Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Aproxima-se a 19ª edição da ANIMar

Aproxima-se a 19ª edição da ANIMar
Exposições, sessões de cinema, oficinas e muita animação!

SEMPRE, histórias de liberdade – Imagem, música e palavra no 1.º de maio em Vila do Conde | 21h30, Mercado Municipal

Manifestação popular e artística com base na recolha de histórias de liberdade
Imagem, música e palavra no 1.º de maio em Vila do Conde

news.jpg


 
50 anos depois, Vila do Conde é convocada para uma manifestação, um novo 1.º de maio, chamando todos a participar! Um espetáculo multidisciplinar que cruza imagem, música e palavra, a partir das memórias, arquivos e histórias de liberdade das gentes do concelho. Uma celebração e uma homenagem a todos os que ajudaram a construir a sociedade democrática e livre em que vivemos hoje.

 
As imagens do 1.º de maio de 1974 em Vila do Conde mostram a afluência massiva da população à celebração da liberdade democrática, neste que constitui o primeiro momento de manifestação pública e livre, poucos dias depois do 25 de Abril. É este o ponto de arranque do SEMPRE, histórias de liberdade, um projeto coletivo multidisciplinar evocativo dos tempos de abril, a partir da exploração dos arquivos e coleções pessoais recolhidos junto dos que viveram o período da revolução em Vila do Conde.


Estes testemunhos, fotografias e documentos reunidos são trabalhados de forma multidisciplinar, cruzando imagem, música e palavra, no âmbito de uma residência artística, resultando daqui um espetáculo único, apresentado no 1.º de maio de 2024, pelas 21h30, no Mercado Municipal de Vila do Conde.
Mas o projeto não fica por aqui. Dirigindo-se a vários públicos e gerações, SEMPRE, histórias de liberdade lança um apelo à população para a recolha destas memórias e arquivos, com o objetivo de serem mostrados mais tarde, em outubro, no âmbito de uma exposição e de uma publicação. Nesta altura será também lançada uma K7, uma edição de autor que apresenta o registo do imaginário áudio-musical de todo este processo.

SEMPRE, histórias de liberdade não procura com isto a imagem completa, não pretende documentar, mas sim cruzar conteúdos num espaço conceptual de experimentação, promovendo novas reflexões sobre democracia, cidadania e liberdade e procurando mostrar a importância destes valores, especialmente junto das novas gerações. É, acima de tudo, uma celebração, que procura, ao mesmo tempo, projetar um futuro, na perspetiva da passagem do testemunho, chamando todos a participar!

O projeto é desenvolvido pela Noites Claras Associação Cultural, em parceria com a Câmara Municipal de Vila do Conde, no âmbito da comemoração dos 50 anos do 25 de Abril em Vila do Conde. Todas as atividades são de acesso livre e gratuito.


— PROGRAMA
1 de maio, 21h30
Manifestação popular e artística

Um espetáculo multidisciplinar celebrativo dos tempos de abril, desenvolvido em contexto de residência artística com base no cruzamento da imagem, música e palavra, entre o documental e o afetivo, a partir da exploração dos arquivos e memórias pessoais da comunidade vilacondense.
Mercado Municipal de Vila do Conde

até 14 de junho
Apelo à participação!

Tempo de abrir as gavetas e sacudir o pó: procuramos arquivos e coleções pessoais de quem viveu o período da revolução do 25 de Abril em Vila do Conde; fotografias, histórias, testemunhos, documentos, diretos ou indiretos, que contribuam para registar e difundir a memória da cidade.
SEMPRE. historiasdeliberdade@ gmail. com

19 de outubro
Exposição, publicação e K7

O ponto de encontro e de registo das histórias de liberdade reunidas junto da comunidade vilacondense; um suporte de apresentação dos testemunhos, arquivos e coleções pessoais recolhidos; uma extensão do processo de criação do objeto artístico apresentado a 1 de maio.
Vila do Conde [local a indicar]

. . . . .

Iniciativa
Noites Claras Associação Cultural

Parceria
Câmara Municipal de Vila do Conde

Apoio
Associação 25 de Abril
Buscapólos Associação Cultural
Bind'ó Peixe Associação Cultural
APACVC – Associação dos Profissionais das Artes e Cultura de Vila do Conde

. . . . .

Isadora Neves Marques na sua primeira exposição individual no norte do país

descarregar (3).jpg

Entre a escrita, o cinema e a prática artística, Isadora Neves Marques pensa criticamente matérias prementes do pensamento contemporâneo numa linguagem própria de (auto)ficção. Isadora Neves Marques apresenta na SOLAR - Galeria de Arte Cinemática a exposição Há, de facto, um fim? que inaugura no próximo sábado, dia 2 de dezembro, pelas 17h00. Íntima e perspicaz, esta trama coloca em diálogo quatros obras da artista, duas das quais contam com a colaboração de HAUT / Fá Maria, artista e compositore que ocupará o espaço CAVE com a instalação inédita ANIMAL.

 

Artista Maria Pratas inaugura exposição em Vila do Conde

Lugares | Exposição de Maria Pratas | 16 de novembro a 20 de dezembro

Vila do Conde Porto Fashion Outlet

 

Lugares - Maria Pratas.png

No âmbito da iniciativa ‘Local is Beautiful’ - que tem como objetivo destacar artistas portugueses, cujo trabalho se caracteriza pelo uso de materiais nacionais sustentáveis, e com um elevado foco e preocupação pela natureza e pelo meio ambiente – a artista Maria Pratas apresenta a exposição ‘Lugares’. Estará patente no Vila do Conde Porto Fashion Outlet entre os dias 16 de novembro e 20 de dezembro.

 

A artista, que mistura têxteis, fibras naturais e madeira, contará com seis obras em exposição no centro de Vila do Conde, num modelo de window gallery.

 

Maria define-se como uma exploradora de territórios têxteis e de alma curiosa para criar esculturas ecléticas definidas por diferentes técnicas. "Quando viajo ou quando percorro trilhos na costa, regresso a casa sempre com uma coleção de pedaços cerâmicos, raízes, cordas abandonadas ou objetos que me chamaram a atenção." É nesta verdadeira caixa de tesouros e nas memórias de imagens arquivadas que ficam esses lugares onde Maria, emergida no processo criativo, procura o gatilho e o poder de levar as pessoas para novos lugares.

 

Propostas da MONTRA para o fim-de-semana | 3–19 NOV 2023, Vila do Conde + Póvoa de Varzim

Uma grande montra colectiva em Vila do Conde
DESTAQUES DO SEGUNDO FIM-DE-SEMANA DA MONTRA

400035809_17960131151672654_4903020832127489448_n.



O segundo fim-de-semana de programação da montra – mostra de arte propõe uma performance / dança e um fim de tarde com raridades musicais, assim como um salto à Póvoa de Varzim...

 

Uma das novidades da 4.ª edição da montra – mostra de arte é a ponte estabelecida com o FIS – Festival Internacional de Solos, que tem lugar na Póvoa de Varzim. A convite deste festival, a montra leva até à cidade vizinha a exposição (M)AR, do artista plástico vila-condense Filipe Larangeira, com um conjunto de peças que evocam a atmosfera como lugar de discussão de ideias e construção de sonhos, apresentadas na Mercearia Paulino e no Cine-Teatro Garrett. A exposição arranca na sexta-feira, 10 de novembro, pelas 18h30, estendendo-se até dia 26.

 

Por sua vez, o FIS traz a Vila do Conde o solo Macaquinho do Chinês, da jovem bailarina e coreógrafa Ana Isabel Castro, uma performance / dança que tem lugar no Malhão Fashion Store, no sábado, 11 de novembro, pelas 18h30, explorando a ideia de imobilidade do corpo através da relação com um manequim.

 

O dia termina pelas 19h30, com Posto de Escuta, que traz ao Mercado Municipal de Vila do Conde as colecções e raridades musicais do caxineiro Marco Castiço.

 

O arranque da montra, no passado fim-de-semana, foi marcado por vários outros eventos: a performance resultante da residência artística Nortear, por Mariana Sardon e Tânia Dinis, com Inês Miranda, Ricardo Ciríaco e Fábio M. Silva, uma das grandes apostas do programa deste ano, promovendo o estudo e representação da paisagem e cultura visual e sonora do território das Caxinas; a performance Ocupação Cia Excessos, de Hilda de Paulo e Tales Frey, explorando o corpo e o vestuário como centralidade discursiva; as exposições — que podem ser visitadas até 19 de novembro — Blaring Hex of Care, uma colectiva de jovens estudantes do ensino artístico na Galeria by edmundoCorta e Cola Existencial, de Helena Rocio Janeiro, no Bosque Concept Store; Aqui do Outro Lado, do artista plástico vila-condense Francisco Laranjeira apresentada nas Mercearias TorresMiragem, do ilustrador poveiro Luís Silva, na Sapataria S. João; e Recomeçar, uma colectiva da The Cave Photography na São João Gallery.

O projecto montra é organizado pela Noites Claras Associação Cultural, com o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, o apoio logístico da Associação Comercial e Industrial de Vila do Conde e a parceria do FIS – Festival Internacional de Solos.

Uma grande montra colectiva nas lojas do comércio tradicional | 3–19 NOV 2025, em Vila do Conde

4.ª edição da montra – mostra de arte

Uma grande montra colectiva em Vila do Conde

 

MONTRA 23 - DIGITAL Posts-D.jpg

Mar, ar e vento em exposição; uma incursão nas imagens e sons das Caxinas; colagens plásticas, espelhos mágicos ou humor em ilustração; pormenores da vida humana em fotografia; corpo e vestuário e suas fronteiras discursivas; o movimento de um corpo em diálogo com um manequim; experimentação e improviso em níveis sonoros e audiovisuais; música em cassete, em vinil e na mesa de mistura. Tudo isto numa grande montra colectiva em Vila do Conde, de 3 a 19 de novembro, num itinerário traçado pelas lojas do comércio tradicional da cidade, de acesso livre e gratuito.

 

A montra – mostra de arte contemporânea em montras do comércio tradicional de Vila do Conde é isso mesmo: um projecto que se propõe fazer chegar a arte a todas as pessoas, muitas delas sem hábitos de consumo cultural. A montra apresenta anualmente um conjunto de intervenções expositivas e performativas que exploram diferentes possibilidades de ocupação do espaço público e envolvimento da comunidade, numa dinâmica de circulação pedonal pela cidade e de colaboração entre artistas e comerciantes. Os projectos artísticos propostos são transdisciplinares e podem ir das artes performativas, artes plásticas, circo, dança, design, escultura, figurinos e cenografia, fotografia, literatura, música, poesia, teatro até ao vídeo.

 

Novidades 2023

Umas das grandes novidades desta edição é a residência artística NORTEAR: tendo Vila do Conde como área geográfica de intervenção, promove o estudo e representação da sua paisagem e cultura sonoras, com foco no território das Caxinas. Este estudo implica observar, escutar e interrogar os eventos sonoros das ruas, da praia, das maneiras de falar ou de cantar, identificando os sons presentes e reflectindo sobre a forma como se relacionam com a memória e vivências dos lugares. Em paralelo, a componente visual resulta de uma pesquisa, um confronto com o arquivo, os álbuns de família, documentos, outros objectos de memória e imagens reais desta zona piscatória. O processo de exploração termina com uma apresentação pública no Mercado das Caxinas, a 5 de novembro, pelas 18h30, no formato de performance sonora e visual efémera.

 

Uma outra novidade desta 4.ª edição é a parceria com o FIS – Festival Internacional de Solos: a montra vai receber num espaço comercial de Vila do Conde, a 11 de novembro, pelas 18h30, a performance MACAQUINHO DO CHINÊS, de Ana Isabel Castro, um solo de dança em torno das questões levantadas pela imobilidade do corpo, apresentando depois numa loja e num espaço do Cine-Teatro Garrett, onde decorre o festival, entre 11 e 26 de novembro, o trabalho (M)AR do artista vila-condense Filipe Larangeira.

A exposição colectiva BLARING HAX OF CARE constitui tmbém uma das novidades deste ano, resultando de uma convocatória dirigida aos alunos do ensino artístico, com coordenação da jovem vila-condense estudante de artes plásticas, Catarina Machado.

Destaques do programa

 

Ao nível das exposições, Helena Rocio Janeiro, artista plástica e autora do projecto Coração o Ditador, apresenta CORTA E COLA EXISTENCIAL, onde explora nos diferentes suportes das suas colagens a ideia da transformação contínua. A colectiva de fotografia RECOMEÇAR, um projecto da The Cave Photography com os Encontros da Imagem de Braga, reúne alguns dos nomes mais promissores da arte fotográfica em Portugal. AQUI DO OUTRO LADO é uma instalação do artista plástico vila-condense Francisco Laranjeira, uma provocação a quem passa... Nota ainda para a exposição MIRAGEM, do ilustrador poveiro Luís Silva, que nos traz uma reflexão bem-humorada sobre as tecnologias da informação e as redes sociais. Todas estas exposições estarão patentes de 4 a 19 de novembro.

 

No campo das performances, a montra arranca no dia 3 de novembro, pelas 19h30, com a performance OCUPAÇÃO CIA EXCESSOS, de Hilda de Paulo e Tales Frey, tendo o corpo e o vestuário como centralidade discursiva. No fim-de-semana seguinte, no sábado 11 de novembro, pelas 19h30, Marco Castiço apresenta POSTO DE ESCUTA, no qual partilha as raridades das suas colecções em vinil e cassete. O terceiro e último fim-de-semana é marcado pela apresentação no sábado, 18 de novembro, pelas 18h30, da performance FHOSFHORUS, de Francisca Dores e Henrik Ferrara, na experimentação e no improviso sonoro e audiovisual, terminando em festa às 23 horas com os BITCH BOYS, numa noite de música com a dupla vila-condense dos irmãos Praça.

 

Espaços & apoios

A montra decorre este ano de 3 e 19 de novembro, abrangendo três fins-de-semana de programação. O levantamento e selecção dos espaços tem como principal critério a criação de um itinerário pela cidade e a adaptabilidade às características das intervenções dos artistas, respondendo também ao interesse e a disponibilidade dos comerciantes. O projecto montra é organização pela Noites Claras Associação Cultural, uma jovem associação cultural vila-condense fundada em 2022, que reflecte um colectivo transdisciplinar de criação, organização e divulgação de projectos culturais, sociais, artísticos e pedagógicos, procurando criando dinâmicas de cooperação entre os artistas e as comunidades. A montra conta com o apoio financeiro da Câmara Municipal de Vila do Conde, com o apoio logístico da Associação Comercial e Industrial de Vila do Conde e com a parceria estabelecida com o FIS – Festival Internacional de Solos.

 

Unexpected Guests, de Deborah Stratman, na Solar

 

Concerto de Rodrigo Leão na Igreja Matriz de Vila do Conde | 1 junho 2023 | 21h30

Concerto assinala encerramento da intervenção em curso

Rodrigo Leão na Igreja Matriz de Vila do Conde

Dia 1 junho 2023, 21h30

image002 (5).png

Um concerto de Rodrigo Leão na Igreja Matriz de Vila do Conde irá marcar o culminar da intervenção de conservação e restauro atualmente em curso no monumento.

O concerto vai decorrer no próximo dia 1 junho, pelas 21h30, com entrada livre, sujeita à lotação da Igreja e à apresentação de bilhete*.

A intervenção na Igreja Matriz de Vila do Conde resulta de uma candidatura apresentada pela Direção Regional de Cultura do Norte ao Aviso Património Cultural-Infraestrutural do Programa Operacional Norte 2020.

O projeto de intervenção, que se encontra na fase final, divide-se em duas áreas fundamentais: a torre sineira e a cobertura da igreja.

A intervenção na torre sineira visou a recuperação de todas as suas estruturas, a construção de novas, melhorar a acessibilidade e favorecer a funcionalidade dos seus sinos e da visita ao seu interior.

A intervenção na cobertura da igreja visou resolver os problemas de estanquidade à água detetados, com solução de elevada durabilidade, reduzida manutenção e de reduzido impacto no património edificado.

 

Concerto de Rodrigo Leão

A carreira a solo que levou Rodrigo Leão ao reconhecimento global começou há trinta anos. Foi em 1993 que Rodrigo, então ainda parte integrante dos Madredeus, editou o seu primeiro trabalho em nome próprio: Ave Mundi Luminar explorava recantos criativos que não cabiam nos seus projetos anteriores. O disco tornou-se num sucesso inesperado.

Nas três décadas que decorreram desde Ave Mundi Luminar, Rodrigo tornou-se num dos mais queridos de todos os artistas portugueses. A par dos álbuns que chegaram ao 1º lugar das tabelas de vendas em Portugal, várias gravações suas viram edição internacional em marcas tão prestigiadas como a Deutsche Grammophon ou a Sony Classical.

Explorando sem medos as múltiplas possibilidades da composição, entre o popular e o erudito, o electrónico e o orquestral, o seu nome é citado ao lado de referências da música contemporânea como Ryuichi Sakamoto, Ludovico Einaudi ou Jóhann Jóhansson.

Escreveu bandas-sonoras para filmes tão diferentes como a comédia de sucesso A Gaiola Dourada, o drama nomeado para os Óscares O Mordomo, a série televisiva Portugal – Um Retrato Social ou o documentário sobre os anos 1960 No Intenso Agora. E, nas suas canções, colaborou com artistas como Beth Gibbons dos Portishead, Neil Hannon dos Divine Comedy, Scott Matthew, Rui Reininho dos GNR, Joan as Police Woman, Stuart Staples dos Tindersticks ou Lula Pena.

Neste espetáculo Rodrigo Leão reúne uma seleção pessoal de temas clássicos de sua autoria. É, por isso, bastante eclético, com uma grande abrangência de estilos musicais que vão do neoclássico à valsa.

 

Sobre a Igreja Matriz de Vila do Conde

A Igreja Matriz é um dos monumentos mais emblemáticos da cidade e concelho de Vila do Conde.

Desde o século XVI, transformou-se no maior centro de culto da Paróquia de S. João Baptista. Quando foi construída era a maior igreja paroquial do seu tempo e, ainda hoje, é uma das maiores do país.

A decisão de se construir uma nova matriz, em 1496 – em substituição da antiga matriz que se situava no monte do mosteiro e era pequena – corresponde ao anseio de uma população, que há muito descia as encostas do monte, para morar mais perto do porto do Ave, numa época em que Vila do Conde fervilhava com o comércio do Império Português.

A construção da Matriz de Vila do Conde foi impulsionada com a passagem do Rei D. Manuel I por Vila do Conde, a caminho de Compostela, em 1502, que - além de uma contribuição pessoal - derramou impostos sobre o povo e as freiras de Santa Clara para a construção da nova matriz.

A Igreja Matriz de Vila do Conde está classificada como Monumento Nacional desde 1910.

 

 

* Os bilhetes gratuitos para assistir ao concerto são distribuídos no Centro Paroquial de Vila do Conde, a partir de hoje, dia 12 maio. Cada pessoa poderá levantar até dois bilhetes.

Horário de Atendimento do Centro Paroquial disponível aqui:

https://www.paroquiadeviladoconde.pt/horario/

 

Mulheres do Norte | Vila do Conde Porto Fashion Outlet acolhe exposição fotográfica 'As Bravas'

Dia Internacional da Mulher - Exposição ‘As Bravas’ 

Vila do Conde Porto Fashion Outlet acolhe exposição fotográfica

de homenagem às mulheres do Norte

thumbnail.jfif

 

  • Conjunto de imagens de Paulo Pimenta são retratos de mulheres do norte, da região de Amarante, que se destacam pelas suas histórias de resiliência;
  • A mostra é um projeto da PELE, coletivo que apoia criação artística no contexto de reflexão, ação e participação cívica;
  • Centro reforça a sua ligação às artes e convida a aliar a experiência comercial à cultural.
  •  

 

 

 O Vila do Conde Porto Fashion Outlet acaba de estrear uma nova exposição fotográfica para assinalar o Dia Internacional da Mulher, numa homenagem às mulheres do Norte. ‘As Bravas’ conta com fotografias de Paulo Pimenta, a partir de um projeto da PELE - coletivo que desenvolve projetos de criação artística enquanto espaços de reflexão, ação e participação cívica e política.

 

Passear no Vila do Conde Porto Fashion Outlet não é apenas uma experiência comercial - é também uma experiência sensorial e cultural. Para assinalar o Dia Internacional da Mulher inaugura hoje a exposição As Bravas, que estará patente pelo menos até Abril, e é uma celebração das mulheres do Norte, em concreto da região de Amarante. A mostra destaca estas personagens enquadradas no cenário natural da serra do Marão e os retratos são uma forma de destacar as suas histórias de resiliência.  “Nesta exposição vemos figuras quase mitológicas, arquétipos da natureza na sua forma mais bela e mais crua, onde se cruzam memórias, objetos e vozes, que encontram um novo tempo e espaço de resistência, entre cantos de luta e de embalar”, acrescenta o coletivo PELE.

 

A mostra fotográfica, que ao longo de 2022 esteve exposta na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, e depois nos claustros do Mosteiro de São Gonçalo, em Amarante, chega agora a um espaço cultural improvável, um centro comercial. Recorde-se que o Vila do Conde Porto Fashion Outlet tem uma relação próxima com o universo artístico, e que tem patente no centro a exposição permanente “Memórias do Mar”, de Cristina Rodrigues. Trata-se de um conjunto de três instalações que homenageiam a tradição piscatória da região. A nova exposição vem reforçar essa componente extra da visita ao centro.

 

“Temos um enorme orgulho na cultura local onde nos inserimos e é premissa base da VIA Outlets ter os seus centros a celebrar essas mesmas características. É desta forma que provamos, uma vez mais, que os nossos centros são sinónimo de uma experiência única e memorável, que vai além de transações comerciais. Focamo-nos na construção de um espaço onde nos cruzamos com outras realidades e onde nos inspiramos das mais diversas formas”, explica Catarina Tomaz, Diretora de Marketing da VIA Outlets em Portugal.

 

“Nas montanhas do Marão (re)encontramos as nossas ancestrais, mulheres que lutam e resistem. Sussurram memórias silenciadas e cantam para espantar a solidão dos dias. Guardiãs de pés descalços e de lembranças de tempos duros, de histórias e cantigas do passado, mas com o futuro no olhar”, conta a equipa artística, da qual faz parte Paulo Pimenta, fotojornalista que assina os trabalhos apresentados. “O manto que as envolve foi cosido de retalhos vivos dos caminhos que fazem parte do quotidiano e sabedoria destas Bravas, arquétipos da natureza na sua forma mais bela e mais crua.”

 

O projeto vive ainda fora da lente fotográfica. Face à ocultação dos nomes femininos que contribuíram para as conquistas históricas, políticas e civis, ao longo do projeto foram recolhidos relatos de heroínas da vida real, que inspiram e que devem ser recordadas pela memória coletiva. A recolha é feita junto dos grupos e parceiros, como através do Bordado Coletivo, um dispositivo que tem ocupado vários espaços públicos e que convida as pessoas a bordar algo inspirado na sua Brava. Todas estas histórias vão criando uma teia narrativa e algumas vão sendo ilustradas em formato de Fanzine, enquanto parte da coleção “As Bravas”.

 

As Bravas é um projeto da PELE, estrutura artística criada no Porto em 2007, que procura promover a experimentação artística enquanto espaço de diálogo e criação coletiva, numa articulação permanente entre estética, ética e política. A exposição das Bravas nasce do projeto Enxoval: Tempo e espaço de resistência, financiado pela iniciativa Partis da Fundação Calouste Gulbenkian e com apoio da Câmara Municipal de Amarante.

 

Este Natal o Vila do Conde Porto Fashion Outlet tem programação infantil especial e gratuita

Parceria com a ‘The Book Shop’

 

 

  • Atividades decorrem aos fins de semana, com uma atividade diária entre os dias 12 de novembro e 11 de dezembro, no espaço da The Book Shop;
  • Espetáculos de magia, horas do conto, teatros de fantoches, oficinas de brinquedos e de ilustração são algumas das atividades já planeadas;
  • A programação completa e respetivos horários podem ser consultados no site do Vila do Conde Porto Fashion Outlet.

 

O Vila do Conde Porto Fashion Outlet, em parceria com a ‘The Book Shop’, livraria do centro, apresenta uma programação infantil especial para este Natal. A partir do dia 12 de novembro, o centro comercial conta com espetáculos, oficinas e horas temáticas, que prometem entreter e ensinar os mais novos, com o encanto e a magia próprios do Natal. Toda a programação é gratuita e não exige marcação prévia.

 

A partir do dia 12 de novembro, e durante um mês, o Vila do Conde Porto Fashion Outlet e a The Book Shop vão ter diversos momentos dedicados aos mais novos, para celebrar o Natal com a magia que lhe é característica. Espetáculos de ilusionismo, horas do conto, teatros de fantoches e oficinas de brinquedos e de ilustração, são algumas das atividades já planeadas e que terão lugar na The Book Shop, livraria com oferta variada e diferenciadora, que está localizada numa zona open space do centro.

 

“O Natal tem uma magia própria e é vivido com um ânimo especial pelas famílias e pelos mais novos. Com esta iniciativa e com as atividades planeadas, queremos contribuir e fazer parte de memórias felizes”, explica Catarina Tomaz, diretora  de marketing  em Portugal da VIA Outlets, que detém o Vila do Conde Porto Fashion Outlet e o Freeport Lisboa Fashion Outlet.

 

As atividades não exigem inscrição e irão decorrer todos os fins de semana, com uma atividade por dia, entre os dias 12 de novembro e 11 de dezembro. A programação completa está em atualização e pode ser consultada aqui.

 

Programação infantil no Vila do Conde Porto Fashion Outlet:

 

12 de novembro | 15h30

Espetáculo de Magia

 

13 de novembro | 11h30

Conto e oficina magia de objetos  - O Belo e o Avesso das Coisas

 

19 de novembro | 15h30

Teatro de fantoches – No Conto da Raposa

 

20 de novembro | 11h30

Teatro de fantoches – Lupus Augustus

 

26 de novembro | 15h30

Espetáculo de magia

 

27 de novembro | 11h30

Conto e oficina de chapéus – O Rei Careca

 

3 de dezembro | 11h30

Espetáculo sensorial – Viajar nas histórias

 

4 de dezembro | 11h30

Apresentação e narração do livro – A Abelha e a Flor

 

10 de dezembro | 15h30

Conto e oficina de ilustração – A Garça e o Rinoceronte

 

11 de dezembro | 11h30

Conto e oficina de criação de histórias em família e álbum ilustrado – O Presente dos Magos