades, estando aberta em permanência a novos poetas, locais e organizações que se queiram juntar ao movimento. Ao longo de cada ano, o Portugal SLAM trabalha próximo das comunidades locais, bem como escolas, bibliotecas municipais e espaços culturais de Norte a Sul do país, cimentando a prática do Poetry Slam não só enquanto forma de expressão, mas também enquanto ferramenta pedagógica e de integração social. Desde 2014 é realizado um evento nacional que celebra a plataforma e conta com o Campeonato Nacional de Poetry Slam. 

Na 10ª final Portugal SLAM, com data e local ainda a definir, irá apurar-se o vencedor nacional do Poetry Slam que representará o nosso país a nível europeu.

 

Sobre CAC — Centro de Artes e Criatividade

O Centro de Artes e Criatividade (CAC) de Torres Vedras centra-se no Carnaval, dando a conhecer as expressões artísticas de uma celebração assinalada um pouco por tudo o mundo.

 

 

Coprodução | Câmara Municipal de Torres Vedras, Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras, EMERGE — Associação Cultural e Portugal Slam

Mc’s apresentadores e serviço educativo | Li Alves e NBC

Júri | Público

Gestão de projeto | Daniela Ambrósio

Produção e design cultural | Jorge Reis

Apoio técnico e gestão de pontuações | Jean-Marie Cerutti (Mirko)

Fotografia e comunicação | Sérgio Roxo

 

BAIRROS - 1º FESTIVAL DE ARTES COOPERATIVAS | 27 DE ABRIL A 5 DE MAIO

descarregar (7).jpg

 

O Centro de Artes e Criatividade (CAC) de Torres Vedras comemora três anos de existência. Para assinalar este marco o CAC apresenta o “Bairros – 1º Festival de Artes Cooperativas”, de 27 de abril a 5 de maio, uma semana repleta de atividades com os parceiros da Encosta, palestras, documentários, concertos, teatro, dança e gastronomia.

Sinopse

O conceito de bairro ou de bairros sempre conduziu para uma diversidade de imagens, mas há esta dominante: é um território que se define, que algo o marca e caracteriza, que possui uma qualidade que está localizada na sua própria diferença. Bairro tem também uma noção inclusiva de alguma coisa ou alguém que estando do outro lado nos leva para uma imagem de um círculo uma célula que de alguma maneira faz parte de um corpo maior que é a cidade. Muitos bairros no seu conjunto farão uma cidade ou parte dela. Assim e procurando ter este conceito de base para dar nome e identidades a um festival de artes cooperativas às noções de fronteira do outro lado do estranho ou do estrangeiro e consequência das práticas de diálogo. Sejam elas viradas para dentro do Bairro ou com gente que vem de fora do bairro.

Navegando de associação em associação, mantendo o núcleo de uma vontade de sair do bairro, de levar o bairro a mover-se, ou por oposição de convidar habitantes de fora a conhecer o bairro vamos aproximando-nos de um conceito colateral que se divide em encontros e diálogos. Este primeiro tempo de reflexão leva-nos a imaginarmos um festival de diálogos entre corpos. Através das artes e da criatividade confrontar corpos estranhos, corpos encostados, corpos virados de costas uns para os outros.

Elegemos com naturalidade um grupo de parceiros que age no território e no âmago destes bairros que serão o espaço tempo desta iniciativa. O que vamos propor a cada um é manter-se firme nas suas atividades e dar-nos a possibilidade de as conhecer e expandir de molde a poder convidar parceiros de outros bairros que venham com eles dialogar num encontro de saberes e ignorâncias. Pedimos e oferecemos a possível prodigalidade de novas perspetivas. O diálogo pode ser entre o que existe e o desconhecido que chega e que fazendo algo semelhante tem em si um universo de diferenças. Um diálogo encontro entre o visível e o invisível, entre a mão esquerda e a direita, entre dois seres que falam línguas diferentes. Dentro de uma agenda de atualidades queremos levar à ribalta a discussão do que une e desune, entre o homem e a mulher, entre o homem que tem dentro de si uma mulher e a mulher que tem em si também um ser masculino. Podemos estender as possibilidades ao diálogo entre linguagens entre disciplinas artísticas: um diálogo entre a dança e o teatro. Ou podemos provocar um diálogo entre refugiados e permanentes, entre imigrantes e sedentários. Entre classes sociais. Podemos organizar diálogos gastronómicos. Ou trabalhar um diálogo entre dois países diferentes, dois estrangeiros ou dois amigos. No fundo um diálogo entre habitantes de bairros da lata, bairros nobres, bairros comerciais, bairros azuis, ou bairros verdes. O que vai no fundo deste diálogo é um diálogo e encontro de corpos diferentes do mesmo corpo que é a nossa humanidade em construção.

Promotores: Câmara Municipal de Torres Vedras, Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras 

Patrocinador: AdegaMãe - Sociedade Agrícola. Lda    

Parceiros: A Bolha - Teatro com Marionetas, AnimEsp - Associação Cultural, AREPO – Ópera e Artes Contemporâneas, SOMOS COMUNIDADE e Oeste Respira

 

Programação:

 
Agenda

27 abril 2024 | sábado

Peregrinação dos Invisíveis - O início

A Bolha

Os Invisíveis povoam os nossos dias, revelando-se em manifestações subtis - seres minúsculos, indivíduos, espaços... habitam os limiares de realidades que só vislumbramos quando os buscamos. Este conceito inspirou a nossa Peregrinação: não os percebemos, mas existem; não os ouvimos, mas (...)

Saber Mais

 

27 abril 2024 | sábado

Despertar dos Cabeçudos: Oficina de renovação e animação

Animesp

Surge ainda uma oportunidade única para reavivar as tradições locais, como os famosos Cabeçudos. Assim, "Despertar dos Cabeçudos: Oficina de Renovação e Animação" seria o nome do workshop dedicado à criação de corpos para cabeças de cabeçudos já existentes, tornando-os mais (...)

Saber Mais

 

27 abril 2024 | sábado

Ritmo e Movimento: Animação com rufos e Roncos e Estúdio Flui

Animesp

Criando uma atmosfera vibrante, convidamos os envolvidos a assistir a um momento único de fusão cultural. "Ritmo e Movimento" traz uma experiência de animação que combina os sons tradicionais e os ritmos intemporais dos Rufos e Roncos com a expressividade da dança do Estúdio FLUI. Nesta (...)

Saber Mais

 

27 abril 2024 | sábado

Estendais de histórias - Inauguração

ATV | Somos Comunidade

Quem faz os lugares são as pessoas!  A partir das suas vidas, das suas histórias, compreendemos o fluir e evoluir dos tempos, dos territórios e dos indivíduos. Fixar as palavras que tecem as histórias dos residentes destes bairros, escutar o pulsar dos seus corações, os ecos das suas dores, (...)

Saber Mais

 

27 abril 2024 | sábado

Pierre Aderne - Rua das Pretas

Música

O coletivo musical Rua das Pretas, idealizado por Pierre Aderne e nascido em Lisboa, é segundo a imprensa portuguesa e internacional, um dos mais importantes projetos da música de língua portuguesa, tendo se tornado ao longo dos anos um concerto onde a música Lusófona escritura a fusão de (...)

Saber Mais

 

27 abril 2024 | sábado

Madre Perla | Pré-estreia (Work in progress)

Dança Vertical | Magalie Lanriot & Maitane Sarralde

A peça 'Madre Perla' aborda a solidão e o isolamento, representados pela ideia de deserto, mas também  sobre o encontro no caminhar. É um dueto de dança na parede, convidando o público para um momento de contemplação, propício para a introspeção, uma viagem pela paisagem interior do eu, (...)

Saber Mais

 

27 abril 2024 | sábado

Sonoplastas de palmo e meio

Musicalareira

A música é reconhecida há muito tempo como uma arte peculiar, pois pode incentivar certas atitudes ou despertar algumas emoções particulares nos que a ouvem, revelando-se uma ferramenta essencial na construção da técnica narrativa em todas as tradições culturais. A trilha sonora consiste (...)

Saber Mais

 

27 abril 2024 | sábado

REBOOT - Vamos Mudar Tudo

Experiência de Ideação | Oeste Respira

REBOOT é um programa imersivo para criar e implementar ideias inovadoras e sustentáveis quem solucionem desafios sociais. Nesta edição os participantes imergem no território da Encosta de São Vicente, acompanhados por mentores de organizações locais, para desenharem soluções. As ideias (...)

Saber Mais

 

27 abril 2024 | sábado

Festa de abertura Bairros

Bairros - Festival de Artes Cooperativas

A festa de abertura do Bairros - Festival de Artes Cooperativas vai ter petiscos, vinho e música com Pierre Aderne - Rua das Pretas. Venha ter connosco e cantar os parabéns ao Centro de Artes e Criatividade pelo seu terceiro aniversário.   Iremos ter petiscos na Foliateca e vinho da Adega (...)

Saber Mais

 

28 abril 2024 | domingo

Reconstruir Ritmos: Workshop de Reparação/Reconstrução de instrumentos

Animesp

Dentro do cenário do festival de artes cooperativas denominado “Bairros” surge uma oportunidade única para os amantes da música explorarem a arte da restauração de instrumentos musicais. “Reconstruir Ritmos" é um workshop dedicado a dar uma nova vida a instrumentos já existentes, (...)

Saber Mais

 

28 abril 2024 | domingo

Oficina de Adufes - Workshop com Joana Margaça

ATV | Somos Comunidade

Neste workshop iremos fazer uma iniciação aos ritmos básicos do adufe e ainda aprender uma canção tradicional portuguesa. O adufe é um extraordinário instrumento de percussão, introduzido em Portugal pelos árabes, encontrando-se enraizado no repertório tradicional português. (...)

Saber Mais

 

28 abril 2024 | domingo

Dar Voz à Liberdade

ATV | Somos Comunidade

A nossa Voz é a força da nossa Liberdade! Desde sempre! Usar a palavra cantada é força de encontro, de união. É poder para mudar o mundo! Cantemos juntos, as canções dos que marcaram a mudança e ajudaram a trilhar o caminho para a Liberdade! O espaço do Somos Comunidade alberga 3 coros: o (...)

Saber Mais

 

28 abril 2024 | domingo

Desperte o corpo

Workshop corporal

Durante estas duas horas de sessão, disponibilizaremos o nosso corpo para desfrutar do movimento e das suas possibilidades criativas. Tendo a coluna vertebral como eixo, trabalharemos a mobilização e adaptabilidade dos nossos centros em relação ao espaço e aos nossos companheiros. Este (...)

Saber Mais

 

28 abril 2024 | domingo

REBOOT - Vamos mudar tudo

Experiência de Ideação | Oeste Respira

REBOOT é um programa imersivo para criar e implementar ideias inovadoras e sustentáveis quem solucionem desafios sociais. Nesta edição os participantes imergem no território da Encosta de São Vicente, acompanhados por mentores de organizações locais, para desenharem soluções. As ideias (...)

Saber Mais

 

29 abril 2024 | segunda

Despertar dos Cabeçudos: Oficina de renovação e animação

Animesp

Surge ainda uma oportunidade única para reavivar as tradições locais, como os famosos Cabeçudos. Assim, "Despertar dos Cabeçudos: Oficina de Renovação e Animação" seria o nome do workshop dedicado à criação de corpos para cabeças de cabeçudos já existentes, tornando-os mais (...)

Saber Mais

 

30 abril 2024 | terça

Reconstruir Ritmos: Workshop de Reparação/Reconstrução de instrumentos

Animesp

Dentro do cenário do festival de artes cooperativas denominado “Bairros” surge uma oportunidade única para os amantes da música explorarem a arte da restauração de instrumentos musicais. “Reconstruir Ritmos" é um workshop dedicado a dar uma nova vida a instrumentos já existentes, (...)

Saber Mais

 

30 abril 2024 | terça

O2 Impact Talks

Palestra | Oeste Respira

O2 Impact Talks são momentos de inspiração por empreendedores/gestores de negócios com impacto social,  que irão mudar a sua perspetiva sobre bem-estar e qualidade de vida.  Oradores Pedalar Sem Idade | Margarida Quinhones The Happy Gang | Maria João Baeta Sociedade Artística Musical de (...)

Saber Mais

 

02 maio 2024 | quinta

Despertar dos Cabeçudos: Oficina de renovação e animação

Animesp

Surge ainda uma oportunidade única para reavivar as tradições locais, como os famosos Cabeçudos. Assim, "Despertar dos Cabeçudos: Oficina de Renovação e Animação" seria o nome do workshop dedicado à criação de corpos para cabeças de cabeçudos já existentes, tornando-os mais (...)

Saber Mais

 

02 maio 2024 | quinta

Os Alquimistas de Cambelas

Exibição de documentário e conversa com antropólogos | ESTUFA

Em 1978, na Praia de Cambelas, encalhou um barco com materiais perigosos, o Alchimist. A remoção dos materiais provocou uma revolução na comunidade. Ampliou-se a estrada, fez-se chegar eletricidade. Em 2024, nas comemorações do carnaval, o criador Jonas é convidado para a olhar para as (...)

Saber Mais

 

03 maio 2024 | sexta

Não há Machado que Corte

AREPO - Ópera

As óperas não refletem apenas os costumes de um determinado contexto histórico. São também um lugar de questionamento, transgressão e erupção de ideias e valores, povoado por personagens com personalidades cambiantes e paradoxais. Maria Purificação da Silva (1900-1960), figura (...)

Saber Mais

 

03 maio 2024 | sexta

Despertar dos cabeçudos: Oficina de renovação e animação

Animesp

Surge ainda uma oportunidade única para reavivar as tradições locais, como os famosos Cabeçudos. Assim, "Despertar dos Cabeçudos: Oficina de Renovação e Animação" seria o nome do workshop dedicado à criação de corpos para cabeças de cabeçudos já existentes, tornando-os mais (...)

Saber Mais

 

04 maio 2024 | sábado

Torres em C

AREPO

A partir da peça minimalista In C (1964) do compositor Americano Terry Riley, a AREPO propõe a criação de um espetáculo em que toda a comunidade musical, artística e o público em geral, se possam envolver e participar. A obra foi composta para um número indefinido de executantes e é (...)

Saber Mais

 

04 maio 2024 | sábado

Peregrinação dos Invisíveis - OS BAIRROS

A Bolha

Os Invisíveis povoam os nossos dias, revelando-se em manifestações subtis - seres minúsculos, indivíduos, espaços... habitam os limiares de realidades que só vislumbramos quando os buscamos. Este conceito inspirou a nossa Peregrinação: não os percebemos, mas existem; não os ouvimos, mas (...)

Saber Mais

 

04 maio 2024 | sábado

Baile de Cabeçudos: Ritmo e Alegria

Animesp

Em uma manhã repleta de folia e tradição, a comunidade reúne-se para celebrar o Baile de Cabeçudos ao som de bombos. Os cabeçudos, figuras emblemáticas e coloridas, ganham vida no meio da multidão, dançando ao ritmo contagiante dos tambores, sendo estes cuidadosamente construídos nos (...)

Saber Mais

 

04 maio 2024 | sábado

Djumbai di Mindjeris - Kibum

Grupo de Mandjuandadi

Apresentação do grupo de cantadeiras da Guiné Bissau que espelha a tradição das mulheres guineenses desde o século XIX. Com percussão  (Tina, Sicko, Tanky e djembe) e voz, apresentam um repertório alegre, interpretando temas populares antigos e de sua própria composição nos quatro (...)

Saber Mais

 

04 maio 2024 | sábado

Mandjuandadi - Da Resistência Cultural à Matriz de uma Nação

Palestra

Conversa sobre a origem e a expansão do movimento guineense das "mandjuandadi" (cantadeiras tradicionais da Guiné Bissau): Cultura, língua e movimento de resistência cultural.  Os portugueses já lá estavam há alguns séculos, primeiro, para realizar trocas comerciais e depois começaram a (...)

Saber Mais

 

04 maio 2024 | sábado

Jogos do Hélder

Jogos didáticos para toda a família

Trata-se de uma iniciativa intergeracional, direcionada a todas as idades, cujo objetivo é quebrar a monotonia, criar energia positiva e fomentar momentos de alegria. Os “Jogos do Hélder” consistem em desafios lúdicos para crianças, jovens, adultos e idosos que criam pontes intergeracionais (...)

Saber Mais

 

04 maio 2024 | sábado

Festa de encerramento Bairros

Bairros - Festival de Artes Cooperativas

A festa de encerramento do Bairros - Festival de Artes Cooperativas vai ter jantar, vinho, música e dança com Mandjuandadi. Venha ter connosco e defrute dos paladares e ritmos da Guiné-Bissau.  Iremos ter comida típica ds Guiné-Bissau confecionada pelas Mandjuandadi e vinho da Adega (...)

Saber Mais

 

 

Realidade virtual chega ao Centro de Interpretação das Linhas de Torres Vedras

p1680812b_w720 (1).jpg

O Centro de interpretação das Linhas de Torres Vedras conta com novos recursos interativos que permitem enriquecer a sua oferta turística através de realidade virtual.

Esta experiência pretende oferecer uma nova forma de aprender e apreciar as narrativas históricas e é feita através de equipamentos que permitem observar alguns episódios da Guerra Peninsular sob uma perspetiva imersiva. Através de uma experiência de realidade aumentada virtual, ao visitante é permitido cruzar as observações visuais no local com informação apresentada virtualmente.

Aliado à História e Cultura, também está disponível na nova app “Itinerários Napoleónicos”, o jogo online que permite visitar os locais e personificar os protagonistas da Guerra Peninsular, participando diretamente nos acontecimentos.

Esses equipamentos estão disponíveis em Torres Vedras no Centro de Interpretação no Forte de São Vicente e em cada um dos territórios que participaram no projeto Itinerários Napoleónicos Portugal, executado ao abrigo do programa “Valorizar Interior”, do Turismo de Portugal.

No passado dia 21 de abril, para comemorar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, que se celebra a 18 de abril, os parceiros deste projeto realizaram o Dia Aberto dos Itinerários Napoleónicos com o intuito de divulgar o projeto, o património e os novos recursos disponíveis.

Os visitantes do Forte de S. Vicente e do Centro de Interpretação das Linhas de Torres tiveram a oportunidade de experimentar as realidades virtual e aumentada ao longo do dia. Durante a manhã realizou-se uma visita guiada e, à tarde, fez parte do programa a atividade “Viagem Musical”, dinamizada pela UPA, na qual os participantes puderam conhecer e ouvir instrumentos da época de Napoleão.   

O projeto Itinerários Napoleónicos Portugal foi gerido financeiramente pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra e concretizado por um consórcio composto pelos municípios de Almeida, Elvas, Mealhada, Penacova e pela Rota Histórica das Linhas de Torres – Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres Vedras, que integra os municípios de Arruda dos Vinhos, Bombarral, Loures, Lourinhã, Mafra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira.

Exposição "Desenho. Música. Corpo" de Ana Caetano na Galeria Municipal de Torres Vedras

descarregar (2).jpg

Desenho. Música. Corpo é o nome de uma exposição que Ana Caetano vai apresentar na Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras, a qual estará patente entre os dias 6 de abril e 1 de junho.

De referir que cada desenho que integra a exposição, a qual conta com a curadoria de Rui Guerreiro, foi realizado numa ação única e continua, no ateliê da artista, e nasceu a partir de uma escolha sonora distinta. Na execução desses trabalhos o corpo desenhou em pé, fixo num ponto no espaço em frente à folha de papel e utilizando riscadores, por vezes diferentes, nas duas mãos em simultâneo.

Desta forma, o desenho surge como prática performativa e, assim, resposta à sonoridade da música e ao silêncio. Constitui-se como a extensão de uma dança de braços, ombros, coluna, de todo o corpo de Ana Caetano, sendo que cada movimento deixa um rastro na folha. Assume-se como um registo concreto de uma ação improvisada.

A inauguração da exposição Desenho. Música. Corpo realiza-se no dia 6 de abril, pelas 17h00.

 

Sobre Ana Caetano

Nasceu em 1970, vive e trabalha em Lisboa.

Começou o seu percurso artístico na dança contemporânea e mais tarde formou-se em design gráfico (no IADE, em 1989), em pintura (na SNBA, em 2008) e em artes plásticas (no ARCO, em 2016).

Dançou em companhias de dança (Ballet Gulbenkian, Centre Chorégraphique de Grenoble) e também com diversos coreógrafos em projetos pontuais tanto em Portugal como fora do país (Francisco Camacho, Jean-Claude Galotta, Olga Roriz, Paulo Ribeiro, Bruno Cochat, Joanne Leighton, entre outros).

Tem desenvolvido nos últimos anos um trabalho plástico/visual, no qual o corpo tornou-se um instrumento fundamental. Procura desafios físicos, que implicam dificuldade e resistência, explora os limites e trabalha o desenho à escala do corpo. Interessa-se por novos modos de fazer e pelo cruzamento de práticas artísticas.

Participou em várias exposições coletivas entre as quais: do arquivo do acervo (Museu Ibérico de Arte e Arqueologia de Abrantes, com a curadoria de João Silvério); Uma certa prática da Atenção (na Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras, com a curadoria de Ana Anacleto); Mostra’20 Lisboa e Mostra’16 Lisboa3 (no Espaço A-Z); Ar.co – Bolseiros e finalistas (no Ar.Co Xabregas e Hub Criativo do Beato, no Hospital Júlio de Matos - pavilhão 30 e no Museu de Lisboa); e Panorama (no Le Consulat).

Foram-lhe atribuídas as seguintes bolsas de estudo: Madalena Lobo Antunes - Arco, Lisboa; Mary Espírito Santo Salgado - Arco, Lisboa; Fundação Calouste Gulbenkian - Rosella Hightower, Cannes.

O seu trabalho está representado nas coleções de Fernando Figueiredo Ribeiro, da Fundação Carmona e Costa e da Casa Santos Lima.

Mini Oeste: a vila onde as crianças podem ser adultas

Atividades de Páscoa, no Arena Shopping, em Torres Vedras

 

Arena Shopping Páscoa 2024.jpg

 

Entre 23 de março e 7 de abril, o Arena Shopping vai transformar-se num espaço onde as crianças vão poder brincar ao faz de conta no mundo dos adultos. De forma gratuita, os mais pequenos vão poder conhecer e experimentar algumas profissões e divertir-se em espaços do quotidiano.

 

Neste “Mini Oeste”, os negócios torrienses ficam a cargo dos mais pequenos. No piso 1, vai ser possível tirar a carta de condução ou aprender a importância de atuar, de forma preventiva ou em emergência, com as entidades que integram a Proteção Civil.

 

Já no piso 2, estarão presentes uma escola, um hospital, um jardim, um supermercado, um veterinário e um centro de beleza, onde as crianças podem trabalhar ou usufruir dos serviços. À semelhança da vida adulta, para conseguirem pagar os serviços, os mais pequenos têm disponível uma instituição bancária.

 

A decorrer entre as 14h30 às 18h30, durante a semana, e das 11h30 às 19h30, ao fim-de-semana, esta atividade é perfeita para os pais que procuram atividades divertidas para ocuparem o tempo livre dos filhos, durante a pausa letiva.

 

Para dar forma a este projeto dedicado ao público infantil e compor esta “mini-vila”, o Arena Shopping conta com empresas torrienses e lojas do shopping como parceiros: Caixa Crédito Agrícola, Agriloja, Auchan, Escola Internacional de Torres Vedras, Hospital Soerad, Serviço Municipal de Proteção Civil de Torres Vedras e Grupo Tecline.

 

Horário | Mini Oeste | Pisos 1 e 2

23 de março a 7 de abril

Horário de semana – 14h30 às 18h30

Horário de fim-de-semana – 11h30 às 19h30