Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

THE LAZY FAITHFUL - "Bringer of a Good Time" 31 de Março. Novo single - "There Was a Light" .

e8c9913c-baa6-4716-9ca7-d58c8f1ccb04.jpg

 

THE LAZY FAITHFUL 
"BRINGER OF A GOOD TIME"

"O que eu tenho para dizer deste disco di-lo-ia melhor em música, mas é de música que se trata e por isso seria uma redundância. Só posso dizer que chego de manhã ao estúdio e tenho vontade de preencher o silêncio com estas músicas, tenho-as ouvido vezes sem conta. (...) Obrigado aos trazedores de bons momentos."
Manel Cruz (Ornatos Violeta, SuperNada, Pluto)

 

"Bringer of a Good Time"
Novo álbum chega às lojas esta sexta-feira dia 31 de Março. 

Concertos de Apresentação: 
13 de Abril - Maus Hábitos - Porto
22 de Abril - Music Box - Lisboa 

Depois de "Nukin In The Cookin", primeiro avanço para o tão aguardado segundo registo, a banda lança hoje "There Was a Light" cujo vídeo foi realizado por Vasco Mendes. 

"Easy Target" (2014) obteve uma forte reacção por parte da crítica e as actuações ao vivo não deixam ninguém indiferente. A banda leva já na carteira uma primeira tour que passou por diversos palcos incluindo o Vodafone Mexefest, Festival Meo Marés Vivas, Festival Vilar de Mouros, Festival Mêda + e Festival Monte Verde. 

f70a60bf-8084-4719-929a-ac621a66f1fb.jpg

 

Sobre "Bringer of a Good Time" nas palavras de Manel Cruz (Ornatos Violeta, Pluto, SuperNada):


"Felizmente não existe um consenso público em relação a nada do que criamos. Assim garantimos que haverá sempre alguém para quem o nosso trabalho é importante.

O que se diz acerca de um trabalho vale por isso o que vale. Ainda mais quando temos de passar a palavras algo que é apenas uma sensação. Por isso mesmo é que se cria, para encontrar formas alternativas de se comunicar, com ferramentas mais sensoriais, tentando assim fugir à mera descrição verbal de um sentimento, reconvertendo essa emoção numa outra.

 

O que eu tenho para dizer deste disco di-lo-ia melhor em música, mas é de música que se trata e por isso seria uma redundância. Só posso dizer que chego de manhã ao estúdio e tenho vontade de preencher o silêncio com estas músicas, tenho-as ouvido vezes sem conta.

Sabe-me bem, mexem comigo, fazem a minha cabeça esquecer-se que vive no pescoço. Conheço o Tommy há muito tempo e foi desde o início uma surpresa constante, pela autenticidade, brilho e pela forma natural como cria. É daquelas pessoas que parecem ter nascido criativamente maduras. Toda a banda está, a meu ver, de parabéns pela composição, arranjos e som que conseguiu.

 

Valeu a pena a dedicação e sofrimento por que tiveram de passar. Criaram mais uma realidade alternativa neste mundo, uma ilha de som que, pelo menos eu, irei de certo, volta e meia, visitar. Obrigado aos trazedores de bons momentos."

Manel Cruz