Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Teatro "Revela-me" da associação artística Malvada no Teatro-Cine de Torres Vedras

 

transferir (20).jpg

 

A associação artística Malvada leva ao palco do Teatro-Cine de Torres Vedras no próximo dia 17 de setembro, pelas 21h30, o espetáculo de teatro Revela-me.

De referir que o texto original e a encenação do espetáculo Revela-me partem de um processo de contaminação entre as diferentes atividades e criações no âmbito do projeto artístico homónimo, que se assume como um movimento de ativação de territórios esquecidos e periféricos.

Em Revela-me, ao conceito de Periferia junta-se um espaço de abandono em que se baseia este espetáculo, mais concretamente o antigo Hospital Psiquiátrico dos Canaviais, o qual durante o Estado Novo foi Albergue de Mendicidade, um instrumento da política de promoção da exclusão e do isolamento. Hoje o abandono a que esse espaço está sujeito continua a ser sinal de Periferia, no entanto o esquecimento é também terreno fértil e o vazio surge como expetativa, como prenúncio de uma revelação.

Segundo explica a cocriadora de Revela-me, Ana Luena: “Nas duas visitas que fizemos ao antigo Hospital Psiquiátrico realizou-se um registo fotográfico que o documenta, o torna visível e que serviu o início desta narrativa performativa. Esta criação cénica emerge do interior deste espaço desabitado e interdito que está a ser ocupado por arquivo morto. Pastas enfiadas em sacos de plástico azuis, enormes. Lá dentro arquivos com dados pessoais, listas, enfermidades de pessoas que já morreram ou que ainda estão vivas. Agora todos pertencentes a este lugar.

Poderíamos ser nós encerrados num saco azul, numa cama, num quarto, numa gaveta, numa página, numa fotografia, numa notícia do jornal ou apenas num nome. Encerrados num nome. Esvaziados numa letra.

Revela-me constrói-se por camadas de (des)ocultação numa dramaturgia que explora a Periferia na relação com o outro e na cena, o vazio como possibilidade de ser e de encontro, a ruína que somos todos. Um espaço que se abre e se fecha. O decalque de uma parede. Uma vida espalhada aos bocados. É dos corpos dos intérpretes e das caixas seladas que irrompe um discurso fragmentado que alinha histórias, pensamentos, cartas, nomes, vidas, pessoas. Destroços”.

O preço dos bilhetes para se assistir ao teatro Revela-me no Teatro-Cine de Torres Vedras é de cinco euros.

 

Ficha Técnica

 

Criação e direção artística: Ana Luena e José Miguel Soares

Fotografia e conceito: José Miguel Soares

Texto original e encenação: Ana Luena

Intérpretes: Nuno Nolasco, Inês Pereira

Desenho de luz: Pedro Correia

Música original: Zé Peps

Design: Joana Areal

Assistente de produção e comunicação: Rita Boavida

Produção: Malvada Associação Artística

Coprodução: Câmara Municipal de Évora - Call Artes à Rua 2020, Cine-Teatro Avenida de Castelo Branco

Parceiros: Lendias d’Encantar (FITA - Festival Internacional do Alentejo), Teatro-Cine de Torres Vedras, Cães do Mar, Junta de Freguesia de Canaviais, Associação Grupo de Teatro luventuti Virtutis, Associação de Surdos de Évora

Revela-me tem o Apoio da República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.