Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Últimas representações de Hamlet de Cintra no Teatro Municipal Joaquim Benite

image005.jpg

 

Depois das últimas sessões esgotadas, e da crítica consensual de excelência, Hamlet, a co-produção do Teatro da Cornucópia e da Companhia de Teatro de Almada, com encenação de Luis Miguel Cintra, continua em cena no Teatro Municipal Joaquim Benite, até dia 15 de Novembro.

 

image006.jpg

 

“Finalmente o Hamlet!” foram as palavras que Sophia de Mello Breyner Andresen escreveu no exemplar que ofereceu a Cintra, quando terminou a tradução da obra de Shakespeare. O encenador aposta nesta versão, nunca antes levada à cena, e opta pela representação integral do clássico. No papel de protagonista, Luis Miguel Cintra dá-nos a conhecer um Hamlet jovem, como Shakespeare retratou originalmente, interpretado nesta produção pelo actor Guilherme Gomes, de apenas 22 anos.

 

Em Hamlet coloca-se em cena o confronto entre duas gerações: o grupo de jovens constituído pelo protagonista e pelos seus amigos, que se regem pelos valores em nome dos quais se organiza a sociedade, e os mais velhos – a quem só já importa o poder. É esta dualidade que interessa ao encenador, bem como a forma como a arte se integra, ou não, na evolução do mundo em que vivemos: e como é que no momento presente gerações diferentes vivem, o que esperam do futuro, e o que renegam. Nas palavras de Luis Miguel Cintra: “É essa a tragédia de Hamlet – virar tudo ao contrário, no sentido de perceberem que a mudança não seria reconstruir a sociedade podre que os pais não conseguiram construir, mas sim construir uma outra sociedade. O Hamlet faz o trabalho de recusa, com erros que lhe custaram a vida, mas deixa a solução para os que vierem depois e entenderem o seu testemunho. A certa altura comecei a perceber que isto era igual ao problema político do nosso tempo”.

 

As questões que inquietam o príncipe da Dinamarca ecoam assim na actualidade: como restaurar a ordem sem abdicar do idealismo? Como fazer justiça sem manchar as mãos de sangue? Como lutar e ao mesmo tempo preservar quem somos?

 

FICHA ARTÍSTICA

Intérpretes Alberto Quaresma, Bernardo Souto, Dinis Gomes, Duarte Guimarães, Guilherme Gomes, Isac Graça, João Reixa, José Manuel Mendes, Luís Lima Barreto, Luís Madureira, Luis Miguel Cintra, Marques D’Arede, Nídia Roque, Rita Cabaço, Sílvio Vieira, Teresa Gafeira e Tiago Matias

Assistência de encenação Rodrigo Francisco, Sofia Marques Cenografia e figurinos Cristina Reis Luz Cristina Reis, Guilherme Frazão, Luis Miguel Cintra, Rui Seabra Voz e elocução Luís Madureira

TMJB | SALA PRINCIPAL | M/12 Até 15 NOV | QUA e QUI às 20H00 | SEX e SÁB às 21h00 | DOM às 16h00 PREÇO: 6€ a 13€  | Jantar + espectáculo 14€ RESERVAS: +351 212 739 360 COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.