Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA ALARGA O CICLO DE VISITAS GUIADAS AO MOSTEIRO DE SANTA MARIA SCALA COELI

Revelado o grande interesse do público pelo Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli e a enorme adesão ao programa, a Fundação Eugénio de Almeida aumenta o número de visitas guiadas permitindo que mais pessoas conheçam um lugar único, de grande valor histórico e simbólico para a cidade de Évora e para o país, num compromisso de partilha da cultura, do património e de descoberta da espiritualidade cartusiana.

 

O ciclo de visitas decorrerá entre 15 de agosto e 20 de setembro, todos os sábados e domingos. A participação é gratuita mediante inscrição prévia, através do formulário disponibilizado todas as quartas-feiras no siteda Fundação Eugénio de Almeida, que permite a marcação para o fim de semana imediatamente mais próximo.

 

Novas datas:

  • 15 de agosto | 8h
  • 16 de agosto | 8h
  • 23 de agosto | 8h
  • 29 de agosto | 8h
  • 30 de agosto | 8h
  • 6 de setembro | 19h
  • 12 de setembro | 8h
  • 13 de setembro | 8h
  • 20 de setembro | 19h

 

MOSTEIRO DE SANTA MARIA SCALA COELI ABRE, PELA PRIMEIRA VEZ, A VISITANTES

image004 (1).jpg

 

Pela primeira vez desde a sua reconstrução como eremitério, em 1960, a Fundação Eugénio de Almeida promove um ciclo de visitas guiadas ao Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli – a Cartuxa de Évora – que decorrerá até 19 de setembro, com entrada gratuita.

Local de oração e contemplação foi, durante os últimos 60 anos, um espaço inacessível marcado pela clausura, silêncio e contemplação que determinam os Estatutos da Ordem. Por esta razão, nos meses que separam a partida da comunidade de cartuxos e o acolhimento das irmãs do Instituto das Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará – o ramo feminino da Família Religiosa do Verbo Encarnado – a Fundação Eugénio de Almeida promove um ciclo de visitas guiadas conduzidas por Luís Ferro, arquiteto e investigador, que privou durante dez anos com a comunidade residente no eremitério do Alentejo.

Iniciada a sua construção em 1587, o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli foi o primeiro eremitério da Ordem da Cartuxa a ser construído em Portugal. Objeto de diferentes utilizações ao longo da sua história, tendo sido Hospício de Donzelas Pobres de Évora, Escola Agrícola Regional e centro de lavoura da Casa Agrícola Eugénio de Almeida, o mosteiro volta a recuperar a sua função religiosa em 1960, graças à forte convicção cristã e à profunda dedicação de Vasco Maria Eugénio de Almeida, Conde de Vill’Alva, à comunidade de Évora.

“O Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli faz parte do imaginário da cidade de Évora. A esfera de misticismo que envolve este espaço desperta a curiosidade do público. Por esta razão, a Fundação abre as portas a este lugar, dando a conhecer a sua herança histórica e cultural, através da descoberta dos rituais, dos hábitos e dos exercícios espirituais que pontuaram o quotidiano da vida dos monges que o habitaram”, afirma Maria do Céu Ramos, da Fundação Eugénio de Almeida.

O percurso das visitas revela as rotinas no mosteiro e locais repletos de simbologia dos quais se destacam o Pátio da Lavoura, espaço de trabalho manual e agrícola dos Irmãos conversos, o monumental claustro, a igreja, centro da vida cartusiana e as celas individuais, pequenas casas cujos detalhes narram com rigor a vida contemplativa dos monges cartuxos.

Cumprindo todas as regras de segurança e distanciamento social, as visitas requerem marcação prévia e têm uma lotação máxima de 15 pessoas. Até 19 de setembro, será possível visitar o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli em dois horários distintos: às 8h00 e às 19h00, períodos em que a particularidade da luz confere uma atmosfera especial à leitura do espaço.

Agenda:

  • 08 agosto | 8h00
  • 22 agosto | 8h00
  • 5 setembro | 19h00
  • 19 setembro | 19h00

 

FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA PROMOVE VISITA ABERTA AO MOSTEIRO DE SANTA MARIA SCALA COELI

ImagemAereaCartuxa_CreditosFotograficos_CarlosTojo

 

 

Para responder ao interesse manifestado pela comunidade e acolher todos aqueles que procuram conhecer a Cartuxa de Évora, a Fundação Eugénio de Almeida promove a visita aberta gratuita, sem inscrição prévia, a partir do próximo dia 15 de agosto, inclusive. A visita aberta terá lugar aos sábados e domingos, entre as 10h00 e as 18h00, até ao final do mês de setembro.
A par da visita aberta continuará a decorrer o programa de visitas guiadas, mediante inscrição prévia no site da Fundação Eugénio de Almeida, limitado a 20 participantes por visita.

O Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli recebeu os monges da Ordem da Cartuxa até 2019 e aguarda, agora, a vinda das irmãs do Instituto das Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará.

No período que os separa, a história deste lugar de contemplação passa a poder ser experienciada por todos aqueles que pretendem visitar este Monumento Nacional.

Museu do Oriente retoma visitas guiadas

“Circuitos pelo Oriente”

 

Museu do Oriente retoma visitas guiadas

 

A Ópera Chinesa (2) (1).jpg

 

Para aqueles dias quentes de Verão na cidade, o Museu do Oriente sugere uma refrescante viagem pelas culturas asiáticas com a visita orientada “Circuitos pelo Oriente” que se realiza no último domingo de cada mês, às 16h00. Se desejar que a “viagem” seja orientada pode optar pela visita “Circuitos pelo Oriente” que se realiza no último domingo de cada mês, às 16h00.

 

Cumprindo todas as medidas de segurança e higiene que se impõem no actual contexto de pandemia, com o uso obrigatório de máscara e limitada a 10 participantes, esta visita às exposições permanentes mostra a “Presença Portuguesa na Ásia”, explorando o relacionamento entre Portugal e o Oriente, desde o século XV até aos nossos dias, e “A Ópera Chinesa”, e a história desta arte performativa através de 280 peças como trajes, toucados, perucas, máscaras e fotografias.

 

Para quem se quiser demorar pelos espaços do Museu do Oriente, continuam também patentes as exposições temporárias “Frei Agostinho da Cruz e a Espiritualidade da Arrábida” (até 29 de Agosto) e “Fukuko Ando: Weaving (the) Cosmos” (até 13 de Setembro).

 

É necessária marcação prévia.

 

Circuitos pelo Oriente - Visita orientada às exposições permanentes

“Presença Portuguesa na Ásia” e “A Ópera Chinesa”

Último domingo de cada mês

16h00

Preço: 7 €/ participante

Mediante marcação

Participantes: mín. 5, máx. 10

Duração: 60’

 

Arte e Saúde em visita temática no Museu da Farmácia Porto

Facebook_Visita_ArteSaude_MFPorto.png

 

No próximo dia 24 de Agosto, pelas 17h00, terá lugar a visita temática “Arte e Saúde” no Museu da Farmácia Porto. Esta visita decorre no Dia do Artista e propõe mostrar aos participantes como a arte serviu a saúde ao longo dos séculos.

Os participantes podem contar com uma viagem ao longo da história da saúde e da farmácia, onde irão ser desvendadas diversas manifestações artísticas de cada povo e civilização, desde a iconografia do antigo Egipto, recorrendo a formas antropomórficas, passando pela majólica italiana ao serviço da iconografia religiosa, até à representação de elementos da natureza na exótica Farmácia Islâmica.

Esta visita temática insere-se no propósito do Museu da Farmácia de revelar a história da saúde e da farmácia ao longo dos tempos, relacionando, no contexto da sua colecção, as distintas culturas e civilizações que integram a sua exposição permanente.

 

 

Data:  24 de Agosto, 17h00 (Duração 60m).

Entrada: 6€ | Estudantes e Seniores: 4€.

Actividade limitada a 15 participantes.

Para inscrições e informações: museudafarmacia@anf.pt.

Evento no Facebook: www.facebook.com/events/298451681462288/

Visitas Guiadas ao Centro Histórico e Castelo de volta em agosto

Visitas Guiadas ao Centro Histórico e Castelo de volta em agosto

Visitas Guiadas.jpg

 

As Visitas Guiadas ao Centro Histórico e ao Castelo de Palmela estão de volta a 1 de agosto, numa oportunidade única para descobrir ou redescobrir o património da vila, nesta fase de desconfinamento.

A visita ao Centro Histórico parte às 9h30, do Chafariz D. Maria I, seguindo-se, às 11h30, a visita ao Castelo, com ponto de encontro na Praça de Armas. De frequência gratuita e com duração de 1h30 cada, são orientadas por António Lameira, voluntário do Museu Municipal de Palmela.

As marcações devem ser efetuadas até às 12h00 de dia 30 de julho, através dos contactos patrimonio.cultural@cm-palmela.pt ou 212 336 640. O número de participantes é limitado, em função das orientações da DGS - Direção-Geral da Saúde, e é necessário o uso de máscara em alguns locais da visita

Visitas Públicas à Igreja de Santa Clara do Porto

Visitas à Igreja de Santa Clara do Porto

Participantes poderão apreciar os trabalhos de conservação e restauro em curso

A Direção Regional de Cultura do Norte promove visitas públicas à Intervenção de Conservação e Restauro da Igreja de Santa Clara do Porto, nos dias 18 janeiro, 15 fevereiro e 21 de março, pelas 10h00. A iniciativa está limitada aos primeiros 35 inscritos por visita.

As inscrições para a visita do dia 18 de janeiro já estão a decorrer e podem ser efetuadas neste link: https://forms.gle/K7mmUHkp57tuAXrP6

Os trabalhos de conservação e restauro do recheio artístico da Igreja implicam o tratamento, limpeza e consolidação de toda a talha pintada ou dourada, da escultura e imaginária, das pinturas sobre tela e de pintura mural, de granitos e, ainda, trabalhos de consolidação de estruturas dos retábulos.

Além dos trabalhos acima referidos, estão em curso trabalhos de conservação e restauro do espólio artístico da sacristia, incluindo revestimento azulejar, pinturas sobre telas ou retábulo e arcaz.

A curto prazo serão, igualmente, iniciados os trabalhos de beneficiação dos paramentos exteriores, dos acessos de público e das instalações elétricas e os trabalhos de conservação e restauro do órgão e dos portais em cantaria de granitos (a norte, da igreja e a nascente, da portaria).

Este conjunto de trabalhos de recuperação e valorização da Igreja de Santa Clara do Porto segue-se aos trabalhos iniciais desta campanha já realizados: trabalhos de reforços estruturais e de conservação e restauro nos dois níveis do coro do antigo convento.

A Operação Igreja de Santa Clara do Porto representa um investimento global de 2 Milhões de Euros, sendo a intervenção comparticipada em 85% pelo Programa Operacional Norte 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, com o Mecenato da Irmandade dos Clérigos e Fundação Millennium BCP. Deverá estar concluída até final do 1º semestre de 2020.

 

Castelo e Centro Histórico de Palmela aguardam a sua visita!

Visitas Guiadas.jpg

 

Se tem curiosidade em saber mais sobre a história e conhecer os encantos do Castelo e Centro Histórico de Palmela, participe, a 12 de outubro, nas Visitas Guiadas, organizadas pela Câmara Municipal de Palmela e de frequência gratuita.

Às 10h00, terá lugar a Visita Guiada ao Castelo de Palmela, monumento nacional e antiga sede da Ordem de Santiago, com ponto de encontro junto à Igreja de Santiago, que dará às/aos participantes a possibilidade de saberem mais sobre um dos mais belos castelos do nosso país e apreciarem a paisagem circundante, por entre serras e mar. À tarde, a partir das 14h30, é a vez da Visita Guiada ao Centro Histórico da vila, que parte junto ao Chafariz de D. Maria I, dando a percorrendo jardins, miradouros típicos e edifícios com interesse patrimonial.

Realizadas no primeiro sábado de cada mês, estas visitas, com duração de uma hora e meia, são orientadas por um voluntário do Museu Municipal de Palmela. Cada visita tem um limite de 15 inscrições, que deverão ser efetuadas até às 12h00 de dia 10 de outubro, através dos contactos patrimonio.cultural@cm-palmela.pt ou 212 336 640.

 

Castelo e Centro Histórico: Visitas Guiadas gratuitas a 2 e 23 de novembro

Visitas Guiadas - 23 de novembro.jpg

Visitas Guiadas -2 de novembro.jpg

 

Em novembro, a Câmara Municipal de Palmela proporciona a todas/os as/os interessadas/os uma dupla oportunidade para saber mais sobre a história e conhecer os encantos do Castelo e do Centro Histórico de Palmela, com Visitas Guiadas gratuitas nos dias 2 e 23.

Às 10h00, terá lugar a Visita Guiada ao Castelo de Palmela, monumento nacional e antiga sede da Ordem de Santiago, com ponto de encontro junto à Igreja de Santiago, que dará às/aos participantes a possibilidade de saberem mais sobre um dos mais belos castelos do nosso país e apreciarem a paisagem circundante, por entre serras e mar. À tarde, a partir das 14h30, é a vez da Visita Guiada ao Centro Histórico da vila, que parte junto ao Chafariz de D. Maria I, percorrendo jardins, miradouros típicos e edifícios com interesse patrimonial.

As visitas, com duração de uma hora e meia, são orientadas por um voluntário do Museu Municipal de Palmela. As inscrições (limite de 15 em cada dia) deverão ser efetuadas até às 12h00 da antevéspera de cada visita, através dos contactos patrimonio.cultural@cm-palmela.pt ou 212 336 640.

 

Município de Reguengos de Monsaraz organiza visita ao “Palácio Assombrado” no Halloween

Visita ao Palácio Assombrado no Halloween (9).jpg

 

O Halloween em Reguengos de Monsaraz vai ter como tema uma visita ao “Palácio Assombrado”. A iniciativa que assinala a noite das bruxas vai decorrer na quinta-feira, dia 31 de outubro, a partir das 21h, no Palácio Rojão, local onde funciona a Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz.

 

A autarquia propõe uma visita histórica em família até ao ano de 1422. Nesse ano, D. Nuno Álvares Pereira decidiu entrar para a vida monástica e doou Monsaraz ao seu neto D. Fernando, Conde de Arraiolos, ficando juridicamente incorporada no património da Casa de Bragança.

 

Os participantes poderão apresentar-se vestidos de acordo com o Halloween e vão ter um percurso assustador no edifício, decorado para a noite das bruxas. As inscrições para esta iniciativa para maiores de seis anos de idade são gratuitas e devem ser efetuadas até ao dia 28 de outubro na biblioteca municipal.

 

O Palácio Rojão foi construído na primeira metade do século XIX para residência urbana da família Papança. Uma obra considerada arrojada para a época, pois, para além da inspiração que foi buscar ao estilo romântico, que na altura ditava a linha de construção dos grandes edifícios, denota também, ao nível da fachada, elementos de conceção mourisca.