Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

TEATRO DOS ALOÉS | AMADORA MOSTRA | RECREIOS DA AMADORA

af772629-0ce6-4fd3-a409-9eb830e5957a.jpg

AMADORA - MOSTRA
19 a 21 de julho (sexta e sábado às 21h30 e domingo às 16h nos Recreios da Amadora

 

AMADORA MOSTRA é reconhecer que o teatro se modifica de geração para geração, que novos problemas são colocados na cena e à cena.
É confrontar o novo teatro com o público, é reconhecer que novas expressões têm direito às suas escolhas estéticas e às suas problemáticas.
AMADORA MOSTRA é dar a mão amiga aos novos, como antes fizeram a nós. 
Bem-Vindos. 
Abraço forte de amizade Companheiros.

Teatro dos Aloés


GET OUT OF THE CLOSET! - 19 de julho - 21h30 | M/12

Um corpo não reflecte a pessoa que o habita. Por alguma razão Descartes separou a Alma do corpo. Penso que todos nós já sentimos que a nossa fisionomia, nalgum momento das nossas vidas, atraiçoou o nosso ‘eu’. Precisamos de encontrar um corpo visível, uma imagem, uma forma que consiga transparecer o nosso real pensamento, o nosso conteúdo, aquilo que sabemos ser. Em O Belo e a Consolação,
Steiner diz-nos que «Somos aquilo que são as nossas memórias. Não nos podem tirar aquilo que temos dentro de nós». Mas como é que algo que é do foro abstracto consegue sobrepor-se a uma dimensão corpórea? É necessário sermos “apenas” o que somos, sem a preocupação de nos inserirmos num Mundo edificado pelo preconceito, por normas e elites. Não cedamos aos dogmas impostos por
uma sociedade que tem um fascínio pelo belo. Tenhamos a coragem de viver num lugar às escuras, onde as pessoas se atraiam platonicamente. «Os olhos são o espelho da Alma», como Fernando Pessoa nos relembra. Encontramo-nos presos ao nosso corpo, à nossa pele, mas não temos culpa dos nossos genes.
Acredito que somos mais do que matéria, tal como Artaud. É urgente descobrirmos o verdadeiro ser que nos habita. Quem sou eu? Quem és tu?

Direção Artística e Conceção: Adriana Melo
Interpretação: Adriana Melo, Beatriz Brito, Magnum Soares, Karen Sampaio e Rita Bettencourt Paixão
Cenografia: Rita Capelo
Fotografia e Vídeo: Helena Gonçalves                            

ALEATÓRIO - 20 de julho - 21h30 | M/12

"Se a sua vida tivesse trilha sonora, qual seria?" A partir de músicas escolhidas pela plateia, duas histórias aleatórias são criadas por improviso, e se cruzam para inesperados desfechos.
Espetáculo de Impro Long Form, Teatro de Improviso poético que mistura dança, mímica e a espontaneidade da criação por música.

Realização: Grupo de Improviso SAÍDA SUL
Concepção, Direção e Atuação: Luana Proença
Banda Sonora: O Público
Designer de Luz: Marina Zoé
Figurino: Julieta Zarza e Luana Proença

PRANTO DE MARIA PARDA - 21 de julho - 16h | M/12

Espectáculo que relaciona o actor e a marioneta, num palco despojado e frio destacando apenas seis figuras e Parda que vem prantear a sua sede.
O tema central é o vinho, símbolo do animo e da inspiração da alma de um país que, estando em crise, não o tem. A peça acontece na época medieval, mas, porque se adapta aos dias de hoje, foi modernizada. Os taberneiros cuja forma remete para as cepas de vinha, realizando-se com elas o teatro de figuras, mas a personagem central é Maria Parda, acompanhada a maior parte do tempo de si mesma apenas e a si mesma falando, para regalo do público, nos versos de Gil Vicente, que vai mencionar os vinhos das diferentes terras de Portugal e qualificar a sua produção no derradeiro testamento da sequiosa mulher.  

Encenação, Dramaturgia, Manipulação - Guto Martins
Direção Técnica, manipulação - Magnum Soares
Manipulação: Mariana Nogueira
Direção Musical - Pedro De Fillipis
Audio-Visual - Pedro Cabral
Produção - Leonor Cabrita

 

Informações e reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.