Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

TeCA entra no novo ano com a estreia de As Três Irmãs

A partir da obra de Anton Tchékhov

TeCA entra no novo ano com

a estreia de As Três Irmãs

 

As Três Irmãs 2 © João Tuna.jpg

 

Com direção e conceção de Carlos Pimenta, espetáculo explora a dramaturgia sonora da obra centenária. Em cena entre 7 e 16 de janeiro

 

Corria o ano de 1900, quando o dramaturgo russo Anton Tchékhov apresentou a obra As Três Irmãs. Mais de cem anos depois, a peça que continua a desafiar encenadores e atores apresenta-se agora pelas mãos de Carlos Pimenta, responsável pela direção e conceção do espetáculo. Desta feita, a proposta passa pela exploração singular dos sons recorrentes de Tchékhov, através dos quais é possível descrever uma dramaturgia sonora que convoca o imaginário do público. As Três Irmãs estreia-se no palco do Teatro Carlos Alberto (TeCA) já no próximo dia 7 de janeiro, assinalando o arranque de 2021. O espetáculo pode ser visto até 16 de janeiro.

 

A obra de Tchékhov propõe uma viagem a uma pequena cidade russa onde três irmãs – Olga, Macha e Irina – sonham em regressar aos seus tempos de juventude (agora perdida), com uma viagem a Moscovo. Partindo dos sons de festa, de tiros, do bosque ou das carruagens que chegam ou partem, a abordagem de Carlos Pimenta acolhe em palco um estúdio de gravações onde um conjunto de atores gravam As Três Irmãs. Este “teatro radiofónico”, que propõe um confronto entre a sonoplastia e as palavras de Tchékhov, convoca a participação do espetador para o desenho das situações e ambientes num universo imaginário.

 

A peça, que se faz dos laços entre o teatro, o tempo e o acontecimento, resulta de uma coprodução Ensemble – Sociedade de Atores e Teatro Nacional São João (TNSJ). Partindo da tradução de António Pescada, o espetáculo conta com sonoplastia e desenho de som de Francisco Leal e música de Ricardo Pinto. As Três Irmãs “sobem” ao palco de quarta a sexta-feira, às 19h00; e ao sábado e domingo, às 10h30. A peça é para maiores de 12 anos e os bilhetes têm um custo de 10 euros.


O Teatro Nacional São João (TNSJ) é, desde 2007, uma Entidade Pública Empresarial, assumindo ainda a responsabilidade da gestão de mais dois espaços culturais da cidade do Porto: Teatro Carlos Alberto e Mosteiro São Bento da Vitória. O TNSJ é o único membro português na União dos Teatros da Europa (UTE), organização que congrega alguns dos mais importantes teatros públicos do espaço europeu, integrando o Conselho de Administração da entidade.