Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

TMJB acolhe O libertino no Café-concerto

André Louro em O libertino passeia por Braga, a idolátrica, o seu esplendor

 

 

 

TMJB acolhe O libertino no Café-concerto

 

 

image001.jpg

image002.jpg

 

André Louro apresenta-se no Café-concerto do TMJB, dias 2 e 3 de Fevereiro, sexta e sábado às 22h, com um texto do icónico Luiz Pacheco: O libertino passeia por Braga, a idolátrica, o seu esplendor. O espectáculo tem encenação de António Olaio.

 

No documentário O libertino, na altura de se pronunciar sobre uma das suas obras de referência (O libertino passeia por Braga, a idolátrica, o seu esplendor), Luiz Pacheco limita-se a recordar “um dia de maluqueira”. Recusa falar, por exemplo, das tendências homossexuais que percorrem a obra ou até esclarecer se a referência a Braga deve mesmo interpretar-se, neste contexto, como símbolo da Igreja Católica e do Estado Novo. Seja como for, desabafa: “Meteram-me dentro do texto”. André Louro, neste espectáculo, faz o mesmo, transformando o texto escrito em 1961 num monólogo que sobrepõe a figura do escritor à do libertino que tenta seduzir lolitas e magalas na cidade dos arcebispos. Rui Monteiro, na Time Out, aplaude o resultado, sublinhando que o actor se converte em “libertino perverso e irresponsável sem se perder em efeitos de representação e superficialidades, assim dando consistência à fragilidade original da peça com uma interpretação rigorosa e emocional”.

Luiz Pacheco (1925-2008) foi escritor, editor, tradutor e crítico literário. Depois de frequentar o curso de Filologia Românica, foi inspector de espectáculos e colaborador em várias publicações periódicas. Em 1950 fundou a editora Contraponto, dando a conhecer a obra de escritores como Mário Cesariny ou Herberto Hélder.

Formado em Arquitectura, António Olaio iniciou a sua actividade teatral na Companhia de Teatro de Almada em 1982, trabalhando como actor em espectáculos encenados por Joaquim Benite e Jorge Listopad. Fundou em 1992 o colectivo de teatro O Grupo, com Ana Saltão, e foi produtor e actor em peças dirigidas por Ana Nave e Antonino Solmer.


Interpretação André Louro
Figurino Maria Ribeiro
Assistência de encenação Anabela Felício

 

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | CAFÉ-CONCERTO | M/16

02 FEV | SEX às 22H

03 FEV | SÁB às 22H

 

 

PREÇO: 5€ a 10€  

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.