Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

UAU | Ensaio Solidário :: AS OBRAS COMPLETAS DE WILLIAM SHAKESPEARE EM 97 MINUTOS

Outlook-tz4axzu3.png

 

ENSAIO SOLIDÁRIO | 11 Setembro | 21h30 

Uma iniciativa que a UAU promove há mais de dez anos, os Ensaios Solidários são sempre muito procurados pelo público, que tem a oiportunidade de assistir ao espectáculo antes da sua estreia, ao mesmo tempo que contribui para uma causa de solidariedade social escolhida pelo elenco e encenador.

 

Ao preço simbólico de 6€ (sem lugares marcados), o Ensaio Solidário de As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos realiza-se dia 11 de Setembro às 21h30 e a receita reverte na totalidade para a Acreditar-Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro.

 

Com 25 de anos de actividade, a Acreditar é uma rede de partilha e de apoio feita de crianças, jovens, pais e amigos, que enfrenta os desafios do cancro infantil, garantindo apoio num momento de incerteza e acompanhando em todos os ciclos da doença. Nas Casas Acreditar, nos hospitais e no domicílio, o apoio desdobra-se nos planos emocional e social – com transparência e profissionalismo, e sobretudo com a experiência de quem já passou pelo mesmo. O cancro em crianças e jovens é raro. Em Portugal são diagnosticadas, anualmente, cerca de 400 casos. A taxa de cura ronda, actualmente, os 80%, sendo superior à da maioria dos casos em adultos. Dois terços dos sobreviventes sofrem efeitos tardios.
 
Este Setembro, a Acreditar volta a juntar-se à rede de organizações internacionais de apoio a crianças e jovens com cancro assinalando o Mês de Sensibilização para o Cancro Infantil. O símbolo é um laço dourado, pois a cor dourada simboliza a força, coragem e resiliência destas crianças.

 

 

Com encenação de António Pires e interpretação de Pedro Pernas, Rúben Madureira e Telmo Ramalho, As Obras Completas de William Shakespeare em 97 Minutos “viaja” pelas tragédias, comédias, peças históricas e sonetos do mais famoso e influente dramaturgo inglês, provando que “Ser ou não ser” não é uma questão a colocar quando se trata do fenómeno que este espectáculo é desde a sua estreia, em 1996!

 

Texto Adam Long, Daniel Singer e Jess Borgeson 

Encenação Antonio Pires

Tradução Célia Mendes 

Figurinos Marta Pedroso

Movimento/Coreografia Sissi Martins

Interpretação  Pedro Pernas, Rúben Madureira e Telmo Ramalho