Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Teatro de Garagem em Dezembro

 

55af9a59-35ee-45a4-899a-815919ae0f0e.png

 

O SOLDADINHO
Criação do Teatro de Ferro
Texto e Encenação de Igor Gandra

15 DEZ (6ª-feira), 11h00 e 14h30 | Escolas
16 DEZ (Sáb), 16h30 | Famílias

TEATRO TABORDA
[ESPETÁCULO PARA A INFÂNCIA]
 

O SOLDADINHO consiste na adaptação para Teatro de Marionetas, Objetos e Formas Animadas do conto de Hans Christian Andersen, transformando assim os soldadinhos de chumbo e outros brinquedos do passado nos atuais heróis do futuro. É uma tentativa de atualização da forma, sem danificar a essência do conto, do amor impossível entre o soldado e a bailarina, desta espécie de Romeu e Julieta em brinquedo.
Os contos de fadas carregam consigo uma enorme diversidade de signos inconscientes; não esquecendo este importante aspeto, não será sob este prisma que abordaremos o conto, mas sob o ponto de vista da teatralidade das situações, das emoções, das personagens.
Retomando a estrutura do conto de Hans Christian Andersen, O SOLDADINHO fala-nos de um amor a sério entre um soldado e uma bailarina de brincar. A manipulação de objetos, as pequenas máquinas de cena e outras engenhocas articulam-se no dispositivo cénico – pequena máquina de contar histórias – em que os atores são simultaneamente maquinistas e passageiros.
 

Havia muitos brinquedos no quarto
Havia brinquedos disto
Havia brinquedos daquilo
Brinquedos de pilhas
Brinquedos de corda
Brinquedos de rapaz
Brinquedos de rapariga [...]
E havia também uma bailarina que deixou o soldadinho en-can-ta-do!


The SOLDADINHO consists of adapting the tale by Hans Christian Andersen into Puppet, Objects and Animated Forms’ Theatre, thus transforming the lead soldiers and other toys of the past into the present heroes of the future. It is an attempt to update the form, without damaging the essence of the tale, of the impossible love between the soldier and the dancer, of this kind of Romeo and Juliet in toys.
Fairy tales carry an enormous diversity of unconscious signs; not disregarding this important aspect, it will not be in this light that we will approach the story, but rather from the point of view of the theatricality of the situations, the emotions, the characters.
Returning to the structure of Hans Christian Andersen's tale, SOLDADINHO tells us about a serious love between a soldier and a playful dancer. The manipulation of objects, small scene machines and other contraptions are articulated on the scenic device - a small story-telling machine - in which the actors are both machinists and passengers.

Teatro de Ferro

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Baseado num conto de Hans Christian Andersen
Texto e Encenação Igor Gandra
Interpretação Carla Veloso e Igor Gandra
Fotografia de Cena Susana Neves
Operação de som e luz Frederico Godinho
Produção Teatro de Ferro
Acolhimento Teatro da Garagem
O Teatro de Ferro é uma estrutura financiada pelo Governo de Portugal -
Ministério da Cultura, Direção-Geral das Artes

Duração 45 minutos |  M/4 

 

 

ceb78265-aaf9-4590-a822-8dab4f14c458.jpg

 

ATMAVICTU
Teste 3 - Amor
Criação de Bestiário 

Residência Artística
TRY BETTER, FAIL BETTER'18

7 DEZ
(5ª-feira), 21h30 | TEATRO TABORDA
 

Imagina o teu primeiro amor.
O que é que lhe dizias?
Amar é nunca desistir do outro.


É um conceito abstracto e, no entanto,
a nossa vida tenta estar impregnada por ele.
Há quem diga que este é o mote para a sobrevivência da espécie humana,
e que sem ele já nos teríamos aniquilado.
Acreditamos que sim,
que seria esse o resultado de uma vida sem amor:
a aniquilação e o extermínio da nossa espécie.
Importa, por isso, fazer uma ode ao amor!
 
Imagine your first love. What would you tell him? To love is to never give up on one another. It is an abstract concept and, nonetheless, our life tries to be impregnated by it. Some people say that this is the motto for the survival of the human species, and that without it we would have annihilated each other. We believe that, yes, that it would be the result of a life without love: the annihilation and extermination of our species. It is important, therefore, to make an ode to love!

Bestiário

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Texto de Teresa Vaz
Com Afonso Viriato, Helena Caldeira, Miguel Ponte e Teresa Vaz
Fotografia de Daniela Jácome Rodrigues
Acolhimento e Apoio à Residência Artística Teatro da Garagem

[SESSÃO COM LOTAÇÃO ESGOTADA]

 

 

e1994285-432e-4782-9ee6-94baa039d7a1.jpg

FALAR CLARO
SERVIÇO EDUCATIVO
Universidade Sénior de Santa Maria Maior

EM DEZEMBRO | Junta de Freguesia de Santa Maria Maior (Lisboa)

Após a experiência desenvolvida na 1ª edição de Saber Maior, o Teatro da Garagem continuará a dinamizar a disciplina Falar Claro na Universidade Sénior de Santa Maria Maior, numa parceria com o GES – Gabinete de Empreendedorismo Social da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior. Para comunicar utilizamos a voz, o corpo, a escrita, o pensamento e a argumentação para efetivar trocas de informações que nos permitam socializar e viver melhor uns com os outros. Deste modo, a escuta ativa, a tolerância e a clareza discursiva, (numa perspetiva técnica e de organização das ideias), são fundamentais para entendermos os outros e para nos fazermos entender.