Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Doutores Palhaços invadem a FNAC para alegrar os mais pequenos

Parceria entre a FNAC e a Operação Nariz Vermelho decorre até 31 de Dezembro

 

 

NARIZ_VERMELHO_FNAC_.JPG

 

A FNAC e a Operação Nariz Vermelho juntam-se para tornar a época de Natal mais feliz para os mais pequenos, através do mote “Dá-lhes Sorrisos”. A parceria conta com diversos eventos nos fóruns, a partir já do dia de amanhã, 6 de dezembro, com a apresentação do livro que reúne a investigação científica sobreos benefícios da intervenção dos Doutores Palhaços junto das crianças hospitalizadas e das suas famílias- “Rir é o melhor remédio?” - na FNAC Mar Shopping, a partir das 19h30. O programa de eventos continua na semana seguinte com o Workshop Pais e Filhos, que decorre no dia 15 de dezembro (sábado), às 15h, na FNAC Colombo. E no dia 16 de dezembro (domingo), com o Showcase dos Doutores Palhaços, que decorre na FNAC Cascais, com hora marcada para as 15h. 

Ainda no âmbito desta parceria solidária, que teve início no dia 16 de novembro e termina a 31 de dezembro, estarão disponíveis, em todas as lojas FNAC e em fnac.pt, alguns artigos da Operação Nariz Vermelho cujo valor de venda reverte na totalidade a favor desta instituição. 

 

Consulte a programação completa: 

  • Dia 6 de dezembro, às 19h30, na FNAC Mar Shopping - Apresentação do livro “Rir é o melhor remédio”; 
  • Dia 15 de dezembro, às 15h, na FNAC Colombo – Workshop Pais e Filhos; 
  • Dia 16 de dezembro, às 15h, na FNAC Cascais – Showcase Doutores Palhaço.

 

O Roca Lisboa Gallery tem uma agenda imperdível para se despedir de 2018

O Roca Lisboa Gallery tem uma agenda imperdível para se despedir de 2018

Conheça os eventos de dezembro

  • ·O Roca Lisboa Gallery convida-o para mais um mês com eventos nos quais vai querer participar. Conferência: Construir o futuro que queremos, apresentação do documentário Eternal Florest e mais uma sessão do ciclo de conversas Espaços para Arquitetas, com Marta Throne, foram a eleição para terminar e grande 2018.

O Roca Lisboa Gallery convida-o para mais um mês de atividades. Uma conferência com Lloyd Alter – Construir o futuro que queremos – para refletir a visão sobre o futuro dos edifícios e da forma de habitar e usufruir do planeta, Eternal Florest – o projeto documental de Evgenia Emets, sobre a relevância da biodiversidade e da natureza e um convite a repensar e considerar a nossa relação fundamental com a floresta. O ciclo de conversas – Espaços para Arquitetas – promove a segunda sessão com a presença de Marta Throne, moderadora e co--comissária para discutir a situação das mulheres no âmbito da arquitetura.

 

Venha participar nos eventos que o Roca Lisboa Gallery lhe oferece no mês de dezembro.

 

Conferência – «Construir o futuro que queremos»

13BB81B1-1886-4A41-A30A-C15EAA3EA649.png

Data: 03 de dezembro

Horário: 17h00 - 19h00

A conferência – Construir o futuro que queremos – surge como reflexão da visão de Lloyd Alter sobre o futuro dos edifícios e da nossa forma de habitar e usufruir do planeta.

Lloyd Alter é arquiteto, professor e designer editor no TreeHugger, o principal meio de comunicação dedicado a impulsionar a sustentabilidade. No seu trabalho desenvolveu pequenas unidades residenciais e pré-fabricadas. Alter convenceu-se, ao longo dos anos, de que usamos muito de tudo e temos que “Construir o futuro que queremos” com menos. Usamos demais do planeta – muito espaço, muita terra, muita comida, muito combustível, muito dinheiro e a “chave” para a sustentabilidade passa simplesmente por usar menos, projetando e planeando melhor as coisas.

 

Entrada livre. Inscrição Obrigatória: aqui.  Organização: Roca, Homegrid e Passivhaus Portugal l Colaboração: Roca Lisboa Gallery

 

Conferência – «Eternal Florest»

00DDBBF4-BE43-4CCD-8A28-DA03262DEE31.png

 

Data: 06 de dezembro

Horário: 17h00 – 19h00

Eternal Florest –  é um documentário realizado nas regiões mais afetadas pelos incêndios de 2017. O filme incluí 12 entrevistas enriquecidas com memórias, histórias e sonhos para o futuro das florestas. Após a apresentação do documentário, segue-se um debate de consciencialização sobre a necessidade de preservar a biodiversidade, a natureza e as florestas naturais selvagens.

O painel de oradores convidados a participar neste debate são: Paolo Santos da Associação Enraizar, Barbára Leão da Biovilla, Marina Antunes do Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa e Ana Vasconcelos da Eco Interventions.

Evgenia Emts é artista e co-fundadora da Earth Sky Lab –uma colaboração de profissionais criativos, empresários, artistas, artesãos, designers, arquitetos com projetos de construção de um mundo melhor para amantes conscientes da natureza – e convida a repensar e considerar a relação com a floresta, que é fundamental.

O filme documental convida a pensar a forma como nos podemos conectar com as florestas e a natureza e de que forma podemos contribuir para a biodiversidade, integrando as várias perspetivas - filosófica, artística, espiritual, religiosa e económica - no trabalho da preservação e reconstrução dos ecossistemas das florestas.

 

Entrada livre. Inscrição Obrigatória: aqui. Organização: Reflorestar Portugall Colaboração: Roca Lisboa Gallery


 

 

Ciclo – «Espaços para Arquitetas»

EDEAEA7C-5C98-4925-B073-3D724664B68F.png

Data: 12 de dezembro

Horário: 18h30

Espaços para Arquitetas é um ciclo de conversas com o intuito de falar sobre a situação das mulheres no âmbito da arquitetura. Martha Thorne, diretora executiva do Pritzker Architecture Prize e co-comissária deste ciclo, será a moderadora desta segunda sessão.

 

Uma sessão dirigida essencialmente a profissionais e estudantes do setor da construção e a grupos que geralmente trabalham com questões relacionadas com a mulher no trabalho, com o objetivo de assegurar que o talento e a excelência das mulheres arquitetas não se percam inutilmente.

 

Dar a conhecer a situação real das mulheres na arquitetura, dar visibilidade ao trabalho das mulheres e criar redes de contacto são apenas alguns propósitos que poderá descobrir ao marcar presença nesta sessão.

 

O debate contará como oradoras convidadas Malin Åberg-Wennerholm, arquiteta, diretora do departamento de arquitetura do Instituto Real de Tecnologia em Estocolmo e investigadora na área de igualdade de género na arquitetura e Odile Decq,arquiteta, urbanista, professora, fundadora e diretora do Confluence Institute e fundadora do Studio Odile Decq.

 

Entrada livre. Inscrição Obrigatória: aqui. Organização: Roca e Associação Mulheres na Arquitetural Colaboração: Roca Lisboa Gallery

O Roca Lisboa Gallery está de portas abertas para si. Está convidado para encerrar 2018 em grande!

 

MERC´ART 2018:Exposição paralela e workshops gratuitos - 8 e 9 Dez

MERC´ART 2018:
Exposição paralela e workshops gratuitos

O Merc`art e a Mini lançaram um desafio a três escolas de arte - ESAD, IADE e ETIC - para os seus alunos idealizarem a nova “pele” dos automóveis Mini. As criações vão estar em exposição este fim de semana, dias 8 e 9 de Dezembro, no contentor de arte Merc`art na Lx Factory.
Um júri composto pela diretora de marketing da Mini, Cristina Rola, a curadora do Merc‘art, Alexandra Quadros e o artista Hugo Makarov irão selecionar os vencedores das três melhores propostas. Os premiados, além de ganharem um fim‑de‑semana a conduzir um Mini, serão os novos talentos da edição de 2019, tendo a oportunidade de expor os seus trabalhos junto de artistas conceituados e emergentes. 
A Mini na presente edição é a patrocinadora dos novos talentos: Bina Tangerina, Madalena Cardoso e Tom Barry.

O Merc`art 2018 começou com 60 obras de pintores, street artists, ilustradores, fotógrafos e digital artists portugueses e estrangeiros e à medida que vão sendo vendidas, deixam de estar em exposição porque os compradores as levam com eles. Neste momento só é possível ver 49 originais e os prints.

 

6ac2bbe2-3ef5-4695-8f6f-7d9b5ccf8075.png

Até dia 23 de Dezembro, o Merc`art ainda reserva algumas surpresas que certamente não quererá perder. Workshops únicos e gratuitos com o apoio da Beefeater com os artistas que expõem no Merc`art 2018, sempre às 16hoo no contentor da Lx Factory:

8 de Dezembro 
Sara Feio - Colagens
Hugo Makarov - Tatuagem de peça / adereço de roupa 
15 de Dezembro
Luís Alegre - Aprender a desenhar em tablet e telemóvel

As inscrições são feitas diretamente nos instagrams dos próprios artistas.

Natal artesanal no Museu do Oriente | Workshops de origami e shakuhachi

Workshops de origami e shakuhachi

origami_natal.png

 

Durante o mês de Dezembro, o Museu do Oriente organiza dois workshops de artes tradicionais japonesas - origami e shakuhachi - ideais para decorar e animar a quadra natalícia.

 

No dia 5 de Dezembro, o workshop “Origami para o Natal” ensina a dobrar papel para embrulhos e ornamentos, como estrelas ou kusudama, partindo de diagramas tradicionais e modernos, sem colagens ou recortes e utilizando apenas uma folha de papel.

 

Para os apreciadores de música, o Curso de Shakuhachi, ou flauta de bambu japonesa, decorre em cinco sessões, nos dias 22, 23, 26, 27 e 28 de Dezembro.

 

Trata-se de um instrumento que era tocado pelos Komuso, monges-samurais que percorriam as estradas do Japão feudal tocando a sua flauta para pedir esmola. Era também usado para a prática de uma forma particular de meditação – o "Suizen" (zen soprado), uma alternativa ao "Sazen" (zen sentado, bastante mais conhecido).


O repertório sagrado original deste instrumento – designado repertório Honkyoku – foi recolhido no século XVIII por Kinko Kurosawa I, que percorreu todo o Japão para o efeito e sistematizou a sua notação. É hoje uma componente fundamental da música clássica japonesa e desperta um crescente interesse junto de músicos e públicos de todo o mundo.

 

Nesta que é a sua 3ª edição, o Curso de Shakuhachi desenvolve-se em dois níveis: haverá um tempo dedicado aos que vão agora iniciar-se nesta arte, actividades para os que já tiveram um contacto prévio e actividades conjuntas.

 

Neste curso podem aprender-se os princípios básicos de produção sonora, as dedilhações básicas e os fundamentos do complexo sistema de notação do instrumento. Para esta aprendizagem inicial serão utilizadas canções tradicionais japonesas e alguma peça do repertório Honkyoku de menor complexidade.

 

Para frequentar o Curso de Shakuhachi não são necessários conhecimentos de música e são disponibilizados instrumentos, a um preço acessível, para quem desejar adquirir.

 

Workshop “Origami para o Natal”

5 de Dezembro

Horário: 15.00-17.00

Público-alvo: M/16 anos

Preço: 20 €

Participantes: máx. 15

 

Curso de Shakuhachi – Nível I e II

22, 23, 26, 27 e 28 Dezembro

Horário Nível I – Iniciados: 16.00-19.00

Horário Nível II: 17.00-20.00

Preço: 70 €

Semana da Cultura Coreana no Museu do Oriente | 20 a 24 de Novembro com entrada gratuita

semana_da_cultura_coreana.jpg

 

O traje típico, a caligrafia, a dança e a música, são apenas algumas das manifestações culturais da Coreia que podem ser experimentadas durante a Semana da Cultura Coreana, no Museu do Oriente de 20 a 24 de Novembro. Entre workshops, demonstrações e sessões de contos, este programa de entrada gratuita é co-organizado com a Embaixada da Coreia. 

 

O primeiro dia, 20 de Novembro, dá a conhecer um país vanguardista, com os workshops de K-Beauty e Dança K-Pop. Para além de aprenderem alguns cuidados a ter com a pele e dicas úteis para uma maquilhagem ao estilo coreano, os participantes vão também conhecer os passos básicos do K-Pop de modo a que, no final, estejam aptos a recriar uma actuação à semelhança dos famosos grupos de K-Pop.

 

O dia seguinte, 21 de Novembro, apresenta os instrumentos de corda tradicionais da Coreia, o Haegeum e o Kayageum, durante uma demonstração que convida os participantes a aprender um pouco mais sobre esta cultura e a ouvir algumas músicas tradicionais deste país. Também neste dia sugere-se o workshop de Bojagui, que pretende trabalhar o tecido coreano usando técnicas tradicionais, e o workshop de Taekwondo, para crianças e adultos interessados em conhecer esta arte marcial milenar.

 

Segue-se, a 22 de Novembro, um workshop de caligrafia coreana que introduz os participantes nesta arte, uma oficina que dá a conhecer o alfabeto Hangeul que promete ensinar a ler em coreano e, um workshop de Hanji Gongye, um papel tradicional coreano que será utilizado para criar bases para copos.

 

Antes de terminar esta celebração, há ainda tempo para fazer uma experiência de Hanbok, o traje tradicional da Coreia, caracterizado por cores vibrantes e linhas simples, e assistir a uma sessão de contos coreanos dirigida aos mais novos.

 

Com um programa diversificado, a Semana da Cultura Coreana pretende dar a conhecer as várias expressões da tradição cultural e artística deste país. Todas as actividades são gratuitas, mas é necessária inscrição.

 

Semana da Cultura Coreana

20 a 24 de Novembro

Gratuito, mediante inscrição

 

WORKSHOP DE K-BEAUTY
20 de Novembro

10:00-12:00

Participantes: máx. 20

M/15 anos
Gratuito, mediante inscrição

 

WORKSHOP DE DANÇA K-POP
20 de Novembro

15:30-17:30

Participantes: máx. 20

M/12 anos
Gratuito, mediante inscrição
Este workshop é dado em língua inglesa
Recomenda-se aos participantes trazerem roupa confortável, ténis, toalha e água

 

WORKSHOP DE BOJAGUI
21 de Novembro

10:00-12:00

Participantes: máx. 16

M/12 anos
Gratuito, mediante inscrição

 

WORKSHOP DE TAEKWONDO
21 de Novembro

14:30-16:00

Participantes: máx. 20

M/5 anos
Gratuito, mediante inscrição
Recomenda-se aos participantes trazerem roupa confortável, toalha e água

 

APRESENTAÇÃO DE INSTRUMENTOS DE CORDA TRADICIONAIS DA COREIA

21 de Novembro

15:00-17:00

Participantes: máx. 20

M/12 anos
Gratuito, mediante inscrição


WORKSHOP DE CALIGRAFIA HANGEUL 

22 de Novembro

10:00-11:30

Participantes: máx. 15

M/12 anos
Gratuito, mediante inscrição 
Este workshop é dado em língua inglesa.

 

WORKSHOP DE HANJI GONGYE
22 de Novembro

15:00-17:00

Participantes: máx. 20

M/12 anos
Gratuito, mediante inscrição

 

WORKSHOP DE HANGEUL
22 de Novembro

17:00-18:30

Participantes: máx.20

M/12 anos
Gratuito, mediante inscrição
Este workshop é dado em língua inglesa

 

EXPERIÊNCIA DE HANBOK – TRAJE TRADICIONAL
24 de Novembro

10:00-12:00; 14:00-17:00

M/ 5 anos
Gratuito, por ordem de chegada

 

CONTOS COREANOS 
24 de Novembro

10.30-16.00

Duração: 30’

Para crianças dos 5 aos 10 anos
Gratuito, mediante inscrição

 

Co-organização Embaixada da Coreia

A apanha do medronho na Serra do Caldeirão é proposta do Loulé Criativo

Medronho.jpg

 

Pelo segundo ano consecutivo, o projeto Loulé Criativo associa-se à empresa Medronho J.R. e propõe uma atividade de colheita de medronho, em plena serra algarvia, no dia 17 de novembro, das 9h00 às 15h00.

Nesta segunda edição, os participantes poderão testemunhar e participar na tradicional apanha do medronho numa zona conhecida pela abundância e qualidade deste fruto, em plena serra do interior do Concelho de Loulé.

O programa começa com um agradável passeio no campo, seguido de uma atividade de apanha do medronho, assim como de uma visita à destilaria tradicional da empresa Medronho J.R., passando pela zona de armazenamento e fermentação dos frutos, pela caldeira em cobre aquecida a lenha culminando na degustação das aguardentes produzidas no local. Por fim, os participantes poderão desfrutar de um almoço preparado no Grupo Desportivo Serrano, no Monte Ruivo.

O Workshop, ministrado em Inglês e Português, tem um custo de 25 euros por pessoa (almoço incluído). As inscrições podem ser feitas em http://loulecriativo.pt/pt/turismocriativo/experiencias/84-a-apanha-do-medronho 

Refira-se que o Município de Loulé, através da iniciativa Loulé Criativo, convida ainda todos os locais e visitantes a tirar partido do outono ao participar em atividades repletas de tradição e saberes milenares. A programação é variada e conta com workshops de bombons com sabores do Algarve, de figos com amêndoa, de olaria e muitas mais atividades que, certamente, irão agradar a miúdos e graúdos.

Mais informações em loulecriativo@cm-loule.pt  ou 289 400 894.

CML/GAP /RP

Artes japonesas inspiram quadra natalícia no Museu do Oriente

Temari, Origami, Encadernação, Sashiko, Haiku e Furoshiki

Origami Pop-up.jpg

 

 

Já a pensar na quadra natalícia, o Museu do Oriente organiza, durante o mês de Novembro, várias oficinas dedicadas às artes tradicionais japonesas. Temari, Origami, Encadernação, Sashiko, Haiku e Furoshiki, são as técnicas à escolha para criar presentes personalizados ou decorações originais para a época que se avizinha.  

 

Feitas de retalhos de quimonos e linhas, em combinações audaciosas de cores e motivos, as Temari são bolas de mão que podem servir de ornamento ou presente. Para conhecer e construir sábado, 10 de Novembro, numa oficina que repete a 8 de Dezembro.

 

Inspirado no festival Tanabata, e outros rituais japoneses que incluem dobragens de papel, o workshop “Origami para a árvore de Natal”, no dia 14 de Novembro, propõe dobrar motivos auspiciosos, de esperança e agradecimento, tais como estrelas, tsurus ou noshi, para enfeitar a árvore de Natal. A 24 de Novembro “Pop-up de Natal” desafia a construir impressionantes cartões tridimensionais, a partir dos modelos do mestre origamista Keiko Nakazawa. Conjugando operações de corte e colagem, motivos natalícios saltam, literalmente, da folha de papel, em jogos de volume surpreendentes.

 

Aprender a decorar peças de tecido com alinhavos é a sugestão do workshop “Alinhavos para bordar – sashiko diamante”, também a 14 de Novembro. A partir desta variante do ponto simples sashiko, dá-se a conhecer um pouco da cultura nipónica e da história do Japão, podendo ser também uma ideia de prenda de Natal.

 

A 17 de Novembro, a proposta é construir um caderno ou álbum recorrendo a papéis coloridos e o ponto à vista ‘yotsumi toji’, uma das mais antigas técnicas de encadernação artesanal, no workshop “Encadernação Japonesa”.

 

Um poema pode igualmente ser uma oferta singular e plena de significado.  A oficina “O que é o haiku?”, que se realiza em duas sessões, a 15 e 22 de Novembro, dá a conhecer e a praticar esta forma poética de origem japonesa, de forte carácter contemplativo.

 

E para quem quer aprender a embrulhar os presentes de forma original, o Museu do Oriente sugere o workshop “Furoshiki para o dia-a-dia – embalagens tradicionais japonesas”, no dia 24 de Novembro.  Com um simples quadrado de tecido, algumas dobras e nós, conseguem criar-se inúmeros invólucros de transporte ou embalagem, recorrendo a esta arte que remonta ao período Edo (1603-1867), quando os senhores feudais a usavam para guardar os seus pertences enquanto frequentavam os banhos públicos.

 

Tantas possibilidades para conferir um toque pessoal e original ao Natal, criando presentes ou decorações segundo a tradição japonesa.

 

Workshop Temari

10 de Novembro ou 8 de Dezembro

Horário: 14.00-18.00

Preço: 45 €/sessão (todos os materiais incluídos)

Participantes: mín. 5, máx. 10

Workshop “Origami para a árvore de Natal”

14 de Novembro

Horário: 18.00-20.00

Preço: 20 €

Participantes: máx. 12

 

Workshop “Alinhavos para bordar – sashiko diamante”

14 de Novembro

Horário: 18.00-20.00

Preço: 20 €

Público-alvo: frequência de workshops de sashiko simples ou circular

Participantes: mín. 7, máx. 12

 

Workshop “O que é o haiku?”

15 e 22 de Novembro

Horário: 15.00-17.00

Preço: 25 €

Participantes: mín. 10

M/16 anos

 

Workshop “Encadernação Japonesa”

17 de Novembro

Horário: 10.00-13.00

Preço: 35 €

Participantes: máx. 15

 

Workshop “Furoshiki para o dia-a-dia – embalagens tradicionais japonesas”

24 de Novembro

Horário: 10.15-12.15

Preço: 20 €

Participantes: mín. 10, máx. 15

M/16 anos

 

Workshop “Pop-up de Natal”

24 de Novembro

Horário: 10.15-12.15

Preço: 20 €

Participantes: máx. 12

 

www.museudooriente.pt

Braga, Lisboa e Loulé. As últimas edições do Workshop Planificação e Organização de Exposições. O Papel do Curador.

 

a71ac929-1ed1-4031-baff-6e60c81eccb3.jpg

 


Após 50 edições do workshop "Planificação e Organização de Exposições. O Papel do Curador", quase sempre esgotado, sente-se uma necessidade de transformar, de mudar de ares e percorrer novos caminhos. Anunciamos, assim, as últimas três formações que a AntiFrame dará na área da Curadoria. Iremos a Braga (17 e 18 de Novembro, Zet Gallery), passaremos por Lisboa (9 e 10 de Fevereiro, Polo Cultural Gaivotas l Boavista) e terminaremos em Loulé (23 e 24 de Fevereiro, Museu Municipal de Loulé). Informação e inscrições: antiframe@gmail.com

WORKSHOP 
PLANIFICAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE EXPOSIÇÕES. O PAPEL DO CURADOR 


OBJECTIVOS 
O objectivo desta acção de formação é enquadrar no contexto da gestão de projectos culturais a função do curador. 

CONTEÚDOS 
A exposição constitui o meio através do qual a arte contemporânea adquire visibilidade, ao ponto de ser hoje um elemento fundamental da nossa cultura visual. Daí que seja crescente, nos últimos anos, o interesse pelos modos de conceber e organizar exposições. Assim, neste curso discutem-se os mais recentes desenvolvimentos do discurso crítico respeitante à prática curatorial, analisando-se ainda as metodologias subjacentes à implementação de projectos. 

Módulo I: O trabalho do Comissário/Curador 

Apresentação e objectivos do Curso. O lugar do Comisário/Curador na Gestão Cultural e o seu trabalho na organização de exposições. Ética e Código de Conduta. O Comissário/Curador como “ideólogo”: correntes actuais de pensamento estético nas diversas exposições. Taxinomia expositiva e Mercado da Arte: Galerias e Feiras. O comissariado em Portugal através de dois exemplos de exposições reais. Bienais e novos eventos artísticos: o papel estelar dos comissários. Organizadores ou estrelas mediáticas? Veneza, Kassel e o “Grand Tour” da Arte Mundial. 

Módulo II: Como se cria um projecto de Exposição 

Visibilidade do Projecto (valorização cultural e económica). Elaboração de equipas profissionais: design, produção, montagem e outros profissionais. Desenvolvimento do projecto. Os organismos de gestão cultural: conciliar interesses, convénios de colaboração. Procedimentos. Instituições estatais, autónomas, locais. Privados e Fundações. Patrocínio, “fundraising”, doações, mecenato e outras figuras de apoio à difusão da Arte Contemporânea. O contacto com as entidades de gestão: como fazê-lo e como “vender” a ideia do próprio projecto. Em que consiste o “fundraising” cultural. O seu contributo ao desenvolvimento da Indústria Cultural. 

Módulo III: Como se organiza uma Exposição 

Construção do projecto e cronograma do mesmo, sua coordenação técnica e assegurar os recursos técnicos para a realização do mesmo. Viabilidade e gestão económica do mesmo: delimitação de necessidades e cálculo de custos. Fases de procedimento na gestão dos gastos. Contratos administrativos, expedientes. Memórias e arquivos. Desenho e montagem da exposição: projecto técnico da sala. Os objectos a expor. Elaboração do projecto. 

Módulo IV: Como se divulga uma Exposição 

O catálogo e outras publicações nas exposições. Os elementos de apoio à exposição. Inaugurações e conferências de imprensa. Dossiê de imprensa e difusão nos media. As novas tecnologias de informaçãoaplicadas à difusão das exposições: elaboração de dossiês electrónicos, blogues, páginas Web e outros recursos. 

FORMADORA 

Cláudia Camacho | Licenciada e Mestre em História da Arte. Professora convidada pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa onde lecciona a disciplina "Planificação e Organização de Exposições". Entre mais de uma dezena de curadorias destacam-se: High Speed Press Plate de José Luís Neto (CBA, Madrid); Se Busca Memoria Perdida de Kristoffer Ardeña (Centro 14, Alicante); Representação Portuguesa no DVD-Project (Fundação Telefónica, Peru); Contemplaciones (Festival Loop, Barcelona); Histórias e Desejos de quem Dorme de Ana Rito, Cecilia de Val, Margarida Paiva e Johann Ryno de Wet (Jugada a 3 Bandas, Camera Oscura, Madrid, e ArteSantander); Entre Forças: Humana Natureza (Carpe Diem, Lisboa), A new perspective on Alexander M. Collection de Rui Macedo (Galeria Municipal Vieira da Silva, Loures); Outros Olhares sobre a Grande Guerra (Celeiro da Patriarcal, Vila Franca de Xira). Coordenadora do sector educativo no Festival PhotoEspaña|07. Curadora residente convidada pela Academy of Fine Arts and Design para o European Month of Photography/09, em Bratislava. Organizou os ciclos de debates sobre Arte Contemporânea da ARTELISBOA 2011 e do Festival IN - Inovação e Criatividade. Em 2014 ganhou a bolsa Erasmus para Jovens Empreendedores (University College London). É directora da AntiFrame – Art Consulting que editou o guia de exposições Art Alibi e organizou o Alibi Art Weekend (www.artalibi.pt). 

HORÁRIO 
10h às 13h e das 14h às 19h 

VALOR 
147,60€ (120€+iva) 

INFO 
antiframe@gmail.com
www.facebook.com/AntiFrame

Workshop de Temari no Museu do Oriente | De brinquedo a ornamento

Temari.jpg

 

Retalhos de quimonos envolvidos por linhas coloridas, esticadas e cruzadas, resultam em magníficos Temari, um ornamento que o Museu do Oriente ensina a fazer num workshop que se realiza no dia 10 de Novembro.

 

Com uma história ancestral, estas bolas de mão japonesas (Te - mão + Mari – bola) começaram por ser confeccionadas com um propósito muito especial: brincadeiras de crianças. Ao longo dos tempos, assumiram outros fins e significados e, são hoje uma oferta de considerável importância no Japão, prova de grande amizade ou amor maternal. Actualmente, os seus coloridos e criativos padrões despertam tanto interesse no Oriente como no Ocidente.

 

Este workshop dá a conhecer a evolução dos Temari e desafia à criação de um exemplar. A oficina repete a 8 de Dezembro, mesmo a tempo da época natalícia em que pode servir de presente ou como ornamento.

 

Workshop Temari

10 de Novembro ou 8 de Dezembro

Horário: 14.00-18.00

Preço: 45 €/ participante (todos os materiais incluídos)

Participantes: mín. 5, máx. 10

www.museudooriente.pt

Clay Ross faz workshop no Teatro D. Maria II para falar com artistas de negócios da música

cartaz-clayross.jpg

 

 

Posicionar propostas musicais, definir modelos de negócio, tornar os projetos artísticos sustentáveis. Clay Ross, líder dos Matuto, vem a Portugal para uma série de concertos e de ações de formação para artistas nacionais sobre empreendedorismo musical. A embaixada dos EUA e a Fundação GDA apoiam.

 

 

“Negócios da Música para Músicos” é o nome do “workshop” ministrado por Clay Ross, guitarrista e líder da banda Matuto, que irá decorrer no Teatro D. Maria II, em Lisboa, no dia 31 de outubro. A ação de formação irá centrar-se nos aspetos da música enquanto negócio e olhará para os músicos enquanto empreendedores e pequenos empresários, dando sugestões e métodos para lançar e gerir as carreiras e exemplos de casos bem sucedidos. A iniciativa resulta de uma parceria entre a Fundação GDA e a Embaixada dos Estados Unidos da América.