Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Mudança da hora do concerto do Coletivo Foice em Torres Vedras

CONCERTO DO COLETIVO FOICE EM TORRES VEDRAS REALIZA-SE MAIS CEDO

 

CONCERTO DO COLETIVO FOICE EM TORRES VEDRAS REALIZA-SE MAIS CEDO
02.10.2020

O concerto do Coletivo Foice previsto para o dia 10 de outubro, pelas 22h, na Praça Dr. Alberto Avelino, em Torres Vedras, foi antecipado para as 18h desse mesmo dia. Recorde-se que este concerto integra-se na programação do evento “Largo Co(n)vida”, um ciclo de espetáculos por meio do qual se convida a população à fruição cultural em espaços públicos requalificados do centro histórico de Torres Vedras.

“UM PASSEIO COM TRADIÇÃO”, EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS DO CORTEJO ETNOGRÁFICO

transferir (5).jpg

 

A exposição “Um passeio com tradição” vai estar patente entre 15 de agosto e 15 de setembro, na Rua José Pedro Lopes, em Santa Cruz. A mostra ao ar livre, que será inaugurada às 11h00, de 15 de agosto, reúne fotografias de Ana Backhaus captadas durante o Cortejo Etnográfico de 2019.

O Cortejo Etnográfico, realizado anualmente a 15 de agosto, assinala o dia em que as comunidades das zonas rurais vinham até à praia, através de uma recreação a cargo dos grupos etnográficos e ranchos folclóricos do Concelho. Devido à atual situação de pandemia este evento não se irá realizar, sendo a data assinalada com a inauguração da exposição.

A exposição de fotografia retrata esta recreação, que é baseada aquilo que era a tradição. Normalmente no desfile estão representados não só os trajes de trabalho, mas também aqueles usados em ocasiões especiais, como nos casamentos ou mesmo o traje domingueiro.

"LARGO CO(N)VIDA" VOLTA A TRAZER ANIMAÇÃO AO CENTRO HISTÓRICO DE TORRES VEDRAS

transferir (1).jpg

 

A Câmara Municipal de Torres Vedras volta a organizar o evento "Largo Co(n)vida", proporcionando dessa forma, mais uma vez, em setembro, a fruição cultural no requalificado centro histórico de Torres Vedras.

Em 2020 os espetáculos do "Largo Co(n)vida" terão lugar na Praça Dr. Alberto Avelino (antigo Páteo Alfazema), sempre pelas 22h:

 

Dia 4 | sexta-feira | Noite de Fados com o grupo Formas de Fado

No silêncio da noite, com o mistério que a envolve, o Fado, que nos fala de sentimentos profundos da alma Portuguesa, deve ser ouvido com uma "alma que sabe escutar".

O fadista canta o sofrimento, a saudade de tempos passados, a saudade de um amor perdido, a tragédia, a desgraça, a sina e o destino, a dor, o amor e o ciúme, a noite, as sombras, os amores, a cidade, as misérias da vida, a critica à sociedade. É este o fado que faz chorar as guitarras.

Convida-se a assistir a um serão musical, que irá abordar desde o Fado Marialva ao Fado Canção.

Ficha Artística
Fadistas: Andreia Matias, Avelino Santos, Cristina Santos e Leonor Madeira
Guitarra e voz: Henrique Leitão
Viola e voz: Eduardo Lemos
Músico: António Luís Valente (piano, acordeão, cavaquinho e percussão)

transferir (2).jpg

Dia 5 | sábado | O2

O2 trata-se da mais recente criação da companhia PIA, uma performance que, através das linguagens do teatro físico e das formas animadas, convida o espetador a uma reflexão sobre como poderia sobreviver uma sociedade, onde a tecnologia desvanece as relações humanas e o acesso ao oxigénio se torna um luxo.

Um projeto de arte pública intercultural, que nasce no início de 2019 na cidade de Macau, onde registos de níveis alarmantes de partículas poluentes começam a ser recorrentes. Um cenário que leva à criação de um espetáculo que surge com o intuito de sensibilizar a uma, cada vez maior, necessidade de se encontrar práticas sustentáveis como forma de superar as adversas alterações ambientais que se tornaram, hoje em dia, transversais a todos.

Na contemporaneidade, a Arte apresenta a oportunidade de habitarmos mundos artísticos, onde as inter-relações criativas e críticas, estimulam os nossos sentidos, rompendo conceitos, hibridizando conceções, articulando e cruzando artefactos e processos, abrindo assim novas possibilidades.

Ficha artística
Autoria, encenação, direção artística e plástica: Pedro Leal
Direção de produção e audiovisuais: Helena Oliveira
Formas animadas e conceção plástica: Pedro Leal
Sonoplastia, equipa técnica e construção: Álvaro Presumido
Performers: Ana Andrade, Helena Oliveira, Manuel Amarelo, Mafalda Cabral, Sara Araújo e Tiago Augusto
Produção: PIA - Projectos de Intervenção Artística CRL
Parceiros MACAU: Trista Cheong / Long Fung Drama Club
Agradecimentos: Catarina Mota, Rui Rodrigues, Nuno Dores
Apoio à criação Macau: Instituto Cultural de Macau, Fundação de Macau e Fundação Oriente
Apoio à criação: Fundação GDA

 

Dia 12 | sábado | Asas d’ Areia

Asas d’Areia é um espetáculo/instalação que funde o vídeo documental e o conceptual com o circo, nomeadamente a arte do equilíbrio (arame e corda bamba) e a dança.

Este espetáculo debruça-se sobre a temática dos povos migratórios, contextualizando, de forma mais particular e numa perspetiva humanitária, nos que estão retidos em campos de refugiados. O foco do trabalho, que foge da mera ilustração do tema, ou de uma abordagem de análise política sobre o mesmo, visa essencialmente uma investigação sobre a natureza, comportamento e relações humanas, quando subordinados a condições extremas, num lugar inóspito, vazio de esperança e/ou expetativas de futuro.

Dois personagens buscam um lugar vital, essencial, que lhes preserve a dignidade e a capacidade de resistir.

Ficha artística
Criação e direção: Julieta Aurora Santos
Interpretação: Douglas Melo e Kátia Rocha
Banda sonora: Tiago Inuit
Cenografia: Roberta Cangussu, Luís Santos e Adriana Freitas
Construção: Luís Santos
Figurinos e adereços: Adriana Freitas
Videoarte mapping: Carlotta Premazzi
Vídeo documental: Isabel Teixeira
Apoio, edição e vídeo: Diogo Vilhena
Apoio ao movimento: Ana Pontes
Desenho de luz: Luís Santos
Operação técnica: Carlos Campos e Luís Santos
Consultoria e investigação: Tiago Cardoso
Direção financeira e gestão: Sónia Custódio
Direção de produção: Frederico Salvador
Produção: Roberta Marques
Coprodução: MAPS e Município de Setúbal

 

Dia 19 | sábado | Sombras

A nova peça do Teatro SÓ, Sombras, propõe uma reflexão acerca da violência doméstica.

"Seguindo um estilo de encenação que tem sido característico da nossa companhia de teatro, a peça incide sobre o sentimento e manifestações íntimas da vítima, dispensando o retrato mimético da violência e o exame moral. Nesta abordagem intimista o público é testemunha do sofrimento, desconsolo e desespero que perpassam os silêncios e interrogações de uma vítima de violência doméstica. Esse lugar mental, que em tudo se assemelha a um quarto bafiento sem luz nem janelas, é de difícil acesso.

O Teatro SÓ privilegia por isso a poesia visual em detrimento da palavra como método de abordagem dos estigmas sociais, transversais a diversas sociedades e gerações, convidando o público a uma involuntária cumplicidade. A abordagem de um tema tão complexo como o da violência doméstica merece principal destaque aqui atendendo que se trata de um espetáculo de rua, em andas, desenhado para o espaço público. Tudo aquilo que um tabu não deseja para si mesmo."

Ficha artística
Direção artística: Sérgio Fernandes
Interpretação: Ana Gabriel
Composição musical: Ferdinand Breil
Figurinos: Ana Baleia
Cenografia: Tó Quintas
Máscara: Nuno Pino Custódio e Sérgio Fernandes
Olhar exterior: Anna Toews, Beatriz Cantinho e Pedro Diogo
Operação técnica: João Veiga

transferir (3).jpg

Dia 26 | sábado | Objetoteca popular itinerante 

Objetoteca popular itinerante é ela própria um objeto híbrido - é a partir do encontro amoroso entre uma biblioteca itinerante e uma carrinha de feira que se faz esta performance da enciclopédia popular dos objetos do quotidiano. Objetos reais e irreais, materiais e imateriais apresentados juntos e ao vivo, como nunca antes foram vistos!

Ficha artística
Direção artística: Igor Gandra e Carla Veloso
Texto, dramaturgia e conceção cenográfica: Igor Gandra
Artistas convidados: Filipe Moreira e Gisela Maria Matos
Outros convidados: Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço
Realização plástica da cenografia e adereços: Eduardo Mendes
Desenho de luz: Mariana Figueroa
Vídeo: Carlota Gandra
Registo fotográfica: Susana Neves
Oficina de construção: Eduardo Mendes, Daniela Gomes, Matilde Gandra e Nádia Soares (estagiária da Escola Profissional da Campanhã)
Produção: Carla Veloso
Coprodução: Teatro de Ferro e Câmara Municipal do Porto (no âmbito do programa “Cultura em Expansão”)

 

As entradas para se assistir a estes espetáculos no âmbito do "Largo Co(n)vida" são gratuitas, estando no entanto limitadas a 45 espetadores.

Mais informações podem ser obtidas pelo n.º de telefone: 261 320 760; ou pelo e-mail: cultura@cm-tvedras.pt.

Torres Vedras acolhe o 2.º Encontro Nacional de Aguarela

transferir (8).jpg

 

Nos dias 28, 29 e 30 de agosto, o concelho de Torres Vedras acolhe o 2.º Encontro Nacional de Aguarela. Este encontro pretende reunir participantes que se dediquem à aguarela como arte visual para captarem a essência de vários pontos do Concelho.  

Nesta edição, o roteiro elaborado passa pela cidade de Torres Vedras e pelas localidades de Porto Novo, Maceira e Turcifal.

Programa

28 de agosto

14h00 às 17h30 -  Roteiro urbano por Torres Vedras
14h00 - Receção aos participantes
Local: Porta 5 - Espaço Cultural

29 de agosto

9h00 às 17h30 - Roteiro Porto Novo Maceira - Trilhos da Maceira
9h00 - Receção aos participantes
Local: Porta 5 - Espaço Cultural
9h30 - Partida para Porto Novo
Parceria: Vaklouro – Associação Cultural e Ambiental

30 de agosto

9h30 às 12h30 - Perímetro Urbano do Turcifal
9h30 - Partida para o Turcifal


Nota: Almoço livre nos dias 28 e 30 de agosto.

 

Fim de Semana com Cinema Português em Torres Novas

imag_site_caminhos_torres_novas.jpg

 

Caminhos do Cinema Português em Torres Novas

O mote de “Cinema Português para Todos” acaba por ser herdeiro da actividade cineclubista que está na génese deste festival. O Cineclube de Torres Novas tem cumprido, nos últimos 60 anos, a função de programar e mostrar cinema, contribuindo para este mapa nacional de circuitos alternativos de exibição.  Assim, e graças à iniciativa do Município e deste Cineclube, Torres Novas receberá nos dias 31 de Janeiro e 1 de Fevereiro uma extensão da XXV Edição dos Caminhos do Cinema Português.

Esta extensão irá contar com uma “Sessão Caminhos”, com produções portuguesas galardoadas na XXV Edição do festival; e “Sessão Juniores”, com programação pensada no público infanto-juvenil.

Serão projectados no sábado, 31 de Janeiro, os filmes “O Peculiar Crime do Estranho Sr. Jacinto” de Bruno Caetano, (vencedor do Prémio Melhor Animação, e “Quero-te Tanto!” de Vicente Alves do Ó, que recebeu o Prémio do Público “Chama Amarela” nesta última edição.

 

O mote de “Cinema Português para Todos” acaba por ser herdeiro da actividade cineclubista que está na génese deste festival. O Cineclube de Torres Novas tem cumprido, nos últimos 60 anos, a função de programar e mostrar cinema, contribuindo para este mapa nacional de circuitos alternativos de exibição.  Assim, e graças à iniciativa do Município e deste Cineclube, Torres Novas receberá nos dias 31 de Janeiro e 1 de Fevereiro uma extensão da XXV Edição dos Caminhos do Cinema Português.

Esta extensão irá contar com uma “Sessão Caminhos”, com produções portuguesas galardoadas na XXV Edição do festival; e “Sessão Juniores”, com programação pensada no público infanto-juvenil.

Serão projectados no sábado, 31 de Janeiro, os filmes “O Peculiar Crime do Estranho Sr. Jacinto” de Bruno Caetano, (vencedor do Prémio Melhor Animação, e “Quero-te Tanto!” de Vicente Alves do Ó, que recebeu o Prémio do Público “Chama Amarela” nesta última edição.

No dia 1 de Fevereiro, numa sessão pensada nos mais novos, “Sessão Juniores”, serão projectadas animações infanto-juvenis, entre elas o filme “#LINGO”, de Vicente Nirõ, vencedor do prémio Melhor Ensaio na XXII Edição do festival.

As sessões realizar-se-ão na Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes com entrada gratuita:

  • “Sessão Caminhos”, 31 de Janeiro, 21h30
  • Cartaz_Torres_Novas_2020_caminhos-1086x1536.jpg

    “Sessão Juniores”, 1 de Fevereiro, 13h30

  • Cartaz_Torres_Novas_2020_juniores-1086x1536.jpg

    Convidamos todos a continuar a caminhar nesta XXV Edição do festival Caminhos do Cinema Português, agora por Torres Novas.

Fundação AFID Diferença inaugura exposição ‘INTEMPO – Sempre a mesma história’

idWFa6ABF0248.jpg

 

A Fundação AFID Diferença, que apoia jovens com deficiência, crianças e idosos no concelho da Amadora, inaugura no próximo dia 27 de abril, na Fábrica das Histórias, Casa Jaime Umbelino, em Torres Vedras, a exposição ‘INTEMPO – Sempre a mesma história’.
 
‘INTEMPO – Sempre a mesma história’ é o nome da segunda exposição da Fundação AFID Diferença que será inaugurada já neste sábado, 27 de abril, na Fábrica das Histórias, Casa Jaime Umbelino, em Torres Vedras. A mostra de trabalhos estará patente até ao próximo dia 29 de junho.
 
A diversidade de autores e técnicas abordadas nas oficinas artísticas da Fundação AFID Diferença é o ponto de partida para este conjunto de obras inspiradas em diferentes personagens e narrativas.
 
No entanto, em todas as histórias há elementos que se repetem, nomeadamente a própria repetição. São inquietantes metáforas da pulsão criativa expressas em gestos e grafismos recorrentes, será que a mesma história é mesmo sempre a mesma história?
 
Local:  Fábrica das Histórias - Casa Jaime Umbelino, em Torres Vedras;
Morada: Rua Maria Barreto Bastos, 36, 2560 Torres Vedras;
Inauguração: 17h30 de dia 27 de abril;
Entrada: Gratuita;
Horários: Terça a sexta, das 10h00 às 13h00 e das 14h às 18h00
Sábado, das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 18h00
Localização Google Maps:

A CASA DE BERNARDA ALBA NO TEATRO-CINE DE TORRES VEDRAS

 

A CASA DE BERNARDA ALBA, da Companhia João Garcia Miguel (Cia JGM), ESGOTOU o Teatro Ibérico, no passado mês de outubro. Depois esteve em São Paulo, no Brasil, no Festival Yesu Luso - teatro em língua portuguesa, onde também foi um sucesso. Agora anda em digressão por Portugal. No dia 1 de dezembro sobe ao palco do Teatro-Cine de Torres Vedras, às 21h30. Já esteve em Coimbra e em Bombarral. A peça parte do texto de Federico García Lorca e a adaptação e encenação são de João Garcia Miguel.  

Texto: Federico García Lorca | Adaptação e Encenação: João Garcia Miguel | Intérpretes: Sean O’Callaghan, Anette Naiman, Paula Liberati e Duarte Melo | Figurinos: Rute Osório de Castro | Fotografia no corpo de email: Mariana Silva

Halloween...Era uma vez

CARTAZ HALLOWEEN VARATOJO.jpg

 

A Associação Cultural e Benificente de Santo António do Varatojo, no Varatojo (Torres Vedras) em parceria com o Contador de histórias Sérgio Paulo, convida-vos a estarem presentes num "terrivelmente divertido" Halloween para Pais e Filhos na Esplanada com Espaço Infantil da Associação, quarta-feira, dia 31 de outubro,  com início às 20 horas.
 
O evento tem entradas livres e, desta vez, conta, além de uma história infantil que obviamente conta com uma Bruxa como personagem principal, com Pinturas Faciais Temáticas, Confeção de Broas e Doce de Abóbora por senhoras da aldeia do Varatojo e muita música até às 23 horas.
 
 

 

Festival Bang Awards- Cinema de Animação - 12 e 13 outubro - Torres Vedras

CartazBangAwards.jpg

 Destaque para o Cinema ao livre, presença do artista Matthew Watkins e realizadores David Doutel e Vasco Sá,  para apresentação do novo filme “Agouro”, vencedores da terceira edição do Festival com o filme “Fuligem” e para a sessão de homenagem aos 100 anos da animação brasileira com a curadoria do produtor brasileiro Marcelo Marão.

Era Uma Vez VARATOJO

Cartaz Varatojo 2 FINAL (1).jpg

 

A Associação Cultural e Benificente de Santo António do Varatojo, no Varatojo (Torres Vedras) em parceria com o Contador de histórias Sérgio Paulo, convida-vos a estarem presentes no regresso, depois das Férias de verão, dos Contos domingueiros na Esplanada com Espaço Infantil da Associação, no próximo domingo, dia 23 de setembro, pelas 15 horas.
 
O evento tem entradas livres e destina-se não só às Crianças, mas também aos seus Pais, Encarregados de Educação e restantes Familiares. Irá sempre acontecer uma vez por mês, sempre no mesmo espaço, exceptuando condicionalismos climatéricos que poderão levar a Organização a levar o evento para o interior da Associação, no seu Salão Nobre.