Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Pippo Delbono cria a sua próxima peça em Setúbal

Pippo Delbono cria a sua próxima peça em Setúbal

Rota Clandestina

Direção Artística Renzo Barsotti

image002.jpg

 

No âmbito do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela Câmara Municipal de Setúbal, enquanto Cidade da Criação Artística e do projeto Rota Clandestina sob a direção artística de  Renzo Barsotti, Setúbal acolherá no Forum Municipal Luisa Todi o artista italiano Pippo Delbono durante o mês de  junho, a partir do dia 17,  e até o dia 3 de julho, para o início dos ensaios da nova criação Amore, que irá integrar também artistas portugueses .

Pippo Delbono é um dos artistas mais apreciados e representados em toda Europa. A companhia que leva o seu nome nasceu no início dos anos oitenta e ainda está ativa com um núcleo estável de atores, com o auxílio de diferentes colaborações. Uma característica distintiva de suas obras é a participação de pessoas que vêm de situações sociais de marginalização, que se tornaram membros estáveis do grupo de trabalho, dando vida a uma experiência cénica única.

“O título Amor não quer ter nada de retórico, é antes o ponto actual de uma busca que começou há muito tempo. Estamos em continua busca de amor, todos, à procura do Amor: através das muitas vicissitudes dolorosas que a vida nos reserva que se passam a custo, e a conduzir-nos talvez esteja essa tal incansável busca. Quero, então, tentar levar para o teatro algo que comunique esse Amor, tentar sabendo que como ponto de partida escolhemos uma terra como Portugal, tão profundamente caracterizada por um imaginário melancólico, pungente, elegíaco.” Pippo Delbono

Este espetáculo tem como coprodutores associados a Câmara Municipal de Setúbal, São Luiz Teatro Municipal, Lisboa, Pirilampo Artes Lda, Rota Clandestina, Ministerio da Cultura- Direcção Geral Das Artes (Portugal),  Fondazione Teatro Metastasio di Prato (Italia),  Teatro Coliseo, Buenos Aires, Istituto Italiano di Cultura di Buenos Aires, ItaliaXXI (Argentina), Théâtre de Liège (Bélgica), Les 2 Scènes - Scène Nationale de Besançon (França) com o apoio do Ministero della Cultura (Italia)

No Auditório Municipal - Cinema Charlot decorrerá, paralelamente, o Ciclo Pippo Delbono com a apresentação de 4 registos de vídeo de 4 peças de teatro criadas pelo próprio: Questo Buio Feroce (21 de junho), Dopo la Batlaglia (23 de junho), Orchidee (28 de junho) e Vangelo (30 de junho). A entrada é gratuita com início de cada sessão às 20h00.

Fotografia de  Luca del Pia

A Organização das Formas

Até 5 de Novembro de 2011
Quinta a sábado das 15h00 às 19h00

 

Kunsthalle Lissabon

Av. da Liberdade, 211 - 1º

Lisboa

A Kunsthalle Lissabon muda-se para o 1º andar do número 211 da Avenida da Liberdade, com a inauguração de uma exposição individual de Mariana Silva. Trabalhos inéditos que incluem uma sessão única no cinema Nimas. Até 5 de Novembro.

 

Em "Uma composição para dois, a dois momentos diferentes", trabalho central da exposição, apresenta uma projecção em que dois canais vídeo são sobrepostos num mesmo ecrã. Um vídeo de 1978 da performance "Trio" de Yvonne Rainer, bailarina, coreógrafa e cineasta, e uma outra em que vemos legendas baseadas no estudo de 1976 de Mona Ozouf, historiadora, sobre as paradas da revolução francesa.

 

No cinema Nimas, numa sessão única no dia 18 de Outubro, às 22h, Mariana Silva (n.1983, Lisboa) faz um evento que envolve a projecção de um vídeo HD de 30 minutos conjugada com a difusão de um perfume pela sala, inspirado no "Parfum à la Guillotine" - uma recriação do perfumeiro Lourenço Lucena da fragrância lendária criada à imagem da guilhotina. A fazer lembrar as sessões efémeras de cinema olfactivo dos anos 60, este trabalho de Mariana Silva mistura imagens antigas do Museu do Louvre com uma experiência que descobrimos também com outro dos nossos sentidos.

Formas de Dizer

Até 10 de Setembro de 2011
Terça a sábado das 14h00 às 19h00

 

Vera Cortês - Agência de Arte

Avenida 24 de Julho, 54 - 1ºE

Lisboa

 

Primeira exposição individual em Portugal da dupla brasileira Angela Detanico e Rafael Laink, artistas cuja formação envolveu o design gráfico e a linguística.
Disciplinas que continuam a usar e reflectir no seu trabalho em artes plásticas.

Fuso - Anual de Vídeo Arte Internacional de Lisboa

30 de Julho a 1 de Agosto de 2010

Museu Berardo

Praça do Império

Lisboa

http://www.ccb.pt

http://museuberardo.pt

Evento inserido no CCB Fora de si 2010.



Na sua segunda edição, o FUSO mantém o desafio inicial de, ao longo de 5 dias, proporcionar uma viagem pela vídeo arte com peças que abordam as linguagens da televisão e do cinema, e com a projecção de peças históricas que são lugares de descoberta e de leitura da arte contemporânea.

As sessões propõem também a apresentação de produções inéditas resultantes dum Open Call lançado em Maio.


30 Julho Sexta - feira

22h30 1.ª sessão de projecção com curadoria de Sergio
Edelsztein, Center for Contemporary Art / VideoZone, Telavive.

00h 2.º sessão de projecção competitiva do Open Call aos artistas portugueses FUSO 2010, com selecção de Elsa Aleluia.


31 Julho sábado

22h30 Sessão de artista, Deutschland und ich (A Alemanha e eu), Marcel Odenbach, Colonia.

23h30 Encontro de Marcel Odenbach com o público.

00h Sessão de artista, Ich und die weite Welt (Eu e o vasto Mundo), Marcel Odenbach, Colonia

01h Entrega dos prémios do Júri e do Público Open Call a artistas portugueses com finissage.

1990/2010 Cabinet d' Amateur

Até 18 de Julho de 2010
Terça a sexta das 10h00 às 17h00
Sábado e domingo das 11h00 às 18h00

 

Museu Nacional de História Natural

Rua da Escola Politécnica, 58

Lisboa


Alexandre Estrela, A Kills B, Anabela Costa, Cristina Ataíde, Graça Sarsfield, Luís Campos, Maria Lusitano, Manuel João Vieira, Miguel Pacheco, Pedro Barateiro, Rui Mourão, Vasco Araújo, , entre outros

Agora Luanda

 

Até 20 de Junho
Segunda a sábado das 14h00 às 19h30

 

Plataforma Revólver

Rua da Boavista, 84 - 3º

Lisboa

"Projecto de Inês Gonçalves e Kiluange Liberdade, "Agora Luanda" é composto por um livro, fotografias e filmes. Apresentado ao público no ano passado, ocupa agora, em forma de exposição, a Plataforma Revólver, em Lisboa.

Retratos da juventude de Luanda, os seus hábitos, as suas roupas, as suas músicas, as suas tradições. "Agora Luanda" é um trabalho conjunto de Inês Gonçalves e Kiluange Liberdade. Editado em livro no ano passado, mas também realizado em formato de exposição, este projecto é composto por fotografias, filmes ("Mãe Ju") e por textos de José Eduardo Agualusa e Delfim Sardo.

Nesta nova apresentação são mostradas as fotografias e dois documentários, um deles inédito. "

S.Po (PÚBLICO)