Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Viagem à Espanha do Renascimento encerra ciclo "Reencontros" no Palácio de Sintra | 27 e 28 julho

VIAGEM À ESPANHA DO RENASCIMENTO ENCERRA CICLO “REENCONTROS” NO PALÁCIO DE SINTRA

 

 

image005.jpg

 

Nos dias 27 e 28 de julho, o agrupamento Accademia del Piacere apresenta dois programas que cruzam o repertório sacro e o profano, sob a perspetiva da música instrumental. Conclui-se assim a quarta edição do ciclo “Reencontros”, no mais antigo paço real do país.

 

 

A edição 2018 do ciclo “Reencontros” despede-se no próximo fim de semana com o agrupamento Accademia del Piacere, criado em 2002, em Sevilha, pelo extraordinário gambista Fahmi Alqhai. Ao Palácio Nacional de Sintra, eles trazem, nos dias 27 e 28 de julho, dois programas distintos que propõem dois diferentes modos de imersão na música instrumental espanhola do Renascimento.

 

Na sexta-feira, 27 de julho, o programa Redescobrindo Espanha – “Fantasías, diferencias y glosas” na música espanhola dos séculos XVI e XVII” revisita a primeira gravação do grupo para a editora Glossa (de 2013). Trata-se aqui de observar o repertório instrumental da época à luz das práticas da variação e da improvisação, tendo por um lado em atenção os tratadistas coevos, como o espanhol Ortiz ou o veneziano Ganassi, mas inscrevendo na ‘performance’ deste repertório uma apropriação moderna do modo de fazer essas ‘transformações’. Isto é, a prática musical como reflexo da formação dos músicos e do seu meio circundante, então como agora. 

 

No dia 28 de julho, sábado, a Accademia del Piacere irá iluminar os dois polos em redor dos quais se desenvolvia a vida musical na Sevilha dos séculos XVI e XVII, época do apogeu do comércio das Índias. O programa intitula-se ‘Hispalis Splendens – Música na Sevilha do Século de Ouro’ e aborda, por um lado, a música instrumental profana praticada no “século”, desde os meios populares aos círculos aristocráticos e da grande burguesia da cidade; e, por outro, a música religiosa, que tinha por centro irradiador a grandiosa catedral hispalense, concluída em 1506. Como pano de fundo, ainda, a transição do humanismo renascentista para o misticismo da Contrarreforma. Termina deste modo a quarta edição dos “Reencontros”.

 

O ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra” dá continuidade à 4.ª Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que iniciou em março com os “Serões Musicais no Palácio da Pena”, e termina, em outubro e novembro, com o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”.

 

 

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 10€

Capacidade da Sala dos Cisnes: 160 lugares

 

Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, www.parquesdesintra.pt, www.blueticket.pt, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Turismo de Lisboa.

M/6

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.