Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

«19 a 22 de outubro» Chocolate de caipirinha? Chocolat Festival traz misturas inusitadas e grandes especialistas para Portugal

Entre 19 e 22 de outubro, Vila Nova de Gaia vai ser a capital do mundial do chocolate e vai receber diferentes formas do produto mais amado do planeta

descarregar (1).jpg

Chocolate de caipirinha? Ou com hidromel? O Chocolat Festival Portugal vai dar a oportunidade aos seus visitantes de conhecerem sabores um tanto quanto inusitados entre 19 e 22 de outubro, no WOW, de Vila Nova de Gaia. E não só. Um dos principais eventos do mundo no género, o festival reunirá profissionais incontornáveis de diversas partes do planeta em showcookings, workshops e palestras. Além disso, nos quatro dias em que Portugal será a capital mundial do chocolate, haverá uma Chocoland para miúdos, concertos e, claro, degustação de grandes marcas internacionais. A entrada é livre.



chocolate 65% de cacau com caipirinha é um dos destaques apresentados pela empresa Baianí. A marca une o sabor do cacau com uma das bebidas mais famosas do Brasil. Para os fãs de chocolate com álcool ainda terá as barras com 72% de cacau com cachaça envelhecida em tonéis de amburana e com hidromel, produzidos pela Mestiço. Para os cervejeiros, a empresa Natucoa traz duas versões com base de cacau: Mel de Cacau e Nibs de Rapadura. Para quem gosta de chocolate com frutas, o festival apresenta misturas com jaca, framboesa e raspas de limão, entre outras.

 

“Realizar o Chocolat Festival na Europa tem um propósito bem definido: criar a conexão direta entre todos os elos da cadeia produtiva do chocolate de origem ao consumidor final”, afirma Marco Lessa, CEO do Grupo M21 e idealizador do Chocolat Festival, que está na sua 33ª edição.

 

Temática do ano: “A definição de terroir e o sentimento de pertença”

 

Nesta edição do Chocolat Festival Portugal vários profissionais e especialistas do mundo do chocolate estão confirmados. Entre eles, destacam-se Chloé Doutre Roussel (França), reputada consultora de várias marcas bean-to-bar, jurada nos importantes Academy of Chocolate Awards, no Northwest Chocolate Festival, e membro do Conselho Consultivo da Fine Chocolate Industry Association (FCIA). Spencer Hyman (Reino Unido), fundador da Cocoa Runners e grande promotor do chocolate bean-to-bar no continente europeu, regressa ao festival. Mikkel Friis-Holm (Dinamarca) é um dos mais antigos e dos mais conceituados chocolateiros bean-to-bar. É uma figura incontornável da arte de fazer chocolate e dá o nome à sua marca: Friis Holm. María Jiménez (Costa Rica) trabalha com uma das mais antigas distribuidoras de cacau fino da Europa – a Daarnhauwer & Co. Além disso, é especialista em análise sensorial do cacau e membro do ilustre painel da Fine and Flavour da International Cocoa Organization (ICCO). Estes são apenas alguns dos nomes que vão marcar presença no festival, participando em workshops e debatendo os mais determinantes temas. 

 

No centro das conversas e discussões deste ano estará a temática “A definição de terroir e o sentimento de pertença”. O terroir é o elemento fundamental que une o cacau, o vinho do Porto e também o café. É, por isso, que nesta edição se junta também a prata da casa. Paulo Pinto, Paulo Russel-Pinto, Certified Port Educator e membro da Câmara de Provadores do IVDP – Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, e David Guimarães, enólogo da Taylor’s, Fonseca e Croft. 

 

Vão ainda marcar presença as Associações Bean to Bar de Espanha, de França, do Brasil e do Japão, num importante movimento associativo que pode resultar no nascimento da Associação Bean to Bar de Portugal e que certamente vai definir os próximos passos deste movimento. 

 

Este ano, outra novidade é a emissão ao vivo de todas as palestras do Fórum Internacional do Chocolate e Cacau e de todos os showcookings, de forma a reforçar o posicionamento internacional do festival. 

descarregar (2).jpg

Showcookings gratuitos e feira de chocolate

 

Para quem não pretende aprofundar conhecimentos, mas apenas o palato, convém sublinhar que os showcookings e a feira são de entrada completamente gratuita. Nos showcookings vão marcar presença nomes incontornáveis como Iván Pascual (Espanha), chef pasteleiro campeão do mundo nos World Chocolate Masters 2017; Francisco Siopa (Portugal), chef executivo de pastelaria do Penha Longa Resort, da rede Ritz-Carlton; e a ainda Ricardo Costa (Portugal), chef executivo dos restaurantes do The Yeatman Hotel. O pesquisador da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira, Raul Guimarães (Brasil), estará em dois fóruns no evento. 

 

Na feira de chocolate, este ano o Chocolat Festival Portugal vai reunir as seguintes marcas: Amuzi Distillery, Be Glad, Feitoria do Cacao, MySugar, Selmi Portugal e Vinte Vinte, de Portugal; Abelha Cacau, Baianí Chocolates, Cacau do Brasil, Chocolate Moro, De Mendes, Estilo África, Kaitxo, Leyenda, Mestiço Chocolate, Natucoa, Kankel, de Espanha; Cacauway, ChOr, Da Cruz Chocolates, Melinda e Samborá, Miroh!, Terruá Tuerê e Yrerê, do Brasil; Chocolarder, Tosier, Firetree Chocolate e Cocoa Runners, do Reino Unido; Karuna Chocolate e Packint, de Itália; FJAAK Chocolates, da Noruega; Neary Nógs, da Irlanda; Manoa Chocolate, do Hawai; Qantu Chocolate, do Canadá; Hasnaa, de França; Cocoa Town, dos EUA; Daarnhouwer, da Holanda; e Consulado do Equador. 

 

O Chocolat Festival Portugal abre as suas portas no dia 19 de outubro, das 18h às 22h. Nos três dias seguintes, o evento decorre das 14h às 22h. A entrada é gratuita.

Cupula Circus Village Festival_ 22 a 24 de setembro, Arcozelo, Vila Nova de Gaia_ Entrada gratuita

Cupula Circus Village Festival, um evento gratuito dedicado ao circo contemporâneo que volta a ocupar vários espaços da Vila de Arcozelo, em Vila Nova de Gaia, entre os dias 22 a 24 de Setembro, transformando-a numa autêntica vila de circo
 

Entre espectáculos, masterclasses, ateliers de circo para famílias, performances de rua, momentos musicais, intercâmbios de escolas de circo, uma conferência e uma exposição, não faltam argumentos para uma ou mais visitas a esta freguesia de Vila Nova de Gaia. Todas as atividades são de entrada gratuita. O festival é organizado pelo Instituto Nacional das Artes do Circo.

O programa assenta na apresentação de espectáculos de circo em tenda e palcos alternativos da vila, onde serão realizadas as principais atividades de desenvolvimento de públicos. Durante o período do festival, Arcozelo transforma-se num centro cultural e artístico comum à oferta de circo contemporâneo nas suas várias vertentes.

O festival realizou-se pela primeira vez em 2018,  tendo sido interrompido em 2020 devido à pandemia. 

O INAC é uma plataforma dedicada exclusivamente ao circo contemporâneo em Portugal, atuando na área da formação, residências, criação, programação e inclusão social.

Chocolat Festival: Durante quatro dias, Portugal será a capital mundial do chocolate e cacau

descarregar (6).jpg

De 19 a 22 de outubro, o Chocolat Festival reunirá negócios, showcooking, workshops, palestras, concertos, além de muita degustação no WOW, em Vila Nova de Gaia

Depois do grande sucesso da primeira edição europeia, que contou com mais de 50 mil pessoas, o maior evento sobre chocolate e cacau da América Latina volta a ocupar o WOW, em Vila Nova de Gaia, de 19 a 22 de outubro. O Chocolat Festival Portugal reúne atrações para todos os gostos: degustação, espaço infantil, showcooking, palestras, workshops e concertos. A entrada é livre.

 

“Realizar o Chocolat Festival na Europa tem um propósito bem definido: criar a conexão direta entre todos os elos da cadeia produtiva do chocolate de origem ao consumidor final”, afirma Marco Lessa, CEO do Grupo M21 e idealizador do Chocolat Festival, que está na sua 33ª edição.

 

Com chefs a esculpir esculturas de chocolate ao vivo, degustação de algumas das principais marcas do planeta, uma Chocoland para miúdos e espaços para discutir temas como harmonização com vinho ou café e modelos agroflorestais de cacau, o Chocolat Festival Portugal são muitos eventos dentro de um só lugar. Agrega chocólatras, interessados no assunto e, principalmente, profissionais do setor de chocolate e cacau que buscam fazer negócios por toda a Europa. Nesta edição, serão 15 showcookings, 11 workshops, além de 10 painéis no Fórum Internacional do Chocolate e Cacau. Todas as ações serão comandadas por grandes especialistas de países como Portugal, Brasil, França, Bélgica, Dinamarca, Reino Unido, Venezuela e Costa Rica, entre outros. 

 

Marco Lessa destaca que o festival fortalece a cultura e o trabalho por trás do “fruto de ouro” ou “alimento dos deuses”, como o cacau também é conhecido. 

 

“O evento ajuda a expandir o conhecimento sobre as delícias derivadas do cacau e promove as marcas de origem, as pequenas indústrias, o agronegócio, o turismo, os benefícios para saúde e a gastronomia. O Chocolat Portugal é uma celebração que transcende fronteiras e culturas, e vai unir os amantes do chocolate de todo o mundo em torno de uma paixão compartilhada. O evento vai reunir produtores de cacau, empreendedores de chocolate, chefs renomados e autoridades no assunto para compartilhar suas paixões e conhecimentos com o público. Essa relação simbiótica fortalece os laços entre eles e garante a Portugal o título de capital europeia do chocolate de origem, ou bean to bar. Como idealizador do Chocolat Festival, e hoje residindo em Portugal, sinto-me grato e honrado em promover a segunda edição deste evento, ao lado de outro grande entusiasta, parceiro e mestre chocolateiro Pedro Araújo, criador do Museu do Chocolate, no WOW, em Gaia", afirma Marco Lessa.

 

A felicidade é partilhada por Pedro Araújo que aponta a necessidade dessa integração de todas as partes para expandir ainda mais o chocolate e o cacau pelo mundo.

 

“É um orgulho receber o Chocolat Festival no WOW. Estou seguro de que o nosso Museu do Chocolate é um dos melhores do mundo, independente e com um enorme rigor académico em toda a informação. Estou também consciente que a marca que aqui produzimos – a Vinte Vinte, é uma marca de chocolate feito do Porto para o mundo e tem como missão agregar valor e exponenciar a expansão do chocolate “bean-to-bar”. Por tudo isto, acredito que somos os anfitriões certos para este festival e queremos ser a força motriz que ajuda a elevar o posicionamento do cacau e do chocolate de origem na Europa”, sublinha Pedro Araújo, criador do Museu do Chocolate no WOW e da marca Vinte Vinte, e também copromotor do festival.

 

Temática do ano: “A definição de terroir e o sentimento de pertença”

 

Para participar na programação do Chocolat Festival Portugal vários profissionais e especialistas do mundo do chocolate estão confirmados. Entre eles, destacam-se Chloé Doutre Roussel (França), reputada consultora de várias marcas bean-to-bar, jurada nos importantes Academy of Chocolate Awards, no Northwest Chocolate Festival, e membro do Conselho Consultivo da Fine Chocolate Industry Association (FCIA). Spencer Hyman (Reino Unido), fundador da Cocoa Runners e grande promotor do chocolate bean-to-bar no continente europeu, regressa ao festival. Mikkel Friis-Holm (Dinamarca) é um dos mais antigos e dos mais conceituados chocolateiros bean-to-bar. É uma figura incontornável da arte de fazer chocolate e dá o nome à sua marca: Friis Holm. María Jiménez (Costa Rica) trabalha com uma das mais antigas distribuidoras de cacau fino da Europa – a Daarnhauwer & Co. Além disso, é especialista em análise sensorial do cacau e membro do ilustre painel da Fine and Flavour da International Cocoa Organization (ICCO). Estes são apenas alguns dos nomes que vão marcar presença no festival, participando em workshops e debatendo os mais determinantes temas. 

 

No centro das conversas e discussões deste ano estará a temática “A definição de terroir e o sentimento de pertença”. O terroir é o elemento fundamental que une o cacau, o vinho do Porto e também o café. É, por isso, que nesta edição se junta também a prata da casa. Paulo Pinto, Paulo Russel-Pinto, Certified Port Educator e membro da Câmara de Provadores do IVDP – Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, e David Guimarães, enólogo da Taylor’s, Fonseca e Croft. 

 

Vão ainda marcar presença as Associações Bean to Bar de Espanha, de França, do Brasil e do Japão, num importante movimento associativo que pode resultar no nascimento da Associação Bean to Bar de Portugal e que certamente vai definir os próximos passos deste movimento. 

 

Este ano, outra novidade é a emissão ao vivo de todas as palestras do Fórum Internacional do Chocolate e Cacau e de todos os showcookings, de forma a reforçar o posicionamento internacional do festival. 

 

Showcookings gratuitos e feira de chocolate

 

Para quem não pretende aprofundar conhecimentos, mas apenas o palato, convém sublinhar que os showcookings e a feira são de entrada completamente gratuita. Nos showcokings vão marcar presença nomes incontornáveis como Iván Pascual (Espanha), chef pasteleiro campeão do mundo nos World Chocolate Masters 2017; Francisco Siopa (Portugal), chef executivo de pastelaria do Penha Longa Resort, da rede Ritz-Carlton; e a ainda Ricardo Costa (Portugal), chef executivo dos restaurantes do The Yeatman Hotel. 

 

Na feira de chocolate, este ano o Chocolat Festival Portugal vai reunir as seguintes marcas: Amuzi Distillery, Be Glad, Feitoria do Cacao, MySugar, Selmi Portugal e Vinte Vinte, de Portugal; Abelha Cacau, Baianí Chocolates, Cacau do Brasil, Chocolate Moro, De Mendes, Estilo África, Kaitxo, Leyenda, Mestiço Chocolate, Natucoa, Kankel, de Espanha; Cacauway, ChOr, Da Cruz Chocolates, Melinda e Samborá, Miroh!, Terruá Tuerê e Yrerê, do Brasil; Chocolarder, Tosier, Firetree Chocolate e Cocoa Runners, do Reino Unido; Karuna Chocolate e Packint, de Itália; FJAAK Chocolates, da Noruega; Neary Nógs, da Irlanda; Manoa Chocolate, do Hawai; Qantu Chocolate, do Canadá; Hasnaa, de França; Cocoa Town, dos EUA; Daarnhouwer, da Holanda; e Consulado do Equador. 

 

O Chocolat Festival Portugal abre as suas portas no dia 19 de outubro, das 18h às 22h. Nos três dias seguintes, o evento decorre das 14h às 22h. A entrada é gratuita.

 

 

 

PROGRAMA DO EVENTO

https://chocolatportugal.pt/pt/programa-2023

El Corte Inglés recebe exposição do artista português Robert Panda

El Corte Inglés recebe dentro das suas lojas a arte urbana. 

 

”I AM STUPID”, a mais recente exposição do artista português Robert Panda, nas lojas de Lisboa e Gaia

 


 

piso 7 panda.jpg

O El Corte Inglés inaugura hoje a exposição “I AM STUPID” do artista português Robert Panda. A instalação pode ser visitada até dia 15 de Novembro. 
 

Da rua para dentro do Grande Armazém ou do espaço público para o espaço do público, estas grandes obras de artes, ou grandes “Estúpidos”, estarão em vários pisos dos Grandes Armazéns de Lisboa e Gaia Porto, interagindo com os visitantes.  

O El Corte Inglés, através da sua marca Âmbito Cultural, pretende resgatar a tradição que sempre uniu os mercados à interpelação cultural. Trovadores, atores, músicos, pintores e escultores sempre convergiram para os locais onde se compravam e vendiam as sedas, as jóias e também as tâmaras e os sapatos.  

A chamada arte urbana, arte de rua, em forma de mural, instalação ou melodia, é uma espécie de tatuagem que identifica e sinaliza os espaços. E mesmo quando confinados a museus, galerias ou recintos definidos, a arte tem sabido trespassar essas fronteiras e invadir o espaço onde encontra o seu público. Ora, o espaço público é todo o espaço do público. O espaço das pessoas. E foi, justamente, por esta razão, que o El Corte Inglés convidou Robert Panda a “entrar” pelas lojas adentro e, através das suas admiráveis criações, interpelar quem as visita. 

“O objectivo é deixar estas criaturas pacíficas conviverem com as pessoas nos seus habitats naturais, estimulando uma interacção activa entre elas. Vejo isto como oferecendo ao público um elemento inesperado e catalisador que cria um quadro vivo, uma espécie de ‘performance’ improvisada com participantes involuntários guiada pelo impulso e o acaso”, explica o artista. 
 

Sobre o Artista português Robert Panda 

O Estúpido é uma projecção da nossa própria estupidez. A minha inclusive. Apesar de ser uma figura inanimada, uma caricatura se quisermos, é seguro dizer-se que o Estúpido somos todos nós. Isto no sentido em que ele nos cativa com o objectivo de fazer-nos expressar a nossa estupidez. A nossa muito própria estupidez humana. Os animais podem parecer estúpidos, mas apenas os seres humanos conseguem ser verdadeiramente estúpidos. 

O modo como o Estúpido reage e interage com o ambiente circundante é da maior importância. Assim como o modo como as pessoas se aproximam e brincam com ele, tornando-se uma parte integrante do quadro. Provas fotográficas das interacções entre as pessoas e o Estúpido são importantes. Tanto para as pessoas que interagem com ele, como para mim. Enquanto as pessoas observam o Estúpido, eu observo as pessoas a observar o Estúpido, ao mesmo tempo que acredito que o Estúpido observa-me a mim. É um ciclo interminável. 

Às vezes gosto de fotografar o Estúpido sozinho, na sua, sem pessoas presentes. A relaxar na praia, a conviver com gaivotas amigáveis na lixeira, a andar num carrossel, apanhado a aliviar-se de uma comichão embaraçosa, ou simplesmente sentado à espera que o tempo passe numa qualquer esquina da cidade. Embora o Estúpido adore pessoas, também é importante para ele ter os seus momentos de privacidade de forma a recarregar as baterias, por assim dizer. 

Xutos & Pontapés em exposição fotográfica inédita no ArrábidaShopping

A mostra, que tem curadoria da banda, vai estar patente até 30 de outubro, para assinalar os 35 anos do álbum “Circo de Feras” — e contará com um concerto especial.

image006.png

Até 30 de outubro, o ArrábidaShopping, em Vila Nova de Gaia, é palco de uma exposição fotográfica inédita de Xutos & Pontapés que assinala os 35 anos do lançamento do famoso disco “Circo de Feras”. Este, que é o terceiro trabalho do grupo, lançado em 1987, vai estar representado através de 35 fotografias icónicas. A mostra tem curadoria da banda e é de entrada livre.

 

A seleção de fotografias a preto e branco está dividida em três partes: imagens individuais de todos os elementos, assim como em grupo; registos em estúdio e de gravação do “Circo de Feras”; e de vários momentos nunca antes partilhados em estrada, no palco e com o público, onde não falta a fotografia de atribuição do disco “de ouro, prata ou platina”.

 

Dos momentos clássicos aos mais informais, será uma verdadeira viagem não só pela história da banda como por aquele que é considerado um dos álbuns de rock português mais importantes de sempre. Os registos fotográficos, que foram captados pelos fotógrafos Álvaro Rosendo e Pedro Lopes, estão disponíveis no Piso 0, na Praça Central, durante o horário de funcionamento do Centro.

 

“O ArrábidaShopping está muito entusiasmado e orgulhoso por oferecer aos visitantes uma exposição única e que enaltece o trabalho de um nome tão importante no panorama musical português como os Xutos & Pontapés. Este momento reflete a nossa vontade não só em trazer experiências inesquecíveis a quem nos visita, como em fazer parte da agenda cultural do país. Queremos continuar a proporcionar o acesso à cultura e a fazer parte de histórias tão inesquecíveis como esta”, afirma Tomás Furtado, diretor do ArrábidaShopping.

 

 

 

35 anos de “Circo de Feras” assinalado com concerto especial da banda

 

As celebrações dos 35 anos de “Circo de Feras” também vão ser assinaladas com um concerto especial dos Xutos & Pontapés no ArrábidaShopping. Durante cerca de hora e meia, os fãs vão poder cantar ao som dos grandes êxitos que fazem parte da banda sonora de várias gerações de portugueses, como “Sai p'rá Rua" e “Não Sou o Único”.

 

O espetáculo vai acontecer ao ar livre no dia 23 de setembro, pelas 21h00, no centro comercial, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia. A entrada será livre mediante apresentação de pulseira, que poderá ser reservada a partir de 16 de setembro, através do site do ArrábidaShopping, sendo que existirá um máximo de quatro pulseiras por pessoa.

 

 

Data e local:

Exposição – 13 de setembro a 30 de outubro, das 10h00 às 23h00, no Piso 0, na Praça Central

Concerto – 23 de setembro, às 21h00, no parque de estacionamento exterior do Piso 0

Entrada: livre (sendo que o concerto carece de reserva de pulseira)

 

Ficha Técnica Exposição:

Curadoria Exposição| Xutos&Pontapés, Creative Industries Programmes by SC

Créditos Fotógrafos | Álvaro Rosendo, Pedro Lopes

Comissariado | ArrábidaShopping – SonaeSierra

Arquitetura | FAHR

Impressão e Provas de Fotografias | Gamut

Conceção Projecto, Produção Executiva| Creative

Industries Programmes by SC

Programação Paralela Musical | Xutos & Pontapés

Xutos & Pontapés em exposição inédita que celebra 35 anos de “Circo de Feras”

A exposição tem curadoria da banda e estará patente no ArrábidaShopping, em Vila Nova de Gaia, a partir de 13 de setembro. Para assinalar o aniversário, Xutos & Pontapés também darão um concerto de entrada livre.

 

image003.jpg

A partir de 13 de setembro, e até 30 de outubro, o ArrábidaShopping, em Vila Nova de Gaia, recebe uma exposição fotográfica inédita de Xutos & Pontapés para assinalar os 35 anos do lançamento do famoso disco “Circo de Feras” ­— o terceiro trabalho do grupo, lançado em 1987 e considerado um dos álbuns de rock português mais importantes de sempre. A mostra, que tem curadoria da banda, vai revelar 35 fotografias icónicas e será de entrada livre.

 

Dos registos em estúdio aos dias pela estrada, passando por momentos em palco, a banda partilhará várias fotografias nunca divulgadas ao público. A exposição fotográfica “35 anos Circo de Feras” vai estar disponível no Piso 0, durante o horário de funcionamento do Centro.

 

A celebração dos 35 anos do icónico disco, que inclui temas como “Sai p'rá Rua" e “Não Sou o Único”, irá contar ainda com um concerto especial e gratuito da banda portuguesa, que vai acontecer ao ar livre, no dia 23 de setembro, pelas 21h00, no ArrábidaShopping, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, proporcionando uma experiência completa aos fãs. A entrada será livre mediante apresentação de pulseira, que poderá ser reservada a partir de 16 de setembro, no site do ArrábidaShopping.

 

“É um enorme orgulho para o ArrábidaShopping receber a exposição fotográfica de uma banda tão acarinhada e relevante no panorama musical português. Fazermos parte da celebração de 35 anos da história de Xutos & Pontapés e mais concretamente do disco ‘Circo de Feras’ significa também mais um passo no caminho do Centro enquanto espaço que vai além da compra, promovendo experiências e o acesso à cultura”, refere Tomás Furtado, diretor do ArrábidaShopping.

 

Xutos & Pontapés em exposição fotográfica inédita no ArrábidaShopping

A mostra, que tem curadoria da banda, vai estar patente até 30 de outubro, para assinalar os 35 anos do álbum “Circo de Feras” — e contará com um concerto especial.

image006.png

Até 30 de outubro, o ArrábidaShopping, em Vila Nova de Gaia, é palco de uma exposição fotográfica inédita de Xutos & Pontapés que assinala os 35 anos do lançamento do famoso disco “Circo de Feras”. Este, que é o terceiro trabalho do grupo, lançado em 1987, vai estar representado através de 35 fotografias icónicas. A mostra tem curadoria da banda e é de entrada livre.

 

A seleção de fotografias a preto e branco está dividida em três partes: imagens individuais de todos os elementos, assim como em grupo; registos em estúdio e de gravação do “Circo de Feras”; e de vários momentos nunca antes partilhados em estrada, no palco e com o público, onde não falta a fotografia de atribuição do disco “de ouro, prata ou platina”.

 

Dos momentos clássicos aos mais informais, será uma verdadeira viagem não só pela história da banda como por aquele que é considerado um dos álbuns de rock português mais importantes de sempre. Os registos fotográficos, que foram captados pelos fotógrafos Álvaro Rosendo e Pedro Lopes, estão disponíveis no Piso 0, na Praça Central, durante o horário de funcionamento do Centro.

 

“O ArrábidaShopping está muito entusiasmado e orgulhoso por oferecer aos visitantes uma exposição única e que enaltece o trabalho de um nome tão importante no panorama musical português como os Xutos & Pontapés. Este momento reflete a nossa vontade não só em trazer experiências inesquecíveis a quem nos visita, como em fazer parte da agenda cultural do país. Queremos continuar a proporcionar o acesso à cultura e a fazer parte de histórias tão inesquecíveis como esta”, afirma Tomás Furtado, diretor do ArrábidaShopping.

 

 

 

35 anos de “Circo de Feras” assinalado com concerto especial da banda

 

As celebrações dos 35 anos de “Circo de Feras” também vão ser assinaladas com um concerto especial dos Xutos & Pontapés no ArrábidaShopping. Durante cerca de hora e meia, os fãs vão poder cantar ao som dos grandes êxitos que fazem parte da banda sonora de várias gerações de portugueses, como “Sai p'rá Rua" e “Não Sou o Único”.

 

O espetáculo vai acontecer ao ar livre no dia 23 de setembro, pelas 21h00, no centro comercial, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia. A entrada será livre mediante apresentação de pulseira, que poderá ser reservada a partir de 16 de setembro, através do site do ArrábidaShopping, sendo que existirá um máximo de quatro pulseiras por pessoa.

 

 

Data e local:

Exposição – 13 de setembro a 30 de outubro, das 10h00 às 23h00, no Piso 0, na Praça Central

Concerto – 23 de setembro, às 21h00, no parque de estacionamento exterior do Piso 0

Entrada: livre (sendo que o concerto carece de reserva de pulseira)

 

Ficha Técnica Exposição:

Curadoria Exposição| Xutos&Pontapés, Creative Industries Programmes by SC

Créditos Fotógrafos | Álvaro Rosendo, Pedro Lopes

Comissariado | ArrábidaShopping – SonaeSierra

Arquitetura | FAHR

Impressão e Provas de Fotografias | Gamut

Conceção Projecto, Produção Executiva| Creative

Industries Programmes by SC

Programação Paralela Musical | Xutos & Pontapés

Vila Nova de Gaia recebe mais três fins de semana de música ao vivo

image007.png

As Sunset Sessions, o evento que está a decorrer às sextas-feiras e sábados, na esplanada do ArrábidaShopping, é de entrada gratuita.

 

O ArrábidaShopping, em Vila Nova de Gaia, convida para o plano perfeito para os finais de tarde do mês de julho: música ao vivo. As Sunset Sessions continuam todas as sextas-feiras e sábados, entre as 17h00 e as 20h00, e são de entrada gratuita.

 

No dia 15, a programação inclui a atuação de Books, e no dia 16 é a vez de Heterónimos — programação que se repete nos dias  22 e 23 de julho, respetivamente. A agenda termina com The Good Habits, nos dias 29 e 30. Seja na companhia de amigos ou família, esta é a experiência perfeita para relaxar ao ar livre, com banda sonora de artistas portugueses e vista para a cidade do Porto.

 

Além disso, para adicionar boa comida a este momento, basta escolher uma refeição num dos vários restaurantes disponíveis no ArrábidaShopping, como o 100 Montaditos, Barcarola, Taco Bell, DaTerra, Hanami Sushi, Poke House, entre outros.

 

 

Programação:

15 de julho – Books

16 de julho – Heterónimos

22 de julho – Books

23 de julho – Heterónimos

29 e 30 de julho – The Good Habits

Horário: sextas-feiras e sábados, das 17h00 às 20h00

Local: Vila Nova de Gaia, ArrábidaShopping, esplanada, Piso 2

Entrada: livre

Vila Nova de Gaia recebe mês de música ao vivo nos finais de tarde

A programação musical decorre às sextas-feiras e sábados, durante todo o mês de julho, na esplanada do ArrábidaShopping.

image002 (3).jpg

A partir desta sexta-feira, e até 30 de julho, o ArrábidaShopping, em Vila Nova de Gaia, tem o plano perfeito para os finais de tarde: música ao vivo. As Sunset Sessions vão acontecer todas as sextas-feiras e sábados do mês de julho, entre as 17h00 e as 20h00, e são de entrada gratuita.

 

Nos dias 1 e 2 de julho, o bom ambiente nas Sunset Sessions é garantido pelo grupo Nós às 3. Na semana seguinte, nos dias 8 e 9, é a vez do Groovy Trio animar a esplanada do ArrábidaShopping. A programação continua com a atuação de Heterónimos nos dias 22 e 23, e Books, a 15 e 16 de julho. A agenda termina com The Good Habits, nos dias 29 e 30.

 

Esta programação especial pretende não só dar as boas-vindas aos dias de verão e calor, como proporcionar momentos descontraídos a todos os visitantes depois da semana de trabalho. Como extra, a esplanada do Centro tem uma vista deslumbrante para a cidade do Porto.

 

Programação:

1 e 2 de julho – Nós às 3

8 e 9 de julho – Groovy Trio

15 e 16 de julho – Books

22 e 23 de julho – Heterónimos

29 e 30 de julho – The Good Habits

Horário: sextas-feiras e sábados, das 17h00 às 20h00

Local: Vila Nova de Gaia, ArrábidaShopping, esplanada, Piso 2

Entrada: livre

 

“Arrábida Sinfónica” apresenta, pela primeira vez, um programa de dois dias

O ArrábidaShopping, em parceria com a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e a Casa da Música, promove a 6ª edição deste programa musical nos dias 24 e 25 de junho. A entrada é livre mediante levantamento de pulseiras que ficam disponíveis a partir desta sexta-feira.

 

O ArrábidaShopping promove a 6ª edição do “Arrábida Sinfónica” que, pela primeira vez, apresenta dois concertos. O programa de concertos musicais, realizado em parceria com a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e a Fundação Casa da Música, acontece nos dias 24 e 25 de junho.

 

Será na Praça Exterior Norte do ArrábidaShopping que, no dia 24 de junho, às 21h00, sobe ao palco o Coro Infantil Casa da Música, sob a direção da maestrina Raquel Couto, com os alunos de 1º ciclo das escolas “Quinta das Chãs”, de Vila Nova de Gaia, e “Quatro Caminhos”, de Matosinhos. No dia 25 de junho, às 22h00, é a vez da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música apresentar-se sob a direção musical de Bastien Stil.

 

Tomás Furtado, diretor do ArrábidaShopping, afirma: “esta é a 6ª edição de uma iniciativa que muito nos orgulha. Continuamos a trazer novas experiências aos nossos visitantes e democratizamos o acesso à cultura, dando palco ao que de melhor se faz na música a nível nacional.”

 

A entrada é livre e requer o levantamento de pulseira no balcão de informações do centro comercial, no Piso 0, já a partir de 10 de junho. A lotação está limitada aos lugares disponíveis, que este ano regressa à lotação habitual de 5 mil lugares.

 

Esta iniciativa está integrada no “Cultura no Centro”, o projeto da Sonae Sierra para apoiar artistas e entidades culturais de todo o país através dos centros geridos pelo grupo.

 

 

image003.png

Programa

24 de junho, 21h - Coro Infantil Casa da Música

Direção: Raquel Couto

Programa Musical:

Suis-moi (Hanz Zimmer e Richard Harvey) *

Occhi Grandi (Andrea Basevi e Roberto Piumini) **

Habanera da Ópera Carmen (Georges Bizet) ***

Sleep my baby (tradicional) *

Cinderela (Carlos Paião)

Anjo da Guarda (António Variações)

Pêra Verde (tradicional Baixo Alentejo, adaptação Celina da Piedade)

Canção da Vindima (tradicional)

Gota de Água (tradicional Cante Alentejano)

Cantiga Bailada (tradicional - Brigada Vítor Jara)

* Letra: António Miguel Teixeira

** Letra: Joana Castro

*** Letra: Raquel Couto

Todos os arranjos são dos Formadores Coro Infantil Casa da Música, à excepção de Sleep my baby - Arr. Alec Rowley

 

25 de junho, 22h - Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música

Direção Musical: Bastien Stil

Programa Musical:

Der Freischütz (O Franco-Atirador): Abertura, Carl Maria von Weber

Der Freischütz (O Franco-Atirador): Abertura, Charles Gounod

Uma Noite no Monte Calvo (orq. de Rimski-Korsakoff). Modest Mussorgski

Lago dos Cisnes (O): Valsa. Piotr Ilyich Tchaikovsi

Lago dos Cisnes (O): Nº29 Scène Finale, Piotr Ilyich Tchaikovsi

Pássaro de Fogo (O): Dança Infernal, Berceuse e Final (da suite 1919), Igor Stravinski

Suite Sinfónica de 'Harry Potter', John Williams

 

Local: Praça exterior norte Arrábidashopping

Entrada: livre mas sujeita a pedido de pulseira no Balcão de Informações (pulseiras limitadas aos lugares existentes)