Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Vaudeville Rendez-Vous "abre" sexta edição com estreia nacional

Amanhã, quarta-feira, em Barcelos, às 22h00

Vaudeville_Zoog©Santiago Barreiro.jpg

 

 

Entre 24 e 27 de julho, o mais influente festival de circo contemporâneo do norte do país apresenta mais de 40 atividades gratuitas no Minho

 

É já amanhã, quarta-feira, que arranca a sexta edição do mais influente festival de circo contemporâneo do norte do país, com a estreia de “A Simple Space”, do grupo australiano Gravity Others Myths. O momento está agendado para as 22h00, no Largo da Porta Nova (Chafariz), em Barcelos. Este é apenas o primeiro espetáculo dos quatro dias do evento que decorre em simultâneo nas cidades de Vila Nova de Famalicão, Braga, Guimarães e Barcelos, entre 24 e 27 de julho.

 

Criado e organizado pelo Teatro da Didascália, o Festival Vaudeville Rendez-Vous apresenta o melhor do que se tem produzido a nível nacional e internacional do circo contemporâneo, através de uma vasta programação. No total, vão ser mais de 40 atividades públicas – nomeadamente, 28 apresentações de 13 espetáculos, dos quais três coproduções, em estreia absoluta, e seis estreias nacionais – a marcar a programação. Em paralelo, decorrem atividades complementares, como três oficinas, um showcase, um laboratório de criação para o circo contemporâneo e um debate sobre as redes de cooperação artística.

 

Estreias nacionais marcam a programação de Vaudeville

Além da estreia nacional do espetáculo inaugural desta sexta edição, o Vaudeville recebe “Sigma”, do grupo inglês Gandini Juggling, com a “deslumbrante” bailarina e coreógrafa especializada na dança clássica indiana Betaatanatyam, Seeta Patel. A celebrar o diálogo entre os mundos do malabarismo, da música e da dança clássica indiana e a confirmar “a ideia de que o Brexit não é senão um grande equívoco”, “Sigma” – composto apenas por mulheres – pode ser visto no dia 25 de julho, às 22h00, em Braga; e no dia 27 de julho, às 22h00, em Guimarães.

 

O par de acrobatas Amir and Hemda estreia “Zoog”, um jogo de amor e ódio que representa a história íntima do casal, com os seus altos e baixos, intimidade, e a alegria inerente à construção de todas as relações. O espetáculo vai ser apresentado em Guimarães, no dia 25 de julho, às 19h00, mas pode ainda ser visto em Barcelos, no dia 26, às 19h00; em Braga, dia 27, às 11h00; e em Famalicão, dia 27, às 19h00.

 

A completar as estreias nacionais do Festival Vaudeville Rendez-Vous está o espetáculo “Pelat”, de Joan Català – performance original que combina dança, teatro e circo – e “Furieuse Tendresse”, de Cirque Exalté, um espetáculo que expressa a intensidade da vida e do instante. O primeiro vai ser apresentado em Famalicão, no dia 25; em Guimarães, no dia 26; e em Barcelos, no dia 27, todos às 19h00. O segundo, do grupo francês, pode ser visto no dia 25, em Famalicão, às 22h00; no dia 26, às 22h00, em Barcelos; e em Braga, no dia 26, às 19h00.

 

Vaudeville apresenta Bolsa de Criação e outras coproduções

Após a atribuição, no ano passado, da primeira Bolsa de Criação a Elvis Mendes, aluno finalista do INAC, o Festival Vaudeville recebe este ano em estreia absoluta o resultado da parceria. “Fábrica da Mentira” estreia-se em Barcelos, no dia 25 de julho, às 22h00, e pode ser visto, ainda, em Famalicão, no dia 26, às 22h00. O Festival é, ainda, coprodutor da peça “Angustus”, do francês Jonathan Frau e do português Jorge Lix. A estreia está marcada para dia 26 de julho, em Vila Nova de Famalicão, às 19h00, e será apresentada ainda no dia 27, em Guimarães, às 11h00.

 

A completar o eixo da Inovação Artística, o festival é também palco da apresentação da criação coletiva do Instituto Nacional de Artes do Circo (INAC). Com direção de Roberto Magro, os alunos da primeira instituição de formação circense do norte do país apresentam a sua criação “Before The Rain”, no dia 25 de julho, às 22h00, em Guimarães. Dia 27 de julho, às 22h00, poderá ser visto em Braga.

 

O Vaudeville Rendez-Vous – reconhecido pelo júri internacional do Europe For Festivals/Festivals For Europe, com o selo EFFE Label 2019-2020 – tem como missão a sensibilização da comunidade para as artes circenses e a formação de novos públicos. O Festival integra, ainda, as redes europeias CircusNext e Circostrada que impulsionam a internacionalização da cultura e dos artistas portugueses. A última edição daquele que é considerado o mais influente festival de circo contemporâneo do país reuniu mais de 15 mil pessoas em Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão e contou com mais de 60 artistas portugueses e internacionais.

 

Programação Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous 2019: http://bit.ly/2Sl4xxU

O Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous – criado pelo Teatro da Didascália, companhia de Vila Nova de Famalicão –  assinala em 2019 a sua sexta edição e decorre nos espaços públicos de Vila Nova de Famalicão, Braga, Guimarães e Barcelos, com o apoio dos respetivos municípios. O Festival tem como objetivo promover a valorização da criação nacional nas áreas do circo contemporâneo, teatro físico e formas transdisciplinares. O projeto é cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte, Norte 2020, através do Portugal 2020 e do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Cinema Paraíso completa 20 anos de projeções ao ar livre

Cinema Paraiso na Devesa.jpg

 

São 20 anos de cinema ao ar livre em Vila Nova de Famalicão e são muitos os milhares de pessoas que não perdem a oportunidade de assistir a uma excelente escolha de filmes em vários espaços públicos do concelho. Cinema Paraíso - Projeto Itinerante de Cinema Ao Ar Livre, coprodução da Casa das Artes de Famalicão e do Cineclube de Joane, inicia em julho e prolonga-se pelo mês de agosto.

É verão, tempo de virar o projetor para o exterior, de direcionar as luzes do Cinema para a cidade, para as praças, para dentro das urbanizações. Nas 19 edições anteriores, procurou-se a consolidação de uma das principais ideias do projeto: a sua itinerância. Isto foi conseguido e permitiu ao Cinema Paraíso estacionar em cerca de 30 locais, no percurso que já chegou a metade das freguesias do concelho de Vila Nova de Famalicão.

Na 20.ª edição, será dada continuidade no levar o cinema às populações, fazê-lo com escolhas criteriosas, com propostas que cheguem ao grande público, que ambicionam surpreender o espetador, cinema popular de várias proveniências, do presente e do passado.

Este verão, o Cinema Paraíso terá seis projeções no Anfiteatro do Parque da Devesa, o seu local de eleição desde 2013, e deambulará por três freguesias: Cabeçudos, Lemenhe e S. Simão de Novais.

No dia e na hora de cada sessão é recomendável ponderar a companhia de um agasalho, uma manta, uma almofada ou uma cadeira de praia: o Cinema Paraíso projeta luz e histórias a partir das 22h00. A entrada é livre.

No Parque da Devesa a programação do Cinema Paraíso tem agendados os seguintes filmes: 10 de julho – Bohemian Rhapsody de Bryan Singer; 17 de julho – Missão: Impossível - Fallout de Christopher McQuarrie; 24 de julho – Homem-Aranha: No Universo Aranha (versão portuguesa) de Peter Ramsey, Rodney Rothman, Bob Persichetti; 7 de agosto – Uma Aventura do Outro Mundo (versão portuguesa) de Christoph Lauenstein, Wolfgang Lauenstein, Sean McCormack; 14 de agosto – O Carteiro de Pablo Neruda de Michael Radford; 21 de agosto – Ou Nadas ou Afundas de Gilles Lellouche.

Na itinerância pelas freguesias, Cinema Paraíso aponta a seguintes películas: 11 de julho (quinta-feira) -  S. Simão de Novais, na Praça Jerónimo de Castro, Dumbo de Tim Burton; 14 de julho (domingo) –  Cabeçudos, no adro da Capela de Santa Catarina, Cinema Paraíso de Giuseppe Tornatore; 26 de julho (sexta-feira) -  Lemenhe, no adro da Capela de Nossa Senhora do Carmo, O Rio do Ouro de Paulo Rocha.

 

Teatro que sai do “Baú dos Segredos”

 

Julho é sinónimo de um exercício cénico de introdução ao Teatro que assume por nome “Baú dos Segredos” e que mobiliza um exército de pequenos atores e atrizes dos 8 aos 18 anos de idade.

“Baú dos Segredos” é um ateliê de teatro anual, da responsabilidade da Casa das Artes de Famalicão e do encenador João Regueiras que se realiza, nas instalações da Casa das artes de Famalicão, de outubro a julho do ano seguinte.

É de um texto de Alice Vieira, que mergulha numa história da tradição popular, que é retirado a primeira das encenações teatrais que a Casa das Artes de Famalicão programa e coproduz para o mês de julho. “Leandro, o Rei de Helíria” sobe a cena nos dias 24 e 25 de julho, às 21h3, no Grande Auditório. Segundo a história, um pai decide repartir o reino pelas filhas e põe-nas à prova, acabando, contudo, por deserdar a mais nova. Esta vem a revelar-se, afinal, a única que era merecedora da sua generosidade. Vítima do próprio orgulho e castigado pela sua cegueira, o rei expia as culpas mergulhando na miséria, até ser finalmente salvo e perdoado pela filha mais nova entretanto reencontrada.

Uma história onde se fala de amor, de ingratidão, e do que acontece a um rei quando a coroa lhe cai da cabeça, num enredo em muitos aspetos semelhante ao de "Rei Lear", de Shakespeare.

A entrada custa quatro euros, ou dois para os portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

“Leandro, o Rei de Helíria” é encenado por João Regueiras, numa adaptação de Ana J. Regueiras e a interpretação está a cargo dos alunos da Classe A (10 aos 14 anos), do “Baú dos Segredos”.

De 26 e 27 de julho, às 21h30, o Grande Auditório da Casa das Artes assiste à peça “Mulheres Invisíveis”, numa interpretação da Classe B (15 aos 18 anos), do Baú dos Segredos e encenada por Ana J. Regueiras. Uma viagem ao trágico 25 de março de 1911 que, na cidade de Nova Iorque, viu perecer mais de uma centena de mulheres no incêndio na fábrica da Triangle Shirtwaist. O título “Mulheres Invisíveis” ilustra o facto de muitas das vítimas, por serem mulheres, operárias e imigrantes, não terem sido alertadas para o incêndio que consumiu o prédio onde laboravam. Trabalhavam, à mingua de uns 6 a 10 dólares por semana, 14 horas por dia, em semanas de trabalho de 60 a 72 horas. Na hora da calamidade, a sua maior desgraça foi terem sido ignoradas. Mulheres invisíveis pela cegueira do lucro a qualquer custo, pela falta de condições de segurança no trabalho e pela completa ausência de sentido humano. “Quando tudo terminou, juntei-me ao meu povo. As outras mulheres cujas vidas, as mortes, não foram vistas. Nós, as Mulheres Invisíveis. Eu vejo-as. E elas a mim.”

A entrada custa quatro euros, ou dois para os portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

 

SERRALVES // DE 05 JUN A 19 JUN 2019 // INOVDESIGN EM ROADSHOW A PROMOVER O DESIGN NACIONAL

INOVDESIGN 2019 - ROADSHOWS

de 05 JUN a 19 JUN 2019

 

LOCAIS E DATAS: Viana do Castelo (5 jun), São João da Madeira (6 jun), Braga (12 jun), Guimarães (13 jun), Vila Nova de Famalicão (18 jun) e Paredes (19 jun).

 

Através de várias iniciativas entre as quais workshops, seminários, prémios e publicações, o projeto INOVDESIGN pretende realçar a importância do design na economia e o valor acrescentado da sua inserção nas cadeias de produção das empresas, assente em fatores de diferenciação como o marketing, as marcas e os modelos de negócios inovadores.

 

Deste modo, a Fundação de Serralves desenvolveu um conjunto de iniciativas agrupadas em três áreas de ação: CRIAR, CAPACITAR E INFORMAR.

 

A ação INFORMAR compreende o estudo, divulgação e partilha dos resultados das ações anteriores, nomeadamente dos workshops, seminários, concursos e prémio.

 

Para além destas ações, realizam-se agora seis ROADSHOWS com vista à sensibilização e dinamização dos setores industriais abordados, tendo em conta a sua atividade e metodologias.

 

Os ROADSHOWS terão lugar em seis cidades da Região Norte do país e pretendem informar e sensibilizar o respetivo tecido empresarial através da partilha e disseminação de boas práticas e metodologias, na adoção de modelos de negócio inovadores, e em que o design assuma um papel preponderante e diferenciador para o seu sucesso.

 

ROADSHOWS:

Programa geral: https://tinyurl.com/y26qaaro

 

Viana do Castelo | 5 Junho | 14h30

Biblioteca Municipal de Viana do Castelo 

Participantes: Lislei | Viarco | Vicara | Larus

 

  1. João da Madeira | 6 Junho | 14h30

Oliva Creative Factory  

Participantes: Wewood | Digitalab | Iduna | Ayres Gonçalo

 

Braga | 12 Junho | 14h30

GNRATION 

Participantes: Lislei | Patachou | Bullseye | Ikea Industry

 

Guimarães | 13 Junho| 14h30

ACIG - Salão Nobre 

Participantes: Wewood | The Board | Madre Loves Objects | Ikea Industry

 

Vila Nova de Famalicão | 18 Junho | 14h30

Fundação Cupertino de Miranda - CPS

Participantes: Lislei | Lobo Marinho | OPO Lab | Ikea Industry

 

Paredes | 19 Junho | 14h30

Casa de Cultura de Paredes

Participantes: Wewood | Mishmash | Rui Tomás | Ikea Industry

 

O projeto INOVDESIGN, promovido pela Fundação de Serralves, conta com a colaboração da ACIF - Associação Comercial e Industrial de Vila Nova Famalicão; da AEP - Associação Empresarial de Portugal, Câmara de Comércio e Indústria; da Associação Empresarial da Póvoa de Varzim; da AIMMAP - Associação dos Industriais Metalúrgicos Metalomecânicos e Afins de Portugal; da ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários; da APICCAPS - Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos; da APIMA- Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins; da ATP - Associação Têxtil e Vestuário de Portugal; da ESAD - Escola Superior de Artes e Design e da Fundação da Juventude

 

A participação nos ROADSHOWS é gratuita.

A inscrição deverá ser feita através do e-mail info@inovdesign.pt

Mais informações em www.inovdesign.pt

 

J.BUCK APRESENTARÁ “LOVE ME BACK” EM DIGRESSÃO IBÉRICA |VILA NOVA DE FAMALICÃO | BRAGA

J. Buck distingue-se como um artista a solo e compositor de letras profundas, que mergulha em ritmos de soul e blues. Em 2015, lançou o seu primeiro EP "The J. Buck Experience", que segundo Murfreesboro Pulse citou como "um passo em direção um passo em direção à nova versão da geração de Marvin Gaye. Passado um ano, J. Buck lançou o tão aguardado álbum, "Love Matters", com temas como “Where I Am”, “Dear Heart”, entre outros.

image014.jpg

 

J. Buck apresenta-nos hoje o single “Love Me Back”, que faz parte do EP "Love Matters", e prepara-se para entrar numa digressão ibérica em Maio, que promete espalhar amor e paz, encantar, com a sua poderosa voz, e entreter o público português e espanhol

 

Contos d’Avó

de 28 a 30 de Setembro, a freguesia de Joane em Vila Nova de Famalicão, será palco de uma viagem sensorial pelos caminhos da sua memória coletiva

primage_20660.png.jpg

 

Os Contos d’ Avó promovidos pelo Teatro da Didascália, regressam a Joane, V. N. de Famalicão. O festival arranca já no dia 28 de setembro e ao longo de três dias consecutivos, público e narradores convidados percorrerão três caminhos: o caminho da sabedoria, o caminho da intuição e o caminho da celebração.

No dia 28 – o caminho da sabedoria – o público será convocado para uma concentração no Largo 3 de Julho (Joane), de onde partirá, a pé, para a Casa da Igreja, acompanhado pelos sons da CAISA – Cooperativa de Artes, Intervenção Social e Animação, sob direção de Alberto Fernandes. A Casa da Igreja, edifício icónico em Joane, tem as suas origens nos finais do século XIV (dizem que talvez até antes) e pertenceu, durante largos anos, à Ordem de Cristo, ordem religiosa que substituiu a extinta Ordem dos Templários, expulsa da Europa no início do século XIV. Para além da sua longa história, o edifício albergou a famosa papelaria Cindinha, que encerrou as portas em 1995 mantendo, até hoje, e no mesmo estado, todo o seu recheio. É uma viagem aos anos 80 e 90, onde podemos encontrar brinquedos, material escolar, postais e outros tesouros ainda mais antigos. O público será convidado a visitar a casa, acompanhado por uma instalação sonora evocativa dos mistérios templários, onde a voz de Mauro Amaral, músico algarvio, o transportará para rituais de iniciação. No final da visita, seremos brindados com uma sessão de contos igualmente místicos, pelas vozes dos narradores Cláudia Fonseca (Lisboa), Jorge Serafim (Beja) e Luzia do Rosário (Beja).

O segundo dia de festival (29/09) – o caminho da intuição – levará o público até ao cimo do monte, onde podemos encontrar a Capela dos Santos Passos, uma capela que andou de local em local, até se fixar definitivamente na parte alta da vila de Joane. No adro da capela teremos a maravilhosa oportunidade de assistir à versão de câmara do espetáculo «Prelúdio: a mulher selvagem», dirigido por Bruno Martins, onde as delicadas, mas potentes vozes das atrizes Catarina Gomes, Cláudia Berkeley e Daniela Marques nos transportarão para o mundo interior feminino. Ao espetáculo segue-se uma sessão de narração, com Cláudia Fonseca e Jorge Serafim, que explorarão este universo feminino tão apetecível quanto belo e, por vezes, tenebroso.

O festival termina em festa, na esplêndida Quinta da Bemposta (Joane), no sábado, 30 de setembro – o caminho da celebração. As actividades começarão às 15h, com um workshop de danças tradicionais, por Ricardo Carneiro, diretor da Rusga de Joane, seguido por um workshop de percussão (às 16h), por Alberto Fernandes, coordenador da CAISA. Após os workshops, o público será convidado para um passeio pela quinta, onde encontrarão, pelo caminho, contadores de histórias que darão uma outra cor à paisagem verde. A viagem terminará num arraial, animado pelos joviais membros da Rusga de Joane, com baile e cantigas. O público é desafiado a trazer a sua merenda, para que se possa fazer um piquenique partilhado, entre cantos, contos e danças.

O festival sai, assim, da esfera exclusiva do espaço privado, como foi usual nas três primeiras edições, e entra num misto de espaço privado e espaço público. Dinamizar espaços icónicos de Joane, estimular a viagem metafórica dos sentidos e da imaginação, promover o sonho, o riso e a partilha, continuam a ser os grandes objetivos deste evento.

Uma viagem sensorial, onde a narração se alia a espaços não convencionais, na busca dessa partilha maior que se chama memória coletiva. Este ano os Contos d’ Avó prometem!

***

informações em: www.teatrodadidascalia.com

Territórios Dramáticos

primage_18840.png

 

 

o encontro de teatro que terminou no passado fim de semana e transformou Joane na Vila mais dramática de Vila Nova de Famalicão

 

Terminou no passado domingo, dia 26 de março, em Joane, a primeira edição do encontro de teatro Territórios Dramáticos promovido pela companhia Teatro da Didascália. O encontro que se realizou ao longo de dois fins de semana, entre 17 e 26 de Março, encerrou com a apresentação de um espetáculo para o público familiar, o espetáculo A Cores, da Peripécia Teatro.

Não é por acaso que se encerra este encontro de teatro com uma apresentação para as famílias, reunindo num mesmo espaço, jovens e adultos, para celebrar o teatro. Este projeto de programação desenhado pelo Teatro da Didascália tem como prioridade a promoção de um trabalho de proximidade entre o teatro e a comunidade local, e nesse aspeto, o principal objetivo foi cumprido. O público foi crescendo de dia para dia e em apenas 6 dias de programação, foi possível ver o surgimento de um público fiel que se deslocou a Joane para ver todos os espetáculos deste encontro. É a constatação de que existe público para o desenvolvimento de um trabalho de programação regular numa Vila como Joane, com condições técnicas, logísticas e artísticas capazes de construir, envolver e fidelizar público, numa freguesia com um historial fortemente ligado ao teatro.  

O público que se deslocou ao Centro Cultural da Juventude (ATC) em Joane, respondeu positivamente ao convite feito pela organização para cearem com os artistas no final dos espetáculos. O resultado foram longas conversas entre público e artistas, numa verdadeira partilha de pensamentos, acompanhados de um intercâmbio gastronómico, com um vinho verde muito bem acompanhado por Jesuítas, Queijadas de Montemor, Queijo da Serra e Pasteis de Águeda.  

Esta primeira edição do Territórios Dramáticos concretizou um total de 13 sessões públicas, entre elas: 7 espetáculos de teatro, 2 filmes e 4 conversas. Em apenas 6 dias de uma programação intensa.

Depois deste primeiro encontro, e da resposta francamente positiva por parte do público, o Teatro da Didascália acredita ser possível criar em Joane um profundo trabalho de proximidade com o território, estando neste momento a pensar e preparar novos projetos de proximidade a desenvolver com a comunidade local e envolvente. 

Esta semana o Pequeno Almoço é “Smile”!

primage_14333.png

 

O Ciclo de Teatro com Pequeno Almoço continua esta semana em Joane, Vila Nova de Famalicão, com o espetáculo “Smile” da Cia Baal 17 de Serpa.

“Smile” é um espetáculo com uma forte componente visual, onde a imaginação do público é um ingrediente fundamental para a construção de uma narrativa particular a cada espetador.

A peça centra-se na relação entre dois personagens, uma criança e uma velha e fala-nos do longo caminho que cada um tem de percorrer em direcção à felicidade.     

Dirigido a um público jovem a partir dos 6 anos de idade, “Smile” é um espetáculo onde a magia e o inesperado se cruzam com a realidade. Duas personagens, com um sorriso sempre à mão e a ternura sempre ao pé, irão explorar os cantos escuros das relações entre os Homens. O que se esconde por trás de um sorriso?

 

O espetáculo começa às 10h de Domingo, 6 de Dezembro, no Centro Cultural da Juventude de Joane, concelho de Vila Nova de Famalicão, resultado de uma parceria entre o Teatro da Didascália e a Associação Teatro Construção.

Este ciclo tem como objetivo proporcionar às famílias um espaço de encontro e de reflexão entre gerações, em que o teatro é o ponto de encontro para um diálogo alargado acerca desta arte e das suas diferentes formas de decifrar entre jovens e adultos.

Estes pequenos almoços no teatro serão encerrados com o espetáculo “Guarda Mundos”, apresentado pela companhia anfitriã, Teatro da Didascália, no domingo, dia 13 de Dezembro, também às 10h.

Não perca esta oportunidade de tomar a primeira refeição do dia no teatro e em família.      

POESIA UNE IBÉRIA, ÁFRICA E AMÉRICA EM VILA NOVA DE FAMALICÃO

Programa%20Raias%20Poéticas.jpg

 

  

Pelo terceiro ano consecutivo, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão organiza o encontro internacional “Raias Poéticas – Afluentes Ibero-Afro-Americanos de Arte e Pensamento”, sob a curadoria do poeta Luís Serguilha, durante os dias 24 e 25 de Outubro, na Casa das Artes.

 

“O Raias Poéticas pretende projectar Vila Nova de Famalicão como rota do pensamento e da arte ibero-afro-americana e potencializar a criatividade artística e o pensamento, aproximando diversidades.”, explica Luís Serguilha.

 

Dividindo-se entre conferências, debates e momentos de leitura de poesia, o encontro começa sexta-feira, pelas 18h, e é de entrada livre. Este ano, estarão presentes cerca de 50 poetas, professores, ensaístas e académicos oriundos de Angola, Portugal, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Brasil e Espanha.