Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Teatro Artimanha estreia “Perséfone” no Auditório Municipal de Pinhal Novo

Cartaz - Perséfone.jpg

 

A nova produção do Teatro Artimanha, “Perséfone”, estreia no Auditório Municipal de Pinhal Novo, a 16 de novembro, às 21h30, sendo exibida também no dia 17, à mesma hora. O espetáculo, com dramaturgia de Isabel Teles de Menezes e encenação de Rui Guerreiro, conta com o apoio da Câmara Municipal de Palmela.

«Há muito tempo, os humanos tinham em duplicado todas as partes do corpo: quatro braços, quatro pernas e duas cabeças. Por ambição, tentaram chegar ao Olimpo, para derrotar os deuses e, por causa disso, Zeus decidiu dividi-los ao meio, para os enfraquecer. Mas foi pior a divisão do que a morte, pois o coração dos humanos ficou dividido em dois e o anseio por se voltarem a unir era tão forte, que os destruía. Por isso, Zeus alterou-os, para que as verdadeiras almas gémeas se pudessem voltar a “unir”. E quando o filho de Afrodite disparava setas para os corações humanos, brincando com os seus desejos e criando falsas paixões, os deuses do Olimpo, envolvidos nos seus próprios egos, acharam que percebiam o que é o amor. Mas o verdadeiro amor não é filho da beleza. Eros, o amor, nasceu do caos e é um dos deuses primordiais, cujas formas criaram a própria estrutura do universo. O seu poder é superior ao do próprio caos e é a sua força de união que mantém o universo inteiro».

 

Ficha Artística

 

Dramaturgia: Isabel Teles de Menezes

Encenação: Rui Guerreiro

Elenco: Ana Guerreiro, Ana Sílvia, Bruno Gomes, Cintia Hortense, Elisabete Silva, Inês Cavaco, Mathilde Brouillard,  Paulo Paiva,  Rafaela Cruz, Sara Masqueiro e Teresa Costa

Figurinos: Célia Machado

Técnica: Catarina Carapeta e João Costa

Música: Paulo Duarte

Apoio ao movimento: Mathilde Brouillard

Direção de cena: Ana Guerreiro

Make up: Ana Silva e Ilda Silva

Com a colaboração de: Beatriz Soares, Nádia Diniz e Ruben Santos